DOC “FINA CAMADA DE GELO”

Com direção de Vinicius Ferreira, a produção é um recorte sobre a cena musical autoral da capital paranaense e faz parte de um projeto maior e homônimo, cujo lançamento ocorreu em outubro de 2017, com o livro de Eduardo Mercer, “Uma Fina Camada de Gelo: O Rock Autoral e a Alma Arredia de Curitiba“.

 Fina camada de gelo from rock curitiba on Vimeo.

Ficha técnica:
Direção e produção – vinicius ferreira
Direção de fotografia – vinicius gennaro
Produção executiva – fabiano neves
Roteiro – manoel de souza neto
Artes gráficas – castro pizzano
Videografismo – vinicius brandão
Montagem – vinicius ferreira/matheus dutra acervomusin/orlando azevedo
Câmera – danilo custódio/matheus dutra/vinicius gennaro/vinicius ferreira
Colorista – thiado maceno
Drone – leonardo salomão
Suporte – isabela lanave/walter thons/matheus dutra
Som – luigi castel/lucas maffini/guilherme hahn
Desenho de som – eduardo alves
Pesquisa de trilha sonora – manoel de souza neto/digão duarte/vinicius ferreira
Assessoria de imprensa – de inverno comunicação/adriane perin
Mídias sociais – de inverno/marcos paulo anubis
Distribuição – etno filmes
Apoio – anotherother/mangle music/musin/casatreze studio/soy latino bar
Aagradecimentos – a todos que fazem parte dessa história
Elenco – helinho pimentel/paulo teixeira/eduardo mercer/fernando tupan
rodrigo del rei/margot brasil/marcel felipe prestes/guto dias
jr ferreira/fábio elias/adriane perin/wallace barreto
fabiano neves/victor frança/daniel azulai
manoel de souza neto/eduardo pizzato/bernardo bravo
rayssa fayet/estrela leminski/téo ruiz/léo fressato

DIEGO PERIN LANÇA ÁLBUM DE ESTREIA “CUIDADO AO FICAR MUITO À VONTADE”, O CLIPE DE “A FICHA CAI” E ANUNCIA SHOW DE LANÇAMENTO EM LOCAL SECRETO

Diego Perin. Foto: Nicolas Salazar

Músico da nova boa safra da cena curitibana apresenta trabalho autoral pautado em questões existenciais e sociais

São Paulo, junho de 2019 – Diego Perin lança seu álbum de estréia “Cuidado Ao Ficar Muito À Vontade”. A obra, produzida por Rodrigo Lemos, fala sobre questões existenciais do artista, como em “A Ficha Cai”, que ganha clipe dirigido por Luana Marinho. Também aborda temas sociais, como em “Wallstreet”. É o primeiro full álbum lançado por Perin após o fim da Banda Gentileza. Ele faz show de lançamento em Curitiba em um local secreto no dia 6 de julho. Apenas quem adquire o ingresso, através da Sympla, recebe o endereço. 

“Grande parte dessas canções surgiu de ideias que aparecem após uma conversa interessante da qual participei ou observei e me trouxe a sensação de ‘pouts, podia ter dito isso naquela hora’. A parte musical geralmente é ruminada por semanas ou meses”, explica Perin. “Cada uma das faixas tem um sentido pra mim obviamente, mas curto deixar significados abertos sempre que não cause confusão com o panorama geral. Essas pontas soltas que dão o caldo”. 

“O Diego está expondo questões atuais com uma acidez bem peculiar. Isso imediatamente me despertou o interesse em trabalhar nas faixas. Então, captamos a essência dos arranjos criados pela banda, ao vivo, sem nunca dispersar a atenção para o discurso. Sem acomodar muito o ouvinte. E, passado o processo, não sei dizer se existia uma grande tarefa pra desempenhar que não fosse exatamente essa”, define Lemos. 

Ouça “Cuidado o Ficar Muito À Vontade”: https://spoti.fi/2XfNfaU 

FAIXA A FAIXA

1. O que é que falta 
O que faz de nós, humanidade, a coisa mais pavorosa e incrível do mundo? 
Isso sempre me provoca horror e maravilha. Tem dias que esse dilema é praticamente insuportável. Num dia desses veio o refrão e, a partir dele, construí tudo em volta. Questões de empatia, justiça social, rotina, pressão, opressão. 

2. A ficha cai 
Essa é super pessoal/autobiográfica. Reflexões que rolaram depois que um amigo me jogou essa na cara: “Falou aí! Sempre foi o mais isentão”. Fiquei mordido. Um pouco antes do processo de impeachment da Dilma e a ascensão dos movimentos de extrema-direita, senti a necessidade de me posicionar sobre as coisas. Porque notei uma galera que era contra tudo aquilo que via como avanço. Quando surgiu o tal do termo “mimimi”. As pautas progressistas me definem. Deixei de ser tão cínico também. Engraçado como a posição de privilégio de ser um cara-branco-hétero-classe-média nos deixa cego para muitas injustiças. Flagro muitas fichas caindo na minha e na cabeça de uma galera nos últimos anos. Me comprometo mais. É sobre isso. Não dá pra desver as coisas. E isso deixa tudo mais claro. 

3. Não vou buzinar 
Acima de tudo, acredito na gentileza como a melhor maneira de relacionamento entre as pessoas. Quantas vezes já ouvi: “você tem que se impor”? Meh, tô fora. Tem uma influência gigantesca de Pato Fu daquela música “UhUhUh AhAHAH IéIé”. Sempre bom escutar os outros antes de tirar conclusões. O assunto paralelo que rola no refrão é sobre não se encaixar no sistema bruto do capitalismo e suas pressões. Você tem que ter uma profissão. Você tem que ser alguém. Você tem que se matar pra ter coisas. Qual a medida do ser humano? 

4. Heróis 
Um belo dia eu percebi que estava levantando da cama sem me espreguiçar. Primeiro me deu tristeza, depois o desespero que sinto quando ouço “Time”, do Pink Floyd. Também me trouxe, de novo, a sensação de que a rotina é uma máquina de moer carne. Temos que estar atentos ao tempo que passa para não desperdiçar, não sucumbir e ficar apático. A vida é curta demais. Sempre evoluir. Tudo é processo, nada é definitivo. 

5. Treta 
Sobre uma conversa que presenciei e de como esses tempos bizarros nos afastaram das pessoas. E acredito que é saudável por um lado. Hoje em dia sei melhor quais são as pessoas que quero ao meu lado. Dane-se bolsominion preconceituoso, machista, homofóbico, conservador! Mas, esperançoso que sou, (não otimista) acredito na mudança e em consequência na redenção. Tem uma pitada irônica sobre isso no final da letra. 

6. Wallstreet 
Um dia, no banho, me veio uma pira sobre especulação financeira. Quando a bolsa cai, de quem é o problema realmente? A economia devia estar a serviço do social e não o contrário. É tipo faroeste. Tem a lei e tudo mais, mas quem está lá especulando na bolsa destrói economias inteiras em nome apenas do lucro. Junto ao corporativismo, acredito ser o auge do capitalismo desumanizado, nocivo. Ou a gente evolui esse modelo econômico ou vamos nos ferrar todos. Pelo menos os 99% aqui da base da pirâmide. Resumindo: é uma sátira das trilhas de filmes faroeste spaguetti, mais Johnny Cash, mais Zé Ramalho, mais apocalipse cristão relacionando-se a esse tema da especulação. Quem são os quatro cavaleiros do apocalipse senão capitalistões de alto gabarito? Essa faixa é onde mostro meu lado mais besta. 

7. Dias bons 
Sou completamente anti nostalgia. Até tenho problemas em sentir saudades. Num belo dia flagrei que tava acontecendo uma coisa muito especial, um clima bom, conversas construtivas. Foi durante uma mini turnê com a Estrela Leminski, o Teo Ruiz e a trupe. Nisso me deu um gatilho de vários momentos legais, desde a infância. E pô! Como os dias bons passam rápido! Essa canção é um desejo pra que eles se demorem um pouco mais. Mas é isso aí, acabou, vamos pro próximo. Peguei um riffzinho que ficava tocando praticamente todo dia na cama antes de dormir e fui fazendo um loop mântrico a la Velvet. 

8. Agora 
Olha a anti nostalgia aí de novo gente! Escuto muito que “no meu tempo que era bom” das pessoas mais velhas. Claro! Eram jovens, cheias de esperança e sonho. Infelizmente a rotina, as cobranças, as responsabilidades, vão esmagando tudo devagarinho e o risco de nos tornarmos saudosos e amargos ao mesmo tempo é gigantesco. Não quero isso pra mim. É meu post-it colado na geladeira, meu lembrete. Tem muito do disco Alucinação do Belchior. Aproveite o presente. 

FICHA TÉCNICA 
Diego Perin – Guitarra e voz em todas as faixas 
Douglas Vicente – Bateria em todas as faixas. Backing vocal em A Ficha Cai. 
Ruan de Castro – Baixo em todas as faixas exceto Wallstreet. Backing vocal em A Ficha Cai. 
Vinicius Nisi – Sintetizadoress, Teclados e afins em todas as faixas. Bozouki Irlândes em Dias Bons, Wallstreet e Agora. 
Rodrigo Lemos – Guitarra em todas as faixas. Baixo em Wallstreet. Backing vocal em todas as faixas exceto Agora. 
Valderval Oliveira – Timbale em A Ficha Cai. 
Vitor Salmazzo – Percussão em A Ficha Cai, Não vou Buzinar e Treta. 
Leandro Delmonico – Viola em Wallstreet 
Bernardo Stumpf e Thiago Ramalho – Backing vocal em A ficha cai. 
Todas as letras e músicas por Diego Perin 
Produzido por Rodrigo Lemos 
Gravado, mixado e masterizado por Valderval Oliveira 
Assistência de estúdio por Isabela Leite 
Gravado, mixado e masterizado no estúdio da Arnica Cultural em Janeiro e Fevereiro de 2019 

O CLIPE DE “A FICHA CAI” 
Segunda faixa do álbum e primeiro single da obra ganha clipe dirigido por Luana Marinho e fala sobre destruição e foi gravado em uma fábrica desativada de Curitiba. 

“O tema desconstrução é muito presente hoje em dia, ainda bem. Mas ele não é sobre isso. Para mim, desconstrução é um processo lento, solitário, necessário, tijolo a tijolo, no fundo da mente, pro resto da vida. Destruição de amarras, valores preconceituosos, valores opressores. Acredito que isso é fundamental pra questão do posicionamento que a letra aborda. Sair de cima do muro tem muito a ver com destruir esse muro completamente pra não voltar lá pra cima. É possível mudar de ideia sobre as coisas, ainda bem. Mas ter tudo as claras é fundamental. Nada melhor do que ficar no chão pra enxergar os lados pra se posicionar”, explica Diego. 

FICHA TÉCNICA 
Luana Marinho: Direção e edição 
Lucas Ajuz: Camera 
Mayara Santarém: Camera 
Luana Angreves: Still 
Andrei Ceeze: Efeitos 
Moisés Prestes: Efeitos 
Renato Hollanda: Efeitos 

SHOW DE LANÇAMENTO @ CURITIBA (PR) 
Dia 6 de julho, a partir das 17h 
Horário do show: 20h 
Local secreto (para descobrir o endereço, é necessário comprar o ingresso) 
Ingresso: R$ 20,00 – aqui

SOBRE DIEGO PERIN
Diego Perin começou a estudar música em Igarapava, com 16 anos. Teve dois grupos em Curitiba antes de formar a Banda Gentileza, em 2005, projeto onde tocou baixo e concertina, lançou dois EPs ao vivo e dois álbuns em dez anos de carreira. Com a Gentileza, tocou em várias cidades e festivais como o Psicodália, o Calango (Cuiabá), o Contato (São Carlos) e o Path (São Paulo), show que marcou o fim da banda. Nesse meio tempo também participou do projeto do Rodrigo Lemos, o Lemoskine, onde conheceu o Vinicius Nisi. Tocou brevemente na banda do Leo Fressato. Seu projeto solo surgiu após o fim da Banda Gentileza, em 2016. Após um período de gestação de mais ou menos um ano, quando compôs suas primeiras músicas, se juntou ao Rodrigo Lemos pra gravar “A Dor dos Outros”, single que foi o pontapé inicial do EP “Cabresto”, já com o Nisi nos teclados, lançado em 2018. Nesse meio tempo, começou a tocar com o Douglas Vicente e o Ruan de Castro na banda da Estrela Leminski e do Teo Ruiz. Para fechar o time ainda teve o Jean Machado. Com o boom da Tuyo, o Jean foi cuidar mais da sua carreira e fecharam em quarteto para a gravação do “Cuidado Ao Ficar Muito À Vontade”, lançado em junho de 2019. 

Discografia 
EP “Cabresto” (2018): https://www.youtube.com/watch?v=Dh9wAKpriTM 
“Cuidado Ao Ficar Muito À Vontade” (2019): https://spoti.fi/2XfNfaU 
Redes Sociais 
Facebook: https://www.facebook.com/perindiegoperin/ 
Instagram: https://www.instagram.com/perindiego/ 
Youtube: https://www.youtube.com/diegoperin 
Streaming 
Spotify: https://open.spotify.com/artist/32jpI2NVsxiXpl8RAUveus 
Deezer: https://www.deezer.com/en/artist/14299755 
Vídeos 
“A Dor Dos Outros” (2017): https://www.youtube.com/watch?v=iLSbmbmPFb0 
“Cabresto” (2018): https://www.youtube.com/watch?v=xygA3EtYwCs 
“Tapeçaria de Asfalto” (2018): https://www.youtube.com/watch?v=Rl93mMyMraQ 
“A Dor Dos Outros” (2018): https://www.youtube.com/watch?v=eoqMO90tFBY 
“Salto” (2018): https://www.youtube.com/watch?v=rXACBE2w9K4 

Participação 
Sofar Sounds Latin America: https://www.youtube.com/watch?v=qPVbl8MSE-c 

Informações à imprensa
Alets Comunicação 
Letícia Tie 
leticia@aletscomunica.com 
(11) 9 4867-8963

NA-NU NA GIBITECA DE CURITIBA

Segunda edição do evento do NA-NU na Gibiteca de Curitiba

Programação completa:
14h : Início do evento
16h: Bate-papo com Allan Ledo: Sangrando até Morrer e a obra de Eder S. Rodrigues
17h: Bate-Papo com editores de HQ e poesia: Confirmados: Carlos Panhoca (Revista Pé-de-Cabra), Amanda Barros e Ariel Morais da Cunha (Ursereia), L-Dopa Publicações
18h: Show de LETRASH
19h: Show com Estrela Leminski e Téo Ruiz
20h: Encerramento do evento

Pintura ao vivo com Ganço

Feira de arte e quadrinhos:
(confirmados:)
Revista Pé-de-Cabra
Celina Pacheco
Flavia Scheremetta
Delírios Urbanos
Hasegawa Teixeira Fabiola
Ursereia
Mário de Alencar
João Ferreira
Marcio R. Garcia
Aracne Ambientes Criativos
Lucas Loiola
L-Dopa Publicações
Welington Lima
Amaury Filho
TerraTundra
– Zine Tentáculos Feministas
Ismália Siqueira

Exposições:
Ganço (Pintura)
Flavio Antunes Ramos (Pintura)
Sangrando Até Morrer (Quadrinhos)

Estande do NA-NU:
– Obras da Café Espacial, Ganço, Lucas Fernandes, Carlon Hardt, Cookies & Memories – bolachas artesanais, Editora Estronho além de prints, zines, brindes, livros, quadrinhos, LPs e CDs, novos e usados

Acompanhe para mais novidades:
www.nanu.blog.br/
www.facebook.com/NANUzine/

A Gibiteca fica no Solar do Barão, Rua Presidente Carlos Cavalcanti 533, centro da cidade.
Sábado, 23 de março, das 14:00 às 20:00.

DIEGO PERIN APRESENTA ÚLTIMO SHOW DO ANO

Diego por Luciano Meirelles

Músico toca canções inéditas que farão parte do seu repertório no Psicodália 2019

Dia 6 de dezembro, Diego Perin apresenta seu show solo na Quinta Autoral do Ornitorrinco Bar. Após ser confirmado para o Psicodália, o músico traz ao público curitibano novas composições, uma palhinha do repertório que irá tocar no carnaval de 2019 em Rio Negrinho. Abrindo e fechando a festa, o coletivo de seletores Casa de Suingue discoteca muita música brasileira, latina, funk norte-americano, rock e balcã. Os ingressos custam R$10 com nome no evento do Facebook.

Diego é ex-baixista da Banda Gentileza, onde tocou durante mais de 10 anos. Ele lançou seu primeiro trabalho solo, “Cabresto”, disponível em todas as plataformas digitais e para download gratuito, este ano e já está preparando o novo EP para o primeiro trimestre de 2019. As composições seguem a mesma linha, expurgando suas inquietações através de letras instigantes e instrumental distorcido, transitando entre o rock, blues, tuaregue, brega e outros ritmos. Ao seu lado estão o baterista Douglas Vicente, também da banda Charme Chulo; o guitarrista Ruan Castro, aqui atacando como baixista, da extinta Black Cherry e Vinicius Nisi, da A Banda Mais Bonita da Cidade, no teclado. Diego canta e toca guitarra.

Casa de Suingue por Dayana Luiza

O evento começa às 20h com seleção musical de Luana Angreves e Heitor Humberto, conhecidos pelas memoráveis festas da Rádio Kombi, rádio interna do Psicodália, onde são radialistas desde 2014. Show está previsto para às 21h30.

Sobre o Diego Perin
Diego Perin estuda música desde os 15 anos, quando ainda morava em sua cidade natal, Igarapava, São Paulo. Desembarcou em Curitiba para cursar Publicidade e Propaganda na UFPR e na universidade, em 2004, conheceu seus colegas da Banda Gentileza. Em 10 anos de carreira, a banda tocou nos renomados festivais: Psicodália (Rio Negrinho/SC), Path (São Paulo/SP), Calango (Cuiabá/MT) e Contato (São Carlos/SP). A canção “Afinal de Contas” foi tema de personagem da novela da Rede Globo, Malhação de 2013. O músico tocou também na banda Lemoskine e acompanhou o cantor Leo Fressato. Atualmente, além de se dedicar a composição do seu trabalho solo, Diego é baixista da banda que acompanha a dupla Estrela Leminski e Téo Ruiz.

Serviço:
Quinta Autoral com Diego Perin e Casa de Suingue
Data: 6 de dezembro, quinta-feira
Hora: 20h
Local: Ornitorrinco Bar – R. Benjamin Constant, 400 – Centro
Ingressos: R$10 com nome do mural do evento e R$20 sem nome no mural.
Confira a página do evento, aqui

Curta no Facebook: /perindiegoperin
Siga no Instagram: /perindiego
Baixe gratuitamente Cabresto: www.diegoperin.com.br
Youtube: http://bit.ly/dYoutubeiegoperin-youtube
Spotify: http://bit.ly/diegoperin-spotify
Deezer: http://bit.ly/DiegoPerin-Deezer

4 BANDAS, DOIS SELETORES E UM NOVO FESTIVAL

  

1º Panapaná promove shows de bandas de Teresina, Londrina e Curitiba a preço popular

Tire os fones do ouvido e vá ver um show ao vivo. Essa é a proposta do Festival Panapaná, uma iniciativa dos produtores culturais Diego Perin, Estrela Leminski, Luana Angreves e Téo Ruiz. A primeira edição é na sexta-feira, dia 1º de junho, no Basement Cultural. Compondo o primeiro line-up, direto de Teresina no Piauí, Validuaté; Abacate Contemporâneo, de Londrina, Diego Perin e a dupla, Estrela Leminski e Téo Ruiz.

A ideia surgiu há menos de dois meses quando os amigos conversavam sobre artistas que nunca vem a Curitiba e a necessidade de resistir em um cenário pouco favorável para a cultura. Eles focaram em bandas que fazem shows pela região sul, mas não param na capital do Paraná. Esse foi o caso da banda piauiense, Validuaté, que está em turnê pelo Brasil lançando seu álbum “Manual de Instruções Para”. Sucesso no nordeste, eles tiveram alcance nacional com a música “Eu te considerava tanto”, tema da novela ‘Amor à Vista’ da Rede Globo.

Outros artistas que toparam participar dessa resistência artística, são o Abacate Contemporâneo, banda londrinense que vem conquistando espaço dentro de festivais, como o Psicodália e Forró da Lua Cheia, com seu som ‘a la’ Itamar Assumpção. Outros queridinhos dos festivais, são a Estrela Leminski e Téo Ruiz que em maio ganharam o Prêmio Profissionais da Música, na categoria artista rock. O casal lançou “Tudo Que Não Quero Falar Sobre Amor”, um álbum multimídia, com 12 músicas e 12 clipes em 2017. Nesse um ano, eles passaram pelo Pará, Porto Alegre, Goiás, Mato Grosso, Paraná, São Paulo, Maranhão, Piauí e Distrito Federal.

Fechando o line up, Diego Perin apresenta ‘Cabresto, trabalho solo lançado em março deste ano. O músico, que era baixista da Banda Gentileza durante seus 10 anos de estrada, abandona as gracinhas e retorna com uma pegada mais pesada e, digamos, frita.

O evento começa às 20h com discotecagem do coletivo Casa de Suingue, da Luana Angreves e Heitor Humberto, mais conhecidos pelas festas e produção da RádioKombi do Festival Psicodália. Os ingressos custam R$20 com nome na lista e a festa acontece no Basement Cultural.

SERVIÇO:
Festival Panapaná
Dia: 1º de junho.
Programação:
20h00 – Casa de Suingue
21h30 – Diego Perin
22h30 – Abacate Contemporâneo
23h50 – Estrela Leminski e Téo Ruiz
01h00 – Validuaté
02h30 – Casa de Suingue

Ingressos: R$20 com nome na lista (festivalpanapana@gmail.com) e R$30 sem nome na lista
Local: Basement Cultural – R. Des. Benvindo Valente, 260, São Francisco, Curitiba

Página do evento, aqui

DIEGO PERIN LANÇA EP PROVOCADOR E ATUAL


Cabresto chega às plataformas de streaming dia 19 de março

A arte reflete o que vivemos. É inadmissível ficar alheio a dor dos outros. É assim que o compositor Diego Perin, ex-baixista da Banda Gentileza descreve seu primeiro trabalho solo. O EP ‘Cabresto’ nasce de suas inquietações com o mundo e consigo mesmo. Ao mesmo tempo em que o músico canta a falta de empatia, manipulação midiática e jogo de interesses, também ressalta a necessidade de correr riscos e buscar um mundo ideal, que é utópico para quem não acredita nele.

Diego volta a cena musical como compositor de suas letras e melodias. Essa autonomia garantiu uma miscelânea de ritmos. “A dor dos outros”, single lançado em julho é uma mistura de rock, música latina e brega. Já “Cabresto”, que dá nome ao disco, é um afrobeat. O novo trabalho é mais pesado e irônico que o da antiga banda. “Acho que os assuntos são mais sérios. Tem uma canção que lembra Doors. Nem era minha intenção, mas quando mostrei pros amigos e amigas, eles apontaram a influência que eu nem sabia que tinha. Uma inspiração proposital foram os uivos do Howling Wolf”, comenta Perin.

Após 15 anos tocando baixo e sendo backing vocal, Diego assume sua voz em primeiro plano e ataca de guitarrista. A produção musical e mixagem ficou por conta de Rodrigo Lemos que também toca baixo, bateria, guitarra e sintetizador. Outros amigos e grande músicos participaram do seu novo trabalho: Vinicius Nisi (A Banda Mais Bonita da Cidade) no teclado, Douglas Vicente (Charme Chulo) e João Taborda (Trombone de Frutas) na bateria, Estrela Leminski e Téo Ruiz nos backing vocals e Lucas Ajuz (Locomotiva Duben) na conga. Diego Perin toca guitarra, baixo e, claro, debuta no vocal. Em março de 2018 o mundo conhecerá o resultado.

O lançamento já tem data marcada: 19 de março o EP estará disponível nas plataformas de streaming e no site, para quem quiser baixá-lo gratuitamente. Seguindo as tendências de mercado, Perin disponibiliza os lyrics videos de suas músicas no Youtube. Animações feitas por ele. O show de estreia é dia 6 de abril no Ornitorrinco bar. Tocando ao seu lado o tecladista Vinícius Nisi (A Banda Mais Bonita), o baixista Jean Machado (Tuyo), Ruan de Castro na guitarra e Douglas Vicente (Charme Chulo) na bateria. Engrossando o caldo e o evento, tem apresentação do Bernardo Bravo e do coletivo de DJ’s, Casa de Suingue.

Diego Perin by Luana Angreves

Serviço:
Show de lançamento de Cabresto
Data: 06 de abril
Horário:
20h – discotecagem Casa de Suingue
21h30 – Show Diego Perin
23h – Show Bernardo Bravo
Local: Ornitorrinco Bar – R. Benjamin Constant, 400 – Centro
Entrada: R$10 com nome no mural do evento e R$15 sem.
Confira a página do evento, aqui

Sobre o Diego Perin
Diego Perin estuda música desde os 15 anos, quando ainda morava em sua cidade natal, Igarapava, São Paulo. Desembarcou em Curitiba para cursar Publicidade e Propaganda na UFPR e na universidade, em 2004, conheceu seus colegas da Banda Gentileza. Em 10 anos de carreira, a banda tocou nos renomados festivais: Psicodália (Rio Negrinho/SC), Path (São Paulo/SP), Calango (Cuiabá/MT) e Contato (São Carlos/SP). A canção “Afinal de Contas” foi tema de personagem da novela da Rede Globo, Malhação de 2013. O músico tocou também na banda Lemoskine e acompanhou o cantor Leo Fressato. Atualmente, além de se dedicar a composição do seu trabalho solo, Diego é baixista da banda que acompanha a dupla Estrela Leminski e Teo Ruiz.

CIRCUITO CULTURAL ADEMILAR TRAZ LITERATURA, MÚSICA E TEATRO EM AGOSTO

Pegue sua agenda e programa-se para assistir espetáculos do diretor João Luiz Fiani, músicas do tradicional Grupo Choro & Seresta e o casal queridinho Téo Ruiz e Estrela Leminski e conhecer escritores em festivais literários como o Litercultura e Mostra de Literatura

Quem gosta de ler, assistir a uma boa peça de teatro ou ouvir música brasileira, esse mês, não pode reclamar. O Circuito Cultural Ademilar traz uma série de projetos culturais e em agosto o evento vai promover muita cultura em Curitiba. São apresentações de diferentes atmosferas como o espetáculo “No Beco do amor perdido”, do prestigiado diretor curitibano João Luiz Fiani, apresentações do legendário grupo Choro & Seresta, literatura em comunidades carentes com o Mostra de Literatura Paraná, a quinta edição do Litercultura, um dos festivais literários mais importantes do Sul do Brasil e mais um lançamento de clipe do queridinho casal Téo Ruiz e Estrela Leminski.

Confira a programação de eventos:

O Beco do Amor perdido
“O Beco do Amor perdido”, com texto e direção de João Luiz Fiani, fala sobre um dos temas em mais discussão no momento: a fobia social. O texto, escrito a partir da visão feminina da sociedade, mostra que o chamado “sexo frágil” vem mudando incessantemente com o tempo e que a atualidade é bem distante daquele chamada de “frágil”. A estreia é em 18 de agosto no teatro Lala Schneider

Litercultura
O Litercultura surgiu há quinze anos e traz muita informação e conhecimento do mundo da literatura. Durante o evento acontecerão oficinas, rodas de leitura, apresentações e muitos outros eventos. Neste quinta edição, escritores e ensaístas brasileiros discutem o universo literário hispano-americano e questões da contemporaneidade de 14 de agosto e vai até dia 18 do mesmo mês, na Capela Santa Maria. 

Conjunto Choro & Seresta
O Conjunto Choro e Seresta se apresenta na Feirinha do Largo da Ordem aos domingos há 39 anos. O grupo já faz parte de um dos principais pontos turísticos da capital paranaense e se prepara para lançar um novo CD, “Gerações”. As apresentações fazem parte do Circuito de agosto de 2017 a julho de 2018, com show especiais para o Circuito com convidados nacionais. 

Mostra Literatura Paraná 
A Mostra Literatura busca valorizar a literatura paranaense. Com isso, traz ao circuito bate-papo com autores, oficina de leitura, ilustração e histórias em quadrinhos em comunidades carentes de Curitiba. Confere as datas e locais:14 a 19 de agosto (Uberaba), 21 a 26 de agosto (CIC), 18 a 23 de setembro (Pilarzinho) e 25 a 30 de setembro (Butiatuvinha). 

Estrela Leminski e Téo Ruiz
Depois de três anos com o espetáculo “Leminskanções”, Estrela Leminski e Téo Ruiz estão fazendo uma série de lançamentos este ano pelo Circuito. São 12 músicas – cada uma com seu clipe específico pelo álbum “Tudo QueNãoQueroFalarSobreAmor. A quinta edição acontece dia 27 de agosto, às 18h, no Ornitorrinco

Circuito Cultural Ademilar
O Circuito Cultural Ademilar é uma iniciativa que contempla diversas realizações artísticas, levando aos curitibanos teatro, literatura, música, preservação da memória e filmes. Desenvolvido pela The Way Comunicação, ele integra, de forma articulada, ações de diferentes produtores e agentes culturais. A programação transcorre ao longo de 2017 e 2018, com a viabilização via Mecenato Subsidiado da Prefeitura de Curitiba. A Ademilar Consórcio de Investimento Imobiliário chancela essa iniciativa porque acredita na cultura como fonte de lazer, entretenimento e enriquecimento intelectual. Informações em www.circuitocultural.com.br

Serviço:
Para acompanhar as ações do Circuito Cultural Ademilar curta e siga a FanPage: www.facebook.com.br/circuitoculturaltw ou www.circuitocultural.com.br 

JOAQUIM APRESENTA BATE-PAPO MUSICAL COM ESTRELA LEMINSKI E TÉO RUIZ!

Joaquim Livros & Discos  apresenta bate-papo musical com a presença especial de Estrela Leminski e Téo Ruiz!

Após três anos se apresentando com o show Leminskanções, Estrela Leminski e Téo Ruiz retomam seu projeto autoral e lançam “Tudo Que Não Quero Falar Sobre Amor”, álbum que chega desconstruído ao público. Foram sete produtores musicais para as doze canções, todas assinadas pela dupla e algumas parcerias, e cada uma vai ganhar um videoclipe próprio. Os cinco primeiros já saíram: “Biografia”;“Blues do Encanto”; “Nosso Livro”, esse último também um mini-doc; “Poliamor” e “Quase Feliz’ com participação de Leo Fressato, o autor de “Oração”, música consagrada pela A Banda Mais Bonita da Cidade.

Entre os que assinam a parte de produção musical, estão Guilherme Kastrup (produtor e diretor artístico do disco “A Mulher do Fim do Mundo”, de Elza Soares), Dante Ozzetti (compositor e produtor reconhecido nacionalmente), Rodrigo Lemos (ex-banda mais bonita da Cidade e Poléxia, atual Lemoskine e Naked Girls and Aeroplanes), Marcelo Fruet (produtor dos discos das bandas Apanhador Só e Dingo Bells), Fred Teixeira, John Ulhoa (Pato Fu) e Pupillo (Nação Zumbi). O rock-poético, de ênfase na canção, ganhou visões diferentes, mas sem perder a unidade e coesão dentro dessa diversidade de nomes. O som é pop com ruído, urbano e contemporâneo, e o título não poderia ser mais direto: apesar de Estrela e Téo serem um casal, não espere canções fofas de amor.

Já o projeto visual conta com doze vídeoclipes assinados por dez diretores: Luciano Coelho, Gustavo Guimarães, Juliana Sanson, Bernardo Rocha, Carol Winter, Marta Souza, João Marcelo Gomes, Carlon Hardt, Lucas Fernandes e Paulo Biscaia. O conceito transmidiático da junção do som com imagem convida o público a participar ativamente, já que os videoclipes serão lançados a partir do fim de abril até agosto, e o álbum completo só estará disponível, tanto nas plataformas digitais quanto fisicamente, após o show no final de setembro.

Venha conhecer o trabalho sensacional da dupla no ambiente intimista de livros & discos.

Entrada franca!

Local: Joaquim Livros & Discos, Rua Alfredo Bufren, 51, Centro de Curitiba
Data: Terça, 13 de junho, das 19:00 às 22:00

Página do evento, aqui