DRAG QUEENS SATIRIZAM A FAMÍLIA TRADICIONAL BRASILEIRA

Jeruza, Dalvinha e Juana. Foto de Day Luiza

Música, dublagem e deboche esquentam a noite e oficina sobre arte drag prepara o ambiente

Entrando no seu terceiro ano de existência, O Maravilhoso Cabaré traz para o palco do teatro uma linguagem televisiva, com entrevistas, apresentações de dublagem, humor, dança e música ao vivo, de drag queens, drag kings, músicos e artistas burlescos – sob o comando das drags curitibanas Dalvinha Brandão e Juana Profunda.

Nessa edição – que acontece na sexta (8/2) no Espaço Fantástico das Artes – as divas do Cabaré prestam o que estão chamando de “uma homenagem à família tradicional brasileira” mas, pelo histórico do evento, já é possível imaginar uma noite cheia de deboche, ironia e forte crítica social. 

Unindo diferentes gerações e estilos do cenário das artes da noite, esse cabaré reúne jovens artistas, como as talentosíssimas Carmen Von Blue e Deborah Black e a icônica Tinna Simpson que há mais de 20 anos diverte a noite curitibana com seu humor rápido e ácido. Humor também é o foco do trabalho de Lourdes, persona do ator Bruno Lops, que mistura arte drag e palhaço.

Ainda, a noite conta com a presença de um dos nomes mais reconhecidos do burlesco no Brasil, Miss G, cocriadora do primeiro festival do gênero no país, o Yes! Nós temos burlesco. Da área da música, Jeruza Muller, drag e musicista brasileira radicada na Alemanha, criadora do show Piano Drag, e Rita Lina, persona criada pelo cantor e compositor Leo Fressato, trazem números musicais cantados e tocados ao vivo.

“Uma das principais características d`O Maravilhoso Cabaré é essa: misturar artistas que apesar de morar na mesma cidade, trabalham em circuitos muito diferentes e com estéticas muito particulares”, conta Juana Profunda. “Isso é o jeito que a gente achou de ajudar a fortalecer a cena da arte drag na cidade, que hoje conta quase que exclusivamente com esses espaços que as próprias drags criam”, completa.

A entrevistada desta vez é a militante trans Rafaelly Wiest, ex-presidente do Grupo Dignidade e do Transgrupo Marcela Prado, atual diretora administrativa da Aliança Nacional LGBTI.

Dalvinha fala da conotação política do evento: “apesar de ser um lugar para se divertir, nosso Cabaré também tem a liberdade de abordar temas espinhosos, como é da tradição dos cabarés”. E acrescenta: “Desde que surgiram no final do século 19, os cabarés eram o espaço dos artistas marginais, que não estavam na história da arte erudita, e que por isso tinham a liberdade de satirizar, debochar e criticar o que quisessem”. 

Esquentando os tamborins
Como preparação para o Cabaré, Juana e Dalvinha ministram ainda, a oficina Arte Drag, de segunda a quinta (4 a 7/2), na Casa Quatro Ventos. A oficina é prática, trazendo técnicas comumente usadas por drag queens, de maquiagem, customização de perucas e acessórios, criação de enchimentos e dicas de performance e presença de palco.

No entanto, alunos e alunas também terão acesso a conhecimentos teóricos e históricos sobre a arte drag e o transformismo no Brasil e no mundo, além de poderem criar suas personas e apresentações a partir das próprias referências e interesses.

SERVIÇO:
Oficina Arte Drag com Juana Profunda e Dalvinha Brandão
Datas: de 4 a 7 de fevereiro
Horário: 18h30 às 22h
Local: Casa Quatro Ventos. Rua da Paz, 51. Centro – Curitiba, PR. 
Preço: R$200,00
Inscrições: aqui
Página do evento no Facebook: aqui 

Dalvinha Brandão. Foto de Day Luiza

O MARAVILHOSO CABARÉ – FAMÍLIA TRADICIONAL BRASILEIRA

Elenco: Dalvinha Brandão, Juana Profunda, Déborah Black, Jeruza Muller, Rita Lina, Carmen Von Blue, Miss G, Lourdes, Tinna Simpson
Discotecagem: I.AM.WHO
Data: 8/2
Horário: a partir das 20h happy hour, 22h apresentações
Local: Espaço Fantástico das Artes. Al. Princesa Isabel, 465. São Francisco. Curitiba, PR.
Preço: R$30 e R$15 (estudantes, idosos, pessoas com deficiência, drag kings e queens montadas)
Evento no Facebook: aqui

MARCHA PELA DIVERSIDADE CONTA COM MAIS DE 30 ATRAÇÕES

Manifestação será no domingo e tem nove horas de programação e luta contra a LGBTIfobia

Domingo, 8 de julho, será realizada em Curitiba a 3ª Marcha Pela Diversidade. Durante nove horas, mais de 30 atrações sobem ao palco montado na Praça Santos Andrade e seguem o Trio Elétrico a partir das 14h até a Praça Zacarias. Imperador Sem Teto, Raissa Fayet e Mulamba são algumas das artistas confirmadas. Além dos shows, haverá apresentações performáticas, DJs e falas de conscientização quanto ao combate a LGBTIfobia.

O evento é organizado pela Aliança Nacional LGBTI, Grupo Dignidade, Coletivo Cássia e TransGrupo Marcela Prado e geralmente acontece no final de junho, mas devido ao mau tempo foi transferido para esse fim de semana. A marcha foi criada em 2016 com o intuito de conscientizar a população LGBTI sobre a necessidade de combate à LGBTIfobia, em alusão ao dia 17 de Maio, Dia Internacional de Combate à Violência Contra Pessoas LGBTI.

A organizadora do Coletivo Cássia, Ananda Puchta, explica que o intuito da marcha é proporcionar um ambiente de conscientização política das pessoas LGBTI de Curitiba, trazendo a tona debates acerca dos direitos LGBTI, como combate à violência, ao bullying e evasão escolar, a necessidade de acolhimento dos jovens LGBTI que não tem apoio familiar etc. “É uma tentativa de criar um espírito de comunidade, para que todas as pessoas se sintam responsáveis e parte da causa. A inclusão é a nossa bandeira”, reforça Ananda.

O Brasil ocupa a triste posição de país que mais mata pessoas transexuais e transgêneros, no mundo. O ranking foi elaborado por uma organização civil europeia, chamada Transgender Europe. Segundo o relatório da ONG, em números absolutos, foram assassinados no Brasil, entre 2008 e 2016, 868 pessoas trans, aquelas que não identificam o próprio gênero com o sexo biológico. E não é só isso. No último ano o Brasil bateu seu recorde de assassinatos de LGBTI: 2017 teve 30% a mais que em 2016.

Durante a manifestação serão vendidas camisetas e copos da Marcha Pela Diversidade. O valor arrecadado será usado na reforma da sede, espaço que dá apoio a população LGBTI através de atendimentos psicológicos, testagem rápida de HIV e promovendo os direitos humanos LGBTI. O Grupo Dignidade é a primeira ONG no Paraná e a segunda mais antiga do Brasil, atuando há 26 anos na defesa e promoção dos direitos LGBTI. Também é possível comprar o kit antecipado através deste link

Trajeto
A mobilização começa às 11h na Praça Santos Andrade. A partir das 14h, a marcha segue pela Rua João Negrão, Av. Marechal Deodoro até a Praça Zacarias e encerramento será na Av. Luiz Xavier, na Boca Maldita.

ATRAÇÕES CONFIRMADAS:
Bloco Saí do Armário e Me Dei Bem
DJs
Kalvin Freitas
Everton Bitencourt
Kuruh
Wander Bueno
Neh Hoffmann
Murilo prestes
Alice cavazotti
Carmen Agulham

Drags
Shayanne Ashela
Scarlet Bastos
Thalita Pereira
Soraya Outback
Layla Albuquerque
Alexia Mozzer
Linda Power
Hellen Werneck
Myrella Massafera
Barbra+amigas
Myrella Albuquerque
Patricia Lemonge
Jhenny Willer
Barbara Bueno

Bandas
Raissa Fayet
Imperador Sem Teto
Mulamba

SERVIÇO
Marcha pela Diversidade
Data: 08 de julho
Hora: A partir das 11h
Local: Concentração Praça Santos Andrade e às 14h segue até a Boca Maldita
Evento gratuito
Confira a página do evento, aqui