CICLO DE OFICINAS DO GRUPO DE MPB DA UFPR

Dentro da pesquisa e processo para a realização do espetáculo “É Preciso Estar Atento e Forte – 50 Anos de Tropicália”, os integrantes do Grupo de MPB da UFPR encontraram temas e atividades que poderiam ser aprofundados e compartilhados com a comunidade acadêmica e em geral. Esta é a primeira ação do Grupo para temporada 2017, que realizará uma série de atividades que ocorrerão até novembro, em comemoração ao espetáculo e ao movimento tropicalista.

INSCRIÇÕES
As inscrições nas respectivas oficinas serão feitas somente pelo email do grupo: gmpb.ufpr@gmail.com

As vagas são limitadas, portanto pedimos a gentileza de que tenha certeza de sua participação no ato da inscrição!

PROGRAMAÇÃO

<< OFICINA 1 – COMPOSIÇÕES TROPICALISTAS >>

Esta oficina tem como objetivo traçar paralelos históricos, literários e musicais entre a Tropicália e movimentos contemporâneos a ela, bem como sua repercussão na atualidade. Serão feitas análises das letras e arranjos do movimento a partir de contextualizações poéticas, estilísticas, históricas e musicais.

Ministrante: Bárbara Neves (Licenciada em Letras pela Universidade Federal do Paraná, ex-aluna do Conservatório de MPB de canto e violão popular, leciona português e inglês e é integrante do Grupo de MPB da UFPR).

Datas: 22 e 29/09, 06 e 13/10 (sextas)
Horário: das 19h às 21h
Local: Sala do Grupo de MPB (Prédio Histórico da UFPR – Praça Santos Andrade)
Número de Vagas: 20 vagas
Material do aluno: Material para anotações; Água para consumo próprio.
Pré-requisitos: Idade mínima 15 anos

<< OFICINA 2 – RITMOS BRASILEIROS >>

A oficina visa aprimorar o reconhecimento do pulso interno através da percepção corporal e da prática instrumental, fazendo um estudo das células rítmicas básicas que estruturam algumas manifestações musicais do Brasil. Serão quatro encontros no mês de Outubro, onde será trabalhado os ciclos rítmicos do samba e baião e as práticas tradicionais do samba de coco e jongo.

Ministrante: Alisson Santos (Compositor, guitarrista e percussionista. Licenciado em música pela UFPR, tenor e arranjador do Grupo de MPB da UFPR. Desenvolve pesquisa em etnomusicologia na área da música de terreiro pelo GRUPETNO do campus DeArtes da UFPR).

Datas: 11, 18 e 25/10,01/11 (quartas)
Horário: das 19h às 21h
Local: Sala do Grupo de MPB (Prédio Histórico da UFPR – Praça Santos Andrade)
Número de Vagas: 10 vagas
Material do aluno: Roupas confortáveis; Água para consumo próprio.
Pré-requisitos: Idade mínima 15 anos

<< OFICINA 3 – INFINITO CRIATIVO – DESPERTANDO POSSIBILIDADES CRIATIVAS ATRAVÉS DA YOGA >>

Muitas vezes artistas, atores e outros profissionais têm dificuldade em encontrar novas soluções e “pensar fora da caixa”.
Através da prática de yoga essa vivência vai proporcionar situações que buscam despertar a consciência dos participantes para o potencial criativo de cada um.

Ministrante: Guilherme Araújo (Mestre em música pela UFPR, pós-graduado em programação neurolinguística pelo Isal, bacharel em comunicação social pela UFPR, estudou violão e viola caipira no conservatório de MPB de Curitiba. Professor de Kundalini Yoga com certificação do Kundalini Research Institute)

Datas: 20 e 27/10, 03 e 10/11 (sextas)
Horário: das 19h às 21h
Local: Sala do Grupo de MPB (Prédio Histórico da UFPR – Praça Santos Andrade)
Número de Vagas: 15 vagas
Material do aluno: Roupas confortáveis; Água para consumo próprio.
Pré-requisitos: Idade mínima 15 anos

<< OFICINA 4 – MUSICALIZAÇÃO DE POEMAS >>

Na oficina serão trabalhados textos da literatura brasileira com ênfase nas obras de autores paranaenses como Paulo Leminski, Alice Ruiz, Wilson Bueno, Marcos Prado, Batista de Pilar, entre outros de relevância no meio. As práticas de musicalização de poemas, tem como objetivo trabalhar a sensibilidade do cantor integrante para a poesia da palavra em récita através da interpretação oral cênica e cancioneira de trechos de obras literárias de autores brasileiros. É intenção também a variação dos estilos musicais nas composições, abrangendo gostos pessoais dos participantes bem como os propostos.

Ministrante: Caroline Casagrande (Atriz, contadora de histórias, compositora da Cia Girolê, cantora integrante da Orquestra Latino Americana da Unespar e professora de canto, é graduada em comunicação e letras e ministra oficinas de musicalização de poemas desde 2011).

Datas: 22, 24 e 29/11,01/12 (quartas e sextas)
Horário: das 19h às 21h
Local: Sala do Grupo de MPB (Prédio Histórico da UFPR – Praça Santos Andrade, centro de Curitiba)
Número de Vagas: 15 vagas
Material do aluno: Roupas confortáveis; Material para anotações; Água para consumo próprio.
Pré-requisitos: Idade mínima 15 anos

fonte

Página do evento, aqui

HOJE (DOMINGO) TEM VENDAS DE GARAGEM

HOJE, domingo dia 17/09, a Loja das Pulgas participa do Terceiro Vendas de Garagem (no Armazém Garagem Bar). Entrada gratuita!!!

Antiguidades, decoração, discos, videogames, bicicletas (Antiguiz Bicicletas), brechó de roupas e acessórios (Pandeluc Brechó) peças de carro e muito mais!!! Música ao vivo, comida deliciosas, chope gelado e muita gente bacana!!! Venha curtir neste domingo no Armazém Garagem!!!

“O Armazém Garagem convida a todos neste domingo a separar aquela peça ou antiguidade que está esquecida em algum canto, e trazer para tentar vender na nossa 3ª Venda de Garagem. Vem se divertir com a gente.”

Serviço:
Terceiro Vendas de Garagem
Local: O Armazém Garagem Bar fica na Br 277, número 2630 – Pista Lateral (sentido Ponta Grossa), no bairro mossunguê, em Curitiba – na entrada do conjunto Saturno, em frente a Copel.

Data: Domingo, (17/09), das 15:00 às 21:00
Entrada gratuita (pra comprar e pra vender!)
Confira a página do evento, aqui

UM PASSARINHO ME CONTOU…

Foto: Lucas Rachinski

Visando o incentivo à leitura projeto leva para alunos e professores da rede pública de ensino de Curitiba sessões gratuitas de contação de histórias, rodas de leitura e oficinas.

“Os cientistas dizem que somos feitos de átomos, mas um passarinho me contou que somos feitos de histórias.”  (*Eduardo Galeano)

Sabe aquele ambiente simples, aconchegante que as antigas vovós criavam ao contar histórias para os netos? Pequenos sentados em roda no tapete, em torno da cadeira de balanço, encantados pela magia das palavras. É este o clima que a TRAVESSIA – ARTE E EDUCAÇÃO está levando para as Escolas da Rede Municipal de Ensino de Curitiba, Casas da Leitura e Instituições de Assistência Social com o projeto: UM PASSARINHO ME CONTOU.

O projeto que já passou pelas escolas municipais: João Cruciani, no Campo Comprido; Julio Moreira, no São Brás; e Mirazinha Braga, no Bom Retiro teve início em abril e segue até novembro. Até lá os contadores de histórias Michelle Peixoto e Vinícius Mazzon vão realizar 70 sessões de contação de histórias, 50 rodas de leitura para alunos do ensino fundamental e educação infantil, totalizando 120 apresentações GRATUITAS, além de oficinas também gratuitas para educadores e bibliotecários.

A próxima oficina, marcada para o dia 15 de setembro, “Contação de Histórias e Formação de Agentes de Leitura” será voltada para um grupo de agentes de leitura ligados aos Faróis do Saber de Curitiba.

Trata-se de um amplo e efetivo programa de incentivo à leitura e difusão literária. No repertório: contos da tradição oral brasileira, contos contemporâneos de literatura infanto-juvenil, temperados com canções, parlendas, quadrinhas e adivinhas.

Os textos escolhidos para este projeto são de autores consagrados e reúne o que há de melhor. “Nossa rica oralidade popular é uma porta de entrada privilegiada para a literatura escrita. Vários autores brasileiros, entre eles, Câmara Cascudo, Silvio Romero, Henriqueta Lisboa, Ana Maria Machado e Ricardo Azevedo, foram bem sucedidos ao lançar coletâneas de recontos populares. No Brasil, estas publicações edificaram a ponte entre a literatura oral e os livros, e é por esta ponte que desejamos transitar e servir de guia para os alunos e educadores beneficiados pelo projeto. Nosso foco é a relação entre oralidade, literatura, incentivo à leitura e cidadania”, explica Mazzon.

Ao final de cada sessão, os atores apresentam os livros que trazem as histórias narradas e outras sugestões de leitura. “De acordo com Câmara Cascudo, essas narrativas têm a dupla função de entreter e levar a uma discussão sobre a alma nacional. Através da apropriação dos contos tradicionais brasileiros se fortalece a identidade cultural e se ajuda a compor a memória da nação, e a memória é que nos permite desenvolver consciência e autoestima, bases fundamentais da cidadania”, acrescenta Mazzon.

Durante as rodas de leitura, os participantes terão em mãos uma cópia dos textos para poder acompanhar a leitura em voz alta realizada pelo mediador, além de ter a oportunidade de poder contribuir com sua leitura particular e experiência pessoal. A ideia, através das rodas, é criar um espaço para ouvir o outro e possibilitar o aprendizado de ler socialmente, criticamente e afetivamente.

“Um passarinho me contou pretende reatar o fio de histórias que vem tecendo a humanidade desde o começo dos tempos, costurando com ele asas compatíveis para as crianças de hoje alçarem voo seguro pelo universo literário. Esperamos que essas histórias ajudem a formar seres humanos que sejam mais do que um aglomerado de átomos, como diz Galeano*, mas que consigam dar rumo significativo ao seu futuro e ampliar os horizontes de seu presente”, conta Peixoto.

“Acreditamos que as experiências culturais que oferecemos a partir deste projeto servirão de alimento valioso também para os educadores, nossa intenção ao oferecer os cursos é contribuir com sua atuação profissional. Tais ações buscam tornar a escola pública um local de beleza, onde vigore uma educação sensível”, conclui.

Vinícius Mazzon e Michelle Peixoto vêm desenvolvendo projetos semelhantes a este em Curitiba e outros municípios do Paraná há sete anos, já tendo beneficiado mais de 30 mil crianças e adultos através da contação de histórias tradicionais, rodas de leitura, espetáculos teatrais e oficinas de capacitação para professores. Além da Travessia – Arte e Educação, Mazzon é integrante também da Associação Malasartes e do Trio Dedo de Prosa, com os quais já circulou com apresentações de teatro e narração de histórias por diversas regiões do país.

O atual projeto foi viabilizado por meio da LEI MUNICIPAL DE INCENTIVO À CULTURA e FUNDAÇÃO CULTURAL DE CURITIBA e conta com o incentivo da COPEL e da BWT OPERADORA DE TURISMO.

Serviço:
Oficina:”Contação de Histórias e Formação de Agentes de Leitura”
Dia 15/09 (sexta), das 8h às 11h30 e das 13h às 16h30.
Local: Auditório do Setor de Orgânicos do Mercado Municipal
Endereço: Rua da Paz, 608 – Telefone(41) 3088-1403
Contato: Cris Coraiola – Gerência de Faróis do Saber e Bibliotecas.

COLÉGIO MEDIANEIRA LANÇA EDITAL DE FOMENTO À PRODUÇÃO MUSICAL INDEPENDENTE

As inscrições para participar do processo seletivo são gratuitas vão até o dia 20 de outubro.

Por Jonatan Silva

Desde 2012 o Colégio Medianeira incentiva a produção musical por meio do edital Nossa Música. Como parte de sua proposta educativa de formação integral, o Medianeira acredita que as expressões artísticas são um importante meio para tornar homens e mulheres sujeitos melhores e capazes de ver o mundo de maneira mais justa e humana. As inscrições para a 4ª edição do edital Nossa Música acontecem de 4 de setembro a 20 de outubro de 2017 no site do Medianeira.

O primeiro CD da cantora Juliana Cortes, Invento, foi viabilizado por meio de apoio do Colégio. A artista, que lançou álbum Gris, vê o apoio do Medianeira como peça fundamental para a sua carreira. “Sem o patrocínio do Colégio Medianeira nós não teríamos conseguido distribuir o álbum nacionalmente com o cuidado que desejávamos e nem teríamos conseguido o impulso necessário para gravar meu segundo álbum. ”

O grupo Sincopé, vencedor da última edição do edital, pode financiar os vídeos de promoção do disco Caça-palavras, lançado no ano passado. Natália Bermúdez, vocalista do grupo, releva que a banda sempre sonhou em produzir clipes, o que só foi possível realizar com o auxílio do Medianeira. “O Nossa Música surgiu num momento importantíssimo para o grupo, pois acabamos de lançar nosso primeiro CD e buscamos divulgar o som das mais diversas formas”, explica.

Muitos sons
O Nossa Música percorre os diferentes timbres e as diversas sonoridades. O jazz de Juliana Cortes e a musicalidade irreverente e urbana do Sincopé têm o mesmo espaço e importância. Um reflexo da pluralidade do edital está nos outros vencedores: Fred Teixeira (2014) e Braseiro (2015).

Para Martinha Vieira, supervisora do Centro de Artes, o que une os artistas vencedores do Medianeira Nossa Música é a qualidade do trabalho produzido. “São trabalhos que fogem do entretenimento, que têm um quê inquietante. São propostas desestabilizadoras de certezas e do que está cristalizado”, explica a educadora.

Cultura
As artes são parte fundamental do currículo do Medianeira. Além das atividades de contraturno do Centro de Artes – como as oficinas de Violino, Violão, de Cinema e Fotografia, Teatro e Dança – o Colégio incentiva e fomenta entre seus estudantes as iniciativas de cunho cultural e educativa, como a leitura, a produção audiovisual e palestras sobre temas como a migração e a tolerância.

A relação entre a comunidade e o Medianeira fortalece o projeto do edital Medianeira Nossa Música. “Nós percebemos que essa é uma maneira de criar um laço entre o Colégio e a cultura local”, aponta Martinha. Na visão da educadora, ao colocar o artista da cidade como protagonista, o Medianeira demonstra também a sua preocupação com os elementos culturais que formam a sociedade em que estamos inseridos.

60 anos
Como parte das comemorações dos 60 anos do Colégio, acontece no dia 23 de novembro o show Medianeira Nossa Música, que terá a participação do Grupo Fato, de Fred Teixeira, de Juliana Cortes, do Brasileiro e do Sincopé – artistas contemplados pelo apoio do Medaienria – com arranjos inéditos criados e executados pela Orquestra à Base de Cordas de Curitiba. Durante o show, será divulgado o vencedor do edital deste ano.

Serviço:
Edital Nossa Música Medianeira
Inscrição: de 4 de setembro a 20 de outubro de 2017.
Como realizar a inscrição: acesse neste link a página do edital Nossa Música e preencha o formulário. Inscrição gratuita.

O OLHAR DE NEUZA

A Tecer Teatro leva ao interior do Paraná o premiadíssimo monólogo, que discute o envelhecimento feminino.

A peça O Olhar de Neuza, vencedora do prêmio paranaense “Troféu Gralha Azul” (2013) nas categorias de melhor espetáculo, melhor atriz, direção e texto, será encenada em cinco cidades paranaenses: Lapa, Castro, Paranavaí, Pato Branco e Francisco Beltrão.

A turnê teve início em agosto, na Lapa e chega agora em Castro. As apresentações serão nos dias 01/09 (apresentações fechadas às 9h30 e às 16h) e 02/09 (apresentação aberta às 20h), no Teatro Bento Mossorunga. Endereço: Praça Manoel Ribas, 43 – Centro. ENTRADA GRATUITA.

A iniciativa é da Tecer Teatro, de Curitiba e foi viabilizada com incentivo da Copel e da Havan por meio do PROFICE (Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura), da Secretaria Estadual de Cultura do Paraná.

Inspirada no livro A Mulher Que Cai, do escritor curitibano Guido Viaro (neto do pintor), a peça narra a história de uma mulher de meia-idade que atravessa, em crise, a fase da menopausa. A professora aposentada vivida pela atriz Fabiana Ferreira ao refletir sobre sua existência e suas angústias expõe os conflitos psicológicos, sociais e físicos do universo da mulher madura.

“A peça não aborda apenas a menopausa. Menopausa é mero detalhe para uma mulher que chega a maturidade e coloca em questão sua própria vida e suas dores. O questionamento principal de Neuza está muito além dos calorões sentidos pelo seu corpo, está em viver e questionar”, explica Fabiana.

O espetáculo trata de apenas um dia na vida de Neuza, que poderia ser igual a tantos outros, não fosse sua disposição de torná-lo uma nova etapa.

“A juventude é a moeda de troca da mulher. Na menopausa, a mulher perde o valor social e o valor humano. É o momento em que precisa vestir a fantasia de ‘titia’ ou ‘vovó’, um papel assexuado e se contentar com as sobras sociais”, comenta Viaro.

O Olhar de Neuza expõe uma ferida social: que sentido a mulher tem para a sociedade depois do ápice da maturidade?

Desde a sua estreia em 2013, O Olhar de Neuza, realizou mais de 50 apresentações em Curitiba e em outras cidades brasileiras.

“O tema é profundo, existencialista, mas a comunicação com o público é fácil. Trata-se de um espetáculo de gênero, mas o tema, na verdade, é universal uma vez que expõe os conflitos de quem chega à meia idade e fatalmente revê sua vida, provocando no espectador, ora uma identificação, um espelhamento, ora a reflexão da importância das escolhas que fazemos durante nossa trajetória”, comenta a atriz.

Após cada apresentação, haverá um bate papo sobre o trabalho e o conteúdo abordado na peça. O projeto prevê também a realização de encontros com grupos teatrais de cada cidade para troca de experiências entre os profissionais da área e ainda oficinas voltadas para atores profissionais e amadores.

Todas as ações do projeto serão gratuitas.

TECER TEATRO

O teatro manifestado por forte fisicalidade tem sido característica do trabalho da Tecer Teatro que iniciou suas atividades em 2004 com o objetivo de fomentar, focar, aprofundar e ampliar a investigação cênica do teatro e da dança, bem como da linguagem audiovisual. Tais áreas culturais fazem parte dos vinte e sete anos de carreira de sua fundadora, Fabiana Ferreira, também sócia fundadora da Cia do Abração, empresa parceira por dez anos. A Tecer tem como foco proporcionar um espaço de aprofundamento de dramaturgias para realizar produções artísticas de experiências inovadoras, com temas que versem pelos interesses contemporâneos, de forma a contribuir para o enriquecimento cultural da comunidade da qual faz parte. Os trabalhos desenvolvidos buscam compartilhar a fusão de linguagens, agregando artistas de diferentes áreas.

Ficha Técnica da peça O Olhar de Neuza: Direção: Cristine Conde e Fabiana Ferreira; Texto: Criação Colaborativa; Elenco: Fabiana Ferreira; Coreografia: Wal Mayans; Iluminação: Anry Aider; Cenografia: Criação Colaborativa; Figurinos: Cristine Conde; Composição Musical: Tiago Constante; Cantora: Mariá Sallum, Cenotécnico e Operador de Luz: Frank Sousa; Operador Som: Paulo de Tarso ou Tiago Constante.

Acompanhe: http://oolhardeneuza.blogspot.com.br/
Visite: https://www.tecerteatro.com/
Link vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=xJu0GCg7sD8
Realização: Tecer Teatro – Arte, Educação e Cultura.

SERVIÇO/CRONOGRAMA APRESENTAÇÕES:

CASTRO-PR
APRESENTAÇÕES SEGUIDAS DE BATE-PAPO
· dia 01/09 (sexta), às 9h30 e às 16h (*apresentações fechadas, agendamento prévio)
· dia 02/09 (sábado), às 20h (*apresentação aberta)
Local: Teatro Bento Mossurunga – Praça Manoel Ribas, 43 – Centro. Telefone: (42) 2122 5533
OFICINA “Ser Ator- A Prática Criativa” – dia 31/08 das 19h às 22h, dia 01/09 das 19h às 22h e dia 02/09 das 9h às 12h.
ENCONTRO com os fazedores de teatro locais – dia 02/09, às 14h.
Local: Teatro Bento Mossurunga – Praça Manoel Ribas, 43 – Centro

PARANAVAÍ -PR
APRESENTAÇÕES SEGUIDAS DE BATE-PAPO
· dia 19/09 (terça), às 8h e às 10h (*apresentações fechadas, agendamento prévio)
· dia 20/09 (quarta), às 20h (*apresentação aberta)
Local: Teatro Municipal Dr. Altino Afonso Costa – Praça Rodrigo Ayres de Oliveira – Centro
Telefone: (44) 3902 1128
OFICINA “Ser Ator- A Prática Criativa” – dia 18 e 19 das 19h às 22h e dia 20 das 9h às 12h.
ENCONTRO com os fazedores de teatro locais – dia 20, às 14h.
Local: Teatro Municipal Dr. Altino Afonso Costa – Praça Rodrigo Ayres de Oliveira – Centro

PATO BRANCO – PR
APRESENTAÇÕES SEGUIDAS DE DEBATES –
· dia 29/09 (sexta), às 10h e às 15h (*apresentações fechadas, agendamento prévio)
· dia 30/09 (sábado), às 19h (*apresentação aberta)
Local: Centro Cultural Sesi Pato Branco – Rua Xingu, 833 – Amadori
Informações – SESI Pato Branco: (46) 3220 5524
OFICINA “Ser Ator- A Prática Criativa” – dia 28 e 29 das 19h às 22h e dia 30 das 9h às 12h.
ENCONTRO com os fazedores de teatro locais – dia 30, às 14h.
Local: Teatro Municipal Naura Rigon – Rua Jaciretã, 976 – Bairro Parzianello.

FRANCISCO BELTRÃO -PR
APRESENTAÇÕES SEGUIDAS DE BATE-PAPO
· dia 01/10 (domingo), às 20h (*apresentação aberta)
· dia 02/10 (segunda) – às 10h e às 15h (*apresentações fechadas, agendamento prévio)
Local: TEATRO MUNICIPAL EUNICE SARTORI – Rua Octaviano Teixeira dos Santos, 1.121.
OFICINA “Ser Ator- A Prática Criativa” – dia 02 das 19h às 22h e dia 03 das 9h às 12h e das 13h às 16h.
ENCONTRO com os fazedores de teatro locais – dia 03, às 19h.
Local: TEATRO MUNICIPAL EUNICE SARTORI – Rua Octaviano Teixeira dos Santos, 1.121.
Informações: (46) 3524 4441

CONTATOS:
Assessoria de Imprensa:  Glaucia Domingos (41) 99909 7837  /
glauciadomingos@hotmail.com

Produção Executiva: Fabiana Ferreira (41) 3434 2992 / 99243 0322 /
tecerteatro@gmail.com

Produção Local nas cidades: Lapa, Francisco Beltrão, Pato Branco e Paranavaí
Paolla Cristina (Lola) Flessak
(46) 99111 9041  / lolafleessak@gmail.com

Produção Local na cidade de Castro
Ana Madureira (41) 99701 8006  / madureira.ana@gmail.com

“PROJETO REALIZADO COM O APOIO DO PROGRAMA ESTADUAL DE FOMENTO E INCENTIVO À CULTURA/PROFICE – SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA – GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ”.

FCC SELECIONA PARECERISTAS PARA A ÁREA DO AUDIOVISUAL

A Fundação Cultural de Curitiba realiza chamamento público para seleção de cinco pareceristas que farão a análise técnica de projetos do Edital Produção Audiovisual FCC/FSA. As inscrições devem ser feitas até às 12h do dia 19 de setembro de 2017, exclusivamente pelo Sisprofice. Mais informações estão no site da Fundação Cultural de Curitiba/Lei de Incentivo.

De acordo com a diretora de Incentivo à Cultura da Fundação Cultural de Curitiba, Loismary Pache, a contratação de especialistas para análise dos projetos inscritos em editais do Fundo Municipal da Cultura é um novo procedimento, adotado por decisão da própria Comissão do Fundo Municipal, a fim de tornar ainda mais democrático e transparente o processo de seleção.

Dois editais de pareceristas estão com inscrições abertas. Além do chamamento para a área do audiovisual, estão abertas as inscrições até 11 de setembro para especialistas da área de música, que serão contratados para análise de projetos do edital Paiol Musical.

Serviço:
Edital de Chamamento Público para Pareceristas para o Edital Produção Audiovisual FCC/FSA
Inscrições até às 12h do dia 19 de setembro de 2017
As informações estão disponíveis no site da Fundação Cultural de Curitiba, aqui

fonte: FCC

RETRÓPICA ATUALIZA O TROPICALISMO E A ANTROPOFAGIA NA DANÇA

Crédito da foto: Frank Pittoors

Espetáculo contemporâneo contemplado pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna contará com a colaboração do público curitibano para a sua concepção

Brasil e Antropofagia cultural. Uma pesquisa de dança contemporânea de iniciativa da artista paulistana Mari Paula discute e atualiza esses temas em um espetáculo solo cuja a concepção “final” contará com a colaboração do público curitibano. A obra, que foi contemplada pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna – edição 2015, chega ao público da capital paranaense com apresentações a preços populares durante o mês de setembro. O projeto, cuja produção está a cargo da Associação de Bailarinos e Apoiadores do Balé Teatro Guaíra – a ABABTG, ainda conta com oficinas e mostras de processo.

De acordo com a bailarina, performer e diretora Mari Paula, o Brasil não foi “descoberto” por um fidalgo navegador e sua caravela. “A colônia Brasil descendeu de um tratado ibérico que, em sua bula papal, estipulou que o leste de uma linha meridional seria ‘redescoberto’ por Portugal e o oeste dessa mesma linha ficaria para a Espanha”, defende. Segundo a pesquisadora, os corpos brasileiros se movem e agem sob essa influência histórica, o que repercute em uma produção artística nem sempre originalmente nacional.

Com base na antropofagia cultural, a pesquisa de Retrópica, aborda o hibridismo existente entre alguns elementos da cultura brasileira e da península ibérica e conta com a colaboração dos curitibanos para se aproximar de uma arte de identidade brasileira. Tal contribuição do público se dará por meio de duas mostras de processo e 10 oficinas culturais intituladas “O corpo brasileiro e a performatividade”, para o levantamento de reflexões e partilhas em torno do tema.

“Curitiba apresenta um determinado contexto sócio-identitário europeu, mas está localizada em uma realidade sócio-política latino-americana. Diante disso, se faz relevante ingressar em discussões sobre arte de identidade brasileira aqui e tornar essas partilhas parte do espetáculo. É por isso que a criação de Retrópica organiza-se em caráter híbrido, com a participação do público”, explica Mari Paula.

O resultado desse trabalho poderá ser conferido em três apresentações na Casa Hoffmann e seis na Casa Selvática de 1 a 17 de setembro, com ingressos a R$ 10,00 e uma sessão gratuita na Casa Hoffmann. O projeto conta com a colaboração de artistas como Ângela Donat, Airton Rodrigues, Fernando de Castro, Giorgia Conceição, Leonarda Glück, Ricardo Nolasco, Vítor Sabbag e Wagner Corrêa e com a produção da ABABTG – Associação de Bailarinos e Apoiadores do Balé Teatro Guaíra.

Crédito da foto: Ángela Donat

A Associação de Bailarinos e Apoiadores do Balé Teatro Guaíra apresenta Espetáculo Retrópica, de Mari Paula

Crédito da foto: Frank Pittoors

Na Casa Selvática
Datas e hora: De 1 a 3 de setembro e de 8 a 10 de setembro. Sempre às 20hs
Ingressos: R$ 10,00 (retirados no dia do evento, na bilheteria do espaço, uma hora antes do espetáculo)
Endereço: Rua Nunes Machado, 950 – Rebouças, Curitiba
Página do evento, aqui

Na Casa Hoffmann
Datas: Dias 15 e 16 de setembro, às 20h. Dia 17 de setembro, às 11h e às 20h.
Ingressos: R$ 10,00 (retirados no dia do evento, na bilheteria do espaço, uma hora antes do espetáculo)
Obs.: Haverá sessão gratuita no dia 17 de setembro, às 11h
Endereço: Rua Dr. Claudino dos Santos, 58 – São Francisco, Curitiba.

Projeto contemplado pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna – edição 2015
Classificação indicativa: 14 anos
Produção: ABABTG
Contato: (41) 3044-7439 / 99136-7884
Ficha técnica:
Concepção e performance: Mari Paula
Colaboração: Airton Rodrigues, Ángela Donat, Giorgia Conceição, Leonarda Glück e Ricardo Nolasco
Iluminação: Trio desenho de luz – Wagner Correa e Victor Sabbag
Operação de Luz: Semy Monastier
Sonoplastia: Fernando de Castro
Ilustração: Evandro Prado
Vídeo: Marcus Vinicius Bonato e Livea Castro Calvo
Foto: Frank Pittoors, Ángela Donat e Cayo Vieira
Assessoria de impressa: Smartcom – Inteligência em Comunicação
Designer gráfico e gerenciamento de redes sociais: RDO Brasil
Direção de produção: Jorge Schneider
Coordenação geral: Simone Bönisch
Agradecimentos: Gabriel Machado, Adrián Torices Sáez, Alma Sáenz, Demétrio Sanches, Gil Costa, Victor Hugo, Ana Machado, Centro Cultural Teatro Guaíra, Estúdio Aire Flamenco, Casa Hoffmann e Casa Selvática.

ABABTG
Fundada em 2007, a Associação de Bailarinos e Apoiadores do Balé Teatro Guaíra surgiu para fortalecer a dança e demais artes motivando uma ligação sinérgica entre os setores público e privado. Para tanto, tem desenvolvido projetos culturais que promovam ações de formação, atualização, divulgação e fomento da dança, em suas diversas linguagens. A formação de público e o apoio à gestão de carreira de seus associados bailarinos, ex-bailarinos e apoiadores do Balé Teatro Guaíra também estão entre os compromissos da ABABTG. Formalizada como uma agremiação artística e cultural de caráter civil e personalidade jurídica e recentemente qualificada como Organização Social, a Associação tem demonstrado uma atividade intensa desde a sua fundação. Entre os seus principais eventos está a Mostra Paranaense de Dança, realizada anualmente em diferentes cidades do Estado para incentivar e valorizar bailarinos e grupos amadores e promover apresentações profissionais a preços populares.

Saiba mais:
www.ababtg.org.br/mostra
www.facebook.com/ababtgoficial/

BIBLIOTECA DA CAXIMBA


Ajude construir uma estrutura para a Biblioteca da Caximba, em Curitiba.

Você pode apoiar o projeto (com qualquer valor a partir de R$ 5,00) através deste link

FESTIVAL INTERNACIONAL RUÍDO ENCENA ANUNCIA DATAS EM CURITIBA

linn da quebrada

Nesta edição, a representatividade do corpo como resistência vai além dos palcos do teatro 

O Selo Ruído CWB, realizador de eventos como Festival Ruído nas Ruínas e Ruído Sessions, apresenta a primeira edição do Festival Internacional Ruído EnCena. 

O Festival Internacional Ruído EnCena irá reunir obras de 10 artistas e grupos de diferentes linguagens das artes da cena – dança, performance, teatro, música e intervenção. A curadoria adotou como principal linha de força as diversas representatividades do corpo e formas de resistência. Arte e vida postas em cena, criando diferentes camadas de fruição e produzindo novos discursos e desejos. Também compõem a programação oficinas, residências, encontros e festas que visam impulsionar a criação e reflexão através do intercâmbio artístico. 

SERVIÇO | Festival Internacional Ruído EnCena. 
Quando: De 20 à 30 de setembro de 2017
Local: Teatro José Maria Santos 
Endereço: Rua 13 de maio, 655 – Curitiba
Ingressos R$ 20 e R$ 10

‘CONCERTO EM RI MAIOR’ FAZ APRESENTAÇÃO GRATUITA NO SESI PORTÃO

Concerto em Ri Maior / Crédito foto: Nilton Russo

Espetáculo une palhaçaria e muita música nos dias 12 e 13 de agosto

Dizem que quem tem um amigo tem tudo. O maestro russo Wilson Chevchenco que o diga! Graças a ajuda de Sarrafo, seu fiel amigo e tradutor, o seu concerto musical, onde apresenta as composições de sua família, pode ser compreendido pela plateia – já que o palhaço não fala português. A peça, que já fez sucesso expressivo na capital paranaense e cuja interação da plateia é essencial, acontece às 19h nos dias 12 e 13 de agosto, no Teatro Sesi Portão.

O espetáculo “Concerto em Ri Maior” surgiu em 2005 a partir de jogos de improvisação de palhaços com a música, resultando em uma comédia interativa e alegre para toda a família. O concerto conta ainda com um coral, que é integrado pelo público. E para embalar a diversão, os próprios palhaços tocam vários instrumentos: piano, violão, acordeom, gaita, castanholas e harmônica.

O “Concerto em Ri” Maior já percorreu vários festivais pelo Brasil e pelo mundo, como o festival de comédia musical “O Gesto Orelhudo”, em Portugal, e o Festival Internacional “Anjos do Picadeiro” (em Florianópolis e Rio de Janeiro). Também já foi apresentado em parceria com a Orquestra Sinfônica do Paraná no Teatro Guaíra, em Curitiba. Agora, faz temporada gratuita no Teatro do Sesi Portão, trazendo na bagagem muita música, dança, improvisação e, claro, divertidas palhaçadas para o público da região.

SERVIÇO:
CONCERTO EM RI MAIOR

Teatro SESI Portão
Data: 12 de agosto (sábado) e 13 de agosto (domingo)
Hora: sempre às 19h
Local: Teatro do Sesi Portão
Endereço: Rua Padre Leonardo Nunes, 180 – Portão
Classificação: Livre
Observação: Sujeito a lotação
Mais informações:
www.sesipr.org.br/cultura/EventAgenda27805content350965.shtml
www.sesipr.com.br/cultura/
www.facebook.com/sesiculturapr/

SESI CULTURA
Foi em 2008 que a Regional Paraná do Serviço Social da Indústria inaugurou uma área especificamente dedicada ao desenvolvimento de ações culturais ancoradas nas diretrizes previstas na Declaração Universal dos Direitos do Homem, como a diversidade, a pluralidade e a autonomia. Desde então, o Sesi Cultura Paraná tem promovido o acesso à cultura com foco em programas de formação artística e cultural, investindo em processos criativos, formação de plateia para todas as linguagens e na formação e desenvolvimento cultural com vocação local. O Circuito Cultural Sesi, o Festival Sesi Música, os Núcleos Criativos do Sesi, o Zoom Cultural, os Programas Sesi Música, Sesi Arte, Sesi Audiovisual e Sesi Artes Cênicas são exemplos de programas desenvolvidos pela Gestão Cultural do Sesi. De 2008 até 2016, mais de 927 mil espectadores tiveram acesso à cultura por meio de cerca de 7,5 mil eventos realizados pelo Sesi Paraná. Todas essas ações sempre tiveram como objetivo o acesso ao bem cultural para o trabalhador da indústria, seus dependentes e para a comunidade de um forma geral, além da difusão da arte em todas as suas manifestações, valorizando a diversidade e a pluralidade do povo brasileiro.