TEATRO ZÉ MARIA E CASA HOFFMANN RECEBEM A PERFORMANCE HISPANO-BRASILEIRA ‘DEVÓRATE’

DEVÓRATE from Mari Paula on Vimeo.

Após turnê por cidades espanholas e nordeste brasileiro, a performance de dança fará curta temporada em Curitiba 

De 25 de outubro a 3 de novembro, Curitiba recebe pela primeira vez o espetáculo “Devórate”, que estará em cartaz no Teatro Zé Maria e Casa Hoffmann. “Devórate” é um solo de dança produzido através de uma conexão entre Brasil e Espanha, uma co-produção entre a espanhola Rebeca García e a brasileira Mari Paula. As apresentações acontecem de sexta à domingo e os ingressos já estão à venda por R$ 10,00 (dez reais) e R$ 5,00 (cinco reais). 

Projeto vencedor do Programa Iberescena 2019 (FUNARTE) e incentivado pela Fundação Cultural de Curitiba e Ebanx, “Devórate” foi idealizada e interpretada por Mari Paula, a performance tem a direção de movimento de Rebeca García e a colaboração de Janet Novás, Leonarda Glück, Reinaldo Ribeiro e Ricardo Nolasco. 

Em busca de uma estética antropófaga e pós-apocalíptica, a criação coreográfica realiza um profundo trabalho de pesquisa em sete residências em diferentes centros de criação na Espanha e no Brasil para chegar à estréia com uma peça sólida. Segundo Mari Paula “na dança e na performance diversas narrativas podem ser criadas e nós artistas devemos ter consciência na relação que existe entre o nosso discurso e nossa prática. Devemos criar com responsabilidade social (…) Não se pode fazer um trabalho no ‘modo Instagram’, com pressa, é necessário aprofundar.” 

Em suas últimas criações em dança e performance, a bailarina e gestora cultural Mari Paula vem investigando o corpo por meio da intervenção urbana e da antropofagia cultural. Ela também é uma das co-fundadoras do Espaço Cultural Casa Selvática em Curitiba e integrou o elenco de importantes companhias públicas de dança contemporânea do Brasil, das quais se destaca o Balé Teatro Guaíra. 

Com “Devórate”, realizou sua última residência no Palácio de Festivales (Cantabria – Espanha) e circulou por diferentes teatros e festivais da Espanha e do Brasil, como: Festival La Espiral Contemporanea (Cantabria), Festival Eima (Mallorca – Espanha), Teatro Isabel La Católica (Granada – Espanha), Carme Teatre (Valência – Espanha), Festival Cena Cumplicidades (Recife – BR). 

Sinopse: Esta peça foi criada para degradar-se em 450 anos sobre a Grande Porção de Lixo do Pacífico, onde o plástico engoliu o futuro. Rebotalho da humanidade, uma mulher foi transformada em proletária digital após a crise da representação. Come-se a si mesma em busca do prazer do corpo coletivo que perdeu outrora. 

Devórate. Crédito foto: Anjana Guerras

Serviço: “Devórate” 
De 25 a 27 de outubro, sexta e sábado às 20h00 e domingo às 18h Teatro Zé Maria (O Teatro da Classe) | R. Treze de Maio, 655 – São Francisco, Curitiba Ingressos: http://bit.ly/Devorate 

De 1 a 3 de novembro, sexta e sábado às 20h00 e domingo às 18h Casa Hoffmann | R. Dr. Claudino dos Santos, 58 – São Francisco Ingressos: https://bit.ly/DevorateCH 

Classificação: 18 anos Duração: 50 minutos Ingressos: R$ 10,00 (dez reais) e R$5,00 (cinco reais) 

Página do evento, aqui

Equipe artística: Direção geral, conceito e performance: Mari Paula Direção de movimento: Rebeca García Colaboração dramatúrgica e de movimento: Janet Novás, Leonarda Glück, Reinaldo Ribeiro e Ricardo Nolasco Desenho de luz: Carlos Molina (LumiereScene) e Spacecircles Desenho sonoro: Jaime Peña Arte gráfica: Torreón Arquitectura Fotos e vídeo: Adrián Torices, LumiereScene e Spacecicles Captação de recursos: Nina Ribas Produção Executiva: Gabriel Machado e Mari Paula Produção Local: Giovana Lago Realização: Águila Produções 

Agradecimentos: Gabriel Machado, Princesa Ricardo Marinelli, Rubia Romani Gustavo Bitencourt, Jussara Belchior, Lívia Delgado, Zony Gomez e Annika Havlicek. 

Este projeto recebeu ajuda da Funarte através do programa Iberescena 2019. Projeto realizado através do programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura Municipal de Curitiba. 

Residências Artísticas: Casa Hoffmann Centro de Estudos do Movimento, Curitiba – Paraná Graner Centre de Creació de Dansa i Arts Vives, Barcelona – España Centro Danza Canal, Madrid – Madrid Nigredo Espacio, Madrid – Madrid Eima Creació, Palma – Mallorca 

Residências Técnicas: Carme Teatre, Valencia – Valencia Palacio de Festivales, Santander – Cantabria 

informações:
www.maripaula.com
Facebook: @maripaula.performing
Instagram: @maripaulah 

ESCRITORES DA COLEÇÃO GERAÇÃO PR10 PARTICIPAM DE DEBATE SOBRE PROCESSO CRIATIVO

Os encontros acontecem no Solar dos Guimarães e leituras de trechos das obras e distribuição gratuita dos livros que integram a série. 

A Kafka Edições, em parceria com a Fundação Cultural de Curitiba (FCC), promove a partir do dia 11 de outubro uma série de conversas com os escritores da Coleção Geração PR10, lançada no início deste mês. As obras, viabilizadas por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Curitiba – Mecenato Subsidiado, retratam a produção literária paranaense após 2010. Os encontros terão mediação do escritor e editor Paulo Sandrini e acontecem no Solar dos Guimarães. 

Os bate-papos começam com Carol Sakura, autora de A Batida dos dias, que na sexta-feira (11/10), debaterá a construção de sua narrativa a partir de elementos oníricos e cotidianos. Com uma potente reflexão diante de um caráter social opressor, sobretudo no que diz respeito às mulheres, a escritora busca compreender o mundo frente ao olhar para si. 

Na quarta-feira (16/10), Jonatan Silva, autor de Histórias mínimas, e Guylherme Custódio, autor de Contos do microcosmo, conversam a respeito do retrato minimalista como metáfora do absurdo cotidiano. Ambos os livros dialogam por meio de textos concisos, mas cuja profundidade ganha contornos imensos. Na sexta-feira (18/10) é a vez de João Paulo Partala e André Knewitz, autores de 14 Corpos de João e Maria e Zumbido, respectivamente, debatem a relação social entre os corpos e a narrativa como forma de combate. 

A Coleção 
A Coleção Geração PR10 é o registro das inquietações e das impossibilidades do sujeito contemporâneo diante do outro. Os seis livros que formam a série criam um importante mosaico de um mundo fragmentado e díspar. “A ideia é fazer com que essa coleção irradie os autores como novos nomes e que continue uma batalha da Kafka Edições em revelar uma ficção que busca desafiar a linguagem”, explica o editor Paulo Sandrini, responsável pela curadoria da coleção Geração PR10, juntamente com Fernando Koproski. 

Com a coleção Geração PR10, a Kafka Edições faz um mergulho denso no conto paranaense em suas novas formas e temáticas, mas sem perder de vista o diálogo com o que é produzido na literatura brasileira e internacional. As seis obras condensam um espírito combativo, experimental e altamente criativo das novas vozes da literatura do Paraná. 

Serviço 
Bate-papo Coleção Geração PR10 

Carol Sakura
Data: 11 de outubro
Horário: 19h 

 
Jonatan Silva e Guylherme Cusatódio
Data: 16 de outubro
Horário: 19h 


João Paulo Partala e André Knewitz
Data: 18 de outubro
Horário: 19h 

Local: Solar dos Guimarães
Endereço: Rua Mateus Leme, 66 – Centro – Curitiba 

FUNDO MUNICIPAL DE CULTURA FINANCIA PROJETOS DE ILUSTRADORES E QUADRINISTAS

Ilustradores, quadrinistas e cartunistas têm até o dia 24 de outubro para se inscrever no Edital Quadrinhos 2020/2021, da Fundação Cultural de Curitiba. Os projetos selecionados receberão recursos do Fundo Municipal de Cultura para a criação e publicação física ou virtual do trabalho, além da realização do evento de lançamento, exposição e workshop.

Serão selecionados 15 projetos de artistas que morem em Curitiba. Para os projetos serão destinados R$ 270 mil (R$ 18 mil para cada um), além de R$ 30 mil para custeio de atividades de apoio ao desenvolvimento dos trabalhos.

+ INFOS:  aqui

fonte

15º CURTA 8 – FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA SUPER 8 DE CURITIBA

Seguem abertas até 25 de setembro de 2019 as inscrições de filmes para as mostras competitivas do 15º CURTA 8 – Festival Internacional de Cinema Super 8 de Curitiba

Nos últimos anos o Curta 8 tem promovido a produção, exibição, divulgação e premiação de filmes na bitola super-8, além de resgatar a memória da produção cinematográfica produzida em super-8 no Brasil e no mundo.

O festival será realizado de 8 a 10 de novembro de 2019 no Cine Passeio, localizado à Rua Riachuelo, 410, Centro, Curitiba/PR, Brasil.

O evento tem a coordenação geral de Antonio Carlos Domingues, com produção de Adriano Esturilho e Fábio Allon, e direção de projeção de Lucas Vega. 

O Curta 8 é uma realização da PERFIL comunicação e cultura e da Processo MultiArtes, que conta com os apoios do Cine Passeio, ICAC – Instituto de Cultura e Arte de Curitiba, Fundação Cultural de Curitiba, Prefeitura Municipal de Curitiba e rádio Uni FM.

fonte

2017 – Curta 8 (Vinheta v02) from Processo MultiArtes on Vimeo.

MISTURA SONORA DE DOW RAIZ CHEGA AO TEATRO DO PAIOL

Dow Raiz. Foto: Luciano Meirelles – HAI studio

Rapper curitibano é atração de setembro do projeto Brasis no Paiol. 

O rapper curitibano Dow Raiz leva sua mistura de rimas, batidas e influências para o projeto Brasis no Paiol 2019. O artista, que há alguns anos está entre os destaques nacionais, apresenta-se no icônico palco de Curitiba no dia 12 de setembro, quinta-feira, às 20h. Os ingressos, com valores a R$ 10 e R$ 5, estão à venda na Capela Santa Maria e no Teatro do Paiol. 

O show tem como base o repertório do EP “As Profundezas de um Tempo Danger”, que Dow Raiz lançou em abril deste ano. No trabalho, o rap é a linha mestra, com as clássicas batidas boom bap do hip hop, mas passando também pelo jazz, trap, funk e diferentes estilos da música brasileira. O disco marca a fase em que o artista mudou-se de Curitiba para São Paulo e firmou-se como um dos destaques nacionais do rap, com passagens pelo projeto Rap Box e Showlivre.

A carreira do rapper começou em 2007. Após fazer parte dos grupos Inthefinityvoz e Unification, ganhou destaque nacional com o lançamento da faixa “Abrafé de Abraão”, em 2013. No mesmo ano, lançou o álbum “Antibióticos de Rua”. 

No palco, Dow estará acompanhado pelo DJ Morenno Mongelos, Ian Giller na bateria, Allan Giller no baixo, Chico Han na flauta, Gabriel Gaiardo no piano, Du Gomide na guitarra e Will Costa na percussão. 

Confira os próximos shows do Brasis no Paiol 2019: 
– 24 de outubro: Plutão já foi Planeta (RN) 
– 21 de novembro: Edgar (SP) 
– 05 de dezembro: Bernardo Bravo (Curitiba) 
– 19 de dezembro: Anelis Assumpção (SP) 

Brasis no Paiol 
Desde 2012, os produtores Bina Zanette (Santa Produção) e Heitor Humberto (Fineza Comunicação e Cultura) realizam uma sequência de shows no Teatro do Paiol, com artistas de diferentes regiões do Brasil, bem como nomes da cidade. O objetivo é sempre apresentar novidades, lançamentos, estreias e projetos especiais de artistas com trabalhos de relevância artística, que gerem interesse do público curitibano. 

Em 2019, o projeto é realizado com o Projeto de Apoio e Incentivo à Cultura, da Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura Municipal de Curitiba. Conta com o patrocínio do Shopping Pátio Batel e o apoio do restaurante A Caiçara, Hostel O Bosque e Zoloo Videolab. 

Serviço 
Dow Raiz no Brasis no Paiol 
data: 12 de setembro, quinta-feira, 20h 
local: Teatro do Paiol – Praça Guido Viaro, s/n 
Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia) 
Página do evento: aqui

Pontos de venda: 
– Capela Santa Maria: R. Conselheiro Laurindo, 273 
Horário bilheteria: terça à sexta, 9h às 12h e 14h às 18h30 (consulte horários diferenciados em dias de eventos). Telefone: (41) 3321-2840. 

– Teatro do Paiol: Praça Guido Viaro, s/n (vendas a partir do dia 20/08, havendo disponibilidade de ingressos) 
Horário bilheteria: Terça à sexta, 14h às 17h30 (consulte horários diferenciados em dias de eventos). Telefone: (41) 3213-1340. 

PASSEIO AUDIOVISUAL – INVESTIGAÇÕES AUDIOVISUAIS PELO CENTRO DE CURITIBA

Passeio Audiovisual é uma oficina de realização audiovisual com sessões teóricas e práticas de direção de arte, direção de fotografia e realização visando a construção de narrativas fílmicas pelo centro de Curitiba. 

Os vídeos produzidos pelos alunos serão exibidos em uma mostra pública no Cine Passeio e no SESI Paula Gomes.

A oficina acontece de 17/09 à 31/10 todas as terças e sextas das 18:30 às 22:00 no Cine Passeio (60h) e é gratuita mediante seleção.

Os interessados devem realizar inscrição até o dia 10/09. A oficina é aberta à todas as pessoas acima de 16 anos. São 30 vagas.

O resultado da seleção sai no dia 11/09. Mais informações no email: passeioaudiovisual@gmail.com e/ou na fanpage, aqui

CURITOWN – A CULTURA DO SKATE EM CURITIBA

“A história do skate brasileiro também começou nas ladeiras curitibanas. O documentário longa metragem CURITOWN conta a história do skate de Curitiba. E é uma história fascinante! Segue uma linha cronológica de 1970 a 2000, que conta como tudo começou até culminar no reconhecimento de Curitiba como a Capital do skate.

O skate é mais do que esporte, lazer e meio de transporte, o skate é uma manifestação cultural. Uma cultura que envolve hábito, comportamento, moda, lazer, sociabilidade, identidade, um estilo de vida. A cidade apresenta um expressivo número de skatistas e muito se deve a existência de gerações que preservam a prática ao longo do tempo e dos lugares. Pista do Gaúcho, Ambiental e Drop Dead Skatepark geraram skatistas de qualidade para Curitiba e para fora dela, e durante as décadas de 1990 a 2000 a cidade foi considerada a capital do skate do Brasil. Esta cena envolvia marcas como Maha skate shop e Drop Dead com suas fábricas de tábuas e roupas, com suas lojas que promoviam as tendências de moda, campeonatos nacionais amadores, música, skatistas alcançando o pódio em campeonatos mundiais. Skate, fotografia, vídeo, marcas, fábricas, campeonatos, nomes de destaque, pioneiros do skate na capital. História.

Este universo cultural é mostrado neste documentário audiovisual de 57 minutos, trazendo para os skatistas e para um público amplo a cultura do skate curitibano, um dos mais tradicionais do Brasil. O recorte temporal vai da década de 1970 a de 2000, a partir dos depoimentos de skatistas pioneiros chegando até os campeões mundiais.

Ficha técnica:
Pesquisa 
| Victor Augustus Graciotto Silva e Juliana Cristina Reinhardt – documental e entrevista I 
André Kloss – mapeamento das pistas de skate |

Documentário Audiovisual
| Eli Firmeza – direção de fotografia e edição I Victor Augustus Graciotto Silva – direção, produção e roteiro I Felipe Oliver Arnoso, Castro Pizzano e Matheus Reinhardt Luz – assistência de direção e de produção |

Exposição
| Victor Augustus Graciotto Silva – coordenação e curadoria I Rebeca Gavião Pinheiro – Produção I Marcello Kawase – Programação e identidade visual I Regina Maria Schimmelpfeng de Souza – revisão de texto I Juliana Cristina Reinhardt – edição de conteúdo |

Livro
| Rafael Kloss – projeto gráfico e diagramação I Victor Augustus Graciotto Silva – edição I Juliana Cristina Reinhardt – edição de conteúdo e supervisão editorial I Regina Maria Schimmelpfeng de Souza – revisão de texto |

Oficina de vídeo criativa 
| Castro Pizzano, Felipe Oliver Arnoso, Matheus Reinhardt Luz – ministrante, produção e edição

Participantes e colaboradores: Kico Westphalen, Maria Elaigne Ferreira, Adriano Scharf, Marco Antônio Campos “Neggreety”, Carlos Caldart, Dego, Wallace, Dennis Kistmann, Aldy Maingué “Didi”, Luiz Hernani Scharf Junior “Dudo”, Estácio Seixas, Luis Eduardo Woff “Liba”, Fernando José Johnson, Juarez Matter, Marco Antônio Imaguire “Maguila”, Carlos Eduardo Dias “Alemão”, Heloise Imaguire, Cristian Aurélio Pereira “Sapão”, Alex Carolino, Cristian Barrera “Chileno”, Danilo do Rosário, Larissa Carollo, Diego Costa, Carlos de Andrade “Piolho”, Miguel Zafner Junior “Catarina”, Márcio Coraiola, Luiz César Ferreira, Franco Bertognoli Zaniolo, Alexandre Wolf “Sal”, Júlio Kondo “Japa”, Raphael Braciak “Urso”, Sérgio Marcelo Pacheco “Mortex”, Michel Simonetto, Rodrigo Leon Borgues “Tatu”, Pablo Vaz, Angelo Esteves “Manjo”, Ronaldo Miranda, Daniel Vieira, Alexandre Maia, Filipe Ortiz, Renato de Souza, Felipe Espíndola, Luiz Gaida, Guilherme Trakynas, Felipe Chales, Erick Bollmann, Glauber Harmann, Leandro Olivo, Beto Janz, Ricardo Elias, Edilene Ozorio “Dinha”, Erick Bollmann, Marcel Rodrigues, Ruy Rebka Prado.

Exposição: Curitown – a cultura do skate em Curitiba, entre 16 de junho a 20 de agosto de 2018 no Museu Municipal de Arte de Curitiba.

Projeto contemplado no Mecenato / 2015 e realizado com o apoio da Prefeitura Municipal de Curitiba, Fundação Cultural de Curitiba, Fundo Municipal de Cultura – Programa de Apoio e Incentivo à Cultura.

Incentivo: CELEPAR | CAIXA

fonte: Editora Máquina de Escrever

GIBITECA DE CURITIBA RECEBE EXPOSIÇÃO E LANÇAMENTO DE SHIMRA, UMA HQ SOBRE MENINAS GUERREIRAS

A Gibiteca de Curitiba recebe a partir da próxima sexta-feira (02/08), o lançamento da exposição Shimra. As obras expostas reúnem os processos de criação da História em Quadrinhos, incluindo as escolhas artísticas e materiais finalizados da publicação. Durante a exposição, acontecerá ainda no dia 16/08 o lançamento, distribuição gratuita e sessão de autógrafos no mesmo local. A graphic novel é uma parceria entre a escritora Gabriela Antônia Rosa e o artista Victor Harmatiuk. 

Durante o lançamento, no dia 16 de agosto, haverá distribuição gratuita dos exemplares e e sessão de autógrafos com os artistas. Na história em quadrinhos, crianças são treinadas para defender o seu país, onde guerreiras são escolhidas em uma cerimônia especial. “Shimra começou como uma exploração visual pura. Sempre gostei da estética de povos tribais e fiz uma sequência de imagens relacionados a um possível universo fictício com essa temática”, destaca Victor Harmatiuk.

No processo de pesquisa de escrita, Gabriela se inspirou em livros como O Conto da Aia, de Margaret Atwood, e em Filmes como “Madmax, a Estrada da Fúria”. “Também gostei muito de ler mais histórias em quadrinhos, gênero que eu não lia tanto, e, gostei muito desse processo de leitura e pesquisa. Tivemos uma criação colaborativa em Shimra. A troca com o Victor foi muito significativa, pois ele ia pensando em cima do que eu escrevia, em como poder retratar aquilo de uma outra forma”, explica a roteirista.

As artes foram desenvolvidas por Victor Harmatiuk, Henrique Lindner e Victor Rossi, com produção da Fish Films. Cada quadro pode ser considerado uma ilustração e tudo é pensado, incluindo enquadramento, luz e cores, com a intenção de evidenciar a experiência dos personagens. Com contrastes entre cenários sombrios e paisagens desérticas, há várias cenas monocromáticas que dialogam com cenas coloridas, de modo que os traços ficam mais complexos à medida em que a narrativa evolui.

Victor destaca que os leitores podem esperar um clima pesado, realista e personagens complexos que fogem dos estereótipos padrão. “Gosto muito da estética tribal e também do tema religioso que a história aborda, um dos focos que imaginava para Shimra era mostrar como as religiões podem se aproveitar das pessoas e a história mostra isso muito bem”, ressalta Victor. 

Sobre a exposição, o artista espera que o público possa ter uma noção de como o universo começou a ser criado e entender como se deu o processo de suas primeiras explorações visuais. “Espero poder transmitir para o público toda a ambientação e tom que imaginei pra esse universo e, possivelmente, fazer com que se conectem a essa história tanto quanto eu”, fala o artista. A exposição é composta por 20 obras de artes visuais digitais e continua em cartaz até 12 de outubro.

A concepção do universo de Shimra começou em 2014, a partir de cenários e personagens desenvolvidos por Victor Harmatiuk e uma ideia ainda muito inicial de qual seria a história desse mundo construído no deserto. Depois, Victor compartilhou suas idéias de história com Gabriela Antonia Rosa, a responsável pela criação e desenvolvimento da narrativa. A produção de Shimra foi financiada em 2018 pelo Município de Curitiba através de um edital da Fundação Cultural de Curitiba, com apoio do Fundo Municipal de Cultura.

Victor já trabalhou como ilustrador e Concept Artist para estúdios nacionais e internacionais em vários projetos para PC, mobile, board games, animações e anúncios publicitários. Em 2016, ele fez parte do artbook Visions of a Thousand Eyes ao lado de outros artistas renomados como James Paick, Efflan Mercier e Darek Zabrocki.

SERVIÇO:
Abertura da Exposição “Shimra”
De 02 de agosto a 12 de outubro.
Local: Gibiteca de Curitiba – Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 533, centro de Curitiba.
Horário: 19h
Entrada Gratuita.
Página do evento, aqui

SINOPSE:
Treinadas desde crianças para defender seu país, as guerreiras de SHIMRA têm como honraria máxima o sacrifício voluntário, quando seu sangue é entregue ao Tudo e renova a crença do povo nas Forças: Ideia, Sorte, Perda, Ilusão, Sombra, Magia e Cor, que garantem o equilíbrio entre os distritos. Para receber essa honra, é a Sorte quem escolhe sete guerreiras, em uma cerimônia especial. Cada uma das Escolhidas recebe uma pequena pedra colorida, o maior e mais raro tesouro dos shimres. Dentro de um mundo de regras violentas não escrita, o que pode acontecer quando uma das guerreiras encontra uma pedra por acaso?

Serviço:
Lançamento e Sessão de Autógrafos da História em Quadrinhos “Shimra”
Data: 16 de agosto.
Local: Gibiteca de Curitiba – Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 533, centro
Horário: 19h
Distribuição Gratuita.

BRASIS NO PAIOL APRESENTA HURTMOLD 20 ANOS

Banda instrumental é a penúltima atração do projeto em 2018.

Brasis no Paiol traz a Curitiba o show comemorativo de 20 anos da banda Hurtmold. Destaque no cenário independente de música instrumental, o grupo se apresenta no dia 16 de novembro, às 20h no Teatro do Paiol, em Curitiba. Os ingressos já estão à venda e custam entre R$20 e R$40.

Com influências calcadas no rock e que passam pelo jazz, punk, funk, música eletrônica até chegar aos ritmos regionais da música brasileira, Hurtmold já dividiu o palco com músicos como o norte-americano Rob Mazurek, o brasileiro Paulo Santos (Uakti) e o suiço Thomas Rohrer. Individualmente seus integrantes colaboraram com os artistas Naná Vasconcelos, Pharoah Sanders, Bill Dixon, Roscoe Mitchell, Toninho Horta, Prefuse 73, Dan Bitney (Tortoise), Joe Lally (Fugazi), Mike Ladd, High Priest, entre outros.

De 1998 para cá, Hurtmold lançou seis álbuns. O sétimo nasceu quando entraram em estúdio novamente, mas desta vez para a produção do álbum Hurtmold & Paulo Santos, Curado, que saiu em setembro de 2016 e entrou na lista dos melhores discos do ano da Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA). Em 2017, lançaram a edição comemorativa de 15 anos do álbum Cozido em vinil.

Agenda Brasis no Paiol
07/12 – Badi Assad lança “Volta ao Mundo em 80 Artistas”.

Sobre o projeto
Brasis no Paiol é uma iniciativa das produtoras Santa Produção e Fineza Comunicação & Cultura, em um parceria iniciada em 2012. Alguns nomes que já passaram pelo palco do Brasis: Qinho, Sambas do Absurdo, Rael, Karol Conka (com Emicida e Kamau), Metá Metá, Juçara Marçal, Pélico, Romulo Froes, Katia B, Ná Ozzetti, Passo Torto, Rico Dalasam, Trupe Chá de Boldo, Graveola, Alzira E, Fióti, Saulo Duarte e a Unidade, Patricia Bastos & Dante Ozzetti, Bianca Gismonti, Macaco Bong, Felipe Cordeiro, entre outros. Em 2018, o projeto conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Curitiba, Fundação Cultural de Curitiba, Joaquim Livros & Discos, A Caiçara, Effex Tecnologia e Criação e Cliteriosa Comunicação. O projeto gráfico é de Jaime Silveira.

SERVIÇO:
HURTMOLD 20 ANOS
Data: 16 de novembro, sexta
Hora: 20h
Local: Teatro do Paiol – Praça Guido Viaro, s/n – Prado Velho, Curitiba.
Ingressos: R$20 e R$40.
Pontos de venda: bilheteria do teatro, Livraria Joaquim e A Caiçara.
Página do evento, aqui

Ouça Hurtmold: aqui