PRI LACERDA CELEBRA AS RENOVAÇÕES NO CLIPE EM ANIMAÇÃO “CAPRICORNIANA”

Faixa é o primeiro lançamento autoral em português da artista após EP de estreia

Pri Lacerda abre caminho para as renovações, celebra o presente e a vida em “Capricorniana”, primeiro single em português da artista paranaense. O colorido da canção bem-humorada é acompanhado por um clipe animado e anuncia a nova fase da cantora e compositora.

Pri Lacerda é conhecida como cantora, compositora e vocalista da banda de jazz e blues Snap Jazz. Depois de embarcar no seu projeto solo com o primeiro EP, lançado em 2018 com cinco canções que faziam a ponte entre a nostalgia do soul e a música pop atual. Além de canções próprias, o trabalho contou com “Catch the Ash” e “River of Stars”, ambas do americano Jesse Harris (autor do sucesso “Don’t Know Why”, de Norah Jones). Este ano, Pri olha para o futuro em nova fase.

Atuando no cenário musical de Curitiba desde 2013, Priscilla soma a uma trajetória profissional como jurista, mestre em Direito Econômico, professora universitária há mais de 10 anos e escritora, tendo publicado um livro de Direito sobre igualdade e, recentemente, participou da Bienal do Livro com o seu primeiro livro infantil “O Mundo Colorido da Girafa Zazá”. A música foi rapidamente de uma paixão dormente e hobby a alguns dos principais festivais e palcos da região, participando inclusive do Sofar Curitiba.

Este ano, Pri Lacerda está pronta para dar mais um passo em sua carreira musical, absorvendo o amadurecimento de seu primeiro trabalho e as reflexões diante de acontecimentos que têm nos colocado em contato com questões íntimas e emocionais.

“A pandemia pra mim foi um processo muito louco. Cada um absorveu esse momento de uma maneira diferente e tudo bem! Alguns desengavetando projetos esquecidos até então, outros aprendendo a fazer nada. E outros estão entendo que o fato de a gente estar ainda aqui é um presente. Talvez seja o momento oportuno de fazer uma viagem interna e deixar aqueles julgamentos, aquelas cobranças de lado e simplesmente ser você. É isso que estou tentando fazer, ser EU. A música foi um presente e agora em 2022 quero mostrar a compositora”, reflete Pri.

Nada melhor do que começar essa nova fase apresentando a potente “Capricorniana”, uma canção que abraça nossas contradições e trata com bom humor as características mais marcantes de ser quem somos – independentemente do signo do zodíaco. A nova série de lançamentos de Pri Lacerda ganha um pontapé inicial igualmente inventivo com um clipe assinado por Izabella Francheschi e Rosano Mauro Jr repleto de cores e texturas, com direção de arte e animação de Nathalia Okimoto – um testamento da própria versatilidade da artista.

“Escolhi começar com ‘Capricorniana’, pois é uma música que eu escrevi em casa, bebendo uma taça de vinho tirando sarro de mim, do meu jeito de ser, do que é relevante ou engraçado. O clipe vem para mostrar de uma maneira leve, divertida, que a vida pode ter várias facetas, que podemos sim fazer inúmeras coisas. A girafa foi escolhida fazendo um link direto com o meu livro infantil, mas principalmente pelo fato de a girafa ser o símbolo da comunicação não violenta. A girafa tem orelhas grandes para escutar com empatia; um longo pescoço para ver além dos julgamentos e partilhar esta consciência; nos cascos a girafa expressa sua necessidade de autenticidade, além de ter o maior coração dos mamíferos terrestres”, completa.

“Capricorniana” chega às principais plataformas de streaming através do selo Pomar e o clipe, ao canal de YouTube da artista.

Ficha técnica
Voz/composição – Pri Lacerda
Produção/guitarra/baixo/teclas/samples – Eduardo Rozeira
Bateria – Luís Bourscheidt
Mix e Master – Guigo Berger
Selo Pomar
Gravado por Eduardo Rozeira no Estúdio Gota e Francisco Desalv
Direção. Izabella Francheschi e Rosano Mauro Jr
Roteiro. Izabella Franceschi
Dir. de Fotografia. Rosano Mauro jr
Ass. de câmera. João Fincatto
Figurino. Isbella Brasileiro
1 ass. de figurino. Nathalia Mendes
2 ass. de Figurino. Clara Faraco
Make up. Carol Suss
Produção. Selecta Studio
Produção de Set. Gisela Garcia
Equipe de Pós-Produção
Direção de pós-produção:
Nathalia Okimoto
Ilustração:
Cassia Roriz
Astronauta
Nathalia Okimoto
Thais Perissinotto
Direção de animação:
Nathalia Okimoto
Animação:
Nathalia Okimoto
Thais Perissinotto
Fabio Gular

Voz/composição – Pri Lacerda (@aprilacerda)
Produção/guitarra/baixo/teclas/samples – Eduardo Rozeira (@rozeiracomz)
Bateria – Luís Bourscheidt (@gauspa)
Mix e Master – Guigo Berger (@guigoberger)
Preparadora vocal – Paola Pagnosi (@lolapagnosi)


Asssita a “Capricorniana”: https://youtu.be/ZXCozxDgnE4
Ouça “Capricorniana”: https://pomar.fanlink.to/capricorniana 

Siga Pri Lacerda:
facebook:
https://www.facebook.com/aprilacerda/
instagram:
https://www.instagram.com/aprilacerda/
Canal no Youtube: Pri Lacerda

Letra:
CAPRICORNIANA
Sou capricorniana
Às vezes um tanto insana
Gosto do certo
Do que é correto
Quando o que importa
É o que está por perto

Eu tenho TOC
Isso é comum
Mas nenhum deles
Faz mal algum
Gosto da vida
Gosto da arte
De um leve caos
Antes da morte

Sou capricorniana
Às vezes um tanto insana
Gosto do certo
Do que é correto
Quando o que importa
É o que está por perto

Gosto do outro
Do que ele trás
Ensinamentos
Que a luz atrai
Viver o hoje
Agora eu sei
E dar a pausa
Faz bem também

Mudar um móvel ali
Outro acolá
Pra me aquietar
Sentar no mesmo lugar

Mudar um móvel ali
Outro acolá
Pra desestressar
Sentar no mesmo lugar

Mudar um móvel ali
Outro acolá
Pra me desligar
Sentar no mesmo lugar
Como se pudesse me acalmar

INOVADOR E BIZARRO: ACONTECE NESSE FINAL DE SEMANA O 2º FESTIVAL DE MONOBANDAS

A cidade de Morretes, no litoral do Paraná, irá sediar a segunda edição do Festival de Monobandas, nos dias 2 e 3 de novembro

Os braços estão ocupados com a guitarra e o pandeiro meia-lua; os pés com o bumbo, a caixa e o chimbau; a boca com a gaita e a corneta. Alguns ainda inovam e acrescentam mais sonoridades e instrumentos. Quem já viu, quer ver novamente. Quem nunca viu, fica deslumbrado. Inovador, único e totalmente bizarro, o Festival de Monobandas 2019 está na sua segunda edição e celebra os talentos supremos desses músicos individuais que, sozinhos, oferecem os sons completos de uma banda. O evento acontecerá, neste ano, na cidade de Morretes, no litoral do Paraná, nos dias 2 e 3 de novembro. Um final de semana imperdível celebrando esse estilo ousado e único de fazer o bom e velho rock’n’roll.

A curadoria e organização do festival ficou por conta da super dupla: o produtor e empresário antoninense, Marcos Maranhão (um dos idealizadores do Antonina Blues Festival), e o músico, one man band e proprietário da Fon Fon Records, Klaus Koti, que uniram os talentos, força de vontade e muita loucuragem para colocar um evento como esse em prática. “Esse é o primeiro festival grande de monobandas do Brasil (segunda edição)”, revela Koti. “A ideia sempre foi essa: fazer um festival brasileiro e mostrar esse estilo ao público, que muitas vezes desconhece, dando ênfase ao trabalho individual de cada músico – instrumentos, estilos e composições autorais”, complementa.
Serão ao todo 12 monobandas, também conhecidas como bandas de um homem/ mulher só (one man band/ one girl band) ou ainda homem/ mulher orquestra. Algumas dessas bandas tocaram na primeira edição, em Antonina, outras são inéditas no Festival. Ao todo 10 monobandas são brasileiras, 1 da Argentina e 1 do Uruguai. “Tivemos que pegar bandas mais próximas geograficamente ou que tivessem algum tipo de acesso que facilitaria para nós, pois esse ano não conseguimos o apoio da Prefeitura de Antonina e nem de outras cidade”, explicam. “Desta forma, totalmente independente, vamos realizar o evento no Pátio Beer, em Morretes, em frente para o Rio Nhundiaquara, que fica na praça do centro histórico dessa cidade histórica do nosso Paraná”, contaram os organizadores. “A ideia é tornar o Festival itinerante, difundindo o estilo em diversos locais”, conclui Marcos Maranhão. Ainda no “line up” do festival terão duas mulheres tocando (onde girl bands) e um músico do Rio de Janeiro que irá ministrar uma oficina de cigarbox (guitarra artesanal própria do estilo confeccionada com sucatas), além dos super Dj`s curitibanos Danny Tee e Eduardo Dok (ambos tem um repertório mega sofisticado quando o assunto é música boa + rock’n’roll).

Mas onde surgiu esse estilo tão original e performático? Os primeiros registros conhecidos de múltiplos instrumentos musicais tocados por uma mesma pessoa datam do século XIII, e eram o cachimbo e o tabor . O cachimbo era uma simples flauta de três furos que podia ser tocada com uma mão; o tabor é hoje mais conhecido hoje como tarola. Depois disso a coisa foi evoluindo e tomando outros formatos, até chegar no blues e no folk, onde o estilo ganhou uma versão mais rock’n’roll. Cantores de blues como “Daddy Stovepipe” (Johnny Watson) cantavam, tocavam violão e batiam os pés no ritmo, ou usavam um pedal para tocar bumbo ou prato. Num estilo mais garagem (trash) surgiu um grande one man band mais moderno e muito apreciado pelos admiradores do estilo, Hasil Adkins. Vale a pena conhecer um pouco dessa história. No Brasil, há muitos relatos mas nenhum registro oficial sobre os primórdios desse movimento. Revela-se que existia na década de 40 um one man band no Rio Grande do Sul. Quando Klaus Koti começou a desenvolver o estilo, há uns 15 anos, ainda causava estranheza no Estado e na região. “Quando eu comecei a tocar sozinho já havia um projeto bem semelhante ao meu em São Paulo, com o músico Marco Butcher”, explica Koti, que tem o projeto chamado O Lendário Chucrobillyman.

Por toda essa história e curiosidades, resta pensar que essa será uma excelente oportunidade de abrir os horizontes musicais e se divertir, numa cidade linda (a segunda cidade mais visitada do Paraná). Para quem gosta de um bom róque vale lembrar que os estilos de cada monobanda vão desde o 

blues, rockabilly, rock psicodélico, psychobilly, folk, jazz, rock primitivo-tosqueira, punk e garagem, também terá uma pitada de música brasileira. “Nossa expectativa é que o Festival de Monobandas seja muito doido e mostre mais da música autoral produzida no Estado, no Brasil e nos nossos arredores”, finalizam Klaus Koti e Marcos Maranhão.

Serviço:
2º Festival de Monobandas – Morretes
Local: Pátio Morretes, Rua General Carneiro, 6, Morretes
Data: 2 e 3 de novembro (sábado e domingo), às 14h
Entrada gratuita
Página do evento, aqui

LANÇAMENTO DO LIVRO SOBRE O SOM DOS SETENTA

Você é o nosso convidado para o lançamento do livro SOBRE O SOM DOS SETENTA, do jornalista e agitador cultural Aroldo Antonio Glomb Junior, neste dia 13 de setembro, às 19 horas, na Escola Portfólio, em Curitiba!

Esta é a primeira obra do jornalista, amante da boa música, colecionador de discos e organizador, ao lado de sua esposa, da tradicional Feira Vinil Vivo!

Nesta obra, a primeira de uma coleção de 10 edições, Glomb fala sobre 20 discos que ele indicaria para qualquer pessoa do ano de 1970! São discos de rock, jazz, blues, soul e outras surpresas.

O jornalista não ficou preso ao formato “discos de sucesso” e nem mesmo aos estilos musicais mais tranquilos de se escrever – falando até mesmo de música caipira!

A obra tem o apoio da Nova Garagem e da Let’s Rock, que apostaram no projeto ousado!

No dia haverá também uma mini feira de vinil!

A obra Sobre o Som dos Setenta será vendida neste dia pelo valor de R$39, e você poderá comprar a sua edição autografada pelo escritor.

Serviço:
Lançamento do livro Sobre o Som dos Setenta
Data: Sexta, 13 de setembro, das 19h às 22h
Local: Escola Portfolio, Rua Alberto Folloni, 634 A – Juvevê, Curitiba
Página do evento, aqui
Entrada gratuita!

Organização:  Sobre o Som dos SetentaLet’s RockAntigas Novidades do RockEscola PortfolioObleas Originales

BRECHÓ SOLIDÁRIO NA MARRYAHN

Nesse domingo, dia 20 de janeiro,  traga seu sorriso e sua beleza, venha celebrar o amor e a solidariedade no BRECHÓ SOLIDÁRIO NA MARRYAHN – Evento para arrecadar fundos pra reconstrução das casas na Comunidade 29 de Março e Dona Cida. Vítimas de um incêndio que destruiu centenas de casas em Dezembro de 2018.

Brechó super barateza com várias apresentações culturais ao longo do dia.

Música
Dani Baldissera & Lucas Sequinel – Forró, Baião, Samba e MPB
Willi Dinamite – Blues e Soul
Thom Krefta – Rock Brazuca
Luiz Lobo – Autoral
Loren & Giuliano Bompeixe – clássicos do rock

Gabriela Carneiro – Poesia
Felipe Chapeleiro – Poesia
Renata Resistência – Poesia
03 grupos de Rap
Thaísa Xavier & Natã Xavier – Dança

Outros artistas a confirmar, atualizo na sequência

Início: Bar abre às 12 hs e as apresentações rolam a partir das 13
Super promoção: 03 cevas 600 ml : R$ 25 moedas ( Amstel, Budweiser, Original, Serramalte e Stela Artois)

Entrada:
Ingresso solidário e voluntário de qualquer valor
Ou doação de alimentos não perecíveis, Leite, brinquedos, material escolar, produtos de higiene pessoal entre outras.

Vambora nessa campanha de solidariedade e afeto com nossos irmãos e irmãs do CIC

Serviço:
BRECHÓ SOLIDÁRIO NA MARRYAHN 
Local: Marryahn Tabacaria Bar, Rua Nilo Peçanha, 14, São Francisco, Curitiba – próximo a praça do gaúcho (skate)
Data: 20 de janeiro, domingo,  das 12h às 23h59
Página do evento, aqui