ABERTAS INSCRIÇÕES PARA A NOVA TURMA DO PRÉ-PÓS UFPR

O curso Pré-pós da Superintendência de Inclusão, Políticas Afirmativas e Diversidade da Universidade Federal do Paraná (Sipad) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) abre inscrições para a sua quarta turma, que terá aulas de fevereiro a junho de 2021.

O curso tem o objetivo de preparar membros de grupos sociais vulneráveis interessados em cursar mestrado ou doutorado. Serão selecionados 100 alunos.

As aulas começam em 25 de fevereiro e serão on-line, como no curso de 2020.

As inscrições vão até 5 de fevereiro!

Sobre o curso Pré-pós da Sipad
O Pré-pós da Sipad tem raízes em uma iniciativa de 2013 do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros (Neab) que, a partir de 2018, passou a fazer parte da então recém-criada Sipad.

O curso tem o objetivo é preparar estudantes negras e negros, quilombolas, indígenas e pessoas LGBTI para concorrer aos processos seletivos oferecidos por programas de pós-graduação no país. O projeto está na sua quinta edição.

A primeira edição do Pré-Pós ocorreu em 2013. A segunda edição em 2014 com a oferta de duas turmas. A terceira edição foi realizada em 2017 e, a quarta, em 2019. Em 2020, a oferta é integralmente remota.

SERVIÇO
Inscrições para o Curso Pré-Pós da Sipad UFPR
Quando: de 20 de janeiro a 5 de fevereiro.
Onde: por meio de formulário on-line.
Mais informações: pelo e-mail cursopreposufpr@gmail.com ou pelo WhatsApp (41) 98418-6137.

Mais detalhes neste link

BAIXO SÃO FRANCISCO: IMPULSOS DE UMA (RE)OCUPAÇÃO URBANA

Livro BAIXO SÃO FRANCISCO: IMPULSOS DE UMA (RE)OCUPAÇÃO URBANA. Autora: Selma Baptista. Documentário: Jessica Candal. Fotografias: Shigueo Murakami, Lucas Pereira Nery e Alice Pizzaai Goltz. Textos adicionais: Jaques Brand, Renata Carvalho Rodrigues Souza. Curitiba. 2020. Produtora Transpira. 194 p. Preço: DISTRIBUIÇÃO GRATUITA.

Sinopse:
O livro é resultado de uma ampla pesquisa com viés etnográfico, balizado por pesquisas de campo, bibliografia antropológica, histórica e arquitetônica. O projeto “BAIXO SÃO FRANCISCO” debruçou-se sobre o icônico bairro curitibano e, através de uma perspectiva antropológica, convidou a cientista social Selma Baptista e a cineasta Jessica Candal para criarem produtos culturais, cada qual com seu olhar e perspectiva sobre o bairro. Selma Baptista escreveu o livro e Jessica Candal coordenou e dirigiu o documentário HIP HOP no corre no baixo, co-dirigido com Camila Macedo, KBU, Mano Jhow.

Sobre a Autora:
Selma Baptista é Pós-doutora em Antropologia pela USP, Doutora em Ciências Sociais pela UNICAMP e Mestre em Antropologia Social pela mesma universidade.Foi professora titular do departamento de Antropologia da UFPR, onde se aposentou. Atualmente produz pesquisas, orientações e assessorias na área de crítica cultural.

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA: O livro na versão impressa está disponível para distribuição gratuita em locais parceiros do projeto: BAR MÃE, Rua Treze de Maio, 512, bairro São Francisco. GALERIA SOMA, R. São Francisco, 179, bairro São Francisco. BICICLETARIA CULTURAL, R. Presidente Faria, 226, Centro. COLETIVO SFco179, R. São Francisco, 179, São Francisco. Endereços em Curitiba.

FICHA TÉCNICA
Autora do Livro: Selma Baptista
Documentário: Jessica Candal – Direção: Camila Macedo / Jessica Candal / KBU / Mano Jhow
Pesquisa: Alice Pizzaia / Caroline Blum
Designer Gráfico: Lucas Pereira Nery
Coordenação Geral: Jonas Prates
Incentivo: Caixa / Lei de incentivo cultura / Fundação Cultural de Curitiba / Prefeitura de Curitiba / Realização: Transpira. 

CANAIS OFICIAIS DO PROJETO
SITE: www.baixosaofrancisco.com.br
INSTAGRAM: www.instagram.com/baixo_sao_francisco/
FACEBOOK: www.facebook.com/BaixoSaoFranciscoCuritiba/
YOUTUBE:  www.youtube.com/channel/UCKmHQk0yUQcmF_Ml_EyNYXg

Sobre o FILME
Núcleo coordenado pela cineasta Jessica Candal, o documentário segue o cotidiano de dois personagens cativos no bairro, que transitam pela cena HIP HOP curitibana: Mano Jhow e KBU. Com direção coletiva, o documentário tem uma linguagem crua da realidade de diversas ocupações por jovens que povoam a ebulição cultural e social do bairro pela ótica do movimento Hip Hop.

Jessica Candal é Bacharela em Audiovisual (ECA-USP) e especialista em Poéticas Visuais (EMBAP). Como diretora realizou os curtas Ainda Ontem; Bárbara na Cidade; Teia e O Espelho de AnA. Como roteirista, escreveu os longas Horizonte; Ferrugem, com Aly Muritiba; Tão Longe do Centro da Terra, com Aarón Fernández; O Espanto, com George Walker; e foi uma das co-autoras de Eduardo e Mônica. Atualmente está escrevendo A Rua é Noiz, cinebiografia de Emicida, junto dele, Aly Muritiba e Toni C.

PRÊMIO REGISTROS FOTOGRÁFICOS E AUDIOVISUAIS: DIFUSÃO DE SABERES E FAZERES TRADICIONAIS

PRÊMIO REGISTROS FOTOGRÁFICOS E AUDIOVISUAIS: Difusão de Saberes e Fazeres Tradicionais

Contemplando registros fotográficos ou audiovisuais de manifestações culturais populares e tradicionais do Paraná, este prêmio tem como objetivo central a preservação da memória e documentação de Povos Indígenas, Comunidades Caiçaras, Comunidades Quilombolas, Ciganos, Faxinalenses, e Povos de Matriz Africana.

Cada premiado receberá o valor de R$ 4.000,00 (quatro mil reais). Na categoria Registro Fotográfico, a proposta deverá conter um conjunto de fotos que versem sobre um mesmo tema, propondo uma sequência fotográfica lógica, e não foto única. O conjunto deverá ser composto de no mínimo 5 (cinco) fotografias e no máximo de 10 (dez) fotografias. Já para a categoria de Registro Audiovisual, a proposta deverá conter os registros com duração de 7 (sete) minutos e no máximo 120 (cento e vinte) minutos. Inscrições até 23 de novembro.

Confira os editais, aqui

fonte: Superintendência da Cultura

PRÊMIO ARTES VISUAIS: DIFUSÃO DE SABERES E FAZERES TRADICIONAIS

PRÊMIO ARTES VISUAIS: Difusão de Saberes e Fazeres Tradicionais. 

O foco deste prêmio será a seleção de obras de artes visuais já produzidas por artistas ou coletivos que pertençam a povos e comunidades tradicionais formadores do Paraná. Este prêmio tem como foco promover e fomentar as artes visuais produzidas no Paraná, com foco especial à produção artística de comunidades e povos tradicionais do Estado.

Serão concedidos prêmios de R$ 10.000,00 cada, e poderão ser inscritas obras nas seguintes categorias de artes visuais: Desenho, Pintura, Escultura, Colagem, Fotografia, Gravura, Videoinstalação, Videoperformance e Videoarte. Todas as obras selecionadas poderão ser incorporadas aos acervos dos Museus do Governo do Estado, por meio de termo de doação. Inscrições até 26 de novembro.

Confira os editais, aqui

fonte: Superintendência da Cultura

DIFUSÃO SABERES E FAZERES TRADICIONAIS PREMIA REGISTROS FOTOGRÁFICOS E AUDIOVISUAIS

A Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura, por meio da Superintendência Geral da Cultura, publica o Prêmio de Difusão Saberes e Fazeres Tradicionais – Registro Fotográficos e Audiovisuais, que irá selecionar e premiar registros fotográficos ou audiovisuais de manifestações populares e tradicionais da cultura desenvolvidas no território paranaense. Inscrições até às 18h00 (dezoito horas) do dia 21 de novembro de 2020.

O prêmio tem uma função social de preservação da memória de manifestações populares e tradicionais da cultura desenvolvidas no território paranaense.

Serão concedidos 260 prêmios no valor de R$ 4.000,00 cada, totalizando R$ 1.040.000,00, com recursos provenientes da Lei Federal 14.017/2020 – Lei Aldir Blanc.

O edital é voltado a agentes culturais, pessoa física e jurídica, domiciliadas ou com sede no Paraná há, no mínimo, dois anos. O período de inscrições vai de 8 de outubro até às 18h00 (dezoito horas) de 21 de novembro de 2020. As inscrições serão feitas de forma online por meio do sistema SisProfice.

O prêmio será dividido em duas categorias, Registro Fotográfico e Registro Audiovisual. No Registro Fotográfico, a proposta deverá conter um conjunto de fotos que versem sobre um mesmo tema, propondo uma sequência fotográfica lógica, e não foto única. O conjunto deverá ser composto de no mínimo 5 (cinco) fotografias e no máximo de 10 (dez) fotografias.

No Registro Audiovisual, a proposta deverá conter os registros com duração de 7 (sete) minutos e no máximo 120 (cento e vinte) minutos.

O prêmio será dividido, ainda, em seis áreas:
– Povos Indígenas;
– Comunidades caiçaras,
– Comunidades quilombolas;
– Ciganos;
– Faxinalenses;
– Matriz africana.

Os registros premiados deverão ser doados aos acervos dos Museus do Governo do Estado, por meio de termo de doação.

Este prêmio é parte das ações de Fomento do Governo do Estado do Paraná com recursos da Lei Federal Aldir Blanc, nº 14.017/2020, para atender o setor cultural durante a crise causada pela pandemia de Covid-19.

Acesse o edital completo clicando aqui.

fonte / texto: Secretaria Da Comunicação Social e da Cultura do PR

SERRA PELADA – A LENDA DA MONTANHA DE OURO


Serra Pelada A Lenda da Montanha de Ouro – O filme investiga os fatos por trás da Serra Pelada que, durante a década de 1980, abrigou 100 mil pessoas atraídas pela possibilidade de enriquecimento, o qual, na grande maioria dos casos, não se concretizou.

Data de lançamento: 9 de abril de 2013 (mundial)
Documentário:  1h 42m
Direção: Victor Lopes
Música composta por: Lucas Marcier
Cinematografia: Luís Abramo
Roteiro: Victor Lopes, Maurício Lissovski
Edição: Leonardo Domingues, Julia Barreto, Fernando Vidor, Gisele Barreto

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA O NÚCLEO DE PROJETOS AUDIOVISUAIS DE CURITIBA (NPA) – EDIÇÃO 2020

Os roteiristas selecionados terão encontros quinzenais e gratuitos, de março a agosto. Inscrições até 06 de março.

O Núcleo de Projetos Audiovisuais de Curitiba (NPA) está com as inscrições abertas até 06 de março para o processo seletivo de 2020. 24 roteiristas terão a oportunidade de desenvolver e aprimorar seu projeto de série ou longa-metragem de ficção ao longo dos próximos seis meses. Os encontros com os orientadores, a roteirista e diretora curitibana Jessica Candal e o roteirista e professor da escola de cinema latino-americana, EICTV-Cuba, Daniel Tavares, que irão guia-los na escrita dos roteiros, serão quinzenais e totalmente gratuitos. Em formato de fórum de discussão o objetivo é que esses encontros, além de oportunizarem orientações e desenvolvimento de ideias, cultivem principalmente a troca e promova a fala e a escuta entre os artistas. O desejo é que no final os projetos estejam prontos para buscar financiamento para sua viabilização. 

Durante esse período, também serão oferecidas masterclasses com outros profissionais de renome da área. Sempre gratuitas, abertas ao público e irão abordar a narrativa audiovisual sob diferentes perspectivas, de acordo com o ministrante convidado. Em agosto, os projetos participantes do NPA serão apresentados numa Mostra Final, aberta ao público, com a presença de produtores locais e da comunidade. As inscrições podem ser realizadas pelo site: www.tambormultiartes.com 

“As edições sucessivas e regulares do NPA vão criando um espaço de encontro de criadores, realizadores e produtores não só do audiovisual, mas também de outras artes. É um movimento de integração e também de estímulo à produção singular de cada artista. O resultado já está começando a aparecer, com projetos sendo produzidos e aprovados em editais de desenvolvimento e produção. Em breve, veremos alguns desses projetos ocupando espaços de exibição no cinema e na TV. A proposta é que o projeto ganhe mais força ao passar pelo Núcleo, aumentando a probabilidade de viabilizá-lo, além de impulsionar e ajudar a consolidar filmes e séries que trazem as nossas histórias”, declara Marcelo Munhoz, um dos coordenadores do Núcleo. 

“Nosso foco esse ano é aprimorar e potencializar cada etapa do processo: as masterclasses, o trabalho do grupo de desenvolvimento e também ampliar, registrar e divulgar mais os resultados da Mostra Final, que desta vez será aberta ao público”, avisa. 

Projeto aprovado no Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura | PROFICE da Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura | Governo do Estado do Paraná. Apoio: COPEL. 

Conta ainda com o apoio da Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba. 

Sobre a Tambor Multiartes: 
O NPA é uma inciativa da Tambor Multiartes e teve origem no Núcleo de Dramaturgia Cinematográfica do SESI/PR e no Núcleo Audiovisual SESI/PR que formou roteiristas e ajudou a desenvolver projetos de 2012 a 2015. O Núcleo de Crítica de Cinema em 2016 veio consolidar a formação de pensamento sobre a realização audiovisual. Outro projeto realizado pela Tambor foi o Ficção Viva que trouxe importantes cineastas ibero-americanos para ministrar oficinas de roteiro em Curitiba, como Karim Aïnouz, Kleber Mendonça, Guillermo Arriaga (México), Lucrecia Martel (Argentina) e Pedro Costa (Portugal). 

Marcelo Munhoz, um dos coordenadores do NPA, além de fundador da Tambor, foi um dos idealizadores do Projeto Olho Vivo que realizou o Ponto de Cultura Minha Vila Filmo Eu, trabalho de ensino de cinema na Vila das Torres, em Curitiba, que obteve reconhecimento nacional. A Tambor Multiartes realizou ainda o documentário A Grande Nuvem Cinza, com direção de Marcelo Munhoz. Para saber mais visite o site: www.tambormultiartes.com 

SERVIÇO: 
Inscrições para o Núcleo de Projetos Audiovisuais de Curitiba – Edição 2020 
Data: até 06 de março 
Encontros de 21 de março a 15 de agosto 
Inscrições: www.tambormultiartes.com 

CONTATOS: 
Assessoria de Imprensa 
Glaucia Domingos 
41 99909 7837 
glauciadomingos@hotmail.com 

Produção e Coordenação 
Marcelo Munhoz – 41 99903 5516 
Vivian Britsch – 41 98414 4004 
contato@tambormultiartes.com 
www.facebook.com/npacuritiba/ 
instagram: @npacuritiba

CHOCOLATES WEISSBURG

Prestigie nossos patrocinadores! Visite o café Chocolates Weissburg na Rodovia do Caqui, 744 – Recanto Verde, em Campina Grande do Sul-PR, logo na entrada da cidade.

Em Curitiba, você pode pedir Chocolates Weissburg pelo aplicativo iFood, através da loja Schmetterling Chocolates. Entrega para os bairros: Centro, Centro Cívico, Jardim Social, Ahú, Bacacheri, Mercês,  Alto da XV, Tarumã, Bairro Alto, Cabral, Atuba, Tingui, Santa Cândida, Pilarzinho, e também em Pinhais-PR, Emiliano Perneta.


FUNPAR (UFPR) CONTRATA REPÓRTER CINEMATOGRÁFICO

Funpar contrata contrata Repórter Cinematográfico. Vaga para trabalhar em Curitiba. Local de trabalho: UFPR TV, no bairro juvevê, em Curitiba. Inscrições de 13 a 19 de fevereiro de 2020.

Atividades: Cinegrafia com câmeras de estúdio. Captação de som direto. Gravação de reportagem de rua. Cinegrafia para reportagens externas, captação de imagens. 

Requisitos:
Formação: Ensino médio completo. Registro profissional de jornalista (DRT) ou (MTB). 

Horário: 25 horas semanais ( das 10h às 15h). 

Remuneração: R$3.631,16. 

Benefícios: VT,  VR ou Alimentação R$630,00, Cesta alimentação: R$140,00. 

Contrato com prazo indeterminado com experiência de 90 dias.  

Inscrições de 13 a 19 de fevereiro de 2020, confira o edital, aqui

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
:::::::::: PROPAGANDA ::::::::::
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Esta oportunidade é um oferecimento dos nossos patrocinadores, o estúdio KOLB APPS. Uma empresa curitibana que desenvolve aplicativos musicais desde 2011, e atualmente é uma das maiores e mais conceituadas empresas do ramo, com mais de 200 milhões de downloads em todo o mundo.

Como os aplicativos da Kolb Apps você poderá tocar bateria, piano, guitarra, congas, percussão, funk. Experimente! Os aplicativos são gratuitos, são práticos e vem com lições para você aprender a tocar. Entre agora no site, baixe de graça e divirta-se!

KOLB APPS
Site: www.kolbapps.com
Fanpage: www.facebook.com/kolbapps/
Instagram: www.instagram.com/kolbapps/
Kolb Apps – real drum official channel: https://bit.ly/2N2KnpV
Canal oficial no YouTube: https://bit.ly/2N2KnpV