APÓS CALOROSA EXIBIÇÃO NO HISTÓRICO TEATRO AMAZONAS, DOCUMENTÁRIO “O RIO NEGRO SÃO AS PESSOAS” ESTREIA NA CINEMATECA DE CURITIBA


A coprodução Paraná/Amazonas revela a dinâmica da vida da comunidade ribeirinha da região do baixo Rio Negro, no entorno do Parque Nacional de Anavilhanas, na Amazônia. A exibição do filme será seguida de bate-papo com a equipe de criação.

Filmado em 2018, o documentário “O Rio Negro São As Pessoas”, dirigido por João Tezza Neto e Juliana Barros, irá estrear na Cinemateca de Curitiba no dia 18 de junho, com entrada gratuita. A exibição será seguida de debate com os convidados José Álvaro da Silva Carneiro, Mary Allegretti e Natalie Unterstell. A programação também conta com o lançamento do livro fotográfico “O Rio, As Pessoas, O Filme” do fotógrafo Maringas Maciel e da fotógrafa Bárbara Umbra – que será vendido no dia do evento com valor promocional de R$ 30,00.

As duas obras apresentam personagens e situações em comunidades e cidades ribeirinhas, num recorte geográfico abrangendo a região do baixo rio Negro, no entorno do arquipélago de Anavilhanas. O livro e o documentário são resultados de uma coprodução entre Ave Lola Espaço de Criação (PR) e Árvore Alta (AM).

O projeto teve a sua estreia nacional no dia 01 de junho no Teatro Amazonas para um público de 500 pessoas – incluindo a ilustre presença da maioria dos personagens do filme na plateia – e logo em seguida seguiu para o lançamento na cidade de Novo Airão, comunidades Renascer e Tumbira. No dia 11 de junho, a estreia acontece na Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, às 19h.

No lançamento em Curitiba, estará presente na plateia a personagem Graziela Santos. Com apenas 23 anos, a arqueira indígena amazonense Graziela Santos, da etnia Karapana, ocupa o 1º lugar  ranking brasileiro de arquearia e neste mês competirá no Mundial de Tiro com Arco da Holanda, que servirá de etapa classificatória para os Jogos Olímpicos de Tokyo, em 2020.

O Rio Negro São As Pessoas é resultado da profunda investigação do diretor curitibano João Tezza Neto, que há dez anos vive na região trabalhando em projetos para geração de renda e contenção do desmatamento na Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Rio Negro.

“Essas comunidades são do interior, mas tem forte relação com Manaus e isso estabelece uma dinâmica social específica e uma cultura própria, revelando valioso patrimônio imaterial. O processo foi construído com muita paciência, tranquilidade e delicadeza por todos os envolvidos. Espero que de algum modo contribua para a sociedade em geral valorizar o modo de vida simples e típico dessas comunidades. O papel deles é crucial para conservar a biodiversidade e eles precisam ser reconhecidos e fortalecidos. Quem sabe, de algum modo, essa obra ajude a sociedade a entender melhor esse contexto de riqueza humana e material que tanto precisa ser valorizado.”, diz João Tezza Neto.

Para codirigir o filme, Tezza convidou a diretora acreana Juliana Barros: “O filme revela os Brasis, dentro de um país continental, tão pouco conhecido para maioria. ‘O Rio Negro São As Pessoas’ é um mergulho nessas águas escuras, de histórias profundas dessa gente.”

Sobre o projeto
Conhecer a Amazônia brasileira e as pessoas que nela habitam é uma forma de compreender a pluralidade cultural existente neste país de dimensões continentais e realidades tão distintas. Por esse motivo, este projeto nasceu com o intuito de registrar de uma forma sensível as pessoas que vivem às margens do Rio Negro, um cotidiano que tanto se mistura aos mitos amazônicos quanto se distancia do imaginário comum dos que  estão mais afastados da Floresta.

O Projeto “O Rio Negro São As Pessoas”, filme e livro, foi financiado pela Lei de Incentivo à Cultura e é uma realização da Ave Lola Espaço de Criação e Governo Federal por meio do Ministério da Cidadania e da Secretaria Especial da Cultura. Foi coproduzido pela Árvore Alta Realizações Artísticas e tem como instituição beneficiada o Hospital Pequeno Príncipe.

Sobre o filme
O Rio Negro São As Pessoas – 2019 (52’)
Documentário
Direção: João Tezza Neto e Juliana Barros
Sinopse: Na região do baixo rio Negro, no entorno do Parque Nacional de Anavilhanas, o documentário O Rio Negro São As Pessoas procura revelar a dinâmica da vida ribeirinha: o que é crescer livre, nadando num rio imenso e escuro; o que é a necessidade de partir, o desejo esquecido de voltar e a escolha por ficar. São gerações que resistem em terras que foram conquistadas antes mesmo do Brasil e que, ainda hoje, o Brasil pouco conhece.

Programação
18 de junho de 2019
18h30 às 19h30 | Lançamento do livro O Rio, As Pessoas, O filme e autógrafos;
19h30 às 20h30 | Exibição do filme O Rio Negro São As Pessoas;
20h30 às 21h30 | Debate com João Tezza Neto, José Álvaro da Silva Carneiro, Mary Allegretti e Natalie Unterstell.
Local: Cinemateca de Curitiba (Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 1174 – São Francisco, em Curitiba)
Classificação Indicativa: Livre
Tipo: Audiovisual / Cinema
Ingressos: Entrada franca
Facebook: @orionegrosaoaspessoasa
Instagram: @orionegrosaoaspessoas
Site: www.orionegrosaoaspessoas.com.br


VEM AÍ O ART SESSION – 2ª EDIÇÃO

Com o objetivo de fomentar e disseminar a arte independente, trazendo um novo olhar para as produções contemporâneas, o Art Session promoverá no dia 06 de outubro, na Cinemateca de Curitiba, a sua segunda edição. Inscrições gratuitas!

Este ano o evento trará a literatura e o cinema como protagonistas de um caloroso bate-papo com cineastas, produtores, roteiristas e autores sobre a influência dos livros no mundo do cinema.

O Art Session – 2a Edição contará com uma mostra de cinema, no qual exibirá três trabalhos: o curta-metragem “Elisa Esteve Aqui” da produtora Somaê (São Paulo), vencedor do edital 2018, o curta-metragem “Vazante” do diretor Fábio Allon e a sessão de Hakais da FAP. “Um haikai é poesia comprimida. Um filme-haikai é cinema em forma mínima. Do choque entre texto e imagem temos uma explosão de sentidos em pequenas pílulas audiovisuais. Os filmes-haikais desta sessão são uma pequena amostra do trabalho desenvolvido pelos meus alunos de Direção Audiovisual II no 3o período do curso de Cinema e Audiovisual da FAP/UNESPAR” (Fábio Allon, curador da sessão). Na ocasião também haverá a premiação de Rogele Caldeira, autora do conto vencedor do edital 2018.

Além das exibições e premiações, o evento também contará com um workshop gratuito sobre Escrita de Roteiro, ministrado por Gisele Badenes, Roteirista do Sesc Departamento Nacional e da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio).

Durante a programação haverá um bate papo com convidados especiais: Prof. Dr. Hertz Wendel de Camargo, professor dos cursos de Comunicação e Pós da UFPR, Gisele Badenes, Roteirista do Sesc Departamento Nacional e da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio), Gabriela Ribeiro da Escola de Escrita Ficcional – Escrevo, Nicole Sourient, publicitária e produtora da Casca Filmes, entre outros convidados.

A segunda edição do Art Session acontecerá no dia 06 de outubro das 16h30 às 21h na Cinemateca de Curitiba. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas deste site. Será fornecida certificação para horas complementares aos participantes que solicitarem no ato de inscrição.

O evento é idealizado pelos ex-alunos do curso de Comunicação Institucional da UFPR, Renata Albino de Oliveira, Gian Fernandes Gonçalves e Jenniffer Melo. Atualmente a equipe de organização conta com o apoio de alunos de Comunicação Institucional e do Curso de Secretariado da Universidade Federal do Paraná.

SERVIÇO
Art Session – 2a Edição
Data: 06 de outubro de 2018
Horário: das 16h30 às 21h (confira programação no site)
Local: Cinemateca de Curitiba | Rua: Presidente Carlos Cavalcanti, 1174, São Francisco, Curitiba.
Inscrições gratuitas!
Confira a página do evento, aqui

1ª MOSTRA DA PRESERVAÇÃO AUDIOVISUAL CINEMATECA/UNESPAR

1ª Mostra da Preservação Audiovisual Cinemateca/Unespar. Entrada gratuita. Em Curitiba.

Neste fim de semana acontece na Cinemateca de Curitiba a 1ª. Mostra da Preservação Audiovisual Cinemateca/Unespar. A mostra é organizada pelos alunos da disciplina Cultura da Preservação Audiovisual, do Curso de Cinema e Audiovisual da FAP/Unespar, sob a orientação do professor da disciplina, o cineasta Fernando Severo, ex-diretor do Museu da Imagem e do Som do Paraná e membro da ABPA-Associação Brasileira de Preservação Audiovisual.

No sábado, dia 16/12, será realizada uma sessão em homenagem ao pesquisador Paulo José da Costa, que tem realizado com recursos próprios um importante trabalho de busca, restauro, preservação e compartilhamento de documentos históricos, fotografias antigas e filmes raros. Na ocasião vai acontecer a estreia do documentário “Crônicas de um Memorialista”, dirigido por Vanessa Leal à frente de uma equipe formada por alunos, que aborda o importante trabalho de Paulo na preservação da memória audiovisual brasileira. Também nessa sessão serão exibidos diversos filmes na bitola 16mm do acervo do colecionador, realizados por Arnaldo Lippmann e Eugênio Hauer Kwasinski, que mostram cenas raras do Paraná e Santa Catarina nas décadas de 1940 e 1950.

No domingo, 17/12, a mostra prossegue com diversos filmes preservados no acervo da Cinemateca de Curitiba a partir de sua fundação em 1975. São filmes realizados por pioneiros do cinema paranaense como Annibal Requião, J. B. Groff e Hermes Gonçalves, e pela produtora Botelho Filmes. Dois filmes importantes que não são exibidos há décadas também fazem parte do programa. “Sensibilize-se”(1980), tem direção coletiva e aborda o trabalho inovador de Guido Viaro, o primeiro pintor paranaense a registrar em sua obra cenas da periferia de Curitiba. “Na Santa Felicidade” (1979) foi dirigido pelo idealizador da Cinemateca e seu primeiro diretor, Valêncio Xavier, e registra costumes, tradições e tipos populares entre os descendentes dos imigrantes italianos que se instalaram no bairro Santa Felicidade. A mostra recebeu a assessoria técnica do cineasta Marcos Sabóia, responsável pelo acervo da Cinemateca. A instituição terá seus filmes exibidos em suas bitolas originais, em película 35mm e 16mm. A classificação indicativa é livre, a entrada gratuita e o início das sessões acontece às 19h30.

Serviço:
1a. Mostra da Preservação Audiovisual Cinemateca/Unespar
Data: 16 e 17 de dezembro
Horário: 19h30
Local: Cinemateca de Curitiba
Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 1174
Classificação indicativa: Livre
Entrada gratuita

PROGRAMAÇÃO COMPLETA:

16/12 – Sábado – 19h30

CRÔNICAS DE UM MEMORIALISTA – direção de Vanessa Leal
Documentário sobre o pesquisador Paulo José da Costa

FILMES EM 16MM DO ACERVO DE PAULO JOSÉ DA COSTA:

MOSTRA ARNALDO LIPPMANN

PRAIAS DOS PARANÁ (1952, 9′)
Cenas de famílias paranaenses nas cidades de Matinhos, Guaratuba e Caiobá.

PRAIAS DO PARANÁ E PRAÇA CARLOS GOMES(1951, 11′)
Cenas de cotidiano; Praça Carlos Gomes; Caiobá, pescaria e mergulho.

CASAMENTO DE SIRLEI MALUCCELLI E LOURIVAL LIPPMANN (1949, 9′)
Saída com carros; Praça Rui Barbosa; Rua Marechal Floriano; Festa.

MOSTRA EUGÊNIO HAUER KWASINSKI

VIAGEM A SANTA CATARINA (1944, 9′)
Estrada; Carro à gasogênio; Joinville; Balsa Cabeçudas; Praia dos Amores; Orquídea na Praia Brava e pescadores.

EXCURSÃO A VILA VELHA (1947/48, 9′)
Rio dos papagaios; Garimpo; Tropeiros na estrada; Ponta Grossa; Vila Velha; Acampamento.

VIAGENS (década de 1940, 11′)
Curitiba; Praia; Antonina; Rio de Janeiro; Campos Gerais.

VIAGEM PELO RIO IVAÍ (1949, 10′)
Rio abaixo; Encontro com indígenas.

17/12 – Domingo – 19h30

FILMES EM 35MM DO ACERVO DA CINEMATECA DE CURITIBA:

L’ETAT DU PARANÁ (Botelho Film, década de 1910/20, 7′)
Estrada de Ferro Paranaguá-Curitiba – Maria Fumaça, túneis, paisagens da Serra do Mar, vista de Paranaguá, Porto de Paranaguá. Estrada da Graciosa, transporte com balsa e barco pelos rios Paranapanema, Tibagi, Ivaí, Iguaçu, Paraná. Vista da Cidade de Guaíra. Fábrica de sacos, construção de barcos.

O QUE É O PARANÁ (Botelho Film, década de 1910/20, 12′)
Viagem de trem pela Serra do Mar salientando aspectos da natureza local.

CIDADES DO PARANÁ – direção de J. B. Groff (1936, 20′)
Documentário sobre aspectos gerais e o desenvolvimento de sete cidades paranaenses – Antonina, Paranaguá, Curitiba, Ponta Grossa, Palmeira, Lapa e Rio Negro.

FILMES EM 16MM DO ACERVO DA CINEMATECA DE CURITIBA:

CARNAVAL EM CURITIBA – direção de Annibal Requião (1920, 7′)
Desfile de carnaval no centro de Curitiba, analisando aspectos do corso carnavalesco. Imagens de Fido Fontana e Ildefonso Serro Azul no seu luxuoso automóvel Benz 45HP.

USOS E COSTUMES DOS COLONOS POLONESES – direção de Hermes Gonçalves (1952, 11′)
As tradições dos imigrantes poloneses no Paraná. Casamento típico, colheita e festa do trigo.

NA SANTA FELICIDADE – direção de Valêncio Xavier (1979, 17′))
Costumes, tradições e tipos populares entre descendentes dos imigrantes italianos que se radicaram no bairro Santa Felicidade

SENSIBILIZE-SE – direção coletiva (1980, 10′)
Evocação da passagem do pintor Guido Viaro pela periferia de Curitiba

APRESENTAÇÃO DAS SESSÕES: Agnan Siqueira

VISÃO CURATORIAL
Stefano Lopes
Natália Teraoka
Yasmin dos Reis
Manoelle Fuzaro

A preservação audiovisual tem se tornado um tema crescente e persistente nos ambientes que atravessam o Cinema nacional. Não por acaso: toda a história da nossa cultura audiovisual é, cada vez mais, parte integrante da grandeza do patrimônio cultural brasileiro. Nesse sentido, para além dos contextos de desenvolvimento estratégico e de disseminação teórico-metodológica, a 1ª Mostra da Preservação Audiovisual Cinemateca/Unespar, realizada por alunos do quarto semestre do curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Estadual do Paraná – campus de Curitiba II/Faculdade de Artes do Paraná sob a orientação do professor e cineasta Fernando Severo, propõe o debate e a reflexão sobre o tema através do contato direto do público com os resultados de projetos de preservação audiovisual.

Para mostrar o resgate histórico e cultural de filmes antigos de arquivo e a importância de preservá-los, a mostra terá como tema os estados do Paraná e Santa Catarina. Serão exibidos filmes que mostram a arquitetura e estilo de vida de cidades paranaenses em décadas passadas e revelam imagens de algumas locações catarinenses. Dentre os filmes exibidos teremos um que foi produzido no final da década de 1970 por Valêncio Xavier, fundador e diretor da Cinemateca do Museu Guido Viaro (atual Cinemateca de Curitiba), que conduziu uma equipe na realização do documentário “Na Santa Felicidade”. Rodado na bitola 16mm com negativo colorido, o filme registra costumes, tradições e tipos populares entre descendentes dos imigrantes italianos que se radicaram no bairro Santa Felicidade, um dos mais antigos de Curitiba. “Sensibilize-se”(1980), tem direção coletiva e aborda o trabalho inovador de Guido Viaro, o primeiro pintor paranaense a registrar em sua obra cenas da periferia de Curitiba.

Também teremos uma programação especial com Paulo José da Costa, proprietário da Livraria Fígaro, que pessoalmente procura e resgata filmes históricos, em sua maioria nas bitola 16 mm e Super 8. Enriquecendo a mostra com relatos pessoais e exibindo filmes de seu acervo, Paulo será homenageado através do documentário “Crônicas de Um Memorialista”, realizado especialmente para a mostra.

Além do resgate histórico e cultural da sociedade paranaense, a mostra propiciará ao público a oportunidade de assistir as obras projetadas em película de 35mm e 16mm, sendo essa uma forma cada vez mais rara de vivência cinematográfica, pois as películas vem perdendo cada vez mais seu espaço para o cinema digital.

No sábado, a programação conta com filmes amadores das décadas de 40 e 50 que mostram não só as cidades paranaenses como também a cultura que atravessava essas cidades, a vivência das pessoas nesses lugares, sobretudo pelo olhar de dois grandes nomes da história do estado: Arnaldo Lippmann e Eugênio Hauer Kwasinski.

Domingo, a mostra contempla o acervo de películas em nitrato da Cinemateca de Curitiba, como os filmes silenciosos da Botelho Films do Rio Janeiro, mostrando a importância da região paranaense nas décadas 1920 a 1970. O trabalho de restauração foi feito principalmente pelo Laboratório de Restauro da Cinemateca Brasileira.

EQUIPE DE CRÔNICAS DE UM MEMORIALISTA – Vanessa Leal, Luiz Alberto Bonin, Elisa Pocai, Matheus Carneiro

RESPONSÁVEIS TÉCNICOS – Higor Casagrande, Gabriel Chemin, Fernando Macedo, Odair Rodrigues

ARTE – André Carneiro, Thayana Andreatta, Taís Armani

FICHA CATALOGRÁFICA – Helena Volani, Pedro Monte Kling

Local: Cinemateca de Curitiba. Rua Carlos Cavalcanti, 1174, São Francisco, Curitiba
Data: 16 e 17 de dezembro, das 19:30 às 22h

Confira a página do evento, aqui