BRASIS NO PAIOL EM CASA ANUNCIA EDIÇÃO DE OUTUBRO

Monna Brutal. Foto: Rogério Fernandes

Projeto traz apresentações de 10 artistas curitibanas, curitibanos e paulistas nos dias 24 e 25 de outubro, sábado e domingo.

Enquanto a vacina não chega, Brasis no Paiol migra do icônico teatro curitibano para a sala da casa das/dos/des artistas. A segunda edição online do projeto traz 10 shows, distribuídos entre os dias 24 e 25 de outubro. Entre eles estão as rappers paulistas Mel Duarte, uma das idealizadoras do Slam das Minas SP, Monna Brutal e o Kiko Dinucci. De Curitiba, participam as compositoras Rubia Divino, Trio Armorial, Bruna Lucchesi, Hillbilly Rawhide, Wes Ventura, Louie R. e Tapuia Trio. As apresentações serão no canal do Projeto Brasis no Youtube, a partir das 18h, com direito a bate papo com as bandas no chat.

Com a alteração para o formato online, o Brasis no Paiol teve a oportunidade de quintuplicar o número de artistas participantes, possibilitando monetizar um dos setores da economia mais prejudicado pelo isolamento social. Uma das exigências do edital é que 70% das pessoas que se apresentem sejam de Curitiba, fomentando o setor cultural regional. A nova versão também aumentou a abrangência, já que em vez dos 220 ingressos por show, os shows poderão ser visto pelo público de qualquer lugar do mundo que tenha acesso à internet.

A primeira edição do Brasis em Casa, realizada nos dias 26 e 27 de setembro, contou com mais de 2 mil visualizações e as seis horas de shows e discotecagens estão disponíveis no no canal “Projeto Brasis” no Youtube. Ainda tem outros três fins de semana: 21 e 22 novembro, 18 e 19 de dezembro, 23 e 24 de janeiro.

Programação #BrasisEmCasa outubro

24 de outubro, sábado:
18h – Rubia Divino (PR)
18h30 – Trio Armorial (PR)
19h – Kiko Dinucci (SP)
19h30 – Bruna Lucchesi (PR)
20h – Hillbilly Rawhide (PR)

25 de outubro, domingo
18h – Mel Duarte (SP)
18h30 – Wes Ventura (PR)
19h – Monna Brutal (SP)
19h30 – Louie R. (PR)
20h – Tapuia Trio (PR)

Brasis no Paiol
Realizado em Curitiba desde 2012, o projeto Brasis no Paiol está em sua oitava temporada. Neste ano, com uma mudança no formato e no número de apresentações. Os shows saíram do tradicional Teatro do Paiol e passaram a ser transmitidos pela internet, em cinco edições mensais com 10 atrações em cada, de setembro a janeiro de 2021.

Realizado pelos produtores Bina Zanette (Santa Produção) e Heitor Humberto (Fineza Comunicação e Cultura), artistas de diferentes regiões do Brasil, bem como nomes da Curitiba, apresentam novidades, lançamentos, estreias e projetos especiais. Até hoje, já foram mais de 70 shows.

Em 2020, o projeto é realizado com o Projeto de Apoio e Incentivo à Cultura, da Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura Municipal de Curitiba. Conta com o patrocínio do Ebanx e o apoio da Effex Tecnologia e Criação, Cliteriosa Comunicação e haharadio.

Serviço
Brasis em Casa
24 e 25 outubro, a partir das 18h.
Transmissão canal Projeto Brasis: https://bit.ly/youtubebrasis
Mais informações no evento: aqui 

fonte: Cliteriosa Comunicação No ponto

FCC LANÇA EDITAL PARA VIDEOCLIPES

Fundação Cultural de Curitiba lança edital, em caráter excepcional, para selecionar e apoiar financeiramente agentes culturais residentes em Curitiba que tenham Videoclipes (Solos ou Coletivos) na área da Música que, ao serem contemplados, venham a ser disponibilizados nas redes sociais da Fundação Cultural de Curitiba ou no Coreto Digital do Passeio Público – como forma de promoção e dinamização da economia da cultura no Município de Curitiba. INSCRIÇÕES ATÉ AS 12H DO DIA 21 DE SETEMBRO DE 2020.

Com relação às propostas de Videoclipes Coletivo, serão aceitas as produzidas até 15 de março de 2020, véspera da data na qual foi declarada Situação de Emergência em Saúde Pública no Município de Curitiba, em decorrência da infecção humana pelo novo Coronavírus (COVID-19), conforme disposto no Decreto Municipal nº. 421 de 16 de março de 2020.

Propostas elaboradas após 15 de março de 2020 com a participação de mais de um artista, gravadas em cenas individuais e editadas em um único material, deverão ser inscritas na categoria Videoclipes Solo.

Será disponibilizado para o presente Edital o valor de R$ 202.500,00 (duzentos e dois mil e quinhentos reais) destinados à contemplação de até 135 (cento e trinta e cinco) projetos, no valor R$ 1.500,00 (hum mil e quinhentos reais) cada.

As inscrições deverão ser realizadas no período entre as 18h do dia 16 de setembro de 2020 até as 12h do dia 21 de setembro de 2020, devendo o proponente respeitar os procedimentos estabelecidos neste Edital, aqui.

PROJETO BRASIS NO PAIOL 2020 SERÁ ONLINE E TERÁ 50 ATRAÇÕES

Novo formato quintuplica número de artistas participantes. Entre os nomes da edição de setembro estão Xênia França, Amaro Freitas e Brisa Flow.

Realizado em Curitiba desde 2012, o projeto Brasis no Paiol chega a sua oitava temporada com uma mudança no formato e número de apresentações. Os shows saem do tradicional Teatro do Paiol e passam a ser transmitidos pela internet, em cinco edições mensais com 10 atrações em cada, de setembro a janeiro de 2021. A principal razão para a alteração foi a impossibilidade de realização dos shows neste ano devido a pandemia.

A primeira edição vai ao ar nos dias 26 e 27 de setembro. No sábado, quem se apresenta é Xênia França, Brisa Flow, Alienação Afrofuturista convida Lemoskine, Sol.Katu Ê Maraca.Drum e a DJ Mitay. No domingo tem Amaro Freitas, Janine Mathias, Melina Mulazani, Ágatha Pradnik e Disco Veneno. As apresentações, de 30 minutos para shows e uma hora para discotecagem, serão no canal do Brasis no Paiol do Youtube e Twitch. Também serão transmitidos no perfil da Santa Produção do Instagram e Facebook.
As próximas datas do projeto serão nos dias 24 e 25 de outubro, 21 e 22 novembro, 19 e 20 de dezembro e 23 e 24 de janeiro.

Do teatro para a tela

Faltavam poucos dias para a divulgação da temporada 2020 do Brasis no Paiol quando a quarentena foi anunciada. O projeto, que contaria com 10 apresentações de abril a dezembro, no icônico Teatro do Paiol em Curitiba, entrou em pausa. Com a incerteza do retorno das atividades culturais ao vivo, o Brasis precisou ser reformulado.

“O Paiol é um local muito especial, os shows lá são sempre uma experiência incrível. Mas apesar de o projeto estar totalmente ligado ao espaço, não fazia sentido a gente esperar um retorno das atividades enquanto artistas e técnicos estão com sua atuação comprometida. Por isso nos esforçamos para que o evento fosse realizado ainda neste ano, adaptando seu formato”, explica a produtora Bina Zanette, uma das idealizadoras do projeto.

Com a alteração, o Brasis no Paiol teve a oportunidade de quintuplicar o número de artistas participantes, possibilitando monetizar um dos setores da economia mais prejudicado pelo isolamento social. Aumenta também sua abrangência, já que em vez dos 220 ingressos por show, poderá ser visto pelo público de qualquer lugar do mundo que tenha acesso à internet.

Brasis no Paiol

Desde 2012, os produtores Bina Zanette (Santa Produção) e Heitor Humberto (Fineza Comunicação e Cultura) realizam uma sequência de shows no Teatro do Paiol, com artistas de diferentes regiões do Brasil, bem como nomes da cidade. O objetivo é sempre apresentar novidades, lançamentos, estreias e projetos especiais de artistas com trabalhos de relevância artística, que gerem interesse do público curitibano. Até hoje, já foram mais de 70 apresentações.

Em 2020, o projeto é realizado com o Projeto de Apoio e Incentivo à Cultura, da Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura Municipal de Curitiba. Conta com o patrocínio do Ebanx e o apoio da Effex Tecnologia e Criação, Cliteriosa Comunicação e haharadio. 

Artistas que já passaram pelo projeto
Karol Conka (com Emicida e Kamau), Luedji Luna, Tulipa Ruiz, Anelis Assumpção, China, Siba, Aláfia, Metá Metá, Juçara Marçal, Pélico, Rael, Romulo Froes, Katia B, Ná Ozzetti, Passo Torto, Rico Dalasam, Trupe Chá de Boldo, Graveola, Alzira E, Fióti, Saulo Duarte e a Unidade, Patricia Bastos & Dante Ozzetti, Bianca Gismonti Trio, Macaco Bong, Felipe Cordeiro, Qinho, Badi Assad, Sambas do Absurdo, Janine Mathias, Hurtmold, Conde Baltazar, Rodrigo Campos, Melina Mulazani e Luciano Faccini, Apanhador Só, Naked Girls and Aeroplanes, Itaercio Rocha, Vitor Araújo, Trombone de Frutas, Du Gomide, Mundareu, Real Coletivo, Duofel com Carlos Malta e Robertinho Silva, Copacabana Club, entre outros.

SERVIÇO 
Brasis no Paiol em Casa – Edição de setembro
:: 26 de setembro, sábado, 18h
:: 27 de setembro, domingo, 18h

Transmissão:
twitch – /brasisnopaiol
youtube – Brasis no Paiol
facebook – /santaproducao
instagram – @santaproducao

NENA INOUE FAZ TEMPORADA ONLINE, GRATUITA E COM TRADUÇÃO EM LIBRAS DO PREMIADO SOLO “PARA NÃO MORRER”

Nena Inoue. Foto: Lidia Ueta

O espetáculo visto por mais de 27 mil pessoas, rendeu à Nena o Prêmio Shell 2019 de Melhor Atriz no Rio de Janeiro, além do Troféu Gralha Azul de Melhor Atriz em 2017. Agora em versão on-line, gratuita e com tradução em Libras, a gravação da obra segue todos os protocolos de saúde e além das apresentações, o projeto oferece debates e oficinas abertas para o público

A atriz Nena Inoue fará uma temporada online com 15 exibições do espetáculo “Para Não Morrer”, sendo 5 abertas e gratuitas para o público nos dias 3, 4, 5, 11 e 12 de setembro às 20h, e 10 fechadas e exclusivas para entidades e coletivos de apoio à mulheres, instituições, movimentos sociais, associações de professores e de classe, além do público feminino que se encontra em isolamento social mesmo antes da pandemia, como presidiárias e idosas em asilos. Todas as exibições online possuem tradução em Libras e serão seguidas de um debate ao-vivo com o público a partir da obra apresentada, também com tradução simultânea em Libras.

As 5 apresentações abertas serão exibidas nas páginas do Espaço Cênico e dos parceiros Brasil de Fato, MST Nacional, Bicicletaria Cultural e Mães pela Diversidade. E para quem quiser se inscrever e receber o link da exibição e debate por e-mail momentos antes da exibição, basta fazer uma inscrição simples e gratuita pela plataforma: https://bit.ly/32tW6Wn

Dentro do contexto da pandemia, a atriz e produtora cultural Nena Inoue trabalhou para que todas as mudanças necessárias fossem feitas e adaptou o projeto para cumprir temporada on-line respeitando o distanciamento social: “Neste momento pandêmico, onde os trabalhadores da cultura se encontram impedidos de trabalhar e temos milhões de artistas e técnicos desempregados no Brasil, me propus a atuar da forma possível e, respeitando o isolamento social, a forma de seguir e levar nosso teatro ao público neste momento é via on-line, então se assim é, assim será. Consegui também manter a proposta de trabalho inicial e levar este trabalho a comunidades menos favorecidas, incluindo mais profissionais ao projeto – como registros de vídeo, transmissões, além de locação de um espaço teatral parceiro (o Ave Lola) – estamos nos movendo e criando caminhos para continuar, possibilitando trabalho e remuneração aos nossos profissionais do teatro”, afirma a artista.

Em cena e online, Nena se transforma numa mulher ancestral e onipresente, que se apropria da palavra e traz à memória várias personagens históricas: mulheres negras, indígenas, guerrilheiras, mães, avós, filhas, de diferentes épocas e lugares que foram violentadas, torturadas, assassinadas e esquecidas.

A obra está em cartaz desde 2017 e já foi assistida por mais de 27.000 pessoas. Sobre o espetáculo, o crítico teatral do jornal “O Globo”, Patrick Pessoa, escreveu: “Nena Inoue transforma luto em luta… espetáculo para não perder”. O solo conta com dramaturgia de Francisco Mallmann a partir da obra “Mulheres”, do uruguaio Eduardo Galeano (1940-2015). A encenação concebida por Nena, tem direção de texto de Babaya e apresenta temáticas femininas e feministas atreladas a questões histórico-políticas, especialmente da América Latina.

O projeto foi adaptado para que as apresentações online e debates ofereçam uma experiência enriquecedora para o público e foi produzida de forma segura para artistas e técnicos, seguindo todos os protocolos de segurança de saúde para a gravação do espetáculo.

Além das 5 apresentações abertas e das 10 apresentações fechadas para instituições parceiras, o projeto prevê debates posteriores às exibições do espetáculo – que se transformarão em uma série de podcasts – além de 11 Oficinas de Iniciação Teatral, direcionadas gratuitamente ao público que assistir ao espetáculo, que acontecerão de forma on-line, no decorrer de setembro e outubro.

Lembrando que 5 de todas as exibições online são gratuitas e abertas, e podem ser assistidas nas páginas do Espaço Cênico (03/09) e nas páginas dos parceiros Brasil de Fato (04/09), MST Nacional (05/09), Mães pela Diversidade (11/09) e Bicicletaria Cultural (12/09). E para que o público interessado possa se programar e ser avisado na data e horário da exibição, é necessário o cadastro gratuito no link: https://bit.ly/32tW6Wn

Serviço:
Exibições online, gratuitas e com tradução em Libras do espetáculo “Para Não Morrer”, seguidas de debate com o público.
Exibições GRATUITAS e abertas nos dias 03, 04, 05, 11 e 12 de setembro às 20h. 
Inscrição online e gratuita via site: https://bit.ly/32tW6Wn

Também é possível assistir as exibições nas páginas:
03/09: Espaço Cênico – www.facebook.com/espacocenicocuritiba
04/09: Jornal Brasil de Fato – www.facebook.com/brasildefato
05/09: MST Nacional – www.facebook.com/MovimentoSemTerra
11/09: Mães pela Diversidade – www.facebook.com/MaespelaDiversidade
12/09: Bicicletaria Cultural – www.facebook.com/bicicletariacultural

As exibições GRATUITAS e fechadas para parceiros acontecerão nos dias:
28/08 e 6, 7, 10, 12, 13, 14, 16, 18, 19/09.

Nena Inoue. Foto: Luísa Bonin.

Sobre Nena Inoue:
Nascida em Córdoba (Argentina) e desde os nove anos no Brasil, Nena Inoue é artista gestora, produtora, diretora teatral e atriz formada em 1978 pelo Curso Permanente de Teatro do Centro Cultural Teatro Guaíra. Completando 40 anos de carreira, contabiliza mais de 80 espetáculos profissionais e atua ainda como Coordenadora do Espaço Cênico desde 1997. Esteve na mesma função por nove anos (2000 a 2009) ao lado de Luís Melo no ACT – Ateliê de Criação Teatral, espaço que realizou e abrigou distintos trabalhos de caráter multiárea. Foi também Diretora Artística do Centro Cultural Teatro Guaíra (2003 a 2006); produtora da Sutil Companhia de Teatro (2008 a 2010) e, desde 2009, tem sua produção artística voltada às temáticas de caráter histórico-político-social.

Sobre o espetáculo:
Até o momento realizou 250 apresentações com um público aproximado de 27.000 pessoas. Estreou no Festival de Curitiba/Mostra Oficial, em abril de 2017 e nesse ano fez temporadas em Curitiba, no Teatro José Maria Santos, Ave Lola Espaço de Criação, Espaço Fantástico das Artes e em São Paulo, no SESC Pinheiros/SP. Apresentou-se nos festivais FILO – Festival Internacional de Londrina, no SINGA-Simpósio Internacional de Geografia Agrária e na Mostra SÓ EM CENA, de Maringá. Em 2018 no FICA Natal – Festival Internacional de Natal, no III Curitiba Mostra/Festival de Curitiba e temporadas no Teatro Poeirinha (RJ) e Teatro Guaíra (PR) e circulação pelo SESC PR nas cidades de Londrina, Maringá, Cascavel, Paranavaí e Ponta Grossa. Em 2019 apresentações no SESC Ginástico (RJ), no Teatro Municipal de São João del Rey, Mostra Resistências em São José do Rio Preto, no Teatro do SESI de São José dos Pinhais, Circulação SESC SC em 8 cidades (Florianópolis, Blumenau, Itajaí, Joinville, Jaraguá do Sul, Concórdia, Laguna, Lages; duas temporadas no Teatro Lala Schneider e participou do Festara – Festival de Teatro de Araçatuba. EM 2020 apresentou-se no SESC São José dos Campos.

Premiações: Prêmio Troféu Gralha Azul 2017 de Melhor Atriz e Prêmio Shell 2019 de Melhor Atriz.

FICHA TÉCNICA:
Dramaturgia: Francisco Mallmann, à partir da obra de Eduardo Galeano
Direção e Atuação: Nena Inoue
Direção de Texto: Babaya Morais
Iluminação: Beto Bruel
Figurino: Carmen Jorge
Cenário: Ruy Almeida
Gravação: Alan Raffo e Lidia Ueda
Técnico Operador: Vinícius Sant
Identidade Visual: Martin Castro
Fotografias: Elenize Deszgeniski, Lidia Ueta, Marcelo Almeida, Raquel Rizzo, Luísa Bonin
Assessoria de Imprensa e Mídias Sociais: Luísa Bonin e Thays Cristine – Platea Comunicação e Arte
Vídeos Redes Sociais: Diego Florentino – Trópico TV
Produção: Guilherme Jaccon
Assistencia Produção: Lidia Ueta
Administração: Judy Fiorese
Direção de Produção: Nena Inoue
Realização: Espaço Cênico

“PROJETO REALIZADO COM O APOIO DO PROGRAMA DE APOIO E INCENTIVO À CULTURA – FUNDAÇÃO CULTURAL DE CURITIBA E DA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA”

Realização:
Espaço Cênico
Incentivo:
EBANX
Incentivo:
Lei de Incentivo à Cultura
Fundação Cultural de Curitiba
Prefeitura de Curitiba

EM DOSE DUPLA: CIRCO DA CIDADE RECEBE DOIS ESPETÁCULOS GRATUITOS DE CIRCO-TEATRO COM O COLETIVO PALHAÇX GOURMET

A Pequena Loja Mística da Madame Sinistro – Foto de Mateus Tropo

As peças, que acontecem no mesmo dia e contam com elencos grandes, estreiam no dia 07 de março e ficam em cartaz aos sábados e domingos, às 15h e às 17h, até o dia 22 de março. A entrada é gratuita. Página do evento, aqui

As obras “A Pequena Loja Mística da Madame Sinistro” e “Fim dos Tempos” terão sua estreia na lona do Circo da Cidade – Zé Priguiça, no dia 07 de março (sábado) e ficam em cartaz até o dia 22 – aos sábados e domingos – com apresentações sempre às 15h e às 17h, respectivamente. Os ingressos são gratuitos e começam a ser distribuídos uma hora antes do início do espetáculo.

As duas dramaturgias inéditas fazem parte do CIRCO-TEATRO BOQUEIRÃO, novo projeto do coletivo curitibano Palhaçx Gourmet. Por meio de apresentações gratuitas, a iniciativa nasceu com o propósito de movimentar o Circo da Cidade, além de alimentar espaços de convivência e socialização, prática comum de companhias de Circo-Teatro tradicionais.

Essencialmente, os espetáculos são sobre grupos que resistem à imposição de forças maiores, sejam elas grandes empresas ou figuras de autoridades que sequer dão as caras. Em “A Pequena Loja Mística da Madame Sinistro” que acontece às 15h, a personagem Valkiria, mais conhecida como a paranormal Madame Sinistro, juntamente com seu filho Gigi, um jovem que consegue ouvir os objetos falarem, e Adalberto, um aspirante a atirador de facas, trabalham numa loja mística prestes a falir. O sonho de Valkiria sempre foi ter uma loja, mas esse desejo está ameaçado por uma dupla trambiqueira que quer construir um estacionamento na região e para isso precisam expulsar a família do local.

Fim dos Tempos – Foto de Mateus Tropo

Já em “Fim dos tempos”, apresentada às 17h, a personagem Sandra Pereira sonha em montar sua nova peça chamada “Fim dos Tempos” assim que terminar a última apresentação de uma temporada de 10 anos do espetáculo Chapeuzinho Vermelho. Porém, quando o patrocinador chega com mais 300 crianças para uma sessão extra, toda a equipe artística se atrapalha para fazer essa peça que já não queria mais. Enquanto apresenta, uma confusão fora do circo chama a atenção da companhia. A cada dia de exibição, serão apresentadas as duas peças, respectivamente às 15h e às 17h, nas quais o elenco exerce diferentes funções, dividindo-se em atuação, contrarregragem e técnica, trabalhando simultaneamente dentro e fora do espaço cênico. Além disso, as peças se cruzam, com objetos cênicos, cenários e referências que atravessam de uma para a outra.

Para diversificar seu repertório artístico e criar as dramaturgias, as palhaças e os palhaços do coletivo partiram da pesquisa e experimentação sobre a linguagem do Circo-Teatro, um formato popular e originalmente brasileiro. Como parte do processo, o elenco fez, inclusive, uma breve residência artística no Circo de Teatro Tubinho, referência no fazer circo-teatral.

“Estamos propondo um modelo de ocupação de espaço em que as pessoas são convidadas a ficar lá mais tempo do que muitas costumam em peças de teatro ou espetáculos circenses na cidade, vendo as trocas de cenário, a circulação de artistas”, conta Edran Mariano, diretor de produção da peça, sobre a importância do circo como a escolha do palco. 

Além das apresentações gratuitas no Circo da Cidade, o projeto promove outras ações, que incluem sessões exclusivas para alunos de escola pública mediante agendamento, oficinas artísticas gratuitas de Técnicas Circenses, que acontecerão sempre às quartas-feiras (manhã e tarde) entre os dias 11 de março e 15 de abril, intituladas “Palhaçaria Para Iniciantes” e “Números Circenses, além de um Cabaré com os artistas do CIRCO-TEATRO BOQUEIRÃO e os participantes das oficinas artísticas, como forma de encerramento.

SERVIÇO
De 07 a 22 de março, sábados e domingos
15h | A Pequena Loja Mística da Madame Sinistro – Classificação indicativa: 10 anos
17h | Fim dos Tempos – Classificação indicativa: 12 anos
Entrada franca, com ingressos distribuídos uma hora antes do início do espetáculo
Circo da Cidade – Zé Priguiça | Rua Dr. Benedicto Siqueira Branco, s/nº- Alto Boqueirão
Informações: (41) 3287-5307

Sobre o Palhaçx Gourmet
Originado em 2015, o coletivo Palhaçx Gourmet investiga e pratica palhaçaria, improvisação e música. Atualmente com 12 integrantes, o grupo se apresenta um sábado por mês na Casa da Flor Bistrô, em Curitiba, de forma independente e com entrada gratuita. O coletivo acredita na contribuição livre no chapéu como forma de democratizar o acesso ao trabalho produzido, movimentando a cidade culturalmente e instigando reflexão sobre a valorização da arte. Dentre as produções, destacam-se as “Palhaças Gourmet”, o “Cabernet” e o “Ocupa Rua”.

FICHA TÉCNICA
Direção: Ricardo Nolasco
Elenco e Criação: Bruno Lops, Diogo Bonito, Fernanda Fuchs, Igor Ribeiro, Karina Flor, Larissa Lima, Lucri Regianni, Má Ribeiro, Mateus Tropo, Paulo Henrique Carneiro, Rodrigo Fowolski
Provocação e Orientação Artística: Jo Mistinguett (sonoplastia), Leonarda Glück (dramaturgia), Patrícia Cipriano (figurino)
Cenotécnicos: Anderson Quinsler e Felipe Gustavo Casagrande
Costureiras: Adelaide dos Santos Silva, Ana Luiza Costa de Melo, Catarina Ribeiro e Lurdes – Lú Confecções
Iluminação: Victor Sabbag
Produção de Áudios: Jo Mistinguett
Locuções: Ricardo Nolasco
Design Gráfico: Ju Stin
Assessoria de Imprensa e Mídias Sociais: Luísa Bonin e Thays Cristine – Platea Comunicação e Arte
Fotos de Divulgação: Mateus Tropo (registro) e Francineli Valdeira (edição)
Registro Fotográfico: Francineli Valdeira
Registro Audiovisual: Bruno Mancuso
Captação: Renata Cunali e Rumo de Cultura
Assistência de Produção: Dânatha Siqueira e Francineli Valdeira
Direção de Produção: Edran Mariano
Coordenação do Projeto: Bruno Lops, Larissa Lima, Má Ribeiro
Realização: Palhaçx Gourmet

GRUPOS DE TRABALHO – CRIAÇÃO
– Dramaturgia: Bruno Lops, Diogo Bonito e Ricardo Nolasco
– Figurino: Fernanda Fuchs, Karina Flor, Larissa Lima e Patrícia Cipriano
– Sonoplastia: Jo Mistinguett e Rodrigo Fowolski
– Cenários e traquitanas: Igor Ribeiro, Lucri Reggiani, Má Ribeiro, Paulo Henrique Carneiro e Mateus Tropo

OFICINAS PARA COMUNIDADE
Oficinas de Palhaçaria e Orientação Cênica: Larissa Lima e Má Ribeiro
Oficinas de Técnicas Circenses: Sabrina Almeida e Luis Borges

RESIDÊNCIA ARTÍSTICA
Circo de Teatro Tubinho
Projeto realizado com o apoio do Programa de Apoio de Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba, com incentivo do CEDIP e Celepar.

Assessoria de Imprensa
Luísa Bonin e Thays Cristine
Platea Comunicação e Arte
platea.comunicacao@gmail.com

 

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA O NÚCLEO DE PROJETOS AUDIOVISUAIS DE CURITIBA (NPA) – EDIÇÃO 2020

Os roteiristas selecionados terão encontros quinzenais e gratuitos, de março a agosto. Inscrições até 06 de março.

O Núcleo de Projetos Audiovisuais de Curitiba (NPA) está com as inscrições abertas até 06 de março para o processo seletivo de 2020. 24 roteiristas terão a oportunidade de desenvolver e aprimorar seu projeto de série ou longa-metragem de ficção ao longo dos próximos seis meses. Os encontros com os orientadores, a roteirista e diretora curitibana Jessica Candal e o roteirista e professor da escola de cinema latino-americana, EICTV-Cuba, Daniel Tavares, que irão guia-los na escrita dos roteiros, serão quinzenais e totalmente gratuitos. Em formato de fórum de discussão o objetivo é que esses encontros, além de oportunizarem orientações e desenvolvimento de ideias, cultivem principalmente a troca e promova a fala e a escuta entre os artistas. O desejo é que no final os projetos estejam prontos para buscar financiamento para sua viabilização. 

Durante esse período, também serão oferecidas masterclasses com outros profissionais de renome da área. Sempre gratuitas, abertas ao público e irão abordar a narrativa audiovisual sob diferentes perspectivas, de acordo com o ministrante convidado. Em agosto, os projetos participantes do NPA serão apresentados numa Mostra Final, aberta ao público, com a presença de produtores locais e da comunidade. As inscrições podem ser realizadas pelo site: www.tambormultiartes.com 

“As edições sucessivas e regulares do NPA vão criando um espaço de encontro de criadores, realizadores e produtores não só do audiovisual, mas também de outras artes. É um movimento de integração e também de estímulo à produção singular de cada artista. O resultado já está começando a aparecer, com projetos sendo produzidos e aprovados em editais de desenvolvimento e produção. Em breve, veremos alguns desses projetos ocupando espaços de exibição no cinema e na TV. A proposta é que o projeto ganhe mais força ao passar pelo Núcleo, aumentando a probabilidade de viabilizá-lo, além de impulsionar e ajudar a consolidar filmes e séries que trazem as nossas histórias”, declara Marcelo Munhoz, um dos coordenadores do Núcleo. 

“Nosso foco esse ano é aprimorar e potencializar cada etapa do processo: as masterclasses, o trabalho do grupo de desenvolvimento e também ampliar, registrar e divulgar mais os resultados da Mostra Final, que desta vez será aberta ao público”, avisa. 

Projeto aprovado no Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura | PROFICE da Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura | Governo do Estado do Paraná. Apoio: COPEL. 

Conta ainda com o apoio da Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba. 

Sobre a Tambor Multiartes: 
O NPA é uma inciativa da Tambor Multiartes e teve origem no Núcleo de Dramaturgia Cinematográfica do SESI/PR e no Núcleo Audiovisual SESI/PR que formou roteiristas e ajudou a desenvolver projetos de 2012 a 2015. O Núcleo de Crítica de Cinema em 2016 veio consolidar a formação de pensamento sobre a realização audiovisual. Outro projeto realizado pela Tambor foi o Ficção Viva que trouxe importantes cineastas ibero-americanos para ministrar oficinas de roteiro em Curitiba, como Karim Aïnouz, Kleber Mendonça, Guillermo Arriaga (México), Lucrecia Martel (Argentina) e Pedro Costa (Portugal). 

Marcelo Munhoz, um dos coordenadores do NPA, além de fundador da Tambor, foi um dos idealizadores do Projeto Olho Vivo que realizou o Ponto de Cultura Minha Vila Filmo Eu, trabalho de ensino de cinema na Vila das Torres, em Curitiba, que obteve reconhecimento nacional. A Tambor Multiartes realizou ainda o documentário A Grande Nuvem Cinza, com direção de Marcelo Munhoz. Para saber mais visite o site: www.tambormultiartes.com 

SERVIÇO: 
Inscrições para o Núcleo de Projetos Audiovisuais de Curitiba – Edição 2020 
Data: até 06 de março 
Encontros de 21 de março a 15 de agosto 
Inscrições: www.tambormultiartes.com 

CONTATOS: 
Assessoria de Imprensa 
Glaucia Domingos 
41 99909 7837 
glauciadomingos@hotmail.com 

Produção e Coordenação 
Marcelo Munhoz – 41 99903 5516 
Vivian Britsch – 41 98414 4004 
contato@tambormultiartes.com 
www.facebook.com/npacuritiba/ 
instagram: @npacuritiba

TEATRO ZÉ MARIA E CASA HOFFMANN RECEBEM A PERFORMANCE HISPANO-BRASILEIRA ‘DEVÓRATE’

DEVÓRATE from Mari Paula on Vimeo.

Após turnê por cidades espanholas e nordeste brasileiro, a performance de dança fará curta temporada em Curitiba 

De 25 de outubro a 3 de novembro, Curitiba recebe pela primeira vez o espetáculo “Devórate”, que estará em cartaz no Teatro Zé Maria e Casa Hoffmann. “Devórate” é um solo de dança produzido através de uma conexão entre Brasil e Espanha, uma co-produção entre a espanhola Rebeca García e a brasileira Mari Paula. As apresentações acontecem de sexta à domingo e os ingressos já estão à venda por R$ 10,00 (dez reais) e R$ 5,00 (cinco reais). 

Projeto vencedor do Programa Iberescena 2019 (FUNARTE) e incentivado pela Fundação Cultural de Curitiba e Ebanx, “Devórate” foi idealizada e interpretada por Mari Paula, a performance tem a direção de movimento de Rebeca García e a colaboração de Janet Novás, Leonarda Glück, Reinaldo Ribeiro e Ricardo Nolasco. 

Em busca de uma estética antropófaga e pós-apocalíptica, a criação coreográfica realiza um profundo trabalho de pesquisa em sete residências em diferentes centros de criação na Espanha e no Brasil para chegar à estréia com uma peça sólida. Segundo Mari Paula “na dança e na performance diversas narrativas podem ser criadas e nós artistas devemos ter consciência na relação que existe entre o nosso discurso e nossa prática. Devemos criar com responsabilidade social (…) Não se pode fazer um trabalho no ‘modo Instagram’, com pressa, é necessário aprofundar.” 

Em suas últimas criações em dança e performance, a bailarina e gestora cultural Mari Paula vem investigando o corpo por meio da intervenção urbana e da antropofagia cultural. Ela também é uma das co-fundadoras do Espaço Cultural Casa Selvática em Curitiba e integrou o elenco de importantes companhias públicas de dança contemporânea do Brasil, das quais se destaca o Balé Teatro Guaíra. 

Com “Devórate”, realizou sua última residência no Palácio de Festivales (Cantabria – Espanha) e circulou por diferentes teatros e festivais da Espanha e do Brasil, como: Festival La Espiral Contemporanea (Cantabria), Festival Eima (Mallorca – Espanha), Teatro Isabel La Católica (Granada – Espanha), Carme Teatre (Valência – Espanha), Festival Cena Cumplicidades (Recife – BR). 

Sinopse: Esta peça foi criada para degradar-se em 450 anos sobre a Grande Porção de Lixo do Pacífico, onde o plástico engoliu o futuro. Rebotalho da humanidade, uma mulher foi transformada em proletária digital após a crise da representação. Come-se a si mesma em busca do prazer do corpo coletivo que perdeu outrora. 

Devórate. Crédito foto: Anjana Guerras

Serviço: “Devórate” 
De 25 a 27 de outubro, sexta e sábado às 20h00 e domingo às 18h Teatro Zé Maria (O Teatro da Classe) | R. Treze de Maio, 655 – São Francisco, Curitiba Ingressos: http://bit.ly/Devorate 

De 1 a 3 de novembro, sexta e sábado às 20h00 e domingo às 18h Casa Hoffmann | R. Dr. Claudino dos Santos, 58 – São Francisco Ingressos: https://bit.ly/DevorateCH 

Classificação: 18 anos Duração: 50 minutos Ingressos: R$ 10,00 (dez reais) e R$5,00 (cinco reais) 

Página do evento, aqui

Equipe artística: Direção geral, conceito e performance: Mari Paula Direção de movimento: Rebeca García Colaboração dramatúrgica e de movimento: Janet Novás, Leonarda Glück, Reinaldo Ribeiro e Ricardo Nolasco Desenho de luz: Carlos Molina (LumiereScene) e Spacecircles Desenho sonoro: Jaime Peña Arte gráfica: Torreón Arquitectura Fotos e vídeo: Adrián Torices, LumiereScene e Spacecicles Captação de recursos: Nina Ribas Produção Executiva: Gabriel Machado e Mari Paula Produção Local: Giovana Lago Realização: Águila Produções 

Agradecimentos: Gabriel Machado, Princesa Ricardo Marinelli, Rubia Romani Gustavo Bitencourt, Jussara Belchior, Lívia Delgado, Zony Gomez e Annika Havlicek. 

Este projeto recebeu ajuda da Funarte através do programa Iberescena 2019. Projeto realizado através do programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura Municipal de Curitiba. 

Residências Artísticas: Casa Hoffmann Centro de Estudos do Movimento, Curitiba – Paraná Graner Centre de Creació de Dansa i Arts Vives, Barcelona – España Centro Danza Canal, Madrid – Madrid Nigredo Espacio, Madrid – Madrid Eima Creació, Palma – Mallorca 

Residências Técnicas: Carme Teatre, Valencia – Valencia Palacio de Festivales, Santander – Cantabria 

informações:
www.maripaula.com
Facebook: @maripaula.performing
Instagram: @maripaulah 

ESCRITORES DA COLEÇÃO GERAÇÃO PR10 PARTICIPAM DE DEBATE SOBRE PROCESSO CRIATIVO

Os encontros acontecem no Solar dos Guimarães e leituras de trechos das obras e distribuição gratuita dos livros que integram a série. 

A Kafka Edições, em parceria com a Fundação Cultural de Curitiba (FCC), promove a partir do dia 11 de outubro uma série de conversas com os escritores da Coleção Geração PR10, lançada no início deste mês. As obras, viabilizadas por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Curitiba – Mecenato Subsidiado, retratam a produção literária paranaense após 2010. Os encontros terão mediação do escritor e editor Paulo Sandrini e acontecem no Solar dos Guimarães. 

Os bate-papos começam com Carol Sakura, autora de A Batida dos dias, que na sexta-feira (11/10), debaterá a construção de sua narrativa a partir de elementos oníricos e cotidianos. Com uma potente reflexão diante de um caráter social opressor, sobretudo no que diz respeito às mulheres, a escritora busca compreender o mundo frente ao olhar para si. 

Na quarta-feira (16/10), Jonatan Silva, autor de Histórias mínimas, e Guylherme Custódio, autor de Contos do microcosmo, conversam a respeito do retrato minimalista como metáfora do absurdo cotidiano. Ambos os livros dialogam por meio de textos concisos, mas cuja profundidade ganha contornos imensos. Na sexta-feira (18/10) é a vez de João Paulo Partala e André Knewitz, autores de 14 Corpos de João e Maria e Zumbido, respectivamente, debatem a relação social entre os corpos e a narrativa como forma de combate. 

A Coleção 
A Coleção Geração PR10 é o registro das inquietações e das impossibilidades do sujeito contemporâneo diante do outro. Os seis livros que formam a série criam um importante mosaico de um mundo fragmentado e díspar. “A ideia é fazer com que essa coleção irradie os autores como novos nomes e que continue uma batalha da Kafka Edições em revelar uma ficção que busca desafiar a linguagem”, explica o editor Paulo Sandrini, responsável pela curadoria da coleção Geração PR10, juntamente com Fernando Koproski. 

Com a coleção Geração PR10, a Kafka Edições faz um mergulho denso no conto paranaense em suas novas formas e temáticas, mas sem perder de vista o diálogo com o que é produzido na literatura brasileira e internacional. As seis obras condensam um espírito combativo, experimental e altamente criativo das novas vozes da literatura do Paraná. 

Serviço 
Bate-papo Coleção Geração PR10 

Carol Sakura
Data: 11 de outubro
Horário: 19h 

 
Jonatan Silva e Guylherme Cusatódio
Data: 16 de outubro
Horário: 19h 


João Paulo Partala e André Knewitz
Data: 18 de outubro
Horário: 19h 

Local: Solar dos Guimarães
Endereço: Rua Mateus Leme, 66 – Centro – Curitiba 

FUNDO MUNICIPAL DE CULTURA FINANCIA PROJETOS DE ILUSTRADORES E QUADRINISTAS

Ilustradores, quadrinistas e cartunistas têm até o dia 24 de outubro para se inscrever no Edital Quadrinhos 2020/2021, da Fundação Cultural de Curitiba. Os projetos selecionados receberão recursos do Fundo Municipal de Cultura para a criação e publicação física ou virtual do trabalho, além da realização do evento de lançamento, exposição e workshop.

Serão selecionados 15 projetos de artistas que morem em Curitiba. Para os projetos serão destinados R$ 270 mil (R$ 18 mil para cada um), além de R$ 30 mil para custeio de atividades de apoio ao desenvolvimento dos trabalhos.

+ INFOS:  aqui

fonte

15º CURTA 8 – FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA SUPER 8 DE CURITIBA

Seguem abertas até 25 de setembro de 2019 as inscrições de filmes para as mostras competitivas do 15º CURTA 8 – Festival Internacional de Cinema Super 8 de Curitiba

Nos últimos anos o Curta 8 tem promovido a produção, exibição, divulgação e premiação de filmes na bitola super-8, além de resgatar a memória da produção cinematográfica produzida em super-8 no Brasil e no mundo.

O festival será realizado de 8 a 10 de novembro de 2019 no Cine Passeio, localizado à Rua Riachuelo, 410, Centro, Curitiba/PR, Brasil.

O evento tem a coordenação geral de Antonio Carlos Domingues, com produção de Adriano Esturilho e Fábio Allon, e direção de projeção de Lucas Vega. 

O Curta 8 é uma realização da PERFIL comunicação e cultura e da Processo MultiArtes, que conta com os apoios do Cine Passeio, ICAC – Instituto de Cultura e Arte de Curitiba, Fundação Cultural de Curitiba, Prefeitura Municipal de Curitiba e rádio Uni FM.

fonte

2017 – Curta 8 (Vinheta v02) from Processo MultiArtes on Vimeo.