AZZUL SABIAH

Azzul Sabiah surge como espaço multicultural idealizado para eventos, troca de experiências artísticas e encontros. O ambiente interliga estúdio, ambiente para exposição de artes plásticas, cantina e jardim criativo. Localizado em Curitiba, no bairro Pilarzinho, o Azzul Sabiah conta com estúdio-teatro de 51 m² que serve para gravações, ensaios e também auditório para receber públicos pequenos – até 20 pessoas. O local tem estrutura para workshops, podcasts, lives, apresentações musicais, conferências, aulas, exposições de arte e outras inúmeras possibilidades.

O evento de pré-inauguração acontece entre os dias 9 e 11 de dezembro, de quinta-feira a sábado. Em formato de bate-papo descontraído falando sobre vida e música, DouDou entrevista convidados no Bla-Bla-Blah Musical. Os primeiros convidados são três músicos de renome internacional: Ney Conceição, Robertinho de Paula e Paulo Levi. Como sugere o nome, Bla-Bla-Blah Musical não tem pretensão de ser um workshop com informações técnicas sobre música, mas sim uma conversa sobre a trajetória dos artistas convidados. Então não precisa ser músico para participar, basta gostar de música!

No sábado, às 19h, acontece o Coquetel Jam Session com músicos locais no jardim criativo, onde haverá projeção real-time da apresentação que acontece dentro do estúdio-teatro. Durante todos os dias do evento, ocorre simultaneamente a exposição Sabiá, organizada pela curadora, Giovana Martucci, apresentando diversas faces da arte local: Jonas Sanson com a sua produção em vídeo arte, Henrique Neves na gravura, Leo Bardo com desenho, Eloiza Montanha, Leonardo Franco e Regina Azolin na pintura. Artistas diferentes com produções únicas que se unem no compartilhamento de um mesmo território de produção cultural.

O ambiente segue normas e protocolos de saúde e segurança da Prefeitura de Curitiba, conta com área externa e jardim para promover mais distanciamento entre o público. O local disponibiliza máscaras e álcool em gel ao público e na entrada do evento exige comprovante de vacinação contra covid-19.

A realização é fruto de parceria entre Azzul Sabiah e Aoca Eco Arte, o mais recente programa do Aoca Cultural que atua na coleta seletiva de resíduos, ressignificando o lixo em prol do meio ambiente. A instituição do Aoca está presente há 30 anos na cena cultural curitibana e nacional, onde atua na promoção de artistas das mais variadas vertentes, e atualmente desenvolve suas produções através da economia circular e com foco na sustentabilidade. O Azzul Sabiah é parceiro de empresas que investem em economia criativa, em arte, em cultura.

CONVIDADOS DO BLA-BLA-BLAH MUSICAL


Paulo Levi. Crédito foto Wanda Marques.

PAULO LEVI é o nosso Marco Polo do saxofone. Inicialmente foi autodidata. Aos 17 anos migrou da Amazônia a Paris, na França, onde foi aceito no CSMDP como o primeiro aluno latino-americano a participar da primeira turma de música improvisada, ou seja, Jazz europeu. Passou por Estados Unidos, Europa e Ásia, e atualmente mora  em Hong Kong, onde participa das atividades locais com orquestras e concertos. Dividiu palco com diversos artistas brasileiros e internacionais como Naná Vasconcelos, Bibi Ferreira, Zezé Motta, Caetano Veloso, João Bosco, Claudio Nutti, Bebel Gilberto, João Donato, Tom Wopatt e o nomeado para o Grammy, Duduka da Fonseca.


Robertinho de Paula. Fonte Portal Terra.

ROBERTINHO DE PAULA é patrimônio da música instrumental brasileira. Guitarrista virtuoso, filho do violonista radicado na Itália, Irio de Paula. Robertinho tem sólida carreira internacional com vários discos lançados na Europa. Participou de inúmeros festivais internacionais de Jazz, com notáveis artistas no nosso tempo como Larry Coryell, Martin Taylor, Paul Wertico, Dave King, Rob Towsend, Fabrizio Bosso, Robertinho Silva, Ivan Lins, Seu Jorge, Vito Di Modugno, Massimo Manzi, entre outros.


Ney Conceição fonte Canal do Youtube DiGi2 Filmes.

NEY CONCEIÇÃO é músico autodidata, arranjador e compositor. Participou como contrabaixista em mais de 200 discos gravados. Trabalhou com uma lista imensa de artistas: João Bosco, Elba Ramalho, Sebastião Tapajós, Robertinho Silva, Airto Moreira, Danilo Caymmi, Dominguinhos, Fátima Guedes, Gonzalo Rubalcaba, João Donato, João Nogueira, entre tantos. Na música instrumental, desenvolve trabalho notável com Nelson Faria e Kiko Freitas, no Nosso Trio. Ao completar 30 anos de carreira, Nei gravou o DVD Live de arranjos em formato de big band Jazz.

Serviço:
Bla-Bla-Blah Musical
Datas: 9, 10 e 11 de dezembro de 2021, quinta-feira, sexta-feira e sábado. Abertura da casa: 14h30. A entrada do público será encerrada às 14h55.

Sábado, às 19h: COQUETEL JAM SESSION
Realização: Aoca Eco Arte

Produção: Aoca Cultural
Maiores informações na página @azzulsabiah
Contato para imprensa: Leandro Hammer (41) 99745-5294 / leandro.hammer@gmail.com

FICHA TÉCNICA
Concepção e Direção Geral: DouDou
Produção Geral: Verônica Menezes
Direção de Comunicação: Carol Azolin
Assessoria de Imprensa: Leandro Hammer
Identidade Visual: Alexandre Valente
Design Gráfico: João Jasco
Curadoria: Giovana Martucci
Direção de Live: Jean Michael
Operador de Som: Roger
Cenotécnico: Marcos Marciano

Quinteto Azzul Sabiah, formação:
DouDou – sopros.
Paulo Levi – sopros.
Robertinho De Paula – guitarra.
Ney Conceição – contrabaixo.
Thales Lemos – bateria.

CARLOS DALA STELLA LANÇA NOVO LIVRO E COMPLETA TRILOGIA

Obra brinda o leitor com pequenos ensaios e retratos de escritores, pintores, cantores, músicos, bailarinos, fotógrafos e pessoas comuns

O poeta, artista plástico e contista Carlos Dala Stella acaba de publicar o livro “Retratos: Desenhos de Admiração”. Produzido pela Editora Maralto – que pertence ao grupo Arco Educação – a obra completa o terceiro volume do que o autor chama de Trilogia Inconjunta.

No primeiro volume intitulado A Arte Muda da Fuga, Dala Stella traz poemas e recortes. No segundo, Nas Mãos de Bendita, há contos, desenhos e colagens. Neste terceiro, há um livro de arte que brinda o leitor com pequenos ensaios. Mas que não se enganem os leitores. De Maria Bethânia a Van Gogh, o autor reflete sobre os processos para a criação de muitos retratos, numa antologia pessoal, de admiração. De um talento vasto e admirável, o autor transita com segurança por diferentes técnicas como nanquim, colagem, lápis de cor e muitas outras.

E para mostrar ao público o resultado deste trabalho, Carlos Dala Stella faz o lançamento de Retratos: Desenhos de Admiração e autografa a obra. O evento será no dia 04 de dezembro (sábado), das 11h às 16h, no ateliê do artista, no bairro de Santa Felicidade, em Curitiba-PR.

A entrada é franca e segue os cuidados de prevenção à Covid-19. No local também haverá exposição de alguns originais do autor.

Diversidade
Segundo o artista, os três livros – todos publicados pela Editora Maralto – compõem uma trindade entre gêneros diversos onde o fio condutor, ainda que diagonal, ressalta o diálogo fragmentado nas obras.

Em todos eles existe a mesma notação poética reflexiva, os mesmos vazios e silêncios, a mesma urgência do manuseio da matéria, um sem-sentido que se apresenta quase sempre no formato de espanto. E uma certa gratuidade fluida, onírica às vezes, que raramente se submete à realidade.

Múltiplas expressões
De acordo com Dala Stella, os retratos o permitem exercitar uma linha que de outra forma ele não saberia como exprimir. E a linha, uma única linha, guarda possibilidades incomensuráveis de investigação do humano.

“É uma pena que o desenho, especialmente o desenho de um rosto, tenha se tornado tão obsoleto no período que há décadas chamamos – sem constrangimento algum – de contemporaneidade; como se em outros tempos as pessoas não tivessem sido contemporâneas de si mesmas”, explica o artista.

Para ele, a linha do retrato é ambígua, atenta a si mesma e à parecença, o que está sempre a limitá-la ao jogo que se estabelece a partir do primeiro traço com o retratado. “Embora ele seja tanto o ponto de partida como o ponto de chegada, é no trajeto que o desenho se desgarra e ganha autonomia – sugerindo, quem sabe, um sentido plástico”, complementa.

Uma galeria de afetos partilhados
Em tempos de câmeras e smartphones quase como extensão do corpo humano, retratos parecem exaustivos e até mesmo banais em nossas vidas. Hoje, incontáveis rostos, em espaços os mais diversos, exibem muito de nossa história, em todo o mundo: como nos vemos e queremos ser vistos, em que cenários, quem nos olha e em que situações.

O amplo alcance da tecnologia sugere um esvaziamento da arte de ver e de guardar rostos. Mas há os retratos e os retratos, aqueles registrados instantaneamente, ainda que com graça, e os criados pelo interesse – admiração, contemplação, estranhamento? – de alguém que olha e vê, seja com a máquina, o lápis, o pincel e até mesmo com recortes em papel.

Retratos: Desenhos de Admiração é, sem dúvida, como o título anuncia, uma galeria de afetos. Definido, sempre provisoriamente, pelo desejo de quem o tem em mãos, o livro pode ser tomado ora como uma coletânea de breves perfis, ora como um diário ou livro de artista. Nele, Carlos Dala Stella divide com os leitores a intimidade de suas experiências artísticas e culturais, tendo como eixo seu olhar para escritores, pintores, cantores, músicos, bailarinos, fotógrafos e pessoas comuns, desconhecidas na arena pública, como alguns de seus familiares.

Os personagens escolhidos para compor o livro não são apresentados de maneira comum e previsível. Pouco parece importar ao autor onde e quando nasceram e nem o que fizeram. Os traços, recortes e palavras que fazem a obra revelam, mais do que os retratados, o retratista em sua relação com cada um, que partilhada se oferece como experiência estética.

Por sua natureza, Retratos: Desenhos de Admiração não é um livro para ser cumprido linearmente, da primeira à última página. Naturalmente, o leitor é senhor de sua leitura e nada o impede de começar e terminar.

Porém, os muitos convites feitos por esta obra de difícil e desnecessária classificação são para que nós o visitemos como a uma exposição, vendo de perto e de longe, observando os desenhos e, às vezes, desprezando os textos, e vice-versa, para neles voltar em outro momento, passando rapidamente por uns e nos detendo naqueles que nos unem ao artista pela memória ou gosto comum pelo retratado. É como uma casa com muitos habitantes, que se oferecem, pelos caminhos de Dala Stella, a singulares visitações.

Sobre o autor
Carlos Dala Stella nasceu em Curitiba-PR, em 1961. É poeta, artista plástico e contista. Formado em Letras pela Universidade Federal do Paraná, dedica-se ao desenho desde os anos 1980, quando expôs na Itália. Publicou diversos livros e foi finalista do Prêmio Jabuti na categoria Ilustração.

Serviço
O que: Lançamento do livro “Retratos: Desenhos de Admiração” (Editora Maralto, 192 págs., R$ 49,90) e sessão de autógrafos com o autor Carlos Dala Stella
Quando: 04 de dezembro (sábado), das 11h às 16h
Onde: Ateliê do artista [rua Toaldo Túlio, 899, Santa Felicidade, Curitiba-PR, tel. 41-98844-8448]
Quanto: Entrada franca e o local segue os cuidados de prevenção à Covid-19
Catálogo: O catálogo da Editora Maralto poderá ser conferido no Instagram e Facebook @maraltoedicoes

Relacionamento com a imprensa | Editora Maralto
Mem & Mem Comunicação
Marlise Groth Mem – (41) 9 9908-0511 marliseassessoria@gmail.com 
João Alécio Mem – (41) 9 9124-9748 joaoalecioassessoria@gmail.com 
Jornalismo / Assessoria de Imprensa / Consultoria em Comunicação e Eventos / Produção e Revisão de Conteúdo @mem_e_mem_agencia_de_noticias

PROJETO CURITIBANO FOMENTA A CONSERVAÇÃO DE ESCULTURAS SACRAS E OFERECE CURSO GRATUITO

Foto: Wagner Melo.

A iniciativa idealizada pela conservadora-restauradora Ana Caniatti oferece curso gratuito de noções básicas de conservação preventiva e é um dos primeiros projetos a ocupar a recém-inaugurada Escola de Patrimônio

No mês de novembro, a Escola de Patrimônio & Liceu das Artes da Fundação Cultural de Curitiba recebe o curso semipresencial de “Introdução à Conservação da Imaginária Sacra”, idealizado pela conservadora-restauradora Ana Caniatti a convite da Flutua Produções. O projeto busca instigar um olhar crítico sobre a preservação da imaginária sacra através do curso acompanhado de material didático. Em contrapartida, o projeto prevê a conservação de uma imagem musealizada pertencente ao acervo do Museu de Arte Sacra de Curitiba – MASAC.

O curso gratuito é formado por cinco aulas presenciais, ministradas de 16 a 20 de novembro por Ana Caniatti, Flávia Dias, professora no Museu de Arte Sacra de São Paulo, e Ruy Neto, arquiteto conservador. Além dos encontros presenciais, o curso conta com uma aula de encerramento, que será realizada no dia 07 de dezembro, através de um encontro online síncrono. Ao todo, são 12 vagas destinadas a funcionários de museus e igrejas, conservadores, restauradores, laudistas, museólogos, historiadores, arquitetos, galeristas, colecionadores, estudantes e pessoas interessadas no tema. As inscrições podem ser feitas no link https://forms.gle/B8F2thiShcuTzN4S9 entre os dias 14 e 30 de outubro.

No cronograma, estão presentes temas como: princípios de conservação, história da arte sacra, métodos de pesquisa, agentes de degradação e patologias, além de análise do estado de conservação.

Para Ana Caniatti, a preservação do patrimônio histórico está diretamente ligada à preservação da nossa memória e identidade cultural. “A importância de difundir as noções de preservação de bens culturais vai ao encontro da necessidade humana de ter contato com a sua memória e sua história. Estes bens, e neste caso tratamos das imagens sacras, precisam ser respeitados e resguardados, pois narram os modos de produzir e de existir dos nossos antepassados.”, ressalta ela.

O fundador da Flutua Produções, Gilmar Kaminski, reforça a importância de projetos como esse para a cultura. “Trabalhar com patrimônio é entender a importância da conservação e da valorização da memória, e isso se potencializa na proposição do curso, que tem como principal objetivo instrumentalizar a população para a preservação do patrimônio cultural, nesse caso, da imaginária sacra.”, comenta o produtor cultural.

Projeto realizado com recursos do programa de apoio e incentivo à cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba.

Sobre Ana Caniatti
Ana Caniatti é formada em Artes Plásticas pela Faculdade de Belas Artes do Paraná (2007), Técnico em Conservação e Restauração pela Fundação de Arte de Ouro Preto (2009) e Especialista em História da Arte Sacra pela Faculdade Arquidiocesana de Mariana (2012). Integrou a equipe de restauro das igrejas de Nossa Senhora D´Ajuda, em Congonha (MG); Matriz de Nossa Senhora Imaculada Conceição, em Videira (SC); e Matriz de São Domingos, em Araxá (MG). Estagiou no Museu da Inconfidência de Ouro Preto e trabalhou na FAOP, no laboratório de conservação e restauro de escultura policromada. Em 2013, fundou em Curitiba o Atelier Caniatti Conservação e Restauro, onde atua realizando projetos para conservação, restauração, documentação de obras e de acervos de instituições públicas, privadas e particulares. Foi presidente da Associação dos Restauradores e Conservadores de Bens Culturais do Paraná – ARCO.IT (2018 e 2019) e promoveu diversos cursos para aperfeiçoamento dos profissionais da área, assim como projetos de incentivo à pesquisa científica. É associada ao Centro de Estudos em Imaginária Brasileira – CEIB.

Sobre Flutua Produções
Fundada em 2016 pelo produtor cultural Gilmar Kaminski, a Flutua Produções tem como proposta o diálogo com as diversas linguagens artísticas, desenvolvendo projetos nas artes cênicas, música, literatura, patrimônio histórico, artístico e cultural, artes visuais e audiovisual. Presta serviços de planejamento, organização e produção de projetos e eventos culturais, com foco na elaboração e gestão de projetos via leis de incentivo à cultura, sempre com a premissa da democratização de acesso. Dentre os atuais trabalhos desenvolvidos destacam-se a coordenação de produção da Bienal de Quadrinhos de Curitiba e o projeto Histórias e Retratos da Feira do Largo da Ordem. Mais informações em www.flutuaproducoes.com.br

SERVIÇO
Curso de Introdução à Conservação da Imaginária Sacra
Quando: de 16 a 20 de novembro, das 14h às 18h (presencial)/ encontro final em 07 de dezembro, das 19h às 21h (online)
Onde: Escola de Patrimônio & Liceu das Artes (R. Kellers, 63 – São Francisco, Curitiba)
Inscrições gratuitas em https://forms.gle/B8F2thiShcuTzN4S9

FICHA TÉCNICA
Realização: Caniatti Conservação e Restauro e Flutua Produções
Coordenação pedagógica: Ana Eliza Caniatti Rodrigues e Flávia Andrea Siqueira Dias
Coordenação de produção: Gilmar Kaminski
Pesquisadores e ministrantes: Ana Eliza Caniatti Rodrigues, Flávia Andrea Siqueira Dias e Ruy Altamir da Cruz Neto
Pesquisa histórica – Sant’Ana Mestra: Deborah Agulham Carvalho
Intervenção de conservação – Sant’Ana Mestra: Ana Eliza Caniatti Rodrigues
Assistência de produção: Luana Camargo
Projeto gráfico e diagramação: Adriana Alegria
Revisão textual: Anna Carolina Azevedo
Assessoria de imprensa e Marketing digital: Platea Comunicação e Arte
Fotografia: Wagner Melo e Lucas Gabriel de Souza da Silva

Projeto realizado com recursos do programa de apoio e incentivo à cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba.

Assessoria de Imprensa
Platea Comunicação e Arte
platea.comunicacao@gmail.com
(41) 9 9907-9648

ARTISTAS LEONARDA GLÜCK E KATIA HORN TRANSPÕEM A MITOLOGIA DAS FADAS PARA A REALIDADE CONTEMPORÂNEA EM MEMES LITERÁRIOS

As “Fadinhas Fodidas” disponibilizam textos e ilustrações inéditos toda quarta-feira, às 19h, no Instagram do projeto @maisfadinhas

A escritora Leonarda Glück e a artista plástica Katia Horn lançaram, em abril de 2020, a convite da Pomeiro Gestão Cultural, um projeto transmídia que une textos originais de Leonarda com ilustrações inéditas de Katia. Trazendo a mitologia das fadas para a realidade contemporânea, os textos e as imagens utilizam a figura das fadas num tom irônico e com humor ácido para promover reflexões políticas, culturais e sociais. Para conhecer o projeto e as fadas, basta acessar o perfil @maisfadinhas no Instagram.

Com obras que propõem reflexão sobre algo que aconteceu ou está acontecendo na semana em questão, as artistas se dispõem a ler a realidade das mulheres, em especial as brasileiras e latinas, e todas as camadas de machismo, sexismo, homofobia e transfobia que se impõe sobre suas jornadas. “Funciona quase como um meme literário que resume a situação política da semana”, comenta Leonarda Glück. Sobre a empreitada, Katia afirma: “Elas não são fofas e não moram num “felizes para sempre”, então podem gerar desconforto no público, porque elas escancaram nossas tragédias cotidianas”.

Com o projeto na rua desde abril de 2020, as artistas querem lançar um livro com as ilustrações e crônicas, além de, quem sabe, transformar a estética que criaram nas Fadinhas em produtos como camisetas e canecas. Por flertar com a estética pop, muitos fãs do projeto pedem produtos derivados. Porém, para as artistas, a visão é mais ampla: “A ideia é gerar reflexão mesmo, produzir conhecimento, disparar ideias que estimulem o pensamento autônomo nas pessoas que o projeto atingir eventualmente. Tudo isso com humor e cores vibrantes. Esse é o nosso maior sonho”, completa Leonarda.

O projeto começou de modo independente, e agora conta com o incentivo da Lei Aldir Blanc via Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba, da Prefeitura Municipal de Curitiba e do Ministério do Turismo, que viabilizou, através do projeto “Mais Fadinhas Do Que Nunca”, a criação de 20 novas ilustrações e a produção de um mini documentário sobre o processo de criação das Fadinhas, dirigido pelo cineasta Thiago Bezerra Benites.

Para conhecer e acompanhar cada nova Fadinha, siga o Instagram: www.instagram.com/maisfadinhas/ e a página no Facebook: www.facebook.com/maisfadinhas

Leonarda Glück e Katia Horn

Sobre as artistas

Leonarda Glück
Atriz, dramaturga e diretora curitibana radicada em São Paulo. Co-fundadora da Companhia Silenciosa e do Coletivo Selvática. Graduada em Direção Teatral pela Faculdade de Artes do Paraná (FAP). Tem mais de vinte textos encenados por diferentes grupos, companhias e artistas brasileiros e internacionais de diversas linguagens artísticas. Publicou A Perfodrama de Leonarda Glück – Literaturas Dramáticas de Uma Mulher (Trans) de Teatro, coletânea com seis textos teatrais. Seus projetos já foram contemplados por diversas instituições culturais brasileiras, tais como Fundação Cultural de Curitiba, Secretaria de Estado da Cultura do Paraná, Fundação Nacional das Artes (Funarte), Instituto Itaú Cultural, SESC São Paulo, Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, entre outras. Os trabalhos que levam o nome da artista, sejam eles teatrais, performáticos, literários e/ou audiovisuais, já foram apresentados em diversas cidades do país e de fora dele, bem como publicados em diversas mídias, jornais, revistas e periódicos especializados em arte e cultura. As temáticas principais trabalhadas pela artista são amor, neocolonialismo, globalização, linguística, fronteiras, tecnologia, transexualidade, conflitos mundiais, Brasil, sexo, violência, cultura LGBTQI+, dominação e poder. Atualmente se prepara para estrear o solo Trava Bruta, tendo seu texto sido premiado pelo Edital de Dramaturgia em Pequenos Formatos Cênicos do CCSP 2020. Adiado pela pandemia de covid-19, o espetáculo está previsto para 2021, ano em que a artista completa 25 anos de carreira.

Katia Horn
Nasceu em 1965, em Luzerna, SC. Formou-se em Educação Artística em Dourados, MS, no ano de 1988. Está em Curitiba desde 1990, onde vem pesquisando e desenvolvendo seu trabalho em várias áreas artísticas, partindo das artes visuais para a performance, o teatro, a música e o audiovisual. Nas artes gráficas especificamente, já publicou suas ilustrações em jornais, revistas, ilustrou diversos livros e trabalhou para algumas editoras nacionais ilustrando materiais didáticos. Como artista plástica, tem um caminho de muita pesquisa técnica e estilística, conhecimentos que utiliza muito no seu trabalho como ilustradora.

FICHA TÉCNICA
Textos de Leonarda Glück
Ilustrações de Katia Horn
Produção e Realização: Pomeiro Gestão Cultural
Coordenação de Produção: Igor Augustho
Produção Executiva: Eduardo Alves
Videomaker: Thiago Bezerra Benites
Assessoria de Imprensa e Marketing Digital: Platea Comunicação e Arte, Luisa Bonin e Thays Cristine
Assessoria Jurídica e Contábil: Ivanes Mattos

Projeto realizado com recursos do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba, da Prefeitura Municipal de Curitiba e do Ministério do Turismo. Todas as informações constantes nesta obra são de responsabilidade exclusiva das autoras.

UFPR ABRE CONCURSO PÚBLICO COM 01 VAGA PARA PROFESSOR DE ARTES VISUAIS – GRAVURA E DESENHO

Universidade Federal do Paraná abre concurso para professor Professor De Artes Visuais – Gravura E Desenho. 01 vaga para para Professor da Carreira do Magistério Superior, para o Quadro Permanente da Universidade. Vaga para trabalhar em Curitiba. Período das inscrições: 25 de janeiro de 2021 a 23 de fevereiro de 2021.

Neste concurso, ao todo, são 42 vagas distribuídas em diversas áreas. Confira todas as vagas, aqui. Os candidatos aprovados e nomeados integrarão o Quadro Permanente (Efetivo) da Instituição. Vamos aos detalhes da 01 vaga para professor de Professor De Artes Visuais – Gravura E Desenho:

Setor: Artes, Comunicação e Design
Departamento: Artes
Área de Conhecimento: Artes Visuais – gravura e desenho
Processo: 23075.066048/2020‐64
Número de vagas: 01 (uma)
Número limite de candidatos habilitados: 05
Classe: A
Denominação: Adjunto A
Nível: 1
Regime de Trabalho: 20 (vinte) horas semanais

Titulação Mínima Exigida: Licenciatura ou bacharelado em Artes Visuais ou Artes Plásticas ou Educação Artística ou Artes COM mestrado em Poéticas Visuais E doutorado em áreas afins com tema em Artes Visuais; ou mestrado em áreas afins com tema em Artes Visuais E doutorado em Poéticas Visuais; ou mestrado E doutorado em Poéticas Visuais. (As áreas afins, segundo a tabela da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior CAPES, são: Ciências Humanas; Ciências Sociais Aplicadas; Linguística, Letras e Ares; Multidisciplinar), obtidos na forma da lei.

Tipos de Provas: Escrita (classificatória e eliminatória), Prática (classificatória e eliminatória), Didática (classificatória e eliminatória), Análise de Currículo (classificatória) e Defesa do Currículo e de Projeto de Pesquisa (classificatória).

Para a prova de Defesa do Currículo e de Projeto de Pesquisa, os candidatos deverão apresentar proposta de projeto de pesquisa na área de conhecimento do concurso, conforme item 8.5 do edital.

Anteriormente à realização das provas, será publicado edital complementar especificando a forma como serão realizadas as provas e os demais procedimentos do concurso, podendo ocorrer de forma presencial ou remotas. 

Período provável para realização das provas: Segunda quinzena de abril de 2021, devendo o respectivo setor divulgar em edital, as datas, locais e horários de realização das provas. 

Período das inscrições: 25/01/2021 a 23/02/2021

Taxa de Inscrição: R$ 88,00

A inscrição, acompanhada da documentação relacionada a seguir, será encaminhada ao e‐mail do setor/departamento realizador do concurso, cujos dados são os seguintes:

Inscrições por e-mail: 
Setor: Artes, Comunicação e Design E‐mail de recebimento das inscrições:  sacod.direcao@ufpr.br
Endereço eletrônico do Departamento ou Setor realizador do concurso:   www.sacod.ufpr.br/portal

As inscrições via correio deverão ser encaminhadas via SEDEX e postadas até, no máximo, 05 (cinco) dias antes do término das inscrições.

A REMUNERAÇÃO de cada cargo, está de acordo com a legislação vigente e leva em conta a carga horária, o regime de trabalho e a titulação.

Cargo: Assistente A – 20 h
Vencimento Básico: R$ 2.236,32
Retribuição Por Titulação: R$ 559,08
Total: R$ 2.795,0
Auxílio Alimentação: R$ 229,00

Confira todo o edital, aqui (113/20 Artes Visuais – gravura e desenho)

Confira todas as informações e as outras vagas do concurso, aqui

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
:::::::::: PROPAGANDA FATO AGENDA ::::::::::
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Esta oportunidade é um oferecimento do nosso patrocinador, Evilazio Transportes.

Chame o Evilazio quando precisar fazer mudanças, fretes e/ou até pequenos transportes de cargas em Curitiba e região! Evilazio é caminhoneiro há mais de 30 anos. É gente boa, cuida muito bem da carga e ainda tem bom preço!

Se você é estudante e/ou mora no centro da Curitiba, este caminhão é o ideal para fazer sua mudança!

Evilazio monta e desmonta guarda-roupas e outros móveis (consulte!)

Também faz viagens para litoral do Paraná e Santa Catarina.

Quando precisar, ligue e faça orçamento! Sem compromisso, é claro! O preço dele é bom mesmo!!!

Evilazio Transportes / contato:
cel.: (41) 9 9990-1450 (tim) (WhatsApp) / (41) 9 8827-0837 (claro)
ponto: próximo ao Terminal do Campina do Siqueira, na canaleta, em Curitiba.

Prestigie nossos patrocinadores! 🙂

CONTRATEMPO FESTIVAL REÚNE MAIS DE 100 ARTISTAS DE TODO PARANÁ

Contratempo Festival é também um manifesto da classe que aguarda o Pacote de Medidas de Apoio ao Setor Cultural prometido pelo Governo do Estado do Paraná para maio

Nasce um novo espaço para exaltar o poder transformador da cultura e levar sanidade às pessoas isoladas devido a pandemia. Artistas do Paraná se unem para a primeira edição do Contratempo Festival, um evento online, com mais de 100 ações ao vivo durante 12 horas consecutivas. As transmissões serão entre 9h e 21h, de terça-feira, dia 23 de junho, no canal do Instagram das/dos artistas. 

Contratempo Festival traz a multiplicidade e versatilidade do setor cultural: música, teatro, cinema, circo, literatura, performances, dança, artes plásticas, fotografia, juntas em um só evento. A cada hora, apresentações exclusivas que prometem surpreender as espectadoras e espectadores. Serão oito artistas solo, companhias e/ou bandas por hora. Karol Conka, Alexandre Nero, Fabíula Nascimento (única que será no twitter porque seus perfis foram ocupados por pessoas negras em junho), A Banda Mais Bonita da Cidade, Ave Lola, Baque Mulher, Mandicuera, Mulamba, Cia dos Palhaços, Letícia Sabatella, Janine Mathias, Dow Raiz, Fotofolia, Rimon Guimarães, Slam das Gurias CWB, Caburé Canela, De um filho, de um cego, Abacate Contemporâneo, Luís Melo, Katiuscia Canoro e cia brasileira de teatro, entre outros, outras e outres movimentam a terça-feira do Paraná. 

Mais que apresentações, o evento é um manifesto, um pedido de socorro da classe artística, uma das primeiras a parar e que não tem previsão de retorno presencial. Ao contrário de outros estados do Brasil, que logo no início da pandemia publicaram editais de auxílio emergencial ao setor, o Governo do Paraná segue sem ações efetivas. O tímido pacote de medidas de “apoio e fortalecimento do setor cultural”, anunciado para maio, ainda não aconteceu, e quando questionada sobre recursos para o Fundo Estadual de Cultura, a Superintendente de Cultura, Luciana Casagrande Pereira, comenta sobre a esperança na aprovação da Lei Aldir Blanc como único plano do Estado. A lei aguarda a sanção presidente até dia 1º de julho. 

A previsão desse recurso realmente chegar às trabalhadoras e trabalhadores da cultura é tardia para a situação de emergência que a classe enfrenta, e os artistas cobram uma resposta mais efetiva. Enquanto isso, a cadeia produtiva da economia criativa se vira da forma que dá, iniciativas como Salve a Graxa e Cultura Salva arrecadam cestas básicas e distribuem aos profissionais mais afetados pelo coronavírus. 

A Coragem – Rede de Profissionais da Música de Curitiba, articuladora do Contratempo Festival, ressalta que a classe artística rapidamente atendeu as determinações da OMS e segue apoiando a permanência do fechamento dos espaços culturais, por entender que o isolamento social é fundamental para atravessar este momento. Porém, diante da impossibilidade de continuar exercendo suas atividades profissionais, o setor necessita de medidas compatíveis com a situação emergencial que atinge todos os trabalhadores paranaenses da cultura”. O Coletivo também está participando de conversas com a prefeitura de Curitiba, onde um grupo de trabalho está sendo criado para encaminhar ações concretas de apoio. 

:: CONTRATEMPO 
O nome do festival é um indicativo para o momento que a classe artística está vivendo. Contratempo é uma circunstância ou incidente inesperado, que impede ou contraria o curso de um acontecimento, de um projeto. Na música, é um deslocamento do acento métrico natural do compasso. Onde o acento que seria no tempo forte (naturalmente) acontece no tempo fraco. Contratempo pode ser regular e irregular. 

Programação:

:: 09h às 10h
09h às 09h15 – Leticia Sabatella 
09h15 às 09h30 – Bia Figueiredo / Parabolé
09h30 às 09h45 – Fotofolia / Iria Braga
09h45 às 10h – Katiuscia Canoro / Itaercio Rocha

:: 10h às 11h
10h às 10h15 – Baque Mulher / Mano a Mano Trio
10h15 às 10h30 – Maureen Miranda e Necos Yaros / Pé no Palco
10h30 às 10h45 – Adri Menegale / Cia Portátil
10h45 às 11h – Grupo Fato / Leonardo Cruz e Laremi Paixão

:: 11h às 12h
11h às 11h15 – Cia Brasileira de Teatro / Diego Perin
11h15 às 11h30 – Aminoácido / Jossane Ferraz
11h30 às 11h45 – Léo Fressato / Luis Mello
11h45 às 12h – Rogeria Holtz / Rubyhoo

:: 12h às 13h
12h às 12h15 – Raissa Fayet / Abacate Contemporâneo
12h15 às 12h30 – Amanda Lyra / Partigianos
12h30 às 12h45 – Conde Baltazar / O Tiziu
12h45 às 13h – Rimon Guimarães / Francisco Mallmann

:: 13h às 14h
13h às 13h15 – Antropofocus / Bea Gerolin
13h15 às 13h30 – Cultucada / Davi Henn
13h30 às 13h45 – A banda mais bonita da cidade / Um baile bom
13h45 às 14h – Dow Raiz / Mahallo

:: 14h às 15h
14h às 14h15 – Fabiula Nascimento / Tuyo
14h15 às 14h30 – Ave Lola / Bernardo Bravo
14h30 às 14h45 – Festival Saliva / Juliana Cortes
14h45 às 15h – Londrina Ska Clube / Marcel Szymanski

:: 15h às 16h
15h às 15h15 – Leandro Daniel / Caburé Canela
15h15 às 15h30 – De ym filho, de um cego
15h30 às 15h45 – Chico Paes / Marcio Juliano Outro Samba
15h45 às 16h – Súbita / Casa do Suingue

:: 16h às 17h
16h às 16h15 – Ethnya / Raquel Bombieri
16h15 às 16h30 – Hause of X / Murillo Mongelo
16h30 às 16h45 – Saulo Soul /
16h45 às 17h – Sofar Curitiba / Kendri Albuquerque

:: 17h às 18h
17h às 17h15 – Gal Freire / Esperanza
17h15 às 17h30 – Renara Melão / Vigor Mortis
17h30 às 17h45 – Central Sistema de Som / Trupe da Periferia
17h45 às 18h – Goat Fest / Siamese

:: 18h às 19h
18h às 18h15 – Alexandre Nero / Slam das Gurias
18h15 às 18h30 – Família Estranha / Obragem
18h30 às 18h45 – Juana Profunda / Rubia Divino
18h45 às 19h – Janine Mathias / Babi Oeiras

:: 19h às 20h
19h às 19h15 – Curitiba Jazz Festival / Cia Senhas
19h15 às 19h30 – Mulamba / Cia dos Palhaços
19h30 às 19h45 – Ricardo Pozzo / Roseane Santos
19h45 às 20h – Karol Conka / Selvátiva

:: 20h às 21h
20h às 20h15 – Estrela Leminski e Teo Ruiz / Bloco Afropretinhosidade
20h15 às 20h30 – Cia Stavis Damaceno / Mandicuera
20h30 às 20h45 – Dalvinha Brandão / Mano Cappu
20h45 às 21h – Miss G / MUV

SERVIÇO
Contratempo Festival
data: 23 de junho, terça-feira.
horário: 9h às 21h
Página do evento no facebook, aqui
Organização: Coragem – Rede de Profissionais da Música de Curitiba

Local: conta do Instagram de cada artista. 
www.instagram.com/karolconka/ 
www.instagram.com/leticia_sabatella/ 
www.instagram.com/alexandrenero/ 
www.instagram.com/bandamaisbonita/ 
www.instagram.com/katiusciacanoro/ 
www.instagram.com/ave_lola/ 
www.instagram.com/selvaticaoficial/ 
www.instagram.com/missgburlesca/ 
www.instagram.com/luismeloficial/ 
www.instagram.com/baquemulhercwb/ 
www.instagram.com/associacao_mandicuera/ 
www.instagram.com/rochaitaercio/ 
www.instagram.com/mulambaoficial/ 
www.instagram.com/slamdasguriascwb/ 
www.instagram.com/ciadospalhacos/ 
www.instagram.com/dowraizoficial/ 
www.instagram.com/janinemathias/ 
www.instagram.com/foto_folia/ 
www.instagram.com/rimonguimaraes/ 
www.instagram.com/caburecanela/ 
www.instagram.com/deumfilhodeumcego/ 
www.instagram.com/abacate.contemporaneo/ 
www.instagram.com/ciabrasileira/ 
www.twitter.com/fabiunascimento

foto: Karol Conka. Crédito: Carlos Salles
fonte: 
Cliteriosa Comunicação 
Santa Produção

CONTRATEMPO FESTIVAL

Artistas do Paraná se unem para a primeira edição do Contratempo Festival, um evento online, com mais de 100 ações ao vivo durante 12 horas consecutivas. As transmissões serão entre 9h e 21h, de terça-feira, dia 23 de junho, no canal do Instagram das/dos artistas. 

Contratempo Festival traz a multiplicidade e versatilidade do setor cultural: música, teatro, cinema, circo, literatura, performances, artes plásticas, dança, fotografia, juntas em um só evento. A cada hora, apresentações exclusivas que prometem surpreender as espectadoras e espectadores. 

Mais que apresentações, o evento é um manifesto, um pedido de socorro da classe artística, uma das primeiras a parar e não tem previsão de retorno presencial. Ao contrário de outros estados do Brasil, que logo no início da pandemia publicaram editais de auxílio emergencial ao setor, o Governo do Paraná segue sem ações efetivas. O pacote de medidas de “apoio e fortalecimento do setor cultural”, anunciado para maio, ainda não aconteceu, e quando questionada sobre recursos para o Fundo Estadual de Cultura, a Superintendente de Cultura, Luciana Casagrande Pereira desconversa e diz que estão aguardando a Lei Aldir Blanc, que que aguarda a sanção presidente até dia 1º de julho.

CONTRATEMPO FESTIVAL
O nome do festival é um indicativo para o momento que a classe artística está vivendo. Contratempo é uma circunstância ou incidente inesperado, que impede ou contraria o curso de um acontecimento, de um projeto. Na música, é um deslocamento do acento métrico natural do compasso. Onde o acento que seria no tempo forte (naturalmente) acontece no tempo fraco. Contratempo pode ser regular e irregular.

PROGRAMAÇÃO
Confira quem se apresenta no Festival e já vai seguindo todes no Instagram para receber a notificação do início das apresentações ao vivo:

:: 09h às 10h
09h às 09h15 – Leticia Sabatella 
09h15 às 09h30 – Bia Figueiredo / Parabolé
09h30 às 09h45 – Fotofolia / Iria Braga
09h45 às 10h – Katiuscia Canoro / Itaercio Rocha

:: 10h às 11h
10h às 10h15 – Baque Mulher / Mano a Mano Trio
10h15 às 10h30 – Maureen Miranda e Necos Yaros / Pé no Palco
10h30 às 10h45 – Adri Menegale / Cia Portátil
10h45 às 11h – Grupo Fato / Leonardo Cruz e Laremi Paixão

:: 11h às 12h
11h às 11h15 – Cia Brasileira de Teatro / Diego Perin
11h15 às 11h30 – Aminoácido / Jossane Ferraz
11h30 às 11h45 – Léo Fressato / Luis Mello
11h45 às 12h – Rogeria Holtz / Rubyhoo

:: 12h às 13h
12h às 12h15 – Raissa Fayet / Abacate Contemporaneo
12h15 às 12h30 – Amanda Lyra / Partigianos
12h30 às 12h45 -Conde Baltazar / O Tiziu
12h45 às 13h – Rimon Guimarães / Francisco Mallmann

:: 13h às 14h
13h às 13h15 – Antropofocus / Bea Gerolin
13h15 às 13h30 – Cultucada / Davi Henn
13h30 às 13h45 – A banda mais bonita da cidade / Um baile bom
13h45 às 14h – Dow Raiz / Mahallo

:: 14h às 15h
14h às 14h15 – Fabiula Nascimento / Tuyo
14h15 às 14h30 – Ave Lola / Bernardo Bravo
14h30 às 14h45 – Festival Saliva / Juliana Cortes
14h45 às 15h – Londrina Ska Clube / Marcel Szymanski

:: 15h às 16h
15h às 15h15 – Leandro Daniel / Caburé Canela
15h15 às 15h30 – De ym filho, de um cego
15h30 às 15h45 – Chico Paes / Marcio Juliano Outro Samba
15h45 às 16h – Súbita / Casa do Suingue

:: 16h às 17h
16h às 16h15 – Ethnya / Raquel Bombieri
16h15 às 16h30 – Hause of X / Murillo Mongelo
16h30 às 16h45 – Saulo Soul /
16h45 às 17h – Sofar Curitiba / Kendri Albuquerque

:: 17h às 18h
17h às 17h15 – Gal Freire / Esperanza
17h15 às 17h30 – Renara Melão / Vigor Mortis
17h30 às 17h45 – Central Sistema de Som / Trupe da Periferia
17h45 às 18h – Goat Fest / Siamese

:: 18h às 19h
18h às 18h15 – Alexandre Nero / Slam das Gurias
18h15 às 18h30 – Familia Estranha / Obragem
18h30 às 18h45 – Juana Profunda / Rubia Divino
18h45 às 19h – Janine Mathias / Babi Oeiras

:: 19h às 20h
19h às 19h15 – Curitiba Jazz Festival / Cia Senhas
19h15 às 19h30 – Mulamba / Cia dos Palhaços
19h30 às 19h45 – Ricardo Pozzo / Roseane Santos
19h45 às 20h – Karol Conka / Selvátiva

:: 20h às 21h
20h às 20h15 – Estrela Leminski e Teo Ruiz / Bloco Afropretinhosidade
20h15 às 20h30 – Cia Stavis Damaceno / Mandicuera
20h30 às 20h45 – Dalvinha Brandão / Mano Cappu
20h45 às 21h – Miss G / MUV

SERVIÇO
Contratempo Festival
data: 23 de junho, terça-feira.
horário: 9h às 21h
Página do evento no facebook, aqui
Organização: Coragem – Rede de Profissionais da Música de Curitiba

ANALISTA DE COMUNICAÇÃO – WEB DESIGNER / CURITIBA

vaga para trabalhar em Curitiba, para atuar em empresa de grande porte.

Atribuições:
– Prestar suporte técnico e operacional em relação à comunicação da marca da empresa;
– Fazer adaptações de peças de campanhas, papelaria, fachadas, plotagem de frotas, sinalização e afins;
– Fazer captação de áudio e vídeo;
– Editar vídeos e spots para rádio/espera telefônica;
– Produzir audiovisuais, animações (motion graphics) e apresentações;
– Monitorar cumprimento de prazos de peças de criação interna e materiais solicitados ao fornecedor.

Requisitos: Superior em Comunicação Social (Publicidade e Propaganda; Relações Públicas), Artes Plásticas, Design Gráfico ou Webdesigner. Habilidade com pacote Adobe (In Design, Illustrator, Photoshop, After Effects, Premiere), experiência em animação. 

Interessados enviem currículo para vagas.ctba@rhcenter.com.br ou se cadastrar no site aqui

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
:::::::::: PROPAGANDA ::::::::::
:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Esta oportunidade é um oferecimento do Sebinho FATO Agenda – livros e discos. Sebinho é a loja de livros e discos que ajuda financiar o blogue FATO Agenda.

Rua Paula Gomes, 380, São Francisco, Curitiba – dentro da Erva Doce Doceria Bar. Atendimento: sextas e sábados, das 19h a meia noite.

Agende visitas ao sebinho, consulte e/ou encomende livros e discos pelo whatsApp: 41 99745-5294 (leandro). 

Fanpage: www.facebook.com/sebinhoFATOagenda
Instagram: www.instagram.com/sebinhofatoagenda
Loja virtual: https://bit.ly/2pWvbU2

EXPOSIÇÃO QUER CHAMAR A ATENÇÃO SOBRE OS EXCESSOS COMETIDOS NA PROCURA PELA BELEZA

Oito artistas plásticos exibem seus trabalhos no próximo sábado (29) na exposição “A arte de ser você”. O objetivo da mostra é chamar a atenção da sociedade sobre os excessos cometidos na procura pela beleza e a  necessidade do equilíbrio.

O Brasil é o segundo país com o maior número de procedimentos cirúrgicos estéticos realizados no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos. Em 2016, foram 1,5 milhão de intervenções realizadas, de acordo com levantamento da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética. “Os procedimentos estéticos são cada vez mais procurados. Há procedimentos que são feitos sem responsabilidade e colocando em risco, inclusive, a saúde do paciente”, explica Christine Graf Guimarães, médica especializada em transplante capilar e uma das artistas que exibirá suas telas.

Artistas
As pinturas expostas são assinadas por Ana Ísis Ribas, Célia Figueiredo, Christine Graf Guimarães, Eduardo Bragança, Francisco Borges Laranjal, Maria Lúcia de Júlio, Mariana Canet e Rosângela Grafetti.

Serviço:
Agenda – A arte de ser você
Onde: Avenida Senador Souza Naves, 1013 – Alto da XV, Curitiba
Quando: sábado, 29 de junho, das 14h às 18h
Quanto: gratuito

OFICINAS GRATUITAS DE MARBLING E CRÍTICA DE ARTE SÃO REALIZADAS EM CASTRO NESTE SÁBADO

Ações educativas são promovidas pela exposição Infinitos Campos Gerais com o intuito de aproximar o público da arte contemporânea

A exposição coletiva Infinitos Campos Gerais, em cartaz na Fazenda Capão Alto, promove ações educativas para aproximar o público da arte contemporânea e suas diversas linguagens. Além de visitas guiadas para grupos escolares, quatro oficinas acontecem durante o período expositivo, todas gratuitas e com materiais inclusos. As primeiras ações ocorreram no dia 21 de abril, com cerca de 30 participantes. Neste sábado (5), será realizada a “Oficina Criativa de Crítica de Arte”, além da “Oficina de Marbling – Formas e texturas dos Campos Gerais”.

A oficina inicial será ministrada pela arte-educadora Shana Lima, das 10 às 13h. As vagas são limitadas a 20 participantes, com faixa etária a partir de 18 anos. “A intenção é oferecer espaço para a construção de processos de compreensão e interpretação da arte a partir de conversas, trocas, rodas, exercícios, leituras e investigações. O encontro alterna atividades teóricas e práticas, tendo como principal objetivo ampliar a conversação sobre a crítica de arte por meio da criatividade”, explica Shana.

A segunda atividade ocorre das 14h30 às 17h30, com a arte-educadora e artista Ana Paula Luz. São 20 vagas disponíveis, para participantes acima de  13 anos. “Marbling é uma técnica turca de pintura orgânica na superfície da água através do contato das tintas com suportes como o papel e o tecido. Nesta oficina, iremos explorar as texturas presentes na vegetação e nas rochas dos Campos Gerais e reproduzir em Marbling estampas em papel”, conta Ana Paula.

Para facilitar a acessibilidade ao local, será disponibilizado transporte gratuito saindo da praça João Gualberto até a Fazenda Capão Alto, por meio de van, às 9h30 e às 14h. As inscrições devem ser realizadas pelo e-mail infinitoscamposgerais@gmail.com, informando nome, RG, telefone e se necessita de transporte. O ingresso para entrada na Fazenda Capão Alto custa R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia). As informações completas estão disponíveis no site do projeto.

Visitação
A exposição segue em cartaz até o 27 de maio de 2018, com visitação de terça a domingo, das 9h às 17h30, para públicos de todas as idades. A ocupação artística temporária apresenta obras de sete artistas visuais curitibanos: Constance Pinheiro, Fran Ferreira, Gio Soifer, Marcos Frankowicz, Maria Baptista, Ricardo Leiva e Willian Santos. Os trabalhos utilizam linguagens como pintura, instalação e intervenção.

A curadoria teve como base o conceito do site­-specific, uma abordagem em que as obras dialogam diretamente com o ambiente em que estão inseridas, seja o espaço construído, a natureza ao redor ou mesmo as camadas históricas, sociais, econômicas e simbólicas presentes no local. Segundo a coordenação do projeto, a escolha da Fazenda Capão Alto enquanto lugar específico também é um convite para se discutir a arte contemporânea em seus cruzamentos com a história, ecologia, patrimônio material e imaterial.

Infinitos Campos Gerais
Site | Instagram | Facebook