PRI LACERDA CELEBRA AS RENOVAÇÕES NO CLIPE EM ANIMAÇÃO “CAPRICORNIANA”

Faixa é o primeiro lançamento autoral em português da artista após EP de estreia

Pri Lacerda abre caminho para as renovações, celebra o presente e a vida em “Capricorniana”, primeiro single em português da artista paranaense. O colorido da canção bem-humorada é acompanhado por um clipe animado e anuncia a nova fase da cantora e compositora.

Pri Lacerda é conhecida como cantora, compositora e vocalista da banda de jazz e blues Snap Jazz. Depois de embarcar no seu projeto solo com o primeiro EP, lançado em 2018 com cinco canções que faziam a ponte entre a nostalgia do soul e a música pop atual. Além de canções próprias, o trabalho contou com “Catch the Ash” e “River of Stars”, ambas do americano Jesse Harris (autor do sucesso “Don’t Know Why”, de Norah Jones). Este ano, Pri olha para o futuro em nova fase.

Atuando no cenário musical de Curitiba desde 2013, Priscilla soma a uma trajetória profissional como jurista, mestre em Direito Econômico, professora universitária há mais de 10 anos e escritora, tendo publicado um livro de Direito sobre igualdade e, recentemente, participou da Bienal do Livro com o seu primeiro livro infantil “O Mundo Colorido da Girafa Zazá”. A música foi rapidamente de uma paixão dormente e hobby a alguns dos principais festivais e palcos da região, participando inclusive do Sofar Curitiba.

Este ano, Pri Lacerda está pronta para dar mais um passo em sua carreira musical, absorvendo o amadurecimento de seu primeiro trabalho e as reflexões diante de acontecimentos que têm nos colocado em contato com questões íntimas e emocionais.

“A pandemia pra mim foi um processo muito louco. Cada um absorveu esse momento de uma maneira diferente e tudo bem! Alguns desengavetando projetos esquecidos até então, outros aprendendo a fazer nada. E outros estão entendo que o fato de a gente estar ainda aqui é um presente. Talvez seja o momento oportuno de fazer uma viagem interna e deixar aqueles julgamentos, aquelas cobranças de lado e simplesmente ser você. É isso que estou tentando fazer, ser EU. A música foi um presente e agora em 2022 quero mostrar a compositora”, reflete Pri.

Nada melhor do que começar essa nova fase apresentando a potente “Capricorniana”, uma canção que abraça nossas contradições e trata com bom humor as características mais marcantes de ser quem somos – independentemente do signo do zodíaco. A nova série de lançamentos de Pri Lacerda ganha um pontapé inicial igualmente inventivo com um clipe assinado por Izabella Francheschi e Rosano Mauro Jr repleto de cores e texturas, com direção de arte e animação de Nathalia Okimoto – um testamento da própria versatilidade da artista.

“Escolhi começar com ‘Capricorniana’, pois é uma música que eu escrevi em casa, bebendo uma taça de vinho tirando sarro de mim, do meu jeito de ser, do que é relevante ou engraçado. O clipe vem para mostrar de uma maneira leve, divertida, que a vida pode ter várias facetas, que podemos sim fazer inúmeras coisas. A girafa foi escolhida fazendo um link direto com o meu livro infantil, mas principalmente pelo fato de a girafa ser o símbolo da comunicação não violenta. A girafa tem orelhas grandes para escutar com empatia; um longo pescoço para ver além dos julgamentos e partilhar esta consciência; nos cascos a girafa expressa sua necessidade de autenticidade, além de ter o maior coração dos mamíferos terrestres”, completa.

“Capricorniana” chega às principais plataformas de streaming através do selo Pomar e o clipe, ao canal de YouTube da artista.

Ficha técnica
Voz/composição – Pri Lacerda
Produção/guitarra/baixo/teclas/samples – Eduardo Rozeira
Bateria – Luís Bourscheidt
Mix e Master – Guigo Berger
Selo Pomar
Gravado por Eduardo Rozeira no Estúdio Gota e Francisco Desalv
Direção. Izabella Francheschi e Rosano Mauro Jr
Roteiro. Izabella Franceschi
Dir. de Fotografia. Rosano Mauro jr
Ass. de câmera. João Fincatto
Figurino. Isbella Brasileiro
1 ass. de figurino. Nathalia Mendes
2 ass. de Figurino. Clara Faraco
Make up. Carol Suss
Produção. Selecta Studio
Produção de Set. Gisela Garcia
Equipe de Pós-Produção
Direção de pós-produção:
Nathalia Okimoto
Ilustração:
Cassia Roriz
Astronauta
Nathalia Okimoto
Thais Perissinotto
Direção de animação:
Nathalia Okimoto
Animação:
Nathalia Okimoto
Thais Perissinotto
Fabio Gular

Voz/composição – Pri Lacerda (@aprilacerda)
Produção/guitarra/baixo/teclas/samples – Eduardo Rozeira (@rozeiracomz)
Bateria – Luís Bourscheidt (@gauspa)
Mix e Master – Guigo Berger (@guigoberger)
Preparadora vocal – Paola Pagnosi (@lolapagnosi)


Asssita a “Capricorniana”: https://youtu.be/ZXCozxDgnE4
Ouça “Capricorniana”: https://pomar.fanlink.to/capricorniana 

Siga Pri Lacerda:
facebook:
https://www.facebook.com/aprilacerda/
instagram:
https://www.instagram.com/aprilacerda/
Canal no Youtube: Pri Lacerda

Letra:
CAPRICORNIANA
Sou capricorniana
Às vezes um tanto insana
Gosto do certo
Do que é correto
Quando o que importa
É o que está por perto

Eu tenho TOC
Isso é comum
Mas nenhum deles
Faz mal algum
Gosto da vida
Gosto da arte
De um leve caos
Antes da morte

Sou capricorniana
Às vezes um tanto insana
Gosto do certo
Do que é correto
Quando o que importa
É o que está por perto

Gosto do outro
Do que ele trás
Ensinamentos
Que a luz atrai
Viver o hoje
Agora eu sei
E dar a pausa
Faz bem também

Mudar um móvel ali
Outro acolá
Pra me aquietar
Sentar no mesmo lugar

Mudar um móvel ali
Outro acolá
Pra desestressar
Sentar no mesmo lugar

Mudar um móvel ali
Outro acolá
Pra me desligar
Sentar no mesmo lugar
Como se pudesse me acalmar

“O TESOURO DO PIRATA ZULMIRO”: ESPETÁCULO CIRCENSE COM ESTREIA EM JANEIRO REVIVE LENDA CURITIBANA

O Tesouro do Pirata Zulmiro. Foto: Lidia Ueta.

A montagem, que traz a lenda do Pirata Zulmiro como pano de fundo, também é uma homenagem ao artista idealizador do projeto, Marcos Gabriel Freitas (Palhaço Fidalgo), que faleceu em agosto de 2020. Ao todo, serão oito apresentações online e gratuitas para toda a família assistir no YouTube entre os dias 27 de janeiro e 06 de fevereiro

Entre os dias 27 de janeiro e 06 de fevereiro, de quinta a domingo, sempre às 20h, os curitibanos de todas as idades têm a oportunidade de assistir gratuitamente e online o espetáculo “O Tesouro do Pirata Zulmiro”, que, por meio de números circenses, parte da lenda que permeia o imaginário da cidade de Curitiba, para contar essa história. As exibições são feitas diretamente no canal do YouTube do diretor e dramaturgo do projeto, Silvestre Neto, o Palhaço Macaxeira youtube.com/SilverNeto.

“O Tesouro do Pirata Zulmiro”, foi idealizado pelo artista Marcos Gabriel Freitas — o Palhaço Fidalgo —, e complementado pelo artista Silvestre Neto. Após o falecimento de Fidalgo em agosto de 2020, a obra foi adaptada pela equipe, que está realizando o espetáculo em homenagem à vida e obra do Palhaço Fidalgo.

A obra foi gravada nas dependências do Circo da Cidade, no Boqueirão, e explora a saga do Pirata Zulmiro, um personagem do folclore curitibano, para conseguir abrir o baú que carrega consigo. Em um universo delirante, Zulmiro precisa passar por provações para descobrir de quais maneiras as riquezas dele podem ser reveladas. Buscando ajuda em uma lona circense, ele e Heraldo, seu fiel escudeiro, desvendam os mistérios do picadeiro de uma forma inusitada. Diversão garantida para toda a família.

Além das oito apresentações, o projeto conta, ainda, com a realização de um bate-papo da equipe com o público para compartilhar o processo de criação e refletir sobre os caminhos da linguagem circense no ambiente audiovisual. A live acontece no dia 27 de janeiro, às 21h, logo após a estreia da peça, também no canal do YouTube.

O espetáculo tem dramaturgia e direção de Silvestre Neto, e o elenco conta com a participação de artistas relevantes do cenário circense curitibano: Camila Cequinel, Denis Mariano, Mago Niko e o próprio Silvestre Neto.

A estreia, inicialmente prevista para acontecer de forma presencial em março de 2020, como parte da programação do Circo da Cidade, precisou ser adiada por conta da pandemia causada pelo coronavírus e, posteriormente, pelo falecimento de Marcos.

O roteirista, diretor e parceiro de criação, Silvestre Neto, comenta que a realização do espetáculo é uma forma de homenagear o amigo. “O Marcos era um buscador. Tinha certeza sobre sua missão e assim o fazia com sua arte, buscando sempre se aprimorar. Era impressionante a sagacidade e o ímpeto dele em procurar compreender suas dificuldades com o único intuito de ser um artista mais completo. Nos ensaios que foram paralisados ele estava mostrando o quanto estava pronto para levar ao máximo essa forma de pensar”, diz. “Para mim e o elenco, todos amigos dele, o espetáculo foi criado de forma muito emocionante, com o coração nas atuações. Faço com a intenção de registrar o legado desse artista impressionante e homem fora do comum”, reforça Silvestre.

Marcos Gabriel Freiras nasceu em 1981, no município de Faxinal, a 300 km de Curitiba. Se mudou para a capital aos 9 anos de idade, para tratar problemas de saúde. Dos 38 anos que viveu, 16 foram dedicados ao teatro e à palhaçaria. Em meados de 2010, criou o bufão Fidalgo Filho de Algo — o Palhaço Fidalgo —, personagem que interpretou em diversos espetáculos locais e nacionais. Sempre com humor e irreverência, abordava temas como religião e política. Marcos faleceu em agosto de 2020, por complicações causadas pela COVID-19. Ele deixou a esposa, Letícia Lopes Freitas, com quem vivia há 13 anos.

O projeto foi aprovado no edital de Difusão e Formação em Circo, promovido pela Fundação Cultural de Curitiba.

SERVIÇO:
O TESOURO DO PIRATA ZULMIRO
Classificação indicativa: Livre
Exibições gratuitas de 27 de janeiro a 06 de fevereiro
Quintas, sextas, sábados e domingos, sempre às 20h
Via YouTube youtube.com/SilverNeto
LIVE – Processo de Criação do espetáculo O TESOURO DO PIRATA ZULMIRO
Um bate papo sobre o processo criativo do espetáculo, refletindo sobre os caminhos da linguagem circense para o ambiente audiovisual
Dia: 27 de janeiro
Horário: 21h (após a exibição de estreia do espetáculo)
Via Youtube youtube.com/SilverNeto

FICHA TÉCNICA
Roteiro e Direção: Silvestre Neto
Elenco: Camila Cequinel, Denis Mariano, Mago Niko, Silvestre Neto
Iluminação: Wagner Correa
Técnico de iluminação (montagem): Well Daum
Cenário e Figurino: Levi Brandão
Costureira: Nair Scheffler
Trilha Sonora: Denis Mariano
Gravação: Paulo Rosa e Lídia Ueta
Edição: Silvestre Neto
Técnico de Som: Karina Scariott
Transmissões das ações: Paulo Rosa
Fotos: Lidia Ueta
Assessoria de Imprensa e Mídias Sociais: Platea Comunicação e Arte (Thays Cristine – (41) 9 9907-9648 – platea.comunicacao@gmail.com)
Design Gráfico: bialopse
Diretor de Produção: Marianinho Produções (Edran Mariano)
Realização: Silvestre Neto
Projeto realizado com recursos do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba.

AMARO FREITAS VOLTA A CURITIBA COM O SHOW “RASIF”

Amaro Freitas

O show é no dia 22 de janeiro, no Sesc Paço da Liberdade através do Programa Petrobras Cultural.

Um dos maiores representantes do jazz brasileiro da atualidade, o pianista e compositor pernambucano Amaro Freitas, está de volta a Curitiba com o show “Rasif”, onde revela um cruzamento de elementos da cultura popular afro-brasileira com o jazz. Com Jean Elton (baixo acústico) e Hugo Medeiros (bateria) forma o Amaro Freitas Trio, que se apresenta no dia 22 de janeiro, às 18 horas, no Sesc Paço da Liberdade, seguindo todos os protocolos sanitários da Prefeitura de Curitiba e Anvisa. São apenas 36 ingressos, distribuídos gratuitamente uma hora antes do espetáculo no SAC do espaço cultural.

A apresentação em Curitiba é uma das últimas da turnê de “Rasif”, realizada através do Programa Petrobras Cultural, com patrocínio da Petrobras e Ministério do Turismo, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura. O circuito começou em Salvador, em fevereiro de 2020, quando também passou pelo Ceará, com duas apresentações no Festival Jazz & Blues, em Guaramiranga e Aquiraz. Em janeiro de 2021, o compositor se apresentou virtualmente na Oficina de Música de Curitiba, diretamente do icônico palco do Teatro do Paiol.

A cultura de Pernambuco transborda naturalmente no estilo de Amaro Freitas. Influenciado pelo mestre do frevo Capiba, por Moacir Santos, Hermeto Pascoal e Egberto Gismonti, mas também pelas grandes referências do piano jazz, como Thelonious Monk, Keith Jarrett ou Chick Corea, o músico, para além do sempre predominante samba jazz, volta-se para a cultura nordestina e traduz frevo, baião, maracatu, ciranda e maxixe para a linguagem do jazz.

Contratado pelo selo londrino Far Out, o pianista já se apresentou em importantes clubes de jazz e festivais, dentre eles: Dizzy’s Jazz Club (Nova Iorque), Ronnie Scott’s (Londres), Unterfahrt Jazz Club (Munique), Casa da Música (Porto) e Bari in Jazz e Grado Jazz (Itália). Nesta trajetória, arrebatou também a crítica internacional em importantes mídias especializadas, como Jazzwise, All About Jazz, BBC Rádio e na mais prestigiada revista de jazz do mundo, Downbeat.

Lançado em 2018, “Rasif” é o segundo disco de Amaro Freitas. Com ele, confirmou o virtuosismo e a inventividade de seu trabalho, que conquistou a crítica especializada nacional e internacional já no álbum de estreia, “Sangue Negro”, de 2016. Em junho de 2021 lançou “Sankofa”, seu mais recente trabalho, cujo projeto visual da capa foi uma criação do Acidum Project, dos cearenses Robézio e Tereza Dequinta. O álbum está na lista de 50 melhores discos de 2021 da Associação Paulista dos Críticos de Arte.

O SHOW “RASIF”
Amaro Freitas convida o público a desbravar novas rotas e experimentar a capacidade percussiva do piano, em complexos padrões matemáticos, ritmos imprevisíveis e hipnóticos.

No primeiro momento do concerto, são apresentados temas como “Coisa nº 4”, de Moacir Santos – única música não autoral do repertório –, “Dona Eni”, “Samba de César” e “Trupé”. Na sequência, os músicos contrastam temas frenéticos, com “Aurora” e “Rasif”, ambos evocando momentos de plenitude. Na segunda parte, Amaro introduz uma performance solo e, na sequência, passeia pelo frevo “Encruzilhada”, além de “Vitrais” e “Mantra”. Para o público, a experiência é de um fluxo musical sem fronteiras que conecta com naturalidade o folclore do Nordeste brasileiro à vanguarda de nomes como Vijay Iyer, Craig Taborn, Thelonious Monk e dos conterrâneos Moacir Santos e Hermeto Pascoal.

TURNÊ SELECIONADA PELA PETROBRAS – A turnê “Rasif” foi um dos 19 projetos selecionados entre 2.214 inscritos na chamada Petrobras Cultural. “Rasif” é um dos únicos seis projetos de turnê de novos talentos contemplados pela Petrobras nesta Chamada, que também selecionou projetos especiais e de festivais.

SERVIÇO
Amaro Freitas apresenta “Rasif” em Curitiba
Data: 22 de janeiro, sábado.
Hora: 18h
Local: Sesc Paço da Liberdade – Praça Generoso Marques, 189 – Centro, Curitiba.
36 ingressos gratuitos disponíveis no SAC do Sesc Paço da Liberdade uma hora antes do evento.
Obrigatório uso de máscara.
Classificação indicativa: Livre.

Cliteriosa

VERO FAZ POP ALTERNATIVO NO INTENSO ÁLBUM “CONTRAPRANTO”

Trabalho é produzido por lucasbin

Um livro aberto com poesias sensíveis e camadas eletrônicas para trazer, de modo acolhedor, uma ligação com o ouvinte e respeitar suas cicatrizes. É assim “Contrapranto”, disco de estreia da artista curitibana VERO. Em uma brincadeira com o conceito do contracanto, o trabalho faz da fragilidade a sua força e une pop, indie e hip hop com produção musical de lucasbin. O disco está disponível em todas as plataformas de música digital.

Ouça “Contrapranto”: https://ditto.fm/contrapranto_a44338a420

Cantora, compositora, atriz e produtora cultural, Veronica Melhem fez de sua vida uma entrega à arte. Nascida em Curitiba, ela cresceu no interior do Paraná e traz em seu currículo uma pluralidade de trabalhos que é refletido em seu debut.

“Contrapranto” apresenta suas composições em um formato de performance, trazendo um toque de dramaturgia inerente à artista, e misturando gêneros musicais, com participações especiais de Brinsan N’Tchalá, Baeni, Glauber Amaral, Janasq, Mika Mc, Rudson Malheiros, Zopelar. O trabalho está disponível em todos os serviços de streaming de música digital.


Crédito foto: Lucas Ueno

Ficha Técnica:
Composição, idealização, produção executiva e design da capa: VERO
Produção e direção musical: lucasbin
Preparação vocal: Baeni
Fotografia da capa: Lucas Ueno
Styling e maquiagem da capa: Geovana Ribas
Participações: Brinsan N’Tchalá, Baeni, Glauber Amaral, Janasq, Lucas Elion, Mika Mc, Rudson Malheiros, Zopelar.
Direção dos clipes de “Vai Saber” e “Memória de mim”: Willian Klimpel (com assistência de Siamese). 
Direção do clipe de “Azarte”: MD Audiovisual (com participação de Baeni, Luísa Teles, Ramon Costa e lucasbin).

Agradecimentos: Abrão José Melhem Junior, Alessandra Amaral Melhem, Arthur Faraco, Lucas José Amaral Melhem, Lucas Budel, Luísa Teles, Murilo Mendonça, Ramon Costa e Vinicius José Amaral Melhem.

Gravadora: RECAPS LABEL
Acompanhe VERO:
https://open.spotify.com/artist/4jGsOURk2Pxk4BtofViTGj
https://instagram.com/veromelhem


Vero e Lucas Bin. Crédito foto: Lucas Ueno

Assista ao clipe de “Memória de Mim”:


Assista ao clipe de “Vai Saber”:

LANÇAMENTO DO LIVRO “CIDADE FRIA – HISTÓRIAS DE CURITIBA” + FEIRA DE VINIL

Neste sábado, 18/dezembro, das 12h as 18h, teremos lançamento do livro @cidadefriacwb (Cidade Fria – Histórias de Curitiba) na Casa Sesi Heitor Stockler, em Curitiba, Av. Marechal Floriano Peixoto, 458 – quase em frete a Praça Carlos Gomes, no centro. Com feira de vinil, bate-papo, discotecagem, comidinhas e bebidas. O Sebinho FATO Agenda participa com seus livros e discos. A entrada é gratuita. Venha!

Obrigado pelo convite, @ostrasperdidas ! 🙂

Toda essa galera estará presente:
@cidadefriacwb
@ostrasperdidas
@ervadocedoceriabar
@duosonico
@christianocneto
@capivaracuritipanos
@capivara.discos
@necrobillyclothing
@recebaluzstore
@ateliejolainefreitas
@e.stylestore
@stephaniec.escritora

8ª EDIÇÃO DO SARAU PERIFÉRICO | CRIS SNJ, DOW RAIZ E SOMBRA SNJ

Neste domingo (19) tem a 8ª edição do Sarau Periférico! Desta vez o evento será realizado na Comunidade Dona Cida, na Cidade Industrial de Curitiba, onde rolaram outras edições.

Teremos a participação da CRIS e do SOMBRA, ambos do SNJ e do curitibano DOW RAIZ, além de um lindo Coral de Natal com a banda CENTRAL SISTEMA DE SOM junto com as crianças da comunidade e demais artistas da cena local.

O evento é gratuito, mas estaremos vendendo rifas e camisetas do Núcleo Periférico para custear toda estrutura e a apresentação dos artistas.

Serviço:
8ª edição do sarau periférico
Data: Domingo, 19 DEZ, a partir das 13h
Local: Comunidade Dona Cida, no Cidade Industrial de Curitiba
Entrada gratuita.

fonte: Núcleo Periférico

LITERATURA COM ACESSIBILIDADE

Ave Lola Espaço de criação lança audiobook e realiza evento com tradução para libras e audiodescrição

Curitiba, 08 de dezembro de 2021 – A obra literária “Nuon – dramaturgia e memórias do processo de montagem” de autoria da dramaturga e diretora Ana Rosa Genari Tezza, ganhará sua versão audiobook em português e ebook em espanhol. O lançamento acontecerá no dia 16 de dezembro, das 19h30 às 21h30, na Ave Lola Espaço de Criação (rua Marechal Deodoro, 1227 – Centro de Curitiba) e terá tradução para libras e audiodescrição.

O evento contará com a presença da autora Ana Rosa para um bate-papo sobre o livro que será distribuído gratuitamente. A publicação traz a dramaturgia do espetáculo “Nuon” montado em 2016 pela trupe Ave Lola e fala sobre o processo de montagem da peça contado pela própria dramaturga e em relatos de artistas que participaram da obra teatral.

O projeto “Publicação literária Nuon” foi financiado pela Lei de Incentivo à Cultura e é uma realização da Ave Lola Espaço de Criação e Governo Federal por meio do Ministério do Turismo e da Secretaria Especial da Cultura. Patrocínio: Nórdica, Tratorcase Máquinas Agrícolas, Plast Pack, Serdia, Tratornew. Instituição Beneficiada: Hospital Pequeno Príncipe (HPP).

Sinopse
Ana Rosa Tezza traz em Nuon, dramaturgia e memórias do processo de montagem, a história que acontece em uma única noite no Camboja, em que se juntam vida e morte, dia e noite, amor e guerra. Na peça, barrada pela senhora Nuon, mulher cambojana que resistiu ao cruel regime e acolheu outras mulheres em sua jornada, surgem espíritos inquietos que testemunharam o regime do Khmer Vermelho. Eles apresentam ao público suas revelações: suas humanidades, seus amores, seus temores, seus sons, suas vidas e mortes.

O processo de criação da obra foi relembrado por cada membro da trupe Ave Lola e descrito para trazer ao leitor os detalhes do fazer teatral da companhia curitibana. Nuon viajou Brasil afora e tocou pessoas de diferentes partes do mundo com sua profunda emoção, inspiração e amorosidade. A arte da Ave Lola expande o viver para infinitas possibilidades.

Ficha Técnica
Direção: Ana Rosa Tezza
Elenco: Ana Rosa Tezza em Nuon e Koylan, Evandro Santiago em Arun, Kim, Sambath e Diretor do Campo de Refugiados, Helena Tezza em Bopha, Nuon e Ampeu Hengsaa, César Matheus em Príncipe Norodom Sihanouk, Marcelo Rodrigues em Tã e Mestre Viseth, Regina Bastos em Nuon
Composição Musical: Arthur Jaime e Breno Monte Serrat
Músicos: Arthur Jaime e Breno Monte Serrat
Captação, Mixagem e Edição de Áudio: Arthur Jaime e Breno Monte Serrat

Serviço:
Lançamento do audiobook em português e do ebook em espanhol da obra literária  “Nuon – dramaturgia e memórias do processo de montagem” | lançamento com tradução para libras e audiodescrição e distribuição gratuita do livro no drive-thru da Ave Lola.
Data: 16 de dezembro de 2021
Horário: das 18h30 às 21h30
Ingresso: gratuito
Local: Ave Lola Espaço de Criação (Rua Marechal Deodoro, 1227)
Facebook: @avelolaespacaodecriacao
Instagram: @ave_lola
Site: www.avelola.net.br
Contato de Imprensa: Jamilssa Melo | 92-98161-1848

AZZUL SABIAH

Azzul Sabiah surge como espaço multicultural idealizado para eventos, troca de experiências artísticas e encontros. O ambiente interliga estúdio, ambiente para exposição de artes plásticas, cantina e jardim criativo. Localizado em Curitiba, no bairro Pilarzinho, o Azzul Sabiah conta com estúdio-teatro de 51 m² que serve para gravações, ensaios e também auditório para receber públicos pequenos – até 20 pessoas. O local tem estrutura para workshops, podcasts, lives, apresentações musicais, conferências, aulas, exposições de arte e outras inúmeras possibilidades.

O evento de pré-inauguração acontece entre os dias 9 e 11 de dezembro, de quinta-feira a sábado. Em formato de bate-papo descontraído falando sobre vida e música, DouDou entrevista convidados no Bla-Bla-Blah Musical. Os primeiros convidados são três músicos de renome internacional: Ney Conceição, Robertinho de Paula e Paulo Levi. Como sugere o nome, Bla-Bla-Blah Musical não tem pretensão de ser um workshop com informações técnicas sobre música, mas sim uma conversa sobre a trajetória dos artistas convidados. Então não precisa ser músico para participar, basta gostar de música!

No sábado, às 19h, acontece o Coquetel Jam Session com músicos locais no jardim criativo, onde haverá projeção real-time da apresentação que acontece dentro do estúdio-teatro. Durante todos os dias do evento, ocorre simultaneamente a exposição Sabiá, organizada pela curadora, Giovana Martucci, apresentando diversas faces da arte local: Jonas Sanson com a sua produção em vídeo arte, Henrique Neves na gravura, Leo Bardo com desenho, Eloiza Montanha, Leonardo Franco e Regina Azolin na pintura. Artistas diferentes com produções únicas que se unem no compartilhamento de um mesmo território de produção cultural.

O ambiente segue normas e protocolos de saúde e segurança da Prefeitura de Curitiba, conta com área externa e jardim para promover mais distanciamento entre o público. O local disponibiliza máscaras e álcool em gel ao público e na entrada do evento exige comprovante de vacinação contra covid-19.

A realização é fruto de parceria entre Azzul Sabiah e Aoca Eco Arte, o mais recente programa do Aoca Cultural que atua na coleta seletiva de resíduos, ressignificando o lixo em prol do meio ambiente. A instituição do Aoca está presente há 30 anos na cena cultural curitibana e nacional, onde atua na promoção de artistas das mais variadas vertentes, e atualmente desenvolve suas produções através da economia circular e com foco na sustentabilidade. O Azzul Sabiah é parceiro de empresas que investem em economia criativa, em arte, em cultura.

CONVIDADOS DO BLA-BLA-BLAH MUSICAL


Paulo Levi. Crédito foto Wanda Marques.

PAULO LEVI é o nosso Marco Polo do saxofone. Inicialmente foi autodidata. Aos 17 anos migrou da Amazônia a Paris, na França, onde foi aceito no CSMDP como o primeiro aluno latino-americano a participar da primeira turma de música improvisada, ou seja, Jazz europeu. Passou por Estados Unidos, Europa e Ásia, e atualmente mora  em Hong Kong, onde participa das atividades locais com orquestras e concertos. Dividiu palco com diversos artistas brasileiros e internacionais como Naná Vasconcelos, Bibi Ferreira, Zezé Motta, Caetano Veloso, João Bosco, Claudio Nutti, Bebel Gilberto, João Donato, Tom Wopatt e o nomeado para o Grammy, Duduka da Fonseca.


Robertinho de Paula. Fonte Portal Terra.

ROBERTINHO DE PAULA é patrimônio da música instrumental brasileira. Guitarrista virtuoso, filho do violonista radicado na Itália, Irio de Paula. Robertinho tem sólida carreira internacional com vários discos lançados na Europa. Participou de inúmeros festivais internacionais de Jazz, com notáveis artistas no nosso tempo como Larry Coryell, Martin Taylor, Paul Wertico, Dave King, Rob Towsend, Fabrizio Bosso, Robertinho Silva, Ivan Lins, Seu Jorge, Vito Di Modugno, Massimo Manzi, entre outros.


Ney Conceição fonte Canal do Youtube DiGi2 Filmes.

NEY CONCEIÇÃO é músico autodidata, arranjador e compositor. Participou como contrabaixista em mais de 200 discos gravados. Trabalhou com uma lista imensa de artistas: João Bosco, Elba Ramalho, Sebastião Tapajós, Robertinho Silva, Airto Moreira, Danilo Caymmi, Dominguinhos, Fátima Guedes, Gonzalo Rubalcaba, João Donato, João Nogueira, entre tantos. Na música instrumental, desenvolve trabalho notável com Nelson Faria e Kiko Freitas, no Nosso Trio. Ao completar 30 anos de carreira, Nei gravou o DVD Live de arranjos em formato de big band Jazz.

Serviço:
Bla-Bla-Blah Musical
Datas: 9, 10 e 11 de dezembro de 2021, quinta-feira, sexta-feira e sábado. Abertura da casa: 14h30. A entrada do público será encerrada às 14h55.

Sábado, às 19h: COQUETEL JAM SESSION
Realização: Aoca Eco Arte

Produção: Aoca Cultural
Maiores informações na página @azzulsabiah
Contato para imprensa: Leandro Hammer (41) 99745-5294 / leandro.hammer@gmail.com

FICHA TÉCNICA
Concepção e Direção Geral: DouDou
Produção Geral: Verônica Menezes
Direção de Comunicação: Carol Azolin
Assessoria de Imprensa: Leandro Hammer
Identidade Visual: Alexandre Valente
Design Gráfico: João Jasco
Curadoria: Giovana Martucci
Direção de Live: Jean Michael
Operador de Som: Roger
Cenotécnico: Marcos Marciano

Quinteto Azzul Sabiah, formação:
DouDou – sopros.
Paulo Levi – sopros.
Robertinho De Paula – guitarra.
Ney Conceição – contrabaixo.
Thales Lemos – bateria.

LANÇAMENTO DA COLEÇÃO ESCREVER O CINEMA E MOSTRA DE FILMES DA CINEMATECA DE CURITIBA

Criada pela produtora audiovisual curitibana O Quadro, o selo para publicações de livros “Edições A Quadro” surge após um período de experiências diversas da produtora e seus colaboradores com a escrita crítica sobre cinema, a pesquisa acadêmica e atividades de ensino audiovisual. O primeiro projeto da editora é a Coleção Escrever o Cinema.

A Coleção Escrever o Cinema expande para a página dos livros o ato de se fazer cinema, trocando a lente pela letra, substituindo o roteiro pela reflexão. Nos volumes da coleção, pesquisadoras e pesquisadores ligados à universidade lançam luz sobre aspectos teóricos, históricos e críticos de diferentes obras da cinematografia mundial, em diálogo com outros campos do conhecimento, mas sempre retornando para os filmes em si.

O projeto visa dar vazão à força e intensidade das pesquisas sobre audiovisual realizadas em Curitiba e no Brasil, colaborando de maneira inovadora no mercado editorial de livros sobre cinema no território nacional.

A produtora, que não se senta à vontade em ser chamada de editora, simplesmente porque se vê realizando apenas mais um desdobramento das suas atividades cinematográficas do que se aprofundando no mercado editorial propriamente, conta com uma rede de distribuição gratuita dos volumes para instituições de ensino e culturais, e com vendas em parceria com livrarias independentes – por enquanto se juntaram à “Itibam Comic Shop” em Curitiba, à “Blooks” e à “Livraria Janela” no Rio de Janeiro, à “Livraria do Belas” em Belo Horizonte, e à “Cirkula” em Porto Alegre.

Serão três os livros lançados este ano: “A Aventura: notas sobre o estilo de Michelangelo Antonioni”, escrito por Juliana Rodrigues Pereira; “Eugène Green e a Hipótese do Cinema Descortinado”, escrito por Pedro Faissol; e a reedição de “Contos Morais e o cinema de Éric Rohmer”, escrito por Alexandre Rafael Garcia.

Outros dois livros da Coleção serão lançados no próximo ano, em 2022: “A representação do milagre no cinema: Iconografia, idolatria e crença”, também de Pedro Faissol; e “Documentário: filmes para salas de cinema com janelas”, escrito por Eduardo Tulio Baggio.

Há ainda o planejamento de lançamento da segunda temporada da Coleção, com outros seis livros de cinema já definidos, para o biênio 2023-2024.

O projeto também conta com um ciclo de palestras e bate-papos gratuitos para a população, realizados com o apoio de instituições ou em eventos. Como os seminários realizados em outubro no festival Olhar de Cinema e na universidade Unespar, as palestras ocorridas na IFPR, UFPR e MIS-PR em novembro e no Centro Juvenil de Artes Plásticas e Colégio Estadual do Paraná em dezembro.

O próximo evento, promovido juntamente com a Aliança Francesa de Curitiba, irá ocorrer nos dias 09 e 10 de dezembro na Cinemateca de Curitiba, e contará respectivamente com a exibição dos filmes “O Filho de Joseph” de Eugène Green e “Conto de Verão” de Éric Rohmer, bate-papo com os autores, mediados por entusiastas, e sessão de dedicatórias dos livros impressos.

Autores
Alexandre Rafael Garcia nasceu em 1985 em Curitiba. É pesquisador, realizador e professor de cinema. Doutorando em História na UFPR, mestre em Multimeios no Instituto de Artes da Unicamp e bacharel em Cinema pela Faculdade de Artes do Paraná. Fundou e foi sócio da produtora O Quadro de 2010 a 2015. Criador da Coleção Escrever o Cinema e da série Dicionário de Cinema. Hoje trabalha na Universidade Estadual do Paraná (Unespar).

Juliana Rodrigues Pereira é assessora de comunicação e pesquisadora. Nasceu no Rio de Janeiro e, depois de morar em três regiões diferentes do País, criou raiz em Curitiba. É mestre em História pela UFPR; e bacharel em Jornalismo pela PUC-PR e em Cinema e Audiovisual pela Faculdade de Artes do Paraná.

Pedro Faissol é pesquisador e professor de cinema. Doutor e Mestre em Meios e Processos Audiovisuais pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP). Bacharel em Comunicação Social (habilitação Cinema) pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Sócio da produtora Raio Verde de 2013 a 2017. Hoje trabalha como docente no curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Estadual do Paraná (Unespar).

SERVIÇO:
Aliança Francesa de Curitiba e Edições A Quadro apresentam: Mostra Coleção Escrever o Cinema
Data: 09.12, quinta-feira
Horário: 19h00
Exibição do filme: O Filho de Joseph (2016), de Eugène Green
Oferecimento: Filmicca
Mediação: Pedro Faissol
+ Dedicatória do livro Eugène Green e a hipótese do cinema descortinado, com Pedro Faissol, às 18h30
Data: 10.12, sexta-feira
Horário: 19h00
Exibição do filme: Conto de Verão (19966), de Éric Rohmer
Oferecimento: Institut Français, Ambassade de France Au Brésil e Cinemateca da Embaixada da França
Mediação: Alexandre Rafael Garcia
+ Dedicatória do livro Contos Morais e o Cinema de Éric Rohmer, com Alexandre Rafael Garcia, às 18h30
Local: Cinemateca de Curitiba | R. Presidente Carlos Cavalcanti, 1174
Mais informações: www.instagram.com/aquadroedicoes

A primeira temporada da Coleção Escrever o Cinema é um projeto realizado com recursos do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba, com incentivo das empresas Ademicon e Dextra, e apoio da Aliança Francesa Curitiba, Microcosmo Estúdio de Design e Estúdio Tijucas.