1ª MOSTRA DA PRESERVAÇÃO AUDIOVISUAL CINEMATECA/UNESPAR

1ª Mostra da Preservação Audiovisual Cinemateca/Unespar. Entrada gratuita. Em Curitiba.

Neste fim de semana acontece na Cinemateca de Curitiba a 1ª. Mostra da Preservação Audiovisual Cinemateca/Unespar. A mostra é organizada pelos alunos da disciplina Cultura da Preservação Audiovisual, do Curso de Cinema e Audiovisual da FAP/Unespar, sob a orientação do professor da disciplina, o cineasta Fernando Severo, ex-diretor do Museu da Imagem e do Som do Paraná e membro da ABPA-Associação Brasileira de Preservação Audiovisual.

No sábado, dia 16/12, será realizada uma sessão em homenagem ao pesquisador Paulo José da Costa, que tem realizado com recursos próprios um importante trabalho de busca, restauro, preservação e compartilhamento de documentos históricos, fotografias antigas e filmes raros. Na ocasião vai acontecer a estreia do documentário “Crônicas de um Memorialista”, dirigido por Vanessa Leal à frente de uma equipe formada por alunos, que aborda o importante trabalho de Paulo na preservação da memória audiovisual brasileira. Também nessa sessão serão exibidos diversos filmes na bitola 16mm do acervo do colecionador, realizados por Arnaldo Lippmann e Eugênio Hauer Kwasinski, que mostram cenas raras do Paraná e Santa Catarina nas décadas de 1940 e 1950.

No domingo, 17/12, a mostra prossegue com diversos filmes preservados no acervo da Cinemateca de Curitiba a partir de sua fundação em 1975. São filmes realizados por pioneiros do cinema paranaense como Annibal Requião, J. B. Groff e Hermes Gonçalves, e pela produtora Botelho Filmes. Dois filmes importantes que não são exibidos há décadas também fazem parte do programa. “Sensibilize-se”(1980), tem direção coletiva e aborda o trabalho inovador de Guido Viaro, o primeiro pintor paranaense a registrar em sua obra cenas da periferia de Curitiba. “Na Santa Felicidade” (1979) foi dirigido pelo idealizador da Cinemateca e seu primeiro diretor, Valêncio Xavier, e registra costumes, tradições e tipos populares entre os descendentes dos imigrantes italianos que se instalaram no bairro Santa Felicidade. A mostra recebeu a assessoria técnica do cineasta Marcos Sabóia, responsável pelo acervo da Cinemateca. A instituição terá seus filmes exibidos em suas bitolas originais, em película 35mm e 16mm. A classificação indicativa é livre, a entrada gratuita e o início das sessões acontece às 19h30.

Serviço:
1a. Mostra da Preservação Audiovisual Cinemateca/Unespar
Data: 16 e 17 de dezembro
Horário: 19h30
Local: Cinemateca de Curitiba
Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 1174
Classificação indicativa: Livre
Entrada gratuita

PROGRAMAÇÃO COMPLETA:

16/12 – Sábado – 19h30

CRÔNICAS DE UM MEMORIALISTA – direção de Vanessa Leal
Documentário sobre o pesquisador Paulo José da Costa

FILMES EM 16MM DO ACERVO DE PAULO JOSÉ DA COSTA:

MOSTRA ARNALDO LIPPMANN

PRAIAS DOS PARANÁ (1952, 9′)
Cenas de famílias paranaenses nas cidades de Matinhos, Guaratuba e Caiobá.

PRAIAS DO PARANÁ E PRAÇA CARLOS GOMES(1951, 11′)
Cenas de cotidiano; Praça Carlos Gomes; Caiobá, pescaria e mergulho.

CASAMENTO DE SIRLEI MALUCCELLI E LOURIVAL LIPPMANN (1949, 9′)
Saída com carros; Praça Rui Barbosa; Rua Marechal Floriano; Festa.

MOSTRA EUGÊNIO HAUER KWASINSKI

VIAGEM A SANTA CATARINA (1944, 9′)
Estrada; Carro à gasogênio; Joinville; Balsa Cabeçudas; Praia dos Amores; Orquídea na Praia Brava e pescadores.

EXCURSÃO A VILA VELHA (1947/48, 9′)
Rio dos papagaios; Garimpo; Tropeiros na estrada; Ponta Grossa; Vila Velha; Acampamento.

VIAGENS (década de 1940, 11′)
Curitiba; Praia; Antonina; Rio de Janeiro; Campos Gerais.

VIAGEM PELO RIO IVAÍ (1949, 10′)
Rio abaixo; Encontro com indígenas.

17/12 – Domingo – 19h30

FILMES EM 35MM DO ACERVO DA CINEMATECA DE CURITIBA:

L’ETAT DU PARANÁ (Botelho Film, década de 1910/20, 7′)
Estrada de Ferro Paranaguá-Curitiba – Maria Fumaça, túneis, paisagens da Serra do Mar, vista de Paranaguá, Porto de Paranaguá. Estrada da Graciosa, transporte com balsa e barco pelos rios Paranapanema, Tibagi, Ivaí, Iguaçu, Paraná. Vista da Cidade de Guaíra. Fábrica de sacos, construção de barcos.

O QUE É O PARANÁ (Botelho Film, década de 1910/20, 12′)
Viagem de trem pela Serra do Mar salientando aspectos da natureza local.

CIDADES DO PARANÁ – direção de J. B. Groff (1936, 20′)
Documentário sobre aspectos gerais e o desenvolvimento de sete cidades paranaenses – Antonina, Paranaguá, Curitiba, Ponta Grossa, Palmeira, Lapa e Rio Negro.

FILMES EM 16MM DO ACERVO DA CINEMATECA DE CURITIBA:

CARNAVAL EM CURITIBA – direção de Annibal Requião (1920, 7′)
Desfile de carnaval no centro de Curitiba, analisando aspectos do corso carnavalesco. Imagens de Fido Fontana e Ildefonso Serro Azul no seu luxuoso automóvel Benz 45HP.

USOS E COSTUMES DOS COLONOS POLONESES – direção de Hermes Gonçalves (1952, 11′)
As tradições dos imigrantes poloneses no Paraná. Casamento típico, colheita e festa do trigo.

NA SANTA FELICIDADE – direção de Valêncio Xavier (1979, 17′))
Costumes, tradições e tipos populares entre descendentes dos imigrantes italianos que se radicaram no bairro Santa Felicidade

SENSIBILIZE-SE – direção coletiva (1980, 10′)
Evocação da passagem do pintor Guido Viaro pela periferia de Curitiba

APRESENTAÇÃO DAS SESSÕES: Agnan Siqueira

VISÃO CURATORIAL
Stefano Lopes
Natália Teraoka
Yasmin dos Reis
Manoelle Fuzaro

A preservação audiovisual tem se tornado um tema crescente e persistente nos ambientes que atravessam o Cinema nacional. Não por acaso: toda a história da nossa cultura audiovisual é, cada vez mais, parte integrante da grandeza do patrimônio cultural brasileiro. Nesse sentido, para além dos contextos de desenvolvimento estratégico e de disseminação teórico-metodológica, a 1ª Mostra da Preservação Audiovisual Cinemateca/Unespar, realizada por alunos do quarto semestre do curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Estadual do Paraná – campus de Curitiba II/Faculdade de Artes do Paraná sob a orientação do professor e cineasta Fernando Severo, propõe o debate e a reflexão sobre o tema através do contato direto do público com os resultados de projetos de preservação audiovisual.

Para mostrar o resgate histórico e cultural de filmes antigos de arquivo e a importância de preservá-los, a mostra terá como tema os estados do Paraná e Santa Catarina. Serão exibidos filmes que mostram a arquitetura e estilo de vida de cidades paranaenses em décadas passadas e revelam imagens de algumas locações catarinenses. Dentre os filmes exibidos teremos um que foi produzido no final da década de 1970 por Valêncio Xavier, fundador e diretor da Cinemateca do Museu Guido Viaro (atual Cinemateca de Curitiba), que conduziu uma equipe na realização do documentário “Na Santa Felicidade”. Rodado na bitola 16mm com negativo colorido, o filme registra costumes, tradições e tipos populares entre descendentes dos imigrantes italianos que se radicaram no bairro Santa Felicidade, um dos mais antigos de Curitiba. “Sensibilize-se”(1980), tem direção coletiva e aborda o trabalho inovador de Guido Viaro, o primeiro pintor paranaense a registrar em sua obra cenas da periferia de Curitiba.

Também teremos uma programação especial com Paulo José da Costa, proprietário da Livraria Fígaro, que pessoalmente procura e resgata filmes históricos, em sua maioria nas bitola 16 mm e Super 8. Enriquecendo a mostra com relatos pessoais e exibindo filmes de seu acervo, Paulo será homenageado através do documentário “Crônicas de Um Memorialista”, realizado especialmente para a mostra.

Além do resgate histórico e cultural da sociedade paranaense, a mostra propiciará ao público a oportunidade de assistir as obras projetadas em película de 35mm e 16mm, sendo essa uma forma cada vez mais rara de vivência cinematográfica, pois as películas vem perdendo cada vez mais seu espaço para o cinema digital.

No sábado, a programação conta com filmes amadores das décadas de 40 e 50 que mostram não só as cidades paranaenses como também a cultura que atravessava essas cidades, a vivência das pessoas nesses lugares, sobretudo pelo olhar de dois grandes nomes da história do estado: Arnaldo Lippmann e Eugênio Hauer Kwasinski.

Domingo, a mostra contempla o acervo de películas em nitrato da Cinemateca de Curitiba, como os filmes silenciosos da Botelho Films do Rio Janeiro, mostrando a importância da região paranaense nas décadas 1920 a 1970. O trabalho de restauração foi feito principalmente pelo Laboratório de Restauro da Cinemateca Brasileira.

EQUIPE DE CRÔNICAS DE UM MEMORIALISTA – Vanessa Leal, Luiz Alberto Bonin, Elisa Pocai, Matheus Carneiro

RESPONSÁVEIS TÉCNICOS – Higor Casagrande, Gabriel Chemin, Fernando Macedo, Odair Rodrigues

ARTE – André Carneiro, Thayana Andreatta, Taís Armani

FICHA CATALOGRÁFICA – Helena Volani, Pedro Monte Kling

Local: Cinemateca de Curitiba. Rua Carlos Cavalcanti, 1174, São Francisco, Curitiba
Data: 16 e 17 de dezembro, das 19:30 às 22h

Confira a página do evento, aqui

1ª FEIRA DE VINIL DO ARMAZÉM GARAGEM

ENTRADA FRANCA
EXPOSITORES DE VINIL
CAMISETAS TEMÁTICAS
VINIL PARA DECORAÇÃO COM TEMAS
OUTROS MATERIAIS LIGADOS A BOA MÚSICA
ENCONTRO DE CARROS ANTIGOS
CHOPP & HAMBÚRGUERES ARTESANAIS

Local: O Armazém Garagem Bar fica na Br 277, número 2630 – Pista Lateral (sentido Ponta Grossa), no bairro mossunguê, em Curitiba – na entrada do conjunto Saturno, em frente a Copel.
Data: 17 de dezembro (domingo), a partir das 13h

Organização: Curitiba Vinil

Página do evento, aqui

E pra quem curte disco de vinil fica o convite para conhecer nossos patrocinadores, a LOJA DAS PULGAS, lá eles tem mais de 500 discos selecionados: rock, mpb, samba, sertanejo, música erudita e várias coletâneas e box. Tem de tudo!!! Venha curtir os discos da LOJA DAS PULGAS!!! Rua Pe Paulo Warkocz, 29, CIC / Orleans, Curitiba. Das 8h às 18h. Sáb. até às 13h. Clique neste link e confira alguns discos cadastrados!!! Na loja eles chegam até 20, 30% em descontos sobre esses preços 🙂

TRIBUNA DO PARANÁ CONTRATA EDITOR

Tribuna Do Paraná contrata Editor I. Vaga para trabalhar em Curitiba.

O QUE FAZ:

Identifica temas de interesse que rendam pautas de interesse para o curitibano em todas as áreas, como saúde, educação, segurança pública, economia, entre outros. Identifica e aponta possibilidades de aprofundamento e análise nos assuntos cobertos pela equipe. Pensa e produz conteúdo com foco no ambiente digital e impresso. Orienta, revisa e publica conteúdos produzidos por repórteres e por terceiros (artigos). Acompanha e mantém o comprometimento com metas. Organiza horários e o fluxo de trabalho na editoria. É responsável pelo alinhamento editorial da área. Interage com os demais editores para garantir a melhor distribuição do material produzido. Domina mídias sociais. Interage com o público em diversos canais.

CARACTERÍSTICAS:
Formação em Jornalismo.
Visão digital e multimídia.
Busca por inovação contínua e atenção a tendências de mercado.
Sociabilidade e humildade.

Interessados cadastrem-se através deste link

* TODAS NOSSAS VAGAS ESTÃO DISPONÍVEIS PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

GRUPO GRPCOM

O maior grupo de comunicação do Paraná e um dos maiores do Brasil é formado pelos jornais diários Gazeta do Povo e Tribuna, pelo portal de notícias Paraná Online, pelas rádios 98FM e Mundo Livre FM (Curitiba e Maringá), pela unidade móvel de alta definição HDView, e pela RPC e suas oito emissoras afiliadas à Rede Globo. O Instituto GRPCOM é quem realiza a gestão de todas as ações, projetos e programas sociais das unidades do grupo.

Credibilidade, ética e qualidade norteiam o trabalho dos veículos do GRPCOM, que cobrem as diferentes culturas, tradições, curiosidades, belezas e dificuldades dos 399 municípios paranaenses, de leste a oeste, norte a sul do Estado, reunindo milhões de pessoas “antenadas” diariamente às notícias nacionais, estaduais e regionais.

O GRPCOM possui compromissos que regem sua atuação junto ao mercado do Paraná: participar ativamente da vida dos paranaenses, buscar exercer a função de braço direito da comunidade e contribuir para o desenvolvimento do Paraná são algumas delas.

Para se manter na liderança, o GRPCOM busca oferecer o que há de melhor em termos de tecnologia e qualidade de informação para seus telespectadores, leitores, ouvintes e internautas. Embasado em valores como ética, transparência e comprometimento com a verdade, o grupo investe numa programação local que informa e forma os cidadãos, acreditando que valores como esses que fazem do Paraná um estado cada vez melhor.

FILMES DE MINAS PARA MANAS, MONAS E NONAS

Em Curitiba. Entrada gratuita!

“Você consegue pensar rápido em algum filme que foi dirigido por uma mulher?
Você já parou para pensar na importância em narrativas dirigidas por mulheres?
Você sabia que de 1970 a 2016 as mulheres roteirizaram apenas 8% dos filmes no Brasil? E que na direção, a representação feminina é de 2%?
Você conhece o Teste Bechdel?

Em nossa primeira conversa, dentro de uma série e bate-papos que teremos na programação da exposição “O Museu é Feminista’ e outras esperanças sobre o futuro”, vamos conversar sobre esse assunto e aumentar o nosso repertório de filmes dirigidos, escritos e roteirizados por mulheres.

Quem conduzirá “Filmes de minas para manas, monas e nonas” é Mariana Bernal. Filmmaker, atua como produtora executiva, coordenadora de produção audiovisual e cultural. Já realizou a produção de mais de cem filmes publicitários, além de gerenciar diversos projetos culturais. Há três anos é produtora executiva e coordenadora do Festival de Cinema da Bienal de Curitiba. Foi produtora executiva e coordenadora de produção da primeira temporada dos programas de televisão Homens Gourmet e Comida Caseira do canal FOXlife.

Serviço:
Título: Filmes de minas para manas, monas e nonas.
Data: 9 de dezembro, sábado,das 15:00 às 16:00
Local: Museu da Fotografia Cidade de Curitiba, Local: Museu da Fotografia | Sala da exposição “O Museu é Feminista’ e outras esperanças sobre o futuro”.
Conversa com: Mariana Bernal

Página do evento, aqui

O MISTÉRIO DA JAPONESA – FILME DE BETO CARMINATTI E PEDRO MEREGE

“Uma cidade Grande. Um homem solitário. Um encontro com uma prostituta japonesa num hotelzinho barato de “rendez-vous”. o que teria acontecido naquele encontro que marcaria para sempre a vida daquele homem?”

O Mistério da Japonesa (2005), dirigido por Beto Carminatti e Pedro Merege, foi rodado (em 35 mm) em Curitiba – reparem nas cenas na Rua São Francisco. Baseado no livro “O Mistério da Prostituta Japonesa”, de Valêncio Xavier. Um lindo filme! Confira!!!

F.A.M.A. ::: FUNDO AVON DE MULHERES NO AUDIOVISUAL

Atenção mulheres, estão abertas as inscrições para o F.A.M.A. que é o Fundo Avon de Mulheres no Audiovisual! INSCRIÇÕES GRATUITAS ATÉ DIA 30 DE JANEIRO DE 2018.

Poderão participar projetos de obras audiovisuais inéditos de longa-metragem dirigidos por mulheres, e que não tenham sido lançados no cinema aptos a receber aporte de recursos de patrocínio incentivado.

Serão aceitos apenas projetos inscritos por produtoras brasileiras independentes regularmente inscritas na ANCINE.

Serão aceitos exclusivamente projetos de obra audiovisual dirigidos por mulheres brasileiras e maiores de 18 anos.

Serão selecionados 3 a 5 projetos.

As inscrições são gratuitas e deverão ser realizadas por meio do preenchimento de formulário específico disponibilizado no site www.avon.com.br/fama e envio da documentação comprobatória, conforme solicitados no Regulamento.

fonte

MISTÉRYOS – FILME DE BETO CARMINATTI E PEDRO MEREGE


O filme Mistéryos (2008) de Beto Carminatti e Pedro Merege foi inspirado em obras do escritor Valêncio Xavier. Mistéryos foi filmado entre dezembro de 2006 e janeiro de 2007 em Curitiba e região metropolitana. Dentre seus prêmios conquistou o de melhor direção no 3º Festival do Paraná de Cinema Brasileiro Latino. Esse filme tem um clima bem interessante! Vale a pena conferir!

Sinopse: Série de histórias misteriosas, como bem define o título, entrecortadas pela narrativa do personagem VX (Carlos Vereza), um homem evidentemente perturbado pelas coisas inexplicáveis do mundo. A primeira história é sobre um casal, Jucélia Ramos (Sthefany Brito) e Astolfo Dagoda (Leonardo Miggiorin), que, durante um passeio no Trem Fantasma de um parque de diversões, passa por uma situação bem peculiar: ela some misteriosamente, sem deixar rastros. Num outro segmento, VX encontra quatro das oito latas de filme de uma produção erótica, feita em 1922. Ele divaga sobre os motivos de seu realizador, o pintor Crispin Carmoro (Beto Carminatti), ter feito aquele filme. Mesmo conseguindo ver somente pequenos trechos da produção, sobre o amor entre belas mulheres, uma delas, a musa que acompanha o personagem em todos os segmentos, vivida por Sthefany, VX fica obcecado pelo filme. Num último segmento, o personagem encontra um mágico misterioso. Entre todos os segmentos, principalmente na conclusão do longa, o protagonista caminha à noite pelas soturnas ruas de Curitiba, encontrando as mais estranhas manifestações naturais e sobrenaturais.