“HISTÓRIAS MÍNIMAS”: O ABSURDO COMO APRENDIZAGEM PARA SERMOS MAIS HUMANOS

Em seu segundo livro, autor curitibano explora as nuances que formam a ideia de cotidiano. 

A literatura é a arte da investigação. Histórias mínimas (Kafka Edições, 74 páginas), o segundo livro do jornalista e escritor Jonatan Silva, parte dessa premissa de busca para tentar entender o presente, o passado e o futuro. Por meio de contos minúsculos, e outros nem tão mínimos assim, o escritor revela uma realidade devastadora. 

Jogando com a ideia de linguagem e representação, Histórias mínimas coloca em xeque as ideias pré-fabricadas que constroem a nossa sociedade e o nosso cotidiano. Com um olhar sabido e textos ardilosos, Jonatan Silva dribla a noção de normalidade ao expor o absurdo ao microscópio literário. “A minha literatura é, acima de tudo, uma tentativa de ler o outro e de enxergar aquilo que não está dito. Ou porque não pode ser dito ou que não se sabe como dizê-lo”, explica o escritor. 

Histórias mínimas é uma literatura visual, um catálogo de cenas e colagens narrativas. De maneira inteligente, Jonatan Silva explora os espaços públicos e como se dá a relação deles com o homem. Com uma percepção aguçada e ousada, os contos que dão forma ao livro exploram situações, temas e lugares que não parecem habituais à literatura brasileira – sem perder o tom que dá massa às questões curitibanas. 

É nesse processo que o livro apresenta seu tom mais forte: com elementos minimalistas e lapidados, criando um universo bastante próprio e interessante. “É importante fazer da literatura uma provocação, colocar ideias foras do lugar para que ocupem um espaço de destaque e protagonismo”, avalia. 

O outro 
Em meio a tudo isso, Jonatan Silva faz de Histórias mínimas um panteão de seus heróis literatura. Está tudo lá: Dalton Trevisan, Jamil Snege, Valêncio Xavier e Manoel Carlos Karam ao lado de Franz Kafka, Bruno Schulz, Gonçalo M. Tavares. Nessa colcha de retalhos – ou mosaico, como prefere o autor –, o livro se transforma em uma narrativa de aprendizagens, um convite a olhar o outro. 

Ao pensar sobre o outro, Histórias mínimas evoca dois escritores fundamentais da literatura latino-americana: Jorge Luis Borges e Julio Cortázar, ambos argentinos. Ainda assim, explica Silva, existe em sua literatura um diálogo profundo com as obras de escritores contemporâneo. “Há um pouco do Carlos Machado, e sua ideia do não lugar; do Tezza, as relações em choque e xeque; Fernando Koproski, a poesia; Márcio Renato dos Santos, seu olhar sobre a cidade como personagem; Cezar Tridapalli, a sua universalidade”, comenta. 

Histórias mínimas é um resgate da literatura curitibana em sua essência mais ampla e lírica, capaz de provocar e convidar o leitor a pensar que futuro é esse que estamos construindo.

JORNALISTA BUSCA FINANCIAMENTO COLETIVO PARA LANÇAR LIVRO SOBRE A FAMÍLIA ADDAMS

A Família Addams em quatro momentos diferentes

Com recompensas como caneca, camiseta e porta-copos, campanha fica no ar até dezembro

Na sexta-feira, 25, o jornalista Thiago Meister Carneiro lançou nas redes sociais uma campanha para arrecadar apoio e publicar o livro A Família Addams.

A campanha está na plataforma de financiamento coletivo Catarse, neste link

As recompensas vão de caneca, camiseta, porta-copos, marcador de páginas magnético, quebra-cabeças, azulejo ímã de geladeira e chinelo (todos alusivos à Família Addams).

LIVRO
De acordo com o autor, a ideia do livro surgiu quando ele descobriu que o personagem Gomez quase não se chamou Gomez, e teria um nome italiano. “Então comecei a pesquisar, e uma curiosidade foi me levando à outra”.

O livro conta a trajetória da Família Addams, desde a criação da série clássica até o lançamento da mais recente animação (1964-2019).

Recheado de curiosidades das produções das séries, dos filmes, histórias em quadrinhos, desenhos animados da Hanna-Barbera e todas as vezes em que uma ex-esposa magoada quase acabou com o sucesso da Família Addams.

A campanha está agendada para ficar no ar no site de financiamento coletivo Catarse até dezembro, e a meta a ser atingida é de R$ 10.939.

A editora responsável pela edição é a Editora Estronho, de São José dos Pinhais-PR, e o livro terá aproximadamente 180 páginas.

O AUTOR
Thiago Meister Carneiro é paranaense de Curitiba e tem 37 anos. É Jornalista com Especialização em Estudos Linguísticos e Literários.
Seu primeiro livro “A História (quase) Definitiva de Monty Python” também foi lançado graças à plataforma de financiamento coletivo Catarse, em janeiro deste ano.

SERVIÇO:
Campanha de Financiamento Coletivo do livro “A Família Addams”: neste link
Email: finitocarneiro@gmail.com

ESCRITORES DA COLEÇÃO GERAÇÃO PR10 PARTICIPAM DE DEBATE SOBRE PROCESSO CRIATIVO

Os encontros acontecem no Solar dos Guimarães e leituras de trechos das obras e distribuição gratuita dos livros que integram a série. 

A Kafka Edições, em parceria com a Fundação Cultural de Curitiba (FCC), promove a partir do dia 11 de outubro uma série de conversas com os escritores da Coleção Geração PR10, lançada no início deste mês. As obras, viabilizadas por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Curitiba – Mecenato Subsidiado, retratam a produção literária paranaense após 2010. Os encontros terão mediação do escritor e editor Paulo Sandrini e acontecem no Solar dos Guimarães. 

Os bate-papos começam com Carol Sakura, autora de A Batida dos dias, que na sexta-feira (11/10), debaterá a construção de sua narrativa a partir de elementos oníricos e cotidianos. Com uma potente reflexão diante de um caráter social opressor, sobretudo no que diz respeito às mulheres, a escritora busca compreender o mundo frente ao olhar para si. 

Na quarta-feira (16/10), Jonatan Silva, autor de Histórias mínimas, e Guylherme Custódio, autor de Contos do microcosmo, conversam a respeito do retrato minimalista como metáfora do absurdo cotidiano. Ambos os livros dialogam por meio de textos concisos, mas cuja profundidade ganha contornos imensos. Na sexta-feira (18/10) é a vez de João Paulo Partala e André Knewitz, autores de 14 Corpos de João e Maria e Zumbido, respectivamente, debatem a relação social entre os corpos e a narrativa como forma de combate. 

A Coleção 
A Coleção Geração PR10 é o registro das inquietações e das impossibilidades do sujeito contemporâneo diante do outro. Os seis livros que formam a série criam um importante mosaico de um mundo fragmentado e díspar. “A ideia é fazer com que essa coleção irradie os autores como novos nomes e que continue uma batalha da Kafka Edições em revelar uma ficção que busca desafiar a linguagem”, explica o editor Paulo Sandrini, responsável pela curadoria da coleção Geração PR10, juntamente com Fernando Koproski. 

Com a coleção Geração PR10, a Kafka Edições faz um mergulho denso no conto paranaense em suas novas formas e temáticas, mas sem perder de vista o diálogo com o que é produzido na literatura brasileira e internacional. As seis obras condensam um espírito combativo, experimental e altamente criativo das novas vozes da literatura do Paraná. 

Serviço 
Bate-papo Coleção Geração PR10 

Carol Sakura
Data: 11 de outubro
Horário: 19h 

 
Jonatan Silva e Guylherme Cusatódio
Data: 16 de outubro
Horário: 19h 


João Paulo Partala e André Knewitz
Data: 18 de outubro
Horário: 19h 

Local: Solar dos Guimarães
Endereço: Rua Mateus Leme, 66 – Centro – Curitiba 

EVENTO: LITERATURA, PASSADO EM PROSA – O SILÊNCIO DO VAMPIRO

O ciclo de bate-papos PASSADO EM PROSA, com os autores da Coleção A Capital e em parceria com o SESI Cultura, continua na terça-feira, 8 de outubro, das 19:00 às 20:00, em Curitiba, com o escritor e jornalista, pós-graduado em Cinema e Mestre em Letras, Luiz Andrioli, autor, entre outros, de “O circo e a cidade, histórias do grupo circense Queirolo em Curitiba” (Coleção A Capital) e “Laçador de cães”.

O estudo é realizado por meio da crítica ao discurso jornalístico sobre o escritor Dalton Trevisan, utilizando-se de fontes de imprensa e referências bibliográficas. Dalton Trevisan é conhecido pela concisão de suas palavras. Ele também se nega, há décadas, a dar entrevistas ou declarações para a imprensa. Mesmo assim, os jornais não deixam de comentar seus livros. “O silêncio do vampiro” analisa de que forma a produção do contista aparece na mídia. Em algumas situações, os jornalistas buscam na própria obra do autor as respostas necessárias e verossímeis. Em outros momentos, é a interpretação a partir das palavras do escritor que preenche as lacunas. Em ambas as formas, a discussão aqui proposta aponta que o silêncio de Dalton Trevisan é uma estratégia literária em nome da imortalidade pretendida pelo Vampiro de Curitiba.

Serviço:
EVENTO: LITERATURA, PASSADO EM PROSA – O SILÊNCIO DO VAMPIRO
Local: Centro Cultural Sesi Heitor Stockler De França na Av. Mal. Floriano Peixoto, 458, Centro, Curitiba
Data: Terça-feira, 8 de outubro, das 19:00 às 20:00 
Entrada gratuita. 
Página do evento, aqui
Organização: Factum Pesquisas Históricas

fonte 

1º PRÊMIO LIVRE.JOR DE JORNALISMO-MOSCA

JORNALISTAS E ESTUDANTES têm até 20 de outubro para inscrever suas reportagens no 1º Prêmio Livre.jor de Jornalismo-Mosca, prêmio oferecido pela agência Livre.jor. Não tem recompensa em dinheiro (ou alguém quer ser o mecenas? Manda inbox na fanpage do Livre.jor​), apenas o reconhecimento que o vencedor é um praticante do “jornalismo-mosca”.

O formulário online para a inscrição estará disponível a partir de 28 de setembro, Dia Internacional do Acesso Universal à Informação, e ficará aberta até 20 de outubro. Basta acessar: www.livre.jor.br/premiomosca

Os vencedores serão divulgados pelas redes sociais da agência Livre.jor no dia 25 de outubro – em alusão ao assassinato do jornalista Vladimir Herzog pela ditadura militar brasileira, nesta data, em 1975.

Sobre o Livre.Jor: 
“Jornalismo-mosca – Somos jornalistas que, desde fevereiro de 2014, buscam notícias em fontes oficiais de qualquer natureza. Ideologicamente somos jornalismo-mosca (http://bit.ly/jmosca). Na prática, uma agência de notícias curitibana fundada no direito do cidadão à informação, que abrange direito de informar, de ser informado e de ter acesso à informação. Divulgamos conteúdo de interesse público, obtido a partir de documentos, pesquisas, levantamentos, planilhas eletrônicas, diários oficiais, pedidos de informação, bases de dados etc. Se você procura por proselitismo partidário, intenções camufladas ou entrelinhas veio ao lugar errado. Livre.jor #4anos.”


Jornalismo de Dados (Data journalism)

é uma modalidade de produção digital de notícias que utiliza grandes bases de dados para elaborar peças de conteúdo focadas em correlações informacionais, além de se valer de recursos gráficos e interativos para tornar mais agradável a experiência de visualização do usuário consumidor de notícias.

COM INÍCIO NESTA QUINTA-FEIRA (20), FIMS REÚNE AGENTES DA PRODUÇÃO MUSICAL NACIONAL E INTERNACIONAL EM CURITIBA

crédito foto: Nicolas Salazar

A terceira edição da Feira Internacional da Música do Sul – FIMS traz neste ano além da programação diversos shows no ‘Circuito Off’

Entre os dias 20 e 22 de junho, o Portão Cultural, em Curitiba, recebe a terceira edição da Feira Internacional da Música do Sul – FIMS. Considerado um dos principais eventos de negócios do setor musical no sul do país, além da programação oficial, a Feira apresenta diversos shows nos espaços culturais da cidade. 

Neste ano, palestras, mesas, debates, rodadas de negócios, showcases e o circuito off, atraem o público e diversos agentes da cadeia produtiva da música nacional e internacional.

Em 2019, as inscrições nos showcases superaram a edição passada. Para o desempate, foi utilizado o critério de distribuição geográfica com foco na região sul.

Entre os selecionados estão, A Banda Mais Bonita da Cidade (Curitiba), Janine Mathias (Curitiba), Caburé Canela (Londrina), Dandara Manoela (Santa Catarina), Yangos (Rio Grande do Sul), Modernas Ferramentas Científicas de Exploração (Rio Grande do Sul), MARTTE (São Paulo) e o rapper Sucio Bang (Colômbia).

Neste ano, duas palestras compõem a grade. A diretora de pesquisa do DATA SIM (núcleo de pesquisa da SIM São Paulo), Dani Ribas retrata a importância de dados e informações confiáveis para o desenvolvimento do mercado da música.

O diretor de design estratégico da Rizoma Aceleradora de Projetos Culturais, Iuri Freiberger, traz a discussão sobre o desenvolvimento de novas formas do design para projetos criativos no mercado da música.

Ao todo, seis temáticas englobam as mesas tendo como pano de fundo o contexto da tecnologia. Com destaque para as mesas sobre ‘o papel da pesquisa musical na era da infobesidade’, ‘ dificuldades de se lançar um álbum independente’ e ‘música brasileira no exterior’.

Entre artistas, jornalistas e produtores participam, Lio Soares (Tuyo), Pena Schmidt (Lista das Listas), Fer Isella (Limbo Music / SoL Madrid), Fabi Pereira (Papo de Música / FARO), Tony Ayex (Tenho mais discos que Amigos), Melina Hickson (Porto Musical), David McLoughlin (Brasil Calling), Filip Košťálek (Festival Colours) e outros.

No eixo profissionalizante da FIMS, seis cursos de curta duração trazem diversos especialistas do mercado da música, entre eles, a gerente de marketing da Habro Music, Renata Gomes; os produtores, Alec Haiat e Samuel Galdino do Projeto Suspechos; o produtor musical e proprietário do Grupo UN Music, Barral Lima; os produtores do Centro Europeu/AIMEC, Alonso Figueroa e Danilo Bencke (AIMEC); a brand da agência Talquimy, Tathy Moura e o curador e programador do espaço Agulha (RS), Guilherme Thiesen Netto.

No complexo do Portão Cultural, a Casa da Leitura Wilson Bueno será o espaço dedicado para a troca de ideias entre os profissionais de entidades do Sesi Cultura (PR), DaleGig, Sarau As Mina Tudo (SP), Soundscape, Tenho mais discos que Amigos e Rádio Butiá Brasil.

Além da programação oficial no Portão Cultural, após as atividades, acontecem paralelamente em diversos espaços da cidade, os shows com Lemoskine (PR), Leo Fressato (PR), Fernando Lobo (PR), Thaïs Morell (PR), Janine Mathias (PR), Kia Sajo (SC), Bananeira Brass Band (PR), Cida Airam (PR), Trabalhos Espaciais Manuais (RS) e DJ Manoel Canepa (RS).

Para os interessados em participar de todas as atividades da FIMS, o  credenciamento deve ser feito pela plataforma do Ingresso Nacional (a partir de R$40). Confira a programação detalhada no site oficial: fims.com.br

Serviço:

3ª Feira Internacional do Música do Sul
Onde: Portão Cultural –  Av. Rep. Argentina, 3.432 – Portão, Curitiba
Quando: Entre os dias 20 e 22 de junho de 2019
Site: fims.com.br

VIDA LONGA AO PORTAL PLURAL!!!

Foi lançado hoje o Plural, o mais novo portal de notícias de Curitiba-PR, com informações sobre a cidade, o estado do Paraná, política, cultura e muito mais!

Aproveitem: durante a primeira semana o conteúdo do portal estará totalmente aberto!

Jornalismo colaborativo. Se você ainda não é assinante, corre lá na loja do site e garanta sua assinatura! São vários planos para caber no seu bolso e ajudar o jornalismo de qualidade.

Acesse e compartilhe!
site: www.plural.jor.br
fanpage: www.facebook.com/plural.jor.br

CURTA 8 COMEÇA NESTA QUINTA-FEIRA

Já está quase tudo pronto para o 14º CURTA 8 – Festival Internacional de Cinema Super 8 de Curitiba, que acontece de quinta a domingo no Teatro da CAIXA Cultural. Entrada gratuita!

Na edição deste ano, além das já tradicionais mostras competitivas e de Tomadas Únicas, teremos mostras especiais com os trabalhos do cineasta baiano Edgard Navarro e do jornalista e cineasta Geneton Moraes Neto.

Outra mostra em destaque será a dos “10 anos de Tomadas Únicas”, com uma seleção dos filmes premiados desde 2008.

No domingo a nossa já tradicional sessão do “Dia do Filme Caseiro”. Nela o público participa trazendo seus filmes que, depois de revisados, serão exibidos.

A CAIXA Cultural Curitiba fica na Rua Conselheiro Laurindo, 280, centro de Curitiba.

Entrada gratuita! Confira a página do Curta, aqui

#CAIXACultural #CAIXACulturalCuritiba #VivaMaisCultura #Super8 #Curta8 #curtaoito

3ª EDIÇÃO DO PRÊMIO ALLTECH DE JORNALISMO DIVULGA FINALISTAS

Concurso recebeu 295 inscrições; vencedores serão anunciados durante o One: Simpósio de Ideias Alltech, nos EUA

A terceira edição do Prêmio Alltech de Jornalismo anuncia os 15 finalistas selecionados pela equipe organizadora. Ao todo, 133 jornalistas, de 99 veículos, provenientes de 22 estados e do Distrito Federal, inscreveram 295 trabalhos, entre materiais audiovisuais para rádio e televisão e reportagens de jornais, portais e revistas. Foram selecionados cinco trabalhos em cada uma das categorias, sendo elas Criação e Nutrição Animal, Agricultura e Ideias Inovadoras para o Agronegócio.

Os critérios utilizados na avaliação das reportagens foram: adequação ao tema, relevância, utilização de fontes, densidade e exatidão do conteúdo e qualidade editorial e técnica. Entre os materiais inscritos, se destacaram temáticas como bem-estar animal, integração lavoura-pecuária e lavoura-floresta, conservação e manejo do solo, cooperativismo, startups e soluções inteligentes para o agronegócio.

“A premiação se reveste de uma significação especial ao estimular a produção de trabalhos jornalísticos que destaquem a importância do universo do agronegócio, permitindo que o grande público seja informado sobre as novas tendências desse mundo ainda tão pouco conhecido dos leitores”, afirma o presidente da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Domingos Meirelles.

Os vencedores serão revelados ao público entre os dias 20 e 22 de maio, durante o One: Simpósio de Ideias Alltech, que ocorre na cidade de Lexington, no estado do Kentucky, nos Estados Unidos. O prêmio contempla a inscrição para o evento, passagem aérea e estadia de três noites em hotel cinco estrelas. A premiação é promovida em parceria pelas empresas Alltech e Alltech Crop Science, líderes em saúde e nutrição animal e vegetal, e recebe apoio institucional da ABI.

Confira os finalistas:

Categoria “Agricultura”:
– “Ouro rosa: as faces econômica, social e cultural da goiaba” – Ed Wanderley, Diário de Pernambuco;
– “Cultivo de melão no Piauí” – Izabel Helena Telles de Melo, TV Clube PI;
– “Como bancos de sementes podem proteger a biodiversidade” – Rogério Jefferson Coutinho Souza, TV Globo RJ
– “Fertilidade forjada pelo manejo” – Leandro Mariani Mittmann, A Granja
– “ESPECIAL-Tocantins, uma nova história da abertura da fronteira agrícola do Brasil” – Roberto Pereira da Silva Samora, Reuters

Categoria “Criação e Nutrição Animal”
– “Uma nova economia surge no campo” –  André Luiz Silva Clemente Torres, Diário de Pernambuco
– “Um oásis no Oeste Potiguar” – Jéssica Caroline do Nascimento, Revista Feed&Food
– “Onde o amanhã já chegou” – Joana Colussi, Zero Hora
– “Produtores de leite se profissionalizam e investem em novas tecnologias em Minas Gerais” – Erika Alves Ferreira Machado, TV Integração Uberaba
– “Tecnologia e Gestão: aliados da produtividade na suinocultura no nordeste” – Georgina Maynart Rabelo Montes, TV Bahia

Categoria “Ideias Inovadoras”
“Série A Força do Campo dia 1” – Antonio Temóteo de Queiroz Elias, Correio Braziliense
– “Startup em campo” – Cassiano Ribeiro, Revista Globo Rural
– “São Benedito tem forte produção de pimentão mesmo em período de seca” – Mateus Ferreira de Sousa, TV Verdes Mares
– “O agronegócio “incubado” – Victor Lopes de Moraes, Folha de Londrina
– “Nanotecnologia avança no agronegócio brasileiro” – Cristiane Barbieri, O Estado de S. Paulo