JO MISTINGUETT FAZ LIVE PARA LANÇAR “DESTROY THE MUSIC – DYKES”

Jo Mistinguett – Apokalipse Now. Foto por Helen Kaliski

A artista curitibana apresenta o trabalho multimídia que faz referências ao lesbofeminismo e convida as artistas Gisele Dias aka DJ Elle e Carol Shimeji

A multiartista Jo Mistinguett faz uma live no dia 18 de dezembro de 2020 às 20 horas para lançar o single-video arte intitulado de “Destroy The Music – Dykes”. Ela se junta a Carol Shimeji e Gisele Dias Aka DJ Elle. A entrada é gratuita. O link da exibição vai ser exibido no Instagram de Jo Mistinguett – www.instagram.com/jomistinguett – no dia do evento.

O vídeo single foi lançado no dia 4 de dezembro e tem concepção, composição, performance e edição de autoria de Jo Mistinguett, as imagens e interlocução, de Helen Kaliski e a máscara, de Sílvia da Silva e Lua Castilho. Assista ao video clipe:


O trabalho é uma sequência de seu EP Apokalipse Now, de agosto de 2020. “Em Apokalipse Now surgiram algumas reflexões em minha cabeça sobre destruir o que entendemos por música. Acredito na destruição como possibilidade de se construir algo novo”, explica a autora, “e convoco a outras sapatão fazerem o mesmo”. Com referências ao atual contexto social e político do país, o projeto é todo composto por faixas e vídeos produzidos, mixados, gravados e editados por ela em sua casa.

Há 16 anos na cena curitibana atuando como produtora musical, performer, DJ, sonoplasta, compositora de trilhas sonoras originais e pesquisadora de novas tecnologias e novas percepções e experimentações sonoras, Jo se desenvolve em diferentes contextos artísticos. Entre seus trabalhos mais recentes realiza a jam eletrônica, Fenda Profana, em parceria com a artista Gisele Dias e o núcleo de pesquisa e ações em arte lésbica, SAPATARIA, ao lado de Daniele Cristyne e Helen Kaliski. Participou no Festival Motomix The Rokr Festival em 2006 e 2007. Em 2009, a música Girls Speak Louder em parceria com o produtor francês Costello atingiu o topo das listas em portais de DJS como Beatport e Juno Download. Realizou duas turnês na Europa de maneira independente, é co-fundadora da matilha Horrorosas Desprezíveis, com a qual participou do Festival Psicodália em 2019, integra o coletivo Casa Selvática.

– www.jomistinguett.com
– www.instagram.com/jomistinguett 

– www.youtube.com/jomistinguett 
– www.facebook.com/jomistinguettart 
– www.soundcloud.com/jomistinguett 
– www.twitter.com/Jo_Mistinguett 
– twitch.com/jomistinguett

CAROL SHIMEJI é diretora de arte , ilustradora, animadora e vj, atuante na área desde de 1999. Formada em Design Digital pela Universidade Anhembi Morumbi (2003). Realizações artísticas nas áreas de artes visuais/digitais e musicais. Exemplos: animação de abertura da Comic Con Experience (CCXP), o maior evento de cultura pop do Brasil – cliente: HBO Brasil. Ilustração e animação para o festival Satélite 061 (Brasília). Animação “Casal Neura” – cliente: MTV Brasil. Direção de arte para espetáculos musicais como: “Caixa de Memória Nelson Gonçalves 100 anos, na voz de Criolo” – Sesc Pinheiros, 2019. “Eterno Retorno a Mais de Mil, Pepeu Gomes” – Sesc Pompeia, 2019. “Festival Comida de Verdade” – Ocupação 9 de Julho, 2019. “Gero Camilo Canta Belchior”- Caixa Cultural São Paulo, 2018. “África Brasil 40 anos com Jorge Du Peixe, BNegão, Xênia França, Russo Passapusso e Nayra Costa”- Sesc Pinheiros, 2016 e outros. Além da produção de videoclipes para artistas como: Marcia Castro feat. Mayra Andrade, Selvagens à Procura de Lei, Orquestra Jabaquara, Miranda Kassin e outros.

www.youtube.com/perfixduo 

– www.shimejistudio.com

GISELE DIAS (A.K.A. ELLE) é Dj, produtora, atriz, cantora, locutora, dubladora e performer. Suas primeiras experiências como Dj foram tocando black music em campeonatos de surf e skate em Santos – SP. Ainda em 2004 passou a tocar house, progressive house e electro em várias casas noturnas no estado de São Paulo (Santos, Baixada Santista e Guarulhos). Foi 2 vezes Dj convidada da Rádio Jovem Pan de Santos para fazer sets ao vivo. Em 2008 mudou-se definitivamente para Curitiba e tocou em vários clubes e também foi Dj residente do Vox Bar de 2008 à 2017. Produtora da Festa Cabarelle Burlesco desde 2013. Em 2019 iniciou a jam eletro-acústica “Fenda Profana” com a Dj e produtora Jo Misttinguett que através de CDjs, toca-discos, mixers, sintetizadores, efeitos, drum machines e outros equipamentos eletrônicos, sons mecânicos industriais feitos com objetos inusitados, ruídos e beats feitos com colagens instantâneas performados ao vivo pelas próprias artistas – criam uma atmosfera experimental de múltiplas percepções e estilos musicais.

– www.mixcloud.com/gisele-dias_ELLE/
www.instagram.com/giseledias.a.k.a.elle/
www.facebook.com/giseledias.djelle/ 

www.facebook.com/giseledias.a.k.a.Elle
www.twitter.com/DjElleDias

Serviço:
Live Profana
Jo Mistinguett convida Carol Shimeji, Gal Freire, Galiza e Giselle Dias
Sexta, 18 de dezembro de 2020
Das 20 às 21 horas
O link da exibição vai ser exibido no Instagram de Jo Mistinguett – www.instagram.com/jomistinguett – no dia do evento.

TRUPE AVE LOLA CELEBRA 10 ANOS DE HISTÓRIA COM ESTREIA ONLINE NO FESTIVAL ARTE COMO RESPIRO

Manaós. Crédito Maringas Maciel

O espetáculo teatral Manaós – Uma Saga de Luz e Sombra será exibido no próximo domingo (06) às 20h. Após a estreia, os artistas da trupe farão um bate-papo online para falar sobre o percurso artístico da companhia nesta primeira década.

Curitiba, 30 novembro de 2020 – A partir do dia 06 de dezembro às 20h, a filmagem do espetáculo teatral Manaós – uma saga de luz e sombra (2019), da Trupe Ave Lola, ficará disponível gratuitamente na plataforma online do Itaú Cultural (IC) durante 24h, integrando a programação nacional do Festival Arte como Respiro – 4ª edição – uma ação que reúne diversos artistas aprovados pelo edital Arte como Respiro: Múltiplos Editais de Emergência.

Essa será a primeira vez que a Trupe Ave Lola disponibilizará uma peça online para a sua audiência e também será a primeira vez que a companhia celebrará o seu aniversário de forma remota. “Todos os anos temos o hábito de reunir os artistas da cidade e a nossa audiência para brindar mais um ano de trabalho e arte. Porém, por causa da pandemia faremos um bate-papo online após a exibição do espetáculo dentro da programação do Festival Arte como Respiro. É uma forma de nos encontrarmos e refletirmos juntos sobre a nossa trajetória”, explica a diretora teatral Ana Rosa Tezza.

Reinventar as formas de dialogar com a sua audiência tem sido um desafio constante para os artistas de todo o mundo. É nesse contexto que a linguagem do audiovisual tornou-se um recurso fundamental para o teatro.

“A Trupe Ave Lola de teatro está honrada por ter sido selecionada pelos curadores do “Arte como Respiro”. Vivemos `um momento onde temos que unir força e encontrar novas formas, mesmo sabendo que a arte do teatro reivindicará sempre a presença, a corporeidade e o outro. Mas, enquanto não podemos desfrutar dessa bela característica das artes cênicas, aproveitemos as possibilidades das tecnologias e do engenho humano para resistirmos e atravessarmos esse momento de crise. Esperamos estar logo com nossas portas abertas e a casa cheia de pessoas celebrando o “estar juntos”, em segurança”, ressalta a diretora Ana Rosa Tezza.

UMA TRUPE DE TEATRO EM TEMPOS DE PANDEMIA
Compartilhar com a audiência o processo criativo de um espetáculo que deveria ter estreado em abril de 2020 foi a primeira forma que a Trupe Ave Lola encontrou para continuar falando sobre teatro no período de quarentena. Já nas primeiras semanas de isolamento social, a companhia lançou a websérie Sobre VIVER no teatro em tempos de reclusão, que é composta por 10 episódios no qual artistas de diferentes áreas do teatro (interpretação, figurino, música, produção, dramaturgia e direção, preparação vocal e corporal, iluminação) contam as especificidades do seu ofício. Todos os episódios da primeira temporada estão disponíveis gratuitamente no canal do YouTube e na IG TV da Trupe Ave Lola.

Além disso, a companhia lançou no mês de agosto de 2020 o Podcast Ave Lola composto por uma programação semanal de entrevistas (Conversas na Coxia) e leituras musicadas de textos da literatura universal (Boca de Cena). Todos os episódios do Podcast Ave Lola estão disponíveis em diversas plataformas e também pelo YouTube.

Serviço:

Manaós, uma saga de luz e sombra
>> Disponibilização online do espetáculo teatral no dia 06 de dezembro às 20h pela plataforma https://www.itaucultural.org.br/ dentro da programação do Festival Arte como Respiro – 4ª Edição. O espetáculo ficará disponível durante 24h.
Duração: 1h20
Classificação Indicativa: 14 anos | Não recomendado para menores de 14 anos por conter cena de insinuação de estupro.

Trupe Ave Lola de Teatro: 10 anos de história
>> Bate-papo online no dia 06/12 às 21h30 após a estreia do espetáculo Manaós – uma saga de luz e sombra no Festival Arte Como Respiro através deste link, aqui 

Instagram: @ave_lola
Facebook: www.facebook.com/avelolaespacaodecriacao/
Site: www.avelola.net.br/
Assessora de Imprensa: Larissa de Lima | 41-98510-6389

O ESPETÁCULO TEATRAL “DEZEMBRO”, COM DIREÇÃO DE DIEGO FORTES, ESTREIA COM TEMPORADA ON-LINE E GRATUITA NO MÊS DO NATAL E OFERECE 6 OFICINAS ABERTAS À COMUNIDADE

Peça Dezembro. Fotografia de Eika Yabusame

A comédia ácida “Dezembro”, texto do chileno Guillermo Calderón, com direção de Diego Fortes, estreia o nline na sexta-feira dia 04 de dezembro às 20h, seguido de um bate-papo sobre o espetáculo. A inscrição é gratuita e feita via Sympla, para que o espectador receba o link do dia da estreia

Além da estreia online do espetáculo no dia 04 de dezembro, o projeto irá realizar on-line uma leitura dramática do espetáculo “Clase”, do mesmo dramaturgo, no dia 18 de dezembro às 20h, e oferecerá gratuitamente à comunidade 6 oficinas. São elas: Formação e Sensibilização pelo Teatro com Diego Fortes, A iluminação cênica como elemento de linguagem com Augusto Ribeiro, Técnicas básicas de transmissão ao vivo com Alan Raffo, Criação de Solos com Ludmila Nascarella, Elaboração e gestão de projetos culturais, com Isadora Flores e Gilmar Kaminski, Improvisação e comicidade com Fernanda Fuchs e um Bate-Papo: Cenário e cenotécnica, com Guenia Lemos e Samuel Amorim. O acesso para a inscrição em todas as atividades pode ser feito pelo link: www.sympla.com.br/a.armadilha

Dezembro se passa num futuro próximo, onde o Chile está travando uma guerra contra o Peru e a Bolívia. Em Santiago, na véspera de Natal, o soldado Jorge e suas irmãs, Paula e Trinidad, discutem sobre política, nacionalismo e família, pois ele deve se apresentar ao exército no dia seguinte e voltar para o campo de batalha. As irmãs, gêmeas entre elas e ambas grávidas, discordam radicalmente sobre o que ele deve fazer: fugir ou lutar. Ao longo da noite, recebem algumas visitas inusitadas, descobrem segredos entre eles e a discussão culminará na decisão de Jorge.

Com três atores em cena: Alan Raffo, Fernanda Fuchs e Ludmila Nascarella, Dezembro é uma obra potente que trata de assuntos graves como a xenofobia, a solidariedade, a guerra e os estados de exceção. Uma comédia ácida que convida o público a invadir a intimidade desta família e a refletir sobre questões tão pungentes ao nosso presente. O texto, traduzido pelo diretor Diego Fortes, é considerado pela crítica internacional como um dos mais provocativos e relevantes do teatro latino-americano recente.

Sobre o espetáculo, Valmir Santos, jornalista e crítico do site Teatrojornal, afirma: “Eles são o retrato bem-acabado das incongruências da família, do Estado, da propriedade e da tradição, para mixar o corte crítico que subjaz na escrita de Calderón. Contrastar a realidade histórica e produzir ironia a partir dela – a corrosão do riso – é outra das perspicácias de sua obra como um todo. A encenação de Diego Fortes enfatiza o humor para tourear a gama de informações e de ideias.”

Dezembro. Fotografia: Luisa Bonin

SERVIÇO:
Estreia online e gratuita do espetáculo DEZEMBRO, seguido de bate-papo com a equipe
Online via Youtube
Data estreia: 04 de dezembro às 20h
Inscreva-se gratuitamente para receber o link da estreia e ser lembrado: https://bit.ly/3kU22Pw

Leitura dramática do texto CLASE de Guillermo Calderón
Online via Youtube
Data: 18 de dezembro às 20h
Inscreva-se para receber o link da estreia e ser lembrado: https://bit.ly/395Ln9M

OFICINAS GRATUITAS

Oficina: Formação e sensibilização pelo teatro com Diego Fortes
Data: 8, 9, 10 e 11 de Dezembro das 10h às 12h
Inscrições gratuitas: https://bit.ly/3fjCDxA
Para Estudantes de teatro e demais interessados a partir de 18 anos.
Online via Sympla Zoom

Oficina: A iluminação cênica como elemento de linguagem com Augusto Ribeiro
9 e 10 de Dezembro das 19h às 21h
Inscrições gratuitas: https://bit.ly/393grGY
Para Estudantes de artes cênicas entre 15 e 21 anos.
Online via Sympla Zoom

Oficina: Técnicas básicas de transmissão ao vivo com Alan Raffo
14 e 15 de dezembro, das 19h às 21h
Inscrições gratuitas: https://bit.ly/3kPVZf6
Para estudantes, interessados em artes cênicas, produtores a partir de 15 anos.

Online via Sympla Zoom

Oficina: Criação de Solos com Ludmila Nascarella
Datas: 7 e 8 de Dezembro das 20 às 22h
Inscrições gratuitas: https://bit.ly/3fq3Tui
Para adolescentes entre 13 e 18 anos.

Online via Sympla Zoom

Oficina: Elaboração e gestão de projetos culturais, com Isadora Flores e Gilmar Kaminski
16 e 17 de dezembro, das 10h às 12h
Inscrições gratuitas: https://bit.ly/35QUitk
Para artistas, estudantes de artes cênicas e música e demais interessados em produção cultural e na elaboração de projetos culturais.
Online via Sympla Zoom

Oficina: Improvisação e comicidade com Fernanda Fuchs
16 e 17 de dezembro, das 19h às 21h
Inscrições gratuitas:: https://bit.ly/3fmRgAm
Para estudantes de teatro e pessoas interessadas em comédia
Online via Sympla Zoom

BATE-PAPO
Bate-papo sobre “Cenário e cenotécnica”, com Guenia Lemos e Samuel Amorim
11/12 às 20h
Via Youtube da Armadilha – Inscreva-se para ser lembrado: https://bit.ly/2UMyh91

O acesso para a inscrição em todas as atividades pode ser feito pelo link: https://www.sympla.com.br/a.armadilha

Sobre o diretor Diego Fortes
Diego Fortes é ator, diretor, dramaturgo e artista docente convidado de direção da Escola SP de Teatro. Em 2001, iniciou A Armadilha, companhia pela qual realizou as peças Café Andaluz, Os Leões, Bolacha Maria, O Fantástico Coração Subterrâneo, Poses para Dormir, Dezembro, entre outras. Escreveu e dirigiu O Grande Sucesso, texto pelo qual recebeu o Prêmio Shell de Melhor Autor em 2017 e em 2018, a convite de Renato Borghi, encenou Molière, de Sabina Berman, que conta com Matheus Nachtergaele no papel-título.

Sobre o dramaturgo Guillermo Calderón
Nascido em Santiago do Chile, Guillermo Calderón é diretor, dramaturgo e roteirista. Escreveu Dezembro, Neva, Mateluna, Villa + Discurso, Kiss, entre outras peças. No cinema, colaborou no roteiro dos filmes Julieta se fue a los cielos, O Clube e Neruda – os dois últimos foram indicados a Melhor Filme Estrangeiro no Globo de Ouro.

Sobre A Armadilha
Criada em 2001, A Armadilha é uma companhia de teatro contemporâneo iniciada por Diego Fortes. Em 18 anos de trabalho, suas obras são marcadas pelo equilíbrio entre o refinamento na criação artístico e a acessibilidade de diversos públicos. Desde 2011, a companhia tem encenado textos latinos como Orinoco, de Emílio Carballido; Duas da Manhã (uma adaptação de dois textos de Lola Arias) e Poses para dormir, também de Lola Arias. Além de Dezembro, a companhia se prepara para encenar em breve o texto Clase, também de Guillermo Calderón.

“PROJETO REALIZADO COM O APOIO DO PROGRAMA DE APOIO E INCENTIVO À CULTURA – FUNDAÇÃO CULTURAL DE CURITIBA E DA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA”

Realização:
A Armadilha
Produção:
Flutua Produções – Gilmar Kaminski
Isadora Flores – Produtora Cultural
Incentivo:
Lei de Incentivo à Cultura
Fundação Cultural de Curitiba
Prefeitura Municipal de Curitiba

Ficha técnica:
Texto: Guillermo Calderón
Tradução, Direção e Sonoplastia: Diego Fortes
Elenco: Alan Raffo, Fernanda Fuchs e Ludmila Nascarella
Iluminação: Nadja Naira
Assistência de Iluminação: Elisa Ribeiro
Operação de luz: Augusto Ribeiro
Cenário: Guenia Lemos
Cenotecnia: Samuel Amorim e Johne Rodrigues (Drig’s Artes Visuais) e Jesmiel (Boogiganga Shop).
Figurino: Maureen Miranda
Direção de Produção: Isadora Flores
Produção Executiva e Gestão Financeira: Gilmar Kaminski
Direção de Comunicação: Luísa Bonin – Platea Comunicação e Arte
Programação Visual: blanc.ag
Fotos: Eika Yabusame (E-photos) e Luísa Bonin

ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA AS OFICINAS DO GRIOT – III FESTIVAL DE CINEMA NEGRO CONTEMPORÂNEO

Concurso de críticas irá premiar 1° e 2° lugar com R$ 300 e R$ 200 reais respectivamente

Já estão abertas as inscrições para as oficinas do Griot – III Festival de Cinema Negro Contemporâneo. Serão três oportunidades formativas com o intuito de valorizar o processo criativo do audiovisual, direcionando profissionais com mais profundidade do que se passa e ouve na tela. A oficina ministrada pelo crítico e curador Fabio Rodrigues Filho, promoverá um concurso de críticas com premiação para o primeiro e segundo lugar.

A oficina “Uma Conversada Inacabada com Imagens” é apoiada pela Associação de Vídeo e Cinema do Paraná (AVEC – PR) e é destinada somente para residentes do Paraná. E tem o objetivo de estimular novos criadores do estado a falar sobre cinema. A proposta segundo, Filho, é “abordar a crítica como lugar de conversa com os filmes, entre imagens e pessoas, e entre cinema e as coisas do mundo – reconhecendo as partes em diálogo como agentes ativos”.

As oficinas “Produção audiovisual para mídias digitais”, ministrada por Caio Franco, e “Como o som se articula no cinema”, ministrada por Evelyn Santos, são para interessados de todo o Brasil. As três oficinas possuem vagas preferenciais para pessoas negras ou indígenas.

As inscrições são gratuitas e vão até 4 de dezembro. As oficinas têm início no dia 12 de dezembro e fazem parte do Griot – III Festival de Cinema Negro Contemporâneo que acontece de 11 a 20 de dezembro de 2020. O evento é gratuito e contemplará todo o Brasil, promovendo as narrativas da atuação, realização, e produção do audiovisual negro.

A programação completa está disponível no site do Festival, incluindo as atividades que acontecem simultaneamente no evento.

O Griot – III Festival de Cinema Negro Contemporâneo tem o apoio da TODESPLAY, Olhar Distribuição, O2 Pós, Mubi, Projeto Paradiso, AVEC-PR, ABRACCINE. Incentivo da Celepar e Ebanx. Projeto realizado com apoio do programa de apoio e incentivo à cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba.

Serviço:
Realização: Cartografia Filmes
Oficinas do Griot – III Festival de Cinema Negro Contemporâneo.
Inscrições até o dia 4 de dezembro.
Inscreva-se gratuitamente, aqui

Sobre o Festival Griot
O Griot – Festival de Cinema Negro Contemporâneo começou em 2018 como Mostra de Cinema Negro Brasileiro, com o objetivo de criar um espaço onde pudessem exibir filmes pensados, realizados e protagonizados por pessoas pretas em território nacional. Nas edições anteriores foram exibidos com lotação máxima de público 61 curtas, dois longas e um média. As edições aconteceram com financiamento coletivo.
www.festivalgriot.com.br

Sobre a Associação de Vídeo e Cinema do Paraná – AVEC – PR
A AVEC-PR tem sua origem no final da década de 70, com o surgimento em Curitiba do movimento de produção em cinema Super 8, com os festivais nacionais da Escola Técnica, com o núcleo de realizadores da Cinemateca, e finalmente com o movimento Vídeo-Vive, já nos anos 90.

Nessa sua trajetória a AVEC se destacou por ser a principal interlocutora dos produtores de cinema e vídeo paranaenses junto às esferas municipais e estadual na área da cultura.

Conheça a AVEC-PR

Sobre Fabio Rodrigues Filho
Atua na crítica, curadoria, pesquisa e realização em cinema. Mestrando em comunicação na UFMG. Graduou-se na mesma área na UFRB. Membro dos grupos Áfricas nas Artes (Cahl/UFRB) e Poéticas da Experiência (UFMG). Cineclubista, participou do Cineclube Mário Gusmão, Cine Tela Preta e do Cinema em Vizinhança. Compôs a comissão de seleção de festivais, mostras e laboratórios, a exemplo do FestCurtasBh (2019/2020), Diáspora Lab (2018), FIANB (Festival Internacional do Audiovisual Negro do Brasil, 2020), entre outros. Atualmente faz parte da equipe de curadoria do IX CachoeiraDoc, festival junto ao qual vem contribuindo ao longo dos últimos anos.

Sobre Evelyn Santos:
É formada em Produção de Áudio e Vídeo, Operação de Som e Direção Cinematográfica. Trabalha há quatro anos com Captação de Som direto, Microfonista e Assistente em diversas produções que já rodaram em vários festivais. Dirigiu seu primeiro curta-metragem ”Dádiva”.

Sobre Caio Franco:
Caio Franco é cineasta e fotógrafo. Após se formar em comunicação pela PUC-Rio, trabalhou em produtoras como assistente de produção e assistente de pesquisa até 2015, quando começou a trabalhar no canal Jout Jout Prazer, no youtube. Seu primeiro filme, Antes de Ontem, rodou por diversos festivais no Brasil em 2019.

PRÊMIO JORNADA EM RECONHECIMENTO À TRAJETÓRIA

Prêmio Jornada em Reconhecimento à Trajetória

O reconhecimento à importantes trajetórias de vida intimamente conectadas ao desenvolvimento artístico ou cultural do Paraná é o objetivo do Prêmio Jornada. Nele, serão selecionados artistas, mestras, mestres, grupos e coletivos do território paranaense que tenham prestado relevantes contribuições ao desenvolvimento cultural do Estado a longo prazo.

Cada trajetória contemplada receberá o valor de R$ 20.000,00 (vinte mil reais). A premiação será dividida em 20 (vinte) diferentes áreas, buscando contemplar o máximo de atuações possíveis: Cultura Tradicional, Cultura de Povos Indígenas e Comunidades Tradicionais, Cultura Afro, Cultura LGBTQIA+, Cultura de Refugiados, Migrantes e Apátridas, Cultura Hip Hop, Fanfarras, Bandas Marciais, Dança, Cultura Alimentar, Teatro, Música, Literatura, Artes Visuais, Circo, Audiovisual, Ópera, Arte Educação e Técnicos.

Para a inscrição, os participantes precisam gravar um vídeo de 04 a 10 minutos de duração, contando sua história de atuação no setor cultural do Paraná. Também é necessário encaminhar documentos que comprovem a atuação.

Inscrições até 23 de novembro.

Confira os editais, aqui

fonte: Superintendência da Cultura

CURSO DE MAQUIAGEM PARA CRIANÇAS

No dia 31/10, sábado, será realizado um curso online de maquiagem Halloween para crianças. O curso foi criado com o intuito de oferecer aos pais uma atividade descontraída e divertida para fazer junto aos seus filhos, visando uma quebra na nova rotina estabelecida pela pandemia de COVID-19.

Como conteúdo serão ensinadas diferentes maquiagens, como confeccionar adereços para decorar a casa para a festa de Halloween e também para complementar a caracterização da criançada.

As aulas serão ministradas por Andréa Tristão (@andrea_tristao), renomada maquiadora de teatro, cinema e efeitos especiais com mais de 15 anos de experiência no mercado. Andréa foi professora de maquiagem artística e de efeitos na Academia Cena Hum e reside em São Paulo desde 2018, onde tem se dedicado a séries e filmes longas-metragens. Seus trabalhos mais recentes podem ser conferidos na série Noturnos, que estreou no Google Play e Canal Brasil este mês, e no filme Alice Júnior, vencedor de diversos prêmios internacionais, dirigido por Gil Baroni.

Como contrapartida social, 10% do valor das inscrições será doado à Sociedade Crescer, associação que presta atendimento diário a 130 crianças e jovens da Vila Zumbi, periferia de Colombo – PR. Devido à pandemia, a Sociedade Crescer está entregando marmitas, cestas de alimentos e materiais de higiene para a comunidade em que atua.

Sua diversão pode se tornar uma ajuda valiosa para essas crianças 🙂

Se tiver alguma dúvida, por favor escreva para: andreatristaomakes@gmail.com

Serviço
Data: 31/10/2020
Horário: O que ficar melhor para os participantes, pois será enviado um link para acessar o conteúdo.
Valor: R$ 60,00
Inscrições: https://forms.gle/eAMggoweY9heMR888
Instagram: Andréa Tristão: @andrea_tristao
Página do curso, aqui

OFICINA VIRTUAL – TELA E EMOÇÃO

O Pé no Palco – escola de teatro que tem sede física em Curitiba/PR e 25 anos de existência – está com inscrições abertas para a Oficina Virtual – Tela e Emoção – voltada para quem tem interesse em se desenvolver por meio de processos artísticos teatrais.

Utilizando-se da linguagem de séries “episódicas” esta oficina é a primeira de três temporadas de oficinas virtuais que acontecerão este ano! Nesta primeira temporada o tema será EMOÇÃO. É uma grande oportunidade, pois as aulas serão ministradas por toda a equipe de professores da escola.

Os artistas que compõe o grupo de professores dos Cursos Livres de Teatro – ErtaAle, Vanessa Corina, Conde Baltazar, Alini Maria, Pedro Bonacin, Zime Bagana e Fátima Ortiz – estão em um trabalho intenso e peculiar de adaptação da metodologia psicodinâmica do palco para as telas desde março de 2020. Vivendo uma fase cibernética, a escola já declarou em suas redes sociais que estes cursos virtuais continuarão acontecendo mesmo quando puderem abrir suas portas novamente, pois além de possibilitar trocas entre pessoas do mundo todo, aspectos artísticos diferentes são trabalhados nesta vertente, que tem muito a contribuir para quem se interessa por processos de sensibilização artística e aprimoramento das capacidades de comunicação.

SERVIÇO: 
1ª TEMPORADA OFICINA VIRTUAL – TELA E EMOÇÃO
12 de setembro a 03 de outubro de 2020
Sábados – 10h ao 12h
Para saber mais informações sobre conteúdos, valores, plataforma virtual e certificação, entre em contato com a escola pelas suas redes sociais – Instagram: @penopalco ou Facebook: www.facebook.com/pe.nopalco

NENA INOUE FAZ TEMPORADA ONLINE, GRATUITA E COM TRADUÇÃO EM LIBRAS DO PREMIADO SOLO “PARA NÃO MORRER”

Nena Inoue. Foto: Lidia Ueta

O espetáculo visto por mais de 27 mil pessoas, rendeu à Nena o Prêmio Shell 2019 de Melhor Atriz no Rio de Janeiro, além do Troféu Gralha Azul de Melhor Atriz em 2017. Agora em versão on-line, gratuita e com tradução em Libras, a gravação da obra segue todos os protocolos de saúde e além das apresentações, o projeto oferece debates e oficinas abertas para o público

A atriz Nena Inoue fará uma temporada online com 15 exibições do espetáculo “Para Não Morrer”, sendo 5 abertas e gratuitas para o público nos dias 3, 4, 5, 11 e 12 de setembro às 20h, e 10 fechadas e exclusivas para entidades e coletivos de apoio à mulheres, instituições, movimentos sociais, associações de professores e de classe, além do público feminino que se encontra em isolamento social mesmo antes da pandemia, como presidiárias e idosas em asilos. Todas as exibições online possuem tradução em Libras e serão seguidas de um debate ao-vivo com o público a partir da obra apresentada, também com tradução simultânea em Libras.

As 5 apresentações abertas serão exibidas nas páginas do Espaço Cênico e dos parceiros Brasil de Fato, MST Nacional, Bicicletaria Cultural e Mães pela Diversidade. E para quem quiser se inscrever e receber o link da exibição e debate por e-mail momentos antes da exibição, basta fazer uma inscrição simples e gratuita pela plataforma: https://bit.ly/32tW6Wn

Dentro do contexto da pandemia, a atriz e produtora cultural Nena Inoue trabalhou para que todas as mudanças necessárias fossem feitas e adaptou o projeto para cumprir temporada on-line respeitando o distanciamento social: “Neste momento pandêmico, onde os trabalhadores da cultura se encontram impedidos de trabalhar e temos milhões de artistas e técnicos desempregados no Brasil, me propus a atuar da forma possível e, respeitando o isolamento social, a forma de seguir e levar nosso teatro ao público neste momento é via on-line, então se assim é, assim será. Consegui também manter a proposta de trabalho inicial e levar este trabalho a comunidades menos favorecidas, incluindo mais profissionais ao projeto – como registros de vídeo, transmissões, além de locação de um espaço teatral parceiro (o Ave Lola) – estamos nos movendo e criando caminhos para continuar, possibilitando trabalho e remuneração aos nossos profissionais do teatro”, afirma a artista.

Em cena e online, Nena se transforma numa mulher ancestral e onipresente, que se apropria da palavra e traz à memória várias personagens históricas: mulheres negras, indígenas, guerrilheiras, mães, avós, filhas, de diferentes épocas e lugares que foram violentadas, torturadas, assassinadas e esquecidas.

A obra está em cartaz desde 2017 e já foi assistida por mais de 27.000 pessoas. Sobre o espetáculo, o crítico teatral do jornal “O Globo”, Patrick Pessoa, escreveu: “Nena Inoue transforma luto em luta… espetáculo para não perder”. O solo conta com dramaturgia de Francisco Mallmann a partir da obra “Mulheres”, do uruguaio Eduardo Galeano (1940-2015). A encenação concebida por Nena, tem direção de texto de Babaya e apresenta temáticas femininas e feministas atreladas a questões histórico-políticas, especialmente da América Latina.

O projeto foi adaptado para que as apresentações online e debates ofereçam uma experiência enriquecedora para o público e foi produzida de forma segura para artistas e técnicos, seguindo todos os protocolos de segurança de saúde para a gravação do espetáculo.

Além das 5 apresentações abertas e das 10 apresentações fechadas para instituições parceiras, o projeto prevê debates posteriores às exibições do espetáculo – que se transformarão em uma série de podcasts – além de 11 Oficinas de Iniciação Teatral, direcionadas gratuitamente ao público que assistir ao espetáculo, que acontecerão de forma on-line, no decorrer de setembro e outubro.

Lembrando que 5 de todas as exibições online são gratuitas e abertas, e podem ser assistidas nas páginas do Espaço Cênico (03/09) e nas páginas dos parceiros Brasil de Fato (04/09), MST Nacional (05/09), Mães pela Diversidade (11/09) e Bicicletaria Cultural (12/09). E para que o público interessado possa se programar e ser avisado na data e horário da exibição, é necessário o cadastro gratuito no link: https://bit.ly/32tW6Wn

Serviço:
Exibições online, gratuitas e com tradução em Libras do espetáculo “Para Não Morrer”, seguidas de debate com o público.
Exibições GRATUITAS e abertas nos dias 03, 04, 05, 11 e 12 de setembro às 20h. 
Inscrição online e gratuita via site: https://bit.ly/32tW6Wn

Também é possível assistir as exibições nas páginas:
03/09: Espaço Cênico – www.facebook.com/espacocenicocuritiba
04/09: Jornal Brasil de Fato – www.facebook.com/brasildefato
05/09: MST Nacional – www.facebook.com/MovimentoSemTerra
11/09: Mães pela Diversidade – www.facebook.com/MaespelaDiversidade
12/09: Bicicletaria Cultural – www.facebook.com/bicicletariacultural

As exibições GRATUITAS e fechadas para parceiros acontecerão nos dias:
28/08 e 6, 7, 10, 12, 13, 14, 16, 18, 19/09.

Nena Inoue. Foto: Luísa Bonin.

Sobre Nena Inoue:
Nascida em Córdoba (Argentina) e desde os nove anos no Brasil, Nena Inoue é artista gestora, produtora, diretora teatral e atriz formada em 1978 pelo Curso Permanente de Teatro do Centro Cultural Teatro Guaíra. Completando 40 anos de carreira, contabiliza mais de 80 espetáculos profissionais e atua ainda como Coordenadora do Espaço Cênico desde 1997. Esteve na mesma função por nove anos (2000 a 2009) ao lado de Luís Melo no ACT – Ateliê de Criação Teatral, espaço que realizou e abrigou distintos trabalhos de caráter multiárea. Foi também Diretora Artística do Centro Cultural Teatro Guaíra (2003 a 2006); produtora da Sutil Companhia de Teatro (2008 a 2010) e, desde 2009, tem sua produção artística voltada às temáticas de caráter histórico-político-social.

Sobre o espetáculo:
Até o momento realizou 250 apresentações com um público aproximado de 27.000 pessoas. Estreou no Festival de Curitiba/Mostra Oficial, em abril de 2017 e nesse ano fez temporadas em Curitiba, no Teatro José Maria Santos, Ave Lola Espaço de Criação, Espaço Fantástico das Artes e em São Paulo, no SESC Pinheiros/SP. Apresentou-se nos festivais FILO – Festival Internacional de Londrina, no SINGA-Simpósio Internacional de Geografia Agrária e na Mostra SÓ EM CENA, de Maringá. Em 2018 no FICA Natal – Festival Internacional de Natal, no III Curitiba Mostra/Festival de Curitiba e temporadas no Teatro Poeirinha (RJ) e Teatro Guaíra (PR) e circulação pelo SESC PR nas cidades de Londrina, Maringá, Cascavel, Paranavaí e Ponta Grossa. Em 2019 apresentações no SESC Ginástico (RJ), no Teatro Municipal de São João del Rey, Mostra Resistências em São José do Rio Preto, no Teatro do SESI de São José dos Pinhais, Circulação SESC SC em 8 cidades (Florianópolis, Blumenau, Itajaí, Joinville, Jaraguá do Sul, Concórdia, Laguna, Lages; duas temporadas no Teatro Lala Schneider e participou do Festara – Festival de Teatro de Araçatuba. EM 2020 apresentou-se no SESC São José dos Campos.

Premiações: Prêmio Troféu Gralha Azul 2017 de Melhor Atriz e Prêmio Shell 2019 de Melhor Atriz.

FICHA TÉCNICA:
Dramaturgia: Francisco Mallmann, à partir da obra de Eduardo Galeano
Direção e Atuação: Nena Inoue
Direção de Texto: Babaya Morais
Iluminação: Beto Bruel
Figurino: Carmen Jorge
Cenário: Ruy Almeida
Gravação: Alan Raffo e Lidia Ueda
Técnico Operador: Vinícius Sant
Identidade Visual: Martin Castro
Fotografias: Elenize Deszgeniski, Lidia Ueta, Marcelo Almeida, Raquel Rizzo, Luísa Bonin
Assessoria de Imprensa e Mídias Sociais: Luísa Bonin e Thays Cristine – Platea Comunicação e Arte
Vídeos Redes Sociais: Diego Florentino – Trópico TV
Produção: Guilherme Jaccon
Assistencia Produção: Lidia Ueta
Administração: Judy Fiorese
Direção de Produção: Nena Inoue
Realização: Espaço Cênico

“PROJETO REALIZADO COM O APOIO DO PROGRAMA DE APOIO E INCENTIVO À CULTURA – FUNDAÇÃO CULTURAL DE CURITIBA E DA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA”

Realização:
Espaço Cênico
Incentivo:
EBANX
Incentivo:
Lei de Incentivo à Cultura
Fundação Cultural de Curitiba
Prefeitura de Curitiba

OFICINA VIRTUAL PÉ NO PALCO

O Pé no Palco é uma escola de teatro em Curitiba e completa 25 anos do fazer teatral em 2020. A Oficina de Criação Virtual é uma iniciativa da equipe de professores e artistas dos Cursos Livres de Teatro e foi elaborada a partir de muito diálogo, em um processo de pesquisa e reflexão coletiva sobre as possibilidades de se fazer “teatro cibernético” e também sobre como nossa metodologia (desenvolvida ao longo de 25 anos) pode se reinventar para acolher essa necessidade tão elementar que é a expressão por meio da criação artística.

Estes experimentos estão sendo realizados desde março com as turmas de cursos livres da escola. No começo foram feitos como única alternativa para dar continuidade ao curso no momento de distanciamento social. Com estas experiências, percebemos uma potência criativa maior do que esperada para estes encontros – uma fagulha de vida, de encontro, de olhar, de expressão perante um grupo que observa.

É com o cuidado que a escola sempre teve de ter uma excelência no ensino do teatro, que convidamos você a participar conosco desta oficina virtual, embasada nos princípios metodológicos do Pé no Palco e promovida por toda a equipe de docentes da escola.

PROFESSORES DA OFICINA: ErtaAle, Vanessa Corina, Alini Maria, Zime Bagana, Pedro Bonacin, Conde Baltazar e Fátima Ortiz

PLATAFORMA, RESULTADO E CERTIFICAÇÃO
Todos os encontros serão realizados pela plataforma de vídeo conferências ZOOM. (Ofereceremos orientações de como utilizar a plataforma, caso necessário)
Ao final da oficina será realizada uma apresentação aberta a convidados (as) com feedback dos professores para os participantes.
O Pé no Palco oferecerá certificação desta oficina. 

CONTEÚDOS 
Elementos técnicos e criativos do teatro
Respiração (termômetro emocional) 
Consciência Corporal 
Presença 
Enfrentando a câmera 
Criatividade/Palavra
Voz e Intenção 
Interação/
Relação com o olhar observador
Arquitetura do agora – a casa como atelier artístico
Níveis de olhar 
Olhar imaginário
Emoção 
Decisão de movimento 
Personagem – processo de construção 
Criação de cenas cibernéticas online. 

QUANDO?
De 06 de julho a 01 de agosto de 2020 

SEMPRE AS SEGUNDAS – das 19h30min às 22h
01/08 – (SÁBADO) – Mostra Virtual de Processo – 19h30min às 22h

QUEM PODE FAZER A OFICINA?
Pessoas de qualquer região do mundo que falem português, interessadas em criação artística e processos teatrais.
FAIXA ETÁRIA – A partir de 16 anos

COMO SE MATRICULAR E RECEBER MAIS INFORMAÇÕES:
Basta enviar uma mensagem, pelas redes sociais da escola (instagram ou facebook) que logo a gente te responde (via inbox/direct) @penopalco

OUTRAS AÇÕES DA ESCOLA, AGORA. 
É um movimento espontâneo realizado por alguns artistas das Artes Cênicas da cidade de Curitiba e Região metropolitana e tem o objetivo de arrecadar recursos para que possamos levar alimentos, materiais de higiene, produtos de limpeza e medicamentos para trabalhadores e trabalhadoras da classe artística durante o período de pandemia do Covid-19 

Nossa produtora e gestora da escola Giselle Lima está na linha de frente desta campanha. 

AJUDE COMPARTILHANDO/DOANDO/PATROCINANDO @artesalvacuritiba 

CINE PÉ MOSTRA 40 CENAS 
Todos os anos nossa escola faz uma mostra de processo em Julho, com as turmas dos cursos livres de Teatro! Este ano não será diferente! Fique ligado nas redes da escola para apreciar o material em vídeo que estamos preparando, resultado de muita pesquisa e processos intensos com os estudantes da escola! O material será exibido principalmente pelo Youtube, na página oficial do Pé no Palco!

“Nosso sonho é que a arte possa cada vez mais permear a vida de todos”