ESPETÁCULO SOLO DE DANÇA-TEATRO BASEADO NA OBRA “THE HAMLETMACHINE”, DE HEINER MÜLLER, ESTREIA NESTE DOMINGO (04) NA MOSTRA SOLAR 2018

The Hamletmachine. Fotografia: Larissa de Lima

Com concepção e direção do bailarino Fábio Tavares, “Amanhã foi cancelado” propõem um estudo social e político de um corpo confuso e aflito lutando pela sobrevivência nos tempos modernos.

Nos dias 04 e 09 de novembro às 19h, a programação da Mostra Solar 2018 recebe o espetáculo de dança-teatro “Amanhã foi cancelado”, do renomado bailarino Fábio Tavares, artista curitibano que nos últimos 20 anos consolidou a sua carreira na cidade de Nova York. A entrada para as apresentações é franca e os ingressos serão distribuídos 1h antes na bilheteria da Casa Hoffmann (R. Dr. Claudino dos Santos, 58 – São Francisco).

Inspirado na obra “The Hamletmachine”, do escritor alemão Heiner Müller (1929 – 1995), “Amanhã foi cancelado” é um estudo social e político de um corpo confuso e aflito lutando pela sobrevivência nos tempos modernos. “Por se tratar de uma dramaturgia crua, brutal e trágica, essa obra despertou o meu interesse como artista do corpo em falar de um fenômeno tão evidente na contemporaneidade: essa ideia de um corpo ausente, máquina, automático”, considera Fábio Tavares – que assina a concepção e direção geral do espetáculo.

Com direção coreográfica de Andrea Lerner e direção dramatúrgica de Ana Rosa Tezza, o solo de dança-teatro também se debruça sobre a figura icônica da Ofélia – personagem que se revolta diante de um universo de opressão e abuso. “Nesta obra, a Ofélia retrata uma imagem de todos aqueles indivíduos que precisam lutar por igualdade, respeito e liberdade”, ressalta Fábio Tavares.

Sobre a Mostra Solar 2018
Com o objetivo de lançar luz sobre os artistas e a linguagem da dança, a Mostra Solar 2018 composta por solos de dança de 7 artistas da cidade e um artista convidado de Santa Catarina que vive em Paris dança em festivais pelo mundo. A programação acontece de 27/10 a 11/11 de 2018.

Sinopse da obra:
Espetáculo baseado na obra “The Hamletmachine” do escritor Heiner Müller. Um estudo social e político de um corpo confuso e aflito lutando pela sobrevivência nos tempos modernos. A obra é dedicada a todas as Ofélias do planeta.

Sobre o artista:
Fabio Augusto Tavares é ator, bailarino, acrobata e coreógrafo radicado em NYC há mais de 19 anos. Seus trabalhos coreográficos já foram apresentados na St.

Marks Church, La Mama Theater, The Clemente, BRIC, Triskelions Arts, Streb at SLAM , Susan Klein School of Movement and Dance e no festival “Not a Festival “ no Brooklyn. Professor graduado na Técnica de Alexander pelo American Center for the Alexander Technique em NYC, professor formado em Klein Technique™ pela própria Susan Klein e terapeuta certificado no sistema de integração estrutural e energética do corpo chamado de Zero Balancing. Também foi integrante e Diretor Artístico Associado da companhia de teatro físico STREB-EXTREME ACTION por 14 anos; fez parte do corpo docente da Universidade PACE de Nova York de 2014-2017, onde ministrava aulas de movimento consciente para jovens atores.

Ficha técnica:
Concepção e Direção geral: Fábio Tavares
Direção Coreográfica: Andrea Lerner
Direção Dramatúrgica: Ana Rosa Tezza
Direção Musical: Béco Dranoff
Objetos Esculturais: Marcos Rosales
Figurino: Eduardo Giacomini
Iluminação: Beto Bruel
Comunicação e Registro Audiovisual: Larissa de Lima
Produção executiva: Laura Tezza
Produção: Dara Van Doorn
Realização: Ave Lola e as Meninas Produções Artísticas.

“PROJETO REALIZADO COM O APOIO DO PROGRAMA DE APOIO E INCENTIVO À CULTURA – FUNDAÇÃO CULTURAL DE CURITIBA E DA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA”

Serviço:
The Hamletmachine

Data da apresentação: 04 e 09 de novembro às 19h
Local: Casa Hoffmann (R. Dr. Claudino dos Santos, 58 – São Francisco, Curitiba)
Ingressos: Entrada franca | distribuídos 1h antes do espetáculo na bilheteria do teatro
Classificação Indicativa: 16 anos

Confira a programação completa da Mostra Solar 2018, aqui

6º SARAU PERIFÉRICO TRAZ A BANDA INQUÉRITO A CURITIBA NESTE SÁBADO

No próximo dia 15 de setembro, quem gosta de rap nacional, hip-hop, poesia e apoia a luta por moradia, educação e respeito aos direitos das populações periféricas tem encontro marcado na Vila Sabará, Cidade Industrial de Curitiba! O Sarau Periférico, com entrada gratuita, apresenta os shows do grupo Inquérito e de representantes da cena local: Rel Firma Zica, Lipe Oliveira, Poesia Periférica e Arquivo Negro.

O Sarau é uma ação do Núcleo Periférico, coletivo que atua em regiões carentes da capital e tem como pautas principais a busca por moradia digna, fim da violência policial e da criminalização da pobreza e valorização de expressões culturais periférico-populares, dentre outras questões representativas da população marginalizada.

O evento começa às 12h deste sábado, na Ocupação Dona Cida (localizada no final da Estrada Velha do Barigui) e busca incentivar a reflexão e o debate nas comunidades sobre a Consciência Negra e os problemas que afetam a periferia e o cenário político atual, tendo como pontos centrais as questões da sobrevivência e da liberdade no país que mais mata e encarcera pessoas negras e pobres no mundo.

O puro rap nacional
Com mais de 18 anos de carreira, o Inquérito vem do estado de São Paulo até a Vila Sabará após o lançamento do álbum Tungstênio e promete mandar alguns clássicos, como Dia Dos Pais, Meu Super-Herói, dentre outras músicas. Além das apresentações de Lipe Oliveira e Banda, Arquivo Negro e Rel Firma Zica, haverá também microfone aberto para declamação de poesias.

Como chegar
No Terminal do Caiuá > linha de ônibus MARIO JORGE > descida no ponto final. Sem chance pro erro!
Pra quem vai do Centro: Praça Rui Barbosa > linha de ônibus CAIUÁ/FAZENDINHA/CENTRO (que vai direto pro Caiuá) > descida no ponto final

O espaço é aberto e coletivo, todos são bem-vindos.

E o melhor: é de graça!

Confira a página do evento, aqui

#SarauPeriférico
#RevoluçãoDosHumildes
#HipHopResistência
#15deSetembro

1ª OFICINA GRATUITA DOS 4 ELEMENTOS DO HIPHOP NO PAROLIN

“Seja bem vindo, e gratidão pelo interesse!

O HIPHOPMOVE é uma associação que nasceu em Agosto deste ano, e tem como objetivo alterar a realidade da comunidade através da arte, oferecendo Oficinas dos 4 elementos do HipHop para Crianças a partir de 08 anos de idade, até Jovens de 16 anos.

As oficinas fazem parte de um projeto de movimento itinerante, ou seja, as oficinas podem acontecer em qualquer lugar do Brasil e do Mundo.

No dia 07 e 08 de Setembro estaremos oferecendo Oficinas para a comunidade do Parolin, nossa equipe é composta por Voluntários Remunerados que tem afinidade e vivem a Cultura do HipHop, e acreditam que a arte pode alterar a realidade da comunidade.

Se você se identifica e gostaria de ensinar sua arte para crianças e jovens, ou ajudar na realização com produção e logística do evento, preencha o formulário, e venha somar conosco, neste link

As oficinas são oferecidas de graça para a comunidade, e este evento é financiado através da captação de recursos feita pelos próprios membros da associação HIPHOPMOVE.

A remuneração dos Voluntários existe com a intenção de valorizar o trabalho e a arte oferecida, pois a maioria dos envolvidos no projeto são Artistas independentes.

>>>> Cronograma das Oficinas: <<<<<
DIA 07 DE SETEMBRO PELA MANHÃ
09:00 – 09:30: CAFÉ DA MANHÃ COM RODA DE CONVERSA ABERTA E INSCRIÇÕES:
* Recepção dos Pais e Crianças
——————————————

09:30 – 10:30: RODA DE CONVERSA COM PAIS E ALUNOS:
* Apresentando os Artistas Presentes na equipe, seus talentos e as Oficinas que serão oferecidas.
* Teórica: A História do HIPHOP.
* Educando e Conscientizando crianças através da Cultura de rua.
* Na Prática: Utilizando o HIPHOP como ferramenta de liberdade de expressão e inclusão social.
——————————————

11:00 – 12:00:
INSCRIÇÃO PARA AS OFICINAS QUE ACONTECERÃO NA PARTE DA TARDE

>>>>>ATENÇÃO<<<<<

Limite de 7 crianças por turma, oferecendo preferência para os que chegarem primeiro.

Uma criança poderá se matricular em apenas 2 modalidades no máximo.

Caso aconteça a Lotação das Oficinas, o Aluno ficará na lista de espera para próxima edição das Oficinas que tem previsão de acontecer dentro de 15 dias.
——————————————

DIA 07 DE SETEMBRO PELA TARDE:
14:00 – 15:30: OFICINA DE RAP (RITMO E POESIA)
* Teórica: Rappers e Poetas ao longo da história
* Poesia, Métrica e rima
* Ritmo e Flow
* Aprendendo a Improvisação (técnica de freestyle)
* NA PRÁTICA: Batalha de Conhecimento (MC de improvisação) ou Compondo um RAP

OBS:
* O Aluno será livre para escolher quais das atividades práticas deseja realizar.
* O Aluno que apresentar facilidade na atividade prática será convidado para apresentar a arte que foi aprendida no dia seguinte.
* Se o número de Alunos MC’s for predominante, no dia seguinte acontecerá a Iº Batalha de Conhecimento dos Alunos do HIPHOPMOVE.
——————————————

14:00 – 15:30: OFICINA DE BREAKDANCE:
* Teórica: Cultura do Bboy e Bgirl
* Vídeos de Referências pelo mundo
* Toprock, Footwork, Power Moves, Freeze e outros
* Na prática: Coreografia

OBS:
* O Aluno que apresentar facilidade na atividade prática será convidado para apresentar a arte que foi aprendida no dia seguinte.
——————————————

15:30 – 16:00: LANCHE DA TARDE E RODA DE CONVERSA

Será oferecido Lanche para os Alunos durante a Roda de conversa, e será proposto os seguintes assuntos:

Apresentação do Aluno, e o que ele achou da experiência que teve na oficina ou que ainda terá (no caso dos alunos de DJ e GRAFFITI)

Conscientização, e suporte sobre como utilizar a sua arte como uma forma de liberdade de expressão, construção de caráter.
Será entregue um certificado de participação e um bride para cada Aluno.
——————————————

16:00 – 17:30: OFICINA DE GRAFFITI:
* Teórica: História e Conceitos
* Grafiteiros renomados
* Termos e gírias
* Técnicas de pintura
* Na prática: Desenhando e Pintando em um muro com Spray e tinta com auxílio dos professores.
——————————————

16:00 – 17:30: OFICINA DE DJ:
Com muita satisfação, o Profissional DJ Rodrigo Rodrigo foi o convidado dessa edição para ser o Instrutor da nossa Oficina de DJ!

Rodrigo é integrante ativo da cultura Hip Hop desde 2010, integrou e ajudou a fundar alguns grupos de RAP trabalhando como MC. Em 2012 fundou um Home estúdio próprio, e em 2013 Idealizou e ajudou a fundar o programa de rádio como “Sintonia RAP” na radio Vila Torres. Em 2015 se formou pela escola de Turntablism Capão House, e em 2016 ajudou a fundar o Projeto LAB Central. Atualmente vem se dedicando no seu trabalho solo como Beatmaker e tocando em festa locais.

Cronograma da Oficina de DJ:
* Teórica: História do Dj, Disc Jockey e Disco de Vinil
* Técnicas, Estilos e Influências
* Na prática: Movimento Back to Back (noção de tempo e produção)

OBS:
O Aluno que apresentar facilidade na atividade prática será convidado para apresentar a arte que foi aprendida no dia seguinte.
——————————————

COMO EU POSSO COLABORAR?
Se você se identificou com este evento e gostaria de estar fortalecendo, confira a lista de voluntários que estamos precisando, e preencha o formulário, entraremos em contato em breve!
No dia seguinte, 08 de Setembro, irá acontecer um evento com uma Batalha de Conhecimento com Alunos na chave, e MC’s experientes, Alunos de outras oficinas também irão apresentar o que foi aprendido em sala, e teremos uma Line Up de artistas independentes convidados que querem mostrar seus talentos!
Em breve disponibilizamos o link do evento do dia 08 de setembro!

Serviço:
Iº OFICINA GRATUITA DOS 4 ELEMENTOS DO HIPHOP NO PAROLIN
Data: Sexta, 7 de setembro,  09:00 às 18:00
Local: Vila Parolin, Curitiba
Mais informações, aqui
Confira a página do evento, neste link

CIRCUITO CULTURAL ÁRABE

Nos dias 04, 05, 11 e 12 de agosto, o Memorial de Curitiba recebe o 1º Circuito Cultural Árabe, com diversas atrações gratuitas para a população curitibana.

O evento estimula e valoriza as tradições árabes através de exibições artísticas e integração entre os participantes, assim como, o incentivo para troca de experiências entre antigos e novos talentos a fim de manter viva a tradição dos povos árabes na capital.

O Circuito Cultural Árabe terá em sua programação palestras, apresentações culturais e exposições sobre a cultura árabe.

O palco externo do Memorial receberá as apresentações dos três maiores estúdios de danças árabes de Curitiba, que são: Estúdio Hathor, cuja a coreógrafa e bailarina Linda Hathor é premiada internacionalmente; Estúdio Flor de Lotus, coordenado por Suzi Ribeiro e Kadosh Arte e Movimento, sob a orientação de Shara Kadosh, que levarão ao público dança do ventre, dança com véus, dança com espadas, dabke, khalije, shaabi, said, entre outras.

As palestras acontecerão no auditório do Memorial, Teatro Londrina, e são abertas ao público bastando somente inscrição no local. Os temas são os seguintes: ‘’A Beleza e o Encanto do Trajes Árabes, ministrada por Alessandra Amid; ‘’Acolhimento aos Refugiados Árabes’’, pelo professor Marcos Stier Calixto, ‘’Hábitos e Costumes da Cultura Árabe’’, pelo professor Gamal Fouad El Oumairi e ainda a Oficina de Caligrafia Árabe, ministrada pelo libanês Moafak Mohamed Did Heilaihel.

Teremos ainda stands decorados com exposição de obras literárias, exposição de indumentária e acessórios que compõem a vestimenta dos povos árabes, e exposição de culinária, objetos e curiosidades sobre cultura e costumes e tradições.

As atividades serão totalmente gratuitas e irão chamar a atenção pela diversidade de elementos que enriquecem e contribuem para reforçar a memória e identidade cultural árabe em Curitiba.

O projeto está sendo realizado através da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Curitiba, com incentivo da Ademilar. A produção é de Angela Meschino. Realização Fátima Esper.

Serviço:
Circuito Cultural Árabe
04,05,11 e 12 de agosto no Memorial de Curitiba- Largo da Ordem
Informações: (41) 98511-9934 whats e circuitoculturalarabe@gmail.com
A programação completa pode ser conferida no blog www.circuitoculturalarabe2018.blogspot.com e no facebook Circuito Árabe, aqui.

Programação:

04\08 SÁBADO
14h00- Abertura para visitação dos Expositores
14h30- Apresentação Cultural na Praça Iguaçu – Estúdio Kadosh
15h30- Palestra (Teatro Londrina) – Professora: Alessandra Amid
Tema: “A beleza e o encanto dos trajes árabes ”
17h00- Encerramento para visitação

05\08 DOMINGO
10h00- Abertura para visitação dos Expositores
10h00- Apresentação Cultural na Praça Iguaçu – Estúdio Flor de Lótus
11h00- Palestra (Teatro Londrina) – Professor: Marcos Stier Calixto
Tema : “Acolhimento aos refugiados árabes na grande Curitiba”
14h30- Apresentação Cultural na Praça Iguaçu – Estúdio Flor de Lótus
15h10- Palestra (Teatro Londrina) – Professor: Gamal Fouad El Oumairi
Tema : “Hábitos e costumes na cultura árabe”
17h00- Encerramento para visitação

11\08 SÁBADO
13h00- Abertura para visitação dos Expositores
13H30 – OFICINA e Palestra de CALIGRAFIA Árabe – Professor: Moafak Mohamed Dib Helaihel
14h30- Apresentação Cultural na Praça Iguaçu – Estúdio KADOSH
15h30- Palestra (Teatro Londrina) – Professora: ALESSANDRA AMID
Tema: “A beleza e o encanto dos trajes árabes ”
17h00- Encerramento para visitação

12\08 DOMINGO
10h00- Abertura para visitação dos Expositores
10h00- Apresentação Cultural na Praça Iguaçu – Estúdio Hathor
11h00- Palestra (Teatro Londrina)- Professor: Marcos Stier Calixto
Tema : “Acolhimento aos refugiados árabes na grande Curitiba”
14h30- Apresentação Cultural na Praça Iguaçu – Estúdio Hathor
15h10- Palestra (Teatro Londrina) – Professor: Gamal Fouad El Oumairi
Tema : “Hábitos e costumes na cultura árabe”
17h00- Encerramento para visitação

CIRCUITO CULTURAL TRAZ PROGRAMAÇÃO PARA TODOS OS ESTILOS

Em 2018, a Ademilar incentiva cerca de 20 projetos em Curitiba e é a terceira maior investidora privada da cena cultural local

Em seu segundo ano, o Circuito Cultural Ademilar fomenta a cena cultural de Curitiba e incentiva cerca de 20 projetos. A Ademilar Consórcio de Investimento Imobiliário já é a terceira maior investidora privada da cultura local. A iniciativa teve início em 2017, quando a empresa passou a usar a Lei do Mecenato Municipal para incentivar projetos com recursos do ISS – Imposto Sobre Serviços.Neste ano, a expectativa é investir cerca de R$1 milhão em projetos culturais.

“Nós sempre apoiamos as manifestações culturais, mas desde o lançamento do Circuito, no ano passado, passamos a trabalhar com um calendário de ações durante todo o ano que contemplam praticamente todas as áreas. Desta forma, estamos gerando empregos para empreendedores culturais e artistas e, principalmente, oferecendo entretenimento e aproximação com a arte para o público” destaca Tatiana Schuchovsky Reichmann, diretora-superintendente da Ademilar.

Teatro
O teatro vai ganhar uma peça de importância artística e que promete instigar o conhecimento do público infanto-juvenil. A peça Da Vinci, O Mago do Conhecimento, vai mesclar diferentes linguagens cênicas – como teatro de atores, bonecos e de sombras – para resgatar a história de um dos mais importantes gênios da civilização de todos os tempos: Leonardo Da Vinci.

O Circuito também está no Festival de Teatro de Curitiba com a peça Boca Maldita, que promete transformar em comédia algumas das principais histórias do centro de fofocas da capital paranaense. A peça fica em cartaz até junho no Teatro Lala Schneider.

E no mês de agosto, o Guairinha recebe uma programação intensa, com 20 apresentações em dez dias, com a Mostra Novos Repertórios, que vai oferecer teatro, dança e performances gratuitamente ao público.

Música
Todos os domingos na tradicional Feira do Largo da Ordem, o grupo Choro & Seresta faz um show para o público. Dentro do Circuito Cultural, sempre no primeiro domingo do mês, eles recebem um músico de destaque nacional. As apresentações são ao ar livre em um dos principais pontos turísticos de Curitiba.

E para promover e valorizar a produção musical brasileira dirigida às crianças, a partir deste ano, o projeto Curitibim entra no calendário do Circuito. Em agosto, o Guairinha vai receber músicos de todo o Brasil em um dos maiores festivais do gênero do país.

A música de câmara também tem vez na programação. O projeto Sopro 5 promove a partir do mês de abril seis concertos temáticos com repertórios exclusivos em espaços diferentes de Curitiba. A ideia é desmistificar o conceito de que a música erudita é inacessível e de difícil entendimento.

Mas a área musical não é só feita de atrações. O Circuito também incentiva a segunda edição da Feira Internacional de Música, que acontece entre os dias 20 e 23 de junho no Portão Cultural. A FIMS é um espaço estratégico de negócios criado especialmente para reunir artistas, empresários, produtores, selos, gravadoras, diretores de festivais e outros eventos com o intuito de movimentar o mercado musical do Sul do país e divulgá-lo para o restante do Brasil e a América Latina.

Audiovisual
A capital paranaense é um dos maiores centros de desenvolvimento da produção audiovisual brasileira, e o Circuito Cultural em 2018 está apoiando a produção de quatro filmes. O primeiro deles é o Itálicos, que mostra a saga dos imigrantes italianos até a região de Santa Felicidade; No Campo da Galícia resgata a memória de 100 mil imigrantes polacos no Paraná no final do século XIX; Parabéns a Você, um curta metragem de ficção que se passa em 1988, traz um momento turbulento do país; Cinturão de Rosilete apresenta a história da campeã mundial de boxe Rosilete dos Santos.

Literatura
Um circuito de contação de histórias destinado a crianças da rede municipal de ensino, professores, artistas, agentes de leitura, universitários e idosos, o projeto Narrativas Itinerantes vai percorrer todas as regiões de Curitiba levando o incentivo à literatura por meio de um versátil repertório de histórias do conto popular.

Um dos projetos de maior repercussão da cena cultural local no último ano foi o Mostra Literatura Paraná, também incentivado pela Ademilar, e para quem pensava que o projeto acabaria com as ativações no Pilarzinho, CIC, Uberaba e Butiatuvinha se enganou. Em abril a III Mostra Curitiba, que faz parte da programação do Festival de Teatro, vai trazer os jovens que participaram do projeto nas comunidades para o Cortejo Literário, onde grandes nomes da literatura paranaense ganham voz com leituras poéticas nas ruas da região Central.

Dança
O projeto Disparate promoverá 20 apresentações gratuitas no Memorial de Curitiba. Coreógrafos profissionais vão explorar o processo de criação com ações que prometem envolver o público e despertar o interesse pela dança.

Múltiplas manifestações
O Circuito também incentiva projetos que celebram etnias, como o Circuito Cultural Árabe. Durante dois finais de semana de agosto uma programação intensa vai exaltar as tradições do Oriente Médio com danças folclóricas, apresentações musicais, gastronomia e oficinas.

O patrimônio cultural do Paraná também está contemplado no Circuito com o projeto Fandango, Registro Material, uma ação que resgata antigas composições em um livro e promove apresentações de fandango no litoral e na capital do Estado.

Game
Você sabia que Graciosa, nome da bela serra do litoral paranaense, era uma mula? Essa história será contada por meio de um jogo digital de estratégia e sobrevivência em 3D. No game A Jornada da Graciosa, a Mata Atlântica paranaense da época dos exploradores é recriada, e a mula que dá nome ao jogo e à serra será a guia dos aventureiros para o desconhecido em uma viagem pelas lendas, pelos mitos e mistérios do lugar.

Artes Visuais
A artista Sandra Hiromoto e a cantora e compositora Fernanda Takai se unem para a exposição Interafetividade, que acontece no mês de maio no Pátio Batel. Um ambiente interativo será criado a partir de técnicas digitais, oferecendo ao espectador uma experiência sensorial em um mundo imaginário, onde se contemple uma exposição virtual, alinhando-se a música ao toque.

Mais informações sobre as atrações do Circuito Cultural pelo telefone: 41 3107-2020 (The Way Comunicação)

CAIXA CULTURAL TRAZ A CURITIBA O ESPETÁCULO ISADORA

Com direção de Elias Andreato, a peça reinventa os últimos dias da bailarina Isadora Duncan, no ano de 1927, na França, quando ela conhece um misterioso editor que pretende publicar suas memórias. O encontro traz à tona a mulher por trás do mito

A CAIXA Cultural Curitiba apresenta o espetáculo teatral ISADORA, uma visão emocionada sobre a vida e a obra da bailarina Isadora Duncan (1877-1927). A montagem marca a estreia da atriz Melissa Vettore como autora, tendo como colaboradores Daniel Dantas e o diretor Elias Andreato. A renovação da dança, os direitos da mulher, a educação infantil e a mercantilização do corpo feminino estão entre os temas do espetáculo. A narrativa é permeada por coreografias, músicas cantadas e projeção de imagens com o objetivo de revelar as memórias e a busca de Isadora Duncan por uma maneira poética de viver, pensar e dançar.

Melissa Vettore, interpreta Isadora Duncan e Sávio Moll vive o papel do editor que quer publicar as memórias da bailarina. Também estão no elenco Roberto Alencar e Patrícia Gasppar, como os irmãos de Isadora. Ao vivo, a pianista Cibele Perusso executa as canções. “Mais do que falar de dança, o espetáculo se refere a uma mudança no entendimento do próprio corpo, da individualidade e do coletivo. Duncan desejou uma mudança urgente no pensar e no sentir que, consequentemente, nos levará a um modo de agir no mundo, novo e verdadeiro, provocando uma revolução social e de valores”, avalia Melissa Vettore. A dramaturgia foi construída a partir da autobiografia, cartas, documentos políticos, documentários e manuscritos de Isadora.

No desenrolar das cenas, Isadora expõe ao editor sua história como bailarina, mulher, mãe, amante, mestra e revolucionária. E os dois discutem sobre o amor, as perdas, as ilusões e lutas políticas, a educação gratuita para as crianças, a servidão no casamento, a liberdade do corpo e da dança, a soberania da arte, o sucesso e a decadência. O personagem do editor foi inspirado no universo do escritor norte-americano Henry Miller (1891-1980), ao mesmo tempo debochado, inteligente e com grande capacidade crítica sobre a sociedade. Por meio desse personagem, revela-se que a Isadora consagrada como artista é diferente da Isadora que regressou a Nice, na França. Atrevido e impetuoso, o editor provoca a bailarina com uma visão pragmática sobre sucesso e fracasso, colocando a plateia frente a frente com as cicatrizes e contradições de uma vida dedicada à arte.

A montagem
A direção de movimento é assinada pela bailarina, coreógrafa e diretora Renata Melo, que também realizou as coreografias em colaboração com Melissa Vettore e os outros atores. As músicas são cantadas ao vivo pelo elenco, e a trilha sonora foi especialmente composta por Jonatan Harold para piano e acordeão. Imagens ligadas aos relatos e memórias de Isadora são projetadas sobre o cenário de Marco Lima. A iluminação de Wagner Freire desenha os ambientes onde acontecem os encontros entre Isadora e o editor, assim como as viagens entre os irmãos. Os figurinos são de Marichilene Artisevskis.

Sobre Isadora Duncan (1877-1927)
“Sou uma crítica incansável da sociedade moderna, da cultura e da educação. Defensora dos direitos das mulheres, da revolução social e da concretização do espírito poético na vida cotidiana. Meu interesse é expressar uma nova forma de vida”. Assim se auto definiu a bailarina Isadora Duncan. Precursora do que veio a ser conhecido como ‘Dança Moderna’, manteve-se aliada a compositores, poetas, filósofos e idealistas de várias partes do mundo. Ela criou uma maneira totalmente nova de dançar – e é este legado que desejava preservar e proteger a partir da criação de uma nova educação.

Ao longo de sua vida, lutou pelos direitos das mulheres e pela educação de crianças das classes mais pobres. O custo dessas iniciativas a obrigava a excursionar constantemente. Empenhada em construir uma ‘nova visão do corpo’, Isadora partiu dos Estados Unidos, com seus irmãos, para a Europa e União Soviética. A artista afirmava que sua dança era símbolo da nova educação e da liberdade. Quebrou convenções ao dançar descalça e com roupas fluidas, abominando toda técnica repressiva. Para ela, a dança era “o movimento do corpo em harmonia com a natureza”. De espírito inquieto e vocação para questiona e mudar a sociedade, esteve focada na mulher e no feminino. Acreditava na força da educação como meio de transformação social. Foi fiel a seus princípios até o fim de sua vida, mesmo diante de inúmeras dificuldades.

Elias Andreato
É um consagrado ator, diretor e autor brasileiro, com uma visão especial sobre o trabalho do ator e da dramaturgia autoral. Sua busca é pela humanidade dos personagens que interpreta. Seus espetáculos frequentemente questionam o papel do artista na sociedade e a relação com seu tempo. Construiu uma carreira sólida feita, acima de tudo, pela escolha por personagens que pudessem traduzir esse pensamento – Van Gogh, Oscar Wilde e Artaud são exemplos dessa escolha e resultaram em interpretações marcantes que garantiram a ele um lugar especial no teatro brasileiro.

Melissa Vettore
Tem formação em dança e uma trajetória que inclui drama e comédia. Formou-se no Instituto de Arte e Ciência (Indac) e no Centro de Pesquisa Teatral (CPT), de Antunes Filho. Completou sua formação em Nova York e Barcelona. Atua na formação de atores ministrando workshops de corpo e interpretação. É produtora de seus próprios projetos no teatro. Atua em novelas, cinema e séries de televisão.

Sávio Moll
É um reconhecido ator que pode ser visto, ao mesmo tempo, no teatro, no cinema e na televisão. Integra uma geração de artistas que desenvolve a linguagem teatral a partir do trabalho de pesquisa corporal do ator e do clown. Participou como clown no projeto Doutores da Alegria. Como ator, trabalhou com os maiores diretores nacionais.

Roberto Alencar
Ator, bailarino, coreógrafo e desenhista. Em 2010, fundou a Incunábula Companhia, com o objetivo de pesquisar o diálogo entre as artes visuais e a dança contemporânea. Dirigiu vários espetáculos e também foi bailarino e assistente de coreografia de diversas montagens. Fez parte do Núcleo Expedições, na área de dança-teatro, dirigido por Renata Melo e Vivien Buckup.

Patrícia Gasppar
Tem formação em dança clássica, dança contemporânea e canto. Cursou a EAD (Escola de Arte Dramática – USP / SP). Já atuou em mais de 30 espetáculos teatrais, além de novelas, seriados e outros programas de televisão. Também é roteirista e foi professora de interpretação no Teatro-Escola Célia Helena, em São Paulo.

LINKS:
https://www.facebook.com/isadoraduncanteatro/

Trailler da peça Isadora:
http://vimeo.com/171467881

Vídeo Com Depoimentos atores:
https://vimeo.com/173010591

Isadora. Foto: Joao Caldas Filho

Serviço:
Teatro: Isadora
Local: CAIXA Cultural Curitiba. Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR).
Data: 16 a 18 de março de 2018 (sexta a domingo)
Horário: sexta e sábado, às 20h; e domingo, às 19h.
Ingressos: vendas a partir de 10 de março (sábado). R$ 10 e R$ 5 (meia – conforme legislação e correntistas que pagarem com cartão de débito CAIXA). A compra pode ser feita com o cartão vale-cultura.
Bilheteria: (41) 2118-5111 (De terça a sábado, das 12h às 20h. Domingo, das 16h às 19h.)
Classificação etária: 12 anos Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)

Confira a página do evento, aqui

VI LEVANTA SAIA, LÁ VEM A MARÉ

De 8 a 11 de março, o encontro de capoeira Levanta Saia, Lá Vem a Maré propõe reflexões sobre os desafios e conquistas das mulheres na sociedade. Realizado pela Associação de Capoeira Angola Dobrada em Curitiba, o evento conta com oficinas, rodas de capoeira angola, mesa temática e apresentação cultural.

Levanta Saia, lá vem a maré trata da reflexão – entre escolas de capoeira, mestres, praticantes, pesquisadores, gestores públicos e demais interessados – sobre os desafios e conquistas das mulheres na sociedade, através de atividades que contam com a capoeira angola como eixo central.

A capoeira, Patrimônio Cultural da Humanidade (UNESCO/2014), possui uma metodologia que integra todos os indivíduos, em uma prática que é uma luta de dança e de jogo na qual todos participam independente da idade, nacionalidade, gênero, peso, condição sócio-economica etc. Dessa forma ela é a matriz a partir da qual será construído um espaço de diálogo entre capoeiristas, pesquisadores, gestor es culturais, professores, estudantes, entre outros. 

O encontro é realizado nesse formato desde 2013, pela Associação de Capoeira Angola Dobrada (ACAD), sob a coordenação do Mestre Negão. É um evento independente e sua programação contempla: oficinas e rodas de capoeira angola; mesa temática e apresentação cultural. 

Após pensar temas como “Mulher e a Ancestralidade”, “Capoeira Mãe” e “Respeita meu berimbau – o empoderamento da mulher através de sua arte”, a sexta edição do encontro, que será realizada de 8 a 11 de março, terá o tema “Quebrando Tabus”.

Para promover uma sociedade com a igualdade entre os indivíduos que usufruem de seus direitos, as questões de gênero são imprescindíveis, por isso o encontro traz a reflexão e o debate sobre a mulher na sociedade.

Serviço:
VI Levanta Saia, Lá Vem a Maré 
De 8 a 11 de março 
Investimento: R$ 50 
Informações: (41) 99988-3354/ 99902-3540 
angoladobradaparana@gmail.com

http://acadcuritiba.blogspot.com.br

FUNDAÇÃO CULTURAL DE CURITIBA ABRE EDITAIS PARA CONTRATAR 261 PROJETOS CULTURAIS

Fundação Cultural de Curitiba abre 10 editais para contratar 261 projetos culturais! Inscrições: até as 12h do dia 21 de fevereiro. Confira os editais:

>> Edital de Difusão Cultural e Artística dos Núcleos Regionais da Fundação Cultural de Curitiba – R$ 500 mil – seleção de 150 projetos

>> Edital Circo da Cidade, Lona Zé Priguiça – Difusão e Formação em Circo – Temporada 2018 – R$ 300 mil – quatro projetos

>> Edital Teatro do Piá – Temporada 2018 – Difusão em Formas Animadas de Pequenos Formatos para Crianças – R$ 120 mil – três projetos

>> Edital Antonio Carlos Kraide – Temporada 2018 – Difusão em Teatro para Infância e Juventude – R$ 180 mil – quatro projetos

>> Edital da Área de Dança – Solar 2018 – R$ 300 mil – sete projetos

>> Edital de Ações de Incentivo à Leitura – Literatura 2018 – R$ 300 mil – 20 projetos

>> Edital de Ocupação de Espaços Expositivos 2018 – R$ 300 mil – cinco projetos

>> Edital Publicação 2018 – Quadrinhos, Ilustração, Cartoon, RPG – R$ 300 mil – nove projetos

>> Edital Folclore e Tradições Culturais 2018 – R$ 300 mil – 35 projetos

>> Edital de Autoria Compartilhada e Bases Temporárias – Centro de Criatividade de Curitiba 2018 – R$ 300 mil – 24 projetos

Para saber mais acesse, aqui

Em caso de dúvidas, envie e-mail para: paicatendimento@fcc.curitiba.pr.gov.br

fontes: FCC / Falante Cultural

HOJE, DIA 15, É O ÚLTIMO DIA PARA INSCRIÇÕES NOS EDITAIS DO SESI CULTURA PARANÁ

Sesi Cultura – Crédito Foto Rei Santos

Serão selecionadas propostas de Artes Cênicas e Música até o dia 15 de janeiro

O Sesi Cultura Paraná ampliou o prazo para inscrição de projetos culturais nos Editais de Chamamento Público 2018/2019, nas categorias de Música e Artes Cênicas. As propostas poderão ser feitas até às 18h do dia 15 de janeiro de 2018. A seleção é de âmbito nacional, portanto, interessados e residentes de outras regiões do Brasil podem se inscrever.

Os trabalhos selecionados vão integrar a programação cultural de 2018 nos teatros das unidades do Sesi-PR em Curitiba, São José dos Pinhais, Londrina, Arapongas e Pato Branco, ou nos espaços parceiros das secretarias municipais e fundações de cultura.

De acordo com a Gerente de Cultura do Sistema FIEP, Anna Zétola, os editais oferecem transparência e competitividade aos artistas locais. “O Sesi Cultura Paraná oportuniza o conhecimento de projetos artísticos novos, de nomes desconhecidos da maximídia e também promove a profissionalização de jovens produtores, desenvolvendo a economia da cultura localmente”, declara.

O objetivo da área de Cultura do Sesi-PR é identificar projetos artísticos para públicos de todas as idades com o intuito de democratizar e ampliar o acesso à cultura, bem como incentivar e difundir a multiplicidade e a diversidade das linguagens e tendências artísticas para a formação e a valorização do indivíduo e sua comunidade.

Todos os procedimentos legais para a apresentação de projetos e envio da documentação solicitada estão descritos para consulta no site www.sesipr.org.br em Licitações, no número 206/2014. Os chamamentos em aberto estão listados logo abaixo. Os projetos serão selecionados por uma comissão avaliadora e os resultados serão divulgados exclusivamente no site do Sesi Paraná, no primeiro semestre de 2018.

• 10º EDITAL DE PROGRAMAÇÃO:
CENTRO CULTURAL CASA HEITOR STOCKLER DE FRANÇA / MÚSICA 2018

Modalidade A – Vozes da Cidade e de Outras Cidades

Podem participasesi culturar do projeto “Vozes da Cidade”: compositores, músicos e intérpretes locais de música popular urbana ou de outras regiões, que desenvolvem seus trabalhos autorais num formato mais intimista, seja individual ou em duos e trios.

Modadalidade B – Acordes na Casa

Podem participar do projeto “Acordes na Casa”: artistas profissionais da música instrumental brasileira, internacional e étnica. O objetivo é formar uma programação musical contínua durante o ano, proporcionando à comunidade o acesso a diferentes gêneros da música instrumental, bem como fortalecer a cultura da região.

Para mais informações, acesse o edital: aqui

• 11º EDITAL DE PROGRAMAÇÃO:
SESI CULTURA PARANÁ – EQUIPAMENTOS CULTURAIS 2018/2019

A área de Cultura do SESI seleciona projetos culturais nas modalidades de: Artes Cênicas (Teatro, Dança e Circo) e Música para o ano de 2018 e 2019. O público alvo é, além do trabalhador da indústria e seus familiares, a comunidade da região. Os locais de realização são os Equipamentos Culturais do SESI que estão distribuídos pelo Estado do Paraná. Para mais informações, acesse o edital: aqui

• 12º EDITAL PARA SELEÇÃO DE ESPETÁCULOS:
CIRCUITO CULTURAL SESI/PR 2018

Para o Circuito Cultural, os projetos que serão selecionados são os de Artes Cênicas e de Música para apresentação em teatros parceiros das secretarias municipais, fundações de cultura municipais ou nas dependências dos auditórios e teatros das unidades do SESI-PR. As cidades pelas quais o Circuito Cultural é realizado podem ser consultadas no edital. Serão selecionados 7 grupos, sendo 3 grupos para o primeiro semestre de 2017 e 4 grupos para o segundo semestre de 2017. Para mais informações, acesse o edital: aqui

• 13º EDITAL DE PROGRAMAÇÃO:
SESI MÚSICA 2018

Para 2018, o projeto SESI Música pretende apresentar ao público da indústria e comunidade das cidades de Toledo, Ponta Grossa, Maringá e Londrina, artistas de diferentes gêneros musicais do país e também artistas da cena musical local. As apresentações acontecem no seguinte formato: show do(a) artista local, nascido(a) ou radicado(a) no Paraná, o(a) qual convida um(a) artista de renome nacional com carreira consolidada. Para mais informações, acesse o edital: aqui

Mais informações:
www.sesipr.com.br/cultura/
www.facebook.com/sesiculturapr/

SESI CULTURA – Foi em 2008 que a Regional Paraná do Serviço Social da Indústria inaugurou uma área especificamente dedicada ao desenvolvimento de ações culturais ancoradas nas diretrizes previstas na Declaração Universal dos Direitos do Homem, como a diversidade, a pluralidade e a autonomia. Desde então, o Sesi Cultura Paraná tem promovido o acesso à cultura com foco em programas de formação artística e cultural, investindo em processos criativos, formação de plateia para todas as linguagens e na formação e desenvolvimento cultural com vocação local. O Circuito Cultural Sesi, o Festival Sesi Música, os Núcleos Criativos do Sesi, o Zoom Cultural, os Programas Sesi Música, Sesi Arte, Sesi Audiovisual e Sesi Artes Cênicas são exemplos de programas desenvolvidos pela Gestão Cultural do Sesi. De 2008 até 2016, mais de 927 mil espectadores tiveram acesso à cultura por meio de cerca de 7,5 mil eventos realizados pelo Sesi Paraná. Todas essas ações sempre tiveram como objetivo o acesso ao bem cultural para o trabalhador da indústria, seus dependentes e para a comunidade de um forma geral, além da difusão da arte em todas as suas manifestações, valorizando a diversidade e a pluralidade do povo brasileiro.