EM DOSE DUPLA: CIRCO DA CIDADE RECEBE DOIS ESPETÁCULOS GRATUITOS DE CIRCO-TEATRO COM O COLETIVO PALHAÇX GOURMET

A Pequena Loja Mística da Madame Sinistro – Foto de Mateus Tropo

As peças, que acontecem no mesmo dia e contam com elencos grandes, estreiam no dia 07 de março e ficam em cartaz aos sábados e domingos, às 15h e às 17h, até o dia 22 de março. A entrada é gratuita. Página do evento, aqui

As obras “A Pequena Loja Mística da Madame Sinistro” e “Fim dos Tempos” terão sua estreia na lona do Circo da Cidade – Zé Priguiça, no dia 07 de março (sábado) e ficam em cartaz até o dia 22 – aos sábados e domingos – com apresentações sempre às 15h e às 17h, respectivamente. Os ingressos são gratuitos e começam a ser distribuídos uma hora antes do início do espetáculo.

As duas dramaturgias inéditas fazem parte do CIRCO-TEATRO BOQUEIRÃO, novo projeto do coletivo curitibano Palhaçx Gourmet. Por meio de apresentações gratuitas, a iniciativa nasceu com o propósito de movimentar o Circo da Cidade, além de alimentar espaços de convivência e socialização, prática comum de companhias de Circo-Teatro tradicionais.

Essencialmente, os espetáculos são sobre grupos que resistem à imposição de forças maiores, sejam elas grandes empresas ou figuras de autoridades que sequer dão as caras. Em “A Pequena Loja Mística da Madame Sinistro” que acontece às 15h, a personagem Valkiria, mais conhecida como a paranormal Madame Sinistro, juntamente com seu filho Gigi, um jovem que consegue ouvir os objetos falarem, e Adalberto, um aspirante a atirador de facas, trabalham numa loja mística prestes a falir. O sonho de Valkiria sempre foi ter uma loja, mas esse desejo está ameaçado por uma dupla trambiqueira que quer construir um estacionamento na região e para isso precisam expulsar a família do local.

Fim dos Tempos – Foto de Mateus Tropo

Já em “Fim dos tempos”, apresentada às 17h, a personagem Sandra Pereira sonha em montar sua nova peça chamada “Fim dos Tempos” assim que terminar a última apresentação de uma temporada de 10 anos do espetáculo Chapeuzinho Vermelho. Porém, quando o patrocinador chega com mais 300 crianças para uma sessão extra, toda a equipe artística se atrapalha para fazer essa peça que já não queria mais. Enquanto apresenta, uma confusão fora do circo chama a atenção da companhia. A cada dia de exibição, serão apresentadas as duas peças, respectivamente às 15h e às 17h, nas quais o elenco exerce diferentes funções, dividindo-se em atuação, contrarregragem e técnica, trabalhando simultaneamente dentro e fora do espaço cênico. Além disso, as peças se cruzam, com objetos cênicos, cenários e referências que atravessam de uma para a outra.

Para diversificar seu repertório artístico e criar as dramaturgias, as palhaças e os palhaços do coletivo partiram da pesquisa e experimentação sobre a linguagem do Circo-Teatro, um formato popular e originalmente brasileiro. Como parte do processo, o elenco fez, inclusive, uma breve residência artística no Circo de Teatro Tubinho, referência no fazer circo-teatral.

“Estamos propondo um modelo de ocupação de espaço em que as pessoas são convidadas a ficar lá mais tempo do que muitas costumam em peças de teatro ou espetáculos circenses na cidade, vendo as trocas de cenário, a circulação de artistas”, conta Edran Mariano, diretor de produção da peça, sobre a importância do circo como a escolha do palco. 

Além das apresentações gratuitas no Circo da Cidade, o projeto promove outras ações, que incluem sessões exclusivas para alunos de escola pública mediante agendamento, oficinas artísticas gratuitas de Técnicas Circenses, que acontecerão sempre às quartas-feiras (manhã e tarde) entre os dias 11 de março e 15 de abril, intituladas “Palhaçaria Para Iniciantes” e “Números Circenses, além de um Cabaré com os artistas do CIRCO-TEATRO BOQUEIRÃO e os participantes das oficinas artísticas, como forma de encerramento.

SERVIÇO
De 07 a 22 de março, sábados e domingos
15h | A Pequena Loja Mística da Madame Sinistro – Classificação indicativa: 10 anos
17h | Fim dos Tempos – Classificação indicativa: 12 anos
Entrada franca, com ingressos distribuídos uma hora antes do início do espetáculo
Circo da Cidade – Zé Priguiça | Rua Dr. Benedicto Siqueira Branco, s/nº- Alto Boqueirão
Informações: (41) 3287-5307

Sobre o Palhaçx Gourmet
Originado em 2015, o coletivo Palhaçx Gourmet investiga e pratica palhaçaria, improvisação e música. Atualmente com 12 integrantes, o grupo se apresenta um sábado por mês na Casa da Flor Bistrô, em Curitiba, de forma independente e com entrada gratuita. O coletivo acredita na contribuição livre no chapéu como forma de democratizar o acesso ao trabalho produzido, movimentando a cidade culturalmente e instigando reflexão sobre a valorização da arte. Dentre as produções, destacam-se as “Palhaças Gourmet”, o “Cabernet” e o “Ocupa Rua”.

FICHA TÉCNICA
Direção: Ricardo Nolasco
Elenco e Criação: Bruno Lops, Diogo Bonito, Fernanda Fuchs, Igor Ribeiro, Karina Flor, Larissa Lima, Lucri Regianni, Má Ribeiro, Mateus Tropo, Paulo Henrique Carneiro, Rodrigo Fowolski
Provocação e Orientação Artística: Jo Mistinguett (sonoplastia), Leonarda Glück (dramaturgia), Patrícia Cipriano (figurino)
Cenotécnicos: Anderson Quinsler e Felipe Gustavo Casagrande
Costureiras: Adelaide dos Santos Silva, Ana Luiza Costa de Melo, Catarina Ribeiro e Lurdes – Lú Confecções
Iluminação: Victor Sabbag
Produção de Áudios: Jo Mistinguett
Locuções: Ricardo Nolasco
Design Gráfico: Ju Stin
Assessoria de Imprensa e Mídias Sociais: Luísa Bonin e Thays Cristine – Platea Comunicação e Arte
Fotos de Divulgação: Mateus Tropo (registro) e Francineli Valdeira (edição)
Registro Fotográfico: Francineli Valdeira
Registro Audiovisual: Bruno Mancuso
Captação: Renata Cunali e Rumo de Cultura
Assistência de Produção: Dânatha Siqueira e Francineli Valdeira
Direção de Produção: Edran Mariano
Coordenação do Projeto: Bruno Lops, Larissa Lima, Má Ribeiro
Realização: Palhaçx Gourmet

GRUPOS DE TRABALHO – CRIAÇÃO
– Dramaturgia: Bruno Lops, Diogo Bonito e Ricardo Nolasco
– Figurino: Fernanda Fuchs, Karina Flor, Larissa Lima e Patrícia Cipriano
– Sonoplastia: Jo Mistinguett e Rodrigo Fowolski
– Cenários e traquitanas: Igor Ribeiro, Lucri Reggiani, Má Ribeiro, Paulo Henrique Carneiro e Mateus Tropo

OFICINAS PARA COMUNIDADE
Oficinas de Palhaçaria e Orientação Cênica: Larissa Lima e Má Ribeiro
Oficinas de Técnicas Circenses: Sabrina Almeida e Luis Borges

RESIDÊNCIA ARTÍSTICA
Circo de Teatro Tubinho
Projeto realizado com o apoio do Programa de Apoio de Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba, com incentivo do CEDIP e Celepar.

Assessoria de Imprensa
Luísa Bonin e Thays Cristine
Platea Comunicação e Arte
platea.comunicacao@gmail.com

 

OFICINA DE SELEÇÃO DE ELENCO

“Oficina de seleção de elenco para o curta metragem “Sobre Meninos e Bicicletas” de minha direção e com uma equipe linda linda linda. Precisamos de ajuda para encontrar duas crianças para serem nossos protagonistas! Não precisa ter experiência prévia com atuação. Agradeço a todos que puderem ajudar a divulgar e compartilhar 🙂

#ParaCegoVer
Na imagem, à esquerda temos uma bicicleta infantil preta com detalhes em verde, branco e amarelo, à direita, sobre uma parede de tijolos claros, lemos o seguinte texto: oficina de seleção de elenco para o curta metragem “Sobre Meninos e Bicicletas”. Crianças com deficiência visual entre 9 e 11 anos. Entrar em contato pelo e-mail meninosebicicletas@gmail.com ou whatsapp +55 34 99228-3822 / + 55 41 98403-2751

fonte: Julia Vidal

SELEÇÃO DE CASTING PRA UM PROJETO ACADÊMICO / CURITIBA

“Casting | Série Aurora
Oie, tudo bom?

Somos alunos de Publicidade e Propaganda na PUCPR (em Curitiba) e estamos desenvolvendo um projeto pra uma série de TV. Para isso, precisamos gravar o episódio piloto e é aí que vocês entram! Haha. Segue a sinopse abaixo:

“Uma faxineira ex-presidiária chamada Béa trabalha em uma biblioteca e encontra Carolina, uma moça já falecida escritora de um livro que foi apagado por uma organização-seita chamada O Clube. A organização apaga livros e substituí-os por outras obras, escrevendo e reescrevendo a história aos poucos.”

Temos ao todo 16 personagens, entre principais e outros que aparecem apenas uma ou duas vezes em cena. Precisamos de atores que se encaixem em cada um deles e tenham disponibilidade para gravar às sextas-feiras à noite (das 19h às 22h, aproximadamente). Para alguns papéis será necessário gravar de tarde no dia 18/10 e de manhã no dia 26/10. Como somos estudantes (sofredores) o trabalho não será remunerado, porém conseguimos dar horas complementares para os estudantes que se dispuserem a nos ajudar.

Se interessou? Deixe seus dados e selecione um ou mais personagens de interesse que entraremos em contato para os testes.

Ah,uma informação importante é que não será remunerado financeiramente, mas podemos dar horas complementares para estudantes.”

Link de inscrição: aqui

TURNÊ ‘AVE LAB’ ESTREIA EM CURITIBA COM CANTORA IRIA BRAGA E MULTINSTRUMENTISTA DIOGO BURKA

Diogo Burka e Iria Braga – Foto: V. Pedrassoni

O show de abertura da turnê paranaense acontece nesta sexta-feira (27), na Praça Santos Andrade, durante a 38ª Semana Literária SESC 

Nesta sexta-feira (27), às 18h, a 38ª Semana Literária SESC apresenta o show de estreia da turnê “AVE LAB”, com a cantora e atriz, Iria Braga e o multinstrumentista, Diogo Burka, a partir das 18h. A entrada gratuita. 

Idealizado por Iria Braga, “AVE LAB” traz a proposta de conexão com artistas de todo o mundo com o propósito de romper as fronteiras a partir da música. Em 2018, na Argentina, o primeiro encontro e turnê foi com o pianista, Juan Barallobres.

“Descobrir a narrativa musical do repertório de um show como o ‘AVE LAB’ é um fascínio. Desta vez, com o Diogo Burka, nós reunimos compositores que admiramos no Paraná. E claro, neste encontro, a fusão com as nossas canções”, explica a cantora com mais de 20 anos de carreira. 

Após voltar da Argentina, a curitibana Iria Braga e o londrinense, Diogo Burka, se encontraram em 2018, no norte paranaense, onde ficaram imersos ao longo de duas semanas no estúdio Plugue para a escolha do repertório. 

“A criação é compartilhada. Não se trata apenas de reproduzir um repertório e sim, aproximar mundos. Fazer parcerias inusitadas e se abastecer de ideias nestes encontros, é uma trajetória que alimenta e norteia as fronteiras do meu novo álbum”, revela Iria Braga. 

Em “AVE LAB”, o show apresenta as experimentações de ritmos e possibilidades sonoras a partir da fusão entre a música orgânica e recursos eletrônicos como sintetizadores e loop station. 

“A Iria traz a bagagem cênica do palco de forma complementar a extensão vocal efêmera muito própria dela. Então, a nossa identificação foi instantânea. Eu apresentei as multifaces da sonoridade no meu trabalho solo e a ‘ave’ ganhou asas”, brinca o multinstrumentista, Diogo Burka. 

Iria Braga completa neste ano, 22 anos de carreira. Ao longo de quatro anos, transmitido pela Paraná Educativa, ela foi âncora dos programas, “É-Cultura” e “Palco”, um desafio que rendeu o título de ser considerada uma das principais porta-vozes da cultura no sul do país. 

No palco, entre os anos de 2014 e 2018, esteve em turnê de shows e divulgação do seu primeiro álbum homônimo, com arranjos e direção de Oliver Pellet. Com turnês nacionais e internacionais, e indicações a prêmios de música e teatro, o novo álbum da cantora deve ser lançado em 2020. 

Diogo Burka é compositor, produtor e multinstrumentista. Além de acompanhar a cantora em “AVE LAB”, o artista lançou recentemente “Cais” seu primeiro álbum, com o qual também está em turnê nacional.

O artista ganhou reconhecimento do público, após sua participação como baixista, na banda Cluster Sisters, no programa “Superstar”, da Rede Globo. Além da banda, Burka também integra as bandas, Mama Quilla, Salte e o Trio Mambembe. 

Após o show em Curitiba, o projeto musical “AVE LAB” será apresentado em Ponta Ponta Grossa (28) e ao longo de outubro, o Circuito SESI realiza nas cidades de Santo Antônio da Platina (01), Londrina (02), Arapongas (03) e São José dos Pinhais (04). Encerrando a turnê, a apresentação acontece em Curitiba (06), na Casa Quatro Ventos. 

LINKS IRIA BRAGA
SPOTIFY: http://bit.ly/IRIABRAGA
YOUTUBE: http://bit.ly/CANALIRIABRAGA

LINKS DIOGO BURKA 
YOUTUBE: http://bit.ly/CANALDIOGOBURKA

SERVIÇO:
SHOW “AVE LAB – SHOW COM IRIA BRAGA E DIOGO BURKA”
Quando: 27 de setembro (sexta)
Horário: 18h
Onde: Praça Santos Andrade, 50 – Centro de Curitiba
Informações: (41) 3259-1350
Classificação: Livre para todos os públicos 
EVENTO GRATUITO
Página do evento, aqui

FICHA TÉCNICA
Coordenação Geral: Iria Braga
Voz: Iria Braga
Guitarra, baixo, teclado e programações: Diogo Burka
Assessoria de Imprensa, mídias sociais e arte digital: Lucas Cabaña
Produção e logística: Fuá Produções 
Apoio: Don Max e Veg Veg

CASTING CURITIBA

Agência de modelo com apenas perfis negro de 03-80 anos em Curitiba (não precisa ter experiência) seleciona! Quem tiver interesse em fazer parte do casting, envie uma foto atual, nome, idade e telefone, no email: contato.tuttan@gmail.com

APÓS CALOROSA EXIBIÇÃO NO HISTÓRICO TEATRO AMAZONAS, DOCUMENTÁRIO “O RIO NEGRO SÃO AS PESSOAS” ESTREIA NA CINEMATECA DE CURITIBA


A coprodução Paraná/Amazonas revela a dinâmica da vida da comunidade ribeirinha da região do baixo Rio Negro, no entorno do Parque Nacional de Anavilhanas, na Amazônia. A exibição do filme será seguida de bate-papo com a equipe de criação.

Filmado em 2018, o documentário “O Rio Negro São As Pessoas”, dirigido por João Tezza Neto e Juliana Barros, irá estrear na Cinemateca de Curitiba no dia 18 de junho, com entrada gratuita. A exibição será seguida de debate com os convidados José Álvaro da Silva Carneiro, Mary Allegretti e Natalie Unterstell. A programação também conta com o lançamento do livro fotográfico “O Rio, As Pessoas, O Filme” do fotógrafo Maringas Maciel e da fotógrafa Bárbara Umbra – que será vendido no dia do evento com valor promocional de R$ 30,00.

As duas obras apresentam personagens e situações em comunidades e cidades ribeirinhas, num recorte geográfico abrangendo a região do baixo rio Negro, no entorno do arquipélago de Anavilhanas. O livro e o documentário são resultados de uma coprodução entre Ave Lola Espaço de Criação (PR) e Árvore Alta (AM).

O projeto teve a sua estreia nacional no dia 01 de junho no Teatro Amazonas para um público de 500 pessoas – incluindo a ilustre presença da maioria dos personagens do filme na plateia – e logo em seguida seguiu para o lançamento na cidade de Novo Airão, comunidades Renascer e Tumbira. No dia 11 de junho, a estreia acontece na Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, às 19h.

No lançamento em Curitiba, estará presente na plateia a personagem Graziela Santos. Com apenas 23 anos, a arqueira indígena amazonense Graziela Santos, da etnia Karapana, ocupa o 1º lugar  ranking brasileiro de arquearia e neste mês competirá no Mundial de Tiro com Arco da Holanda, que servirá de etapa classificatória para os Jogos Olímpicos de Tokyo, em 2020.

O Rio Negro São As Pessoas é resultado da profunda investigação do diretor curitibano João Tezza Neto, que há dez anos vive na região trabalhando em projetos para geração de renda e contenção do desmatamento na Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Rio Negro.

“Essas comunidades são do interior, mas tem forte relação com Manaus e isso estabelece uma dinâmica social específica e uma cultura própria, revelando valioso patrimônio imaterial. O processo foi construído com muita paciência, tranquilidade e delicadeza por todos os envolvidos. Espero que de algum modo contribua para a sociedade em geral valorizar o modo de vida simples e típico dessas comunidades. O papel deles é crucial para conservar a biodiversidade e eles precisam ser reconhecidos e fortalecidos. Quem sabe, de algum modo, essa obra ajude a sociedade a entender melhor esse contexto de riqueza humana e material que tanto precisa ser valorizado.”, diz João Tezza Neto.

Para codirigir o filme, Tezza convidou a diretora acreana Juliana Barros: “O filme revela os Brasis, dentro de um país continental, tão pouco conhecido para maioria. ‘O Rio Negro São As Pessoas’ é um mergulho nessas águas escuras, de histórias profundas dessa gente.”

Sobre o projeto
Conhecer a Amazônia brasileira e as pessoas que nela habitam é uma forma de compreender a pluralidade cultural existente neste país de dimensões continentais e realidades tão distintas. Por esse motivo, este projeto nasceu com o intuito de registrar de uma forma sensível as pessoas que vivem às margens do Rio Negro, um cotidiano que tanto se mistura aos mitos amazônicos quanto se distancia do imaginário comum dos que  estão mais afastados da Floresta.

O Projeto “O Rio Negro São As Pessoas”, filme e livro, foi financiado pela Lei de Incentivo à Cultura e é uma realização da Ave Lola Espaço de Criação e Governo Federal por meio do Ministério da Cidadania e da Secretaria Especial da Cultura. Foi coproduzido pela Árvore Alta Realizações Artísticas e tem como instituição beneficiada o Hospital Pequeno Príncipe.

Sobre o filme
O Rio Negro São As Pessoas – 2019 (52’)
Documentário
Direção: João Tezza Neto e Juliana Barros
Sinopse: Na região do baixo rio Negro, no entorno do Parque Nacional de Anavilhanas, o documentário O Rio Negro São As Pessoas procura revelar a dinâmica da vida ribeirinha: o que é crescer livre, nadando num rio imenso e escuro; o que é a necessidade de partir, o desejo esquecido de voltar e a escolha por ficar. São gerações que resistem em terras que foram conquistadas antes mesmo do Brasil e que, ainda hoje, o Brasil pouco conhece.

Programação
18 de junho de 2019
18h30 às 19h30 | Lançamento do livro O Rio, As Pessoas, O filme e autógrafos;
19h30 às 20h30 | Exibição do filme O Rio Negro São As Pessoas;
20h30 às 21h30 | Debate com João Tezza Neto, José Álvaro da Silva Carneiro, Mary Allegretti e Natalie Unterstell.
Local: Cinemateca de Curitiba (Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 1174 – São Francisco, em Curitiba)
Classificação Indicativa: Livre
Tipo: Audiovisual / Cinema
Ingressos: Entrada franca
Facebook: @orionegrosaoaspessoasa
Instagram: @orionegrosaoaspessoas
Site: www.orionegrosaoaspessoas.com.br


INSCRIÇÕES PARA O NÚCLEO DE DRAMATURGIA DO SESI-PR 2018 VÃO ATÉ O DIA 5

Oficinas imersivas, palestras, mesas redondas e orientações contarão com artistas de diferentes estados

Até o dia 5 de julho estão abertas as inscrições para o Núcleo de Dramaturgia Sesi-PR – Edição 2018. O programa, em um formato mais dinâmico, prevê oficinas imersivas, encontros, palestras, mesas redondas e orientações direcionadas com artistas de artes cênicas de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Com encontros frequentes entre os meses de julho e novembro que acontecerão no Centro Cultura Sesi Heitor Stckler de França, o Núcleo propõe a reflexão, exercício e prática da escrita para a cena, num laboratório de criação dramatúrgica, a fim de incentivar a geração de textos inéditos que serão apresentados em uma mostra pública com leituras dramáticas ao final da edição com, inclusive, possíveis publicações dos textos selecionados.  

O Núcleo de Dramaturgia é destinado a qualquer pessoa que deseje desenvolver a prática da escrita. Trata-se de um programa de estudos e desenvolvimento de escrita para a cena. Os inscritos até o dia 5 de julho passarão por um processo de seleção que irá contemplar 12 participantes e três suplentes para esta edição. Para efetuar a inscrição, acesse o edital por meio do site www.sesipr.com.br/cultura.

Sobre o Projeto Núcleo de Dramaturgia Sesi
Surgiu em 2009 a partir de uma primeira experiência realizada pelo Sesi-SP em parceria com o British Council (organização internacional do Reino Unido para relações culturais e oportunidades educacionais). A iniciativa compõe o programa de Núcleos Criativos do Sesi desde 2015 e tem o objetivo de criar um ambiente de desenvolvimento e aperfeiçoamento de artistas, estimular o compartilhamento de referências, experiências e práticas dramatúrgicas, incentivar o diálogo das obras com a diversidade de linguagens, visões e experimentações estéticas, promover o intercâmbio entre artistas de cena e autores da região e de outros estados, bem como valorizar a criação artística contemporânea nas suas mais diversas formas para que provoque questionamentos em seu público.

PROGRAMA NÚCLEO DE DRAMATURGIA SESI-PR – EDIÇÃO 2018:

Abertura
Apresentação da performance “O Narrador” com Diogo Liberano* (RJ) seguido de mesa redonda com o artista e demais orientadores da edição 2018.

*Diogo Liberano é diretor teatral e dramaturgo integrante da companhia carioca Teatro Inominável. Coordenador do Núcleo de Dramaturgia SESI Cultural (Rio de Janeiro), é também doutorando em Literatura, Cultura e Contemporaneidade (PUC-Rio) onde investiga dramaturgia como um tipo de literatura autônoma à cena teatral.

Oficinas Imersivas 
Com duração de 9h/aula, os encontros serão ministrados pelos convidados Diogo Liberano, Stephan Baumgärtel (SC), Adélia Nicolete (SP), Jé Oliveira (SP), Luci Collin (PR) e Tânia Farias (RS).

*Jé Oliveira é ator, dramaturgo, diretor e MC. Formado pela Escola Livre de Teatro de Santo André, onde hoje leciona dramaturgia. É fundador do Coletivo Negro, grupo que existe há 10 anos na cidade de São Paulo. Em 2017 ganhou o 6º Prêmio Questão de Crítica por sua obra “Farinha com Açúcar ou Sobre a Sustança de Meninos e Homens”. Professor e orientador do Núcleo de Dramaturgia do Sesi/PR nas edições 2017/2018. Estuda Ciências Sociais na Universidade de São Paulo – USP.

Adélia Nicolete é mestre e doutora em Artes pela ECA-USP, com pesquisa sobre dramaturgia e teatro contemporâneos. É dramaturga, professora e autora de diversos livros, sendo o mais recente “Luís Alberto de Abreu – um teatro de pesquisa”, lançado em 2011 pela editora Perspectiva, do qual foi responsável pela organização.

Luci Collin é formada em Piano e Percussão Clássica pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná e em Letras Português/Inglês pela Universidade Federal do Paraná. Doutora em Estudos Linguísticos e Literários em Inglês e pós-doutora em Literatura Irlandesa pela Universidade de São Paulo. Lecionou fora do país e atualmente é uma das professoras da Universidade Federal do Paraná (UFPR), lecionando literatura de língua inglesa e tradução literária. Participou de antologias nacionais e internacionais (Alemanha, Argentina, EUA, Uruguai), recebeu prêmios de concursos de literatura no Brasil e nos Estados Unidos. Além de ter sido a escritora brasileira que representou o Projeto Literário no EXPO 2000 em Hannover. O forte da escritora curitibana são os poemas e contos, contendo muita ficção. Alguns de seus textos dramáticos viraram inspiração para autos teatrais, como Acasos Perdidos. Também traduziu Gary Snyder, Gertrude Stein, E. E. Cummings, Eiléan Ní Chuilleanáin e Jerome Rothenberg, entre outros.

Tânia Farias é atriz, pesquisadora e encenadora teatral. Personalidade das artes cênicas no Rio Grande do Sul, ela atua na tribo Ói Nóis Aqui Traveiz há mais de duas décadas.

Stephan Baumgärtel possui mestrado em Letras Inglês pela Ludwig-Maximilians-Universität München, doutor em Literaturas da Língua Inglesa pela Universidade Federal de Santa Catarina, e pós-doutorado na ECA/USP com estudos sobre a dramaturgia brasileira contemporânea. Sua tese de doutorado recebeu o Prêmio CAPES 2005. Atualmente é professor associado da Universidade do Estado de Santa Catarina na área de história do teatro, estética teatral e dramaturgia. É idealizador e coordenador do projeto Encontro com Dramaturgo da UDESC. Pesquisador, ele investiga principalmente as modalidades de poéticas políticas teatrais na contemporaneidade e modalidades não-miméticas de encenar textos teatrais não-dramáticas. Leciona principalmente nos campos da dramaturgia contemporânea, teatro pós-dramático, teatro performativo e análise da encenação teatral.

Orientações Direcionadas
As orientações serão realizadas a cada 15 dias com agendamento prévio diretamente com um dos orientadores desta edição:

*Lígia Souza Oliveira é dramaturga e pesquisadora, doutoranda em Artes Cênicas pela Universidade de São Paulo, com estágio de pesquisa em Literatura Francesa na Université Paris 8 – Vincennes/Saint Denis, mestre em Literatura pela Universidade Federal do Paraná e graduada em Artes Cênicas pela Faculdade de Artes do Paraná. Já publicou as dramaturgias Encontros Diários, Personne e Outros Sons.

*Marcelo Bourscheid é dramaturgo, diretor, tradutor e produtor teatral. Sua dramaturgia tem sido encenada por companhias de todo o país, recebendo prêmios, estudos críticos e circulando por importantes festivais. Foi professor de dramaturgia e escrita criativa em instituições como o SESI, SESC, UFPR, UDESC, ESC Escola de Escrita, dentre outras. Atualmente, integra o Projeto Teatro de Segunda, é Diretor de Cultura da UNESPAR e doutorando em encenação e dramaturgia na UFPR.

*Olga Nenevê é dramaturga, atriz e diretora. Fundadora do Grupo Obragem de Teatro, seus trabalhos são caracterizados pelo perfil investigativo e pela contaminação com outras áreas artísticas. Participou do Núcleo de Dramaturgia SESI-PR em 2010. Seus principais trabalhos como dramaturga são “Trilogia sobre a morte e o luto” composta pelos textos “Passos” (2008); “O inventário de Nada Benjamim” (2009) e “Zaqueu” (2010); “Trilogia sobre a loucura” composta pelos textos “As tramoias de José na cidade labiríntica” (2011 – Troféu Gralha Azul de Melhor texto original); “Cristiano – o cão louco” (2013) e “Coração” (2014 – Prêmio Oraci  Gemba da FCC).

*Sueli Araujo é diretora, dramaturga e fundadora da CiaSenhas de Teatro. Seus trabalhos mais recentes são os espetáculos Fui! (2016), O bafo da gralha (2016) e Os Pálidos (2015), nos quais tem se dedicado a investigar procedimentos poéticos que incluem o espectador na encenação. Em 2013, lançou o livro Narrativas em Cena. É professora do Curso de Artes Cênicas da Unespar-FAP desde 1998.

Stephan Baumgärtel

Mesas Redondas
As artistas Adélia Nicoleti e Tânia Farias, além das oficinas imersivas com os integrantes do Núcleo, propõem uma conversa/palestra aberta ao público em geral.

Leituras Dramáticas
Serão realizadas leituras dramáticas com a presença dos artistas convidados. Alguns dos textos selecionados na edição de 2018 serão encaminhados para publicação impressa e online.

SERVIÇO:
Núcleo de Dramaturgia do Sesi-PR – Edição 2018
Inscrições: até 5 de julho
Início: Julho de 2018
Local: Centro Cultural Sesi Heitor Stockler De França
Endereço: Av. Mal. Floriano Peixoto, 458 – Centro de Curitiba
Número de participantes: 12 pessoas selecionadas e 3 suplentes

Mais informações:
www.sesipr.com.br/cultura/
www.facebook.com/sesiculturapr/

ASSOCIAÇÃO EVANGELIZAR É PRECISO CONTRATA ATOR/ATRIZ – FREELANCER

Associação Evangelizar é Preciso contrata Ator/Atriz – Freelancer. Vaga para trabalhar em Curitiba.

Funções: Criar, interpretar e representar uma ação dramática baseando-se em textos, estímulos visuais, sonoros e outros, previamente concebidos por um autor ou criados através de improvisações individuais ou coletivas; Utilizar de recursos vocais, corporais e emocionais, apreendidos ou intuídos, com o objetivo de transmitir ao espectador o conjunto de ideias e ações dramáticas propostas; utilizar-se de recursos técnicos para manipular bonecos, títeres e congêneres; pode interpretar sobre a imagem ou a voz de outrem; ensaiar buscando aliar a sua criatividade à do Diretor.

Requisitos: Vivencia/experiência na área

Jornada de Trabalho: A combinar

Remuneração: A combinar

Interessados enviem cv para recrutamento@evangelizarepreciso.com.br / informe no campo assunto ATOR/ATRIZ