UYARA TORRENTE APRESENTA A CAPA DO SEU PRIMEIRO SINGLE

Vocalista da Banda Mais Bonita da Cidade lança trabalho solo em agosto.

Uyara Torrente lança a capa do seu single, “A Temperança”. O primeiro trabalho solo da cantora será lançado no dia 17 de agosto, com direito a clipe fractal com imagens sincronizadas aos instrumentos regionalistas e orientais e também as batidas adubadas e pops que envolvem o som. A arte é do designer Jaime Silveira que buscou mesclar as referências interioranas da infância da cantora, que nasceu em Paranavaí, norte do Paraná, com o experimentalismo de seu novo trabalho.

A canção “A Temperança” é da musicista e coreógrafa, Maria Lala Cy Aché. O processo de composição se realizou através da dança. Conforme o corpo da cantora reagia aos beats apresentados pelo também diretor do projeto, o multi-instrumentista e parceiro de banda, Marano Ailum.  

A pré-produção é do Jean Machado da Tuyo e a produção musical é do Du Gomide, também conhecido pelo seu trabalho na Santa Rima, Karla Pereira, Itaercio Rocha, entre outros artistas. A mixagem e masterização é assinada pelo produtor musical, Buguinha Dub. 

Dia 17 de agosto de agosto o novo trabalho estará disponível em todas as plataformas de streaming e para download gratuito no site da cantora.

SOBRE UYARA
Uyara Torrente nasceu em Paranavaí, norte do Paraná. Aos 17 anos se mudou para Curitiba, onde cursou Artes Cênicas, na Faculdade de Artes do Paraná. Desde de 2005 trabalha com teatro, cinema e música. Há 10 anos está à frente da A Banda Mais Bonita da cidade, circulando pelos principais festivais e eventos do Brasil – Abril Pro Rock, Festival Timbre, Breve Festival, Levada, Psicodália – e de fora:  Vodafone Mexefest Lisboa, Fiesta del Libro y la Cultura, Festival Aquel Abrazo (Montevideu – Uruguai), entre outros. Uyara cantou ao lado da banda em um evento oficial das Olimpíadas 2016 e fizeram turnê por Portugal, Espanha, França, Argentina, Colômbia, Uruguai, Venezuela e Argentina.

SERVIÇO:
Lançamento Single Uyara Torrente
Data: 17 de agosto
Arte capa: Jaime Silveira

EVENTO SOLIDÁRIO “CARA DE UM, FOCINHO DO OUTRO “

O Cara de um, Focinho do outro, ou CUFO, é um projeto de retrato solidário que destina sua renda à castração de animais resgatados e em situação de risco.

O projeto foi criado em 2015 e já teve 3 edições em Curitiba. A quarta edição do projeto acontecerá nos dias 4 e 5 de Agosto, na Asteroide. Além dos ensaios, promovemos um evento gratuito para receber os participantes, com música e alimentação vegetariana, que fica por conta da Veg Veg e Bananika Chips. No sábado, a banda Cidrais se apresenta, e no domingo, tem discotecagem com Casa de Suingue e as gurias da Mulamba fazem um pocket show.

Realização – HAI Studio
Apoio – Asteroide Filmes e Peita
Patrocínio – Cão Véio Curitiba

Serviço:
Cara de um, Focinho do outro #4

Data: 4 e 5 de Agosto de 2018
Horário: 10h – 18h
Local: Asteroide Filmes – Rua Flávio Dallegrave, 2661 – Hugo Lange, Curitiba

Reserve seu horário pelo Sympla, aqui
Confira a página do evento, aqui
Facebook www.facebook.com/caradeum
Instagram www.instagram.com/projetocaradeum/

GUARDIÃS DO TEMPO TEM APRESENTAÇÕES GRATUITAS NO CENTRO CULTURAL BOQUEIRÃO

Guardiãs do Tempo. Foto Márcia Kohatsu

Espetáculo de pré-estreia será fechado para crianças de projetos filantrópicos do bairro.

CURITIBA – Começam dia 27 de julho às apresentações de Guardiãs do Tempo, peça infantil escrita e dirigida por Mariana Zanette. O espetáculo multimídia conta a história de menine, uma criança que perdeu o pai muito pequena e se sente abandonada pela mãe que precisa trabalhar em um domingo. A apresentação mistura música ao vivo, teatro e circo e aborda temas como morte e saudade, de forma poética e lúdica, reforçando a necessidade de valorizarmos o presente. As sessões dos dias 27 a 29 de julho serão realizadas no Centro Cultural Boqueirão e a entrada é gratuita. De 2 a 13 de agosto a peça infantil fará uma turnê por escolas da rede pública de ensino e regionais de bairros afastados do centro de Curitiba.

A inspiração para criar o enredo do espetáculo veio de um sonho da filha de Mariana Zanette. “A Luma me contou que foi parar em um lugar onde só existiam mulheres e que elas cuidavam de vários relógios. A partir daí eu fui inventando a história”, explica a diretora, que também atua na peça como Ampulheta. As irmãs e atrizes mirins Luma e Malu Zanette Domingues, interpretam e intercalam o papel de menine nos espetáculos. “Ter uma criança na peça torna a história mais crível para outras crianças”, reforça a Mariana.

Também  fazem parte do elenco a bailarina, atriz e artista circense, Marina Prado; a cantora, instrumentista, bonequeira e responsável pela preparação vocal do elenco, Doriane Conceição e a instrumentista e palhaça, Marcela Zanette. Bina Zanette assina a direção de produção do espetáculo.

Enredo
Menine literalmente mergulha na tristeza quando sua mãe sai para trabalhar em pleno fim de semana. Suas lágrimas formam um rio muito fundo. Por sorte, um barco aparece e a leva até a caverna das lamentações, onde um portal se abre, transportando-a para um mundo mágico. Nesse universo paralelo, humanos com cabeças de pássaros cuidam de um enorme relógio. Lá ela conhece as Guardiãs do Tempo, seres míticos que preservam a história da civilização, e faz amizade com Ampulheta. Após algumas horas desbravando o local e brincando, menine precisa voltar para casa antes da mãe chegar, mas não sabe como. Aí começa sua busca por autoconhecimento. 

A peça teatral usa projeções para transportar o público para o universo paralelo da menine. As canções envolvem e incentivam crianças e adultos a participarem do espetáculo que também conta com bonecos.

Teatro vai à escola
De 2 a 13 de agosto as apresentações passam pelas Regionais e Redes Públicas de Ensino de Santa Felicidade, CIC, Tatuquara, Portão, Boa Vista, Cajuru e Bairro Novo. De acordo com a diretora, “se o público está nas escolas e em bairros afastados do centro, é lá que o teatro precisa estar”.

Espetáculo foi realizado através do Programa de apoio Incentivo a Cultura da Fundação Cultural de Curitiba, Mecenato Subsidiado de Curitiba. Incentivo Pátio Batel e apoio do Centro Cultural Boqueirão, Associação de Cultura Popular Mandicuera Realização, A Fantástica Cia de Teatro e Santa Produção Ltda.

Serviço:
Espetáculo Infantil Guardiãs do Tempo
Data: 28 de julho às 10h e 16h | 29 de julho às 11h e 16h.
Local: Centro Cultural Boqueirão – R. José Guercheski, 299, Boqueirão, Curitiba.
Aberto ao Público.
Entrada Gratuita.
Confira a página do evento, aqui

MARCHA PELA DIVERSIDADE CONTA COM MAIS DE 30 ATRAÇÕES

Manifestação será no domingo e tem nove horas de programação e luta contra a LGBTIfobia

Domingo, 8 de julho, será realizada em Curitiba a 3ª Marcha Pela Diversidade. Durante nove horas, mais de 30 atrações sobem ao palco montado na Praça Santos Andrade e seguem o Trio Elétrico a partir das 14h até a Praça Zacarias. Imperador Sem Teto, Raissa Fayet e Mulamba são algumas das artistas confirmadas. Além dos shows, haverá apresentações performáticas, DJs e falas de conscientização quanto ao combate a LGBTIfobia.

O evento é organizado pela Aliança Nacional LGBTI, Grupo Dignidade, Coletivo Cássia e TransGrupo Marcela Prado e geralmente acontece no final de junho, mas devido ao mau tempo foi transferido para esse fim de semana. A marcha foi criada em 2016 com o intuito de conscientizar a população LGBTI sobre a necessidade de combate à LGBTIfobia, em alusão ao dia 17 de Maio, Dia Internacional de Combate à Violência Contra Pessoas LGBTI.

A organizadora do Coletivo Cássia, Ananda Puchta, explica que o intuito da marcha é proporcionar um ambiente de conscientização política das pessoas LGBTI de Curitiba, trazendo a tona debates acerca dos direitos LGBTI, como combate à violência, ao bullying e evasão escolar, a necessidade de acolhimento dos jovens LGBTI que não tem apoio familiar etc. “É uma tentativa de criar um espírito de comunidade, para que todas as pessoas se sintam responsáveis e parte da causa. A inclusão é a nossa bandeira”, reforça Ananda.

O Brasil ocupa a triste posição de país que mais mata pessoas transexuais e transgêneros, no mundo. O ranking foi elaborado por uma organização civil europeia, chamada Transgender Europe. Segundo o relatório da ONG, em números absolutos, foram assassinados no Brasil, entre 2008 e 2016, 868 pessoas trans, aquelas que não identificam o próprio gênero com o sexo biológico. E não é só isso. No último ano o Brasil bateu seu recorde de assassinatos de LGBTI: 2017 teve 30% a mais que em 2016.

Durante a manifestação serão vendidas camisetas e copos da Marcha Pela Diversidade. O valor arrecadado será usado na reforma da sede, espaço que dá apoio a população LGBTI através de atendimentos psicológicos, testagem rápida de HIV e promovendo os direitos humanos LGBTI. O Grupo Dignidade é a primeira ONG no Paraná e a segunda mais antiga do Brasil, atuando há 26 anos na defesa e promoção dos direitos LGBTI. Também é possível comprar o kit antecipado através deste link

Trajeto
A mobilização começa às 11h na Praça Santos Andrade. A partir das 14h, a marcha segue pela Rua João Negrão, Av. Marechal Deodoro até a Praça Zacarias e encerramento será na Av. Luiz Xavier, na Boca Maldita.

ATRAÇÕES CONFIRMADAS:
Bloco Saí do Armário e Me Dei Bem
DJs
Kalvin Freitas
Everton Bitencourt
Kuruh
Wander Bueno
Neh Hoffmann
Murilo prestes
Alice cavazotti
Carmen Agulham

Drags
Shayanne Ashela
Scarlet Bastos
Thalita Pereira
Soraya Outback
Layla Albuquerque
Alexia Mozzer
Linda Power
Hellen Werneck
Myrella Massafera
Barbra+amigas
Myrella Albuquerque
Patricia Lemonge
Jhenny Willer
Barbara Bueno

Bandas
Raissa Fayet
Imperador Sem Teto
Mulamba

SERVIÇO
Marcha pela Diversidade
Data: 08 de julho
Hora: A partir das 11h
Local: Concentração Praça Santos Andrade e às 14h segue até a Boca Maldita
Evento gratuito
Confira a página do evento, aqui

ITAERCIO ROCHA LANÇA ÁLBUM COM MAIS DE 10 RITMOS POPULARES

Caboclo narra sua trajetória do Maranhão a Curitiba.

O multiartista Itaercio Rocha lança seu segundo álbum solo, Caboclo. Com arte de Kiko Dinucci, o disco estará disponível nas plataformas de streaming a partir do dia 27 de junho, no mesmo dia do show realizado em São Luís do Maranhão, durante o aniversário de Dona Teté, cantora, compositora, grande artista maranhense e Rainha do Cacuriá, amiga de Ita desde os anos de 1980, quando trabalharam juntos com cultura popular, e para quem foi dedicada a faixa ‘Almericiar’. O show de lançamento em Curitiba será no dia 24 de agosto no Teatro Paiol.

O projeto nasce de dentro para fora, como diz Ita, do interior para a capital. “É a junção do Itaercio de Pedras com a cabrocha que coloco no carnaval curitibano”, explica ele que foi um dos fundadores do bloco carnavalesco Garibaldis e Sacis Caboclo Ita é uma entidade dos terreiros de mina no Maranhão, Ita significa pedra em tupi guarani. Itaercio nasceu em Pedras, como citado acima, localizada no município de Humberto de Campos no Maranhão. Somando isso ao Rocha de seu sobrenome, Itaercio é pedra três vezes. “Sou caboclão do mato, da beira d’água, sou caiçara”.

As canções narram os lugares por onde Itaercio Rocha passou. “Origem não é uma coisa que você volta. Origem é uma coisa que você carrega”, ressalta. As músicas fazem homenagens, saúdam forças da natureza e representam sua ancestralidade. Esse é o caso de ‘Atotô’, uma louvação a Obaluaê, composta em parceria com o músico, André Abujamra. “Hora de maré” é um samba de abertura de trabalhos, enquanto “Ele me ama” é um carimbó brega que fala sobre amizade e diversidade.

O disco agrega mais de 10 ritmos em suas 14 faixas. Tem caixa do Divino Espírito Santo, tambor de mina, bumba bois de vários sotaques, afoxé, entre outros. As músicas são de Itaercio e alguns parceiros: Thayana Barbosa, Daniel Fernandes, Du Gomide, André Abujamra e Matheus Braga e os arranjos são de Fred Pedrosa, Du Gomide, Matheus Braga e o Próprio Itaercio. “A seleção é um pouco do que compus para teatro, carnaval e outras inspirações.

A direção musical é do curitibano Du Gomide, também produtor do disco ‘Ailum’ do Marano, Santa Rima e Karla Silva. A mixagem ficou nas mãos do produtor musical Fred Teixeira, que já trabalhou com artistas como Tony Bennett, Ron Carter, Hermeto Pascoal, Zélia Duncan, Arnaldo Antunes e Zeca Baleiro, entre outros.

Trajetória
Nascido no município com o maior bumba-meu-boi do Brasil, Humberto de Campos, no Maranhão, Itaercio Rocha já morou em Olinda (PE), São Luís (MA), Campo Grande (MS), Rio de Janeiro (RJ) e Maringá (PR) antes de parar em Curitiba, no ano de 1996. O interesse pelas culturas populares vem de berço: desde pequeno, recebeu influências culturais da família, como seu pai, músico prático, que tocava nas procissões, nos bumba-bois e nos bailes do interior; e sua mãe que fazia e regia a festa de coroação da Nossa Senhora e pastoris, além de participar de outras festividades populares e religiosas.

É formado em Educação Artística com habilitação em Artes Cênicas, pelas Faculdades de Artes do Paraná (FAP) e é especialista em Estudos Contemporâneos em Dança, pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), por meio da Faculdade Angel Vianna (FAV).

Atuou e dirigiu espetáculos junto ao grupo Mundaréu, com o qual gravou vários álbuns. Em 2006 lançou seu primeiro disco solo e autoral, Chegadim. É autor do Livro/CD “Como é bom festa junina III”, em parceria com Mara Fontoura, com quem ainda escreveu o livro “Como diz o ditado”. Tendo o Hospital Pequeno Príncipe como entidade beneficiada, o músico lançou os álbuns Cancioneiro popular (2009) e Encanto de brincar (2013) e dirigiu os espetáculos Encanto de Brincar e Bumbando na Congada. Em 2017 lançou o show “Por Consolação”, onde interpreta clássicos da música popular brasileira.

Ficha técnica
Direção musical: Du Gomide
Direção cênica: Rafael Camargo
Produção musical: Du Gomide e Itaercio Rocha
Produção Executiva: Bina Zanette/ Santa Produção
Mixagem e masterização: Fred Teixeira
Gravação: Nicos Studio
Itaercio Rocha – , voz, violão, percussão..
Denis Mariano – Bateria, percussão, surdo.
Bruno Klammer – Percussão.
Fred Pedrosa – baixo, viola.
Matheus Braga – Violão, voz, cavaco.
Du Gomide – Viola, rabeca, beat, guitarra, ukulele, teclado.
Lauro Ribeiro – sousafone, trombone.
Ian Giller Branco – Steel Drum.
Coro: Du Gomide, Melina Mulazani, Matheus Braga, Vinicius Azevedo e Thayana Barbosa
Arte: Kiko Dinucci
Fotos: Dayana Luiza

Identidade visual do projeto é do multiartista Kiko Dinucci

Curta no facebook: /itaercioorocha
Siga no instagram: @rochaitaercio
Site: https://itaerciorocha.wixsite.com/portfolio
Youtube: /itaerciorocha
Deezer: itaerciorocha
Spotify: itaercio
Baixe o disco neste link

Projeto realizado com apoio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba. Incentivo Pátio Batel.

4 BANDAS, DOIS SELETORES E UM NOVO FESTIVAL

  

1º Panapaná promove shows de bandas de Teresina, Londrina e Curitiba a preço popular

Tire os fones do ouvido e vá ver um show ao vivo. Essa é a proposta do Festival Panapaná, uma iniciativa dos produtores culturais Diego Perin, Estrela Leminski, Luana Angreves e Téo Ruiz. A primeira edição é na sexta-feira, dia 1º de junho, no Basement Cultural. Compondo o primeiro line-up, direto de Teresina no Piauí, Validuaté; Abacate Contemporâneo, de Londrina, Diego Perin e a dupla, Estrela Leminski e Téo Ruiz.

A ideia surgiu há menos de dois meses quando os amigos conversavam sobre artistas que nunca vem a Curitiba e a necessidade de resistir em um cenário pouco favorável para a cultura. Eles focaram em bandas que fazem shows pela região sul, mas não param na capital do Paraná. Esse foi o caso da banda piauiense, Validuaté, que está em turnê pelo Brasil lançando seu álbum “Manual de Instruções Para”. Sucesso no nordeste, eles tiveram alcance nacional com a música “Eu te considerava tanto”, tema da novela ‘Amor à Vista’ da Rede Globo.

Outros artistas que toparam participar dessa resistência artística, são o Abacate Contemporâneo, banda londrinense que vem conquistando espaço dentro de festivais, como o Psicodália e Forró da Lua Cheia, com seu som ‘a la’ Itamar Assumpção. Outros queridinhos dos festivais, são a Estrela Leminski e Téo Ruiz que em maio ganharam o Prêmio Profissionais da Música, na categoria artista rock. O casal lançou “Tudo Que Não Quero Falar Sobre Amor”, um álbum multimídia, com 12 músicas e 12 clipes em 2017. Nesse um ano, eles passaram pelo Pará, Porto Alegre, Goiás, Mato Grosso, Paraná, São Paulo, Maranhão, Piauí e Distrito Federal.

Fechando o line up, Diego Perin apresenta ‘Cabresto, trabalho solo lançado em março deste ano. O músico, que era baixista da Banda Gentileza durante seus 10 anos de estrada, abandona as gracinhas e retorna com uma pegada mais pesada e, digamos, frita.

O evento começa às 20h com discotecagem do coletivo Casa de Suingue, da Luana Angreves e Heitor Humberto, mais conhecidos pelas festas e produção da RádioKombi do Festival Psicodália. Os ingressos custam R$20 com nome na lista e a festa acontece no Basement Cultural.

SERVIÇO:
Festival Panapaná
Dia: 1º de junho.
Programação:
20h00 – Casa de Suingue
21h30 – Diego Perin
22h30 – Abacate Contemporâneo
23h50 – Estrela Leminski e Téo Ruiz
01h00 – Validuaté
02h30 – Casa de Suingue

Ingressos: R$20 com nome na lista (festivalpanapana@gmail.com) e R$30 sem nome na lista
Local: Basement Cultural – R. Des. Benvindo Valente, 260, São Francisco, Curitiba

Página do evento, aqui

PEITA E TETO LANÇAM “ENTENDA QUE VOCÊ FAZ PARTE”

Crédito Imagens: Gustavo Benke

União de forças busca oferecer condições de moradias mais dignas para mais de 100 famílias em todo o Brasil.

Peita lança a frase, “entenda que você faz parte”, uma co-autoria com a organização social internacional, TETO. A venda das camisetas doadas pela marca-protesto será realizada pela embaixadora, Barbara Campelle, pelo arquiteto Juliano Monteiro e equipe. O valor arrecadado será revertido para a Campanha de Inverno do Teto Brasil, que visa construir, juntamente com as comunidades contempladas, mais de 100 casas para famílias que moram em favelas do Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia. Em Curitiba, serão 28 moradias em três comunidades na Cidade Industrial.

O novo dizer-polêmico dialoga e busca sensibilizar os envolvidos no TETO: doadoras, voluntárias e moradoras. A ideia também é chamar a atenção de todas as pessoas para os problemas sociais do país onde vivemos. “Depois de empoderar, chegou a hora de falar sobre privilégios na Peita. Nós herdamos do Brasil escravocrata a desigualdade. Precisamos reconhecer nossos privilégios e fazer algo com eles. Aí está o gatilho dessa peita: quando você se dá conta que faz parte, faz o que depois? As pessoas que o TETO ajuda não precisam de camisetas, mas de condições dignas de moradia. Quem compra essa nova Peita, está junto na construção por uma sociedade mais igualitária. Cada um ajuda como pode, seja se voluntariando, doando ou comprando a peita”, enfatiza Karina Gallon, designer e fundadora a Peita.

A parceira Barbara Campelli, uma das sete embaixadores do TETO no Paraná . Cada um deles, bem como outros espalhados pelo Brasil, tem uma meta e financiamento coletivo próprio no site Benfeitoria. O lançamento da frase é um dos eventos organizados para arrecadar mais fundos, fomentar a campanha e incentivar as doações. “Dentro do teto nós somos porta-vozes das pessoas que estão nas comunidades. A parceria com a Peita nos possibilitará levar a mensagem social para mais gente. Nós coexistimos e precisamos cuidar uns dos outros”, reforça Bárbara.

Juntas somos fortes
“Entenda que você faz parte” não é a primeira parceria da marca-protesto. “Você importa pra mim” é uma co-criação com o projeto “Criativos pelo Haiti”, que mobiliza voluntários para desenvolver atividades, em curto prazo, de cunho humanitário no devastado país da América Central. “Mulheres à margem resistem” nasceu de uma co-criação com a “Ebulição Marginal”, evento que desde 2013 incentiva o diálogo entre literatura e manifestações artísticas na periferia de Curitiba. Em 2018, as garotas do Slam das Minas, de São Paulo, também aderiram a esses dizeres. “O som que nasce delas” foi uma co-criação com o Festival Sonora, em São Paulo, disponível exclusivamente no evento feito por e para as mulheres. “Meu corpo é político” é uma parceria com a “Casa Nem”, cuja parte da produção das peças nas cores da bandeira trans (branco, rosa e azul) é destinada à ONG que atende a população LGBT do Rio de Janeiro. A frase é título de um documentário que aborda o cotidiano de quatro militantes trans da periferia de São Paulo. Seu uso foi autorizado pelos autores da obra.

Lançamento em Curitiba
O lançamento oficial será no dia 17 de maio com o show  ‘Complicada e Perfeitinha’, das musicistas Naíra Debértolis e Amanda Pacífico e discotecagem do coletivo Casa de Suingue, com Luana Angreves e Heitor Humberto. Todo o dinheiro das entradas e o cachê dos DJs será revertido para a campanha do Teto. O restaurante A Caiçara também irá doar uma porcentagem das vendas do pão com bolinho para a causa. O evento beneficente começa às 19h e a entrada custa R$5 com nome no mural do evento e R$10 sem nome.

DIEGO PERIN LANÇA EP PROVOCADOR E ATUAL


Cabresto chega às plataformas de streaming dia 19 de março

A arte reflete o que vivemos. É inadmissível ficar alheio a dor dos outros. É assim que o compositor Diego Perin, ex-baixista da Banda Gentileza descreve seu primeiro trabalho solo. O EP ‘Cabresto’ nasce de suas inquietações com o mundo e consigo mesmo. Ao mesmo tempo em que o músico canta a falta de empatia, manipulação midiática e jogo de interesses, também ressalta a necessidade de correr riscos e buscar um mundo ideal, que é utópico para quem não acredita nele.

Diego volta a cena musical como compositor de suas letras e melodias. Essa autonomia garantiu uma miscelânea de ritmos. “A dor dos outros”, single lançado em julho é uma mistura de rock, música latina e brega. Já “Cabresto”, que dá nome ao disco, é um afrobeat. O novo trabalho é mais pesado e irônico que o da antiga banda. “Acho que os assuntos são mais sérios. Tem uma canção que lembra Doors. Nem era minha intenção, mas quando mostrei pros amigos e amigas, eles apontaram a influência que eu nem sabia que tinha. Uma inspiração proposital foram os uivos do Howling Wolf”, comenta Perin.

Após 15 anos tocando baixo e sendo backing vocal, Diego assume sua voz em primeiro plano e ataca de guitarrista. A produção musical e mixagem ficou por conta de Rodrigo Lemos que também toca baixo, bateria, guitarra e sintetizador. Outros amigos e grande músicos participaram do seu novo trabalho: Vinicius Nisi (A Banda Mais Bonita da Cidade) no teclado, Douglas Vicente (Charme Chulo) e João Taborda (Trombone de Frutas) na bateria, Estrela Leminski e Téo Ruiz nos backing vocals e Lucas Ajuz (Locomotiva Duben) na conga. Diego Perin toca guitarra, baixo e, claro, debuta no vocal. Em março de 2018 o mundo conhecerá o resultado.

O lançamento já tem data marcada: 19 de março o EP estará disponível nas plataformas de streaming e no site, para quem quiser baixá-lo gratuitamente. Seguindo as tendências de mercado, Perin disponibiliza os lyrics videos de suas músicas no Youtube. Animações feitas por ele. O show de estreia é dia 6 de abril no Ornitorrinco bar. Tocando ao seu lado o tecladista Vinícius Nisi (A Banda Mais Bonita), o baixista Jean Machado (Tuyo), Ruan de Castro na guitarra e Douglas Vicente (Charme Chulo) na bateria. Engrossando o caldo e o evento, tem apresentação do Bernardo Bravo e do coletivo de DJ’s, Casa de Suingue.

Diego Perin by Luana Angreves

Serviço:
Show de lançamento de Cabresto
Data: 06 de abril
Horário:
20h – discotecagem Casa de Suingue
21h30 – Show Diego Perin
23h – Show Bernardo Bravo
Local: Ornitorrinco Bar – R. Benjamin Constant, 400 – Centro
Entrada: R$10 com nome no mural do evento e R$15 sem.
Confira a página do evento, aqui

Sobre o Diego Perin
Diego Perin estuda música desde os 15 anos, quando ainda morava em sua cidade natal, Igarapava, São Paulo. Desembarcou em Curitiba para cursar Publicidade e Propaganda na UFPR e na universidade, em 2004, conheceu seus colegas da Banda Gentileza. Em 10 anos de carreira, a banda tocou nos renomados festivais: Psicodália (Rio Negrinho/SC), Path (São Paulo/SP), Calango (Cuiabá/MT) e Contato (São Carlos/SP). A canção “Afinal de Contas” foi tema de personagem da novela da Rede Globo, Malhação de 2013. O músico tocou também na banda Lemoskine e acompanhou o cantor Leo Fressato. Atualmente, além de se dedicar a composição do seu trabalho solo, Diego é baixista da banda que acompanha a dupla Estrela Leminski e Teo Ruiz.

SOFAR SOUNDS TEM EDIÇÃO DEDICADA ÀS MULHERES E PREPARA ANIVERSÁRIO DE QUATRO ANOS

Presente em 400 cidades ao redor do mundo, projeto musical existe em Curitiba desde 2014 e incentiva uma nova forma de se consumir música ao vivo

O Sofar Sounds Curitiba abre a temporada de 2018 com a edição “A Voz Delas”, que reforça a presença feminina nos palcos trazendo um line-up composto por mulheres. Este é o segundo ano em que o projeto musical realiza uma edição homenageando cantoras, compositoras e instrumentistas. O evento acontece neste domingo (18) e, como de costume, as atrações e o local são secretos, divulgados aos inscritos 48 horas antes.

“Quase 50 mulheres se apresentaram nos quatro anos de Sofar Curitiba e temos observado a inserção feminina crescer em toda a esfera musical. Nossa equipe, por exemplo, é 70% formada por mulheres”, conta a curadora local do Sofar, Aline Valente. Para domingo, Aline adianta que a programação contará com a discotecagem de Estrela Leminski e Luana Angreves, além de oferecer terapias alternativas como reiki e massagem.

Apesar de as vagas desta edição já estarem esgotadas, são promovidos eventos mensais, sempre com inscrições antecipadas. Para abril, a iniciativa prepara um evento especial que marca seu aniversário de quatro anos em Curitiba. “O Sofar se consolidou como uma das maiores plataformas mundiais de música desde sua criação em Londres, em 2009. Hoje, está presente em 400 cidades ao redor do mundo e é um orgulho de representar uma delas”, destaca a curadora.

Os eventos proporcionam uma atmosfera intimista em locais inusitados, incentivando uma nova forma de se consumir música ao vivo. “A intenção é possibilitar experiências sonoras únicas e aproximar o público dos artistas”, afirma Aline. Na edição curitibana, já passaram nomes como Trombone de Frutas, Anacrônica, Janine Mathias, Tuyo e Machete Bomb. As próximas datas e inscrições ficam disponíveis no site www.sofarsounds.com/curitiba.

Sofar Sounds Curitiba
Site | Instagram | Facebook | YouTube