CARTOGRAFIA FILMES OFERECE OFICINAS E ORGANIZA CINECLUBES EM BAIRROS DE CURITIBA

O Circuito Griot  propõe a reflexão e a construção de produtos audiovisuais por e para comunidades periféricas de Curitiba

Moradores de quatro bairros de Curitiba recebem o Circuito Griot, projeto que propõe a reflexão e a construção de produtos audiovisuais por e para comunidades periféricas da capital. Na primeira etapa, entre os meses de outubro e dezembro, as atividades ocorrem nos bairros Parolin e Sítio Cercado. De fevereiro a abril de 2022, chega ao Tatuquara e à Vila Leonice.

“Pra gente é muito importante descentralizar os acessos à cultura, tanto no que diz respeito à localidade quanto às pessoas que normalmente, por vários motivos, acessam esses bens. Então, realizar o Circuito nesses territórios, onde já existe um histórico de luta, de resistência negra em Curitiba, é muito importante”, diz Bea Gerolin, da Cartografia Filmes.

A programação consiste em Oficinas de Práticas Audiovisuais e exibições de filmes abertas à comunidade. Na oficina será abordada a linguagem e a produção cinematográfica com o compartilhar de experiências e a sensibilização de olhares das/os participantes aos territórios que habitam.

Cada bairro receberá uma Oficina com oito encontros, de 3h cada, durante dois meses. Ao final do processo, os exercícios serão reunidos em um filme-carta, resultando em quatro curtas produzidos coletivamente por moradores de bairros periféricos de Curitiba.

Já as exibições abertas à comunidade têm como objetivo aproximar a população do formato do cineclube. A proposta é exibir filmes com protagonismo ou realização negra em espaços coletivos dos bairros. As sessões quinzenais contemplam a exibição de dois filmes, um do tipo curta metragem e outro, em formato longa metragem, seguidos de um debate. Antes de todas as sessões, os longas exibidos serão decididos por votação dos próprios participantes das oficinas.

Para Andrei Bueno Carvalho, da Cartografia Filmes, o Circuito Griot é um projeto que busca englobar, de forma ativa em todo o processo, a comunidade onde as oficinas e exibições acontecerão. “Especialmente no fortalecimento da cadeia econômica movimentada por um evento cultural desta natureza a partir dos empreendedores e/ou projetos sociais locais. Tanto na alimentação do lanche das oficinas, na circulação dos anúncios sonoros no bairro como na participação das produtoras locais – que são lideranças consolidadas em seus territórios – como integrantes da equipe técnica do projeto”, diz.

O Circuito Griot é o novo projeto da Cartografia Filmes, produtora vocacionada para o audiovisual identitário negro. Também realiza, em Curitiba, outros projetos de difusão, como o Griot – Festival de Cinema Negro Contemporâneo, que acontece desde 2018, e a Afrika XX – Mostra de Cinemas Pioneiros do Continente Africano.

O Circuito Griot tem apoio da Aliança Francesa – Curitiba e Incentivo do Ebanx. Realizado com recursos do Programa de Apoio de Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba.

Sobre a Cartografia Filmes
A Cartografia Filmes é uma produtora paranaense vocacionada para o audiovisual negro que une trajetórias diversas. Desse território de encruzilhada, nossa atuação se movimenta pelo desejo de compartilhar novas formas de acesso e produção dos bens culturais, fortalecendo e criando espaços coletivos nos eixos de DIFUSÃO, FORMAÇÃO E PRODUÇÃO do audiovisual, de maneira a abrir caminhos na reconstrução de imaginários onde as múltiplas subjetividades sejam livres para exercer sua existência com plena autonomia e potência >> Encontre a gente nas redes www.instagram.com/cartografiafilmes/

Sobre o Griot – Festival de Cinema Negro Contemporâneo
O Griot – Festival de Cinema Negro Contemporâneo começou em 2018 como Mostra de Cinema Negro Brasileiro com o objetivo de criar um espaço onde pudessem exibir filmes pensados, realizados e protagonizados por pessoas pretas em território nacional. Nas edições anteriores foram exibidos com lotação máxima de público 61 curtas, dois longas e um média. Em 2020, por conta da pandemia, foi realizado em formato online. As edições aconteceram com financiamento coletivo. www.festivalgriot.com.br

Serviço
Circuito Griot
Onde:
Parolin – Oficinas aos sábados, 23/10 a 11/12, das 09h às 12h. Exibições nos dias 31/10; 06/11; 20/11 e 04/12, às 18h30.

Sítio Cercado – Oficinas aos sábados, de 23/10 a 11/12, das 14h30 às 17h30. Exibições nos dias 30/10; 13/11; 27/11 e 11/12, às 18h30.

Contato
Andrei Bueno Carvalho
Coordenação e Produção Executiva
(41) 9 99608/4165
cartografia.filme@gmail.com

Bella Souza / Direção de Produção
(41) 99602-8894
izacris1@gmail.com

INSCRIÇÕES PRORROGADAS PARA EDITAL DE AUDIOVISUAL DO SESC-PR / NOVO PRAZO É O DIA 30 DE JULHO

As inscrições do edital de seleção para licenciamento de obras audiovisuais do Sesc-PR foram prorrogadas ATÉ O DIA 30 DE JULHO DE 2021. As produções classificadas pela curadoria irão integrar a programação de audiovisual da instituição, nos formatos presencial e on-line, pelo período de 24 meses.

Estão aptos a participar pessoas físicas, pessoas jurídicas e microempreendedores individuais, ambos residentes ou estabelecidos no estado do Paraná e com o Cnae compatível com o objeto do edital. Cada proponente pode concorrer com até três obras que tenham sido finalizadas a partir de janeiro de 2019 e que não tenham sido exibidas no circuito cinematográfico comercial.

A avaliação das propostas julgará critérios como qualidade artística, qualidade técnica e relevância para o público do Sesc. A remuneração varia conforme categoria de enquadramento baseado na duração da obra (curta, média ou longa-metragem).

As inscrições devem ser realizadas exclusivamente pelo site, no endereço www.sescpr.com.br/cultura/editais , onde também está disponível o edital para consulta de todas as informações do processo, além de ser possível consultar resultados a partir de 30 de julho.

HOMBRE DE AL LADO (O HOMEM AO LADO) / LEGENDADO

Sinopse: Um designer bem-sucedido que mora com sua família na única casa que o arquiteto Le Corbusier construiu na América Latina, na Argentina, tem sua vida transformada por conta de uma janela que o vizinho decide abrir.

O filme foi premiado no Festival de Sundance na categoria Melhor Fotografia.

Fica técnica:
Data de lançamento 20 de maio de 2011 (1h 50min)
Direção: Gastón Duprat, Mariano Cohn
Elenco: Rafael Spregelburg, Daniel Aráoz, Eugenia Alonso
Gênero: Drama
Nacionalidade: Argentina

fonte: Allison Duarte (canal de filmes no Youtube)

VISTA GROSSA


Vista Grossa é um longa-metragem documentário (da diretora Giuly Biancato) que começou como um projeto estudantil de curta-metragem, gravado em 2019. O filme discorre sobre a falta da memória curitibana em relação a Ditadura Civil Militar (1964-1985) e, principalmente, essa falta registrada nas construções e edifícios urbanos que sediaram quartéis generais e outros locais, dentre eles alguns clandestinos, usados para apreensão e tortura de milhares de pessoas. Bem como locais de resistência e luta de estudantes, artistas, trabalhadores e ativistas contrários à ditadura.

O projeto cresceu e a equipe do documentário abriu uma VAKINHA para juntar recursos para gravar e/ou regravar algumas imagens e áudios, pesquisa e aquisição de imagens de arquivo de Curitiba entre 1964 e 1985; recursos para o processo de edição e finalização e recursos para a distribuição e inscrição do filme em festivais. 

Confira todas os detalhes e colabore com esse projeto importante através deste link

A IMPORTÂNCIA DO REGISTRO
O documentário aborda a falta da abertura de registros e instalação de memoriais públicos para reconhecimento popular sobre um histórico violento vivido em Curitiba, em contraponto com vários registros em homenagem aos militares que a cidade carrega, discutindo também a acelerada urbanização e como isso afeta nosso senso de identidade e conhecimento sobre nossa própria história. O filme busca questionar sobre quem detém e controla essas memórias e, qual é o critério de escolha para fazer dessa história um conhecimento popular ou um conhecimento velado. 

A maior parte dos paranaenses, ou 50,8% acredita que o regime militar no Brasil era melhor (33,5%) ou igual (17,3%) à “democracia” que vivemos hoje. (FONTE: Paraná Pesquisas). Há locais em Curitiba que diariamente circulam milhares de pessoas e quase nenhuma delas sabe que esses e muitos outros locais sediaram órgãos responsáveis por perseguir, oprimir, prender e torturar opositores e suspeitos inocentes de oposição ao regime militar. A Comissão Estadual da Verdade (CEV) se baseia nas pesquisas do grupo Tortura Nunca Mais – Paraná, que dá conta de pelo menos 4 mil presos durante a ditadura. Destes, no mínimo mil sofreram tortura. Mas o número pode ser muito maior (FONTE: Gazeta do Povo).

Nota do editor:
Quem se interessa pelo tema precisa conhecer o site Ditadura em Curitiba, do historiador Luiz Gabriel da Silva – ele participa da equipe do documentário. Neste site você poderá acessar informações e trabalhar com fontes primárias, como pastas temáticas da DOPS (Delegacia de Ordem Política e Social) e vídeos de depoimentos de indivíduos que lutaram contra o regime, bem como jornais da época.

PARANÁFLIX

PARANÁFLIX

Que ideia maravilhosa! Só entrar no site e assistir o cinema paranaense. Inclusive você pode subir filmes! Maravilhoso! Parabéns aos envolvidos!

A Paranáflix é uma plataforma colaborativa criada para difundir produções cinematográficas produzidas em todo o Paraná.

Já tem vários filmes interessantes: Lance Maior (1968), Cine Hai-Kai (1984) – sobre o Leminski, Beijo na Boca Maldita (2008), Satori Uso (2007), vários filmes legais, confira o catálogo!

“Buscamos construir uma forma livre, popular e coletiva para dar visibilidade às produções do estado, e oferecer o acesso gratuito de filmes para quem busca informações culturais.

Este gesto surge como sintoma da insuficiência de políticas públicas consistentes, ativas, e longevas de distribuição, produção, exibição e preservação do cinema no Paraná, e de modo algum pretende trazer soluções paliativas a estes problemas de imenso interesse público.

Vamos fortalecer o cinema brasileiro!”

Acesse:
Site: www.paranaflix.com.br
Instagram: www.instagram.com/paranaflix/

 

CURITOWN – A CULTURA DO SKATE EM CURITIBA

“A história do skate brasileiro também começou nas ladeiras curitibanas. O documentário longa metragem CURITOWN conta a história do skate de Curitiba. E é uma história fascinante! Segue uma linha cronológica de 1970 a 2000, que conta como tudo começou até culminar no reconhecimento de Curitiba como a Capital do skate.

O skate é mais do que esporte, lazer e meio de transporte, o skate é uma manifestação cultural. Uma cultura que envolve hábito, comportamento, moda, lazer, sociabilidade, identidade, um estilo de vida. A cidade apresenta um expressivo número de skatistas e muito se deve a existência de gerações que preservam a prática ao longo do tempo e dos lugares. Pista do Gaúcho, Ambiental e Drop Dead Skatepark geraram skatistas de qualidade para Curitiba e para fora dela, e durante as décadas de 1990 a 2000 a cidade foi considerada a capital do skate do Brasil. Esta cena envolvia marcas como Maha skate shop e Drop Dead com suas fábricas de tábuas e roupas, com suas lojas que promoviam as tendências de moda, campeonatos nacionais amadores, música, skatistas alcançando o pódio em campeonatos mundiais. Skate, fotografia, vídeo, marcas, fábricas, campeonatos, nomes de destaque, pioneiros do skate na capital. História.

Este universo cultural é mostrado neste documentário audiovisual de 57 minutos, trazendo para os skatistas e para um público amplo a cultura do skate curitibano, um dos mais tradicionais do Brasil. O recorte temporal vai da década de 1970 a de 2000, a partir dos depoimentos de skatistas pioneiros chegando até os campeões mundiais.

Ficha técnica:
Pesquisa 
| Victor Augustus Graciotto Silva e Juliana Cristina Reinhardt – documental e entrevista I 
André Kloss – mapeamento das pistas de skate |

Documentário Audiovisual
| Eli Firmeza – direção de fotografia e edição I Victor Augustus Graciotto Silva – direção, produção e roteiro I Felipe Oliver Arnoso, Castro Pizzano e Matheus Reinhardt Luz – assistência de direção e de produção |

Exposição
| Victor Augustus Graciotto Silva – coordenação e curadoria I Rebeca Gavião Pinheiro – Produção I Marcello Kawase – Programação e identidade visual I Regina Maria Schimmelpfeng de Souza – revisão de texto I Juliana Cristina Reinhardt – edição de conteúdo |

Livro
| Rafael Kloss – projeto gráfico e diagramação I Victor Augustus Graciotto Silva – edição I Juliana Cristina Reinhardt – edição de conteúdo e supervisão editorial I Regina Maria Schimmelpfeng de Souza – revisão de texto |

Oficina de vídeo criativa 
| Castro Pizzano, Felipe Oliver Arnoso, Matheus Reinhardt Luz – ministrante, produção e edição

Participantes e colaboradores: Kico Westphalen, Maria Elaigne Ferreira, Adriano Scharf, Marco Antônio Campos “Neggreety”, Carlos Caldart, Dego, Wallace, Dennis Kistmann, Aldy Maingué “Didi”, Luiz Hernani Scharf Junior “Dudo”, Estácio Seixas, Luis Eduardo Woff “Liba”, Fernando José Johnson, Juarez Matter, Marco Antônio Imaguire “Maguila”, Carlos Eduardo Dias “Alemão”, Heloise Imaguire, Cristian Aurélio Pereira “Sapão”, Alex Carolino, Cristian Barrera “Chileno”, Danilo do Rosário, Larissa Carollo, Diego Costa, Carlos de Andrade “Piolho”, Miguel Zafner Junior “Catarina”, Márcio Coraiola, Luiz César Ferreira, Franco Bertognoli Zaniolo, Alexandre Wolf “Sal”, Júlio Kondo “Japa”, Raphael Braciak “Urso”, Sérgio Marcelo Pacheco “Mortex”, Michel Simonetto, Rodrigo Leon Borgues “Tatu”, Pablo Vaz, Angelo Esteves “Manjo”, Ronaldo Miranda, Daniel Vieira, Alexandre Maia, Filipe Ortiz, Renato de Souza, Felipe Espíndola, Luiz Gaida, Guilherme Trakynas, Felipe Chales, Erick Bollmann, Glauber Harmann, Leandro Olivo, Beto Janz, Ricardo Elias, Edilene Ozorio “Dinha”, Erick Bollmann, Marcel Rodrigues, Ruy Rebka Prado.

Exposição: Curitown – a cultura do skate em Curitiba, entre 16 de junho a 20 de agosto de 2018 no Museu Municipal de Arte de Curitiba.

Projeto contemplado no Mecenato / 2015 e realizado com o apoio da Prefeitura Municipal de Curitiba, Fundação Cultural de Curitiba, Fundo Municipal de Cultura – Programa de Apoio e Incentivo à Cultura.

Incentivo: CELEPAR | CAIXA

fonte: Editora Máquina de Escrever

FESTIVAL DE CINEMA – CURTA PINHAIS (FESTCINE) RECEBE INSCRIÇÕES

O evento é promovido pela Prefeitura de Pinhais-PR, por meio da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer. As inscrições seguem até o dia 23 de março.

A edição deste ano do Festival de Cinema Curta Pinhais (FESTCINE) será realizada entre os dias 23 e 27 de abril. As sessões serão gratuitas e exibidas no auditório Márcio José Moro, no Centro Cultural Wanda dos Santos Mallmann. Os interessados devem se inscrever até o dia 23 de março no site da Prefeitura de Pinhais onde também pode ser acessado o regulamento, entre outras informações sobre o Festival.

A iniciativa chega a sua 6º edição, de acordo com a organização o FESTCINE tem como principais objetivos: despertar e estimular maior interesse da população, do público escolar e da comunidade em geral pela sétima arte em todas as suas formas; estimular o desenvolvimento do mercado para os amadores que atuam na área e dar visibilidade às produções amadoras e independentes. Além disso, também visa proporcionar possibilidades para novos talentos e promover intercâmbio entre artistas, produtores, diretores, distribuidores, público e entidades culturais afins de todo o território nacional.

O FESTCINE Curta Pinhais é um evento que reúne produções profissionais e amadoras da área do cinema, em apresentações de curtas e longas-metragens de qualquer gênero (ficção, documentário, animação, drama, comédia, musical, épicos, adulto, infantil) e outras técnicas cinematográficas alternativas, além de clipes musicais. O Festival é organizado em seis categorias concorrentes:
-Curta-metragem de ficção;
-Curta-metragem de documentário;
-Longa-metragem;
-Curta-metragem realizado por estudantes dos níveis fundamental e médio a partir de câmera de celular;
-Clipe musical;
-Filme Destaque Pinhais.

A iniciativa pode vir a constituir mostras paralelas para produções que não sejam classificadas para as categorias competitivas.

Serviço :
As inscrições para o VI FESTCINE devem ser realizadas no site www.pinhais.pr.gov.br até o dia 23 de março. Mais informações pelo e-mail: festcinepinhais@gmail.com ou pelo telefone (41) 3912-5247.
Confira o regulamento, aqui

fonte: Prefeitura de Pinhais-PR