PARANAMBUCO REALIZA PRIMEIRA MINITEMPORADA DO PROJETO ORUN AYÊ ESTA SEMANA, NO PORTÃO CULTURAL

Paranambuco. Crédito HAI studio

Grupo desenvolve série de oficinas e shows gratuitos em Curitiba para fortalecer a identidade cultural brasileira por meio da música

A partir deste mês, o projeto Paranambuco apresenta: Orun Ayê desenvolve uma série de ações com entrada gratuita para aproximar o público curitibano de ritmos tradicionais brasileiros. Serão promovidas três oficinas seguidas de pocket shows, além de seis shows do Paranambuco com participações especiais. A primeira minitemporada acontece esta semana, entre sexta-feira e domingo (dias 23, 24 e 25), no Auditório Antônio Carlos Kraide, no Portão Cultural.

Criado em 2010, o Paranambuco é formado pelo pernambucano Matheus Braga, a paranaense Jô Nunes, o paranaense Bruno Klammer, o mineiro Fred Pedrosa e o catarinense José Navarro. O trabalho autoral surgiu a partir do estudo da musicalidade tradicional brasileira, sendo parte dele dedicada aos Orixás cultuados na Umbanda.

“Toda manifestação cultural tem o objetivo de fazer permanecer uma história. Então, ao reunir e apresentar diferentes regionalidades, nossa intenção é fortalecer a identidade do Brasil. Por meio de ritmos brincantes e da interação com a plateia, queremos propor que a diversidade do nosso país seja valorizada”, conta Matheus. 

Programação:
A primeira minitemporada começa nesta sexta (23), às 14h, com a oficina Brincando Coco e um pocket show. Os participantes terão contato com a história do coco, além de aprender a tocar alguns instrumentos e fazer uma roda de dança. Com duração de 1h30, a oficina é aberta a públicos de todas as idades e não requer inscrição prévia.

No dia 24, o show ocorre às 20h; e, no dia 25, às 19h. O grupo traz o repertório do álbum Orun Ayê, com ritmos como baião, coco, samba, maracatu e xote, além de ijexá, toruá, barravento, puxada de rede e jongo. As apresentações também terão a presença do rabequeiro e percussionista Carlos Ferraz, uma das principais referências da cultura popular e da capoeira angola em Curitiba.

Carlos já integrou o grupo Mundaréu e atuou no espetáculo Rosa Armorial. O artista fez turnês pela Europa com o grupo Forró de Rabeca e fundou a Orquestra de Berimbaus, do grupo Capoeira Angola Resistência e Arte. Também criou o primeiro Festival de Forró de Curitiba e executou o trabalho autoral Carlinhos Ferraz e Forró de Rabeca.

Serviço: 
Paranambuco apresenta: Orun Ayê | 1ª minitemporada

23/2, sexta-feira
14h: Oficina “Brincando Coco” + pocket show

// 24/2, sábado
20h: Show Paranambuco – part. Carlos Ferraz

// 25/2, domingo
19h: Show Paranambuco – part. Carlos Ferraz

// Local: Auditório Antônio Carlos Kraide, no Portão Cultural 
// Endereço: Avenida República Argentina, 3.430 , Portão, Curitiba
// Entrada: gratuita, para públicos de todas as idades

MOSTRA NOMOS, DE LAURA MIRANDA

A Mostra Nomos, da artista visual Laura Miranda, que teve sua abertura realizada em dezembro de 2017 no Museu Oscar Niemeyer (MON), tem visitas prorrogadas até 29 de abril de 2018. Com curadoria de Kátia Canton, a exposição segue na sala 8 do MON.

No dia 8 de março, às 18h no Mini Auditório do MON, haverá o lançamento do catálogo da Mostra, com distribuição gratuita ao público. Será realizada, como parte do evento, uma mesa redonda com a participação da curadora Kátia Canton, o crítico de arte Paulo Reis e a presença das artistas Laura Miranda e Mônica Infante. A entrada do evento é franca.

A mostra Nomos apresenta dois projetos recentes da artista, Líquens 2014/2015 e Estrela Canina 2016/2017, realizados na Área de Proteção ambiental do Passaúna, região metropolitana de Curitiba. A exposição, composta por 64 obras entre desenhos e objetos conta também com dois vídeos de performance com a participação da artista Mônica Infante. A escolha do termo Nomos para designar esta exposição refere-se a um caminho numa ampla extensão em torno do espaço urbano. O trabalho é construído por meio de processos que consideram as especificidades do território e resulta do embate entre sujeito e mundo – corpo e lugar.

O Projeto Liquens se iniciou por uma série de experiências durante viagens a Índia, em que foi realizado um mapeamento das comunidades têxteis na península e deserto de Kutch. A itinerância por tantos lugares, o convívio com o trabalho familiar e o contato com as técnicas tradicionais de tingimento tornaram-se uma importante fonte de criação.

A somatória destas significações aponta para percursos a céu aberto em que a percepção do espaço surge na relação com amplitude e velocidade.

Ao escolher um local se decidiu por um riacho, de difícil acesso, em meio à mata, espaço formado por um pequeno vale. Foi a partir da imersão neste meio e da documentação de samambaias e liquens que se desenvolveu um argumento conceitual e uma paisagem cênica para o trabalho, tomando as direções fornecidas pelo sítio.

Na performance as artistas Laura Miranda e Mônica Infante, mergulhadas na água, são contornadas pelo escoamento no córrego dos elementos: leite, índigo e ouro em pó. Forma-se uma tríade com as variações dos corpos, movimentos e velocidades em devir: animal, vegetal e mineral.

Na produção plástica Laura Miranda cria três séries de desenhos sobre papel e corte a laser em camadas sobrepostas, reverberando as cores que tingiram as águas de branco, azul e dourado.

Liquens aborda as relações simbióticas de proteção e nutrição que mantém a sobrevivência das espécies e propõe uma ética, a de olhar a existência desenhada através do outro.

O projeto Estrela Canina parte da referência a cães abandonados nas bordas da represa do Passaúna em situação de extrema vulnerabilidade e, consequentemente, apresentando risco para o equilíbrio do ecossistema.

Dois cães, resgatados pela artista e batizados como Estrela e Nirvana tornaram-se protagonistas do processo de criação que deu origem a produção plástica.

O convívio afetivo no local onde foram abrigados, documentado em fotografia e vídeo com percursos no local; observações do comportamento (respostas de sobrevivência, sociabilidade e relação territorial) e do movimento corporal dos cães; anotações sobre percepções espaciais, sensações corporais e ações caninas formaram a base do processo de criação. 

Além disso, foi realizado, semanalmente, um laboratório de criação de movimento. Das imersões corporais guiadas por práticas somáticas surge a imagem do mito do cão de duas cabeças e cauda em forma de serpente cujo nome é Ortros. Ao ser morto por Hércules, este cão se transforma na estrela Sirius localizada na Constelação Cão Maior.

Cerca de um ano depois o cão Estrela morre em decorrência de disputas por território. A soma destes eventos deu origem ao nome do projeto.

A produção plástica resultante deste processo se divide em séries de desenhos e objetos. Baseados em imagens ampliadas da pele e dos pelos dos cães, os desenhos são posteriormente recortados e entrelaçados. Em outra série contornos ampliados da silhueta materializam sombras negras e espessas. Os objetos produzidos em linho, seda e cristais compõem uma instalação e fazem referência à constelação Cão Maior.

A linguagem da performance é criada a partir da conexão em níveis profundos com a vida animal a partir da ativação de camadas profundas do cérebro humano responsáveis não só pela sobrevivência mas também pela capacidade de engajamento social. Funções essas que compartilhamos com o cérebro dos animais.

Estrela Canina apresenta, a partir de um mergulho no próprio corpo das artistas, um processo expandido de conexão com potências primitivas e um transbordamento em direção à outras formas de vida.

Este projeto foi realizado por meio do Programa de Fomento e Incentivo a Cultura da Secretaria Estadual da Cultura e patrocínio da COPEL.

SOBRE A ARTISTA LAURA MIRANDA:
Laura Miranda é graduada em artes visuais (1978 a 1981) e pós-graduada em História da arte do Século XX (1999), pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná (EMBAP) em Curitiba. Realizou cursos de extensão (1991), na Escola de Artes Visuais do Parque Laje, no Rio de janeiro. Também é formada em Experiência Somática (2013 a 2015), prática corporal baseada nas psicologias somáticas, na etologia e na neurociência.

Atua como artista visual e performer desde a década de 1980. Foi professora da Embap de 1998 a 2000. Participou como diretora cultural da Associação Profissional de Artistas Plásticos do Paraná, de 1987 a 1989. Desde a década de 1990 trabalha como figurinista e cenógrafa. Integrou a Tempo Companhia de Dança dirigida por Rocio Infante nos anos de 1990 e desde 1998 trabalha com a artista da dança Mônica Infante, com realização de projetos e pesquisas na área da Performance.

Criou juntamente com Denise Bandeira e Juliane Fuganti em 2001, o Grão Atelier em Curitiba para promover cursos, palestras e oficinas de criação. Realizou projetos que possibilitam a conexão entre artes visuais e arte têxtil, com visitas a instituições e comunidades na Índia, Japão e Canadá.

Participou de exposições, residências artísticas e eventos culturais no Brasil, Canadá, Espanha, Portugal, Índia e Japão. Atualmente suas pesquisas relacionam corpo e meio ambiente e incluem práticas como a Educação Somática (Técnica Alexander), Experiência Somática (Peter Levine) e Ki Aikidô (arte marcial japonesa).

SERVIÇO:
Exposição “Nomos”, de Laura Miranda
Até 29 de abril de 2018
Museu Oscar Niemeyer (MON) – Sala 8
Lançamento do catálogo da Exposição:
Dia 8 de março, 18h
Com participação da curadora Kátia Canton, o crítico de arte Paulo Reis e a presença das artistas Laura Miranda e Mônica Infante.
Local: Mini auditório do MON.
ENTRADA FRANCA
*Distribuição gratuita do catálogo no dia do lançamento

Museu Oscar Niemeyer
Rua Marechal Hermes, 999, Centro Cívico, Curitiba
fone: (41) 3350-4400 / Terça a domingo, das 10h às 18h / 
Retirada de ingressos: até 17h30
R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada)
museuoscarniemeyer.org.br

CARTOGRAFIA, POR ANA FERREIRA ::: HOJE, QUARTA, 21 DE FEVEREIRO!!!

Cartografia” funciona assim: você vai ao saguão do Teatro Guaíra (em Curitiba) levando o seu rádio FM e seu fone de ouvido. Só lá você vai conseguir sintonizar a nossa rádio, que emite ondas de curto alcance. 

Aí você vai acompanhar uma narrativa em áudio enquanto é convidado a olhar para o espaço público através dos vidros. 

O que se passa lá? A vida, a cidade, as pessoas ocupando o espaço conforme o modo que acreditam precisar dele, talvez uns artistas intervindo ali, talvez isso seja coisa da sua cabeça pois-o-povo-é-louco-mesmo-e-isso-super-acontece-o-tempo-todo, definitivamente uns artistas intervindo ali, definitivamente este povo é louco, definitivamente nada disso faz sentido, definitivamente as pessoas procuram sentido em tudo e ocupam os espaços conforme o sentido no qual acreditam, definitivamente o-que-se-passou-e-como-há-de-terminar, definitivamente?

Programe-se: apenas dias 20 e 21 de fevereiro (terça e quarta) às 15h e com entrada franca. 

LEMBRE-SE DE LEVAR O SEU RÁDIO (pode ser um player ou mesmo seu celular se ele tiver captação de ondas FM). 

O acontecimento integra a programação da Bienal Internacional de Curitiba em seu Circuito de Galerias. É um dos fragmentos da “Obra em Progresso”, projeto que dialoga com o livro “Finnegans Wake” de James Joyce e que já apresentou as performances “Streaming” (via Facebook) e “Sobreposição” (na Airez Galeria). “Cartografia” dá segmento à pesquisa de formas de relação com o espectador através de outras utilizações de espaços e dispositivos. 

Concepção e criação: Ana Ferreira
Artistas infiltrados no espaço público: surpresa! 
Artistas convidados para a narração em áudio: também! 
Produção: Ana Rivelles 
Foto de divulgação e arte gráfica: Guilherme Zawa
Realização: Agora Coletivo, Airez Galeria e Bienal Internacional de Curitiba. 
Apoio: Centro Cultural Teatro Guaíra e Mabu Hotéis & Resorts 

Serviço
Cartografia, por Ana Ferreira
Data:  20 de fevereiro e 21 de fevereiro (quarta-feira), das 15h às 16h
Entrada gratuita

Confira a página do evento, aqui

FALA COMPANHIA DE TEATRO APRESENTA: NÓS OUTROS

Peça convivial, criada a partir do encontro com índios Guaranis e Kaingang, circula por 24 cidades do Paraná, enaltecendo as relações de encontro desde a diferença. 

A peça teatral Nós Outros, uma realização da FALA Companhia de Teatro, com dramaturgia e direção de Don Correa, circula por 24 cidades do interior do Paraná, realizando uma itinerância de 3278 Km, passando por todas as macrorregiões do estado . O trabalho da companhia curitibana promove o vínculo dos artistas com o espectador a partir da experiência de imersão dos criadores na Aldeia Tupã Nhe’e Kretã, localizada nas imediações do Parque Nacional Guaricana.

Nós outros é um encontro teatral entre pessoas de diversas origens. A partir de uma experiência junto aos Kaingang e Guaranis, o espetáculo busca suspender os discursos e perceber o outro na sua mais completa diferença. Celebrar tanto a cultura quanto cada indivíduo, através de relatos, músicas e danças, é o foco da peça. 

Para a criação da peça, a equipe conviveu com os habitantes da aldeia Tupã Nhe’e Kretã, a fim de participar de atividades propostas por eles. A partir desta convivência, a dramaturgia foi escrita e esboços de encenação foram procurados. 

O trabalho conta com colaborações de Kretã Kaingang, liderança indígena com atuação em nível nacional, e de Florêncio Rékág Fernandes, mestre em Educação e diretor da escola indígena, além dos antropólogos Paulo Homem de Góes e Cauê Krüger. O elenco é composto por Diego Marchioro, Eduardo Ramos, Patrick Belem e Richard Rebelo.

Nós Outros é a busca de um encontro sincero com pessoas com outras visões de mundo. O elenco e equipe criativa buscaram um convívio com os Guaranis e Kaingang na Aldeia Tupã Nhe’e Kretã. O espetáculo busca trazer ao público uma experiência análoga a esta. Reconhecendo a diferença que há entre nós e os outros, entre o semelhante e o diferente, a peça provoca o público a reconhecer a alteridade e ter a possibilidade de uma visão mais complexa do mundo.

Além das apresentações, a equipe realiza oficina de teatro, com acesso gratuito, em todas as macrorregiões e cria registros audiovisuais que são compartilhados em cada lugar visitado.

Com incentivo do Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura (PROFICE), Secretaria de Estado da Cultura, Governo do Estado do Paraná, a circulação passa por 24 cidades do Paraná com até 20.000 habitantes.

Nós Outros evoca, através da política do encontro, a relação entre diferenças. Uma peça sobre ser humano e suas relações de afeto. Um encontro a partir de agenciamentos heterogêneos e seus espaços.

SOBRE A FALA Companhia de Teatro:
Fundada pelo diretor e dramaturgo Don Correa e o ator Brian Townes, a FALA Companhia de Teatro é sediada em Curitiba desde 2012. A companhia investiga a concepção de novas dramaturgias, e formas do público se relacionar diretamente com as obras. Dentre os trabalhos da companhia, destacam-se os espetáculos “Parido” (2012), “Zero (2013)”, “Gafanhoto” (2013), “Tutorial” (2017), e “Nós Outros” (2018).

FICHA TÉCNICA:
Direção e dramaturgia: Don Correa
Elenco: Diego Marchioro, Eduardo Ramos, Patrick Belem, Richard Rebelo
Composição musical: Paul Wegmann
Direção de produção: Michele Menezes
Cenário e Arte gráfica: Pablito Kucarz
Artista plástico: Max Carlesso
Figurinos: Fabianna Pescara e Renata Skrobot
Consultoria em antropologia: Paulo Homem de Góes
Assistência de produção: Mia Bueno
Produção Executiva (viagens): Diego Marchioro
Assessoria de Imprensa: Fernando de Proença
Fotos e vídeos: Bem-te-vi Produções
Local de pesquisa: Aldeia Tupã Nhe’e Kretã
Apoio: Copel – Companhia Paranaense de Energia
Incentivo: Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura (PROFICE), Secretaria de Estado da Cultura, Governo do Estado do Paraná
Produção: Pró Cult
Realização: FALA Companhia de Teatro
DURAÇÃO: 70 minutos
CLASSIFICAÇÃO: 14+

SERVIÇO DA CIRCULAÇÃO NÓS OUTROS:
17/02 – Teixeira Soares
18/02 – Cruz Machado
19/02 – Mangueirinha
20/02 – Candói / Cantagalo
21/02 – Chopinzinho / Nova Laranjeiras
22/02 – Capanema / Capitão Leônidas Marques
23/02 – Matelândia / Vera Cruz D’Oeste
24/02 – Céu Azul
26/02 – Corbélia / Tupãssi
27/02 – Terra Roxa
28/02 – Mamborê
01/03 – Barbosa Ferraz
02/03 – Assai
03/03 – Faxinal
04/03 – Carambei
06/03 – Porto Amazonas
07/03 – Bocaiúva do Sul
08/03 – Quatro Barras
09/03 – Antonina

ENTRADA FRANCA!

PARA INFORMAÇÕES DE LOCAIS DAS APRESENTAÇÕES E HORÁRIOS, ACESSAR, este link

LOJA DAS PULGAS PROMOVE SUA 1ª FEIRA DE LIVROS, DISCOS, CD´S E DVD´S

SÁBADO, dia 10 de março, a Loja das Pulgas promove sua 1ª Feira de Livros, Discos de Vinil, Cd´s e Dvd´s. Aqui em Curitiba!

Aproveite os megadescontos!!! No acervo mais de 1000 discos de vinil com até 30% em descontos, caixas de 3 discos por R$10,  centenas de cd´s e dvd´s. Livros de todos os tipos: coletâneas, literatura, livros técnicos, revistas, gibis. Aproveite o cesto de livros com preço único (R$3,).

Vale lembrar que a Loja das Pulgas vende de tudo – e mais barato!!! Pois a loja comercializa as doações da Associação do Amigo Animal – associação que abriga mais de 1000 cachorros resgatados (em Curitiba e região) e os encaminha (vacinados, castrados e desverminados) para adoção responsável.

O blogue FATO Agenda tem orgulho dessa parceria com a Loja das Pulgas / Amigo Animal, porque ajudando a loja a vender, também contribuímos um pouquinho com os animais recolhidos pela Amigo Animal!

Quem tiver interesse em conhecer: A Loja da Pulgas fica na Rua Pe Paulo Warkocz, 29, CIC / Orleans, Curitiba – próximo ao viaduto e ao cemitério do Orleans.

Além de livros e discos, a loja tem brechó de roupas, sapatos e acessórios, espaço de móveis usados, livros, discos de vinil, brinquedos antigos, antiguidades, moda e acessórios pet e mais um monte de coisas bacanas!

Você também pode levar seus discos e livros para expor! Só avise através do lojadaspulgascwb@gmail.com – por questão de organização.

Confira a página do evento, aqui

A LOJA DAS PULGAS ACEITA DOAÇÕES DE LIVROS E DISCOS!
Você pode doar livros e discos para nossa feira. Iremos buscar em sua casa! E as vendas serão revertidas para os animais da Associação do Amigo Animal. Se quiser doar vc pode trazer na loja ou combinar coleta (em Curitiba e região) com Junior: (41) 9918-7040. A loja aceita todo tipo de doação: móveis, roupas, livros, etc. As vendas são convertidas para cuidar dos animais da Associação.

ATENÇÃO ::: MUDANÇAS NO FACEBOOK!!!

Importante você que curte nossa fanpage fazer essas alterações para continuar recebendo nossas vagas e oportunidades!!!

Com o objetivo de privilegiar conteúdo de amigos e familiares, o Facebook  fez  uma mudança no algoritmo do feed de notícias.  Simplificando, a plataforma irá (a partir de agora) priorizar postagens e compartilhamentos feitos por amigos e familiares em detrimento do conteúdo de páginas que o usuário curtiu. 

Sem entrar em discussões, se você pretende continuar recebendo nossos posts, é importante você fazer algumas alterações:

1) Entre em nossa fanpage, aqui
2) Selecione o botão “seguindo” no menu
3) Selecione “ver primeiro” no seu feed de notícias

Pronto! Você continuará recebendo nossos vagas e oportunidades!!! Muito obrigado pela preferência!!! 

Qualquer dúvida estamos aqui!!! 🙂

7º SLAM CONTRATAQUE!

“SÉTIMO SLAM CONTRATAQUE!

É isso mesmo, Galeraaa! Próximo Slam Contrataque já tem data marcada. No dia 24 de fevereiro, este mês, estaremos voltando à todo vapor, com muita energia e muita, mas muita POESIAA!!!
Compareçam, compartilhem e convidem à tod@s!
Gratidãooo ♥ ♥ ♥ !!!!

Evento independente e 100% gratuito – arte é um direito de tod@s!

SLAM CONTRATAQUE!
“A Arte que liberta não pode vir da mão que escraviza.”

Apresentação:

O que é um Slam? 
Slam é uma batalha de poesia feita em praça pública. O Slam tornou-se um fenômeno internacional, presente no Brasil, está ocupando as ruas de várias cidades. O Slam Contrataque, tem como objetivo ser um espaço de resistência e protesto, um meio de dar voz a todos oprimidos e todas oprimidas, através da poesia. A poesia, enquanto expressão de protesto torna-se uma ferramenta de combate dos marginalizados e das marginalizadas, contra todo tipo de opressão, e contra toda a elite burguesa que domina, explora e esmaga as populações e povos de todo o planeta!

Como funciona?
O Slam funciona através de encontros mensais nos quais ocorrem batalhas de poesias faladas. Durante o encontro são feitas declamações das poesias, que seguem as regras da dinâmica, e ao final as poesias declamadas são trocadas por livros, de acordo com a avaliação do público presente.

Regras:

AS REGRAS DO SLAM.
I. POEMAS
– Os poemas podem ser de qualquer assunto ou tema e em qualquer estilo. Cada poeta ou poetisa tem que apresentar poemas originais de sua autoria.
– Não é permitido o uso de auxílios visuais ou/e fantasias. A regra sobre auxílios visuais tem o intuito de manter o foco nas palavras (e na performance) e não em objetos.
– Não é permitido o uso de instrumentos musicais, música pré-gravada.
– Sampling: Os poetas podem citar palavras e letras de obras de outros autores.
– Não é permitido a repetição de poemas. Cada poema pode ser usado uma única vez durante as eliminatórias e uma vez na grande final.

II. AS PERFORMANCES
– A regra dos três minutos. Todas as performances não devem ultrapassar o tempo de duração. O tempo começa a ser contado a partir do momento em que o poeta se dirige ao público.

III. OS JUÍZES
O Slam parte do principio de que todo indivíduo é capaz de emitir uma opinião válida sobre arte. Não necessitando de uma formação acadêmica ou técnica para isso. Assim, as avaliações das poesias serão feitas pelo público presente através de aplausos ao final do encontro.

Serviço:
7º SLam Contrataque!
Data: Sábado, 24 de fevereiro, das 18:30 às 21:30
Local:  Cavalo Babão, Largo da Ordem, Rua Doutor Claudino Dos Santos, Curitiba
Organização: Slam Contrataque

Confira a página do evento, aqui

RECITAL DE FLAUTA SOLO

Recital de flauta solo pelo flautista alemão Max Gutbrod (foto). No repertório, obras de compositores brasileiros e italianos. Entrada gratuita, no Teuni, em Curitiba.

Max Gutbrod nasceu em Berlim, na Alemanha, em 1960. Dos 8 aos 15 anos morou em Campinas, onde estudou no Conservatório Carlos Gomes, com o flautista João Dias Carrasqueira. Ao voltar para a Alemanha, prosseguiu nos estudos com Marianne Henkel e Frohmut Scherer. Reside há mais de 20 anos em Moscou, na Rússia.

Max é especializado em recitais solos, sobretudo de música contemporânea, e atua também em formações de câmara. Já se apresentou em várias cidades da Europa. Em 2015, ao conhecer à música contemporânea brasileira para flauta solo, encantou-se com as soluções melódicas e com a expressividade, o que o fez mergulhar em nosso repertório. Interpretou obras de diversos compositores brasileiros, entre os quais Camargo Guarnieri, Guerra-Peixe, Gilberto Mendes, Marisa Rezende, Wellington Gomes, Ricardo Tacuchian, Lindembergue Cardoso, Silvio Ferraz e Roberto Victório. Estreou ainda duas peças do compositor Paulo Chagas, a primeira em 2016 e a segunda em 2017.

Entre novembro de 2016 e fevereiro 2017, apresentou-se em três concertos organizados pela Embaixada do Brasil em Moscou: o primeiro no Museu Shalyapin, em parceria com a Associação de Museus Glinka, o segundo no Goethe-Institut de Moscou, e o terceiro na Sociedade Rachmaninov.

Organização: Harry Crowl e Orquestra Filarmônica da Universidade Federal do Paraná

Serviço:
Recital de flauta solo pelo flautista alemão Max Gutbrod
Local: Teuni, Rua XV de Novembro, 1299, Centro, Curitiba
Data:
Sexta, 2 de março, das 19:00 às 20:00

Entrada Gratuita

Confira a página do evento, aqui

LOJA DAS PULGAS PROMOVE SUA 1ª FEIRA DE LIVROS, DISCOS, CD´S E DVD´S

DAQUI UM MÊS, sábado, dia 10 de março, a Loja das Pulgas promove sua 1ª Feira de Livros, Discos de Vinil, Cd´s e Dvd´s. Aqui em Curitiba!

Aproveite os megadescontos!!! No acervo mais de 1000 discos de vinil com até 30% em descontos, caixas de 3 discos por R$10,  centenas de cd´s e dvd´s. Livros de todos os tipos: coletâneas, literatura, livros técnicos, revistas, gibis. Aproveite o cesto de livros com preço único (R$3,).

Vale lembrar que a Loja das Pulgas vende de tudo – e mais barato!!! Pois a loja comercializa as doações da Associação do Amigo Animal – associação que abriga mais de 1000 cachorros resgatados (em Curitiba e região) e os encaminha (vacinados, castrados e desverminados) para adoção responsável.

O blogue FATO Agenda tem orgulho dessa parceria com a Loja das Pulgas / Amigo Animal, porque ajudando a loja a vender, também contribuímos um pouquinho com os animais recolhidos pela Amigo Animal!

Quem tiver interesse em conhecer: A Loja da Pulgas fica na Rua Pe Paulo Warkocz, 29, CIC / Orleans, Curitiba – próximo ao viaduto e ao cemitério do Orleans.

Além de livros e discos, a loja tem brechó de roupas, sapatos e acessórios, espaço de móveis usados, livros, discos de vinil, brinquedos antigos, antiguidades, moda e acessórios pet e mais um monte de coisas bacanas!

Você também pode levar seus discos e livros para expor! Só avise através do lojadaspulgascwb@gmail.com – por questão de organização.

Confira a página do evento, aqui

A LOJA DAS PULGAS ACEITA DOAÇÕES DE LIVROS E DISCOS!
Você pode doar livros e discos para nossa feira. Iremos buscar em sua casa! E as vendas serão revertidas para os animais da Associação do Amigo Animal. Se quiser doar vc pode trazer na loja ou combinar coleta (em Curitiba e região) com Junior: (41) 9918-7040. A loja aceita todo tipo de doação: móveis, roupas, livros, etc. As vendas são convertidas para cuidar dos animais da Associação.