JANINE MATHIAS CANTA AOS 50 ANOS DE BETH CARVALHO NO “SAMBA DA NEGA”

Projeto idealizado pela cantora apresenta os clássicos da “madrinha do samba”

50 anos de carreira, 34 discos e 4 DVDs. Beth Carvalho dispensa qualquer apresentação. Ela não é apenas a “madrinha do samba”, mas responsável por amadrinhar um bando de bambas, entre eles, Fundo de Quintal, Zeca Pagodinho, Almir Guineto, Sombra, Sombrinha, Arlindo Cruz, Luis Carlos da Vila, Jorge Aragão e muitos outros. Beth consagrou o samba da maneira plena, levou a batucada para onde está o povo. Pagodeira assumida, introduziu em seus shows e discos instrumentos como o banjo com afinação de cavaquinho, o tan-tan e o repique de mão. A cantora já recebeu seis Prêmios Sharp, 17 Discos de Ouro, nove de Platina, dois DVDs de Platina, além de centenas de troféus e premiações. Por essas e tantas outras ela é a homenageada nesta edição do “Samba da Nega”.

No próximo sábado (24), a cantora e compositora, Janine Mathias apresenta o show “Samba da Nega especial Beth Carvalho”. A apresentação acontece no Jokers Pub, a partir das 22h, com abertura e discotecagem da produtora e DJ, Adri Menegale. Janine é acompanhada pelos músicos, Sergio Pires, Leonardo Novaes de Lima, Leandro Novaes, Érica Silva e Lucas Miranda.

Em mais de cinquenta edições, o “Samba da Nega” já foi visto por aproximadamente dez mil pessoas. Dá herança percussiva das batucadas, dos sambas memoráveis, ao novo repertório, Janine Mathias apresenta o “Samba Da Nega” com todas as referências e autenticidade que o próprio samba evoca. Diversos músicos já se apresentaram ao lado da nega desde a estreia do projeto. Passaram pelo palco do “Samba da Nega”, Eduardo Brechó (SP), Karla da Silva (RJ), Toninho Geraes (RJ), Tássia Reis (SP), Íria Braga (PR), Léo Fé (PR), Bernardo Bravo (RJ), DJ Vivian Marques (SP), MV Hemp (RJ) entre tantos outros.

A relação genuína de Janine com o samba vem do pai, de sua herança familiar carioca e baiana. Brasiliense de berço, Janine se mudou para Curitiba e lá se inseriu musicalmente. Participou do concurso “Samba do Compositor Paranaense”, e ficou em terceiro lugar com a música “Água que retira dor”. Em 2013, apresentou no Teatro Paiol, o show “E o Meu Samba Vai Ficar Assim”, com músicas próprias e no mesmo ano foi convidada da Orquestra Democratas e interpretou o samba “Muita Areia”, de Alex Souza e Panelão, samba gravado e lançado em single pela própria Janine durante o carnaval de 2015. No segundo semestre a cantora vai lançar o disco “Dendê”, com direção e produção musical de Eduardo Brechó.

SERVIÇO
Samba da Nega Especial Beth Carvalho
Quando: 24 de junho (sábado).
Horário: A partir das 22h.
Local: Jokers Pub
Endereço: Rua São Francisco, 164 – Centro de Curitiba.
Entrada: R$15 até às 23h30 (após R$25).
Promoção: Os cem primeiros bambas ao chegarem no Jokers ganham 1 chope. No app Onde Ir Curitiba tem sorteio de convites a partir do aplicativo. Reservas: (41) 3013-5164

DUO CURITIBANO MINICONTO LANÇA ÁLBUM CONDUZIDO POR NARRATIVA POÉTICA E MINIMALISMO

Intitulado “Casa”, trabalho será apresentado ao público nesta quinta-feira (22), em show no Centro Cultural Sesi Heitor Stockler de França, centro de Curitiba.

Com uma proposta artística marcada pelo intimismo e pela dramaticidade, o duo curitibano Miniconto apresenta seu novo álbum, “Casa”, assinado pela cantora e compositora Karla Díbia em conjunto com o violonista e compositor Daniel Amaral. O trabalho contempla seis faixas acompanhadas por ilustrações retratando a personagem que inspirou as letras.

No quinto disco da carreira, o duo mantém o estilo “mini” ou “diminuto”, que norteia sua atuação desde 2010. Essa possibilidade musical é expressada tanto na quantidade reduzida de instrumentação quanto na minutagem das músicas, que possuem arranjos e poesias especialmente elaboradas.

Explorando uma narrativa interligada com a literatura, “Casa” representa um amadurecimento para a dupla. “As melodias, por exemplo, são mais trabalhadas. Foram valorizadas e compostas ao piano, enquanto antes eram compostas ao violão”, conta Karla.

Outra novidade está na concepção instrumental do álbum. “As faixas são um crossover entre arranjos de violão e sintetizadores digitais. Além disso, todas têm tonalidades próximas e estão entrelaçadas”, afirma o violonista.

Em paralelo com as letras fortes e subjetivas, estão as ilustrações criadas por Thaise Severo Lima e finalizadas digitalmente por Iuri de Sá. “As frases e desenhos nos fazem imaginar uma possível morte, que pode ser entendida como um acontecimento drástico transformador, para em seguida surgir como redescoberta de vida e poder”, observa Thaise. 

Lançamento
O show de estreia do álbum “Casa” acontece nesta quinta-feira (22), no Centro Cultural Sesi Heitor Stockler de França, às 20h. Além das músicas inéditas que integram o atual disco do Miniconto, o público também poderá conferir composições criadas anteriormente. 

Para promover um intercâmbio musical, o evento também conta com a participação especial das musicistas Cida Airam, Érica Silva e Jessie Rolim. Os ingressos podem ser adquiridos antecipadamente pela plataforma Sympla, no valor de R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

Serviço:
Show Miniconto – lançamento do álbum “Casa”
Data: 22 de junho, às 20h
Local: Centro Cultural Sesi Heitor Stockler de França 
Endereço: avenida Marechal Floriano Peixoto, 458, centro de Curitiba
Entrada: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)
Ingressos antecipados: plataforma Sympla

Sobre o Miniconto
Formado por Karla Díbia e Daniel Amaral, o duo musical Miniconto propõe o estilo “mini” ou “diminuto” na quantidade de instrumentação e na minutagem das músicas. Atuando no cenário musical desde 2010, ambos já integraram o Grupo Omundô – Projeto Música dos Povos, sob direção de Plínio Silva (2009 a 2012); e a banda Alimentadores da Região.

Karla Díbia é professora, cantora, compositora e bacharel em música popular pela Faculdade de Artes do Paraná (FAP). Possui especialização em produção da arte e gestão da cultura pela PUC-PR.

Daniel Amaral é professor, compositor, arranjador, violonista, violeiro e guitarrista. Estudou violão popular na Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim e é bacharel em música pela FAP. Também integra a banda Chamegado. 

Para saber mais
Site | Facebook | YouTube 

Créditos: Ninna Conteúdo

CAIXA CULTURAL CURITIBA RECEBE MATHEUS NACHTERGAELE EM PROCESSO DE CONSCERTO DO DESEJO

Ator usa a poesia de sua mãe, a escritora Maria Cecília Nachtergaele, para explorar as palavras conserto e concerto: “Quero consertar meu desejo com poesia, num concerto.”

A CAIXA Cultural Curitiba apresenta, de 21 a 25 de junho, o espetáculo Processo de Conscerto do Desejo, com o ator e diretor Matheus Nachtergaele. A peça é uma homenagem a sua mãe, Maria Cecília Nachtergaele, que faleceu em 1968. No palco, ele recita os textos da poetisa, em primeira pessoa, acompanhado do músico Luã Belik (violão) e do violinista Henrique Rohrmann.

A peça estreou em julho de 2015, no Festival de Teatro de Ouro Preto e Mariana e tem emocionado o público nas cidades por onde passou, como Rio de Janeiro, São Paulo, Recife, Fortaleza, Brasília, Paraty, Uberlândia, Porto Alegre, Pelotas, Caxias do Sul, entre outras.

A construção do espetáculo, segundo o ator e diretor, acontece diante do público: “Preciso das pessoas como observadores emocionados. Quero ir consertando meu desejo de acordo com essa emoção, dia após dia. Como na vida. Como no teatro. Isso, só o teatro pode nos trazer”, diz Matheus.

Conserto e Concerto
Matheus Nachtergaele observa que poucas palavras se confundem tanto em nossa língua quantos ‘concerto’ e ‘conserto’. “Aqui, elas se mesclam vertiginosamente. Quero consertar meu desejo com poesia, num concerto”, diz ele.

O ator explica: “minha mãe faleceu quando eu era um bebê de três meses. Dela, me restaram seus poemas, lindos e maduros, escritos de uma jovem mulher moderna e triste, e essa veia que me marca a testa quando rio ou choro muito. Em Processo de Conscerto do Desejo, acompanhado pelo jovem violonista Luã Belik, direi finalmente os poemas que guardei nos olhos e na alma como única herança dela. O espetáculo é simples assim: um homem (que por acaso é um ator) diz no palco as palavras escritas por sua mãe. Um violão (não por acaso, pois Maria Cecília amava os violões) o acompanha. É só isso, se isso for pouco”.

Matheus Nachtergaele / Foto: Marcos Hermes

Sobre o ator
Matheus Nachtergaele é um ator e diretor com intensa atuação no teatro, cinema e televisão. Iniciou sua carreira teatral com o cultuado diretor paulista Antunes Filho, em 1989. No ano seguinte, ingressou na Escola de Arte Dramática (USP-SP), e logo estreou nos palcos profissionalmente. Com o Teatro da Vertigem o grupo, fundado em 1992 e dirigido por Antônio Araújo, protagonizou os espetáculos ‘Paraíso Perdido’ e ‘O Livro de Jó’, recebendo por estas atuações prêmios de melhor ator, entre eles os prêmios Shell, Mambembe e APCA. Em seguida, atuou nos espetáculos Da Gaivota, Woyzzeck e A Controvérsia, todos premiados e bem recebidos pelo público e pela crítica especializada.

Nos cinemas, estreou sob a direção de Bruno Barreto, em 1997, com o filme O que é isso, Companheiro?. Desde então, Matheus atuou em cerca de 30 longas-metragens, como Central do Brasil e O Primeiro Dia, de Walter Salles Jr; O Auto da Compadecida e O Bem Amado, de Guel Arraes; Cidade de Deus, de Fernando Meirelles; e Amarelo manga, Baixio das Bestas e Febre do Rato, de Claudio Assis. Por estes e outros trabalhos recebeu inúmeros prêmios como ator, incluindo APCAs, dois Grande Prêmio do Cinema Brasileiro e outros muitos em Festivais de Cinema, como o Cine PE, Cine Ceará, e Festival do Rio.

Sua estreia cinematográfica como roteirista e diretor foi em 2008, com o longa-metragem A Festa da Menina Morta’, exibido na mostra Un Certain Règard, na Seleção Oficial do Festival de Cannes. O filme recebeu diversos prêmios em várias categorias em festivais de cinema no Brasil e no exterior. E no conceituado Festival de Chicago, no Festival de Cinema de Gramado e no Festival do Rio, Matheus Nachtergaele recebeu o prêmio de Melhor Diretor.

Na televisão, destacam-se trabalhos como Hilda Furacão, Os Maias, Decamerão, Ó Paí, ó!, Da Cor do Pecado, América, Cordel Encantado e no remake de Saramandaia, estrelando como o Seu Encolheu.

Serviço:
Teatro: Processo do Conscerto do Desejo
Local: CAIXA Cultural Curitiba, Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)
Data: 21 a 25 de junho de 2017 (quarta a domingo)
Horário: quarta-feira a sábado, às 20h. Domingo, às 19h
Ingressos: vendas a partir de 17 de junho (sábado). R$ 20 e R$ 10 (meia – conforme legislação e correntistas que pagarem com cartão de débito CAIXA). A compra pode ser feita com o cartão vale-cultura.
Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sábado, das 12h às 20h, e domingo, das 16h às 19h)
Classificação etária: não recomendado para menores de 16 anos
Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)

Informações e entrevistas:
Fabiana – (41) 9 8403.1653
fabiana.fernandes@grupoinforme.com.br

Assessoria de Imprensa da CAIXA Cultural Curitiba (PR)
(41) 3544-5641
www.caixa.gov.br/imprensa | @imprensaCAIXA
www.caixa.gov.br/cultura

CELEBRANDO O AMOR: PERLA FLAMENCA TABLAO COMEMORA O DIA DOS NAMORADOS

Jonas Ruedas

Na edição do junho do Perla flamenco Tablao, a proposta é celebrar o amor, com música, dança e gastronomia espanhola; Dia 16/06 (sexta), às 21h

Comemorando o dia dos namorados, o grupo Perla Flamenca Arte em Movimento, traz a Curitiba, no dia 16 de junho, o bailaor Jonas Ruedas. O show de música e dança flamenca também terá a presença do cantaor Fernando de Marília, da bailaora Miri Galeano, do guitarrista Jony Gonçalves e de alunos do grupo.

“O flamenco é forte e apaixonante, ideal para comemorar o dia dos namorados e compartilhar o amor à arte”, comenta a diretora do Grupo Perla Flamenca, Miri Galeano.

Com o objetivo de criar um ambiente flamenco em Curitiba, recriando o clima dos tradicionais tablaos (“tablados”) espanhóis, o projeto Perla Flamenca Tablao tem, desde 2015, atividades mensais, abrindo as portas tanto para os alunos da Perla Flamenca quanto para artistas consagrados e interessados de outras escolas que desejarem vivenciar essa arte dentro de um tablao.
O convidado especial desta edição é o bailaor Jonas Ruedas, “uma revelação do flamenco no Brasil”, destaca o guitarrista Jony Gonçalves, que também dirige o projeto.

O ingresso está à venda no Espaço Up Live (Rua Claudio Manoel da Costa, 623, Bom Retiro) e custa R$50,00 para o público em geral e R$ 80,00 para os casais (2 ingressos), além do show, com duração de cerca de 1h, é servida uma taça de sangria e um petisco tradicional na culinária espanhola.

Sobre Jonas Ruedas
Jonas Ruedas nasceu em São Paulo em 1997. Seu primeiro encontro com o Flamenco foi aos 13 anos de idade na escola Rueda Flamenca, pertencente a seus tios. Lá, aprendeu seus primeiros passos flamencos e recebeu grande influência familiar. Aprofundou seus estudos na dança flamenca com diversos nomes nacionais e internacionais. Em 2012, ganhou o primeiro lugar no concurso de Revelação Flamenca do ano, promovido pela Feira Flamenca. Aos 16 anos fez sua primeira viagem para Espanha com o projeto “Viagem Encuentro Flamenco” onde aprimorou seus estudos através de cursos ministrados pelos professores Afonso Losa, Davi Paniagua, Pedro Córdoba, Domingo Ortega. Ainda na Espanha foi convidado pelo projeto “Flamenco Brasil” a participar do Tablado “Polana”. Ministrou aulas de dança flamenca nas Escolas “Atelier Flamenco”, de André Pimentel e no “Galpão da Dança”, de Miguel Alonso. Foi membro regular do Grupo do Galpão da Dança, atua como bailarino solista e em espetáculos com diversos grupos do Estado de São Paulo tais como: Estúdio Soniquete Arte Flamenca, de Mariana Abreu, Studio de Arte Flamenca Alhambra, de Iracy Prades, Grupo Rama Nueva, de La Tri Ni, Estudio de Arte Flamenca Ana Guerreiro e Dance Arte Ursula Correa, entre outros.

Sobre o Grupo Perla Flamenca:
Após 13 anos de muita dedicação ao Flamenco no Brasil e no exterior e com o objetivo de sempre difundir esta arte, Miri Galeano “La Perlita” e Jony Gonçalves criaram o grupo “Perla Flamenca Arte em Movimento”. O objetivo do grupo é compartilhar e transmitir a arte a pessoas de qualquer idade, gênero e nacionalidade. Utilizando a linguagem universal da música, o grupo desenvolve diversas atividades, tais como aulas de dança, aulas de violão flamenco, encontros sobre teoria e história do Flamenco, bem como apresentações e workshops com artistas nacionais e estrangeiros. Diretores do Grupo:
Miri Galeano “Perlita” Coreógrafa e Bailaora;
Jony Gonçalves Músico – Guitarrista. Confira a fanpage do grupo: aqui

Sobre o Flamenco
O Flamenco nasce na Andaluzia, Espanha, e de lá se espalha pelo mundo, levando consigo a soma de diferentes culturas que o fizeram emergir, tais como árabe, cigana, judia, espanhola, negra. Ao falar das emoções humana mais primitivas, como raiva, dor, medo, alegria, paixão, amor, sensibiliza e conecta-se com os mais diversos públicos, talvez por isso tenha ultrapassado suas fronteiras e se firmado como um gênero artístico, muito além de algo folclórico e de identidade local. Um show tradicional de flamenco sempre reúne seus três elementos: Baile (dança), toque (guitarra espanhola/violão) e Cante (voz). No flamenco, o bailarino/bailarina é chamado bailaor/bailaora, o cantor/cantora de cantaor/cantaora e o/a violinista de guitarrista.

SERVIÇO
O que: Perla Flamenca Tablao – edição especial Dia dos Namorados
Quando: 16/06 (sexta), às 21h
Onde: Espaço Up Live (Rua Cláudio Manoel da Costa, 623, Bom Retiro | Curitiba-PR)
Quanto: R$ 50,00 (inteira) | R$ 80,00 (casais – 2 ingressos)
Informações/ingressos: (41) 99571-7379

VENDIDO ::: DISCO DE VINIL “A REVISTA POP APRESENTA O PUNK ROCK” (1977) RARÍSSIMO

Esse disco é histórico!!! Disco para colecionadores!!! Foi o primeiro disco de punk rock a ser lançado no Brasil, em 1977!!! Serviu pra abrir as portas para o punk!!! Está em bom estado: não pula! Preço: R$119,00 – aceitamos cartão! O disco está em Curitiba, na LOJA DAS PULGAS!

Confira nossos discos, neste link

“A Revista Pop Apresenta o Punk Rock” (número de registro: 6300 288) é uma coletânea lançada em LP no ano de 1977 pela gravadora Philips e pela extinta Revista POP. Segundo o cartunista Márcio Baraldi, este LP é importantíssimo para a história do rock no Brasil, pois serviu pra abrir as portas para o punk rock.” Fonte: Wikipédia.

Disco de vinil, 33 rpm.  As músicas deste disco você pode ver nas fotos. Ele possui 12 faixas:

lado A: God Save the Queen – Sex Pistols;  Loudmonth – Ramones; In the City – The Jam; Might be Lying – Eddie and the Hot Rods; Young Savage – Ultravox; Cherry Bomb – The Runaways; 

lado B: Now I Wanna Sniff Some Glue – Ramones; Pretty Vacant – Sex Pistols; Everyones a Winner – London; Slow Down – The Jam; Writing on the Wall – Eddie and the Hot Rods; Boozy Creed – Stinky Toys.

Seguindo “Guia Internacional Para Avaliação de Discos de Vinil” :
GÊNERO: Rock
ANO: 1977
SELO: Philips
Número: 6300 288 (consulte o discogs)
AVALIAÇÃO DA CAPA: “G”: Bom. Buracos, rasgos, falta de pedaços.
AVALIAÇÃO DO VINIL: “EX”: Excelente. Pequenas marcas e riscos superficiais. Possibilita uma audição com pouca interferência, mas não pula!

ATENÇÃO, É IMPORTANTE:
O disco esta em bom estado. Tem riscos leves, mas não pulam. Mas, se você realmente quiser comprá-lo, por favor, me avise para que possa testá-lo!!! Rodarei o disco inteiro (os dois lados) para saber se está em boas condições.

Se quiser testá-lo também, este disco está disponível em Curitiba, na LOJA DAS PULGAS! Rua Padre Paulo Warkocz, 29, CIC / Orleans – próximo ao cemitério/viaduto do Orleans e Escola Estadual Santo Antonio. Mencione que viu este anúncio no FATO Agenda, ajuda nozes!

Preço: R$119,00 (aceitamos cartão!) Aproveite!!!

Mais informações: Leandro H: (41) 99745-5294 (tim/WhatsApp)

Confira nossos discos, neste link

Você também pode comprá-la direto no MercadoLivre através deste link (se puder comprá-lo direto com a gente, pra a gente é melhor! :))

Muito obrigado!!!

Confira as fotos:



“TRÊS VEZES PIRANDELLO” ENCERRA TEMPORADA EM COLOMBO

Diretor italiano traduz e adapta textos inéditos no país e monta espetáculo que conclui turnê pela Região Metropolitana de Curitiba este fim de semana

O Grupo Arte da Comédia escolheu a Região Metropolitana de Curitiba para receber a primeira temporada do seu mais novo espetáculo: Três vezes Pirandello. Tragédia, drama, comédia. A trupe paranaense, que já tem dez anos de trajetória consagrados por premiações diversas, é dirigida por Roberto Innocente, italiano de Padova radicado na capital paranaense. A montagem, que estreou em Curitiba no final de abril, reúne em três atos três obras do dramaturgo siciliano Pirandello, duas delas inéditas no Brasil. Este fim de semana, a peça tem três apresentações em Colombo com entrada franca. O espetáculo já passou por Campo Largo, Araucária e Almirante Tamandaré.

De acordo com o diretor artístico do Arte da Comédia, o Brasil ainda conhece pouco a obra de Pirandello. “Ele foi, sem dúvida, o maior dramaturgo italiano do século passado e parte expressiva dos brasileiros ainda conhecem apenas a obra Seis personagens em busca de um autor. Com este projeto, queremos dar aos curitibanos e, em especial, ao público da RMC, a possibilidade de ter um contato mais profundo com a vida e a obra deste autor tão importante”, enfatiza Innocente.

Os textos traduzidos e adaptados por Roberto são: O homem da flor na boca, A certidão e Cecé. Na montagem do Arte da Comédia, o diretor intercalou trechos dessas três obras por meio de diálogos imaginários com o próprio Pirandello acompanhados por um repertório musical tipicamente siciliano. “Damos ao espetáculo um clímax mediterâneo, próprio da Sicília, contexto original das peças de Pirandello”, explica o diretor.

As sessões em Colombo têm entrada franca e acontecem de sexta a domingo – dias 2, 3 e 4 de junho, no Colombo Park Shopping. O projeto é produzido por Joseane Berenda em colaborção com o grupo Arte da Comédia, conta com o incentivo do Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura do Paraná, o patrocínio da Copel e o apoio do Palavração (Cia de Teatro da UFPR).

Serviço:
Três Vezes Pirandello. Tragédia, Drama, Comédia.
Em Colombo:
Datas: 9 e 10 de junho, às 20. 11 de junho, às 19h.
Local: No Colombo Park Shopping. Rua Dorval Ceccon, 664 – Fátima.
Ingressos: Entrada franca (retirada 1 hora antes do espetáculo na bilheteria do espaço)

Ficha Técnica:
Elenco: Joseane Berenda, Marwem HD, Anidria Stadler, Douglas Borba, Duilio de Pol, Pedro Inoue.
Figurino: Gilca Rigotti
Cenário: Roberto Innocente
Cenotécnico: Bira Paese e equipe
Iluminação: Rodrigo Ziolkowski
Trilha sonora e gravações: Fábio Silva Ladeira
Adereços: Gilca Rigotti e Joseane Berenda
Programação visual: Marcelo Felczak
Impressão: Sidtony

Assessoria de Imprensa: Smartcom – Inteligência em Comunicação
Foto e Vídeo: Fábio Silva Ladeira

Projeto realizado através da Lei de Incentivo a Cultura da Secretaria de Cultura do Estado do Paraná – PROFICE. Patrocínio – COPEL. Apoio – CIA PALAVRAÇÃO – UFPR – GRUPO ARTE DA COMÉDIA

Grupo Arte da Comédia – Fundado em 2006 pelo diretor artístico de origem italiana Roberto Innocente, o grupo pesquisa a comédia clássica e seus tipos universais em busca de personagens e temáticas essencialmente brasileiras. Para tanto, além de pesquisar profundamente as técnicas teatrais da Commedia Dell’Arte, tem estudado os aspectos contemporâneos de composição da sociedade brasileira, assim como suas manifestações históricas, culturais e artísticas. Seguindo esta linguagem, está em seu 16º espetáculo, já viajou por diversos locais do Brasil, foi vencedor de quatro troféus Gralha Azul, recebeu diversas premiações em festivais de artes cênicas nacionais e, este ano, por meio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura da Fundação Cultural de Curitiba, completa a sua primeira década de existência com a montagem inédita do clássico de Flaminio Scala, a Loucura de Isabella. Ainda este ano, foi selecionado entre centenas de grupos da América Latina para representar o Brasil no Peru, na IX Festepe Internacional.

ATORES PROFISSIONAIS SE JUNTAM A AMADORES NO PALCO DA CAIXA CULTURAL CURITIBA

Pessoas comuns foram escolhidas por anúncio de jornal. Ao lado dos profissionais, eles contam sua história verdadeira na maior intimidade

A CAIXA Cultural Curitiba apresenta, de 16 a 18 de junho, o espetáculo Amadores, da Cia Hiato, de São Paulo. Na peça, resultado de pesquisa da companhia, cinco atores profissionais contracenam com 13 artistas amadores, pessoas de diversas áreas que foram selecionadas por meio de anúncios em jornal ou oficinas públicas. Além de exporem as suas experiências pessoais, cada um dos amadores tem alguma habilidade artística. “Durante a seleção, muitos deles nunca tinham ido ao teatro. Esta foi sua primeira experiência no palco. E eles têm perfis muito diversos: há um atendente de telemarketing, uma empregada doméstica, um ator pornô. O resultado é surpreendente”, avalia o ator Thiago Amaral, que integra o elenco de Amadores.

O espetáculo é um passeio por histórias e contextos, uma galeria de retratos vivos, num diálogo cênico surpreendente. Os amadores fazem um discurso pessoal que os revela socialmente, seja pela marginalização, por questões raciais, de gênero ou sexualidade, exclusão de classe ou por contextos culturais diversos. O que começou como uma entrevista de elenco, em que cada um deles exibiu suas especialidades e seus “objetos de arte”, chega ao palco como um compartilhamento de experiências pessoais.

A companhia aposta no teatro – suas convenções, seus códigos, gêneros e profissionais – para ampliar as possibilidades do que pode ser apresentado em cena, expondo diferentes experiências artísticas ao mesmo tempo, dando voz ao público que se sente marginalizado pelas artes e até mesmo aos profissionais que também podem estar excluídos.

Ronaldo de Moraes é um dos amadores. Morador da periferia de São Paulo, recém formado em Ciências Sociais, ele diz que a experiência é muito positiva. “É uma honra integrar este elenco. Tenho a liberdade de ser quem eu sou. Foi assim desde a primeira entrevista. E foi uma alegria ter sido aceito. Quando cheguei, eu, que acumulava diversos fracassos, tinha uma história de estigmas e preconceito, também tinha preconceito. Minha visão era limitada. Achava que vida de artista era vida de glamour. Depois eu vi o trabalho que é, quantas pessoas envolvidas”, diz Ronaldo, que está desempregado, foi alcoólatra, se envolveu com drogas e terminou a faculdade aos 47 anos de idade.

“Espero que as pessoas se identifiquem com alguma história entre as que vamos contar.” O personagem de Ronaldo, que representa ele mesmo, conta da sua descoberta diante dos espaços culturais da cidade de São Paulo. ”Falo de pertencimento através dos espaços culturais”, explica.

Em 2017, a Cia. Hiato comemora nove anos desde a estreia de seu primeiro espetáculo, “Cachorro Morto”. Nesses anos, foram criados cinco espetáculos, que associam memória e invenção, numa busca por novas dramaturgias, traço característico do grupo. A Cia. Hiato fez uma série de apresentações em palcos e festivais internacionais – Alemanha, Áustria, Bélgica, Chile, Colômbia, Estados Unidos, Holanda, Grécia e Romênia.

“Abandonamos a pessoalidade, a metalinguagem e a biografia para pensar o outro, aquele que normalmente é excluído do palco ou que só aparece nele como representação ou discurso”, explica o diretor e dramaturgo do espetáculo, Leonardo Moreira.

fotografia: Ligia Jardim

Serviço:
Teatro: Amadores
Local: CAIXA Cultural Curitiba, Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Centro de Curitiba (PR)
Data: 16 a 18 de junho de 2017 (sexta a domingo)
Horário: sexta-feira e sábado, às 20h. Domingo, às 19h
Ingressos: vendas a partir de 10 de junho (sábado). R$ 10 e R$ 5 (meia – conforme legislação e correntistas que pagarem com cartão de débito CAIXA). A compra pode ser feita com o cartão vale-cultura.
Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sábado, das 12h às 20h, e domingo, das 16h às 19h)
Classificação etária: não recomendado para menores de 14 anos
Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)

Informações e entrevistas:
Assessoria Curitiba – Cia Hiato:  Fernando – (41) 9 9996.5292 / fernandodproenca@gmail.com
Assessoria CAIXA: Fabiana – (41) 9 8403.1653 / fabiana.fernandes@grupoinforme.com.br

MUSICAL “VOZES DE ABRIGO” VOLTA À CURITIBA

MUSICAL VOZES DE ABRIGO / Foto de Juliana Luz

De forma poética e por meio do teatro de animação, espetáculo conta a história de crianças que vivenciaram situações de abandono

É uma peça sobre infância, mas se distingue dos contos de fadas tradicionais. O espetáculo Vozes de Abrigo, por meio do teatro de animação e da linguagem dramático-musical, coloca em cena histórias reais e inspiradas de crianças em contexto de abandono. A montagem revive essas situações tão duras da realidade de forma poética, transformando essas vivências em metáforas e fazendo-as passar pelo filtro da fantasia infantil. O musical, que foi sucesso de público na última edição do Festival de Curitiba, volta à capital paranaense em temporada no Teatro José Maria Santos, entre os dias 1 e 18 de junho.

Dirigido por Fábio Nunes Medeiros, Doutor em Artes e profundo pesquisador dos cruzamentos entre teatro de animação e outras linguagens, “Vozes de Abrigo” conta a história de vários tipos de abandono. Fábio explica que o texto do espetáculo teve como ponto de partida histórias reais com as quais teve contato em visitas a abrigos e com pessoas que passaram por situações de abandono.

“O espetáculo revive essas histórias abrindo caminho para várias reflexões, em especial sobre a nossa responsabilidade perante a situação de abandono e abrigo. Acredito que esse rio de histórias paralelas que muitas vezes corre do nosso lado, mas que não conhecemos ou não olhamos por opção, é o rio de nossa história também, enquanto seres humanos”, relata Medeiros.

Recentemente selecionado para participar da 11ª edição de Teatro de Animação de Florianópolis, “Vozes de Abrigo” se diferencia por sua trilha sonora original. Composta pelo diretor musical André de Souza, o compositor explica que as músicas do espetáculo promovem uma unidade estilística entre as partes faladas e cantadas da peça.

“Vozes de Abrigo” é uma produção da Cia LAICA. O grupo, desde seu surgimento, se propõe a investigar e experimentar técnicas e estéticas da arte de animação (tanto no teatro quanto no cinema). Faz isso a partir do agrupamento de artistas independentes e com experiências variadas em diversas linguagens artísticas.

MUSICAL VOZES DE ABRIGO / Foto de Juliana Luz

Serviço:
Vozes de Abrigo
Datas: de 1 a 18 de junho
Horários: de quinta a sábado, às 20h. Domingos, às 19h.
Local: Teatro José Maria Santos
Endereço: Rua Treze de Maio, 655. São Francisco, Curitiba
Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)

Aquisição na bilheteria do espaço

.

JOAQUIM APRESENTA BATE-PAPO MUSICAL COM ESTRELA LEMINSKI E TÉO RUIZ!

Joaquim Livros & Discos  apresenta bate-papo musical com a presença especial de Estrela Leminski e Téo Ruiz!

Após três anos se apresentando com o show Leminskanções, Estrela Leminski e Téo Ruiz retomam seu projeto autoral e lançam “Tudo Que Não Quero Falar Sobre Amor”, álbum que chega desconstruído ao público. Foram sete produtores musicais para as doze canções, todas assinadas pela dupla e algumas parcerias, e cada uma vai ganhar um videoclipe próprio. Os cinco primeiros já saíram: “Biografia”;“Blues do Encanto”; “Nosso Livro”, esse último também um mini-doc; “Poliamor” e “Quase Feliz’ com participação de Leo Fressato, o autor de “Oração”, música consagrada pela A Banda Mais Bonita da Cidade.

Entre os que assinam a parte de produção musical, estão Guilherme Kastrup (produtor e diretor artístico do disco “A Mulher do Fim do Mundo”, de Elza Soares), Dante Ozzetti (compositor e produtor reconhecido nacionalmente), Rodrigo Lemos (ex-banda mais bonita da Cidade e Poléxia, atual Lemoskine e Naked Girls and Aeroplanes), Marcelo Fruet (produtor dos discos das bandas Apanhador Só e Dingo Bells), Fred Teixeira, John Ulhoa (Pato Fu) e Pupillo (Nação Zumbi). O rock-poético, de ênfase na canção, ganhou visões diferentes, mas sem perder a unidade e coesão dentro dessa diversidade de nomes. O som é pop com ruído, urbano e contemporâneo, e o título não poderia ser mais direto: apesar de Estrela e Téo serem um casal, não espere canções fofas de amor.

Já o projeto visual conta com doze vídeoclipes assinados por dez diretores: Luciano Coelho, Gustavo Guimarães, Juliana Sanson, Bernardo Rocha, Carol Winter, Marta Souza, João Marcelo Gomes, Carlon Hardt, Lucas Fernandes e Paulo Biscaia. O conceito transmidiático da junção do som com imagem convida o público a participar ativamente, já que os videoclipes serão lançados a partir do fim de abril até agosto, e o álbum completo só estará disponível, tanto nas plataformas digitais quanto fisicamente, após o show no final de setembro.

Venha conhecer o trabalho sensacional da dupla no ambiente intimista de livros & discos.

Entrada franca!

Local: Joaquim Livros & Discos, Rua Alfredo Bufren, 51, Centro de Curitiba
Data: Terça, 13 de junho, das 19:00 às 22:00

Página do evento, aqui

EVENTO SOLIDÁRIO EFIGÊNIA ROLIM

“Efigênia Rolim dispensaria apresentações, mas para quem ainda não conhece lá vai:

Artista, mulher, brasileira, sem estudo adequado, mãe, esposa, cuidadora, religiosa, inquieta e sonhadora com seus 86 anos já encarou muitas lutas na vida, nossa amiga é boa no combate, mas ainda assim, está passando por mais um momento difícil. Ela está com os pulmões comprometidos e proibida pelos médicos de trabalhar com lixo reciclável, consequentemente sua situação financeira está abalada, também cuida de um filho que depende de cuidados especiais e está muito debilitado. Conhecida Rainha do Papel de Bala consagrada por ter seus trabalhos expostos em vários lugares do mundo se prepara para mais um marco na sua carreira: 08/06 Exposição no MON abertura do 66º Salão Paranaense. Essa jovem artista tardia alcança vôos cada vez maiores apesar de todas as dificuldades.


O objetivo desse evento é reunir o maior número de pessoas pra comprar os trabalhos de Efigenia, criar uma rede de Solidariedade com o propósito de valorizar o artista vivo, uma das melhores formas de fazer isso é comprando seus trabalhos.


Os trabalhos estarão expostos a partir do dia 10/06 na loja Camargo Arte, são gravuras, desenhos, objetos de arte, mobiles, livro, camiseta, etc… os valores são a partir de R$ 50,00. Será aceito como pagamento apenas dinheiro ou cheque, pois os valores serão repassados integralmente para a artista.


Vamos nos solidarizar? afinal como diz Hélio Leites amigo e parceiro artístico de Efigênia: Solidariedade não dói!!


Ultima coisinha: quem não puder colaborar com dinheiro ajude na divulgação, qualquer tipo de ajuda faz bem ao coração!

Gratidão.”

Serviço:
EVENTO SOLIDÁRIO EFIGÊNIA ROLIM
local: Camargo Arte, Rua Itupava, 644 – Alto Da XV, em Curitiba
data: Sábado, 10 de junho, das 10:00 às 16:00
Página do evento, aqui