O OLHAR DE NEUZA

A Tecer Teatro leva ao interior do Paraná o premiadíssimo monólogo, que discute o envelhecimento feminino.

A peça O Olhar de Neuza, vencedora do prêmio paranaense “Troféu Gralha Azul” (2013) nas categorias de melhor espetáculo, melhor atriz, direção e texto, será encenada em cinco cidades paranaenses: Lapa, Castro, Paranavaí, Pato Branco e Francisco Beltrão.

A turnê teve início em agosto, na Lapa e chega agora em Castro. As apresentações serão nos dias 01/09 (apresentações fechadas às 9h30 e às 16h) e 02/09 (apresentação aberta às 20h), no Teatro Bento Mossorunga. Endereço: Praça Manoel Ribas, 43 – Centro. ENTRADA GRATUITA.

A iniciativa é da Tecer Teatro, de Curitiba e foi viabilizada com incentivo da Copel e da Havan por meio do PROFICE (Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura), da Secretaria Estadual de Cultura do Paraná.

Inspirada no livro A Mulher Que Cai, do escritor curitibano Guido Viaro (neto do pintor), a peça narra a história de uma mulher de meia-idade que atravessa, em crise, a fase da menopausa. A professora aposentada vivida pela atriz Fabiana Ferreira ao refletir sobre sua existência e suas angústias expõe os conflitos psicológicos, sociais e físicos do universo da mulher madura.

“A peça não aborda apenas a menopausa. Menopausa é mero detalhe para uma mulher que chega a maturidade e coloca em questão sua própria vida e suas dores. O questionamento principal de Neuza está muito além dos calorões sentidos pelo seu corpo, está em viver e questionar”, explica Fabiana.

O espetáculo trata de apenas um dia na vida de Neuza, que poderia ser igual a tantos outros, não fosse sua disposição de torná-lo uma nova etapa.

“A juventude é a moeda de troca da mulher. Na menopausa, a mulher perde o valor social e o valor humano. É o momento em que precisa vestir a fantasia de ‘titia’ ou ‘vovó’, um papel assexuado e se contentar com as sobras sociais”, comenta Viaro.

O Olhar de Neuza expõe uma ferida social: que sentido a mulher tem para a sociedade depois do ápice da maturidade?

Desde a sua estreia em 2013, O Olhar de Neuza, realizou mais de 50 apresentações em Curitiba e em outras cidades brasileiras.

“O tema é profundo, existencialista, mas a comunicação com o público é fácil. Trata-se de um espetáculo de gênero, mas o tema, na verdade, é universal uma vez que expõe os conflitos de quem chega à meia idade e fatalmente revê sua vida, provocando no espectador, ora uma identificação, um espelhamento, ora a reflexão da importância das escolhas que fazemos durante nossa trajetória”, comenta a atriz.

Após cada apresentação, haverá um bate papo sobre o trabalho e o conteúdo abordado na peça. O projeto prevê também a realização de encontros com grupos teatrais de cada cidade para troca de experiências entre os profissionais da área e ainda oficinas voltadas para atores profissionais e amadores.

Todas as ações do projeto serão gratuitas.

TECER TEATRO

O teatro manifestado por forte fisicalidade tem sido característica do trabalho da Tecer Teatro que iniciou suas atividades em 2004 com o objetivo de fomentar, focar, aprofundar e ampliar a investigação cênica do teatro e da dança, bem como da linguagem audiovisual. Tais áreas culturais fazem parte dos vinte e sete anos de carreira de sua fundadora, Fabiana Ferreira, também sócia fundadora da Cia do Abração, empresa parceira por dez anos. A Tecer tem como foco proporcionar um espaço de aprofundamento de dramaturgias para realizar produções artísticas de experiências inovadoras, com temas que versem pelos interesses contemporâneos, de forma a contribuir para o enriquecimento cultural da comunidade da qual faz parte. Os trabalhos desenvolvidos buscam compartilhar a fusão de linguagens, agregando artistas de diferentes áreas.

Ficha Técnica da peça O Olhar de Neuza: Direção: Cristine Conde e Fabiana Ferreira; Texto: Criação Colaborativa; Elenco: Fabiana Ferreira; Coreografia: Wal Mayans; Iluminação: Anry Aider; Cenografia: Criação Colaborativa; Figurinos: Cristine Conde; Composição Musical: Tiago Constante; Cantora: Mariá Sallum, Cenotécnico e Operador de Luz: Frank Sousa; Operador Som: Paulo de Tarso ou Tiago Constante.

Acompanhe: http://oolhardeneuza.blogspot.com.br/
Visite: https://www.tecerteatro.com/
Link vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=xJu0GCg7sD8
Realização: Tecer Teatro – Arte, Educação e Cultura.

SERVIÇO/CRONOGRAMA APRESENTAÇÕES:

CASTRO-PR
APRESENTAÇÕES SEGUIDAS DE BATE-PAPO
· dia 01/09 (sexta), às 9h30 e às 16h (*apresentações fechadas, agendamento prévio)
· dia 02/09 (sábado), às 20h (*apresentação aberta)
Local: Teatro Bento Mossurunga – Praça Manoel Ribas, 43 – Centro. Telefone: (42) 2122 5533
OFICINA “Ser Ator- A Prática Criativa” – dia 31/08 das 19h às 22h, dia 01/09 das 19h às 22h e dia 02/09 das 9h às 12h.
ENCONTRO com os fazedores de teatro locais – dia 02/09, às 14h.
Local: Teatro Bento Mossurunga – Praça Manoel Ribas, 43 – Centro

PARANAVAÍ -PR
APRESENTAÇÕES SEGUIDAS DE BATE-PAPO
· dia 19/09 (terça), às 8h e às 10h (*apresentações fechadas, agendamento prévio)
· dia 20/09 (quarta), às 20h (*apresentação aberta)
Local: Teatro Municipal Dr. Altino Afonso Costa – Praça Rodrigo Ayres de Oliveira – Centro
Telefone: (44) 3902 1128
OFICINA “Ser Ator- A Prática Criativa” – dia 18 e 19 das 19h às 22h e dia 20 das 9h às 12h.
ENCONTRO com os fazedores de teatro locais – dia 20, às 14h.
Local: Teatro Municipal Dr. Altino Afonso Costa – Praça Rodrigo Ayres de Oliveira – Centro

PATO BRANCO – PR
APRESENTAÇÕES SEGUIDAS DE DEBATES –
· dia 29/09 (sexta), às 10h e às 15h (*apresentações fechadas, agendamento prévio)
· dia 30/09 (sábado), às 19h (*apresentação aberta)
Local: Centro Cultural Sesi Pato Branco – Rua Xingu, 833 – Amadori
Informações – SESI Pato Branco: (46) 3220 5524
OFICINA “Ser Ator- A Prática Criativa” – dia 28 e 29 das 19h às 22h e dia 30 das 9h às 12h.
ENCONTRO com os fazedores de teatro locais – dia 30, às 14h.
Local: Teatro Municipal Naura Rigon – Rua Jaciretã, 976 – Bairro Parzianello.

FRANCISCO BELTRÃO -PR
APRESENTAÇÕES SEGUIDAS DE BATE-PAPO
· dia 01/10 (domingo), às 20h (*apresentação aberta)
· dia 02/10 (segunda) – às 10h e às 15h (*apresentações fechadas, agendamento prévio)
Local: TEATRO MUNICIPAL EUNICE SARTORI – Rua Octaviano Teixeira dos Santos, 1.121.
OFICINA “Ser Ator- A Prática Criativa” – dia 02 das 19h às 22h e dia 03 das 9h às 12h e das 13h às 16h.
ENCONTRO com os fazedores de teatro locais – dia 03, às 19h.
Local: TEATRO MUNICIPAL EUNICE SARTORI – Rua Octaviano Teixeira dos Santos, 1.121.
Informações: (46) 3524 4441

CONTATOS:
Assessoria de Imprensa:  Glaucia Domingos (41) 99909 7837  /
glauciadomingos@hotmail.com

Produção Executiva: Fabiana Ferreira (41) 3434 2992 / 99243 0322 /
tecerteatro@gmail.com

Produção Local nas cidades: Lapa, Francisco Beltrão, Pato Branco e Paranavaí
Paolla Cristina (Lola) Flessak
(46) 99111 9041  / lolafleessak@gmail.com

Produção Local na cidade de Castro
Ana Madureira (41) 99701 8006  / madureira.ana@gmail.com

“PROJETO REALIZADO COM O APOIO DO PROGRAMA ESTADUAL DE FOMENTO E INCENTIVO À CULTURA/PROFICE – SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA – GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ”.

ESPETÁCULO “REMAKE DA MINHA VIDA” DISCUTE AFETO E AUTENTICIDADE REVELANDO DIFERENTES FACETAS DE RENATO SBARDELOTTO NO PALCO

Todas as fotos deste são de Eli Firmeza

Peça de dança-teatro faz temporada pague-quanto-vale, de 14 de setembro a 8 de outubro, no Teatro Ave Lola em Curitiba

O solo autoficcional Remake da Minha Vida, de Renato Sbardelotto, une a dança e o teatro para colocar em cena memórias e fabulações criadas pelo artista ao mergulhar em suas emoções mais particulares, reveladas como em uma legítima telenovela. Em tom tragicômico, question    a o compromisso de cada um de nós com a autenticidade e traz para o palco o universo do piegas, com seu ar engraçado, mas absolutamente sincero, para fazer uma declaração de amor aos que estão presentes e aos que passaram por sua vida. A temporada acontece de 14 de setembro a 8 de outubro, com ingressos pague- quanto-vale, no Ave Lola Espaço de Criação. A estreia será exclusiva para convidados. Após Curitiba, o espetáculo circula com apresentações em Cascavel e Toledo.

A peça também cruza fronteiras polêmicas ao levantar questões de gênero e desdobra clichês para expor camadas sutis desse tema e de outros, tão caros aos debates contemporâneos, como a apropriação e o empoderamento. Igualmente fundamental para o espetáculo é o “tempo”, que figura como uma entidade e revela afetos do artista, estabelecendo um lugar de intimidade com o público. Remake da Minha Vida é uma profecia que revisita o passado e lança à própria sorte um futuro idealizado, é o início e o fim de uma trama digna de horário nobre. De maneira não linear, com imagens vertiginosas e cambiantes, Sbardelotto brinca com seus próprios dramas enquanto convida o púbico a olhar para sua própria história, para o que assume e para o que esconde.

Outro traço distintivo desta peça é o tom confessional, conforme afirma Sbardelotto: “Todo mundo tem em sua vida histórias ou imagens potentes para inspirar uma dramaturgia. “Remake” não sintetiza tudo que me aconteceu, mas poetiza diversas questões que surgiram ao me debruçar sobre materiais autobiográficos, como lembranças, fotografias, músicas, desejos. Os padrões de socialização de gênero, por exemplo, são encarados de forma crítica. O trabalho é um chamado para assumir seu próprio jeito de se colocar no mundo, sem vergonha ou julgamento. É também um meio de compartilhar meus desejos mais íntimos de cena.” O artista escolheu Cascavel e Toledo para fecharem a temporada no Paraná, pois são cidades que fazem parte de sua história pessoal, estabelecendo uma relação de retorno às origens.

Além de Renato Sbardelotto que interpreta, dança e canta no espetáculo, a equipe conta com: Juliana Adur como orientadora artística, integrante da desCompanhia de Dança e coordenadora do Núcleo de Pesquisa em Dança IMP – Investigação do Movimento Particular; Kysy Fischer como interlocutora, mestre em Artes Cênicas pela UDESC, pesquisadora das artes do corpo e comicidade, foi artista residente na Casa Hoffmann, Casa Selvática e no programa 20MINUTOS.MOV; Karla Izidro na pesquisa sonora e preparação vocal, cantora e compositora, professora da Cena Hum, integrante da Cia do Abração, e ganhadora do Troféu Gralha Azul 2013 por “O Olhar de Neuza”; Lucas Mattana como iluminador, membro da Inominável Cia de Teatro e pesquisador das relações entre teatro e literatura; Guenia Lemos como cenógrafa, formada em design pela Fashion Institute of Technology e em Teatro pela Fordham University (Nova Iorque, EUA), e ganhadora dos Troféu Gralha Azul de Melhor Cenário por “Marlon Brando, Whiskey, Zumbis e Outros Apocalipses” e por “Salomé”; e Ailime Huckembeck como figurinista, foi integrante da A Bem Soada Cia, é também artista plástica, performer e atriz, participou de produções da Cia do Abração, atualmente pesquisa visualidade e performatividade no grupo Filhas da Fruta.

Remake da Minha Vida é uma realização da Híbrido Produções em parceria com a Cecconello Companhia de Dança, com incentivo do Ebanx e apoio da Casa Hoffmann, BDrops TV, Missê Mariá, Bistrô Passeio, Padaria América e da UniFM como rádio oficial do espetáculo. Projeto realizado com o apoio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura — Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba.

Sobre a Híbrido Produções e Renato Sbardelotto:
A Híbrido Produções coordena os projetos culturais do artista Renato Sbardelotto. Como ator e bailarino, Sbardelotto já́ trabalhou sob a direção/coreografia de Rafael Camargo, Carmen Jorge, Laura Haddad, Paulo Biscaia Filho, Maurício Vogue, Márcio Mattana, Cesar Almeida, Viviane Cecconello, Petra Schuster, Patrícia Otto e Lilyan de Souza. Trabalha atualmente na Cia Regina Vogue e na Duplo Produções Culturais, como ator, bailarino e intérprete criador. Ao longo de sua trajetória, foi artista residente na Casa Hoffmann. Também foi contemplado com prêmios e projetos pelo MINC, pela Fundação Cultural de Curitiba e pela Funarte (Prêmio Artes na Rua e Myriam Muniz). Foi integrante da comissão julgadora do Festival de Dança de Toledo. Como mediador do projeto “Pela Experiência da Dança-Teatro”, circulou pelas regionais de Curitiba com 120 rodas de leitura. Também é dele o projeto “Experiência Portátil”, no qual realizou intervenções em dança nas linhas de transporte público de Curitiba.

Ficha Técnica – Remake da Minha Vida:
Direção e Performance: Renato Sbardelotto
Orientação Artística: Juliana Adur
Interlocução: Kysy Fischer
Pesquisa Sonora e Preparação Vocal: Karla Izidro
Iluminação: Lucas Mattana
Cenografia e Adereços: Guenia Lemos
Figurino e Maquiagem: Ailime Huckembeck
Produção: Híbrido Produções
Assistência de Produção: Jossane Ferraz
Assessoria de Comunicação e Imprensa: Luciana Melo
Arte Gráfica e Ilustração: Daniel Lourenço
Fotos e Vídeos: Eli Firmeza
Realização: Híbrido Produções e Cecconello Companhia de Dança

Serviço:
Remake da Minha Vida:  Espetáculo de Dança-Teatro
Local: Ave Lola Espaço de Criação
Endereço: R. Mal. Deodoro, 1227. Centro. Curitiba – PR
Temporada: de 14 de setembro a 8 de outubro.
Dias e horários: Quintas e Sextas às 20h
Sábados às 18h e 20h
Domingos às 16h
Ingressos: Pague Quanto Vale
Lotação: 58 lugares.
Duração: 60 minutos.
Classificação indicativa: Acima de 12 anos
Informações: 41 99921-0626,  @hibridoproducoes e www.avelola.net.br/

RETRÓPICA ATUALIZA O TROPICALISMO E A ANTROPOFAGIA NA DANÇA

Crédito da foto: Frank Pittoors

Espetáculo contemporâneo contemplado pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna contará com a colaboração do público curitibano para a sua concepção

Brasil e Antropofagia cultural. Uma pesquisa de dança contemporânea de iniciativa da artista paulistana Mari Paula discute e atualiza esses temas em um espetáculo solo cuja a concepção “final” contará com a colaboração do público curitibano. A obra, que foi contemplada pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna – edição 2015, chega ao público da capital paranaense com apresentações a preços populares durante o mês de setembro. O projeto, cuja produção está a cargo da Associação de Bailarinos e Apoiadores do Balé Teatro Guaíra – a ABABTG, ainda conta com oficinas e mostras de processo.

De acordo com a bailarina, performer e diretora Mari Paula, o Brasil não foi “descoberto” por um fidalgo navegador e sua caravela. “A colônia Brasil descendeu de um tratado ibérico que, em sua bula papal, estipulou que o leste de uma linha meridional seria ‘redescoberto’ por Portugal e o oeste dessa mesma linha ficaria para a Espanha”, defende. Segundo a pesquisadora, os corpos brasileiros se movem e agem sob essa influência histórica, o que repercute em uma produção artística nem sempre originalmente nacional.

Com base na antropofagia cultural, a pesquisa de Retrópica, aborda o hibridismo existente entre alguns elementos da cultura brasileira e da península ibérica e conta com a colaboração dos curitibanos para se aproximar de uma arte de identidade brasileira. Tal contribuição do público se dará por meio de duas mostras de processo e 10 oficinas culturais intituladas “O corpo brasileiro e a performatividade”, para o levantamento de reflexões e partilhas em torno do tema.

“Curitiba apresenta um determinado contexto sócio-identitário europeu, mas está localizada em uma realidade sócio-política latino-americana. Diante disso, se faz relevante ingressar em discussões sobre arte de identidade brasileira aqui e tornar essas partilhas parte do espetáculo. É por isso que a criação de Retrópica organiza-se em caráter híbrido, com a participação do público”, explica Mari Paula.

O resultado desse trabalho poderá ser conferido em três apresentações na Casa Hoffmann e seis na Casa Selvática de 1 a 17 de setembro, com ingressos a R$ 10,00 e uma sessão gratuita na Casa Hoffmann. O projeto conta com a colaboração de artistas como Ângela Donat, Airton Rodrigues, Fernando de Castro, Giorgia Conceição, Leonarda Glück, Ricardo Nolasco, Vítor Sabbag e Wagner Corrêa e com a produção da ABABTG – Associação de Bailarinos e Apoiadores do Balé Teatro Guaíra.

Crédito da foto: Ángela Donat

A Associação de Bailarinos e Apoiadores do Balé Teatro Guaíra apresenta Espetáculo Retrópica, de Mari Paula

Crédito da foto: Frank Pittoors

Na Casa Selvática
Datas e hora: De 1 a 3 de setembro e de 8 a 10 de setembro. Sempre às 20hs
Ingressos: R$ 10,00 (retirados no dia do evento, na bilheteria do espaço, uma hora antes do espetáculo)
Endereço: Rua Nunes Machado, 950 – Rebouças, Curitiba
Página do evento, aqui

Na Casa Hoffmann
Datas: Dias 15 e 16 de setembro, às 20h. Dia 17 de setembro, às 11h e às 20h.
Ingressos: R$ 10,00 (retirados no dia do evento, na bilheteria do espaço, uma hora antes do espetáculo)
Obs.: Haverá sessão gratuita no dia 17 de setembro, às 11h
Endereço: Rua Dr. Claudino dos Santos, 58 – São Francisco, Curitiba.

Projeto contemplado pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna – edição 2015
Classificação indicativa: 14 anos
Produção: ABABTG
Contato: (41) 3044-7439 / 99136-7884
Ficha técnica:
Concepção e performance: Mari Paula
Colaboração: Airton Rodrigues, Ángela Donat, Giorgia Conceição, Leonarda Glück e Ricardo Nolasco
Iluminação: Trio desenho de luz – Wagner Correa e Victor Sabbag
Operação de Luz: Semy Monastier
Sonoplastia: Fernando de Castro
Ilustração: Evandro Prado
Vídeo: Marcus Vinicius Bonato e Livea Castro Calvo
Foto: Frank Pittoors, Ángela Donat e Cayo Vieira
Assessoria de impressa: Smartcom – Inteligência em Comunicação
Designer gráfico e gerenciamento de redes sociais: RDO Brasil
Direção de produção: Jorge Schneider
Coordenação geral: Simone Bönisch
Agradecimentos: Gabriel Machado, Adrián Torices Sáez, Alma Sáenz, Demétrio Sanches, Gil Costa, Victor Hugo, Ana Machado, Centro Cultural Teatro Guaíra, Estúdio Aire Flamenco, Casa Hoffmann e Casa Selvática.

ABABTG
Fundada em 2007, a Associação de Bailarinos e Apoiadores do Balé Teatro Guaíra surgiu para fortalecer a dança e demais artes motivando uma ligação sinérgica entre os setores público e privado. Para tanto, tem desenvolvido projetos culturais que promovam ações de formação, atualização, divulgação e fomento da dança, em suas diversas linguagens. A formação de público e o apoio à gestão de carreira de seus associados bailarinos, ex-bailarinos e apoiadores do Balé Teatro Guaíra também estão entre os compromissos da ABABTG. Formalizada como uma agremiação artística e cultural de caráter civil e personalidade jurídica e recentemente qualificada como Organização Social, a Associação tem demonstrado uma atividade intensa desde a sua fundação. Entre os seus principais eventos está a Mostra Paranaense de Dança, realizada anualmente em diferentes cidades do Estado para incentivar e valorizar bailarinos e grupos amadores e promover apresentações profissionais a preços populares.

Saiba mais:
www.ababtg.org.br/mostra
www.facebook.com/ababtgoficial/

VEM AÍ MAIS UMA EDIÇÃO DA FEIRA DO LIVRO DA EDITORA UFPR E SEMANA LITERÁRIA SESC!

Vem aí mais uma edição da Feira do Livro da Editora UFPR e Semana Literária SESC! Em Curitiba. Entrada Gratuita!!!

O evento contará com a participação de diversas editoras do país, lançamentos, promoções, palestras, oficinas e muito mais!

O tema desse ano é Literatura e(m) movimento e, assim, pensar a literatura em toda sua plasticidade e capacidade de desdobramento é nosso principal objetivo.

Você não pode deixar de conferir  🙂

Editoras participantes: Editora 34, Editora da Unicamp, Editora e Livraria Expressão Popular, Editora Revan, Editora UEPG, Editoraufmg, Editora Unesp Editora Vozes, Edusp Exitus, Odysseus Editora, PUCPRess

Para mais informações acesse: www.sescpr.com.br/semanaliteraria e www.editora.ufpr.br/

#FeiradoLivro #SemanaLiterária #EditoraUFPR ABEU – Associação Brasileira das Editoras Universitárias

fonte

CONSTRUINDO A PARTICIPAÇÃO | PARTICIPANDO PARA CONSTRUIR

Em Curitiba. Entrada gratuita.

O “Construindo a Participação | Participando Para Construir” é um evento aberto, gratuito e que depende de sua presença para que possamos juntos entender os desafios da participação cidadã na política da cidade e nos mobilizarmos para construir soluções.

Acreditamos que cada voz é essencial e precisa ser ouvida na construção de uma cidade mais democrática. Por isso, gostaríamos de contar com a sua voz nesse evento.

QUANDO?
Dia 2 de Setembro (sábado)
Das 14h às 17h

ONDE?
Espaço Cultural da Casa do Estudante Universitário
Rua Luiz Leão, 01, Centro de Curitiba .
Referência: Passeio Público.

O QUE VAMOS FAZER JUNTOS?
Rede Social de Baixa Tecnologia
Apresentação Sociedade Global
Jogo Missão Impossível: como gostaríamos de participar?
Curitiba Café: quais são os desafios?
Comece, Pare, Continue: como solucionar os desafios?
Quem, O quê e Quando: como cada um pode se envolver?

Entrada gratuita

INTERESSOU? INSCREVA-SE NESTE LINK

local: Casa do Estudante Universitário do Paraná,
Rua Luiz Leão, Centro, Curitiba
data: 2 de setembro, sábado, das 14:00 às 17:00

Esse evento faz parte do projeto Mobilização para Participação Social, uma iniciativa do programa JPD da Sociedade Global, uma Organização da Sociedade Civil que tem como objetivo facilitar a colaboração e o diálogo para uma sociedade mais democrática e sustentável.

Confira a página do evento, aqui

EVENTO GRATUITO DISCUTE ATIVIDADES MAIS INDICADAS PARA OS IDOSOS

Programa é voltado a pessoas com mais de 60 anos. Crédito: Rafael Danielewicz

Programação faz parte do Viver Mais VITA – Melhor Idade, programa voltado a pessoas com mais de 60 anos

Neste sábado (26) o Hospital VITA promove mais uma edição do Viver Mais VITA – Melhor Idade, programa mensal que apresenta palestras gratuitas voltadas à saúde e bem-estar da população com mais de 60 anos. O encontro deste mês terá como tema “A atividade física na terceira idade” e vai contar com a presença da professora de Educação Física Kelly Brito Gonçalves. A palestra será realizada a partir das 8h30, no VITA localizado no Batel.

Durante a conversa, a educadora física explicará a diferença entre exercício e atividade física e enfatizará a importância da prática para a terceira idade. Segundo Kelly, o exercício é mais regrado e os idosos, geralmente preferem e se adaptam melhor a algo menos intenso. Além disso, é importante que escolham algo que lhes dê prazer, para que tenham vontade de participar. “Se a gente deixar muito regrado acaba se tornando monótono para eles”, explica.

Kelly conta que os idosos buscam a socialização e quanto mais pessoas estiverem participando da atividade, melhor para eles, pois se sentem incentivados a continuar. “Eles devem procurar fazer o que gostam, geralmente buscam algo que seja mais próximo do lazer. Sabemos que a idade traz algumas limitações, mas é possível direcioná-los a algo prazeroso. Alongamento, hidroginástica e caminhada são os mais indicados para quem já passou dos 60 anos”, ressalta.

A educadora física explica também que as atividades melhoram a velocidade de andar, o equilíbrio e a “autoeficácia”. Além disso, contribuem na manutenção e aumento da densidade óssea, ajudam no controle do diabetes, artrite e doenças cardiovasculares, melhoram a ingestão alimentar e ajudam a combater a depressão.

O Viver Mais VITA – Melhor Idade inicia com um café da manhã, seguido pela palestra e por atividades físicas e culturais, que têm como objetivo incentivar e melhorar os hábitos de vida dos idosos. O programa conta com o apoio do Lanac – Laboratório de Análises Clínicas, que oferece exames preventivos aos 30 primeiros inscritos. Para ingressar no evento, que tem vagas limitadas, é necessário fazer inscrição pelo telefone (41) 3883-8414​.

Terceira idade

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que, no Brasil, são quase 26,1 milhões de pessoas com mais de 60 anos, ou seja, 13% dos habitantes do país, mas a estimativa é que em 2060 salte para 56 milhões. No mundo, o número de idosos com idade acima dos 65 anos era de 506 milhões em 2008, segundo o Departamento do Censo dos EUA. A entidade prevê que a terceira idade represente 14% da população global até 2040.

SERVIÇO:
Programa Viver Mais VITA – Melhor Idade
Palestra “A Atividade física na terceira idade”, com Kelly Brito Gonçalves, professora de Educação Física
Data: sábado, 26 de agosto, a partir das 8h30
Local: Hospital VITA Batel – Rua Alferes Ângelo Sampaio, 1.896 – Batel – Curitiba – PR
Entrada Gratuita (vagas limitadas)
Informações e inscrições: (41) 3883-8414
www.hospitalvita.com.br

Sobre o Hospital VITA
A primeira unidade da Rede VITA no Paraná foi inaugurada em março de 1996, no Bairro Alto, e a segunda em dezembro de 2004, no Batel. O VITA foi o primeiro hospital brasileiro a conquistar, no início de 2008, a Acreditação Internacional Canadense CCHSA (Canadian Council on Health Services Accreditation). A certificação de serviços de saúde avalia a excelência em gestão e, principalmente, a assistência segura ao paciente. Além disso, o VITA é um dos hospitais multiplicadores do Programa Brasileiro de Segurança do Paciente (PBSP). Ele visa disseminar e criar melhorias inovadoras de qualidade e segurança do paciente. Integra também o grupo de hospitais da Associação Nacional de Hospitais Privados – ANAHP.O VITA oferece atendimento 24 horas e é referência nas áreas de cardiologia, cirurgia geral, neurologia, cirurgia bariátrica, medicina de urgência, urologia, terapia intensiva, traumato-ortopedia e pediatria. Além disso, dispõe de um completo serviço de medicina esportiva, prestando atendimento a atletas de diversas modalidades; serviço de oncologia; Centro Médico e Centro de Diagnósticos. Para garantir um alto nível de qualidade nos serviços prestados aos pacientes, o VITA tem investido em ampliação da infraestrutura, tratamentos com equipes multidisciplinares, modernização dos equipamentos, humanização no atendimento, qualificação dos profissionais e segurança assistencial.

6° FÓRUM DE DESENVOLVIMENTO DO TERCEIRO SETOR

Vem aí o 6° Fórum de Desenvolvimento do Terceiro Setor!

O Fórum será no dia 28 de setembro, das 8h30 às 13h na Pousada Betânia. O tema dessa edição será: “Monitoramento e avaliação de impacto social: como mensurar a transformação social”, com o palestrante Paulo Cruz Filho.

INSCRIÇÃO GRATUITA! As vagas são limitadas!

Contribua voluntariamente com leite em pó integral!

local: Pousada Betânia, Av. Monteiro Tourinho, 1335, Tingui, Curitiba – PR

Mais informações clique aqui: aqui

fonte

CHAPÉU MUSICAL – ALEXANDRA SCOTTI EM REDESCOBRINDO GAL

Em Curitiba. Entrada gratuita.

O Ap da 13 tem o prazer de lançar o evento CHAPÉU MUSICAL!!! Todo mês, artistas da música vão trazer seu som para compartilhar pelo Ap! 

Ingresso: Passaremos o chapéu e você diz o quanto vale! Para nossa estreia, a incrível Alexandra Scotti traz o show Redescobrindo Gal.

O show foi concebido a partir do seu 4º álbum “Redescobrindo Gal” no qual a artista reverencia o reportório de Gal Costa, prestigiando os vários ritmos musicais brasileiros com uma roupagem alinhada ao jazz.

Entre as novidades do show, Alexandra Scotti segue redescobrindo Gal com algumas faixas que não estão no disco como Vapor Barato ( Jards Macalé), Sua estupidez ( Roberto e Erasmo Carlos ) e uma pequena homenagem ao compositor Luiz Melodia, que faleceu há poucos dias, com as canções Pérola Negra e Juventude Transviada, grandes sucessos na voz de Gal.

Local: Ap da 13, Rua Treze de Maio, 1001, ap 01, centro de Curitiba
Data: Sábado, dia 19 às 21h (sujeito a lotação) 

Compartilhe o evento, chamem os amigos pois será imperdível!

Página do evento, aqui

SECRETARIA DA CULTURA ABRE EXPOSIÇÃO COM GRANDES NOMES DA LITERATURA PARANAENSE

Montagem da exposição Palavras do Paraná / Crédito: Kraw Penas.

Para apresentar um pouco do vasto e rico universo da literatura paranaense, a Secretaria de Estado da Cultura (SEEC) e a Biblioteca Pública do Paraná (BPP) organizaram a exposição “Palavras do Paraná”, que reúne alguns dos principais autores do Estado. A mostra integra o Mês da Literatura e fica em exposição no hall da SEEC de 15 de agosto a 6 de setembro. A entrada é gratuita.

O secretário de Estado da Cultura, João Luiz Fiani, acredita que uma das formas de conhecer o Paraná é por meio da literatura. “A exposição Palavras do Paraná homenageia e destaca a importância da literatura na construção da cultura paranaense. Também valoriza aqueles que, com sua genialidade e sensibilidade, ajudaram a construir nossa identidade cultural, fazendo do Paraná uma referência na área”.

Esta mostra apresenta 11 nomes da literatura paranaense, da primeira autora, a poeta Júlia da Costa (1844-1911), ao contista Dalton Trevisan, hoje com 92 anos, premiado no Brasil e no exterior por renovar o conto em língua portuguesa. A obra de Trevisan é encenada, adaptada para o audiovisual, traduzida e continuamente estudada.

Os autores paranaenses são conhecidos e respeitados em âmbito nacional desde o início do século 20, quando Emiliano Perneta (1866-1921) se destacou como uma das vozes do movimento simbolista. Entre os pioneiros estão também Emílio de Meneses (1866-1918) e Newton Sampaio (1913-1938), dois paranaenses que viveram no Rio de Janeiro, onde atuaram na imprensa. O poeta Meneses foi eleito para a cadeira 20 da Academia Brasileira de Letras, enquanto o contista Sampaio conquistou um prêmio da ABL.

Helena Kolody (1912-2004) e Paulo Leminski (1944-1989), dois nomes que marcam a poesia no Paraná, também são presenças necessárias nesta retrospectiva. Ambos escreveram livros que foram e ainda são porta de entrada para o universo da leitura. Recentemente, a obra poética de Leminski foi reeditada e ultrapassou a marca de 100 mil exemplares vendidos, um recorde nacional — o que sinaliza o poder de comunicação do legado leminskiano, que se desdobra em canções e artes visuais, teatro e cinema.

O chamado “Quarteto Experimental” da literatura paranaense também merece destaque. Jamil Snege (1939-2003), Manoel Carlos Karam (1947-2007), Valêncio Xavier (1933-2008) e Wilson Bueno (1949-2010) borraram as fronteiras entre os gêneros, aproximando literatura do cinema, jornalismo, histórias em quadrinhos, televisão e teatro. São admirados por leitores, escritores e estudiosos no Paraná e em outros estados, e as suas obras estão adaptadas para outras linguagens.

O legado desses 11 autores dialoga com a formação do Paraná, onde a convivência entre vários povos se revelou possível, resultando em um ambiente multicultural. Aqui, o outro é — mais que bem-vindo — necessário. Essa produção que influencia os contemporâneos se apresenta como referência fundamental.

Mês da Literatura do Paraná
Entre 24 de agosto e 29 de setembro de 2017, a SEEC e a BPP promovem o Mês da Literatura do Paraná. Com o objetivo de fomentar e estimular a leitura e a literatura no Estado, a programação deste ano inclui show com músicas de Paulo Leminski, exposição sobre autores paranaenses, bate-papo com escritores, fórum sobre leitura e literatura, feiras de livros, e muito mais. A programação completa estará disponível no site www.cultura.pr.gov.br

Serviço:
Exposição Palavras do Paraná
De 15 de agosto a 6 de setembro de 2017
Hall da Secretaria de Estado da Cultura do Paraná
Entrada gratuita
Secretaria de Estado da Cultura
Rua Ébano Pereira, 240 – Centro. Curitiba-PR
Visitação de segunda a sexta-feira das 8h30 às 12h e das 13h30 às 18h
41 3321-4700 | 41 3321-4708
www.cultura.pr.gov.br