TEXTO SOBRE A VÍDEO INSTALAÇÃO ORGANISMO IN CYBER, MUMA

Por Diogo Woiczack

E que assim seja quando o próximo passo for o abismo. E ao invés da floresta imensa que resiste e resistirá por breve tempo talvez (ou não), veremos a ordem e o progresso dilacerando animais, humanos, terra, tudo. Plantando casas em lugares outros, com suas famílias, carros e celulares, como todas as famílias desse mundo de deus.

No Organismo in Cyber de Arícia Machado, essa cena pode acontecer – caso se consiga parar para olhar o abismo. E acuado, olhar para os índios que despertam como que de um grande porre, cercados por monitores de tubo, antigos. Mas não são indígenas naturais, são pessoas como eu e você pintados de neon. Há essa transposição entre realidades, inclusive temporais. Esse anacronismo e desencaixe entre as peças colaboram para o cenário distópico, retratado principalmente nos corpos.

São quatros filmes em looping projetados em três paredes – o que também sugere um teatro invertido, ou jaula. Cada uma das imagens obedecem, fora uma ou outra dissonância, uma única cena própria, num único plano fixo, como nos primórdios do cinema. As imagens são coloridas e possuem uma luz bem trabalhada, que acentua o brilho do fogo e do neon na noite escura.

No eixo formado pelas paredes laterais, notamos a dicotomia entre o despertar e o desfalecer. O despertar da tribo e o agonizante fim do pajé. Na projeção frontal duas cenas: 1. Um rito onde homens-índios encarnam uma dança em transe, caminhando para o primeiro plano, para o close da câmara, retirando fios de nylon de suas bocas, como tantas tartarugas no facebook. 2. Mulheres-índias e homens-índios estão corpo-a-corpo, deitados uns sobre os outros, como uma orgia filmada no bumerangue do insta, um movimento de vai e vem sem ir nem vir – por isso sem sensualidade, talvez.

Em alguns momentos esses cyber-índios nos encaram de frente, como se pudessem nos ver. Apesar do looping há uma sequência proposta, um ciclo pontuado pelo despertar e pela morte. No meio, o sagrado e o sexo, atravessado pela profusão de imagens que nos cercam, que desafiam a atenção e o entendimento. Uma entropia tão humana quanto a vivência de um mundo capturado em diferentes telas e pixels.

Essas imagem eu vi no abismo de Arícia Machado. Imagens muito bem produzidas pela sociedade mais tecnológica de todos os tempos, mas que retratam um mundo sem esperanças, conectado por redes de todos os tipos, que nos prendem em todas as partes num lento afogar. É como se estivéssemos cercados por toda nossa sucata e dejetos, condenados ao destino daqueles que exterminamos para construir o Brasil do futuro.


Serviço:
Vídeo Instalação ”Organismo In Cyber” no CACC
Data: de 27 de fev até 12 de março, das 10h às 19h
Local: Museu Municipal de Arte (MuMA) – Portão Cultural, Av. Rep. Argentina, 3.432 – Portão, Curitiba
Entrada gratuita!
Confira a página do evento, aqui

AMANHÃ , SÁBADO, TEM ENSAIO DA EX-COLA DE SAMBA UNIDOS DO BOTÃO

foto da página do Helio Leites

Ex-cola de samba Unidos do Botão.

Ensaio geral – sábado, amanhã, às 15hs, no Lilituc, Galeria TUC – Largo da Ordem – Centro de Curitiba.

Desfile – sábado – 23 de fevereiro de 2019, às 12h. Boca Maldita – é do careqa que elas gostam mais. Homenagem ao Musico Carlos Careqa.

Carnavalesco convidado Celso Parubocz. Com Helio Leites, Franco das Camélias, Katia Horn e outras pessoas maravilhosas!  É muita purpurina envolvida.

NESTE SÁBADO ::: BE.CAUSE: CAMPANHA DE AJUDA HUMANITÁRIA

Foto: Brunno Covello

BE.CAUSE é evento de ajuda humanitária: arrecadação de material escolar (aqui em Curitiba, NESTE SÁBADO, 16 de fevereiro ) para crianças refugiadas e captação de recursos para atendimento aos refugiados do Paraná e Roraima. É um projeto de ajuda humanitária criado através da parceria Asteroide, Os Samaritanos e Linyon Global Workers e do apoio da Editora Collaborativa.

O objetivo é a arrecadação de material escolar para crianças refugiadas de várias nacionalidades e também arrecadação de fundos para custear a logística e atendimento dos refugiados que estão chegando no Brasil pela fronteira com a Venezuela.

Para aproximar diversas culturas através da arte, no dia 16 de fevereiro, a sede da Asteroide irá conectar performance, artes visuais, música, gastronomia e bate-papo em um único evento.

Nesta data, todo o material escolar doado será reunido para que na semana seguinte seja realizada a distribuição nas comunidades que o projeto abrange.
Ainda nesta oportunidade, obras de arte serão colocadas a venda e todo o valor arrecadado será revertido para a campanha.

Como posso ajudar?
– Você pode entregar sua doação nos pontos de coleta (informações em andamento);
– Adquirindo uma obra da exposição;
– Comprando um dos pratos vendidos no evento. (Todo valor arrecadado será revertido para a campanha.)
– Divulgando o evento/campanha!
– Sendo voluntário no dia do evento!

Contato pelo whats 41 99581 3018 – Ana Rivelles

Programação do evento:
Programação do evento:

Sábado, 16 de fevereiro de 2019, das 15h às 22h.
15:00 – Abertura da Exposição
Artistas:
Atelier Vinco (instalação)
Bruno Santos (fotografia)
Brunno Covello (fotografia)
Deise Dias (pintura)
Isabelle Mesquita (instalação)
Marlon Anjos (pintura)
Ricardo Durski (litografia)
Tales Costa (desenho arquitetônico)
Vivien Zanlorenzi (pintura)
16:00 – Livro de Esboço, performance musical de Angelo Esmanhotto
17:00 – Pocket Show do Trio Alma Síria
17:30 – Show Acústico com Berthony Pierre (Haiti)
18:30 – Performance Circense com Rivas Sulbaran (Venezuela)
19:00 – Fechamento do evento com Show da Banda Perna Leiga

*Comidinhas por Yasmin Comida Árabe
**Durante todo o evento serão exibidos filmes (longas e curtas) selecionados pela curadoria de Rayat O’Haylle
***A Loja das Pulgas estará comercializando livros e discos a preços especiais.

*Evento Gratuito*

***PERGUNTAS FREQUENTES***

– Para participar é preciso doar em grandes quantidades?
Não! Toda (toda mesmo!) ajuda é bem vinda! Você pode doar uma caneta e seremos igualmente gratos.

– O evento é gratuito?
Sim! Totalmente gratuito e todxs são muito bem vindxs!

– O que é estar refugiado?
Refugiados são pessoas que se encontram fora do seu país devido a fundado temor de perseguição por motivos de raça, religião, nacionalidade, opinião política ou participação em grupos sociais e que não possa ou não queira voltar para casa.
Também são considerados refugiados aqueles que fogem de seu país de origem por causa de conflitos armados, violência generalizada e violação massiva dos direitos humanos.

– Por que ajudar crianças refugiadas e não os crianças brasileiras que tanto precisam?
Entendemos que não há distinção entre brasileiros e não-brasileiros. Todos formamos uma única raça – a raça humana. Acreditamos que a diversidade é uma força quando todos se unem por um mesmo objetivo. Acolher quem está refugiado não se resume a aceitá-los no nosso país, mas compartilhar histórias, culturas, música, gastronomia, arte e visões diferentes de um mesmo mundo.
Aceitar é acolher e acolher é o contrário de marginalizar. Aceitá-los, fala sobre quem somos, e que projetos temos para a nossa sociedade, pois, reafirmamos, não existe o “nós” e o “eles”. Acolher forma laço e não muro, é sinal de força, do que se faz em solidariedade, sentimento, gesto, aquilo que não tem fronteiras e que une corações.

Haiti, Port Au Prince. Foto: Brunno Covello

Serviço:
Be.Cause: Campanha de Ajuda Humanitária
Local: Asteroide, Rua Flávio Dallegrave, 2661, Hugo Lange, Curitiba
Data: Sábado, 16 de fevereiro de 2019, das 15h às 22h.
Entrada gratuita
Confira a página do evento, aqui

SESI PRORROGA EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS MUSICAIS

Serão aceitas propostas de música popular urbana, instrumental brasileira, internacional e étnica até 08 de fevereiro

O Sesi Cultura Paraná está selecionando projetos culturais na área de Música para compor a programação de 2019 do Centro Cultural Casa Heitor Stockler de França em Curitiba. A seleção, de âmbito regional, ocorre até as 18h do dia 08 de janeiro. Serão aceitas propostas voltadas para todas as classes etárias.

O edital oferece duas modalidades de inscrição, são elas: “Vozes da Cidade e de Outras Cidades” e “Acordes na Casa” – projetos idealizados pela Gerência de Cultura do Sesi-PR e que ocorrem anualmente na Casa Heitor. O primeiro abre espaço para a música popular urbana, destinado aos compositores, músicos e intérpretes de canções locais ou autorais, num formato mais intimista de duos ou trios.

Acordes na Casa, por sua vez, contempla artistas profissionais da música instrumental brasileira, internacional e étnica. O objetivo é proporcionar à comunidade o acesso a diferentes gêneros da música instrumental, bem como fortalecer a cultura da região.

Todos os procedimentos legais para a apresentação de propostas e envio da documentação solicitada estão descritos para consulta no site www.fiepr.org.br, em Licitações, no número 902/2018. Os projetos serão selecionados por uma comissão avaliadora e os resultados serão divulgados exclusivamente no site do Sesi Paraná, ainda no primeiro semestre de 2019.

Mais informações: 
www.sesipr.com.br/cultura 
www.facebook.com/sesiculturapr 
www.fiepr.org.br

PIPOCAS DE HISTÓRIAS – TEATRO DE PAPEL

foto: Lucas Amorim

Projeto realiza 48 apresentações por diversos ambientes do Hospital Pequeno Príncipe

O projeto Pipocas de Histórias – Teatro de Papel, viabilizado pela Lei Rouanet, é um projeto continuado, que chega à sua quarta edição com a delicadeza de uma dramaturgia sensível, surpreendendo os sentidos do público com o microuniverso dos personagens de papel. Serão 48 performances cênicas de contação de história, percorrendo diversos ambientes do Hospital Pequeno Príncipe ao longo do segundo semestre de 2018.

As atividades do projeto têm como objetivo provocar interações e ativar espaços de convívio por meio de apresentações teatrais itinerantes, que têm como tema histórias da tradição oral brasileira, com ênfase em fábulas e “causos” populares. São histórias que reúnem a riqueza literária das narrativas formadoras do nosso povo e contribuem para nutrir, despertar, valorizar e exercitar o imaginário infantil, abrindo possibilidade para que as crianças atendidas pela instituição possam acessar suas próprias histórias mais preciosas.

As performances cênicas, realizadas pelo grupo teatral Malasartes Educação Sensível, já foram vistas por mais de 800 pessoas desde outubro de 2018. Luís Carlos Teixeira, coordenador do projeto, explica que “a proposta dessas performances é trazer histórias tradicionais, contos e causos populares em uma linguagem que possibilite uma interação com a criança, para que ela se sinta dentro da proposta e assuma personagens. O projeto agrega um diferencial a esse período tão difícil das crianças, trabalhamos como uma via que é a da expressão, da transformação por outro canal, o da arte”.

O projeto acontece todas as quintas-feiras em diversos ambientes do Hospital Pequeno Príncipe, das 9h às 11h e das 14h às 15h, até dia 18 de abril de 2019. Além das performances cênicas, Pipocas de Histórias – Teatro de Papel conta com um catálogo apresentando a trajetória das ações e uma das histórias do repertório apresentado nas performances.

Pipocas de Histórias – Teatro de Papel, viabilizado pela Lei Rouanet, tem patrocínio de: Durlicouros, Vinci Partners, Lojas Millium, Schattdecor, Herbarium, Abase, Disam, Aços Continente, Deal Sistemas, Demobile,  CHD’s do Brasil, Zanotti, ACSOCentral de Serviços de Aço, Nórdica Veículos, Sollo Sul, Vianmaq, TopData, Fagundez Distribuição, Delta Cable, Amann Gurbach, Matel.

DRAG QUEENS SATIRIZAM A FAMÍLIA TRADICIONAL BRASILEIRA

Jeruza, Dalvinha e Juana. Foto de Day Luiza

Música, dublagem e deboche esquentam a noite e oficina sobre arte drag prepara o ambiente

Entrando no seu terceiro ano de existência, O Maravilhoso Cabaré traz para o palco do teatro uma linguagem televisiva, com entrevistas, apresentações de dublagem, humor, dança e música ao vivo, de drag queens, drag kings, músicos e artistas burlescos – sob o comando das drags curitibanas Dalvinha Brandão e Juana Profunda.

Nessa edição – que acontece na sexta (8/2) no Espaço Fantástico das Artes – as divas do Cabaré prestam o que estão chamando de “uma homenagem à família tradicional brasileira” mas, pelo histórico do evento, já é possível imaginar uma noite cheia de deboche, ironia e forte crítica social. 

Unindo diferentes gerações e estilos do cenário das artes da noite, esse cabaré reúne jovens artistas, como as talentosíssimas Carmen Von Blue e Deborah Black e a icônica Tinna Simpson que há mais de 20 anos diverte a noite curitibana com seu humor rápido e ácido. Humor também é o foco do trabalho de Lourdes, persona do ator Bruno Lops, que mistura arte drag e palhaço.

Ainda, a noite conta com a presença de um dos nomes mais reconhecidos do burlesco no Brasil, Miss G, cocriadora do primeiro festival do gênero no país, o Yes! Nós temos burlesco. Da área da música, Jeruza Muller, drag e musicista brasileira radicada na Alemanha, criadora do show Piano Drag, e Rita Lina, persona criada pelo cantor e compositor Leo Fressato, trazem números musicais cantados e tocados ao vivo.

“Uma das principais características d`O Maravilhoso Cabaré é essa: misturar artistas que apesar de morar na mesma cidade, trabalham em circuitos muito diferentes e com estéticas muito particulares”, conta Juana Profunda. “Isso é o jeito que a gente achou de ajudar a fortalecer a cena da arte drag na cidade, que hoje conta quase que exclusivamente com esses espaços que as próprias drags criam”, completa.

A entrevistada desta vez é a militante trans Rafaelly Wiest, ex-presidente do Grupo Dignidade e do Transgrupo Marcela Prado, atual diretora administrativa da Aliança Nacional LGBTI.

Dalvinha fala da conotação política do evento: “apesar de ser um lugar para se divertir, nosso Cabaré também tem a liberdade de abordar temas espinhosos, como é da tradição dos cabarés”. E acrescenta: “Desde que surgiram no final do século 19, os cabarés eram o espaço dos artistas marginais, que não estavam na história da arte erudita, e que por isso tinham a liberdade de satirizar, debochar e criticar o que quisessem”. 

Esquentando os tamborins
Como preparação para o Cabaré, Juana e Dalvinha ministram ainda, a oficina Arte Drag, de segunda a quinta (4 a 7/2), na Casa Quatro Ventos. A oficina é prática, trazendo técnicas comumente usadas por drag queens, de maquiagem, customização de perucas e acessórios, criação de enchimentos e dicas de performance e presença de palco.

No entanto, alunos e alunas também terão acesso a conhecimentos teóricos e históricos sobre a arte drag e o transformismo no Brasil e no mundo, além de poderem criar suas personas e apresentações a partir das próprias referências e interesses.

SERVIÇO:
Oficina Arte Drag com Juana Profunda e Dalvinha Brandão
Datas: de 4 a 7 de fevereiro
Horário: 18h30 às 22h
Local: Casa Quatro Ventos. Rua da Paz, 51. Centro – Curitiba, PR. 
Preço: R$200,00
Inscrições: aqui
Página do evento no Facebook: aqui 

Dalvinha Brandão. Foto de Day Luiza

O MARAVILHOSO CABARÉ – FAMÍLIA TRADICIONAL BRASILEIRA

Elenco: Dalvinha Brandão, Juana Profunda, Déborah Black, Jeruza Muller, Rita Lina, Carmen Von Blue, Miss G, Lourdes, Tinna Simpson
Discotecagem: I.AM.WHO
Data: 8/2
Horário: a partir das 20h happy hour, 22h apresentações
Local: Espaço Fantástico das Artes. Al. Princesa Isabel, 465. São Francisco. Curitiba, PR.
Preço: R$30 e R$15 (estudantes, idosos, pessoas com deficiência, drag kings e queens montadas)
Evento no Facebook: aqui

BANDA PERNA LEIGA FAZ SHOW GRATUITO EM CAMPANHA PARA REFUGIADOS

Foto: Brunno Covello

Com objetivo de chamar a atenção para o assunto e oferecer acolhimento entre os refugiados e os curitibanos, a Asteroide em parceria com as ONG’s Os Samaritanos e Linyon Global Workers e o apoio da Editora Collaborativa, promovem o Be Cause, um evento de ajuda humanitária em prol dessas pessoas.

Uma troca intercultural com arte, música, dança, exibições de curtas-metragens, roda de conversas, feira de artesanato e barraquinhas com alimentação realizada por refugiados e imigrantes no Paraná.

O evento acontecerá no sábado, dia 16 de fevereiro, a partir das 15h  em Curitiba. Toda a renda será destinada para a compra de materiais escolares para crianças refugiadas do Paraná e para  captação de recursos para atendimento aos refugiados do Paraná e Roraima. O evento será finalizado com show gratuito da banda curitibana Perna Leiga.

Como posso ajudar?
– Você pode entregar sua doação nos pontos de coleta (informações em andamento);
– Adquirindo uma obra da exposição;
– Comprando um dos pratos e/ou bebidas vendidos no evento. (Todo valor arrecadado será revertido para a campanha.)
– Divulgando o evento/campanha!
– Sendo voluntário no dia do evento!

Contato pelo whats 41 99581 3018 – Ana Rivelles 

A banda PERNA LEIGA confirmou participação no evento Be.Cause: Campanha de Ajuda Humanitária

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO (SUJEITA A ALTERAÇÕES):

Sábado, 16 de fevereiro de 2019, das 15h às 22h.
15:00 – Abertura da Exposição
Artistas:
Bruno Santos (fotografia)
Brunno Covello (fotografia)
Deise Dias (pintura)
Michele Bravos (fotografia)
Isabelle Mesquita (instalação)
Marlon Anjos (pintura)
Ricardo Durski (litografia)
Tales Costa (desenho arquitetônico)
Vivien Zanlorenzi (pintura)

15:30 – Livro de Esboço, performance musical de Angelo Esmanhotto
16:00 – Performance Manifesto Crespo

16:30 – Show Acústico com Wes Ventura
17:30 – Roda de bate-papo

19:00 – Fechamento do evento com Show da Banda Perna Leiga

Comidinhas por Yasmin Comida Árabe

*Evento Gratuito*

***PERGUNTAS FREQUENTES***

– Para participar é preciso doar em grandes quantidades?
Não! Toda (toda mesmo!) ajuda é bem vinda! Você pode doar uma caneta e seremos igualmente gratos.

– O evento é gratuito?
Sim! Totalmente gratuito e todxs são muito bem vindxs!

– O que é estar refugiado?
Refugiados são pessoas que se encontram fora do seu país devido a fundado temor de perseguição por motivos de raça, religião, nacionalidade, opinião política ou participação em grupos sociais e que não possa ou não queira voltar para casa.

Também são considerados refugiados aqueles que fogem de seu país de origem por causa de conflitos armados, violência generalizada e violação massiva dos direitos humanos.

– Por que ajudar crianças refugiadas e não os crianças brasileiras que tanto precisam?
Entendemos que não há distinção entre brasileiros e não-brasileiros. Todos formamos uma única raça – a raça humana. Acreditamos que a diversidade é uma força quando todos se unem por um mesmo objetivo. Acolher quem está refugiado não se resume a aceitá-los no nosso país, mas compartilhar histórias, culturas, música, gastronomia, arte e visões diferentes de um mesmo mundo.

Aceitar é acolher e acolher é o contrário de marginalizar. Aceitá-los, fala sobre quem somos, e que projetos temos para a nossa sociedade, pois, reafirmamos, não existe o “nós” e o “eles”. Acolher forma laço e não muro, é sinal de força, do que se faz em solidariedade, sentimento, gesto, aquilo que não tem fronteiras e que une corações.

Mais informações:
Em 2017, segundo dados da Polícia Federal, o Brasil recebeu 13.639 solicitações de reconhecimento da condição de refugiado, desconsiderando haitianos e venezuelanos. O número de refugiados reconhecidos pelo Brasil foi de 10.145, segundo o Comitê Nacional para os Refugiados. No Distrito Federal, ao menos 671 pessoas solicitaram refúgio e buscaram apoio do Instituto Migração e Direitos Humanos (IMDH) em 2016.

Serviço:
Be.Cause: Campanha de Ajuda Humanitária
Local: Asteroide, Rua Flávio Dallegrave, 2661, Hugo Lange, Curitiba
Data: Sábado, 16 de fevereiro de 2019, das 15h às 22h.
Entrada gratuita
Confira a página do evento, aqui

SEXTA E SÁBADO ::: 4ª FEIRA DE LIVROS E DISCOS ERVA DOCE DOCERIA BAR

SEXTA E SÁBADO, 25 e 26 de janeiro, a partir das 18h, a Erva Doce Doceria Bar promove sua 4ª Feira de Livros e Discos! Com livros e discos a partir de R$3,00. A feira começa às 18h e vai até às 23h30 (ou mais!). A Erva Doce Doceria Bar fica na rua Paula Gomes, 380, Centro de Curitiba. Entrada gratuita!

Venha aproveitar nossos mega descontos!!!

A quarta edição da feira de livros e discos é uma parceria entre a Erva Doce, a Loja das Pulgas / Amigo Animal e o blogue FATO Agenda.

Livros
Livros de todos os tipos: literatura brasileira, universal, coletâneas, livros técnicos, livros infantis em inglês, revistas e gibis. Livros a partir de R$3,00, pra todo mundo sair carregado de livros da feira!

Discos
No acervo, mais de 800 discos de vinil com bons descontos. E três caixas de “3 discos por R$10,00”. Discos de rock, samba, mpb, música erudita, discos compactos.

Vale lembrar que a Loja das Pulgas comercializa as doações da Amigo Animal – associação sem fins lucrativos que abriga mais de 1000 cachorros resgatados (em Curitiba e região) e os encaminha vacinados, castrados e desverminados para adoção responsável. Então as vendas das feiras vão contribuir com esse trabalho!

Local: Erva Doce Doceria Bar
Uma doceria charmosa no centro boêmio da cidade! Com doces, pizzas, chope artesanal e bebidinhas doces. A doceria tem um teatro dentro ainda, um lugar que vale muito a pena conhecer!

Serviço:
4ª FEIRA DE LIVROS E DISCOS ERVA DOCE DOCERIA BAR
Data: 25 e 26 de janeiro, sexta e sábado, das 18h às 23h30
Local: Rua Paula Gomes, 380, São Francisco, Centro de Curitiba
Informações sobre a feira: (41) 99745-5294 / leandro.hammer@gmail.com
Confira a página do evento, aqui

Fanpages:
Erva Doce Doceria Bar: www.facebook.com/ervadoce.doceriabar/
Fato Agenda: www.facebook.com/FatoAgenda/
Loja Das Pulgas: www.facebook.com/lojadaspulgas/
Associação do Amigo Animal: www.facebook.com/AmigoAnimalCaes/

COLÔMBIA DE FÉRIAS DA CASA SELVÁTICA

Simone Magalhães

Coletivo curitibano propõe semana de programação com ações artísticas em sua sede localizada no bairro Rebouças

Os artistas da Casa Selvática iniciam o ano promovendo a Colômbia de Férias, uma semana de programação com oficinas, encontros performativos, apresentações, leituras dramáticas e conversas na sede do coletivo localizado no bairro Rebouças, em Curitiba. As ações acontecem entre os dias 27 de janeiro a 3 fevereiro no espaço Cultural Casa Selvática (rua nunes machado, 950).

Com o objetivo de repartir um pouco do modo de fazer cultura, arte, educação e política os artistas do coletivo abrem as portas do sobrado cor de rosa para pessoas de todas as idades numa semana divertida, afetiva e purpurinada.

A programação começa no domingo, 27 de janeiro com o SARAU DA VISIBILIDADE TRANS, uma ação do Instituto Brasileiro Trans de Educação – IBTE em parceria com a Associação Paranaense da Parada da Diversidade – APPAD e Dom da Terra AfroLGBTI.

O artista Itaercio Rocha  (foto) propõe a oficina BORDANDO MEMÓRIAS E CANÇÕES partindo de lembranças, recordações e saudades para bordar canutilhos e miçangas em veludo. Cali Ossani ministra as PRÁTICAS MATINAIS DE KUNDALINI YOGA.

Patricia Cipriano e Stéfano Belo propõem o CLUBE DO DESMONTE para interessados em montaria, desmontar cacarecos, figurinos, roupas, acessórios, ideias, jóias do 1,99 e adereços das mais diversas materialidades.

Simone Magalhães e Victor Hugo apresentam a TARDE PRETA – um espaço de compartilhamento performático e conversas, para que os artistas convidados compartilhem suas compreensões sobre as negritudes e os processos de vida que permeiam seus trabalhos.

Jo Mistinguett e Simone Magalhães dirigem as LEITURAS DRAMÁTICAS dos textos Eu que não sou aí onde estou e A Falta de Novas Receitas em um Bolo de Lata nos fez Permanecer Aqui da autoria de Semy Monastier.

A programação se encerra com a primeira turma de vedetes mirins na COLOMBINA, onde a casa abre espaço para crianças de 5 a 10 anos possam experienciar a coletividade e a criação artística em grupo através de uma programação que envolve teatro, gastronomia e contação de histórias.

As inscrições para oficinas devem ser feitas através do e-mail: colombiadeferias@gmail.com Envie seu nome completo, a ação da qual quer participar e a forma de pagamento escolhida. Os pagamentos podem ser feitos na hora. Aceitamos dinheiro e cartões de débito e crédito.

Mais informações acesse o site www.selvatica.art.br/colombiadeferias

SERVIÇO:
COLÔMBIA DE FÉRIAS DA CASA SELVÁTICA
27 de Janeiro a 3 de Fevereiro no espaço cultural Casa Selvática

APRESENTAÇÕES
A bilheteria abrirá meia hora antes das atrações.
Casa Selvática
Rua Nunes Machado, 950 – Rebouças, Curitiba-PR
Fone: (41) 9 9991-9732

PROGRAMAÇÃO
27 DE JANEIRO (domingo)

15h às 20h – SARAU DA VISIBILIDADE TRANS  
Com Instituto Brasileiro Trans de Educação – IBTE, a Associação Paranaense da Parada da Diversidade – APPAD e Dom da Terra AfroLGBTI.

28 DE JANEIRO (segunda-feira)
14h às 17h – OFICINA DE BORDADO
Com Itaercio Rocha

29 DE JANEIRO (terça-feira)
10h – PRÁTICAS DE KUNDALINI YOGA
Com Cali Ossani
14h às 17h – OFICINA DE BORDADO
Com Itaercio Rocha

30 DE JANEIRO (quarta-feira)
10h – PRÁTICAS DE KUNDALINI YOGA
Com Cali Ossani
14h às 17h – OFICINA DE BORDADO
Com Itaercio Rocha

31 DE JANEIRO (quinta-feira)
18h – CLUBE DO DESMONTE
com Stéfano Belo e Patricia Cipriano

01 DE FEVEREIRO (sexta-feira)
20h – Leitura dramática
“A Falta de Novas Receitas em um Bolo de Lata nos fez Permanecer Aqui”
Texto de Semy Monastier
Direção de Simone Magalhães

02 DE FEVEREIRO (sábado)
15h às 18h – TARDE PRETA
com Simone Magalhães e Victor Hugo
20h – Leitura Dramática
“Eu que não sou aí onde estou”
Texto de Semy Monastier
Direção de Jo Mistinguett

03 DE FEVEREIRO (domingo)
10h às 15h – COLOMBINA
com Patricia Cipriano e Simone Magalhães

Descrição dos eventos

SARAU DA VISIBILIDADE TRANS  
O Instituto Brasileiro Trans de Educação – IBTE, juntamente com a Associação Paranaense da Parada da Diversidade – APPAD e o Dom da Terra AfroLGBTI convida a todos para o sarau trans com apresentações multimídias, documentários; exposições, músicas, dança e performance, discotecagem e microfone aberto para a construção de um manifesto trans.
Dia: 27 de janeiro
Horário: 15h às 22h
Entrada Gratuita

PRÁTICAS MATINAIS DE KUNDALINI YOGA ministradas por Cali Ossani
Convido aquelxs que sentirem o chamado a uma breve imersão na sua infinitude pessoal através da prática da Kundalini Yoga, que tem como símbolo uma serpente enrolada na base da coluna vertebral, possui técnicas dinâmicas, energizantes e objetivas. Entre os benefícios, podemos destacar que ela fortalece, alonga e relaxa a musculatura e todo o metabolismo do corpo. Além disso, auxilia no sistema respiratório, aumenta o nível de vitalidade física e psíquica, estimula a harmonia do sistema nervoso e glandular e propõe um profundo mergulho na meditação, através do uso de mantras.
Dias: 29 e 30 de Janeiro
Horário: 10h às 11h
Investimento: R$ 20 reais/aula

OFICINA – BORDANDO MEMÓRIAS E CANÇÕES com Itaercio Rocha
Bordar com canutilhos e miçangas em veludo, tendo como ponto de partida lembranças, recordações e saudades! Recuperar desenhos da infância e das lembranças de bordados. Criar formas e traçados, a partir de pesquisas em antigos e novos bordados. Bordar cantando. Brincar de cantar e bordar. Brincar de inventar canções e bordados.
Vamos trans bordar!
Missangas, canutilhos, brincadeiras e remelexos!
Vamos bordar nossas fantasias e fantasiar nossos bordados!
O Bordar – Trans Bordar
O bordar vem de longe, de tempos e tempos atrás!
Vem do silêncio e da conversa prazerosa!
Vem do cantarolar sozinho e com os outros!
Bordar vem do lembrar fios de histórias e contas
Bordar é inventar trajetos, tempos e espaços
É enfeitar, colorir, dar brilho em imaginações
É parar o tempo, perder a hora, trans bordar
Bordar é ir, ponto a ponto, construindo eternidades e identidades.
Dias: 28, 29 e 30 de janeiro
Horário: 14h às 17h
Investimento: A partir de R$30

CLUBE DO DESMONTE com Patricia Cipriano e Stéfano Belo
Desmontar cacarecos, figurinos, roupas, acessórios, ideias, jóias bélicas do 1,99 e adereços das mais diversas materialidades, para que juntas vejamos erguer-se do caos visualidades exuberantes e performances desviantes.

Stéfano Belo e Patricia Cipriano montam uma fábrica de sonhos da Casa Selvática e convidam todes interessades na criação em processo, precariedade, balangandan & montaria. Drag kings e drag queens, mulheres, bichas, sapatonas, travestis, NB’s e quem mais se interessar: venham para uma noite de experiência criativa na mais alta montaria drag queer. Junte-se a nós nessa invasão dissidente pelo bairro do Rebouças!
Dia: 31 de janeiro
Horário: 18h às 22h
Investimento: R$15

TARDE PRETA com Simone Magalhães e Victor Hugo
Simone Magalhães e a Casa Selvática tem o prazer de receber na casa rosa mais resistente do Rebouças, a TARDE PRETA – um espaço de compartilhamento performático, conversas e vivências terapêuticas. Pensado para que artistas próximos(as) de nossa convivência na cidade irradiem suas compreensões sobre as negritudes e os processos de vida que permeiam seus trabalhos.
Dia: 02 de fevereiro
Horário: 15h às 18h
Entrada Gratuita

LEITURA DRAMÁTICA – ”Eu que não sou aí onde estou”
Seres purulentos dançantes tentam explicar suas ansiedades.
Texto: Semy Monastier
Direção: Jo Mistinguett
Elenco: Cali Ossani, Daniele Cristyne, Matheus Henrique, Nina Ribas e Victor Hugo
Sonoplastia: Cali Ossani
Produção: Léo Bardo e Ricardo Nolasco
Dia: 02 fevereiro
Horário: 20 horas
Entrada: R$10 reais

COLOMBINA
Por acreditarmos nas mais diversas formas de existência no mundo, este ano inauguramos a primeira turma de Vedetes Mirins dentro da programação da Colômbia de Férias. Chamamos de COLOMBINA o espaço onde as crianças inscritas protagonizarão suas próprias existências e terão a oportunidade de contar e recontar, montar e remontar suas próprias narrativas, mergulhando na coletividade do organismo Casa Selvática e exercitando entre si os novos modos de conhecimento emergidos deste novo grupo de Vedetes!

Acreditamos na esperança que há neste movimento, afinal, o exercício do pensamento crítico aliado à sensibilidade artística e criativa das crianças só pode resultar em inúmeras soluções inventivas para sermos o que quisermos, um motivo a mais para estar aqui, um motivo a mais para exercitar outras coletividades, uma aliança a mais para resistir. Colombina é jovem, é sagaz, é inventiva! Colombina é a vedete do século 21!

* Inscrições para crianças de 5 a 10 anos (10 vagas)
Investimento: R$20 por criança** Cada criança deve trazer uma sugestão de alimento para compartilhar;
*** Fiquem à vontade para usar a criatividade: caso queiram, pode trazer roupas, adereços e objetos!

Programação da Colombina:
10:00 – Recepção
10:15 – Movimento matilha
10:30 – Meu nome é, mas hoje sou… (a construção de outro eu)
11:30 – Almoço coletivo – O almoço será preparado pelas crianças, amparadas por adultos que estarão zelando por todes. Menu a definir.
12:15 – ALMOÇO
12:45 – Organização coletiva
13:15 – Contação de histórias
13:45 – Soluções Fantásticas Para Ser O Que Eu Quiser (pensar e dar vida à essa nova identidade).
15:00  – Matinê da Colombina e O Grande Desfile de Vedetes.
16:00 – Encerramento