“TRÊS VEZES PIRANDELLO” FAZ TEMPORADA NO TEATRO GUAÍRA

foto: Fábio Silva Ladeira

Diretor italiano radicado em Curitiba traduz e adapta textos do dramaturgo siciliano ainda inéditos no Brasil

O Grupo Arte da Comédia apresenta o seu mais novo espetáculo “Três vezes Pirandello. Tragédia, drama, comédia” no Miniauditório do Teatro Guaíra entre os dias 15 de junho e 2 de julho. A trupe paranaense, que já tem dez anos de trajetória consagrados por premiações diversas, é dirigida por Roberto Innocente, italiano de Padova radicado na capital paranaense. A nova montagem reúne em três atos três obras do dramaturgo siciliano Luigi Pirandello, duas delas ainda inéditas no Brasil. O espetáculo, que circulou pela Região Metropolitana com o incentivo do Programa de Fomento à Cultura do Paraná, chega agora ao Guaíra para deleite do público curitibano.

De acordo com o diretor artístico do Arte da Comédia, o Brasil ainda conhece pouco a obra de Pirandello. “Ele foi, sem dúvida, o maior dramaturgo italiano do século passado e parte expressiva dos brasileiros ainda o conhece apenas por sua obra mais emblemática: Seis personagens em busca de um autor. Com este projeto, queremos dar aos curitibanos a possibilidade de ter um contato mais profundo com a vida e a obra deste autor tão importante”, enfatiza Innocente.

Os textos traduzidos e adaptados por Roberto são: O homem da flor na boca, A certidão e Cecé. Na montagem do Arte da Comédia, o diretor intercalou trechos dessas três obras por meio de diálogos imaginários com o próprio Pirandello acompanhados por um repertório musical tipicamente siciliano. “Damos ao espetáculo um clímax mediterâneo, próprio da Sicília, contexto original das peças de Pirandello”, explica o diretor.

O projeto é produzido por Joseane Berenda em colaboração com o grupo Arte da Comédia e o apoio do Palavração (Cia de Teatro da UFPR).

Serviço:
Três Vezes Pirandello. Tragédia, Drama, Comédia.
Data: de 15 de junho a 2 de julho
Horários: de quinta a sábado, às 21h. Aos domingos, às 20h.
Local: Auditório Glauco Flores de Sá Brito – Miniauditório do Teatro Guaíra, centro de Curitiba.
Ingressos: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia), na bilheteria do espaço.

Meia entrada para estudantes, idosos, classe artística com DRT e funcionários da Copel.

Ficha Técnica:
Elenco: Joseane Berenda, Marwem HD, Anidria Stadler, Douglas Borba, Duilio de Pol, Pedro Inoue.
Figurino: Gilca Rigotti
Cenário: Roberto Innocente
Cenotécnico: Bira Paese e equipe
Iluminação: Rodrigo Ziolkowski
Trilha sonora e gravações: Fábio Silva Ladeira
Adereços: Gilca Rigotti e Joseane Berenda
Programação visual: Marcelo Felczak
Impressão: Sidtony
Assessoria de Imprensa: Smartcom – Inteligência em Comunicação
Foto e Vídeo: Fábio Silva Ladeira
Projeto realizado através da Lei de Incentivo a Cultura da Secretaria de Cultura do Estado do Paraná – PROFICE. Patrocínio – COPEL. Apoio – CIA
PALAVRAÇÃO – UFPR – GRUPO ARTE DA COMÉDIA

Grupo Arte da Comédia
Fundado em 2006 pelo diretor artístico de origem italiana Roberto Innocente, o grupo pesquisa a comédia clássica e seus tipos universais em busca de personagens e temáticas essencialmente brasileiras. Para tanto, além de pesquisar profundamente as técnicas teatrais da Commedia Dell’Arte, tem estudado os aspectos contemporâneos de composição da sociedade brasileira, assim como suas manifestações históricas, culturais e artísticas. Seguindo esta linguagem, está em seu 16º espetáculo, já viajou por diversos locais do Brasil, foi vencedor de quatro troféus Gralha Azul, recebeu diversas premiações em festivais de artes cênicas nacionais e, este ano, por meio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura da Fundação Cultural de Curitiba, completa a sua primeira década de existência com a montagem inédita do clássico de Flaminio Scala, a Loucura de Isabella. Ainda este ano, foi selecionado entre centenas de grupos da América Latina para representar o Brasil no Peru, na IX Festepe Internacional.

CAIXA CULTURAL CURITIBA RECEBE MATHEUS NACHTERGAELE EM PROCESSO DE CONSCERTO DO DESEJO

Ator usa a poesia de sua mãe, a escritora Maria Cecília Nachtergaele, para explorar as palavras conserto e concerto: “Quero consertar meu desejo com poesia, num concerto.”

A CAIXA Cultural Curitiba apresenta, de 21 a 25 de junho, o espetáculo Processo de Conscerto do Desejo, com o ator e diretor Matheus Nachtergaele. A peça é uma homenagem a sua mãe, Maria Cecília Nachtergaele, que faleceu em 1968. No palco, ele recita os textos da poetisa, em primeira pessoa, acompanhado do músico Luã Belik (violão) e do violinista Henrique Rohrmann.

A peça estreou em julho de 2015, no Festival de Teatro de Ouro Preto e Mariana e tem emocionado o público nas cidades por onde passou, como Rio de Janeiro, São Paulo, Recife, Fortaleza, Brasília, Paraty, Uberlândia, Porto Alegre, Pelotas, Caxias do Sul, entre outras.

A construção do espetáculo, segundo o ator e diretor, acontece diante do público: “Preciso das pessoas como observadores emocionados. Quero ir consertando meu desejo de acordo com essa emoção, dia após dia. Como na vida. Como no teatro. Isso, só o teatro pode nos trazer”, diz Matheus.

Conserto e Concerto
Matheus Nachtergaele observa que poucas palavras se confundem tanto em nossa língua quantos ‘concerto’ e ‘conserto’. “Aqui, elas se mesclam vertiginosamente. Quero consertar meu desejo com poesia, num concerto”, diz ele.

O ator explica: “minha mãe faleceu quando eu era um bebê de três meses. Dela, me restaram seus poemas, lindos e maduros, escritos de uma jovem mulher moderna e triste, e essa veia que me marca a testa quando rio ou choro muito. Em Processo de Conscerto do Desejo, acompanhado pelo jovem violonista Luã Belik, direi finalmente os poemas que guardei nos olhos e na alma como única herança dela. O espetáculo é simples assim: um homem (que por acaso é um ator) diz no palco as palavras escritas por sua mãe. Um violão (não por acaso, pois Maria Cecília amava os violões) o acompanha. É só isso, se isso for pouco”.

Matheus Nachtergaele / Foto: Marcos Hermes

Sobre o ator
Matheus Nachtergaele é um ator e diretor com intensa atuação no teatro, cinema e televisão. Iniciou sua carreira teatral com o cultuado diretor paulista Antunes Filho, em 1989. No ano seguinte, ingressou na Escola de Arte Dramática (USP-SP), e logo estreou nos palcos profissionalmente. Com o Teatro da Vertigem o grupo, fundado em 1992 e dirigido por Antônio Araújo, protagonizou os espetáculos ‘Paraíso Perdido’ e ‘O Livro de Jó’, recebendo por estas atuações prêmios de melhor ator, entre eles os prêmios Shell, Mambembe e APCA. Em seguida, atuou nos espetáculos Da Gaivota, Woyzzeck e A Controvérsia, todos premiados e bem recebidos pelo público e pela crítica especializada.

Nos cinemas, estreou sob a direção de Bruno Barreto, em 1997, com o filme O que é isso, Companheiro?. Desde então, Matheus atuou em cerca de 30 longas-metragens, como Central do Brasil e O Primeiro Dia, de Walter Salles Jr; O Auto da Compadecida e O Bem Amado, de Guel Arraes; Cidade de Deus, de Fernando Meirelles; e Amarelo manga, Baixio das Bestas e Febre do Rato, de Claudio Assis. Por estes e outros trabalhos recebeu inúmeros prêmios como ator, incluindo APCAs, dois Grande Prêmio do Cinema Brasileiro e outros muitos em Festivais de Cinema, como o Cine PE, Cine Ceará, e Festival do Rio.

Sua estreia cinematográfica como roteirista e diretor foi em 2008, com o longa-metragem A Festa da Menina Morta’, exibido na mostra Un Certain Règard, na Seleção Oficial do Festival de Cannes. O filme recebeu diversos prêmios em várias categorias em festivais de cinema no Brasil e no exterior. E no conceituado Festival de Chicago, no Festival de Cinema de Gramado e no Festival do Rio, Matheus Nachtergaele recebeu o prêmio de Melhor Diretor.

Na televisão, destacam-se trabalhos como Hilda Furacão, Os Maias, Decamerão, Ó Paí, ó!, Da Cor do Pecado, América, Cordel Encantado e no remake de Saramandaia, estrelando como o Seu Encolheu.

Serviço:
Teatro: Processo do Conscerto do Desejo
Local: CAIXA Cultural Curitiba, Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)
Data: 21 a 25 de junho de 2017 (quarta a domingo)
Horário: quarta-feira a sábado, às 20h. Domingo, às 19h
Ingressos: vendas a partir de 17 de junho (sábado). R$ 20 e R$ 10 (meia – conforme legislação e correntistas que pagarem com cartão de débito CAIXA). A compra pode ser feita com o cartão vale-cultura.
Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sábado, das 12h às 20h, e domingo, das 16h às 19h)
Classificação etária: não recomendado para menores de 16 anos
Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)

Informações e entrevistas:
Fabiana – (41) 9 8403.1653
fabiana.fernandes@grupoinforme.com.br

Assessoria de Imprensa da CAIXA Cultural Curitiba (PR)
(41) 3544-5641
www.caixa.gov.br/imprensa | @imprensaCAIXA
www.caixa.gov.br/cultura

BOLSA PARA ESTUDAR ARTES, DESIGN E MÚSICA NA ALEMANHA

O Serviço de Intercâmbio Acadêmico Alemão (DAAD) abre bolsas para cursos de mestrado e qualificação (pra quem já fez mestrado) na Alemanha nas áreas de Artes Visuais, Design, Comunicação Visual, Cinema e Música, Artes Cênicas, Performance e Arquitetura.

O objetivo é aperfeiçoar estudantes altamente qualificados e oferece a possibilidade de adquirir ou não um título acadêmico em uma instituição alemã de ensino superior. A bolsa para estudar artes e música na Alemanha do DAAD dá passagem área, seguro-saúde e 750 euros mensais.

Para se inscrever, é necessário não ter tido sua última formação há mais de seis anos, contando da data de inscrição. É importante lembrar que, no momento da inscrição, os candidatos não podem estar residindo há mais de 15 meses na Alemanha. Os candidatos da área de música devem apresentar gravações que não tenham sido produzidas há mais de um ano. Também é preciso ter proficiência no idioma em que seu curso será ministrado. Ou seja, se seu curso for em inglês, você precisa ter inglês fluente, já se o curso for em alemão, você precisa ter o nível mínimo exigido no idioma.

Candidatura
O processo funciona de uma maneira BEM alemã: o candidato fica responsável por encontrar a instituição onde deseja estudar e fazer todos os contatos relativos a isso. Os trâmites de inscrição e prova de habilidade específica são responsabilidade dos candidatos. Porque a aprovação da bolsa não equivale à aceitação automática por parte da universidade alemã. O nível do conhecimento de alemão exigido é definido pelo professor orientador ou por normas da universidade onde você vai querer se inscrever. A bolsa inclui um curso prévio de alemão na Alemanha.

É muito importante ser muito cuidadoso na hora de fazer todo o processo na universidade alemã, pois a decisão sobre a aceitação e a análise da validade dos estudos anteriores é de competência desta instituição. Caso o bolsista não seja aprovado e fiquei impedido de se matricular, terá de retornar ao país de origem e não poderá dar continuidade à bolsa.

A inscrição deve ser feita no portal do DAAD, onde toda a documentação será submetida. É importante lembrar que o portal só abre as inscrições seis semanas ANTES do prazo de fim de candidaturas, então, você pode ir se preparando desde hoje para submeter sua documentação seis semanas antes de 30 de novembro. Uma via impressa (PDF gerado pelo próprio sistema) deve ser enviada pelo correio para o endereço do escritório do DAAD em Bonn

DAAD
Referat ST31
Kennedyallee 50
D-53175 Bonn
Germany

As especificações do material a ser enviado estão no edital específico de cada estão nos editais. As propostas podem ser enviadas até as 30 de novembro pelo portal online do DAAD. O DAAD no Rio de Janeiro é o ponto de contato para tirar dúvidas. Você pode mandar sua mensagem por e-mail: artesmusica@daad.org.br ou telefone (21) 2553 3296 / Ramal: 18.

Confira o edital de artes, design e cinema, aqui
Confira o edital de música, aqui
Faça sua inscrição para as bolsas de artes, design e cinema, aqui
Faça sua inscrição para as bolsas de música, aqui

fonte: Partiu Intercâmbio

Partiu Intercâmbio – Intercâmbio, bolsas de estudos, viagem e outras viagens por Bruna Amaral.

PRÊMIO DE CULTURAS POPULARES: MINC OFERECE 500 PRÊMIOS DE R$ 10 MIL PARA OBRAS DE CULTURA POPULAR


O Ministério da Cultura (MinC), por meio da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural, lançou  o Edital Culturas Populares Leandro Gomes de Barros. Serão premiadas 500 iniciativas que fortaleçam as expressões culturais populares brasileiras, retomando práticas populares em processo de esquecimento e que difundam as expressões populares para além dos limites de suas comunidades de origem. Exemplos dessas iniciativas são o Cordel, a Quadrinha, o Maracatu, o Jongo, o Cortejo de Afoxé, o Bumba-Meu-Boi e o Boi de Mamão, entre outros. Só não estão incluídas Culturas Indígenas, Culturas Ciganas, Hip Hop e Capoeira, por já serem objeto de editais específicos lançados pelo MinC. As inscrições já estão abertas e seguem até 28 de julho.

Durante o evento de lançamento, o ministro da Cultura interino, João Batista de Andrade, lembrou a época de crise vivida no País, salientou que a cultura não deve ser vítima dela e falou sobre a importância da cultura popular brasileira. “A base fundamental da nossa vida é a cultura que nasce do povo e que se manifesta ali. Tem uma intensidade muito grande, além de ter grande capacidade de revelar a vida brasileira. A literatura de cordel é um fenômeno raro no mundo, tão popular com tantos autores, que movimenta uma indústria”, exemplificou.

Este é o primeiro edital de cultura popular lançado pelo Ministério da Cultura desde 2012. Segundo a secretária da Cidadania e da Diversidade Cultural do MinC, Débora Albuquerque, há uma preocupação da Pasta em manter viva e em preservar as manifestações culturais populares, os saberes populares e os seus mestres. “É o maior edital da cultura popular em número de prêmios e isso só reflete a preocupação do MinC em preservar a cultura popular, incentivar os fazedores de cultura popular e reconhecer o trabalho desses mestres, grupos e comunidades”, afirmou.

A secretária explicou ainda que, ao promover iniciativas como este edital, o Estado brasileiro dá importante passo no reconhecimento do protagonismo de mestres e mestras praticantes das culturas populares. “O incentivo à participação social de representantes desse segmento na elaboração de políticas públicas de cultura e o acesso a recursos públicos é outro passo na garantia de seus direitos culturais”, destacou.

Das 500 premiações, 200 serão destinadas a pessoas físicas, outras 200 a coletivos culturais sem constituição jurídica, 80 a pessoas jurídicas sem fins lucrativos e com natureza ou finalidade cultural e 20 a herdeiros de mestres já falecidos (In Memorian), em homenagem à dedicação do trabalho voltado aos saberes e fazeres populares e às expressões culturais, com reconhecimento da comunidade onde viveram e atuaram. Cada iniciativa selecionada receberá R$ 10 mil.

Inscrições

Cada candidato poderá apresentar apenas uma iniciativa para a seleção. As inscrições poderão ser feitas pela internet ou por via postal. Em caso de inscrição on-line, a documentação prevista no edital deverá ser preenchida, assinada e anexada ao Sistema de Acompanhamento às Leis de Incentivo à Cultura – SalicWeb.

Caso o candidato prefira realizar a inscrição por via postal, ela deverá ser enviada com aviso de recebimento obrigatório (AR) simples ou entrega rápida para o endereço especificado no edital.

Para auxiliar candidatos a participarem da seleção, o MinC promoverá oficinas gratuitas e abertas ao público. Assim que as datas e locais forem definidos, o calendário será publicado no site do Ministério da Cultura.

Critérios de avaliação

Uma comissão de seleção será responsável pela avaliação das iniciativas na fase de classificação. Contará com, no mínimo, 20 membros, sendo 10 titulares e 10 suplentes e será composta por servidores públicos e representantes da sociedade civil.

Entre os critérios avaliados estão: contribuição sociocultural que o projeto proporcionou às comunidades; melhoria da qualidade de vida das comunidades a partir de suas práticas culturais; e impacto social e contribuição da atuação para a preservação da memória e para a manutenção das atividades dos grupos, entre outros.

Cultura popular

A cultura popular nasce do conhecimento, dos costumes e tradições de um povo. Expressa-se em saberes, fazeres, práticas e artes produzidos pela comunidade e pelos seus mestres e mestras. Dessa forma, o Edital busca premiar iniciativas já realizadas que envolvam as práticas dos saberes tradicionais no campo da música, cantos, danças e festejos, narrativas simbólicas, medicina popular, culinária, literatura, cordel, contos, formas de plantios, jogos e brincadeiras populares, entre outros.

As expressões culturais populares abarcam manifestações que fazem parte da própria identidade do País. A literatura de cordel, as quadrilhas juninas, o jongo, o maracatu e o bumba-meu-boi, festa folclórica tradicional brasileira, são alguns exemplos.

Homenagem a Leandro Gomes

O edital leva o nome de Leandro Gomes de Barros para homenagear o cordelista paraibano nascido em 1865, no município de Pombal (PB). Considerado o rei dos poetas populares do seu tempo, também foi chamado de “príncipe dos poetas”, em 1976, por Carlos Drummond de Andrade. Gomes morreu em 1918, no Recife.

Presente à cerimônia de lançamento do edital, Ione Severo, diretora da cordelteca Leandro Gomes de Barros, localizada em Pombal (PB), e pesquisadora da obra do cordelista há mais de 20 anos, observou que o homeageado do edital foi “o maior distirbuidor da literatura de cordel do Brasil”.

Em edições anteriores, foram homenageados o cineasta e ator Amácio Mazzaropi (2012) e a artesã, ceramista e bonequeira do Vale do Jequitinhonha mestra Izabel Mendes da Cunha (2009). Além disso, o edital fez tributo ao mestre maranhense Humberto Barbosa Mendes, por sua contribuição para a promoção de expressões culturais típicas de sua região, como o Bumba Meu Boi (2008), e o músico Mestre Duda, por seu papel de destaque na construção da história do frevo (2007).

fonte: Ministério da Cultura

ATORES PROFISSIONAIS SE JUNTAM A AMADORES NO PALCO DA CAIXA CULTURAL CURITIBA

Pessoas comuns foram escolhidas por anúncio de jornal. Ao lado dos profissionais, eles contam sua história verdadeira na maior intimidade

A CAIXA Cultural Curitiba apresenta, de 16 a 18 de junho, o espetáculo Amadores, da Cia Hiato, de São Paulo. Na peça, resultado de pesquisa da companhia, cinco atores profissionais contracenam com 13 artistas amadores, pessoas de diversas áreas que foram selecionadas por meio de anúncios em jornal ou oficinas públicas. Além de exporem as suas experiências pessoais, cada um dos amadores tem alguma habilidade artística. “Durante a seleção, muitos deles nunca tinham ido ao teatro. Esta foi sua primeira experiência no palco. E eles têm perfis muito diversos: há um atendente de telemarketing, uma empregada doméstica, um ator pornô. O resultado é surpreendente”, avalia o ator Thiago Amaral, que integra o elenco de Amadores.

O espetáculo é um passeio por histórias e contextos, uma galeria de retratos vivos, num diálogo cênico surpreendente. Os amadores fazem um discurso pessoal que os revela socialmente, seja pela marginalização, por questões raciais, de gênero ou sexualidade, exclusão de classe ou por contextos culturais diversos. O que começou como uma entrevista de elenco, em que cada um deles exibiu suas especialidades e seus “objetos de arte”, chega ao palco como um compartilhamento de experiências pessoais.

A companhia aposta no teatro – suas convenções, seus códigos, gêneros e profissionais – para ampliar as possibilidades do que pode ser apresentado em cena, expondo diferentes experiências artísticas ao mesmo tempo, dando voz ao público que se sente marginalizado pelas artes e até mesmo aos profissionais que também podem estar excluídos.

Ronaldo de Moraes é um dos amadores. Morador da periferia de São Paulo, recém formado em Ciências Sociais, ele diz que a experiência é muito positiva. “É uma honra integrar este elenco. Tenho a liberdade de ser quem eu sou. Foi assim desde a primeira entrevista. E foi uma alegria ter sido aceito. Quando cheguei, eu, que acumulava diversos fracassos, tinha uma história de estigmas e preconceito, também tinha preconceito. Minha visão era limitada. Achava que vida de artista era vida de glamour. Depois eu vi o trabalho que é, quantas pessoas envolvidas”, diz Ronaldo, que está desempregado, foi alcoólatra, se envolveu com drogas e terminou a faculdade aos 47 anos de idade.

“Espero que as pessoas se identifiquem com alguma história entre as que vamos contar.” O personagem de Ronaldo, que representa ele mesmo, conta da sua descoberta diante dos espaços culturais da cidade de São Paulo. ”Falo de pertencimento através dos espaços culturais”, explica.

Em 2017, a Cia. Hiato comemora nove anos desde a estreia de seu primeiro espetáculo, “Cachorro Morto”. Nesses anos, foram criados cinco espetáculos, que associam memória e invenção, numa busca por novas dramaturgias, traço característico do grupo. A Cia. Hiato fez uma série de apresentações em palcos e festivais internacionais – Alemanha, Áustria, Bélgica, Chile, Colômbia, Estados Unidos, Holanda, Grécia e Romênia.

“Abandonamos a pessoalidade, a metalinguagem e a biografia para pensar o outro, aquele que normalmente é excluído do palco ou que só aparece nele como representação ou discurso”, explica o diretor e dramaturgo do espetáculo, Leonardo Moreira.

fotografia: Ligia Jardim

Serviço:
Teatro: Amadores
Local: CAIXA Cultural Curitiba, Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Centro de Curitiba (PR)
Data: 16 a 18 de junho de 2017 (sexta a domingo)
Horário: sexta-feira e sábado, às 20h. Domingo, às 19h
Ingressos: vendas a partir de 10 de junho (sábado). R$ 10 e R$ 5 (meia – conforme legislação e correntistas que pagarem com cartão de débito CAIXA). A compra pode ser feita com o cartão vale-cultura.
Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sábado, das 12h às 20h, e domingo, das 16h às 19h)
Classificação etária: não recomendado para menores de 14 anos
Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)

Informações e entrevistas:
Assessoria Curitiba – Cia Hiato:  Fernando – (41) 9 9996.5292 / fernandodproenca@gmail.com
Assessoria CAIXA: Fabiana – (41) 9 8403.1653 / fabiana.fernandes@grupoinforme.com.br

FINAL DA MOSTRA PARANAENSE DE DANÇA TERÁ PALCO ALTERNATIVO

Mostra Paranaense de Dança / todas as fotografias deste post são de Cayo Vieira

Além dos espetáculos no Guairão, evento vai promover apresentações gratuitas em diferentes espaços culturais de Curitiba e oficinas.

Desde o mês de maio, a Associação de Bailarinos e Apoiadores do Balé Teatro Guaíra (a ABABTG) tem circulado pelo Paraná com o propósito de selecionar companhias, escolas, grupos e artistas da dança que terão a oportunidade de apresentar o seu trabalho na grande final da Mostra Paranaense de Dança. O evento será realizado em Curitiba entre os dias 16 e 18 de junho. Uma das novidades desta 10ª edição é que, além das apresentações de companhias profissionais e dos grupos selecionados no Guairão, há o retorno do Palco Alternativo (iniciativa realizada de 2010 a 2013), com espetáculos gratuitos em locais diversos da cidade, em parceria com a Fundação Cultural de Curitiba.

A ABABTG escolheu estrategicamente cinco cidades do Estado para realizar seletivas e identificar talentos da dança pelo Estado. Curitiba, Ponta Grossa, Campo Mourão, Francisco Beltrão e Arapongas receberam a Mostra Paranaense de Dança entre os meses de maio e junho. Diversos grupos e artistas de cidades vizinhas se inscreveram para participar deste processo. Agora, as coreografias selecionadas serão apresentadas na capital paranaense no Guairão, no Memorial de Curitiba e na Casa Hoffmann entre os dias 16 e 18 de junho.

“A ideia desta ação adicional, com a apresentação de trabalhos que participaram das seletivas realizadas nas cinco cidades, é divulgar o trabalho dos grupos participantes e levar a dança além dos espaços convencionais, aproximando o público dos artistas e contribuindo com o processo de formação de plateia para as artes”, explica a presidente da ABABTG e coordenadora da Mostra, Simone Bönisch.

A organização do Festival espera a participação de 600 artistas de diferentes municípios do Paraná e até de cidades vizinhas ao Estado na final. Eles se apresentarão em três dias de espetáculos. Companhias profissionais também foram convidadas para realizar a abertura dessas noites de apresentações. Já estão confirmadas a Curitiba Cia de Dança e a EF Jazz Company. No mesmo fim de semana da Mostra Final, ainda serão ofertadas oficinas de balé clássico, jazz, dança contemporânea, standing pilates e alongamento e realinhamento postural, além de apresentações gratuitas em espaços públicos da cidade. Um bailarino, um coreógrafo e um grupo que se destacaram durante as seletivas também serão homenageados com o Prêmio ABABTG de Incentivo à Dança.

Em sua edição de 2016, o evento reuniu uma média de 15 mil pessoas (entre público, artistas e participantes das oficinas). Para este ano, a estimatima é que o festival encerre com o envolvimento de cerca de 17 mil pessoas.

Mostra Final com os artistas e grupos selecionados:
Data e hora: dias 16 e 17 de junho, às 20h. Dia 18 de junho, às 18h
Local: Guairão – Rua XV de Novembro, 971 – Centro de Curitiba
Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)
Aquisição pelo Disk Ingressos ou na bilheteria do espaço

Projeto Palco Alternativo:
Local: Memorial de Curitiba
Data: dia 17 de junho, às14h30
 Local: Casa Hoffmann
Data: dia 18 de junho, às 10h
As apresentações são gratuitas

Oficinas de aprimoramento técnico e artístico
Informações e inscrições no site do evento: www.ababtg.org.br/mostra

Regulamento e mais informações:
mostra@ababtg.org.br
www.ababtg.org.br/mostra
www.facebook.com/ababtgoficial
www.instagram.com/ababtg

ABABTG – Fundada em 2007, a Associação de Bailarinos e Apoiadores do Balé Teatro Guaíra surgiu para fortalecer a dança e demais artes motivando uma ligação sinérgica entre os setores público e privado. Para tanto, tem desenvolvido projetos culturais que promovam ações de formação, atualização, divulgação e fomento da dança, em suas diversas linguagens. A formação de público e o apoio à gestão de carreira de seus associados bailarinos, ex-bailarinos e apoiadores do Balé Teatro Guaíra também estão entre os compromissos da ABABTG. Formalizada como uma agremiação artística e cultural de caráter civil e personalidade jurídica e recentemente qualificada como Organização Social, a Associação tem demonstrado uma atividade intensa desde a sua fundação. Entre os seus principais eventos está a Mostra Paranaense de Dança, realizada anualmente em diferentes cidades do Estado para incentivar e valorizar bailarinos e grupos amadores e promover apresentações profissionais a preços populares. 

MUSICAL “VOZES DE ABRIGO” VOLTA À CURITIBA

MUSICAL VOZES DE ABRIGO / Foto de Juliana Luz

De forma poética e por meio do teatro de animação, espetáculo conta a história de crianças que vivenciaram situações de abandono

É uma peça sobre infância, mas se distingue dos contos de fadas tradicionais. O espetáculo Vozes de Abrigo, por meio do teatro de animação e da linguagem dramático-musical, coloca em cena histórias reais e inspiradas de crianças em contexto de abandono. A montagem revive essas situações tão duras da realidade de forma poética, transformando essas vivências em metáforas e fazendo-as passar pelo filtro da fantasia infantil. O musical, que foi sucesso de público na última edição do Festival de Curitiba, volta à capital paranaense em temporada no Teatro José Maria Santos, entre os dias 1 e 18 de junho.

Dirigido por Fábio Nunes Medeiros, Doutor em Artes e profundo pesquisador dos cruzamentos entre teatro de animação e outras linguagens, “Vozes de Abrigo” conta a história de vários tipos de abandono. Fábio explica que o texto do espetáculo teve como ponto de partida histórias reais com as quais teve contato em visitas a abrigos e com pessoas que passaram por situações de abandono.

“O espetáculo revive essas histórias abrindo caminho para várias reflexões, em especial sobre a nossa responsabilidade perante a situação de abandono e abrigo. Acredito que esse rio de histórias paralelas que muitas vezes corre do nosso lado, mas que não conhecemos ou não olhamos por opção, é o rio de nossa história também, enquanto seres humanos”, relata Medeiros.

Recentemente selecionado para participar da 11ª edição de Teatro de Animação de Florianópolis, “Vozes de Abrigo” se diferencia por sua trilha sonora original. Composta pelo diretor musical André de Souza, o compositor explica que as músicas do espetáculo promovem uma unidade estilística entre as partes faladas e cantadas da peça.

“Vozes de Abrigo” é uma produção da Cia LAICA. O grupo, desde seu surgimento, se propõe a investigar e experimentar técnicas e estéticas da arte de animação (tanto no teatro quanto no cinema). Faz isso a partir do agrupamento de artistas independentes e com experiências variadas em diversas linguagens artísticas.

MUSICAL VOZES DE ABRIGO / Foto de Juliana Luz

Serviço:
Vozes de Abrigo
Datas: de 1 a 18 de junho
Horários: de quinta a sábado, às 20h. Domingos, às 19h.
Local: Teatro José Maria Santos
Endereço: Rua Treze de Maio, 655. São Francisco, Curitiba
Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)

Aquisição na bilheteria do espaço

.

EVENTO SOLIDÁRIO EFIGÊNIA ROLIM

“Efigênia Rolim dispensaria apresentações, mas para quem ainda não conhece lá vai:

Artista, mulher, brasileira, sem estudo adequado, mãe, esposa, cuidadora, religiosa, inquieta e sonhadora com seus 86 anos já encarou muitas lutas na vida, nossa amiga é boa no combate, mas ainda assim, está passando por mais um momento difícil. Ela está com os pulmões comprometidos e proibida pelos médicos de trabalhar com lixo reciclável, consequentemente sua situação financeira está abalada, também cuida de um filho que depende de cuidados especiais e está muito debilitado. Conhecida Rainha do Papel de Bala consagrada por ter seus trabalhos expostos em vários lugares do mundo se prepara para mais um marco na sua carreira: 08/06 Exposição no MON abertura do 66º Salão Paranaense. Essa jovem artista tardia alcança vôos cada vez maiores apesar de todas as dificuldades.


O objetivo desse evento é reunir o maior número de pessoas pra comprar os trabalhos de Efigenia, criar uma rede de Solidariedade com o propósito de valorizar o artista vivo, uma das melhores formas de fazer isso é comprando seus trabalhos.


Os trabalhos estarão expostos a partir do dia 10/06 na loja Camargo Arte, são gravuras, desenhos, objetos de arte, mobiles, livro, camiseta, etc… os valores são a partir de R$ 50,00. Será aceito como pagamento apenas dinheiro ou cheque, pois os valores serão repassados integralmente para a artista.


Vamos nos solidarizar? afinal como diz Hélio Leites amigo e parceiro artístico de Efigênia: Solidariedade não dói!!


Ultima coisinha: quem não puder colaborar com dinheiro ajude na divulgação, qualquer tipo de ajuda faz bem ao coração!

Gratidão.”

Serviço:
EVENTO SOLIDÁRIO EFIGÊNIA ROLIM
local: Camargo Arte, Rua Itupava, 644 – Alto Da XV, em Curitiba
data: Sábado, 10 de junho, das 10:00 às 16:00
Página do evento, aqui

DRAG QUEENS PARODIAM BETTE DAVIS E JOAN CRAWFORD NESTA QUINTA E SEXTA EM CURITIBA

Com um formato que mistura as conversas bem humoradas de conhecidos programas de auditório da televisão brasileira – como o programa da Hebe e o Raul Gil – a números artísticos de dublagem, apresentações musicais e burlescas, O Maravilhoso Cabaré das Divinas Divas chega à sua terceira e quarta edição, nos dias 8 e 9 deste mês, quinta e sexta-feira, na Cia dos Palhaços.

Desta vez, as apresentadoras e drag queens Juana Profunda e Dalvinha Brandão trazem uma paródia do clássico do terror psicológico O que terá acontecido a Baby Jane?, encarnando as irmãs desequilibradas que no cinema foram vividas pelas atrizes Bette Davis e Joan Crowford.

Em cada uma das noites, um elenco de convidados totalmente diferente.

Na quinta, a entrevistada é a atriz, diretora e dramaturga Leonarda Glück, uma das maiores referências entre as artistas trans no país – e apresentam-se as drag queens Brigitte Beaulieu, Suzy Lüvcock e Mona Linda, a artista burlesca Ruby Hoo e o ator e diretor César Almeida, que desta vez aparece cantando uma composição ao vivo.

Na sexta, a entrevistada é a atriz e cantora Íria Braga, apresentadora do programa É-Cultura – além das drag queens Diana Dors, Lila Glam Toon, Tinna Simpson, além da atriz e cantora Jana Mundana, que acompanhada do colega Renet Lyon, apresenta um número musical.

O acompanhamento musical fica por conta da Maestra Rita Lina, personagem drag do músico e compositor Leonardo Fressato.

SERVIÇO:
O Maravilhoso Cabaré das Divinas Divas

Dia 8 de junho, quinta: Leonarda Glück, Brigitte Beaulieu, Suzy Lüvcock, Mona Linda, Ruby Hoo, César Almeida.

Dia 9 de junho, sexta: Íria Braga, Diana Dors, Lila Glam Toon, Tinna Simpson, Jana Mundana, Renet Lyon.

Horário: 20h
Cia dos Palhaços. Alameda Princesa Izabel, 465 – São Francisco, Curitiba. Telefone: (41) 3077-5009
Ingressos: R$20 (R$15 para quem for montada, ou levar a mãe, a avó ou bisavó)

Página do evento, aqui