VAMOS CONVERSAR SOBRE CINEMA?

No próximo dia 12, quinta-feira, o Nex Coworking realiza o evento Festivais Internacionais de Cinema: vivências e oportunidades, um bate-papo sobre o mercado de cinema com o Antonio Junior, produtor cinematográfico e diretor geral do Olhar de Cinema – festival curitibano que há 7 anos faz parte do cenário cultural do cinema independente paranaense e brasileiro. Você é nosso convidado!

Serviço:
O evento acontece à partir das 19h, no nosso auditório (Rua Francisco Rocha, 198, Batel, Curitiba).
Data: quinta-feira, dia 12, das 19:00 às 21:00
Local: Nex Coworking. Rua Francisco Rocha, 198, Batel, Curitiba).
As inscrições são gratuitas e podem ser feitas aqui.

Página do evento, aqui

PEITA, CASA NEM, OLHAR DISTRIBUIDORA, PAIDEIA FILMES E STUDIO RIFF UNEM FORÇAS NA LUTA PELA VISIBILIDADE TRANS

Marcas envolvidas no documentário Meu Corpo é Política fazem ação conjunta

Se juntas elas já causam, imagina juntas. Peita, Casa Nem, Olhar Distribuição, Studio Riff e Paideia Filme unem forças para dar visibilidade a luta pelos direitos de cidadania de pessoas trans. No sábado (31), Dia Internacional da Visibilidade Trans a marca-protesto, Peita, dará desconto de R$20 nas camisetas com a frase “Meu Corpo é Político”. A cada 50 peitas vendidas, 10 serão doadas para a Casa Nem, espaço de acolhimento e apoio a transexuais, travestis e transgêneros no Rio de Janeiro. A Olhar Distribuição, Studio Riff e Paideia Filme liberaram o documentário para a realização de sessões através da plataforma Videocamp com o intuito de fomentar o debate sobre o tema. A campanha começa às 23h59 do dia 30 de março e termina às 23h59 do dia 31.

A parceria entre as marcas foi firmada no segundo semestre de 2017 para o lançamento Meu Corpo é Político. O filme aborda o cotidiano de quatro militantes LGBT que vivem na periferia de São Paulo. A partir da intimidade e do contexto social dos personagens, o documentário levanta questões contemporâneas sobre a população trans e suas disputas políticas. Karina Gallon, idealizadora da Peita, conta que a distribuidora sugeriu a parceria e fez a ponte entre eles. “A Alice Riff disponibilizou a frase para usarmos e, em troca, nós fizemos as camisetas nas cores da bandeira trans para ações de divulgação, além de assumirmos o compromisso de doar 10 peitas para a Casa Nem, a cada 50 que vendermos”, explica. A ação é válida para as camisetas nas cores branca, rosa e azul.

Alice Riff, diretora do Meu Corpo é Político ressalta a importância da parceria para o fortalecimento da marca-protesto, do filme independente e mais ainda, da luta das pessoas trans. “Duas forças se uniram pra que a gente conseguisse chegar em mais pessoas e passasse nossa mensagem. A Peita divulgou o filme e o filme divulgou a marca. E o mais legal é que parceria uniu ainda a Casa Nem. Foi uma ação conjunta super importante para que a mensagem chegasse em mais pessoas”, comenta Alice.

Meu Corpo é Político está disponível para exibição pública através do Videocamp. Entrando na plataforma, é preciso efetuar o cadastro como educador, ONG ou empresa, clicar em ‘Organiza sua Exibição’ e preencher o formulário. Por último, o site pede o número de espectadores (no mínimo cinco pessoas), uma foto e breve relato do que rolou no evento. O objetivo é provocar debates e fomentar o encontro de pessoas engajadas em criar um mundo melhor.

Nome do cupom de desconto é ‘MCEP’.

Link para exibição do filme: aqui

Site: https://peita.me/
Facebook: https://www.facebook.com/putapeita/
Instagram: https://www.instagram.com/putapeita/
Pinterest: https://br.pinterest.com/putapeita/
Tumblr: https://lutecomoumagarota.tumblr.com/
Hashtag: #putapeita

O2 FILMES PROCURA ATORES NEGROS

imagem do site da 02 filmes

02 Filmes procura atores negros para série. O processo envolve gravação de cenas (que podem ser gravadas com celular) e devem ser enviadas até o dia 31 de março.

“Um dos temas centrais da série é o racismo ou o preconceito que um jovem negro talentoso tem que enfrentar para encontrar seu lugar na sociedade. Claro que para este papel precisamos especialmente de jovens atores negros. Portanto, se você tem entre 17 e 32 anos a bola está quicando.”

Confira todos os detalhes aqui

FESTIVAL DE CINEMA – CURTA PINHAIS (FESTCINE) RECEBE INSCRIÇÕES

O evento é promovido pela Prefeitura de Pinhais-PR, por meio da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer. As inscrições seguem até o dia 23 de março.

A edição deste ano do Festival de Cinema Curta Pinhais (FESTCINE) será realizada entre os dias 23 e 27 de abril. As sessões serão gratuitas e exibidas no auditório Márcio José Moro, no Centro Cultural Wanda dos Santos Mallmann. Os interessados devem se inscrever até o dia 23 de março no site da Prefeitura de Pinhais onde também pode ser acessado o regulamento, entre outras informações sobre o Festival.

A iniciativa chega a sua 6º edição, de acordo com a organização o FESTCINE tem como principais objetivos: despertar e estimular maior interesse da população, do público escolar e da comunidade em geral pela sétima arte em todas as suas formas; estimular o desenvolvimento do mercado para os amadores que atuam na área e dar visibilidade às produções amadoras e independentes. Além disso, também visa proporcionar possibilidades para novos talentos e promover intercâmbio entre artistas, produtores, diretores, distribuidores, público e entidades culturais afins de todo o território nacional.

O FESTCINE Curta Pinhais é um evento que reúne produções profissionais e amadoras da área do cinema, em apresentações de curtas e longas-metragens de qualquer gênero (ficção, documentário, animação, drama, comédia, musical, épicos, adulto, infantil) e outras técnicas cinematográficas alternativas, além de clipes musicais. O Festival é organizado em seis categorias concorrentes:
-Curta-metragem de ficção;
-Curta-metragem de documentário;
-Longa-metragem;
-Curta-metragem realizado por estudantes dos níveis fundamental e médio a partir de câmera de celular;
-Clipe musical;
-Filme Destaque Pinhais.

A iniciativa pode vir a constituir mostras paralelas para produções que não sejam classificadas para as categorias competitivas.

Serviço :
As inscrições para o VI FESTCINE devem ser realizadas no site www.pinhais.pr.gov.br até o dia 23 de março. Mais informações pelo e-mail: festcinepinhais@gmail.com ou pelo telefone (41) 3912-5247.
Confira o regulamento, aqui

fonte: Prefeitura de Pinhais-PR

“LUTE COMO UMA GAROTA” COMPLETA UM ANO DE ENFRENTAMENTO URBANO E LANÇA EDIÇÃO LIMITADA DE ESCULTURAS EM CERÂMICA E MINI-DOC

    

“Lute como uma Garota” completa um ano de enfrentamento urbano e lança edição limitada de esculturas em cerâmica e mini-doc

Peita ganhou mais visibilidade após artistas como Gal Costa, Pitty e Manu D’Ávila ‘vestirem a camisa’

Dia 8 de março de 2018 a Peita completa 1 ano. E que puta ano. 14 dizeres polêmicos ganharam as ruas, carregados no peito por pessoas que acreditam na mensagem que a marca-protesto transmite. Como forma de agradecimento ao engajamento das garotas, garotos e garotes, no dia do seu aniversário será lançado o primeiro mini-doc ‘O que é lutar como uma garota?’, o tumblr ‘Lute Como Uma Garota’ e uma série de quadros confeccionados a mão, que trazem miniaturas de vestidos usados pelas sufragistas e trabalhadoras do começo do século 20, esculpido a mão (também tem mini-peita). No dia 11, a festa de comemoração é um sarau organizado com sua parceira, a banda Mulamba.

“A Peita nasceu nas ruas. Mesmo que a ideia de ter uma marca de camisetas com dizeres polêmicos em all-type já existisse, foi a Marcha das Mulheres que me motivou a criar uma ferramenta de resistência”, explica a designer Karina Gallon. “Organizações feministas batalharam mais de 60 anos pra data ser instituída. Não para ganharmos flores, é um dia de resistência, de fazermos nossas reivindicações pela igualdade entre gênero, raça, opção sexual”, complementa.

O que é lutar como uma garota?
Nesse um ano a Peita ganhou um reconhecimento acima do esperado. Diariamente pessoas entram em contato para desabafar, contar como se sentiram usando a Peita em uma reunião de trabalho, encontro de família ou andando pelas ruas. “A galera abre o coração mesmo. Recebemos relatos de estupro e outros tipos de violência física, verbal e moral. Quem usa a Peita confia na gente e sabe que pode contar conosco. Minha vontade é abraçar cada uma e dizer: ‘você não está sozinha’”, conta Gallon. Desse montante de amor, dor e desabafo, surgiu a ideia do documentário. 

Os relatos serão captados ao longo de 2018 e mensalmente um trecho será divulgado no formato de mini-doc. A afroempreendedora Aline Castro Farias é a primeira a peitar. Ela é a criadora da marca Fuá Acessórios, que usa materiais recicláveis com tecidos de estampas afro inspirados em personalidades negras, e idealizadora do “Dia de Rainha”, projeto que oferece, além de um dia com atividades e shows, bolsas e necessaires com produtos de beleza e higiene para mulheres em situação de rua. No teaser da sua entrevista, um relato emocionante do que é ser mulher, negra e criar sozinha uma filha adolescente. 

Os vídeos tem a direção de Karina Gallon e Leticiah Futata, que também assina a fotografia; a responsável pela entrevista é a psicóloga Lari Tomass; fotografia still por Duda Dalzoto e trilha sonora da Toro Creative Audio. 

Como o documentário tem um número limitado de relatos, a Peita também lança no dia 8 de março um Tumblr com os desabafos que recebe através de email ou inbox das redes sociais. 

Feministas nascem da argila
“Erguendo-nos enquanto subimos”. Esse foi o lema que a “Associação Nacional das Agremiações das Mulheres de Cor” escolheu para si em 1895 e que rege as parcerias da Peita. Depois da Mulamba e do Festival Sonora, agora é a vez da designer Marilzete Basso do Nascimento. Ela está ‘confeccionando’ roupas inspiradas nas sufragistas e operárias do início do século 20 usando argila. “Sigo o mesmo processo de uma costureira: faço os moldes dos vestidos e camisetas, recorto a massa uma por uma e ‘costuro’. Modelo o seio, barriga e quadril como se tivesse alguém dentro, pra dar a sensação de movimento’”, explica. 

O processo, pasme, leva mais de 50 horas, entre preparação da massa, modelagem, queima da argila, esmaltagem, mais queima e montagem dos quadros no tamanho 20cmx20cm. “A coleção de vestidos é exclusiva, limitada e numerada. Nenhuma peça é igual a outra: tem mais cheinhas, com menos peito, mais quadril. Teremos em estoque as ‘peitinhas Lute Como Uma Garota’”, alerta Karina. 

O perfil “As Mina na História”, famoso nas redes sociais por divulgar as conquistas e lutas de mulheres é parceira nessa empreitada. Serão sorteadas esculturas de cerâmica e camisetas em ambos os perfis no dia 8 de março. 

Festa não para 
No domingo, dia 11 de março, Peita e Mulamba se juntam em um sarau para arrecadar produtos de higiene e beleza para as mulheres em situação de risco . Entre as atrações está a banda “Horrorosas Desprezíveis”; sarau com Mulamba, Imperador Sem Teto, Nely e Resistência; intervenção e performance com a atriz Mariana Barros; discotecagem; tattoos e sorteio de peitas. O evento será no Curitiba Backpackers Hostel a partir das 15h. 

Serviço:
Sarau 1 ano de Peita e Mulamba
data: 11/03
horário: a partir das 15h
Local: Curitiba Backpackers Hostel – Rua Nilo Peçanha 243, São Francisco, Curitiba
Entrada: R$8 + um produto de higiene ou beleza. 
Site: https://peita.me/ 
Facebook: https://www.facebook.com/putapeita/ 
Instagram: https://www.instagram.com/putapeita/ 
Pinterest: https://br.pinterest.com/putapeita/
Tumblr: https://lutecomoumagarota.tumblr.com/ 
Hashtag: #putapeita

Sobre a Peita
A Peita nasceu dia 8 de março de 2017 com a frase “Lute como uma garota” invadindo as ruas de Curitiba nas manifestações do Dia Internacional da Mulher. A marca-protesto tem por objetivo dar ferramentas para mulheres lutarem contra a opressão do machismo, não apenas elevando sua autoestima, mas também promovendo uma transformação social. Assim, a Peita cumpre com a missão de trazer os dizeres do contexto das manifestações para os dias comuns, seja em camisetas, moletons, bolsas, bottons, ímãs ou adesivos. “Pedale como uma garota”, “Toque como uma garota”, “Nunca olhe pra baixo” e “Depois do não é tudo assédio” são alguns dos dizeres que também ganharam as ruas. Idealizado pela designer curitibana Karina Gallon, o projeto ainda abraça causas sociais com a co-criação de manifestos. Um exemplo é a parceria com o “Criativos pelo Haiti”, que mobiliza voluntários para desenvolver atividades de cunho humanitário no devastado país da América Central, e os dizeres “Você importa pra mim”, também na versão em crioulo haitiano: “Ou enpotan pou mwen”. Comemorando seu primeiro aniversário, a Peita lança uma série mensal de mini docs, a “Lute Como Uma Garota”, que traz relatos de mulheres contando como é, para elas, lutar como uma garota. Futuramente esse material será reunido em um documentário. Por isso, a Peita não é só uma “brusinha”.

Olá, tudo bom? 
Dia 8 de março a Peita completa um ano. A frase Lute Como Uma Garota nasceu na marcha das mulheres e vamos lançar novidades na semana que vem. Também estamos organizando uma festa com a banda Mulamba no dia 11.

SARAVAH


Filme de Pierre Barouh sobre música brasileira. Com grandes nomes como Baden Powell, Paulinho da Viola, Maria Bethania, João da Baiana, Pixinguinha entre outros.

Saiba mais na fonte: A Escotilha

CANAL BRASIL RECEBE PROJETOS DE SÉRIES

Canal Brasil recebe projetos de séries até o dia 8 de março. Não há restrição de tema e os projetos devem ter duração de 22 a 25 minutos ou 50 a 52 minutos por episódio, com no mínimo 4 e no máximo 13 episódios.

Para participar, a produtora precisa ser brasileira e registrada na ANCINE. Saiba mais detalhes no site para participar, aqui

fonte