EM DOSE DUPLA: CIRCO DA CIDADE RECEBE DOIS ESPETÁCULOS GRATUITOS DE CIRCO-TEATRO COM O COLETIVO PALHAÇX GOURMET

A Pequena Loja Mística da Madame Sinistro – Foto de Mateus Tropo

As peças, que acontecem no mesmo dia e contam com elencos grandes, estreiam no dia 07 de março e ficam em cartaz aos sábados e domingos, às 15h e às 17h, até o dia 22 de março. A entrada é gratuita. Página do evento, aqui

As obras “A Pequena Loja Mística da Madame Sinistro” e “Fim dos Tempos” terão sua estreia na lona do Circo da Cidade – Zé Priguiça, no dia 07 de março (sábado) e ficam em cartaz até o dia 22 – aos sábados e domingos – com apresentações sempre às 15h e às 17h, respectivamente. Os ingressos são gratuitos e começam a ser distribuídos uma hora antes do início do espetáculo.

As duas dramaturgias inéditas fazem parte do CIRCO-TEATRO BOQUEIRÃO, novo projeto do coletivo curitibano Palhaçx Gourmet. Por meio de apresentações gratuitas, a iniciativa nasceu com o propósito de movimentar o Circo da Cidade, além de alimentar espaços de convivência e socialização, prática comum de companhias de Circo-Teatro tradicionais.

Essencialmente, os espetáculos são sobre grupos que resistem à imposição de forças maiores, sejam elas grandes empresas ou figuras de autoridades que sequer dão as caras. Em “A Pequena Loja Mística da Madame Sinistro” que acontece às 15h, a personagem Valkiria, mais conhecida como a paranormal Madame Sinistro, juntamente com seu filho Gigi, um jovem que consegue ouvir os objetos falarem, e Adalberto, um aspirante a atirador de facas, trabalham numa loja mística prestes a falir. O sonho de Valkiria sempre foi ter uma loja, mas esse desejo está ameaçado por uma dupla trambiqueira que quer construir um estacionamento na região e para isso precisam expulsar a família do local.

Fim dos Tempos – Foto de Mateus Tropo

Já em “Fim dos tempos”, apresentada às 17h, a personagem Sandra Pereira sonha em montar sua nova peça chamada “Fim dos Tempos” assim que terminar a última apresentação de uma temporada de 10 anos do espetáculo Chapeuzinho Vermelho. Porém, quando o patrocinador chega com mais 300 crianças para uma sessão extra, toda a equipe artística se atrapalha para fazer essa peça que já não queria mais. Enquanto apresenta, uma confusão fora do circo chama a atenção da companhia. A cada dia de exibição, serão apresentadas as duas peças, respectivamente às 15h e às 17h, nas quais o elenco exerce diferentes funções, dividindo-se em atuação, contrarregragem e técnica, trabalhando simultaneamente dentro e fora do espaço cênico. Além disso, as peças se cruzam, com objetos cênicos, cenários e referências que atravessam de uma para a outra.

Para diversificar seu repertório artístico e criar as dramaturgias, as palhaças e os palhaços do coletivo partiram da pesquisa e experimentação sobre a linguagem do Circo-Teatro, um formato popular e originalmente brasileiro. Como parte do processo, o elenco fez, inclusive, uma breve residência artística no Circo de Teatro Tubinho, referência no fazer circo-teatral.

“Estamos propondo um modelo de ocupação de espaço em que as pessoas são convidadas a ficar lá mais tempo do que muitas costumam em peças de teatro ou espetáculos circenses na cidade, vendo as trocas de cenário, a circulação de artistas”, conta Edran Mariano, diretor de produção da peça, sobre a importância do circo como a escolha do palco. 

Além das apresentações gratuitas no Circo da Cidade, o projeto promove outras ações, que incluem sessões exclusivas para alunos de escola pública mediante agendamento, oficinas artísticas gratuitas de Técnicas Circenses, que acontecerão sempre às quartas-feiras (manhã e tarde) entre os dias 11 de março e 15 de abril, intituladas “Palhaçaria Para Iniciantes” e “Números Circenses, além de um Cabaré com os artistas do CIRCO-TEATRO BOQUEIRÃO e os participantes das oficinas artísticas, como forma de encerramento.

SERVIÇO
De 07 a 22 de março, sábados e domingos
15h | A Pequena Loja Mística da Madame Sinistro – Classificação indicativa: 10 anos
17h | Fim dos Tempos – Classificação indicativa: 12 anos
Entrada franca, com ingressos distribuídos uma hora antes do início do espetáculo
Circo da Cidade – Zé Priguiça | Rua Dr. Benedicto Siqueira Branco, s/nº- Alto Boqueirão
Informações: (41) 3287-5307

Sobre o Palhaçx Gourmet
Originado em 2015, o coletivo Palhaçx Gourmet investiga e pratica palhaçaria, improvisação e música. Atualmente com 12 integrantes, o grupo se apresenta um sábado por mês na Casa da Flor Bistrô, em Curitiba, de forma independente e com entrada gratuita. O coletivo acredita na contribuição livre no chapéu como forma de democratizar o acesso ao trabalho produzido, movimentando a cidade culturalmente e instigando reflexão sobre a valorização da arte. Dentre as produções, destacam-se as “Palhaças Gourmet”, o “Cabernet” e o “Ocupa Rua”.

FICHA TÉCNICA
Direção: Ricardo Nolasco
Elenco e Criação: Bruno Lops, Diogo Bonito, Fernanda Fuchs, Igor Ribeiro, Karina Flor, Larissa Lima, Lucri Regianni, Má Ribeiro, Mateus Tropo, Paulo Henrique Carneiro, Rodrigo Fowolski
Provocação e Orientação Artística: Jo Mistinguett (sonoplastia), Leonarda Glück (dramaturgia), Patrícia Cipriano (figurino)
Cenotécnicos: Anderson Quinsler e Felipe Gustavo Casagrande
Costureiras: Adelaide dos Santos Silva, Ana Luiza Costa de Melo, Catarina Ribeiro e Lurdes – Lú Confecções
Iluminação: Victor Sabbag
Produção de Áudios: Jo Mistinguett
Locuções: Ricardo Nolasco
Design Gráfico: Ju Stin
Assessoria de Imprensa e Mídias Sociais: Luísa Bonin e Thays Cristine – Platea Comunicação e Arte
Fotos de Divulgação: Mateus Tropo (registro) e Francineli Valdeira (edição)
Registro Fotográfico: Francineli Valdeira
Registro Audiovisual: Bruno Mancuso
Captação: Renata Cunali e Rumo de Cultura
Assistência de Produção: Dânatha Siqueira e Francineli Valdeira
Direção de Produção: Edran Mariano
Coordenação do Projeto: Bruno Lops, Larissa Lima, Má Ribeiro
Realização: Palhaçx Gourmet

GRUPOS DE TRABALHO – CRIAÇÃO
– Dramaturgia: Bruno Lops, Diogo Bonito e Ricardo Nolasco
– Figurino: Fernanda Fuchs, Karina Flor, Larissa Lima e Patrícia Cipriano
– Sonoplastia: Jo Mistinguett e Rodrigo Fowolski
– Cenários e traquitanas: Igor Ribeiro, Lucri Reggiani, Má Ribeiro, Paulo Henrique Carneiro e Mateus Tropo

OFICINAS PARA COMUNIDADE
Oficinas de Palhaçaria e Orientação Cênica: Larissa Lima e Má Ribeiro
Oficinas de Técnicas Circenses: Sabrina Almeida e Luis Borges

RESIDÊNCIA ARTÍSTICA
Circo de Teatro Tubinho
Projeto realizado com o apoio do Programa de Apoio de Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba, com incentivo do CEDIP e Celepar.

Assessoria de Imprensa
Luísa Bonin e Thays Cristine
Platea Comunicação e Arte
platea.comunicacao@gmail.com

 

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA O NÚCLEO DE PROJETOS AUDIOVISUAIS DE CURITIBA (NPA) – EDIÇÃO 2020

Os roteiristas selecionados terão encontros quinzenais e gratuitos, de março a agosto. Inscrições até 06 de março.

O Núcleo de Projetos Audiovisuais de Curitiba (NPA) está com as inscrições abertas até 06 de março para o processo seletivo de 2020. 24 roteiristas terão a oportunidade de desenvolver e aprimorar seu projeto de série ou longa-metragem de ficção ao longo dos próximos seis meses. Os encontros com os orientadores, a roteirista e diretora curitibana Jessica Candal e o roteirista e professor da escola de cinema latino-americana, EICTV-Cuba, Daniel Tavares, que irão guia-los na escrita dos roteiros, serão quinzenais e totalmente gratuitos. Em formato de fórum de discussão o objetivo é que esses encontros, além de oportunizarem orientações e desenvolvimento de ideias, cultivem principalmente a troca e promova a fala e a escuta entre os artistas. O desejo é que no final os projetos estejam prontos para buscar financiamento para sua viabilização. 

Durante esse período, também serão oferecidas masterclasses com outros profissionais de renome da área. Sempre gratuitas, abertas ao público e irão abordar a narrativa audiovisual sob diferentes perspectivas, de acordo com o ministrante convidado. Em agosto, os projetos participantes do NPA serão apresentados numa Mostra Final, aberta ao público, com a presença de produtores locais e da comunidade. As inscrições podem ser realizadas pelo site: www.tambormultiartes.com 

“As edições sucessivas e regulares do NPA vão criando um espaço de encontro de criadores, realizadores e produtores não só do audiovisual, mas também de outras artes. É um movimento de integração e também de estímulo à produção singular de cada artista. O resultado já está começando a aparecer, com projetos sendo produzidos e aprovados em editais de desenvolvimento e produção. Em breve, veremos alguns desses projetos ocupando espaços de exibição no cinema e na TV. A proposta é que o projeto ganhe mais força ao passar pelo Núcleo, aumentando a probabilidade de viabilizá-lo, além de impulsionar e ajudar a consolidar filmes e séries que trazem as nossas histórias”, declara Marcelo Munhoz, um dos coordenadores do Núcleo. 

“Nosso foco esse ano é aprimorar e potencializar cada etapa do processo: as masterclasses, o trabalho do grupo de desenvolvimento e também ampliar, registrar e divulgar mais os resultados da Mostra Final, que desta vez será aberta ao público”, avisa. 

Projeto aprovado no Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura | PROFICE da Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura | Governo do Estado do Paraná. Apoio: COPEL. 

Conta ainda com o apoio da Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba. 

Sobre a Tambor Multiartes: 
O NPA é uma inciativa da Tambor Multiartes e teve origem no Núcleo de Dramaturgia Cinematográfica do SESI/PR e no Núcleo Audiovisual SESI/PR que formou roteiristas e ajudou a desenvolver projetos de 2012 a 2015. O Núcleo de Crítica de Cinema em 2016 veio consolidar a formação de pensamento sobre a realização audiovisual. Outro projeto realizado pela Tambor foi o Ficção Viva que trouxe importantes cineastas ibero-americanos para ministrar oficinas de roteiro em Curitiba, como Karim Aïnouz, Kleber Mendonça, Guillermo Arriaga (México), Lucrecia Martel (Argentina) e Pedro Costa (Portugal). 

Marcelo Munhoz, um dos coordenadores do NPA, além de fundador da Tambor, foi um dos idealizadores do Projeto Olho Vivo que realizou o Ponto de Cultura Minha Vila Filmo Eu, trabalho de ensino de cinema na Vila das Torres, em Curitiba, que obteve reconhecimento nacional. A Tambor Multiartes realizou ainda o documentário A Grande Nuvem Cinza, com direção de Marcelo Munhoz. Para saber mais visite o site: www.tambormultiartes.com 

SERVIÇO: 
Inscrições para o Núcleo de Projetos Audiovisuais de Curitiba – Edição 2020 
Data: até 06 de março 
Encontros de 21 de março a 15 de agosto 
Inscrições: www.tambormultiartes.com 

CONTATOS: 
Assessoria de Imprensa 
Glaucia Domingos 
41 99909 7837 
glauciadomingos@hotmail.com 

Produção e Coordenação 
Marcelo Munhoz – 41 99903 5516 
Vivian Britsch – 41 98414 4004 
contato@tambormultiartes.com 
www.facebook.com/npacuritiba/ 
instagram: @npacuritiba

ESCRITORES DA COLEÇÃO GERAÇÃO PR10 PARTICIPAM DE DEBATE SOBRE PROCESSO CRIATIVO

Os encontros acontecem no Solar dos Guimarães e leituras de trechos das obras e distribuição gratuita dos livros que integram a série. 

A Kafka Edições, em parceria com a Fundação Cultural de Curitiba (FCC), promove a partir do dia 11 de outubro uma série de conversas com os escritores da Coleção Geração PR10, lançada no início deste mês. As obras, viabilizadas por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Curitiba – Mecenato Subsidiado, retratam a produção literária paranaense após 2010. Os encontros terão mediação do escritor e editor Paulo Sandrini e acontecem no Solar dos Guimarães. 

Os bate-papos começam com Carol Sakura, autora de A Batida dos dias, que na sexta-feira (11/10), debaterá a construção de sua narrativa a partir de elementos oníricos e cotidianos. Com uma potente reflexão diante de um caráter social opressor, sobretudo no que diz respeito às mulheres, a escritora busca compreender o mundo frente ao olhar para si. 

Na quarta-feira (16/10), Jonatan Silva, autor de Histórias mínimas, e Guylherme Custódio, autor de Contos do microcosmo, conversam a respeito do retrato minimalista como metáfora do absurdo cotidiano. Ambos os livros dialogam por meio de textos concisos, mas cuja profundidade ganha contornos imensos. Na sexta-feira (18/10) é a vez de João Paulo Partala e André Knewitz, autores de 14 Corpos de João e Maria e Zumbido, respectivamente, debatem a relação social entre os corpos e a narrativa como forma de combate. 

A Coleção 
A Coleção Geração PR10 é o registro das inquietações e das impossibilidades do sujeito contemporâneo diante do outro. Os seis livros que formam a série criam um importante mosaico de um mundo fragmentado e díspar. “A ideia é fazer com que essa coleção irradie os autores como novos nomes e que continue uma batalha da Kafka Edições em revelar uma ficção que busca desafiar a linguagem”, explica o editor Paulo Sandrini, responsável pela curadoria da coleção Geração PR10, juntamente com Fernando Koproski. 

Com a coleção Geração PR10, a Kafka Edições faz um mergulho denso no conto paranaense em suas novas formas e temáticas, mas sem perder de vista o diálogo com o que é produzido na literatura brasileira e internacional. As seis obras condensam um espírito combativo, experimental e altamente criativo das novas vozes da literatura do Paraná. 

Serviço 
Bate-papo Coleção Geração PR10 

Carol Sakura
Data: 11 de outubro
Horário: 19h 

 
Jonatan Silva e Guylherme Cusatódio
Data: 16 de outubro
Horário: 19h 


João Paulo Partala e André Knewitz
Data: 18 de outubro
Horário: 19h 

Local: Solar dos Guimarães
Endereço: Rua Mateus Leme, 66 – Centro – Curitiba 

FUNDO MUNICIPAL DE CULTURA FINANCIA PROJETOS DE ILUSTRADORES E QUADRINISTAS

Ilustradores, quadrinistas e cartunistas têm até o dia 24 de outubro para se inscrever no Edital Quadrinhos 2020/2021, da Fundação Cultural de Curitiba. Os projetos selecionados receberão recursos do Fundo Municipal de Cultura para a criação e publicação física ou virtual do trabalho, além da realização do evento de lançamento, exposição e workshop.

Serão selecionados 15 projetos de artistas que morem em Curitiba. Para os projetos serão destinados R$ 270 mil (R$ 18 mil para cada um), além de R$ 30 mil para custeio de atividades de apoio ao desenvolvimento dos trabalhos.

+ INFOS:  aqui

fonte

15º CURTA 8 – FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA SUPER 8 DE CURITIBA

Seguem abertas até 25 de setembro de 2019 as inscrições de filmes para as mostras competitivas do 15º CURTA 8 – Festival Internacional de Cinema Super 8 de Curitiba

Nos últimos anos o Curta 8 tem promovido a produção, exibição, divulgação e premiação de filmes na bitola super-8, além de resgatar a memória da produção cinematográfica produzida em super-8 no Brasil e no mundo.

O festival será realizado de 8 a 10 de novembro de 2019 no Cine Passeio, localizado à Rua Riachuelo, 410, Centro, Curitiba/PR, Brasil.

O evento tem a coordenação geral de Antonio Carlos Domingues, com produção de Adriano Esturilho e Fábio Allon, e direção de projeção de Lucas Vega. 

O Curta 8 é uma realização da PERFIL comunicação e cultura e da Processo MultiArtes, que conta com os apoios do Cine Passeio, ICAC – Instituto de Cultura e Arte de Curitiba, Fundação Cultural de Curitiba, Prefeitura Municipal de Curitiba e rádio Uni FM.

fonte

2017 – Curta 8 (Vinheta v02) from Processo MultiArtes on Vimeo.

PASSEIO AUDIOVISUAL – INVESTIGAÇÕES AUDIOVISUAIS PELO CENTRO DE CURITIBA

Passeio Audiovisual é uma oficina de realização audiovisual com sessões teóricas e práticas de direção de arte, direção de fotografia e realização visando a construção de narrativas fílmicas pelo centro de Curitiba. 

Os vídeos produzidos pelos alunos serão exibidos em uma mostra pública no Cine Passeio e no SESI Paula Gomes.

A oficina acontece de 17/09 à 31/10 todas as terças e sextas das 18:30 às 22:00 no Cine Passeio (60h) e é gratuita mediante seleção.

Os interessados devem realizar inscrição até o dia 10/09. A oficina é aberta à todas as pessoas acima de 16 anos. São 30 vagas.

O resultado da seleção sai no dia 11/09. Mais informações no email: passeioaudiovisual@gmail.com e/ou na fanpage, aqui

INQUIETAS: PROJETO REÚNE MULHERES EM SHOWS E OFICINAS COM PROGRAMAÇÃO GRATUITA

Thais Morell

Somando fazeres artísticos, edição busca expressar potências femininas como prazer, força, intuição e resistência

Entre os dias 3 e 6 de outubro, o Conservatório de MPB de Curitiba recebe o projeto Inquietas, com a proposta de fortalecer a produção musical feminina. Durante a programação de shows e oficinas, protagonistas da música se encontram com profissionais de outras áreas para somar seus fazeres artísticos. Criada em 2017, a iniciativa traz a edição “Potências Femininas”, com base nos pilares prazer, força, intuição e resistência.

“Mulheres são inquietas. Assim como são as cantoras, instrumentistas, compositoras, poetas, atrizes, cuidadoras, donas de suas casas, de seus corpos e de suas vozes. A curadoria foi pensada para conectar mulheres e levar ao público a diversidade de suas ações”, comenta a cantora e compositora Cida Airam, idealizadora do Inquietas em conjunto com a produtora cultural Carolina Melo.

Com entrada gratuita, a programação inclui quatro oficinas e quatro shows, criando uma conexão entre temas socioculturais e artísticos. Entre as oficinas, estão: “Cuidados íntimos femininos”, com Leticia Ribas; “Autonomia feminina na gestação e parto”, com Tuane Abreu; “A mulher na capoeira”, com Meia Lua; e “Danças circulares”, com Cleo Cavalcantty.

Os shows abrem com a compositora, cronista sonora e performer Amira Massabki, que cria um diálogo bem humorado entre música e literatura em “Somos Várias”. Em seguida, as artistas Cida Airam, Érica Silva e Gabriela Bruel integram o Mestiça, retratando o cotidiano feminino e suas diversas realidades sob a influência de ritmos brasileiros.

Apresentando “O canto das yabás”, a cantora Jay Ferreira dá sequência aos shows, trazendo sua pesquisa de cânticos afro-brasileiros sobre as orixás femininas. Para finalizar, Raissa Fayet e Thais Morell se unem para formar o Muié, num escambo de músicas e sonoridades que trazem à tona ideias sobre mulheres na música.

Serviço:
Inquietas: Edição Potências Femininas
Data: 3 a 6/10
Local: Conservatório de MPB de Curitiba
Endereço: rua Mateus Leme, 66, centro de Curitiba
Entrada gratuita

PROGRAMAÇÃO COMPLETA


3/10, quarta – Prazer
18h: Oficina “Cuidados íntimos femininos”, com Leticia Ribas
19h30: Show Amira Massabki (com Esquerdinha)


4/10, quinta – Força
18h: Oficina “Autonomia feminina na gestação e parto”, com Tuane Abreu
19h30: Show Mestiça (Cida Airam, Érica Silva e Gabriela Bruel)


5/10, sexta – Resistência
18h: Oficina “A mulher na capoeira”, com Meia Lua
19h30: Show Jay Ferreira (com Jonas Lopes e Ricardo Salmazo)


6/10, sábado – Intuição
10h: Vivência “Danças circulares”, com Cleo Cavalcantty
11h: Show Muié (Raissa Fayet e Thais Morell)

fonte: Gabriela Titon | HAI Studio

ESPETÁCULO TEATRAL “POSES PARA DORMIR”, COM DIREÇÃO DE DIEGO FORTES, TEM TEMPORADA GRATUITA E É ENCENADO NA TORRE DO MON

POSES PARA DORMIR. Créditos da foto: Eika Yabusame

A nova montagem de Diego Fortes d`A Armadilha Cia de Teatro, “Poses para Dormir”, é um texto inédito no Brasil da argentina Lola Arias e estreia dia 6 de setembro às 20h na Torre do Museu Oscar Niemeyer (MON), a entrada é franca

“Poses para Dormir” fica em cartaz de 06 à 30 de setembro, quinta e sexta às 20h, sábado com sessão dupla às 18h e às 20h, e domingo às 18h, no Espaço Araucária, que fica dentro da Torre do Museu Oscar Niemeyer (MON), sempre com entrada gratuita, sendo a distribuição dos ingressos feita 1h antes de cada sessão, no próprio MON.

Inédito no Brasil, o texto escrito pela aclamada dramaturga argentina Lola Arias e traduzido e dirigido pelo curitibano Diego Fortes, “Poses para Dormir” se passa em um futuro distópico, em dois apartamentos que ocupam o andar de um prédio em uma cidade sitiada pela guerra. Encenado na Torre do Olho, no Espaço Araucária, a peça é uma instalação onírica em uma espécie de fim do mundo, onde as identidades das personagens Nadia (Guenia Lemos) e seu marido Bruno (Diego Fortes), se confundem com a dos vizinhos Jota (Richard Rebelo) e Tao (Giuly Biancato) em uma série de coincidências absurdas.

“O espetáculo é uma experiência instigante, uma provocação: assistir a uma peça de teatro num lugar que normalmente não convencional, um texto que não é tradicional e que lida com ambiguidades, as coisas não são uma coisa ou outra, elas têm mais de um significado ao mesmo tempo”, afirma Diego Fortes sobre a obra.

Comportamento humano, sonho, morte e identidade são alguns dos temas da peça. A cada cena, os 4 personagens estão diferentes, as situações absurdas geram momentos cômicos de um riso nervoso. Uma experiência onírica e descolada da realidade.

A temporada em Curitiba é curta, apenas 1 mês no MON, e os ingressos podem ser retirados com 1h de antecedência na porta da Torre do Museu, onde normalmente os visitantes saem. Para essa temporada, os espectadores entrarão diretamente na Torre, que dá acesso direto ao Espaço Araucária. O espetáculo tem duração de 60 minutos, comporta 48 espectadores por sessão e não é recomendado para menores de 16 anos.

Com essa obra, Diego Fortes retorna à Curitiba depois de temporada em São Paulo, onde dirigiu “Molière”, estrelada por Matheus Nachtergaele, Renato Borghi e um elenco de 14 músicos e atores, muitos deles de Curitiba. Molière é sucesso de público e crítica e está agora em temporada no Rio de Janeiro.

Serviço:
Poses para Dormir
Texto: Lola Arias
Direção: Diego Fortes
Estreia dia 06 de setembro às 20h
Local: Espaço Araucária – na Torre do Museu Oscar Niemeyer (MON) – Rua Marechal Hermes, 999, Centro Cívico.
Entrada franca: Os ingressos começam a ser distribuídos 1h antes do início de cada sessão, na porta da Torre do MON.
Temporada: 06 a 30 de setembro, de quinta a domingo.
Quintas e sextas às 20h
Sábados – sessão dupla – às 18h e às 20h
Domingos às 18h
Lotação: 48 pessoas
Página do evento, aqui

Ficha técnica:
Texto: Lola Arias
Tradução: Diego Fortes
Direção: Diego Fortes
Atores: Giuly Biancato, Guenia Lemos, Richard Rebelo e Diego Fortes
Iluminação: Nadja Naira
Operação de luz: Elisa Ribeiro
Cenário: Guenia Lemos – Prego Torto & Cia
Cenotecnia: Willian Batista – Studio Fabrika
Figurino: Maureen Miranda
Direção de Movimento: Ane Adade
Trilha Original: Fábio Cardoso
Produção Executiva: Ludmila Nascarella
Comunicação e Mídias Sociais: Luísa Bonin – Platea Comunicação e Arte
Design: Blanc.ag Design e Conteúdo
Maquiagem foto: Juliane Lis Siebert
Vídeos: Alan Raffo
Coordenação Financeira: Rubens Neves – Operativ Consultoria
Captação de Recursos: Meire Abe

“PROJETO REALIZADO COM O APOIO DO PROGRAMA DE APOIO E INCENTIVO À CULTURA – FUNDAÇÃO CULTURAL DE CURITIBA E DA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA”

Realização:
A Armadilha
Parceria:
Museu Oscar Niemeyer (MON)
Incentivo:
Instituto Joanir Zonta – Empresa mantenedora: Condor, EBANX, CEDIP
Incentivo: Lei de Incentivo à Cultura, Fundação Cultural de Curitiba, Prefeitura de Curitiba

Sobre A Armadilha:
A Armadilha, fundada e dirigida por Diego Fortes, atua há 17 anos e é conhecida por apresentar propostas fundamentadas num permanente processo de pesquisa e criação em dramaturgia, e pela por reunir em suas produções teatrais, refinamento conceitual,   compreensão e a acessibilidade de diversos públicos.

Alguns dos trabalhos d´A Armadilha: Bolacha Maria (2008), Jornal da Guerra Contra os Taedos (2009), Duas da Manhã (2012) trouxeram autores até então inéditos no teatro no Brasil e foram muito bem recebidos pelo público e pela crítica.  A Armadilha também tem um trabalho focado na dramaturgia original, os espetáculos Café Andaluz (2005) e Os Leões (2006) foram escritos por Diego Fortes sob pseudônimos. Os Leões chegou a ser considerado pela crítica nacional como o grande destaque do Festival de Teatro de Curitiba em 2007. Foi encenado em São Paulo, a convite do SESC no Projeto Primeiro Sinal, em Salvador, no l Festival Nacional de Teatro da Bahia – 2007 na Mostra Nacional e em Brasília, na Caixa Cultural e abriu o XVI Festival Nordestino de Teatro de Guaramiranga em 2009. Além dos trabalhos próprios, A Armadilha organizou junto com outras companhias as 3 primeiras edições da Mostra Novos Repertórios, evento especial do Festival de Curitiba onde são exibidas peças e leituras de companhias de teatro contemporâneo. Em 2011, organizou a Mostra Outros Lugares – teatro de novos autores, que reúne peças com textos originais e inéditos. Com o objetivo de promover a formação de plateia em teatro, com bastante frequência, promove apresentações com ingressos gratuitos nos espetáculos concebidos e distribuídos com verbas públicas, acreditando ser uma medida necessária e democrática de acesso à cultura. Por isso, a pesquisa artística está direcionada a obras de alta qualidade e reflexão artística, sem perder de vista a comunicação com o público, mesmo que seja a primeira oportunidade deste público de entrar em um teatro.