COM FESTA-SHOW NO ORNITORRINCO, ROSEANE SANTOS BRINDA SEU PRIMEIRO ÁLBUM

A cantora se apresenta no bar Ornitorrinco (Benjamin Constant, 400, Centro de Curitiba) sexta 27 de setembro, acompanhada do Bailinho Perdido, com repertório variado e muitas surpresas; festa marca o final da campanha de financiamento coletivo de Fronteiriça, em fase de finalização.

Quem é fã de música brasileira tem um convite duplo para este final de setembro: na próxima sexta-feira, a cantora Roseane Santos comanda o baile no palco do Ornitorrinco e ainda chama amigxs, admiradoras e admiradores para colaborarem na reta final da campanha de financiamento do seu álbum Fronteiriça, que se encerra na próxima segunda-feira, dia 30. 

Reta final >
O disco reúne 10 canções, dentre textos escritos pela própria artista e parcerias com amigas e amigos artistas da música, teatro, literatura e dança (como Luciano Faccini, Leonarda Glück, Ary Giordani, Francisco Mallmann, Bia Figueiredo e Ana Modesto). A banda tem André Garcia no violão, guitarra e arranjos-base, Gabriela Bruel na percussão, Daniel D’Alessandro na bateria, Victoria Vilandez no contrabaixo e Luciano Faccini no clarinete, violão, efeitos, ambientações, direção artística — ao lado da própria Rose — e produção musical em parceria com Leonardo Gumiero, além de várias participações especiais. Quem assina a arte é Thalita Sejanes e a produção executiva é de Moira Albuquerque. 

Com apoio do Colégio Medianeira em suas fases iniciais, o projeto encerra na próxima segunda-feira (30) a campanha de financiamento coletivo para contemplar despesas finais de mixagem, masterização, lançamento e remuneração da equipe (12 profissionais, entre músicos, designer e produtores). 

Ainda dá tempo!
As contribuições partem de R$ 15 e oferecem diversas recompensas, como ingressos para shows de FRONTEIRIÇA, download de faixas exclusivas antes do lançamento oficial e convites para o evento de audição das músicas com toda a equipe. 

> confira a página da campanha do Benfeitoria www.benfeitoria.com/fronteiricaroseanesantos 

> saiba mais sobre a música de Roseane Santos: 
www.soundcloud.com/roseane-santos/ 

O baile da Rose >
Na festa de sexta, Rose estará à frente do Bailinho, com Kelvin de Souza, Luciano Faccini, Acácio Guedes, Daniel D’Alessandro, Gabriela Bruel e Má Ribeiro, além da convidada mais que especial, Victoria Vilandez. Uia! No repertório, canções autorais – mas o material do disco fica para o lançamento  –, muito Jackson do Pandeiro, Luiz Gonzaga, João do Vale, Chico César, Gilberto Gil, Efigênia Rolim e ainda um monte de surpresas. Compareça! O baile começa a partir das 20h. 

Serviço: 
Roseane Santos + Bailinho Perdido no Ornitorrinco!
Sexta-feira, 27 de setembro 
Das 20h às 00h
Ornitorrinco Bar > Rua Benjamin Constant, 400, Centro 
Entrada > R$ 10 
Página do evento, aqui

FRONTEIRIÇA, O PRIMEIRO ÁLBUM DE ROSEANE SANTOS

Roseane Santos. Crédito foto: Luciano Faccini

Com mais de quinze anos de carreira, Roseane Santos brinda esse novo tempo com disco solo estreando como compositora e convida todos a participarem. O novo trabalho está em fase de finalização e conta com financiamento coletivo na plataforma Benfeitoria para custear suas últimas etapas

Fronteiriça, primeiro álbum da cantora Roseane Santos reúne 10 canções, dentre textos escritos pela própria artista e parcerias com amigas e amigos artistas da música, teatro, literatura e dança (como Luciano Faccini, Leonarda Glück, Ary Giordani, Francisco Mallmann, Bia Figueiredo e Ana Modesto), e resulta de uma vasta bagagem de vida e música.

Reconhecida como uma das vozes mais marcantes da cena curitibana e intimamente ligada aos universos do samba e ritmos afro-brasileiros (com passagens marcantes por projetos como Serenô, Orquestra Maria Faceira, grupo vocal Noivas de Allfreddo e muitos outros), Roseane Santos agora deseja compartilhar com o mundo um novo diálogo com suas próprias origens.

“Lançar esse trabalho é como mostrar ao mundo um cruzamento de regiões da minha própria existência. São anos de pesquisa na minha caminhada entre a música tradicional e a canção contemporânea revelados ali. O disco tem um pouco de cada coisa que fiz ao longo da minha história e não é experimental no sentido de buscar algo que nunca fiz. Me assumir como compositora é a ruptura mais importante para mim neste momento, meu divisor de águas”, conta.

O novo trabalho conta com André Garcia no violão, guitarra e arranjos-base, Gabriela Bruel na percussão, Daniel D’Alessandro na bateria, Victoria Vilandez no contrabaixo e Luciano Faccini no clarinete, violão, efeitos, ambientações, direção artística — ao lado da própria Rose — e produção musical em parceria com Leonardo Gumiero. Quem assina a arte é Thalita Sejanes e a produção executiva é de Moira Albuquerque. O álbum também traz várias participações especiais que estão sendo preparadas.

COLABORE COM FRONTEIRIÇA – Além de apoio do Colégio Medianeira obtido em suas fases iniciais, o projeto agora conta com o famoso financiamento coletivo para contemplar despesas de mixagem, masterização, lançamento (assessoria de imprensa, distribuição física e virtual) e melhora da remuneração da equipe (12 profissionais, entre músicos, designer e produtores)

As contribuições partem de R$ 15 e oferecem diversas recompensas, como ingressos para shows de FRONTEIRIÇA, download de faixas exclusivas antes do lançamento oficial e convites para o evento de audição das músicas com toda a equipe. Agora, você que é fã do trabalho de Roseane Santos e conhece seu repertório, aproveite a chance de ajudar esse projeto e ganhe também um vídeo gravado pela própria Rose cantando a música que escolher dedicada a você.

confira a página da campanha do Benfeitoria www.benfeitoria.com/fronteiricaroseanesantos

> saiba mais sobre a música de Roseane Santos:
www.soundcloud.com/roseane-santos/

> fanpage
www.facebook.com/cantoraroseanesantos

FLIM DEBATE CULTURAL E EDUCAÇÃO NO MEDIANEIRA

Evento reúne nomes como João Anzanello Carrascoza, Estrela Leminski e Jarid Arraes.

Começa no dia 6 de novembro a Festa das Linguagens do Medianeira (FLIM), que receberá apresentações de dança, música e teatro, mostras de cinema e fotografia, além de palestras e bate-papos com nomes como os escritores João Anzanello Carrascoza e Jarid Arraes, a cantora e compositora Estrela Leminski, e o editor Thiago Tizzot. O evento celebra também os 60 anos do Colégio e sua relação com a cultura e as artes.

A festa promove o diálogo entre as múltiplas linguagens e expressões artísticas, celebrando a cultura, o respeito e a cidadania. Para Martinha Vieira, coordenadora do Centro de Artes do Medianeira, a variedade de manifestações permite novas experiências de percepção no público. “No ritmo em que vivemos é muito fácil perdermos nossa essência, nossas raízes. Acho que a arte é um vínculo que criamos com nós mesmos e o sentido da nossa existência”, afirma a educadora.

A FLIM é o resultado dos trabalhos realizados dentro e fora da sala de aula, é o momento em que estudantes e educadores partilham com a comunidade aquilo que aprenderam e descobriram por meio das trocas de experiências.

Vinícius Soares Pinto, coordenador de Midiaeducação do Medianeira, explica que a cultura, antes de tudo, é responsável pela humanização e consciência de quem somos. “A arte nos permite visualizar e encarar a realidade a partir de ângulos diversos. E diante de um mundo com discursos tão maniqueístas, a arte tem o poder de explicitar aos nossos olhos que não existe apenas um discurso ou uma verdade. Somos humanos, somos complexos e em constante transformação”, comenta.

Outras atividades

A FLIM é um espaço de debate e reflexão sobre as questões do nosso tempo, permitindo o intercâmbio de ideia e vivências. As discussões, sempre pautadas pela pluralidade, pela consciência e pela compassividade, tematizam as relações entre a cultura e a vida cotidiana por meio da leitura, da música e de outras linguagens artísticas.

Outro momento importante da FLIM é o lançamento da Coletânea de Textos, que neste ano será digital e trará, além da produção textual e de imagens, vídeos concebidos pelos estudantes. A iniciativa é, ao mesmo tempo, um incentivo à leitura e também à produção autoral nas mais diversas linguagens.

Em 2017, a FLIM terá a participação do coral OutLoud, formado por professores e estudantes da Talken English School, parceira do Medianeira no ensino de inglês. O Grêmio Ágora, juntamente com o Centro de Artes, promoverá o tradicional concurso de bandas e a Tenda das Artes, que irá oferecer oficinas instantâneas de Cinema, Dança, Teatro e Customização de Roupas.

Durante o evento, ocorrerá a venda antecipada de ingressos para o show Medianeira Nossa Música, que acontece no dia 23 de novembro, e reúne a Orquestra à Base de Cordas e os artistas contemplados em edital.

Sobre a FLIM

A FLIM nasceu em 2011 como desdobramento do projeto Sujeitos Leitores. Com o tempo foi incorporando novas linguagens e se tornou um dos eventos artísticos mais importantes de Curitiba. Pela FLIM já passaram nomes como Eliane Brum, Daniel Galera, Luiz Rufatto, Ignácio Loyola Brandão, Cristovão Tezza, Thiago Recchia, Ricardo Corona e Luiz Andrioli.

Serviço:
Festa das Linguagens do Medianeira (FLIM)
Quando: de 6 a 11 de novembro
Onde: Colégio Medianeira |Av. José Richa (Marginal da Linha Verde), 10.546 | Prado Velho | Curitiba/PR)
Entrada: Gratuita
Consulte a programação completa aqui.

COLÉGIO MEDIANEIRA LANÇA EDITAL DE FOMENTO À PRODUÇÃO MUSICAL INDEPENDENTE

As inscrições para participar do processo seletivo são gratuitas vão até o dia 20 de outubro.

Por Jonatan Silva

Desde 2012 o Colégio Medianeira incentiva a produção musical por meio do edital Nossa Música. Como parte de sua proposta educativa de formação integral, o Medianeira acredita que as expressões artísticas são um importante meio para tornar homens e mulheres sujeitos melhores e capazes de ver o mundo de maneira mais justa e humana. As inscrições para a 4ª edição do edital Nossa Música acontecem de 4 de setembro a 20 de outubro de 2017 no site do Medianeira.

O primeiro CD da cantora Juliana Cortes, Invento, foi viabilizado por meio de apoio do Colégio. A artista, que lançou álbum Gris, vê o apoio do Medianeira como peça fundamental para a sua carreira. “Sem o patrocínio do Colégio Medianeira nós não teríamos conseguido distribuir o álbum nacionalmente com o cuidado que desejávamos e nem teríamos conseguido o impulso necessário para gravar meu segundo álbum. ”

O grupo Sincopé, vencedor da última edição do edital, pode financiar os vídeos de promoção do disco Caça-palavras, lançado no ano passado. Natália Bermúdez, vocalista do grupo, releva que a banda sempre sonhou em produzir clipes, o que só foi possível realizar com o auxílio do Medianeira. “O Nossa Música surgiu num momento importantíssimo para o grupo, pois acabamos de lançar nosso primeiro CD e buscamos divulgar o som das mais diversas formas”, explica.

Muitos sons
O Nossa Música percorre os diferentes timbres e as diversas sonoridades. O jazz de Juliana Cortes e a musicalidade irreverente e urbana do Sincopé têm o mesmo espaço e importância. Um reflexo da pluralidade do edital está nos outros vencedores: Fred Teixeira (2014) e Braseiro (2015).

Para Martinha Vieira, supervisora do Centro de Artes, o que une os artistas vencedores do Medianeira Nossa Música é a qualidade do trabalho produzido. “São trabalhos que fogem do entretenimento, que têm um quê inquietante. São propostas desestabilizadoras de certezas e do que está cristalizado”, explica a educadora.

Cultura
As artes são parte fundamental do currículo do Medianeira. Além das atividades de contraturno do Centro de Artes – como as oficinas de Violino, Violão, de Cinema e Fotografia, Teatro e Dança – o Colégio incentiva e fomenta entre seus estudantes as iniciativas de cunho cultural e educativa, como a leitura, a produção audiovisual e palestras sobre temas como a migração e a tolerância.

A relação entre a comunidade e o Medianeira fortalece o projeto do edital Medianeira Nossa Música. “Nós percebemos que essa é uma maneira de criar um laço entre o Colégio e a cultura local”, aponta Martinha. Na visão da educadora, ao colocar o artista da cidade como protagonista, o Medianeira demonstra também a sua preocupação com os elementos culturais que formam a sociedade em que estamos inseridos.

60 anos
Como parte das comemorações dos 60 anos do Colégio, acontece no dia 23 de novembro o show Medianeira Nossa Música, que terá a participação do Grupo Fato, de Fred Teixeira, de Juliana Cortes, do Brasileiro e do Sincopé – artistas contemplados pelo apoio do Medaienria – com arranjos inéditos criados e executados pela Orquestra à Base de Cordas de Curitiba. Durante o show, será divulgado o vencedor do edital deste ano.

Serviço:
Edital Nossa Música Medianeira
Inscrição: de 4 de setembro a 20 de outubro de 2017.
Como realizar a inscrição: acesse neste link a página do edital Nossa Música e preencha o formulário. Inscrição gratuita.

EX-ALUNO MEDIANEIRA E CAMPEÃO OLÍMPICO, EMANUEL PARTICIPA DA ABERTURA DA OLIMPÍADA 2017 DO COLÉGIO

Considerado um dos nomes mais importantes do esporte brasileiro, Emanuel Rego começou sua carreira como atleta no Medianeira

No ano em que o Medianeira completa 60 anos de sua fundação pelo P. Oswaldo Gomes, a tradicional Olimpíada do Colégio chega a sua 45ª edição. A abertura, que acontece no dia 24 de junho, a partir das 8h, terá a participação de todas as turmas, da Educação Infantil ao Terceirão, além de contar com presença de Emanuel Rego, ex-aluno campeão olímpico e mundial de vôlei, além de maior vencedor do Circuito Mundial com 10 títulos e 77 medalhas de ouro em etapas da competição.

Emanuel começou sua carreira como atleta no Medianeira, aos 11 anos, quando treinava vôlei no contraturno após convite dos amigos. “O Colégio foi fundamental na minha iniciação esportiva, durante as aulas de educação física pude aprender e ter vivência em vários esportes, como atletismo, handebol, futebol, basquete e vôlei”, comentou o atleta.

Para Sueli Takemori, professora de Judô e organizadora das Olimpíadas, o desenvolvimento de Emanuel como atleta de alto nível representa o compromisso do Medianeira com o esporte e com a formação do sujeito em sua integralidade. “Isso mostra toda a importância do esporte dentro do Colégio em sua função pedagógica e consolida também o Centro de Esportes”, explica.

Aprendizagens
Emanuel integra o Hall of Fame do vôlei desde 2016, foi eleito “Personalidade do Ano” no Circuito Mundial nas temporadas de 2005, 2010 e 2011, “Melhor Atleta” nos Jogos Olímpicos de 2004 e é o jogador com mais títulos na história do vôlei de praia, somando 155 conquistas. Segundo o campeão olímpico, as conquistas dentro de quadra são também resultado das aprendizagens e experiências vivenciadas no Medianeira.

“O Colégio sempre desenvolveu a formação de opinião e a autoestima. O sistema de estudo era de desenvolvimento do conhecimento, apoiado em boas práticas de raciocínio lógico Acredito que isto me levou a ser um grande atleta: ter opinião bem formada e personalidade para assumir os meus compromissos”, resume Emanuel, considerado o “Melhor Atacante” do Circuito Brasileiro em 1999, 2003 e 2006, além de escolhido como “Atleta da Última Década do Século” pela Fédération Internationale de Volleyball (FIVB).

A professora de Educação Física, Graciela Zachar Gomez, também responsável pela organização da Olimpíada do Medianeira, observa a prática esportiva dentro da instituição como uma atividade alicerçada pelo currículo, estabelecendo um vínculo entre a competição e os assuntos abordados em sala de aula. “Eu penso que o esporte é mais um instrumento que colabora para a formação integral e ele se configurou como uma prática educativa.”

O compromisso do Colégio Medianeira, expresso por meio do esporte e da arte, reflete a preocupação com a formação de homens e mulheres capazes de ver a sociedade com um olhar mais justo e fraterno, pautados pelo pensamento crítico e criativo e pela convicção de que outro mundo é possível.

Serviço:
Abertura da 45ª Olimpíada do Colégio Medianeira
Quando: 24 de junho – sábado
Horário: a partir das 8h
Endereço: Av. José Richa (Marginal da Linha Verde), 10.546 | Prado Velho | Curitiba/PR | CEP 81690-100 | Fone (41) 3218-8000
Entrada gratuita