NELSON SARGENTO

Documentário “Nelson Sargento no morro da Mangueira”. Ano 1997. Retrato biográfico do sambista Nelson Sargento encontrando seus amigos e comparsas no Morro da Mangueira, um dos recantos do carnaval e do samba no Rio de Janeiro. Com Paulinho da Viola, Carlos Cachaça, Cacá Diegues. Direção: Estevão Ciavatta Pantoja.

FICHA TÉCNICA:
País: Brasil
Duração: 22′
Diretor: Estevão Ciavatta Pantoja
Produtor: Flávio R. Tambellini, Ana Gabriela
Ano: 1997
Formato: HD
Montagem: Cesar Miglorin
Som Direto: Paulo Ricardo Nunes
Fotografia: Dudu Miranda
Festivais:
Melhor Montagem no Festival de Gramado 1997
Prêmio Multishow no Festival Internacional de Curtas de São Paulo 1997
Melhor Montagem no Rio Cine 1997
Prêmio Especial da Crítica no Rio Cine 1997
Prêmio Especial do Júri no Rio Cine 1997
Filmografia do Diretor:
Dilúvio Carioca – Ficção 1994 (7 min)
Perdi a Cabeça na Linha do Trem – Ficção 1992 (14 min)

Fonte documentário: Renato Moço.

Nelson Sargento. Foto: Site Carnavalesco.
Nelson Sargento, Presidente de honra da escola de Samba Mangueira. Fonte / foto: Fanpage do Jards Macalé.

Escute Nelson Sargento. Álbum versátil. Fonte: Canal Play Samba:


Nelson Sargento faleceu dia 27 de maio de 2021, aos 96 anos. O sambista foi diagnosticado com Covid, quando já estava internado no Instituto Nacional do Câncer. Prefeitura do Rio de Janeiro decreta luto de três dias. Fonte: Sambista Nelson Sargento morre no Rio aos 96 anos

Lindo cartaz “Samba do sindicats convida Nelson Sargento”: 

MINI DOC TOUR RACIONAIS 3 DÉCADAS


Mini documentário sobre as 3 décadas do Racionais MC’s. Mano Brown, Edi Rock, KL Jay e Ice Blue lembram os momentos mais marcantes da trajetória do grupo, referência no hip hop brasileiro, que desde 1989 se tornou um dos principais nomes no cenário do rap nacional. 

Ficha Técnica Mini-Doc 3 Décadas
Direção Artística: Boogie Naipe e Free Birdz
Direção Executiva: Kaire Jorge
Produção Executiva: Eliane Dias
Captação de Áudio Show: FreakHouse
Captação Audio Entrevista: Free Birdz
Diretor de fotografia entrevista: Moysa
Câmera: Moysa & Vitor Hugo
Direção Entrevistas: Felipe Barros
Edição/ Finalização: Felipe Barros

fonte: RacionaisTV

#Racionais3D

VISTA GROSSA


Vista Grossa é um longa-metragem documentário (da diretora Giuly Biancato) que começou como um projeto estudantil de curta-metragem, gravado em 2019. O filme discorre sobre a falta da memória curitibana em relação a Ditadura Civil Militar (1964-1985) e, principalmente, essa falta registrada nas construções e edifícios urbanos que sediaram quartéis generais e outros locais, dentre eles alguns clandestinos, usados para apreensão e tortura de milhares de pessoas. Bem como locais de resistência e luta de estudantes, artistas, trabalhadores e ativistas contrários à ditadura.

O projeto cresceu e a equipe do documentário abriu uma VAKINHA para juntar recursos para gravar e/ou regravar algumas imagens e áudios, pesquisa e aquisição de imagens de arquivo de Curitiba entre 1964 e 1985; recursos para o processo de edição e finalização e recursos para a distribuição e inscrição do filme em festivais. 

Confira todas os detalhes e colabore com esse projeto importante através deste link

A IMPORTÂNCIA DO REGISTRO
O documentário aborda a falta da abertura de registros e instalação de memoriais públicos para reconhecimento popular sobre um histórico violento vivido em Curitiba, em contraponto com vários registros em homenagem aos militares que a cidade carrega, discutindo também a acelerada urbanização e como isso afeta nosso senso de identidade e conhecimento sobre nossa própria história. O filme busca questionar sobre quem detém e controla essas memórias e, qual é o critério de escolha para fazer dessa história um conhecimento popular ou um conhecimento velado. 

A maior parte dos paranaenses, ou 50,8% acredita que o regime militar no Brasil era melhor (33,5%) ou igual (17,3%) à “democracia” que vivemos hoje. (FONTE: Paraná Pesquisas). Há locais em Curitiba que diariamente circulam milhares de pessoas e quase nenhuma delas sabe que esses e muitos outros locais sediaram órgãos responsáveis por perseguir, oprimir, prender e torturar opositores e suspeitos inocentes de oposição ao regime militar. A Comissão Estadual da Verdade (CEV) se baseia nas pesquisas do grupo Tortura Nunca Mais – Paraná, que dá conta de pelo menos 4 mil presos durante a ditadura. Destes, no mínimo mil sofreram tortura. Mas o número pode ser muito maior (FONTE: Gazeta do Povo).

Nota do editor:
Quem se interessa pelo tema precisa conhecer o site Ditadura em Curitiba, do historiador Luiz Gabriel da Silva – ele participa da equipe do documentário. Neste site você poderá acessar informações e trabalhar com fontes primárias, como pastas temáticas da DOPS (Delegacia de Ordem Política e Social) e vídeos de depoimentos de indivíduos que lutaram contra o regime, bem como jornais da época.

DOCUMENTÁRIO HISTÓRIA DO BRASIL (BORIS FAUSTO)


“História do Brasil” é um livro escrito pelo historiador brasileiro Boris Fausto, cuja visão é narrada neste arquivo da TV Escola. O livro reflete a perspectiva de várias instituições brasileiras, com destaque para o Concurso de Admissão à Carreira Diplomática (CACD), que adotou o livro em sua bibliografia obrigatória do Guia de Estudos até o ano de 2010. 

Este arquivo — rico em depoimentos e documentos — foi disponibilizado originalmente em sete episódios pela emissora.

Fonte: TV Escola
Fonte: Fabiano Borges

DOCUMENTÁRIO “A PONTE” – SOBRE A PERIFERIA DE SÃO PAULO


Documentário A Ponte sobre a periferia de São Paulo, com Mano Brown e Trilha Sonora de Zé Gonzales e Daniel Ganjaman.

Release (via Casa do Zezinho ). Fonte / texto: Geledes

O rapper Mano Brown, a educadora Dagmar Garroux e o escritor Ferréz convivem diariamente com as mazelas da periferia de São Paulo. Cada um a seu modo, trazem uma bagagem de experiências que merece reflexão. É o que faz o documentário “A Ponte”, produzido pelo Instituto Rukha.

O filme, de 42 minutos, mostra a situação da desigualdade social na Zona Sul de São Paulo por meio da figura de Dagmar Garroux, conhecida como Tia Dag. Ela é a fundadora da Casa do Zezinho. A entidade trabalha desde 1994 com o desenvolvimento de crianças e jovens. No início eram 07 “Zezinhos”, hoje a Casa conta com mais de 1200 crianças e jovens.

A câmera do documentário passeia pelas ruas do Capão Redondo, Jardim Angela e Jardim São Luis, todos bairros da zona sul da capital paulista, e expõe o tempo todo a diferença existente entre as duas margens do Rio Pinheiros. “O Rio pinheiros divide o pobre dos ricos”, afirma o rapper Mano Brown. Tia Dag complementa: “A ponte do Rio Pinheiros é o muro de Berlim.”

O filme pretende mobilizar a sociedade, mostrando que existe um caminho para a transformação. “Não é uma denúncia vazia. Optamos por mostrar que a realidade é muito dura, mas paralelamente mostramos a história da Tia Dag como uma possibilidade de mudança para a região”, afirma Luiz Alfaya, diretor-presidente do Instituto Rukha.

Para Roberto Oliveira, diretor do filme, “a idéia é abrir os olhos das pessoas”. Segundo ele, “o Brasil vive uma situação de guerra civil e as pessoas não se dão conta. Elas precisam se mexer e mudar a realidade.”

Ficha técnica:
Versão completa em HD do documentário “A PONTE” 2006 / Instituto Ruhka / Sindicato Paralelo / Direção: Roberto T. Oliveira e João Wainer / Fotografia: João Wainer / Produtores Associados: Roberto T. Oliveira e Marcelo Loureiro / Trilha Sonora: Zé Gonzales e Daniel Ganjaman / Direção de Arte: Paulo Franco / Edição: André Dias e Alex Kundera / Produção: Claudio Gabriel e Julio Sena / Fotografia adicional: Lula Maluf, Arci Reis, Roberto T. Oliveira e Claudio Gabriel / Finalização: Alex Kundera / Mixagem: Daniel Ganjaman (Estudios YB) / Participações: Mano Brown, Ferrez, Floriano Pesaro, Paulo Lima, Padre Jaime, Fabio Gurgel, Saulo Garroux, João Batista Cardoso

Para ajudar acesse: www.casadozezinho.org.br

Release (via Casa do Zezinho ). Fonte / texto: Geledes

DOCUMENTÁRIO “COISA MAIS LINDA – HISTÓRIAS E CASOS DA BOSSA NOVA”

Documentário “Coisa Mais Linda – Histórias E Casos Da Bossa Nova”- Um painel histórico, musical e informativo sobre o nascimento da Bossa Nova, na década de 1950. Contém imagens de arquivo com entrevistas e apresentações exclusivas de Roberto Menescal, Carlos Lyra, Johnny Alf, Leny Andrade, entre outros.

Diretor: Paulo Thiago. Roteiro: Paulo Thiago. Produção: Glaucia Camargos. Edição: Marcelo Moraes.

Fonte: CIEBRA Centro Integrado Estratégico Brasileiro

Fonte: Canal do Youtube: vsbonvenutobye

DIFUSÃO SABERES E FAZERES TRADICIONAIS PREMIA REGISTROS FOTOGRÁFICOS E AUDIOVISUAIS

A Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura, por meio da Superintendência Geral da Cultura, publica o Prêmio de Difusão Saberes e Fazeres Tradicionais – Registro Fotográficos e Audiovisuais, que irá selecionar e premiar registros fotográficos ou audiovisuais de manifestações populares e tradicionais da cultura desenvolvidas no território paranaense. Inscrições até às 18h00 (dezoito horas) do dia 21 de novembro de 2020.

O prêmio tem uma função social de preservação da memória de manifestações populares e tradicionais da cultura desenvolvidas no território paranaense.

Serão concedidos 260 prêmios no valor de R$ 4.000,00 cada, totalizando R$ 1.040.000,00, com recursos provenientes da Lei Federal 14.017/2020 – Lei Aldir Blanc.

O edital é voltado a agentes culturais, pessoa física e jurídica, domiciliadas ou com sede no Paraná há, no mínimo, dois anos. O período de inscrições vai de 8 de outubro até às 18h00 (dezoito horas) de 21 de novembro de 2020. As inscrições serão feitas de forma online por meio do sistema SisProfice.

O prêmio será dividido em duas categorias, Registro Fotográfico e Registro Audiovisual. No Registro Fotográfico, a proposta deverá conter um conjunto de fotos que versem sobre um mesmo tema, propondo uma sequência fotográfica lógica, e não foto única. O conjunto deverá ser composto de no mínimo 5 (cinco) fotografias e no máximo de 10 (dez) fotografias.

No Registro Audiovisual, a proposta deverá conter os registros com duração de 7 (sete) minutos e no máximo 120 (cento e vinte) minutos.

O prêmio será dividido, ainda, em seis áreas:
– Povos Indígenas;
– Comunidades caiçaras,
– Comunidades quilombolas;
– Ciganos;
– Faxinalenses;
– Matriz africana.

Os registros premiados deverão ser doados aos acervos dos Museus do Governo do Estado, por meio de termo de doação.

Este prêmio é parte das ações de Fomento do Governo do Estado do Paraná com recursos da Lei Federal Aldir Blanc, nº 14.017/2020, para atender o setor cultural durante a crise causada pela pandemia de Covid-19.

Acesse o edital completo clicando aqui.

fonte / texto: Secretaria Da Comunicação Social e da Cultura do PR

CHICO SCIENCE, UM CARANGUEJO ELÉTRICO – DOCUMENTÁRIO NAÇÃO ZUMBI


Documentário “Chico Science – Um Caranguejo Elétrico. Um filme de 86 minutos exibido pela TV Globo Nordeste e GloboNews em 2016.

O documentário acompanha a carreira do mentor do Manguebeat através de imagens de arquivo, gravações inéditas e depoimentos de nomes como Fred Zero Quatro (Mundo Livre S/A), Jorge Mautner, Carlos Eduardo Miranda, Arnaldo Antunes, Paralamas do Sucesso, Dengue, Lucio Maia, Jorge Du Peixe e Toca Ogan.

Com participação de: Dona Rita, Gorete, Eurico, Mestre Meia Noite, Dj Dolares, Fred Jordão, Fred Zero Quatro, Xico Sá, Gil Vicente, Renato L, Stella Campos, Cannibal, Otto, Hilton Lacerda, Miranda, Jorge Davidson, Cadão Volpato, Marcelo Rubens Paiva, Paulo André, Liminha, Marcelo Yuka, Lorena Calabria Arto Lindsay, Bill Braggin, Gilberto Gil, Bid, Jorge Mautner, Arnaldo Antunes, Herbet Viana, Lenine, João Barone, Bi Ribeiro, Andre Jung.

Produção Geral: Ricardo Carvalho
Argumento, Roteiro e Direção: Zé Eduardo Miglioli
Produção Executiva: Carol Carvalho
Pesquisa e Roteiro: José Teles
Direção de Fotografia: Mariano Maestre
Direção de Produção: Petla Pammela
Montagem: Walter Kelcius
Finalização e Color: André Frakatt
Som Direto: Nicolau Domingues e Rafael Travassos
Produção Musical: Carlinhos Borges
Programação Visual: Coletivo Vacilante
Abertura: ZQuatro Studio
Locução: Germano Haiut
Edição de Som e Mixagem: Gera Vieira

Imagens de arquivo cedidas pela GLOBO
Imagens cedidas pelo CEDOC- TC Cultura/ SP
Programas Ensaio, Bem Brasil, Metropolis e Fanzine
RTV Produções GLOBO NORDETES GLOBO FILMES

fonte: Nação Zumbi (Oficial)

Escute Nação Zumbi no Spotify: aqui
Instagram:
aqui
Facebook:
aqui

PARANÁFLIX

PARANÁFLIX

Que ideia maravilhosa! Só entrar no site e assistir o cinema paranaense. Inclusive você pode subir filmes! Maravilhoso! Parabéns aos envolvidos!

A Paranáflix é uma plataforma colaborativa criada para difundir produções cinematográficas produzidas em todo o Paraná.

Já tem vários filmes interessantes: Lance Maior (1968), Cine Hai-Kai (1984) – sobre o Leminski, Beijo na Boca Maldita (2008), Satori Uso (2007), vários filmes legais, confira o catálogo!

“Buscamos construir uma forma livre, popular e coletiva para dar visibilidade às produções do estado, e oferecer o acesso gratuito de filmes para quem busca informações culturais.

Este gesto surge como sintoma da insuficiência de políticas públicas consistentes, ativas, e longevas de distribuição, produção, exibição e preservação do cinema no Paraná, e de modo algum pretende trazer soluções paliativas a estes problemas de imenso interesse público.

Vamos fortalecer o cinema brasileiro!”

Acesse:
Site: www.paranaflix.com.br
Instagram: www.instagram.com/paranaflix/