CANAL “HISTÓRIAS DA AILÉN” ESTREIA PROGRAMAÇÃO INÉDITA COM CONTAÇÕES DE HISTÓRIAS DE AUTORES CURITIBANOS

Canal “Histórias da Ailén” estreia programação
inédita com contações de histórias de autores curitibanos

O projeto, idealizado pela artista Ailén Roberto, reunirá 10 contações de histórias de livros escritos por autores curitibanos com tradução para libras e bate-papos sobre literatura para crianças.

Já que não podemos sair de casa, que tal viajar pelas histórias de autoras e autores de Curitiba? Esse é o convite do projeto inédito “Curitiba – literatura e histórias”, que acontecerá de 05 a 24 de abril de 2021 através do canal do YouTube Histórias da Ailén. Ao todo, serão publicadas 10 contações de histórias inéditas com tradução para libras e bate-papos online com os autores participantes.

A curadoria dos livros que integram o projeto foi realizada pela atriz e contadora Ailén Roberto a partir do acervo do Coletivo Era Uma Vez, grupo colaborativo de escritores e ilustradores de literatura infantil e juvenil, que produz em Curitiba para leitores de toda parte do mundo. “Eu já tinha uma aproximação com alguns autores do Coletivo Era Uma Vez, mas a partir deste projeto pude conhecer a fundo a produção dos autores e ilustradores contemporâneos de Curitiba que se dedicam com muita seriedade e sensibilidade à literatura para crianças. O projeto tem o objetivo de criar uma ponte entre os autores e os pequenos leitores / espectadores por meio das novas tecnologias”, explica a atriz Ailén Roberto.

As histórias selecionadas apresentam diferentes personagens e paisagens: de leão mandão que só sabe dizer não que surge por meio das rimas da escritora Delma Maria Lucchin no livro “Onde tem ão tem confusão” à delicadeza de uma menina que tenta desvendar os mistérios do amor e do mar no livro “Coração Submarino”, do escritor Lucas Buchile. Diferente do mundo real, a imaginação não tem limites geográficos nem pandêmicos.

Além disso, a programação do projeto “Curitiba – Literatura e histórias” realizará bate-papos com os autores dos livros nos dias 10, 17 e 24 de abril no formato live através do canal Histórias da Ailén. “Essa é uma forma de dialogar com crianças, pais e educadores sobre a produção literária da nossa cidade. ”, considera Ailén Roberto, que também fará a mediação dos encontros.

No dia 26 de março de 2021, o projeto já promoveu uma oficina formativa para os professores da rede municipal de ensino de Curitiba ministrada pelo Prof. Dr. Cleber Fabiano sobre Literatura Moderna Infantil e no dia 09 de abril de 2021 realizará a oficina “Poemagia, Poesia e Infância”, que será ministrada pela Adriana Barretta Almeida ação está também voltada para os professores da rede municipal de ensino.

Ficha Técnica
Direção, atuação e roteiro: Ailén Roberto
Captação e edição de imagens: Daniel Santoro
Tradução para libras: Fluindo Libras (Viviana Rocha)
Produção: Surya Roberto
Designer gráfico: Gabriel Rischbieter
Web designer: Penta Kill
Assessoria de imprensa e redes sociais: Larissa de Lima
Apoio: Coletivo “Era uma vez”
Coordenação Coletivo Era Uma Vez: Josiane Mayr Bibas
Realização: Colorín Colorado Produções Artísticas

Serviço
Curitiba – literatura e histórias
> Contações inéditas e bate-papos com autores curitibanos disponibilizados gratuitamente no canal do YouTube Histórias da Ailén.

Programação Completa | De 05 a 24 de abril de 2021

Contação: Onde tem ão tem confusão
Autora: Delma Maria Lucchin
Quando? 05 de abril às 11h

Contação: À espera do Sol
Autora: Rapha Nunes
Quando? 07 de abril às 11h

Contação: Cheiros
Autora: Celia Cris Silva
Quando? 09 de abril às 11h

Bate-papo: Célia Cris Silva, Ana Rapha Nunes e Delma Maria Lucchin
Mediação: Ailén Roberto
Quando? 10 de abril às 19h

Contação: A coceira de Bartolomeu
Autora: Josiane Mayr Bibas
Quando? 12 de abril às 11h

Contação: Pitico e a Gata Branca
Autora: Rosy Greca
Quando? 14 de abril às 11h

Contação: O ovo do bolo
Autora: Marilza Conceição
Quando? 16 de abril às 11h

Bate-papo: Marilza Conceição, Rosy Greca e Josiane Mayr Bibas
Mediação: Ailén Roberto
Quando? 17 de abril às 19h

Contação: Passarinho às oito e pouco
Autora: Jaqueline Conte
Quando? 19 de abril às 11h

Contação: Coração Submarino
Autora: Lucas Buchile
Quando? 21 de abril às 11h

Contação: Meu amigo Boris
Autora: Veronica Fukuda
Quando? 22 de abril às 11h

Contação: Viagem pelo Jardim
Autora: Álvaro Posselt
Quando? 23 de abril às 11h

Bate-papo: Álvaro Posselt, Veronica Fukuda, Lucas Buchile e Jaqueline Conte
Mediação: Ailén Roberto
Quando? 24 de abril às 18h

Instagram: @historiasdaailen
Facebook: https://www.facebook.com/historiasdaailen
YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCAz42sUWVKaC3rpZo97E5-g

Assessora de Imprensa: Larissa de Lima | 41-98510-6389. Crédito fotografia:  Daniel Santoro

PROJETO REALIZADO COM RECURSOS DO PROGRAMA DE APOIO E INCENTIVO À CULTURA – FUNDAÇÃO CULTURAL DE CURITIBA, DA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA E DO MINISTÉRIO DO TURISMO.

TODAS AS INFORMAÇÕES CONSTANTES NESTA OBRA SÃO DE RESPONSABILIDADE EXCLUSIVA DO AUTOR.

COLETÂNEA DE CONTOS INCENTIVA O EMPODERAMENTO PELA ESCRITA

Publicação independente, escrita criativa e empoderamento serão os temas do bate-papo de lançamento da coletânea Olhares Empoderados • Volume I, pela Têmpora Editora. O evento acontece no próximo dia 13 de abril, às 20h, com transmissão ao vivo pelo canal da Têmpora Criativa no YouTube.

O que é a Coletânea Olhares Empoderados?
Em seu 1º volume, a obra reúne 13 contos escritos em sua maioria por mulheres. Ao lidar com diferentes temáticas (infância, violência, cotidiano, mal-estar social e outros), o ponto em comum das narrativas é tentar instigar no público leitor novos olhares a respeito da realidade.

“Meu conto é sobre uma adolescente na ceia de natal. Tem conflito interno, ironia, questionamento de conceitos culturais, simbologia e uma surpresa no final. Não posso contar mais nada além disso”, explica entre risos Evelyn Cieszynski, de 26 anos, que mora em Curitiba (PR). Apesar de já escrever poesia e crônicas, esta é sua primeira publicação no universo da prosa ficcional.

Sobre a iniciativa
Evelyn faz parte de uma maioria: das 13 autoras, 11 são estreantes. Entre setembro e novembro de 2020, elas participaram da Oficina “Olhares Empoderados” de análise e criação literária, realizada pela escritora Mylle Silva com recursos do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura, Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura Municipal de Curitiba. A programação foi voltada ao exercício da escrita criativa e ao debate de obras de escritoras como Clarice Lispector, Chimamanda Ngozi Adichie, Virginia Woolf e Xinran.

Durante os encontros virtuais, as autoras puderam trocar experiências e discutir as dificuldades do processo criativo. “Acho que o meu maior desafio foi uma certa impostora que habita em mim e, de vez em quando, dá as caras. Compartilhar, ser lida, receber feedback… Era tudo muito novo para mim”, conta Mariana Bragança, de 34 anos. Seu conto retrata a amizade de mulheres que cresceram juntas e agora enfrentam os desafios da vida adulta.

Para Mylle Silva, organizadora da coletânea e fundadora da Têmpora Editora, a chave é desmistificar a criação literária. “Escrever boas histórias não é uma questão de nascer com um dom ou estar inspirado, mas de treino, de exercício mesmo. Tem muito mais trabalho braçal do que intelectual”, reflete.

Além de escrever os contos, as autoras também trabalharam de modo colaborativo para dar vida à publicação. A arte da capa foi feita por Mylle Silva e Rafaela Pinheiro-Pereira, com ilustração de Carolina Bee. “Tomei como referência um busto grego clássico de vênus, mas mudei os traços da feição e cabelo, pensando na diversidade étnica. Os olhos em colagem representam o que a literatura magicamente pode nos oferecer: enxergar o mundo na perspectiva de outra pessoa!”, explica Carolina.

A coletânea Olhares Empoderados • Volume I já está disponível para venda no site da Amazon.

Serviço
O quê: Bate-papo de lançamento da Coletânea Olhares Empoderados vol. 1.
Quando: 13 de abril, às 20h.
Onde: YouTube da Têmpora Criativa.
Links
E-book Olhares Empoderados • Volume I: https://amzn.to/3dmHZrh
Live de lançamento: https://youtu.be/uxnnYfLvFxk
Site da Têmpora Criativa: https://www.temporacriativa.com
Instagram da Têmpora Criativa: https://www.instagram.com/temporacriativa/

LIVE DE LAÇAMENTO DE UM CANTO ANAERÓBICO, DE WELLINGTON MÜLLER BUJOKAS

Live de lançamento do livro UM CANTO ANAERÓBICO, do Wellington Müller Bujokas. O lançamento será dia 6/3, sábado, às 17h, pelo Instagram da Quelônio: @editoraquelonio

O livro se constitui de um conjunto de poemas que exploram as possibilidades gráficas da página e a materialidade das palavras. Pode ser lido também como uma poema longo, dividido em três grandes partes (“Minha noção de mundo”, “Uma fábula de uma rosa e um narciso”, “Consciência quadrada”), com subdivisões internas. Os versos se dispõem em tamanhos e andamentos variados, em um estilo que envereda pela dicção paródica das vanguardas e da poesia moderna e também explora o branco das páginas, em diálogo com o concretismo. Posfácio de Roberto Medina. Capa de Júlia Contreiras.

Você pode adquirir o segundo livro do poeta Wellington Müller Bujokas através do site da Editora Quelônio.

Um canto anaeróbico
Wellington Müller Bujokas
Editora Quelônio
Gênero: Poesia
Capa: Julia Contreiras
Posfácio: Roberto Medina
ISBN: 978-65-87790-06-0
Formato: 21,5 x 15,6 cm
104 pp.
Valor:
– Preço normal: R$48.00.
– Preço promocional: R$36.00 (está com 25% de desconto por ser pré-venda)
Compra através do site da Quelônio, neste link

UM CANTO ANAERÓBICO / WELLINGTON MÜLLER BUJOKAS

Copiamos texto e foto do site da Editora Quelônio

Você pode adquirir o segundo livro do poeta Wellington Müller Bujokas através do site da Editora Quelônio, aqui. O lançamento será dia 6/3, pelo Instagram da Quelônio

Um canto anaeróbico
Wellington Müller Bujokas
Editora Quelônio
Gênero: Poesia
Capa: Julia Contreiras
Posfácio: Roberto Medina
ISBN: 978-65-87790-06-0
Formato: 21,5 x 15,6 cm
104 pp.
Valor:
Preço normal: R$48.00.
Preço promocional:  R$36.00 (está com 25% de desconto por ser pré-venda)
Através do site da Quelônio, neste link

“Um canto anaeróbico é um conjunto de poemas ou de fragmentos poéticos que se entrelaçam em um longo poema, dialogando de maneira inventiva com a tradição épica, com as vanguardas e com a poesia concreta. Segundo livro de poemas do escritor e diplomata Wellington Müller Bujokas, combina a dicção de um épico abreviado, que pode ser lido de um só fôlego, a uma investigação pessoal sobre as dimensões formais da palavra poética, o sentido do vivido e os limites da comunicação verbal.

O conjunto reúne uma produção poética de alta voltagem experimental, conjugando a disposição dos signos verbais no espaço da página com um ritmo intenso e não musical. A poesia do autor promove a investigação minuciosa das palavras por meio de neologismos, polissemia, contrações e outras formas de renovação do léxico.

Os versos se dispõem em tamanhos e andamentos variados, em um estilo que envereda pela dicção paródica das vanguardas e da poesia moderna e também explora o branco das páginas, em diálogo com o concretismo.

A sonoridade desse canto poético contemporâneo inclui elementos da oralidade e contempla a visualidade experimental dos poemas, dispostos na página de acordo com o ritmo e com os efeitos de um verbo que se revela falho, mas sempre tateante, em busca de uma palavra original, mesmo que o sentido do que se diz não esteja clarividente.

A poética do autor traduz, por meio de procedimentos incomuns, temas de grande atualidade e ao mesmo tempo seculares: a relação do eu com o mundo, a (in)comunicabilidade, a subjetividade, o tempo, a memória, o padecimento, o sufocamento, a sobrevivência, a reflexão sobre o próprio fazer literário.

No posfácio, Roberto Medina destaca que, nessa poética, o esgarçamento da palavra é também o esgarçamento do mundo, um mundo a que os poemas se referem e que buscam traduzir, mas sem verdade cabal.

A edição da Quelônio procura intensificar o efeito visual dos poemas por meio de algumas soluções propostas pelo autor e que foram trabalhadas no projeto gráfico. O livro é impresso em off-set, com texto em preto e algumas ocorrências de pantone vermelho. Utilizou-se um carimbo para agregar uma terceira cor, o verde utilizado pelo autor em uma palavra de um dos poemas. Os 300 exemplares do livro foram carimbados, tornando cada exemplar único. A designer Júlia Contreiras utiliza as fontes Futura e Garamond para potencializar a visualidade e a legibilidade dos poemas, que investigam justamente o esgarçamento do signo verbal.

SOBRE O AUTOR:
Wellington Müller Bujokas nasceu em 1982 em Itararé (SP) e passou a infância em Barão de Antonina, interior de São Paulo. Na juventude, transferiu-se para Curitiba, onde se formou em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná. Posteriormente tornou-se diplomata e mudou para Brasília. Trabalhou em Astana (hoje Nur-Sultan) no Cazaquistão, e em Moscou. Atualmente mora em Baku, no Azerbaijão. É autor de Estudos (Travessa dos Editores, 2012). Um canto anaeróbico é seu segundo livro de poemas.

DOCUMENTÁRIO “A PONTE” – SOBRE A PERIFERIA DE SÃO PAULO


Documentário A Ponte sobre a periferia de São Paulo, com Mano Brown e Trilha Sonora de Zé Gonzales e Daniel Ganjaman.

Release (via Casa do Zezinho ). Fonte / texto: Geledes

O rapper Mano Brown, a educadora Dagmar Garroux e o escritor Ferréz convivem diariamente com as mazelas da periferia de São Paulo. Cada um a seu modo, trazem uma bagagem de experiências que merece reflexão. É o que faz o documentário “A Ponte”, produzido pelo Instituto Rukha.

O filme, de 42 minutos, mostra a situação da desigualdade social na Zona Sul de São Paulo por meio da figura de Dagmar Garroux, conhecida como Tia Dag. Ela é a fundadora da Casa do Zezinho. A entidade trabalha desde 1994 com o desenvolvimento de crianças e jovens. No início eram 07 “Zezinhos”, hoje a Casa conta com mais de 1200 crianças e jovens.

A câmera do documentário passeia pelas ruas do Capão Redondo, Jardim Angela e Jardim São Luis, todos bairros da zona sul da capital paulista, e expõe o tempo todo a diferença existente entre as duas margens do Rio Pinheiros. “O Rio pinheiros divide o pobre dos ricos”, afirma o rapper Mano Brown. Tia Dag complementa: “A ponte do Rio Pinheiros é o muro de Berlim.”

O filme pretende mobilizar a sociedade, mostrando que existe um caminho para a transformação. “Não é uma denúncia vazia. Optamos por mostrar que a realidade é muito dura, mas paralelamente mostramos a história da Tia Dag como uma possibilidade de mudança para a região”, afirma Luiz Alfaya, diretor-presidente do Instituto Rukha.

Para Roberto Oliveira, diretor do filme, “a idéia é abrir os olhos das pessoas”. Segundo ele, “o Brasil vive uma situação de guerra civil e as pessoas não se dão conta. Elas precisam se mexer e mudar a realidade.”

Ficha técnica:
Versão completa em HD do documentário “A PONTE” 2006 / Instituto Ruhka / Sindicato Paralelo / Direção: Roberto T. Oliveira e João Wainer / Fotografia: João Wainer / Produtores Associados: Roberto T. Oliveira e Marcelo Loureiro / Trilha Sonora: Zé Gonzales e Daniel Ganjaman / Direção de Arte: Paulo Franco / Edição: André Dias e Alex Kundera / Produção: Claudio Gabriel e Julio Sena / Fotografia adicional: Lula Maluf, Arci Reis, Roberto T. Oliveira e Claudio Gabriel / Finalização: Alex Kundera / Mixagem: Daniel Ganjaman (Estudios YB) / Participações: Mano Brown, Ferrez, Floriano Pesaro, Paulo Lima, Padre Jaime, Fabio Gurgel, Saulo Garroux, João Batista Cardoso

Para ajudar acesse: www.casadozezinho.org.br

Release (via Casa do Zezinho ). Fonte / texto: Geledes

PUBLIQUE NO JORNAL RELEVO

“Publique no RelevO, impresso mensal de literatura com mais de dez anos de circulação. E a gente remunera (não é aquelas coisas, mas remunera).”

Envie sua contribuição (conto, artigo, resenha, ensaio, poesia) para contato@jornalrelevo.com 

Sobre o jornal
O RelevO é um IMPRESSO mensal de cultura, sobretudo de literatura. É editado, desde setembro de 2010, pelo jornalista Daniel Zanella.
Mateus Ribeirete é o editor-assistente.
Mateus Senna é o revisor.
Marceli Mengarda é a diagramadora e projetista gráfica.
Thaís Alessandra Tavares cuida da parte logística e Felipe Gollnick é responsável pelas mídias sociais.

O periódico não tem fins lucrativos e conta com o serviço público de prestação de contas, na página 2, e um ombudsman na página 5. Atualmente, o espaço é assinado pelo escritor Ricardo Lísias.

O jornal tem distribuição gratuita em mais de cem cidades do Brasil e pode ser ASSINADO por 50 reais ao ano.

fonte

OUTRAS PALAVRAS – PRÊMIO DE OBRAS LITERÁRIAS

O concurso público “Prêmio de Obras Literárias” irá selecionar e premiar textos de obras de romance, coletânea de contos e crônicas, coletânea de poesia, roteiro, dramaturgia, coletânea de ensaios críticos, pesquisa de cultura alimentar e livro ilustrado, escritas em língua portuguesa.

Cada obra literária selecionada receberá um valor de R$ 20.000,00 (vinte mil reais). Como contrapartida, as obras premiadas poderão ser publicadas pela SECC no prazo de até cinco anos. Para romance, coletânea de contos e crônicas, coletânea de poesia, roteiro, dramaturgia, coletânea de ensaios críticos e pesquisa de cultura alimentar, serão aceitas obras de 49 a 250 páginas de elementos textuais, seguindo as especificações da ABNT para formatação de texto. Já no caso de livros ilustrados, serão aceitas obras de 16 a 150 páginas, em tamanho A4, em PDF contendo texto e imagem integrados.

Inscrições até 20 de novembro.

Confira o edital, aqui

fonte: Superintendência da Cultura

PRÊMIO BIBLIOTECA DIGITAL

Já estão abertas as inscrições para a primeira edição do Prêmio Biblioteca Digital. Criado para fomentar a produção e circulação de livros inéditos no formato de e-book, o novo concurso literário da Biblioteca Pública do Paraná vai selecionar obras em quatro categorias: Romance, Conto, Poesia e Infantil.

Os três primeiros colocados de cada categoria receberão prêmios em dinheiro: R$ 10 mil (primeiro lugar), R$ 5 mil (segundo lugar) e R$ 3 mil (terceiro lugar). Os 12 livros vencedores formarão uma coleção e serão disponibilizados para download gratuito no site da Biblioteca Pública do Paraná.

As obras concorrentes serão avaliadas por uma comissão julgadora formada por oito membros (dois em cada categoria). O resultado do concurso será divulgado na última semana de novembro. As inscrições são totalmente online e gratuitas, por meio de um formulário disponível no site da BPP até o dia 13 de setembro. Saiba mais: https://bit.ly/3hZGsbF

fonte

SUFOCO


“Os dias em que vivemos sob a influência de seres desconhecidos”

“Sufoco” – vídeo do cineasta Pedro Merege. 

Pedro tem filmes maravilhosos como o longa-metragem Mistéryos (2008) (inspirado no universo das obras do escritor Valêncio Xavier) e o curta-metragem O Mistério da Japonesa (2005), baseado no livro “O Mistério da Prostituta Japonesa” do Valêncio Xavier. Ambos dirigidos por Pedro Merege e Beto Carminatti,  rodados em 35 mm, e com cenas em Curitiba – reparem na Rua São Francisco, no Passeio público. É bem legal reconhecer a cidade nos filmes. 

Pedro Merege é instrutor nas oficinas de realização de filmes em Super 8 Tomada Única do Curta8 | Festival Internacional de Cinema Super8, confira sua filmografia, aqui.

Se inscreva no canal do Merege, aqui

JOSÉ PAULO PAES

Livro COLEÇÃO MELHORES POEMAS – JOSÉ PAULO PAES – Seleção: Davi Arrigucci Jr. Global Editora, 2003. 5ª Edição. Número de págs.: 248. Livro em bom estado. Preço: R$24,00.

José Paulo Paes foi a antítese do poeta derramado. Irônico, indignado, angustiado, brincalhão, soube expressar, como poucos, ironia, indignação, humor e angústia em poemas breves, alguns brevíssimos.

Poeta, tradutor, crítico literário, ensaísta. Nasceu em 22 de julho de 1926 em Taquaritinga-SP. Transferiu-se para Curitiba em 1944, aqui estudou química industrial entre 1945 e 48. Conviveu com vários intelectuais da época. Colaborou com a revista Joaquim, dirigida por Dalton Trevisan. Dessa temporada paranaense nasce seu livro de estreia, O aluno, de 1947.

Viva poesia! Viva José Paulo Paes!

Receba esse livro em casa via correios. Taxa de entrega para todo país: R$10,00 (taxa por livro). Com opção de retirada (livre de taxa) no bairro Orleans, em Curitiba. Pagamento via app MercadoPago e/ou transferência bancária.

Temos centenas de livros a pronta entrega, consulte acervo, combine frete/entrega via whats 41 99745-5294. 

+ INFORMAÇÕES:

– Sebinho FATO Agenda é a loja de livros e discos que ajuda financiar o blogue FATO Agenda, blogue de vagas de emprego e agenda cultural de Curitiba.

– Atendimento (SUSPENSOS DURANTE A QUARENTENA): sextas e sábados, das 19h a meia noite. Rua Paula Gomes, 380, São Francisco, Curitiba – dentro da Erva Doce Doceria Bar.

– Agende visitas ao sebinho, consulte e/ou encomende livros e discos pelo whatsApp: 41 99745-5294 (leandro).

Fanpage: www.facebook.com/sebinhoFATOagenda
Instagram: www.instagram.com/sebinhofatoagenda

Loja virtual: https://bit.ly/2pWvbU2
(Taxa de entrega: R$10,00 (por livro) – válida para todo Brasil. Via MercadoPago e/ou dep./transferência bancária. Se interessar, combine por whats (41) 99745-5294.

#CatálogoDoSebinho