SEMINÁRIO ON-LINE E GRATUITO REÚNE PESQUISAS BRASILEIRAS EM COMUNICAÇÃO

Especialistas renomados da área participam da abertura do seminário que acontece dia 06

Nesta quinta-feira (06) a partir das 14h30, começa o Seminário de Dissertações 2021 dos mestrandos em Comunicação da Universidade Federal do Paraná (UFPR). As pesquisas, com início em 2020, serão apresentadas às quintas-feiras no mesmo horário até junho.

O evento, que conta com transmissão livre e gratuita pela página do facebook do Programa de Pós-Graduação da UFPR, terá a abertura dos professores e pesquisadores Denise Witzel e André Azevedo. A primeira palestra é da doutora em Linguística e Língua Portuguesa pela FCL/Unesp, Denise Witzel. Ela vai abordar o “Método Arqueológico de Análise Discursiva”.

A segunda palestra é do professor adjunto de Centro de Educação, Comunicação e Artes (CECA) da Universidade Estadual de Londrina (UEL), André Azevedo. Ele trata do tema “Pesquisa em Comunicação: das armadilhas do autoengano à busca pela relevância”.

Para participar do evento basta acessar o link: https://www.facebook.com/PPGComUFPR

SEMINÁRIO DE DISSERTAÇÕES 2021 UFPR
Quando: 06/05 até 24/06
Horário: a partir das 14h30 no primeiro dia e 14h nos próximos dias
Entrada: gratuita
Link de acesso: https://www.facebook.com/PPGComUFPR

PRODUTORA CULTURAL ISADORA FLORES LANÇA O “LABORATÓRIO GARRA!”, PROJETO QUE OFERECE CURSO PROFISSIONALIZANTE E OFICINAS GRATUITAS PARA JOVENS DA CULTURA

Terão prioridade nas inscrições agentes culturais com idade entre 16 e 25 anos, pretos, pardos, indígenas, mães solo, LGBTQIA+, Pessoas com Deficiência e de baixa renda. 

A primeira edição do projeto “Laboratório Garra!” acontece entre os meses de fevereiro e março de 2020 de forma online e gratuita. O projeto é um ambiente de formação voltado para pessoas interessadas em produção cultural, sobretudo da área da música. Além de um curso profissionalizante de maior duração com a produtora e idealizadora do projeto Isadora Flores, serão realizadas sete oficinas gratuitas de temas variados com profissionais atuantes da cena cultural: Bina Zanette, Brenda Santos, Carolina Wanderley, Gilmar Kaminski, Helena Sofia, Julie Fank e Luana Angreves.

As inscrições estão acontecendo pela página: www.lnk.bio/garralab, e vão até dia 29 de janeiro para o curso profissionalizante, e para as outras oficinas se estendem até dia 19 de março de acordo com o calendário de Oficinas. 

O curso de maior duração – com carga horária de 21h – dará direito ao registro profissional de “Diretor/a de Produção” emitido pelo SATED-PR (os custos com o Registro serão cobrados pelo SATED/PR). Terão prioridade nas inscrições agentes culturais com idade entre 16 e 25 anos, pretos, pardos, indígenas, mães solo, LGBTQIA+, Pessoas com Deficiência e de baixa renda. O projeto tem incentivo da Fundação Cultural de Curitiba, através da Lei de Incentivo à Cultura do Município e da Lei Aldir Blanc – Lei Federal de Emergência Cultural (Lei que dispõe sobre ações emergenciais destinadas ao setor cultural a serem adotadas durante o estado de calamidade pública).

O nome do projeto, “Garra!” é um convite para agentes culturais que batalham na cena independente e são profissionais iniciantes, muitas vezes alheios às políticas de incentivo à cultura. O “Laboratório Garra!” também oferece a oportunidade para que mais pessoas tenham acesso a conteúdos de formação e direito a um registro profissional.

INFORMAÇÕES SOBRE AS OFICINAS
As inscrições para o Curso e todas as Oficinas acontecem pelo link: www.lnk.bio/garralab

1. “Curso de Produção” com a produtora Isadora Flores e participação de Gilmar Kaminski e Carolina Wanderley.
MÓDULO I: Leis de Incentivo, preparação de projetos, Mecenato Subsidiado e Lei Municipal de Incentivo de Curitiba)”
04 de fevereiro de 2021, das 09h às 12h
11 de fevereiro de 2021, das 09h às 12h
18 de fevereiro de 2021, das 09h às 12h
MÓDULO II: Profice – Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Paraná”
04 de março de 2021, das 09h às 12h
MÓDULO III: Lei Federal de Incentivo à Cultura”
18 de março de 2021, das 09h às 12h

2. Oficina: “Aspectos jurídicos básicos da produção cultural” com a advogada e consultora em direitos culturais e propriedade intelectual Carolina Wanderley (São Sebastião Cultura e Propriedade Intelectual)
20 de fevereiro de 2021, das 09h às 12h

3. Oficina: “Sonorização para produtores”, com a Produtora, cantora e compositora Helena Sofia (Estúdio Old Cat) – Dia 27 de fevereiro de 2021, das 09h às 12h

4. Oficina: “Uma festa de verdade! – Produção Cultural como laboratório de Experiências”, com a produtora cultural, criativa e pesquisadora Brenda Santos (Um Baile Bom)
Dia 06 de março de 2021, das 09h às 12h

5. Oficina: “NEM TUDO SÃO LIKES: da superfície à profundidade da comunicação digital”, com a comunicadora, seletora musical e ativista Luana Angreves (Cliteriosa)
Dia 13 de março de 2021, das 09h às 12h

6. Oficina: “Curadoria para projetos de música”, com a produtora e curadora Bina Zanette (Santa Produção)
Dia 13 de março de 2021, das 14h às 17h

7. Oficina: “Gestão administrativa e prestação de contas de projetos culturais”, com o produtor cultural e técnico em contabilidade Gilmar Kaminski (Flutua Produções)
Dia 20 de março de 2021, das 09h às 12h

8. Oficina: “Escrita para quem se (in/e)screve” com a escritora, professora e artista visual Julie Fank (ESC. Escola de Escrita)
Dia 27 de março de 2021, das 09h às 12h

Inscrições: https://lnk.bio/garralab

Ficha Técnica:
Coordenação: Isadora Flores
Coordenação de Produção e Gestão Financeira: Gilmar Kaminski
Produção Executiva: Vi Gabarda
Ministrantes: Isadora Flores, Bina Zanette, Helena Sofia, Julie Fank, Carolina Wanderley, Brenda Santos, Luana Angreves e Gilmar Kaminski
Videos: Alan Raffo
Design Gráfico: Brenda Santos
Assessoria de Imprensa: Luisa Bonin e Thays Cristine – Platea Comunicação e Arte
Realização: Isadora Flores I Produtora
Produção: Flutua Produções
Apoio: SATED-PR

PROJETO REALIZADO COM RECURSOS DO PROGRAMA DE APOIO E INCENTIVO À CULTURA – FUNDAÇÃO CULTURAL DE CURITIBA, DA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA E DO MINISTÉRIO DO TURISMO.

CIENTISTAS DA UFPR CRIAM REPELENTE CONTRA MOSQUITO DA DENGUE BASEADO EM TÁTICA EVOLUTIVA DO INSETO

Professor Francisco de Assis Marques e a mestranda Rita de Cássia Baiak, fotografia de Marcos Solivan

Inovação se baseia em molécula modificada que bloqueia receptores de pistas químicas da fêmea do inseto; instituição encaminhou pedido de patente verde

Mais conhecido pelas doenças endêmicas de que é vetor no Brasil, o mosquito Aedes aegypti é resultado de uma evolução que, ao longo de milhões de anos, fez da fêmea da espécie uma perita em detectar sangue. Por meio de receptores nas antenas e nos palpos maxilares, o mosquito capta substâncias produzidas por mamíferos — entre elas, o dióxido de carbono, da respiração, e o ácido lático, da queima de glicose — e consegue se alimentar na época da reprodução, garantindo proteínas e ferro para viabilizar os ovos. Por isso o CO2 e o ácido lático são chamados de “pistas químicas” que guiam o mosquito para os seus hospedeiros.

Uma nova substância, em processo de patente pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), cria um método inédito para repelir o mosquito com base na própria estratégia evolutiva da espécie. Pesquisadores do Departamento de Química da UFPR desenvolveram uma molécula de ácido lático modificado que bloqueia temporariamente os receptores do inseto e o impede de seguir as pistas químicas do sangue.

“Dessa forma eu consigo ‘despistar’ o mosquito”, explica o professor Francisco de Assis Marques, do Laboratório de Ecologia Química e Síntese de Produtos Naturais (Lecosin) da UFPR. Ele coordena os estudos em que também atuaram duas pesquisadoras da UFPR, a mestranda Rita de Cássia Baiak e a doutoranda Nayana Cristina da Silva Santos (bolsista da Capes).

De acordo com o pesquisador, com base na literatura científica, o desenvolvimento da molécula — termo que os químicos usam para se referir a substâncias — significa a criação, em nível mundial, de uma quarta estrutura química com efeito de repelência ao mosquito para uso massivo. Marques lembra que a descoberta de novos repelentes de mosquitos é fator relevante dos últimos sete anos, quando a ciência constatou que um dos compostos químicos mais usados, o DEET, tem registrado queda de eficácia pela adaptação do Aedes aegypti a ele.

A molécula está sendo testada para o desenvolvimento de repelentes corporais, que é o produto dessa categoria no qual ela se mostrou mais eficiente. Segundo testes em laboratório, o repelente funciona com alta eficiência por cerca de dez horas, tempo que equivale à promessa de um produto de longa duração que já está no mercado brasileiro. No Brasil o inseto é responsável pela transmissão de dengue, chikungunya e zika.

Química verde
Um diferencial do repelente do Lecosin/UFPR é que a inovação no método para repelir o mosquito permite dispensar solventes pelo menos na primeira etapa de produção. Solventes são substâncias que possibilitam reações químicas e que, no produto final, geralmente se convertem em sobras de potencial poluidor. Além disso, o solvente aumenta o custo de produção, já que é uma substância extra na lista de ingredientes que não é ativa para a finalidade do produto.

“Estamos trabalhando para eliminar solventes também na segunda etapa da síntese do repelente. Se conseguirmos, será fenomenal. Porque isso significa a perspectiva de um produto de alta eficiência, natural porque é feito de uma substância que o corpo humano produz, biodegradável, disponível [com insumos acessíveis], de custo baixo e feita com reações químicas de baixo passivo ambiental”, avalia Marques.

Por conta dessas características, a UFPR depositou o pedido de “patente verde”, o programa do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi) que desde 2016 estimula o patenteamento de tecnologias sustentáveis. A primeira patente verde da UFPR um biofertilizante orgânico à base de microalgas para uso agrícola, foi liberada pelo Inpi em julho.

Saúde pública
A molécula do repelente foi desenvolvida no âmbito de um projeto formado por universidades estaduais e federais paranaenses sob coordenação da UFPR. O grupo foi criado em 2016, depois da aprovação em uma chamada pública do Ministério da Saúde que tinha como foco a prevenção e o combate ao vírus que causa a zika. O grupo continua investigando outras tecnologias relacionadas ao combate das doenças transmitidas pelo mosquito.

Por parte do Departamento de Química, estão sendo prospectada parceria internacional em uma pesquisa para ampliar o uso da molécula do repelente ao combate de outros mosquitos, como o gênero Anopheles, vetor da malária.

“O repelente é mais uma ferramenta para reduzir o impacto da dengue. O uso diário hoje é recomendado em cidades quentes e úmidas, com clima que beneficia a disseminação do mosquito”, afirma Marques. Ele destaca, porém, o fato de que o combate ao vetor da dengue precisa somar medidas amplas e contínuas de saúde pública ao longo do ano, não apenas durante os surtos, portanto é equivocado pensar em saídas milagrosas.

Segundo Marques, a ideia é que a molécula fique disponível para licenciamento, por iniciativas públicas e privadas, via Agência de Inovação da UFPR. Caso um ente público se interesse por formular produtos para o Sistema Único de Saúde (SUS), os inventores pretendem abrir mão dos royalties de patente. “Seria uma contribuição da universidade pública, da ciência que ela produz, para minimizar os impactos dessas doenças na saúde pública”, acredita o professor.

De acordo com dados do Portal Transparência, em 2020 o governo federal licitou repelentes para diversos órgãos, entre eles os ministérios da Defesa (para uso das Forças Armadas), da Justiça (para penitenciárias), da Saúde (para uso nos Estados) e da Educação (em hospitais universitários). Em uma licitação do Ministério da Defesa, em outubro, o valor foi de R$ 4.875,00 para 500 frascos de repelentes com duração de quatro horas (R$ 9,75 por unidade). Apenas em uma ação emergencial, em 2017, o Ministério da Saúde distribuiu quase 16 milhões de frascos de repelentes para conter a zika em gestantes.

OUTRAS PALAVRAS – PRÊMIO DE OBRAS LITERÁRIAS

O concurso público “Prêmio de Obras Literárias” irá selecionar e premiar textos de obras de romance, coletânea de contos e crônicas, coletânea de poesia, roteiro, dramaturgia, coletânea de ensaios críticos, pesquisa de cultura alimentar e livro ilustrado, escritas em língua portuguesa.

Cada obra literária selecionada receberá um valor de R$ 20.000,00 (vinte mil reais). Como contrapartida, as obras premiadas poderão ser publicadas pela SECC no prazo de até cinco anos. Para romance, coletânea de contos e crônicas, coletânea de poesia, roteiro, dramaturgia, coletânea de ensaios críticos e pesquisa de cultura alimentar, serão aceitas obras de 49 a 250 páginas de elementos textuais, seguindo as especificações da ABNT para formatação de texto. Já no caso de livros ilustrados, serão aceitas obras de 16 a 150 páginas, em tamanho A4, em PDF contendo texto e imagem integrados.

Inscrições até 20 de novembro.

Confira o edital, aqui

fonte: Superintendência da Cultura

PRÊMIO PESQUISADORES INDEPENDENTES: DIFUSÃO DE SABERES E FAZERES TRADICIONAIS

PRÊMIO PESQUISADORES INDEPENDENTES: Difusão de Saberes e Fazeres Tradicionais. 

Uma grande novidade nas categorias de editais lançados pelo Governo do Estado do Paraná é o Prêmio Pesquisadores Independentes. Este edital irá selecionar e premiar artigos científicos de pesquisadores acadêmicos sem vínculo empregatício ou bolsa de pesquisa, que tenham um histórico dedicado aos estudos sobre patrimônio imaterial voltados às expressões culturais tradicionais do Paraná.

Cada pesquisa contemplada receberá R$ 7.000,00 e poderão ser inscritos trabalhos nas seguintes áreas: Antropologia, Arqueologia, Sociologia e História. Os artigos deverão abordar saberes e fazeres dos povos e comunidades tradicionais do Estado, como Povos Indígenas, Comunidades Caiçaras, Comunidades Quilombolas, Ciganos, Faxinalenses e Povos de Matriz Africana. Inscrições até 26 de novembro.

Confira os editais, aqui

fonte: Superintendência da Cultura

2ª EDIÇÃO DO GRUPO DE ESTUDOS EM SEMIÓTICA DISCURSIVA

Abertas inscrições para a 2ª edição do grupo de estudos em semiótica discursiva em Curitiba, na reitoria da UFPR ou imediações.

Os encontros acontecem em sábados alternados, das 9h30 às 12h30. A participação é gratuita e aberta à comunidade.

O primeiro encontro é no dia 7 de março.

Continuaremos trabalhando com o livro “Caminhos da semiótica literária”, de Denis Bertrand – um capítulo por encontro.

Informações sobre o local dos encontros e uma cópia do texto serão enviadas aos e-mails informados nas inscrições.

Inscrições: aqui

fonte / texto: Adriana Baggio

SPVS ABRE INSCRIÇÕES PARA ESTÁGIO EM COMUNICAÇÃO

Vaga para estagiar em Curitiba, no bairro Vista Alegre, na SPVS – Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental

requisitos: Ser estudante de Publicidade e Propaganda, Comunicação Institucional ou Design para trabalhar na área de comunicação. É necessário estar cursando a partir do 5º período, ter conhecimento em pacote Office, Adobe e WordPress.

A jornada é de 20 horas semanais, de segunda a sexta-feira, das 08h às 12h ou das 13h as 17h.

Para se candidatar, envie seu currículo e carta de apresentação pessoal para comunicacao@spvs.org.br até o dia 12 de fevereiro (sexta-feira). Os candidatos pré-selecionados serão convidados para entrevista.

fonte

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
:::::::::: PROPAGANDA ::::::::::
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Esta oportunidade é um oferecimento dos nossos patrocinadores, Chocolates Weissburg.

Prestigie nossos patrocinadores! Visite o café Chocolates Weissburg na Rodovia do Caqui, 744 – Recanto Verde, em Campina Grande do Sul-PR, logo na entrada da cidade.

Em Curitiba, você pode pedir Chocolates Weissburg pelo aplicativo iFood, através da loja Schmetterling Chocolates. Entrega para os bairros: Centro, Centro Cívico, Jardim Social, Ahú, Bacacheri, Mercês,  Alto da XV, Tarumã, Bairro Alto, Cabral, Atuba, Tingui, Santa Cândida, Pilarzinho, e também em Pinhais-PR, Emiliano Perneta.

SELEÇÃO DE BOLSISTA DE GRADUAÇÃO – PROGRAMA UTFPR-BOSCH

A Bosch e a UTFPR firmaram uma parceria via Fundação Araucária para concessão de bolsas para alunos de graduação que desejam conduzir uma pesquisa dentro da empresa por 6 meses ou 1 ano. O valor da bolsa é R$ 1.500 e não inclui outros auxílios. O local da pesquisa será na sede da Bosch na Cidade Industrial de Curitiba.

O professor Frederick van Amstel do DADIN (conheça mais do seu trabalho em www.usabilidoido.com.br) orientará 3 bolsistas nas seguintes áreas:

1. Comunicação organizacional para a disseminação de práticas de inovação
2. Inovação aberta para a articulação de ecossistemas de startups
3. Modelos de negócios para a mobilidade e avaliação de potencial de negócios

O professor André Lucca do DADIN orientará 1 bolsista na seguinte área:
4. Design aplicado à inovação e estratégia

Requisitos:
* Estar matriculado em um curso de graduação (sim, apenas graduação) da UTFPR Campus Curitiba durante toda a duração da bolsa
* Não acumular bolsas, salvo bolsas assistenciais e de permanência
* Não manter qualquer vínculo empregatício
* Ter experiência acadêmica ou profissional com as áreas das bolsas
* 30 horas de dedicação semanais ao projeto
* Comprometimento acima do normal para estudantes da UTFPR

Vantagens (na visão dos professores):
* Participar de um projeto acadêmico de colaboração com a indústria
* Aprender na prática sobre temas inovadores
* Cruzar fronteiras entre áreas
* Receber orientação de um pesquisador experiente na área

Desvantagens (na visão dos professores):
* Exigirá deslocamentos longos entre UTFPR e Bosch
* Difícil de conciliar com demandas dos cursos de graduação
* Primeiro edital, ou seja, ainda um tanto experimental

Esse formulário serve para selecionar interessados nestas vagas, que devem se manifestar impreterivelmente até 26/11/2019. Candidatos que se adequarem ao perfil da vaga serão convocados para entrevista entre os dias 27 e 28/11. Os candidatos que não demonstrarem estar dentro do perfil não serão convocados para entrevista.

Os critérios de seleção constam no EDITAL PROPPG 24/2019, aqui

Dúvidas podem ser encaminhadas para vanamstel@utfpr.edu.br

Inscrições através deste link

GRUPO BOTICÁRIO CONTRATA ANALISTA DE COMUNICAÇÃO SR (INOVAÇÃO, PESQUISA & DESENVOLVIMENTO E RH) / CURITIBA

Grupo Boticário contrata Analista De Comunicação Sr (Inovação, Pesquisa & Desenvolvimento E RH). Vaga para trabalhar em Curitiba.Oportunidade para profissional com mais de 50 anos.

Requisitos:
Profissional especializado em comunicação corporativa em empresas de grande porte, no atendimento da área de inovação, pesquisa & desenvolvimento e RH. Sólida experiência junto à imprensa na criação de pautas proativas.

O que você precisa ter ou fazer?
– Formação Superior Completa em Relações Públicas, Comunicação ou áreas correlatas.
– Inglês avançado (desejável).
– Disponibilidade para viagens.
– Especializado em comunicação corporativa.
– Experiência com temas como: inovação, pesquisa e desenvolvimento.
– Criação de oportunidades de comunicação externa.
– Capacidade analítica.

Atividades:
Será responsável por atuar junto à imprensa na criação de pautas proativas para fortalecimento da marca empregadora. Irá atender as seguintes áreas: inovação, pesquisa e desenvolvimento e RH.
Como será seu dia?
– Terá interface com áreas e executivos das áreas a serem atendidas, sendo o ponto focal da comunicação da companhia.
– Planejamento e execução de ações de comunicação de acordo com as agendas e lançamentos das áreas.
– Atuação junto à imprensa na criação de pautas.

Horário de trabalho flexível: 8h30 até 18h.

Salário: Faixa salarial entre R$ 7 e R$ 8 mil reais.

Benefícios:
– VR: R$ 29,00
– VA: R$ 420,00
– VT
– Plano de Saúde Amil (coparticipação)
– Plano Odontológico
– Seguro de Vida
– Previdência Privada
– Desconto em farmácia com prescrição médica.

Candidatura até dia 2 de agosto através deste link

Grupo Boticário – Presente no ranking das Melhores Empresas para Trabalhar há sete anos e campeã no segmento de Higiene e Beleza em 2014 e 2015.

fonte: Maturijobs

2ª MESA DE DEBATES PROFESSORES DE HISTÓRIA UFPR

Mesa de debates aberta ao público. Hoje, 25 de junho, terça-feira, às 18h30 no anfiteatro 100, na reitoria da UFPR (R. Dr. Faivre, 405 – Centro de Curitiba). Inscrições no local do evento.

Com a presença dos professores:
– Arte de guerrilha e ensino de história – Professora Ms Izabella Gomes Lopes Bertoni
– Ditadura militar em Curitiba: Site temático para o ensino de história local (www.ditaduraemcuritiba.com.br) – Professor Ms Luiz Gabriel da Silva.