MÚSICA DE MULHER PRETA: BIA FERREIRA INAUGURA PROJETO PARALELO DO SOFAR SOUNDS CURITIBA

Bia Ferreira é cantora, compositora e ativista sergipana. Em seu discurso musical a luta do movimento antirracismo

Sofar Curitiba Apresenta é um evento diferente do tradicional Sofar Sounds (uma comunidade de música que organiza shows secretos e intimistas em mais de 400 cidades ao redor do mundo), é um formato paralelo onde artistas de destaque na comunidade Sofar mundo afora são colocados em um spot de luz.

Cada edição trará um show completo, para quem nunca teve a oportunidade ou a sorte de ser selecionado para participar.  A venda de ingressos é aberta, mas as vagas são limitadas.  Desta vez não tem segredo! O Sofar Curitiba conta para a gente quem se apresenta e o local que o evento será realizado três dias antes.

Nesta primeira edição, o Sofar Curitiba apresenta recebe a cantora, compositora e ativista BIA FERREIRA para um show inédito na Cidade.  A voz, o violão e o talento de Bia encantou e arrepiou a plateia do Sofar Curitiba em novembro do ano passado com seu groove, suingue, letras engajadas e emocionantes em uma performance surpreendente.  O vídeo da música “Cota não é esmola” publicado em janeiro deste ano no canal Sofar Latin America em pouco tempo atingiu a marca de um milhão de visualizações e neste mês ultrapassou 3,3 milhões de acessos.  Desde então Bia vem ascendendo em sua carreira como artista, levando em seu discurso musical a luta do movimento antirracismo com sua “Música de mulher preta” como ela mesmo define. Ela canta para despertar a consciência e transformar o mundo.

‘‘Participar do Sofar pra mim é o reconhecimento de um trabalho que vem sido feito há muitos anos e nunca teve um reconhecimento devido. Esse espaço é muito importante para divulgar artistas que estão no corre e que não estão começando, já estão no corre há muito tempo … eu tô muito orgulhosa de fazer parte dessa ‘parada’ (Bia Ferreira)

SERVIÇO:
Bia Ferreira e banda

27 de setembro (quinta-feira) às 21h.
Espaço Fantástico das Artes – Al. Princesa Izabel, 465, São Francisco
Preço: R$ 20. Compra online antecipada: aqui
Compra física: no local do evento.

Capacidade do local: 180 pessoas.
Confira a página do evento, aqui
Produção e Realização: Cactus Raius & Sofar Curitiba

INQUIETAS: PROJETO REÚNE MULHERES EM SHOWS E OFICINAS COM PROGRAMAÇÃO GRATUITA

Thais Morell

Somando fazeres artísticos, edição busca expressar potências femininas como prazer, força, intuição e resistência

Entre os dias 3 e 6 de outubro, o Conservatório de MPB de Curitiba recebe o projeto Inquietas, com a proposta de fortalecer a produção musical feminina. Durante a programação de shows e oficinas, protagonistas da música se encontram com profissionais de outras áreas para somar seus fazeres artísticos. Criada em 2017, a iniciativa traz a edição “Potências Femininas”, com base nos pilares prazer, força, intuição e resistência.

“Mulheres são inquietas. Assim como são as cantoras, instrumentistas, compositoras, poetas, atrizes, cuidadoras, donas de suas casas, de seus corpos e de suas vozes. A curadoria foi pensada para conectar mulheres e levar ao público a diversidade de suas ações”, comenta a cantora e compositora Cida Airam, idealizadora do Inquietas em conjunto com a produtora cultural Carolina Melo.

Com entrada gratuita, a programação inclui quatro oficinas e quatro shows, criando uma conexão entre temas socioculturais e artísticos. Entre as oficinas, estão: “Cuidados íntimos femininos”, com Leticia Ribas; “Autonomia feminina na gestação e parto”, com Tuane Abreu; “A mulher na capoeira”, com Meia Lua; e “Danças circulares”, com Cleo Cavalcantty.

Os shows abrem com a compositora, cronista sonora e performer Amira Massabki, que cria um diálogo bem humorado entre música e literatura em “Somos Várias”. Em seguida, as artistas Cida Airam, Érica Silva e Gabriela Bruel integram o Mestiça, retratando o cotidiano feminino e suas diversas realidades sob a influência de ritmos brasileiros.

Apresentando “O canto das yabás”, a cantora Jay Ferreira dá sequência aos shows, trazendo sua pesquisa de cânticos afro-brasileiros sobre as orixás femininas. Para finalizar, Raissa Fayet e Thais Morell se unem para formar o Muié, num escambo de músicas e sonoridades que trazem à tona ideias sobre mulheres na música.

Serviço:
Inquietas: Edição Potências Femininas
Data: 3 a 6/10
Local: Conservatório de MPB de Curitiba
Endereço: rua Mateus Leme, 66, centro de Curitiba
Entrada gratuita

PROGRAMAÇÃO COMPLETA


3/10, quarta – Prazer
18h: Oficina “Cuidados íntimos femininos”, com Leticia Ribas
19h30: Show Amira Massabki (com Esquerdinha)


4/10, quinta – Força
18h: Oficina “Autonomia feminina na gestação e parto”, com Tuane Abreu
19h30: Show Mestiça (Cida Airam, Érica Silva e Gabriela Bruel)


5/10, sexta – Resistência
18h: Oficina “A mulher na capoeira”, com Meia Lua
19h30: Show Jay Ferreira (com Jonas Lopes e Ricardo Salmazo)


6/10, sábado – Intuição
10h: Vivência “Danças circulares”, com Cleo Cavalcantty
11h: Show Muié (Raissa Fayet e Thais Morell)

fonte: Gabriela Titon | HAI Studio

FRANCO DAS CAMÉLIAS NA CASA DA FLOR + JAM COM PARCEIROS MUSICAIS

Na voz e na guitarra, Franco das Camélias interpreta suas composições e participa de uma jam com vários parceiros musicais.

Artista parnanguara, radicado em Curitiba, Das Camélias começou a compor em 2012, no grupo Monges da Lapa. Lançou os álbuns Franco das Camélias e os Lusíadas (2017) e Ao vivo no ampli do infinito (2016), disponíveis no blog www.francodascamelias.wordpress.com

Serviço:
Franco das Camélias na Casa da Flor + jam com parceiros musicais
Data: Sábado, dia 22 de setembro, das 20:00 às 23:00
Local: Casa da Flor- Bistrô, Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 1227, Centro, Curitiba
Entrada gratuita: *Bilheteria no chapéu!
Confira a página do evento, aqui!

6º SARAU PERIFÉRICO TRAZ A BANDA INQUÉRITO A CURITIBA NESTE SÁBADO

No próximo dia 15 de setembro, quem gosta de rap nacional, hip-hop, poesia e apoia a luta por moradia, educação e respeito aos direitos das populações periféricas tem encontro marcado na Vila Sabará, Cidade Industrial de Curitiba! O Sarau Periférico, com entrada gratuita, apresenta os shows do grupo Inquérito e de representantes da cena local: Rel Firma Zica, Lipe Oliveira, Poesia Periférica e Arquivo Negro.

O Sarau é uma ação do Núcleo Periférico, coletivo que atua em regiões carentes da capital e tem como pautas principais a busca por moradia digna, fim da violência policial e da criminalização da pobreza e valorização de expressões culturais periférico-populares, dentre outras questões representativas da população marginalizada.

O evento começa às 12h deste sábado, na Ocupação Dona Cida (localizada no final da Estrada Velha do Barigui) e busca incentivar a reflexão e o debate nas comunidades sobre a Consciência Negra e os problemas que afetam a periferia e o cenário político atual, tendo como pontos centrais as questões da sobrevivência e da liberdade no país que mais mata e encarcera pessoas negras e pobres no mundo.

O puro rap nacional
Com mais de 18 anos de carreira, o Inquérito vem do estado de São Paulo até a Vila Sabará após o lançamento do álbum Tungstênio e promete mandar alguns clássicos, como Dia Dos Pais, Meu Super-Herói, dentre outras músicas. Além das apresentações de Lipe Oliveira e Banda, Arquivo Negro e Rel Firma Zica, haverá também microfone aberto para declamação de poesias.

Como chegar
No Terminal do Caiuá > linha de ônibus MARIO JORGE > descida no ponto final. Sem chance pro erro!
Pra quem vai do Centro: Praça Rui Barbosa > linha de ônibus CAIUÁ/FAZENDINHA/CENTRO (que vai direto pro Caiuá) > descida no ponto final

O espaço é aberto e coletivo, todos são bem-vindos.

E o melhor: é de graça!

Confira a página do evento, aqui

#SarauPeriférico
#RevoluçãoDosHumildes
#HipHopResistência
#15deSetembro

MULTIEVENTO: I FESTA BIKE POWER NO ERVA DOCE

Na próxima sexta-feira, dia 14 de setembro, a partir das 18h30, a Erva Doce Doceria Bar promove Multievento: I Festa Bike Power no Erva: cultura, ativismo, diversão, mobilidade, arte, moda, sustentabilidade, debate, encontro, propostas e curtição. Somado a tudo isso, deliciosos quitutes doces e salgados. Chopp Xamã e cerveja barata.  Ainda feira de livros e discos, e shows maravilhosos do Caratuva Choro Trio (às 19h) e Wes Ventura (às 22h). A ENTRADA É GRATUITA!!! A Erva Doce Doceria Bar fica na rua Paula Gomes, 380, Centro de Curitiba.

Dentro do evento vai rolar a V Feira de Livros e Discos em parceria com a Loja das Pulgas e o blogue FATO Agenda. Centenas de livros e discos a partir de R$3,00. A feira começa às 18h30 e vai até às 23h30 (ou mais!).

Venha curtir com a gente e aproveitar mega descontos!!!


Livros
Livros de todos os tipos: literatura brasileira, universal, coletâneas, livros técnicos, livros infantis em inglês, revistas e gibis. Livros a partir de R$3,00, pra todo mundo sair carregado de livros da feira! Confira alguns cadastrados, aqui


Discos
No acervo, mais de 800 discos de vinil com até 30% em descontos. Três caixas de “3 discos por R$10,00”. Discos de rock, samba, mpb, música erudita, discos compactos.Vale lembrar que a Loja das Pulgas comercializa as doações da Amigo Animal – associação sem fins lucrativos que abriga mais de 1000 cachorros resgatados (em Curitiba e região) e os encaminha vacinados, castrados e desverminados para adoção responsável. Então as vendas das feiras vão contribuir com esse trabalho!



Música ao vivo com dois shows: Wes Ventura e Caratuva Choro Trio
Música confirmada!!! Dois shows incríveis!!! Wes Ventura tocando Tim Maia e Jorge Ben. Caratuva Choro Trio (às 19h) e Wes Ventura (às 22h).


Local: Erva Doce Doceria Bar

Uma doceria charmosa no centro boêmio da cidade! Com doces, pizzas, chope artesanal e bebidinhas doces. A doceria tem um teatro dentro ainda, um lugar que vale muito a pena conhecer!

Serviço:
MULTIEVENTO: I FESTA BIKE POWER NO ERVA
Datas: 14 de setembro, sexta-feira, das 18h30 às 23h59
Local: Erva Doce, Rua Paula Gomes, 380, São Francisco, Centro de Curitiba
Informações sobre a feira: (41) 99745-5294 / leandro.hammer@gmail.com
Confira a página do evento, aqui

Parceria
Erva Doce Doceria Bar: www.facebook.com/ervadoce.doceriabar/
Loja Das Pulgas: www.facebook.com/lojadaspulgas/
Associação do Amigo Animal: www.amigoanimal.org.br
Wes Ventura: www.facebook.com/WesVenturamusic/
Caratuva Choro Trio: www.facebook.com/caratuvachorotrio

VIVO APRESENTA O SOM E A SÍLABA

Alessandra Maestrini volta à Curitiba em musical com texto inédito e direção de Miguel Falabella. Espetáculo recebeu indicação de melhor musical brasileiro no 6º Prêmio Bibi Ferreira

Já estão à venda os ingressos para o musical “O Som e Sílaba”, com Alessandra Maestrini no elenco com texto e direção de Miguel Falabella. O roteiro foi concebido especialmente para Alessandra Maestrini e Mirna Rubim. O espetáculo, que faz parte de uma turnê nacional, acontece de 07 a 09 de setembro no Teatro Fernanda Montenegro e os ingressos podem ser adquiridos pelo disk ingressos. Recebeu recentemente 5 indicações para o 6º Prêmio Bibi Ferreira, a mais tradicional premiação para musicais do país.

O espetáculo conta a história de Sarah Leighton, uma jovem com diagnóstico de autismo altamente funcional, uma savant, com habilidades específicas em algumas áreas, entre elas a música, e sua relação com Leonor Delise, sua professora de canto. A música vai unir essas duas mulheres e esse encontro mudará a vida de ambas.

“O Som e a Sílaba” foi indicado como Melhor Musical Brasileiro no Prêmio Bibi Ferreira e também está entre os finalistas com Miguel Falabella pela Melhor Direção e Melhor Roteiro Original; Alessandra Maestrini como Melhor Atriz e Mirna Rubim, como Melhor Atriz Coadjuvante. Desde a estreia em 2017, ganhou ainda dois prêmios Aplauso Brasil pelo figurino e direção.

Com realização da Maestrini Produções e produção local da Little John e Bricabraque Produções, a montagem chega a Curitiba para curta temporada no Teatro Fernanda Montenegro entre os dias 07 a 09 de setembro. Os ingressos já estão à venda em www.diskingressos.com.br e nos Shoppings Palladium, Estação e Muller. Também é possível adquirir o ingresso na Bilheteria do Teatro Fernanda Montenegro – Shopping Novo Batel. As entradas têm preço único de R$ 100 no valor inteiro e R$ 50 para quem tem direito à meia-entrada. Há descontos pelo Clube do Assinante Gazeta do Povo e Clube Diskingressos.

“O espetáculo é todo muito gostoso e aproxima o público. É cheio de humor, como tudo que Miguel e eu gostamos de fazer. Ao mesmo tempo, é extremamente delicado, poético e transformador, dada a trajetória tão rica e profunda da personagem central, Sarah, e de como isto também transforma – para muito melhor – a vida de Leonor (a professora de canto interpretada por Mirna)”, conta Alessandra Maestrini.

Sarah busca alguém que lhe ajude a dar algum sentido a sua vida. Com a morte dos pais, ela mora com o irmão casado, mas sente que não se encaixa na organização da casa, tem consciência de suas limitações nas relações pessoais e sabe que precisa romper as barreiras da síndrome para se ajustar ao mundo lá fora. Em sua busca por uma autonomia, ela lista suas habilidades, entre elas cantar. Ela sabe cantar. “O elemento mais importante da relação entre Sarah e Leonor é o estabelecimento da empatia. Desse laço, se cria a relação de amizade, cumplicidade, respeito e profundo amor entre as personagens”, revela Mirna Rubim.

Em torno dessa montagem reuniu-se uma equipe estelar: o elegante cenário ficou nas mãos de Zezinho Santos e Turíbio Santos; a luz dramática de Wagner Freire complementa os figurinos de Ligia Rocha e Marco Pacheco que, juntamente com o visagismo de Wilson Eliodoro, constroem os cativantes personagens do musical. O Som e a Sílaba conta com o design de som de Mario Jorge Andrade, que leva a experiência auditiva do espetáculo para um novo patamar de excelência.

SINOPSE: O espetáculo conta a história de Sarah Leighton (Alessandra Maestrini), uma jovem com diagnóstico de autismo altamente funcional, uma savant, com habilidades específicas em algumas áreas, entre elas a música, e sua relação com Leonor Delise (Mirna Rubim), sua professora de canto.

Sobre a Vivo e o Teatro
A Vivo, líder em telecomunicações no Brasil, acredita no teatro como elemento de conexão entre as pessoas. Ao longo dos últimos 14 anos, mais de 1 milhão de espectadores em todo o País, prestigiaram os projetos patrocinados pela empresa. Por meio do Teatro Vivo, em São Paulo, sua principal frente de apoio à cultura brasileira, a empresa oferece ainda um espaço de qualidade, com programação variada, criativa e independente. Um palco que acolhe tanto atores já consagrados como novos artistas.

FICHA TÉCNICA
Texto e direção: Miguel Falabella
Elenco: Alessandra Maestrini e Mirna Rubim
Design de luz: Wagner Freire
Design de som: Mario Jorge Andrade
Figurinos: Ligia Rocha e Marco Pacheco
Visagismo: Wilson Eliodorio
Cenário: Zezinho Santos e Turíbio Santos
Fotografia: Priscilla Prade
Diretor de criação: Marco Griesi
Designer: Kelson Spalato
Criação: TuaAgência
Operador de luz: Alessandra Marques
Operador de som: Mario Jorge Andrade
Cenotécnico: Isaac Tibúrcio
Camareira: Michele Vono
Assistente de produção e contrarregra: Marlon Bandarz e Eduardo William
Produtora assistente e captação de apoios: Carla Schvaitser
Direção de produção: Deco Gedeon
Realização: Maestrini Produções
Organizado por Bricabraque Produções Culturais e Alessandra Maestrini

SERVIÇO:
Data: 07 a 09/09/2018 – Sexta a Domingo
Horários: 07 e 08 às 21h/ dia 09 às 19h
Local: Teatro Fernanda Montenegro
Endereço: Shopping Novo Batel – Alameda Dom Pedro II, 255 – Batel/Curitiba
Confira a página do evento, aqui
Valor: R$100,00 inteira
Descontos:  Descontos legais – 50%
Clube do Assinante Gazeta do Povo e Clube Diskingressos: 40%
Pontos de Venda: 
Bilheteria do Teatro Fernanda Montenegro – Shopping Novo Batel
Lojas DiskIngressos (Shoppings Palladium, Estação e Muller)
PDVs na Grande Grande Curitiba e Região Metropolitana consulte em www.diskingressos.com.br

ESPETÁCULO TEATRAL “POSES PARA DORMIR”, COM DIREÇÃO DE DIEGO FORTES, TEM TEMPORADA GRATUITA E É ENCENADO NA TORRE DO MON

POSES PARA DORMIR. Créditos da foto: Eika Yabusame

A nova montagem de Diego Fortes d`A Armadilha Cia de Teatro, “Poses para Dormir”, é um texto inédito no Brasil da argentina Lola Arias e estreia dia 6 de setembro às 20h na Torre do Museu Oscar Niemeyer (MON), a entrada é franca

“Poses para Dormir” fica em cartaz de 06 à 30 de setembro, quinta e sexta às 20h, sábado com sessão dupla às 18h e às 20h, e domingo às 18h, no Espaço Araucária, que fica dentro da Torre do Museu Oscar Niemeyer (MON), sempre com entrada gratuita, sendo a distribuição dos ingressos feita 1h antes de cada sessão, no próprio MON.

Inédito no Brasil, o texto escrito pela aclamada dramaturga argentina Lola Arias e traduzido e dirigido pelo curitibano Diego Fortes, “Poses para Dormir” se passa em um futuro distópico, em dois apartamentos que ocupam o andar de um prédio em uma cidade sitiada pela guerra. Encenado na Torre do Olho, no Espaço Araucária, a peça é uma instalação onírica em uma espécie de fim do mundo, onde as identidades das personagens Nadia (Guenia Lemos) e seu marido Bruno (Diego Fortes), se confundem com a dos vizinhos Jota (Richard Rebelo) e Tao (Giuly Biancato) em uma série de coincidências absurdas.

“O espetáculo é uma experiência instigante, uma provocação: assistir a uma peça de teatro num lugar que normalmente não convencional, um texto que não é tradicional e que lida com ambiguidades, as coisas não são uma coisa ou outra, elas têm mais de um significado ao mesmo tempo”, afirma Diego Fortes sobre a obra.

Comportamento humano, sonho, morte e identidade são alguns dos temas da peça. A cada cena, os 4 personagens estão diferentes, as situações absurdas geram momentos cômicos de um riso nervoso. Uma experiência onírica e descolada da realidade.

A temporada em Curitiba é curta, apenas 1 mês no MON, e os ingressos podem ser retirados com 1h de antecedência na porta da Torre do Museu, onde normalmente os visitantes saem. Para essa temporada, os espectadores entrarão diretamente na Torre, que dá acesso direto ao Espaço Araucária. O espetáculo tem duração de 60 minutos, comporta 48 espectadores por sessão e não é recomendado para menores de 16 anos.

Com essa obra, Diego Fortes retorna à Curitiba depois de temporada em São Paulo, onde dirigiu “Molière”, estrelada por Matheus Nachtergaele, Renato Borghi e um elenco de 14 músicos e atores, muitos deles de Curitiba. Molière é sucesso de público e crítica e está agora em temporada no Rio de Janeiro.

Serviço:
Poses para Dormir
Texto: Lola Arias
Direção: Diego Fortes
Estreia dia 06 de setembro às 20h
Local: Espaço Araucária – na Torre do Museu Oscar Niemeyer (MON) – Rua Marechal Hermes, 999, Centro Cívico.
Entrada franca: Os ingressos começam a ser distribuídos 1h antes do início de cada sessão, na porta da Torre do MON.
Temporada: 06 a 30 de setembro, de quinta a domingo.
Quintas e sextas às 20h
Sábados – sessão dupla – às 18h e às 20h
Domingos às 18h
Lotação: 48 pessoas
Página do evento, aqui

Ficha técnica:
Texto: Lola Arias
Tradução: Diego Fortes
Direção: Diego Fortes
Atores: Giuly Biancato, Guenia Lemos, Richard Rebelo e Diego Fortes
Iluminação: Nadja Naira
Operação de luz: Elisa Ribeiro
Cenário: Guenia Lemos – Prego Torto & Cia
Cenotecnia: Willian Batista – Studio Fabrika
Figurino: Maureen Miranda
Direção de Movimento: Ane Adade
Trilha Original: Fábio Cardoso
Produção Executiva: Ludmila Nascarella
Comunicação e Mídias Sociais: Luísa Bonin – Platea Comunicação e Arte
Design: Blanc.ag Design e Conteúdo
Maquiagem foto: Juliane Lis Siebert
Vídeos: Alan Raffo
Coordenação Financeira: Rubens Neves – Operativ Consultoria
Captação de Recursos: Meire Abe

“PROJETO REALIZADO COM O APOIO DO PROGRAMA DE APOIO E INCENTIVO À CULTURA – FUNDAÇÃO CULTURAL DE CURITIBA E DA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA”

Realização:
A Armadilha
Parceria:
Museu Oscar Niemeyer (MON)
Incentivo:
Instituto Joanir Zonta – Empresa mantenedora: Condor, EBANX, CEDIP
Incentivo: Lei de Incentivo à Cultura, Fundação Cultural de Curitiba, Prefeitura de Curitiba

Sobre A Armadilha:
A Armadilha, fundada e dirigida por Diego Fortes, atua há 17 anos e é conhecida por apresentar propostas fundamentadas num permanente processo de pesquisa e criação em dramaturgia, e pela por reunir em suas produções teatrais, refinamento conceitual,   compreensão e a acessibilidade de diversos públicos.

Alguns dos trabalhos d´A Armadilha: Bolacha Maria (2008), Jornal da Guerra Contra os Taedos (2009), Duas da Manhã (2012) trouxeram autores até então inéditos no teatro no Brasil e foram muito bem recebidos pelo público e pela crítica.  A Armadilha também tem um trabalho focado na dramaturgia original, os espetáculos Café Andaluz (2005) e Os Leões (2006) foram escritos por Diego Fortes sob pseudônimos. Os Leões chegou a ser considerado pela crítica nacional como o grande destaque do Festival de Teatro de Curitiba em 2007. Foi encenado em São Paulo, a convite do SESC no Projeto Primeiro Sinal, em Salvador, no l Festival Nacional de Teatro da Bahia – 2007 na Mostra Nacional e em Brasília, na Caixa Cultural e abriu o XVI Festival Nordestino de Teatro de Guaramiranga em 2009. Além dos trabalhos próprios, A Armadilha organizou junto com outras companhias as 3 primeiras edições da Mostra Novos Repertórios, evento especial do Festival de Curitiba onde são exibidas peças e leituras de companhias de teatro contemporâneo. Em 2011, organizou a Mostra Outros Lugares – teatro de novos autores, que reúne peças com textos originais e inéditos. Com o objetivo de promover a formação de plateia em teatro, com bastante frequência, promove apresentações com ingressos gratuitos nos espetáculos concebidos e distribuídos com verbas públicas, acreditando ser uma medida necessária e democrática de acesso à cultura. Por isso, a pesquisa artística está direcionada a obras de alta qualidade e reflexão artística, sem perder de vista a comunicação com o público, mesmo que seja a primeira oportunidade deste público de entrar em um teatro.

BATATINHA E O SAMBA OCULTO DA BAHIA (2007) – DIREÇÃO PEDRO ABIB

Documentário sobre um dos maiores nomes do samba baiano: Oscar da Penha – o Batatinha, que faleceu na década de 1990, mas deixou um legado musical reconhecido nacionalmente. Aborda também outros importantes sambistas baianos que não têm grande visibilidade na mídia. Melhor Documentário na Jornada Internacional de Cinema da Bahia (2007) e no Festival Internacional de Documentários de Montevideo (2007). Dirigido por Pedro Abib

1ª OFICINA GRATUITA DOS 4 ELEMENTOS DO HIPHOP NO PAROLIN

“Seja bem vindo, e gratidão pelo interesse!

O HIPHOPMOVE é uma associação que nasceu em Agosto deste ano, e tem como objetivo alterar a realidade da comunidade através da arte, oferecendo Oficinas dos 4 elementos do HipHop para Crianças a partir de 08 anos de idade, até Jovens de 16 anos.

As oficinas fazem parte de um projeto de movimento itinerante, ou seja, as oficinas podem acontecer em qualquer lugar do Brasil e do Mundo.

No dia 07 e 08 de Setembro estaremos oferecendo Oficinas para a comunidade do Parolin, nossa equipe é composta por Voluntários Remunerados que tem afinidade e vivem a Cultura do HipHop, e acreditam que a arte pode alterar a realidade da comunidade.

Se você se identifica e gostaria de ensinar sua arte para crianças e jovens, ou ajudar na realização com produção e logística do evento, preencha o formulário, e venha somar conosco, neste link

As oficinas são oferecidas de graça para a comunidade, e este evento é financiado através da captação de recursos feita pelos próprios membros da associação HIPHOPMOVE.

A remuneração dos Voluntários existe com a intenção de valorizar o trabalho e a arte oferecida, pois a maioria dos envolvidos no projeto são Artistas independentes.

>>>> Cronograma das Oficinas: <<<<<
DIA 07 DE SETEMBRO PELA MANHÃ
09:00 – 09:30: CAFÉ DA MANHÃ COM RODA DE CONVERSA ABERTA E INSCRIÇÕES:
* Recepção dos Pais e Crianças
——————————————

09:30 – 10:30: RODA DE CONVERSA COM PAIS E ALUNOS:
* Apresentando os Artistas Presentes na equipe, seus talentos e as Oficinas que serão oferecidas.
* Teórica: A História do HIPHOP.
* Educando e Conscientizando crianças através da Cultura de rua.
* Na Prática: Utilizando o HIPHOP como ferramenta de liberdade de expressão e inclusão social.
——————————————

11:00 – 12:00:
INSCRIÇÃO PARA AS OFICINAS QUE ACONTECERÃO NA PARTE DA TARDE

>>>>>ATENÇÃO<<<<<

Limite de 7 crianças por turma, oferecendo preferência para os que chegarem primeiro.

Uma criança poderá se matricular em apenas 2 modalidades no máximo.

Caso aconteça a Lotação das Oficinas, o Aluno ficará na lista de espera para próxima edição das Oficinas que tem previsão de acontecer dentro de 15 dias.
——————————————

DIA 07 DE SETEMBRO PELA TARDE:
14:00 – 15:30: OFICINA DE RAP (RITMO E POESIA)
* Teórica: Rappers e Poetas ao longo da história
* Poesia, Métrica e rima
* Ritmo e Flow
* Aprendendo a Improvisação (técnica de freestyle)
* NA PRÁTICA: Batalha de Conhecimento (MC de improvisação) ou Compondo um RAP

OBS:
* O Aluno será livre para escolher quais das atividades práticas deseja realizar.
* O Aluno que apresentar facilidade na atividade prática será convidado para apresentar a arte que foi aprendida no dia seguinte.
* Se o número de Alunos MC’s for predominante, no dia seguinte acontecerá a Iº Batalha de Conhecimento dos Alunos do HIPHOPMOVE.
——————————————

14:00 – 15:30: OFICINA DE BREAKDANCE:
* Teórica: Cultura do Bboy e Bgirl
* Vídeos de Referências pelo mundo
* Toprock, Footwork, Power Moves, Freeze e outros
* Na prática: Coreografia

OBS:
* O Aluno que apresentar facilidade na atividade prática será convidado para apresentar a arte que foi aprendida no dia seguinte.
——————————————

15:30 – 16:00: LANCHE DA TARDE E RODA DE CONVERSA

Será oferecido Lanche para os Alunos durante a Roda de conversa, e será proposto os seguintes assuntos:

Apresentação do Aluno, e o que ele achou da experiência que teve na oficina ou que ainda terá (no caso dos alunos de DJ e GRAFFITI)

Conscientização, e suporte sobre como utilizar a sua arte como uma forma de liberdade de expressão, construção de caráter.
Será entregue um certificado de participação e um bride para cada Aluno.
——————————————

16:00 – 17:30: OFICINA DE GRAFFITI:
* Teórica: História e Conceitos
* Grafiteiros renomados
* Termos e gírias
* Técnicas de pintura
* Na prática: Desenhando e Pintando em um muro com Spray e tinta com auxílio dos professores.
——————————————

16:00 – 17:30: OFICINA DE DJ:
Com muita satisfação, o Profissional DJ Rodrigo Rodrigo foi o convidado dessa edição para ser o Instrutor da nossa Oficina de DJ!

Rodrigo é integrante ativo da cultura Hip Hop desde 2010, integrou e ajudou a fundar alguns grupos de RAP trabalhando como MC. Em 2012 fundou um Home estúdio próprio, e em 2013 Idealizou e ajudou a fundar o programa de rádio como “Sintonia RAP” na radio Vila Torres. Em 2015 se formou pela escola de Turntablism Capão House, e em 2016 ajudou a fundar o Projeto LAB Central. Atualmente vem se dedicando no seu trabalho solo como Beatmaker e tocando em festa locais.

Cronograma da Oficina de DJ:
* Teórica: História do Dj, Disc Jockey e Disco de Vinil
* Técnicas, Estilos e Influências
* Na prática: Movimento Back to Back (noção de tempo e produção)

OBS:
O Aluno que apresentar facilidade na atividade prática será convidado para apresentar a arte que foi aprendida no dia seguinte.
——————————————

COMO EU POSSO COLABORAR?
Se você se identificou com este evento e gostaria de estar fortalecendo, confira a lista de voluntários que estamos precisando, e preencha o formulário, entraremos em contato em breve!
No dia seguinte, 08 de Setembro, irá acontecer um evento com uma Batalha de Conhecimento com Alunos na chave, e MC’s experientes, Alunos de outras oficinas também irão apresentar o que foi aprendido em sala, e teremos uma Line Up de artistas independentes convidados que querem mostrar seus talentos!
Em breve disponibilizamos o link do evento do dia 08 de setembro!

Serviço:
Iº OFICINA GRATUITA DOS 4 ELEMENTOS DO HIPHOP NO PAROLIN
Data: Sexta, 7 de setembro,  09:00 às 18:00
Local: Vila Parolin, Curitiba
Mais informações, aqui
Confira a página do evento, neste link

LIVRO INFANTIL DESTACA A CONTRIBUIÇÃO INDÍGENA À LÍNGUA PORTUGUESA FALADA NO BRASIL

O lançamento de “Que Pira é Essa?”, com entrada franca, contará com a presença do autor, oficina e preço promocional dos livros.

No dia 26 de agosto, às 10h, no Museu Paranaense, acontece o lançamento do livro infantil “Que Pira é Essa?”, de José Álvaro Carneiro. O evento contará com a presença do autor para autógrafos e oficina de carimbos gigantes, ministrada por Carla Irusta. A entrada é franca e os livros serão vendidos a preço promocional.

Diversos são os termos indígenas que dão nome aos nossos animais, montanhas, rios, cidades… e pessoas! Pirambóia, piracicaba, piracema, pirarucu, Iracema, Inaiê – você sabe o que estas palavras significam? Partindo do vocábulo pira, termo de origem tupi-guarani que significa peixe, o livro infantil “Que Pira é Essa?” convida a conhecer a diversidade dos povos indígenas presentes no Brasil, procurando despertar o interesse pelo tema de forma lúdica.

A partir do encontro da menina Inaiê com um peixe, a obra apresenta informações atuais sobre os povos indígenas do Brasil, com foco na contribuição indígena à língua portuguesa que falamos por aqui. Pira e diversos outros termos estão presentes na nossa língua. O curioso – e triste! – é que muita gente usa essas palavras no dia a dia sem saber o que significam e de onde vieram.

O livro será vendido a preços populares e toda a renda será revertida ao Hospital Pequeno Príncipe. A iniciativa é parte do projeto “Que Pira é Essa?” que, além da publicação, realizou uma série de oficinas com a temática das culturas indígenas, voltadas para os pacientes do internamento da instituição. Viabilizado pela Lei Rouanet, o projeto tem como proponente José Álvaro da Silva Carneiro que é diretor Corporativo do Complexo Pequeno Príncipe, tendo também longa trajetória como ambientalista, bem como livros publicados com conteúdos voltados principalmente para questões socioambientais.

“O Hospital Pequeno Príncipe atende crianças e adolescentes do Brasil inteiro, incluindo indígenas. Temos um cuidado para que cada um dos nossos pacientes reconheça-se culturalmente durante o período que fica hospitalizado. E o projeto Que Pira É Essa? vem como mais uma ação de identidade para estes pequenos índios, além de estímulo ao reconhecimento e acolhimento da diversidade para as crianças com outras ascendências”, explica o autor e diretor do Complexo Pequeno Príncipe.

Sobre o Hospital Pequeno Príncipe
O Pequeno Príncipe é o maior hospital de alta e média complexidade exclusivamente pediátrico do Brasil. Destina 70% de sua capacidade de atendimento a crianças e adolescentes provenientes do Sistema Único de Saúde (SUS). A instituição tem 390 leitos, sendo 62 nas quatro UTIs, oito salas cirúrgicas, cerca de 2 mil colaboradores. Por ano, realiza em média 314 mil atendimentos ambulatoriais, 19 mil cirurgias e mais de 24 mil internações. Com cuidado humanizado e integral, garante condições para que 17 mil familiares acompanhem pacientes atendidos via SUS durante a internação.

Sobre o projeto Que Pira é Essa?
Viabilizado pelo Ministério da Cultura por meio da Lei Rouanet, o projeto tem como proponente José Álvaro Carneiro. Os patrocinadores são as empresas Andali Operações Industriais S/A, Nipponflex, Ciapetro, Grupo Comtrafo, Agrícola Horizonte, Metisa, Nórdica, Tratornew S/A, Tintas Vergínia, Aços Continente, Gemu, Grupo Pergoraro e Ravato.

Serviço:
Lançamento do livro infantil “Que Pira é Essa?”, de José Álvaro Carneiro
Dia 26 de agosto, às 10h.
No Museu Paranaense (R. Kellers, 289 – Alto São Francisco, Curitiba)
Entrada Franca
Que Pira é Essa? – valor dos livros
R$10,00 (preço promocional no lançamento)
R$20,00 (preço normal)
*renda revertida para o Hospital Pequeno Príncipe

Mais informações no Facebook do projeto, aqui