INSCRIÇÕES PARA O NÚCLEO DE DRAMATURGIA DO SESI-PR 2018 VÃO ATÉ O DIA 5

Oficinas imersivas, palestras, mesas redondas e orientações contarão com artistas de diferentes estados

Até o dia 5 de julho estão abertas as inscrições para o Núcleo de Dramaturgia Sesi-PR – Edição 2018. O programa, em um formato mais dinâmico, prevê oficinas imersivas, encontros, palestras, mesas redondas e orientações direcionadas com artistas de artes cênicas de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Com encontros frequentes entre os meses de julho e novembro que acontecerão no Centro Cultura Sesi Heitor Stckler de França, o Núcleo propõe a reflexão, exercício e prática da escrita para a cena, num laboratório de criação dramatúrgica, a fim de incentivar a geração de textos inéditos que serão apresentados em uma mostra pública com leituras dramáticas ao final da edição com, inclusive, possíveis publicações dos textos selecionados.  

O Núcleo de Dramaturgia é destinado a qualquer pessoa que deseje desenvolver a prática da escrita. Trata-se de um programa de estudos e desenvolvimento de escrita para a cena. Os inscritos até o dia 5 de julho passarão por um processo de seleção que irá contemplar 12 participantes e três suplentes para esta edição. Para efetuar a inscrição, acesse o edital por meio do site www.sesipr.com.br/cultura.

Sobre o Projeto Núcleo de Dramaturgia Sesi
Surgiu em 2009 a partir de uma primeira experiência realizada pelo Sesi-SP em parceria com o British Council (organização internacional do Reino Unido para relações culturais e oportunidades educacionais). A iniciativa compõe o programa de Núcleos Criativos do Sesi desde 2015 e tem o objetivo de criar um ambiente de desenvolvimento e aperfeiçoamento de artistas, estimular o compartilhamento de referências, experiências e práticas dramatúrgicas, incentivar o diálogo das obras com a diversidade de linguagens, visões e experimentações estéticas, promover o intercâmbio entre artistas de cena e autores da região e de outros estados, bem como valorizar a criação artística contemporânea nas suas mais diversas formas para que provoque questionamentos em seu público.

PROGRAMA NÚCLEO DE DRAMATURGIA SESI-PR – EDIÇÃO 2018:

Abertura
Apresentação da performance “O Narrador” com Diogo Liberano* (RJ) seguido de mesa redonda com o artista e demais orientadores da edição 2018.

*Diogo Liberano é diretor teatral e dramaturgo integrante da companhia carioca Teatro Inominável. Coordenador do Núcleo de Dramaturgia SESI Cultural (Rio de Janeiro), é também doutorando em Literatura, Cultura e Contemporaneidade (PUC-Rio) onde investiga dramaturgia como um tipo de literatura autônoma à cena teatral.

Oficinas Imersivas 
Com duração de 9h/aula, os encontros serão ministrados pelos convidados Diogo Liberano, Stephan Baumgärtel (SC), Adélia Nicolete (SP), Jé Oliveira (SP), Luci Collin (PR) e Tânia Farias (RS).

*Jé Oliveira é ator, dramaturgo, diretor e MC. Formado pela Escola Livre de Teatro de Santo André, onde hoje leciona dramaturgia. É fundador do Coletivo Negro, grupo que existe há 10 anos na cidade de São Paulo. Em 2017 ganhou o 6º Prêmio Questão de Crítica por sua obra “Farinha com Açúcar ou Sobre a Sustança de Meninos e Homens”. Professor e orientador do Núcleo de Dramaturgia do Sesi/PR nas edições 2017/2018. Estuda Ciências Sociais na Universidade de São Paulo – USP.

Adélia Nicolete é mestre e doutora em Artes pela ECA-USP, com pesquisa sobre dramaturgia e teatro contemporâneos. É dramaturga, professora e autora de diversos livros, sendo o mais recente “Luís Alberto de Abreu – um teatro de pesquisa”, lançado em 2011 pela editora Perspectiva, do qual foi responsável pela organização.

Luci Collin é formada em Piano e Percussão Clássica pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná e em Letras Português/Inglês pela Universidade Federal do Paraná. Doutora em Estudos Linguísticos e Literários em Inglês e pós-doutora em Literatura Irlandesa pela Universidade de São Paulo. Lecionou fora do país e atualmente é uma das professoras da Universidade Federal do Paraná (UFPR), lecionando literatura de língua inglesa e tradução literária. Participou de antologias nacionais e internacionais (Alemanha, Argentina, EUA, Uruguai), recebeu prêmios de concursos de literatura no Brasil e nos Estados Unidos. Além de ter sido a escritora brasileira que representou o Projeto Literário no EXPO 2000 em Hannover. O forte da escritora curitibana são os poemas e contos, contendo muita ficção. Alguns de seus textos dramáticos viraram inspiração para autos teatrais, como Acasos Perdidos. Também traduziu Gary Snyder, Gertrude Stein, E. E. Cummings, Eiléan Ní Chuilleanáin e Jerome Rothenberg, entre outros.

Tânia Farias é atriz, pesquisadora e encenadora teatral. Personalidade das artes cênicas no Rio Grande do Sul, ela atua na tribo Ói Nóis Aqui Traveiz há mais de duas décadas.

Stephan Baumgärtel possui mestrado em Letras Inglês pela Ludwig-Maximilians-Universität München, doutor em Literaturas da Língua Inglesa pela Universidade Federal de Santa Catarina, e pós-doutorado na ECA/USP com estudos sobre a dramaturgia brasileira contemporânea. Sua tese de doutorado recebeu o Prêmio CAPES 2005. Atualmente é professor associado da Universidade do Estado de Santa Catarina na área de história do teatro, estética teatral e dramaturgia. É idealizador e coordenador do projeto Encontro com Dramaturgo da UDESC. Pesquisador, ele investiga principalmente as modalidades de poéticas políticas teatrais na contemporaneidade e modalidades não-miméticas de encenar textos teatrais não-dramáticas. Leciona principalmente nos campos da dramaturgia contemporânea, teatro pós-dramático, teatro performativo e análise da encenação teatral.

Orientações Direcionadas
As orientações serão realizadas a cada 15 dias com agendamento prévio diretamente com um dos orientadores desta edição:

*Lígia Souza Oliveira é dramaturga e pesquisadora, doutoranda em Artes Cênicas pela Universidade de São Paulo, com estágio de pesquisa em Literatura Francesa na Université Paris 8 – Vincennes/Saint Denis, mestre em Literatura pela Universidade Federal do Paraná e graduada em Artes Cênicas pela Faculdade de Artes do Paraná. Já publicou as dramaturgias Encontros Diários, Personne e Outros Sons.

*Marcelo Bourscheid é dramaturgo, diretor, tradutor e produtor teatral. Sua dramaturgia tem sido encenada por companhias de todo o país, recebendo prêmios, estudos críticos e circulando por importantes festivais. Foi professor de dramaturgia e escrita criativa em instituições como o SESI, SESC, UFPR, UDESC, ESC Escola de Escrita, dentre outras. Atualmente, integra o Projeto Teatro de Segunda, é Diretor de Cultura da UNESPAR e doutorando em encenação e dramaturgia na UFPR.

*Olga Nenevê é dramaturga, atriz e diretora. Fundadora do Grupo Obragem de Teatro, seus trabalhos são caracterizados pelo perfil investigativo e pela contaminação com outras áreas artísticas. Participou do Núcleo de Dramaturgia SESI-PR em 2010. Seus principais trabalhos como dramaturga são “Trilogia sobre a morte e o luto” composta pelos textos “Passos” (2008); “O inventário de Nada Benjamim” (2009) e “Zaqueu” (2010); “Trilogia sobre a loucura” composta pelos textos “As tramoias de José na cidade labiríntica” (2011 – Troféu Gralha Azul de Melhor texto original); “Cristiano – o cão louco” (2013) e “Coração” (2014 – Prêmio Oraci  Gemba da FCC).

*Sueli Araujo é diretora, dramaturga e fundadora da CiaSenhas de Teatro. Seus trabalhos mais recentes são os espetáculos Fui! (2016), O bafo da gralha (2016) e Os Pálidos (2015), nos quais tem se dedicado a investigar procedimentos poéticos que incluem o espectador na encenação. Em 2013, lançou o livro Narrativas em Cena. É professora do Curso de Artes Cênicas da Unespar-FAP desde 1998.

Stephan Baumgärtel

Mesas Redondas
As artistas Adélia Nicoleti e Tânia Farias, além das oficinas imersivas com os integrantes do Núcleo, propõem uma conversa/palestra aberta ao público em geral.

Leituras Dramáticas
Serão realizadas leituras dramáticas com a presença dos artistas convidados. Alguns dos textos selecionados na edição de 2018 serão encaminhados para publicação impressa e online.

SERVIÇO:
Núcleo de Dramaturgia do Sesi-PR – Edição 2018
Inscrições: até 5 de julho
Início: Julho de 2018
Local: Centro Cultural Sesi Heitor Stockler De França
Endereço: Av. Mal. Floriano Peixoto, 458 – Centro de Curitiba
Número de participantes: 12 pessoas selecionadas e 3 suplentes

Mais informações:
www.sesipr.com.br/cultura/
www.facebook.com/sesiculturapr/

PROJETO VOZES DE OUTRAS CIDADES APRESENTA SHOW DE TIBÉRIO AZUL

Tiberio Azul / crédito foto: Fabiano Cafure

Com entrada gratuita, Casa Heitor recebe o artista nesta quinta-feira às 20h

O projeto Vozes de Outras Cidades, iniciativa do Sesi Cultura Paraná, traz para Curitiba o show do músico e poeta Tibério Azul. Em suas músicas, a literatura e a poesia são características marcantes e que encantam o público Brasil adentro. A apresentação gratuita ocorre no Centro Cultural Sesi Heitor Stockler De França, no dia 10 de maio, próxima quinta-feira, a partir das 20h. Os ingressos serão distribuídos no local com uma hora de antecedência (sujeito a lotação).

Expoente da nova música pernambucana, Azul possui a estrada repleta de projetos ousados e criativos. É cantor e compositor reconhecido pela verve declaradamente poética, seja nas suas apresentações, letras ou melodias. Em sua carreira solo fincou o pé na música brasileira ao lançar o primeiro disco “Bandarra ou o caminho que vai dar no sol”, em 2011. Na entressafra entre o primeiro e o segundo disco, fundou um selo de produção e divulgação de arte Pernambucana – o Santo de Casa Faz Milagre.

Em 2017, Azul lançou o segundo disco intitulado “Líquido ou a vida pede mais abraço que razão”. Junto com o segundo disco, também anunciou o seu primeiro livro de poemas intitulado “Líquido ou o homem que nasceu amanhã”, pela editora Confraria do Vento. As duas produções formam a mesma obra e dialogam sobre o mesmo tema – a liquidez dos sentimentos humanos.

O fascínio pela literatura enriquece as criações de Tibério Azul. Entre as personalidades de suas principais referências, temos Manoel de Barros (homenageado no primeiro álbum), Cora Coralina e Fernando Pessoa. Sua versatilidade e ousadia já o levou para importantes festivais, como o Rec-Beat, Abril Pro Rock, Festival Pernambucano Nação Cultural, Festival de Inverno de Garanhuns, entre outros. Em todos recebeu elogios de crítica e público e foi considerado revelação do Rec-Beat e Abril Pro Rock, o que resultou no título de “nova revelação da música pernambucana e brasileira”.

Sobre Vozes de Outras Cidades – o projeto é uma iniciativa do Sesi Cultura Paraná que contempla compositores, músicos e intérpretes de música popular urbana de outras regiões, que desenvolvem seus trabalhos autorais em um formato mais intimista, seja individual ou em duos e trios.

Serviço:
Vozes de Outras Cidades apresenta Tibério Azul
Data: 10 de maio, quinta-feira
Horário: 20 horas
Valor: gratuito
Classificação: livre
Local: Centro Cultural Sesi Heitor Stockler De França
Endereço: Av. Marechal Floriano Peixoto, 458 – Centro de Curitiba
Observação: 40 lugares (sujeito a lotação)
Confira a página do evento, aqui

Mais informações:
www.sesipr.com.br/cultura/ 
www.facebook.com/sesiculturapr/

SESI CULTURA
Foi em 2008 que a Regional Paraná do Serviço Social da Indústria inaugurou uma área especificamente dedicada ao desenvolvimento de ações culturais ancoradas nas diretrizes previstas na Declaração Universal dos Direitos do Homem, como a diversidade, a pluralidade e a autonomia. Desde então, o Sesi Cultura Paraná tem promovido o acesso à cultura com foco em programas de formação artística e cultural, investindo em processos criativos, formação de plateia para todas as linguagens e na formação e desenvolvimento cultural com vocação local. O Circuito Cultural Sesi, o Festival Sesi Música, os Núcleos Criativos do Sesi, o Zoom Cultural, os Programas Sesi Música, Sesi Arte, Sesi Audiovisual e Sesi Artes Cênicas são exemplos de programas desenvolvidos pela Gestão Cultural do Sesi. De 2008 até 2017, mais de um milhão de espectadores tiveram acesso à cultura por meio de cerca de 8,4 mil ações culturais realizados pelo Sesi Paraná. Todas essas ações sempre tiveram como objetivo o acesso ao bem cultural para o trabalhador da indústria, seus dependentes e para a comunidade de um forma geral, além da difusão da arte em todas as suas manifestações, valorizando a diversidade e a pluralidade do povo brasileiro.

EXPOSIÇÃO “A ESCURIDÃO QUE ME CLAREIA” CHEGA A CURITIBA

foto: Rei Santos

Obras da artista Carol W serão instaladas no Centro Cultural Sesi Heitor Stockler De França a partir de 17 de abril

O dia 29 de janeiro de 2016 marcou Porto Alegre. Depois de um intenso calor durante o dia, a noite chegou e trouxe uma tempestade atípica. Ventos fortíssimos derrubaram e arrancaram do solo centenas de árvores, deixando alguns bairros da cidade sem luz e água por alguns dias. O aprendizado da situação e a convivência com a escuridão, inspirou a artista visual Carol W, que decidiu transformar este momento de caos em arte, dando vida a exposição “A escuridão que me clareia”.

As esculturas de papel machê combinadas a materiais recolhidos da devastação provocada pelos temporais, como galhos e troncos de árvores, retratam figuras humanas e insetos multicoloridos que expressam o vendaval, a chuva intensa, o medo da escuridão e a sensação de vulnerabilidade, mas também a beleza da natureza e as possibilidades poéticas, lúdicas e até divertidas de enfrentar tais situações.

“Diante das árvores arrancadas pelas raízes que ficaram caídas por cerca de dois meses nas ruas e nos parques, fiquei pensando na força da natureza. Pensei na tempestade, no vento, na escuridão, no silêncio e na solidão… e decidi que ia ver um outro lado disso tudo. Por exemplo, é tão bonita a escuridão. Tudo muda no mundo escuro, pois outras habilidades são necessárias, outros sentidos ficam mais aguçados e isso é uma outra forma de entender as coisas. Esta experiência me trouxe o pensamento de que todos somos, penso eu, um pouco luz e um pouco sombra. Aí está anossa vulnerabilidade e ambiguidade, também presente na natureza: delicada, linda e sutil, mas também forte, violenta e implacável”, explica Carol.

Após período de exposição em Londrina, no Centro Cultural Sesi/AML, a instalação “A escuridão que me clareia”, selecionada no 8º Edital para Seleção de Projetos Culturais 2017/18 do Sesi Cultura Paraná, terá entrada franca e irá circular pelos espaços do Sesi-PR em Curitiba e Pato Branco, respectivamente. De 17 de abril a 26 de maio, permanece em Curitiba, na Casa Heitor Stockler de França e, de 8 de junho a 14 de julho, encerra sua passagem pelo estado no Teatro Sesi Pato Branco.

Há mais de 20 anos, Carol W transforma seus bonecos e esculturas em papel machê em obras de arte. Apaixonada pela técnica rústica e versátil, Carol produz suas peças com um toque de humor e uma dose de melancolia. “Adoro cores e estampas, então esses elementos aparecem com frequência nas minhas peças. O lúdico também é algo que procuro trazer para o meu trabalho, então sempre tento me inspirar no universo das crianças, conversando com elas e observando a forma livre com que vêem o mundo”, finaliza a artista.

foto: Rei Santos

Serviço:
Exposição “A escuridão que me clareia” de Carol W
Centro Cultural Sesi Heitor Stockler De França
Data: 17 de abril a 26 de maio
Horário: visitação de terça a sexta-feira, das 10h às 12h e das 13h às 17h. Sábados, das 10h às 13h
Classificação: livre
Valor: ingresso solidário (doação de 1 livro infantil ou 1 litro de leite)
Local: Centro Cultural Sesi Heitor Stockler De França
Endereço: Av. Mal. Floriano Peixoto, 458 – Centro – Curitiba
Observação: sujeito a lotação

Mais informações:
www.sesipr.com.br/cultura/ 
www.facebook.com/sesiculturapr/

NOVEMBRO TEM PROGRAMAÇÃO ESPECIAL DO PROJETO ACORDES NA CASA

TOMBÔ

Ao todo, serão quatro shows gratuitos promovidos pelo SESI Cultura na Casa Heitor Stockler De França

O Acordes na Casa, idealizado pelo SESI Cultura Paraná, promove shows em todos os sábados do mês de novembro. As apresentações, com entrada gratuita, acontecem no Centro Cultural SESI Heitor Stockler De França. O objetivo do projeto é oferecer à comunidade uma programação de música instrumental da melhor qualidade, propondo acesso aos mais diferentes gêneros e repertórios.

Confira o cronograma completo abaixo:

Dia 11/11: AcordesnaCasa com Marcelo Torrone
No segundo sábado do mês (11), é a vez de Marcelo Torrone apresentar o seu concerto-didático “Piano Minimalista” no Centro Cultural SESI Heitor Stockler De França. Com um repertório instrumental autoral, o pianista mescla uma breve história do movimento minimalista na música e no cinema e realiza a execução comentada de obras para piano dos principais nomes representativos desse movimento, como: Erik Satie, Philip Glass, Michael Nymann e Yann Tiersen.

Data: 11/11/2017 Horário: 11h00
Valor: Gratuito
Classificação: Livre
Local: Centro Cultural SESI Heitor Stockler De França
Endereço: Av. Mal. Floriano Peixoto, 458 – Centro
Observação: Sujeito a lotação

Dia 18/11: Acordesna Casa com Tombô
A terceira apresentação do Acordes na Casa durante o mês de novembro no Centro Cultural SESI Heitor Stockler De França é por conta do grupo TOMBÔ – Eletro! Acústico!. Trata-se de um projeto de música eletrônica que tem como referência central o universo dos terreiros e os pontos de umbanda. O grupo é formado pelos músicos, pesquisadores e criadores André Kloss (percussão e direção), Alonso Figueroa (produção musical, programação, teclados), Lilian Nakahodo (produção musical, teclado) e Alex Figueiredo (percussão), além do vídeo maker Gustavo Aguiar.

Data: 18/11/2017 Horário: 11h00
Valor: Gratuito
Classificação: Livre
Local: Centro Cultural SESI Heitor Stockler De França
Endereço: Av. Mal. Floriano Peixoto, 458 – Centro
Observação: Sujeito a lotação

Dia 25/11: AcordesnaCasa com Jazzminas
A quarta e última apresentação de novembro do projeto Acordes da Casa no Centro Cultural SESI Heitor Stockler De França fica por conta do duo “Jazzminas – Notas de Mulheres”. Trata-se de um projeto de difusão da música instrumental autoral das musicistas e compositoras Bruna Buschle e Lilian Nakahodo, que interpretam temas de parceiras musicais de Curitiba, Rio de Janeiro e São Paulo, além de obras de grandes compositoras, como: Chiquinha Gonzaga, Léa Freire, Esperanza Spalding e Bjork.

Data: 25/11/2017 Horário: 11h00
Valor: Gratuito
Classificação: Livre
Local: Centro Cultural SESI Heitor Stockler De França
Endereço: Av. Mal. Floriano Peixoto, 458 – Centro de Curitiba
Observação: Sujeito a lotação

Mais informações:
www.sesipr.com.br/cultura/
www.facebook.com/sesiculturapr/

SESI CULTURA – Foi em 2008 que a Regional Paraná do Serviço Social da Indústria inaugurou uma área especificamente dedicada ao desenvolvimento de ações culturais ancoradas nas diretrizes previstas na Declaração Universal dos Direitos do Homem, como a diversidade, a pluralidade e a autonomia. Desde então, o Sesi Cultura Paraná tem promovido o acesso à cultura com foco em programas de formação artística e cultural, investindo em processos criativos, formação de plateia para todas as linguagens e naformação e desenvolvimento cultural com vocação local. O Circuito Cultural Sesi, o Festival Sesi Música, os Núcleos Criativos do Sesi, o Zoom Cultural, os Programas Sesi Música, Sesi Arte, Sesi Audiovisual e Sesi Artes Cênicas são exemplos de programas desenvolvidos pela Gestão Cultural do Sesi. De 2008 até 2016, mais de 927 mil espectadores tiveram acesso à cultura por meio de cerca de 7,5 mil eventos realizados pelo Sesi Paraná. Todas essas ações sempre tiveram como objetivo o acesso ao bem cultural para o trabalhador da indústria, seus dependentes e para a comunidade de um forma geral, além da difusão da arte em todas as suas manifestações, valorizando a diversidade e a pluralidade do povo brasileiro.

JÔ NUNES É O DESTAQUE DO VOZES DA CIDADE DESTE MÊS

Projeto do Sesi Cultura promove shows musicais gratuitos no Centro Cultural Heitor Stockler de França

A edição de outubro do projeto Vozes da Cidade traz a cantora Jô Nunes acompanhada do guitarrista, compositor e produtor musical Humberto Piccoli. Juntos, eles apresentarão o show “Meu Canto Brasileiro” pelo Sesi Cultura em versão acústica – voz e guitarra. Esse é o mais novo projeto da cantora, um DVD com 14 músicas divididas em canções autorais e releituras de obras de compositores contemporâneos, além de clássicos de grandes nomes da música nacional. A apresentação acontece na próxima quinta-feira (19), no charmoso espaço do Centro Cultural Sesi Heitor Stockler de França.

Jô Nunes possui formação em Musicoterapia pela Faculdade de Artes do Paraná – Unespar/FAP. Ela é professora de canto e técnica vocal, além de compositora e cantora. O seu primeiro CD solo foi “Passarinha”. Em seu novo álbum, “Meu Canto Brasileiro”, a artista – que também é percussionista nos grupos Brejeiras e Paranambuco – traz composições próprias aliadas a releituras de obras clássicas do cancioneiro nacional.

O formato do show no Centro Cultural Sesi Heitor Stockler de França é mais enxuto e intimista, dando aos músicos a possibilidade de revisitar arranjos e explorar uma performance diferenciada. A ideia é levar ao público um espetáculo cheio de novidades e sutilezas sonoras, uma combinação perfeita para um show na belíssima sala de concerto da Casa Heitor.

SERVIÇO:
Sesi Cultura Paraná apresenta
Vozes da Cidade com Jô Nunes
Data: 19/10/2017
Horário: às 20h
Valor: Gratuito
Classificação: Livre
Local: Centro Cultural SESI Heitor Stockler De França
Endereço: Av. Mal. Floriano Peixoto, 458 – Centro, Curitiba
Observação: Sujeito a lotação
Mais informações:
www.sesipr.org.br/cultura/EventAgenda27805content357465.shtml
www.sesipr.com.br/cultura/
www.facebook.com/sesiculturapr/

SESI CULTURA
Foi em 2008 que a Regional Paraná do Serviço Social da Indústria inaugurou uma área especificamente dedicada ao desenvolvimento de ações culturais ancoradas nas diretrizes previstas na Declaração Universal dos Direitos do Homem, como a diversidade, a pluralidade e a autonomia. Desde então, o Sesi Cultura Paraná tem promovido o acesso à cultura com foco em programas de formação artística e cultural, investindo em processos criativos, formação de plateia para todas as linguagens e na formação e desenvolvimento cultural com vocação local. O Circuito Cultural Sesi, o Festival Sesi Música, os Núcleos Criativos do Sesi, o Zoom Cultural, os Programas Sesi Música, Sesi Arte, Sesi Audiovisual e Sesi Artes Cênicas são exemplos de programas desenvolvidos pela Gestão Cultural do Sesi. De 2008 até 2016, mais de 927 mil espectadores tiveram acesso à cultura por meio de cerca de 7,5 mil eventos realizados pelo Sesi Paraná. Todas essas ações sempre tiveram como objetivo o acesso ao bem cultural para o trabalhador da indústria, seus dependentes e para a comunidade de um forma geral, além da difusão da arte em todas as suas manifestações, valorizando a diversidade e a pluralidade do povo brasileiro.

SESI CULTURA PROMOVE COLÓQUIO DE DRAMATURGIA CORPORAL

Divulgação: Bia Figueiredo. Crédito: Mariama Lopes

O encontro ocorre neste sábado (14) e terá a participação das artistas Cinthia Kunifas e Bia Figueiredo

O Núcleo de Dramaturgia SESI Cultura Paraná convida a todos para o próximo Colóquio de Dramaturgia, marcado para 14 de outubro (sábado), às 18h30, no Centro Cultural Sesi Heitor Stockler de França. Nesta edição, com mediação de Gladis Tridapalli, o espaço recebe as artistas Cinthia Kunifas e Bia Figueiredo.

O objetivo do projeto é proporcionar a troca de experiências entre os participantes e os criadores e pesquisadores das artes cênicas, tendo a dramaturgia como eixo e suas múltiplas concepções na cena contemporânea.

Nesta edição de outubro do projeto as convidadas vão compartilhar as suas vivências e procedimentos criativos a partir da relação do corpo com a dramaturgia. A entrada é gratuita, mas as vagas são limitadas. Interessados devem comparecer no local com 30 minutos de antecedência, pois o espaço está sujeito a lotação.

Sobre as convidadas:

Bia Figueiredo
Vive e trabalha em Curitiba/PR desde 2007. Interessa-se por poéticas e políticas do corpo, desenvolve trabalhos artísticos em Dança, Performance e em mídias audiovisuais. É integrante cofundadora do Água Viva Concentrado Artístico, com o qual realiza a TRANSBORDA – Mostra de Performance e o Encontro de Compositores. É integrante do GranGran (grupo de experimentação em artes híbridas), colabora também com outros artistas e coletivos artísticos. É intérprete da obra “Coreografia estudo #1” de Michelle Moura. Com a performance “Oblação, esteve na 17° Edição da Mostra Sesc Cariri de Cultura. Em 2015, foi contemplada com o Prêmio Funarte Klauss Vianna de Dança com o projeto “Bimobaba”.

Cinthia Kunifas
Artista da dança, atua como pesquisadora, docente e performer. É Mestre em Artes Cênicas pela UFBA e Especialista em Consciência Corporal-Dança pela FAP (UNESPAR), onde leciona desde 1995. Seu interesse artístico e pedagógico está relacionado com os processos da percepção e o estudo dos micromovimentos. De 2002 a 2012 desenvolveu a pesquisa de linguagem cênica Corpo Desconhecido em colaboração com a artista Mônica Infante, contemplada pelo Rumos Itaú Cultural Dança – 2003. Atualmente desenvolve a performance Fenda em colaboração com a mesma artista. Orientadora de projetos de pesquisa em dança e preparadora corporal de atores, é colaboradora da CiaSenhas de Teatro, desde 2000.

Gladis Tridapalli
Vive em Curitiba desde 1995. É docente no Curso de Dança da UNESPAR/FAP onde se interessa pelo entrecruzamento entre criação e educação. É artista cofundadora da Entretantas Conexão em Dança onde se debruça na investigação da resistência, do humor e dos processos colaborativos com o público. Dança na SALA todos os dias, tropeçando em brinquedos e embalando crianças. Mestre em Dança pelo PPGD na Universidade Federal da Bahia.

SERVIÇO:
Sesi Cultura Paraná apresenta
Núcleo de Dramaturgia: Colóquio O Corpo da Dramaturgia
Data: 14/10/2017 Horário: 18h30
Valor: Gratuito
Classificação: Livre
Local: Centro Cultural SESI Heitor Stockler De França
Endereço: Av. Mal. Floriano Peixoto, 458 – Centro
Observação: Sujeito a lotação

Mais informações:
www.sesipr.com.br/cultura/ 
www.facebook.com/sesiculturapr/

SESI CULTURA
Foi em 2008 que a Regional Paraná do Serviço Social da Indústria inaugurou uma área especificamente dedicada ao desenvolvimento de ações culturais ancoradas nas diretrizes previstas na Declaração Universal dos Direitos do Homem, como a diversidade, a pluralidade e a autonomia. Desde então, o Sesi Cultura Paraná tem promovido o acesso à cultura com foco em programas de formação artística e cultural, investindo em processos criativos, formação de plateia para todas as linguagens e na formação e desenvolvimento cultural com vocação local. O Circuito Cultural Sesi, o Festival Sesi Música, os Núcleos Criativos do Sesi, o Zoom Cultural, os Programas Sesi Música, Sesi Arte, Sesi Audiovisual e Sesi Artes Cênicas são exemplos de programas desenvolvidos pela Gestão Cultural do Sesi. De 2008 até 2016, mais de 927 mil espectadores tiveram acesso à cultura por meio de cerca de 7,5 mil eventos realizados pelo Sesi Paraná. Todas essas ações sempre tiveram como objetivo o acesso ao bem cultural para o trabalhador da indústria, seus dependentes e para a comunidade de um forma geral, além da difusão da arte em todas as suas manifestações, valorizando a diversidade e a pluralidade do povo brasileiro. 

SESI CULTURA PROMOVE EVENTO GRATUITO COM CRISTOVÃO TEZZA

Cristovão Tezza / Foto de Artur Makos

Escritor premiado fala sobre a importância da literatura dentro e fora das instituições de ensino, no Centro Cultural Sesi Heitor Stockler de França

Antes mesmo de se demitir da vida de professor universitário para se dedicar exclusivamente à literatura, Cristovão Tezza já galgava reconhecimento crescente em meio ao público leitor e crítica. Suas obras têm sido acompanhadas por premiações diversas desde a década de 90. Uma de suas últimas conquistas tem sido a tradução e o lançamento de “O filho eterno” em mais de dez países. A mesma obra também foi adaptada para o teatro com direito a Prêmio Shell e este ano foi lançada nos cinemas. Para falar um pouco sobre a sua trajetória e o poder da literatura dentro e fora das instituições de ensino, o Sesi Cultura Paraná traz o autor para um bate-papo no Centro Cultural Heitor Stockler de França com entrada franca nesta quarta (27).

Catarinense radicado em Curitiba, Tezza estudou no Colégio Estadual do Paraná, se aventurou como ator quando jovem e saiu da capital paranaense para estudar Letras em Portugal, na Universidade de Coimbra. Foi professor de Língua Portuguesa da UFSC e da UFPR. Concluiu doutorado na USP com tese publicada pela editora Rocco em 2002. Ainda na área acadêmica, escreveu dois livros didáticos. Foi cronista no jornal Gazeta do Povo e é autor de coluna quinzenal na Folha de São Paulo.

Sua produção literária alcançou premiações de destaque como: o Prêmio Petrobrás de Literatura, o Prêmio Machado de Assis da Biblioteca Nacional, o Prêmio da Academia Brasileira de Letras, o Prêmio Bravo!, entre tantos outros. Várias de suas obras já foram traduzidas em 18 países, como China, Estados Unidos, Noruega, México, Eslovênia e Inglaterra.

Por meio do projeto “O Autor Perto da Gente”, do Sesi Cultura Paraná, Cristovão Tezza estará no Centro Cultural Sesi Heitor Stockler de França nesta quarta (27), às 14h30, para conversar sobre a sua trajetória pessoal e profissional, o impacto da literatura no contexto escolar e fora dele e o ofício do professor. A entrada é franca, mas com vagas limitadas. A inscrição deve ser feita pelo e-mail biblioteca@fiep.org.br

Serviço:
Sesi Cultura Paraná apresenta
Projeto” O Autor Perto da Gente” com Cristovão Tezza
Data: 27 de setembro
Horário: 14h30 
Local: Centro Cultural SESI Heitor Stockler De França
Endereço: Av. Mal. Floriano Peixoto, 458 – Centro de Curitiba
Entrada gratuita mediante inscrição em biblioteca@fiepr.org.br
Observação: Sujeito a lotação
Mais informações:
www.sesipr.com.br/cultura/ 
www.facebook.com/sesiculturapr/

SESI CULTURA
Foi em 2008 que a Regional Paraná do Serviço Social da Indústria inaugurou uma área especificamente dedicada ao desenvolvimento de ações culturais ancoradas nas diretrizes previstas na Declaração Universal dos Direitos do Homem, como a diversidade, a pluralidade e a autonomia. Desde então, o Sesi Cultura Paraná tem promovido o acesso à cultura com foco em programas de formação artística e cultural, investindo em processos criativos, formação de plateia para todas as linguagens e na formação e desenvolvimento cultural com vocação local. O Circuito Cultural Sesi, o Festival Sesi Música, os Núcleos Criativos do Sesi, o Zoom Cultural, os Programas Sesi Música, Sesi Arte, Sesi Audiovisual e Sesi Artes Cênicas são exemplos de programas desenvolvidos pela Gestão Cultural do Sesi. De 2008 até 2016, mais de 927 mil espectadores tiveram acesso à cultura por meio de cerca de 7,5 mil eventos realizados pelo Sesi Paraná. Todas essas ações sempre tiveram como objetivo o acesso ao bem cultural para o trabalhador da indústria, seus dependentes e para a comunidade de um forma geral, além da difusão da arte em todas as suas manifestações, valorizando a diversidade e a pluralidade do povo brasileiro. 

DUO DE FLAUTA E VIOLÃO NO SESI HEITOR STOCKLER DE FRANÇA

O projeto Acordes da Casa realiza apresentação gratuita no próximo sábado (26)

Formado pelo primeiro flautista da Orquestra Sinfônica do Paraná (OSP), Fabrício Ribeiro, e pelo violonista Francisco Luz, o duo Luz-Ribeiro apresenta o concerto “Na solidão, em busca de companhia”. A ação acontece no Centro Cultural SESI Heitor Stockler de França, no dia 26 de agosto, a partir das 11h, com entrada franca.

A apresentação é parte do primeiro CD da dupla, lançado em 2017, que empresta o nome da obra homônima de Harry Crowl, compositor e musicólogo de Belo Horizonte. As canções fazem uma homenagem a importantes compositores brasileiros dos séculos 20 e 21, reúnem repertório diverso e influenciado pela música popular brasileira, além da Música de Câmara Europeia e outras obras contemporâneas.

A dupla, formada em 2014 com foco na pesquisa e divulgação da música brasileira escrita originalmente para flauta e violão, se inspira nas composições de grandes músicos, como: Villa-Lobos, Marlos Nobre, Edino Krieger, Radamés Gnatalli, Guerra-Peixe, Edino Krieger, além de Harry Crowl.

O projeto Acordes da Casa, do Sesi Cultura Paraná, em sintonia com os instrumentistas, traz para o palco do Centro Cultural Sesi Heitor Stockler de França o prestígio e o requinte de melodias que prometem deleitar o público. A classificação é livre.

Sobre os músicos

Francisco Luz atua desde 2016 como integrante do Brazilian Guitar Quartet. Entre as suas apresentações, se destacam concertos na Frick Collection de Nova York frente à Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, na Sala São Paulo sob a regência de Marin Alsop, no Museu de Arte de São Paulo, no BNDES do Rio de Janeiro, na Série Música de Câmara da Capela Santa Maria, entre outros locais. Também já se apresentou em cidades dos EUA, México e Espanha. Em 2015, foi indicado ao prêmio Julian Bream Trust, ocasião na qual teve a oportunidade de se apresentar para o lendário violonista em sua casa em Tisbury, Inglaterra.

Fabrício Ribeiro é Mestre em Música pela Universidade Federal do Paraná. Entre 2007 e 2016 atuou como 1º Flautista da Orquestra Sinfônica do Paraná, onde se apresentou com grandes artistas da atualidade, como: Anton Witt, Gabriela Monteiro, Antônio Meneses, Sergio Tiempo, Vadin Gluzman, Zimbo Trio, Jean Luc Ponty, entre outros. Alguns de seus professores e influências artísticas foram: Curt Schroeter, Michel Debost, Rogerio Wolf e Osvaldo Colarusso. Foi premiado no Concurso Internacional de Música de Câmara Art-livre/SP, conquistando o 2º lugar em 2001 e, no Concurso Nacional de Música de Câmara de Araçatuba, obtendo o 1º lugar no mesmo ano.

Serviço:
Acordes da Casa com Duo Luz-Ribeiro
Data: 26/08/2017
Horário: 11h
Classificação: Livre
Valor: Gratuito
Local: Centro Cultural SESI Heitor Stockler De França
Endereço: Av. Mal. Floriano Peixoto, 458 – Centro de Curitiba
Contato: (41) 3322-2111
Observação: Sujeito a lotação
Mais informações:
www.sesipr.com.br/cultura/
www.facebook.com/sesiculturapr/

SESI CULTURA
Foi em 2008 que a Regional Paraná do Serviço Social da Indústria inaugurou uma área especificamente dedicada ao desenvolvimento de ações culturais ancoradas nas diretrizes previstas na Declaração Universal dos Direitos do Homem, como a diversidade, a pluralidade e a autonomia. Desde então, o Sesi Cultura Paraná tem promovido o acesso à cultura com foco em programas de formação artística e cultural, investindo em processos criativos, formação de plateia para todas as linguagens e na formação e desenvolvimento cultural com vocação local. O Circuito Cultural Sesi, o Festival Sesi Música, os Núcleos Criativos do Sesi, o Zoom Cultural, os Programas Sesi Música, Sesi Arte, Sesi Audiovisual e Sesi Artes Cênicas são exemplos de programas desenvolvidos pela Gestão Cultural do Sesi. De 2008 até 2016, mais de 927 mil espectadores tiveram acesso à cultura por meio de cerca de 7,5 mil eventos realizados pelo Sesi Paraná. Todas essas ações sempre tiveram como objetivo o acesso ao bem cultural para o trabalhador da indústria, seus dependentes e para a comunidade de um forma geral, além da difusão da arte em todas as suas manifestações, valorizando a diversidade e a pluralidade do povo brasileiro. 

SESI CULTURA PROMOVE OFICINA DE FOTOGRAFIA ANALÓGICA COM IRMÃOS THOMS

FilmSoup / Henrique Thoms

A oficina “Sopa de Filme” acontecerá nos dias 12 e 19 de agosto a preços populares, no Centro Cultural SESI Heitor Stockler De França

Em plena era digital das câmeras, a dupla de fotógrafos curitibanos Irmãos Thoms propõe uma experiência diferente para quem aprecia a arte da fotografia, seja profissional ou amador. Eles farão isso por meio da oficina de “Sopa de Filme”, que acontece nos dias 12 e 19 de agosto, a partir das 14h30, no Centro Cultural SESI Heitor Stockler De França.

“Sopa de Filme” é, basicamente, uma forma de corromper o filme (também conhecido como película fotográfica) e assim criar resultados imprevisíveis de revelação, transformando cada processo em um momento único. O termo é utilizado para experimentações com filme em recipientes aquecidos. Por isso o termo “sopa”, porque é preciso, literalmente, cozinhar o material para criar os experimentos. 

A proposta da oficina, que será realizada em duas etapas, é fazer com que os participantes conheçam essa alternativa e queiram testá-la. “Iremos introduzir as formas de experimentação, apresentar trabalhos, fazer os experimentos com os participantes e depois ver os resultados e conversar sobre a experiência. Podem participar profissionais e amadores, desde que tenham equipamento analógico e saibam como utilizar ele para então experimentar os filmes”, explicam os fotógrafos.

Além das possibilidades incríveis de revelação, o workshop também oferece um conhecimento mais amplo sobre esse experimento – tão pouco conhecido e utilizado. De acordo com os Irmãos Thoms, a oficina “Sopa de Filme” ensina a gostar dos “erros” e “falhas” e a contar com o inusitado, porque só tem como saber o resultado da intervenção após revelado. “O filme proporciona experimentos sensacionais que podem te ajudar a criar uma linguagem para determinado propósito, além de proporcionar crescimento e reflexão sobre a produção de imagens, tanto sua como de outras pessoas”, completam.

A relação da dupla com a fotografia começou ainda na infância. Fotos tiradas e impressas pelos pais foram o suficiente para atrair e inspirar os Irmãos Thoms. Atualmente, os jovens são reconhecidos no cenário curitibano da fotografia pelo talento peculiar de cada um, o que torna o trabalho da dupla algo excepcional em suas particularidades. “Entre tantas vertentes no universo da fotografia, estruturamos nossa linguagem, e residimos na inovação do registro. Acreditamos no ato de tornar palpável o que nos escapa aos olhos, capturando as nuances dos acontecimentos, que expressamos em sensibilidade”, finalizam.

Sobre os fotógrafos

centro cultural sesi heitor stockler de frança.

Walter Thoms é formado pela Escola Portfólio (2011). O interesse pela fotografia surgiu aos 16 anos quando morava no litoral de Santa Catarina. Durante o curso trabalhou como assistente para o fotógrafo Dico Kremer e um ano depois começou a trabalhar na Ibiza Laboratório Fotográfico. Em 2013, sua fotografia fez parte do livro “Imaginário Cromático”, junto aos fotógrafos Orlando Azevedo, João Castilho, Cao Guimarães e Gui Mohallem. A partir disso, participou de algumas exposições coletivas e mostras em festivais, a mais recente foi no 14º Salão Pérsio Galembeck, em Araras – SP. Atualmente é freelancer juntamente com seu irmão e integra os coletivos fotográficos Flanares e R.U.A Foto Coletivo.

Henrique Thoms, inspirado pelo trabalho de Walter, seu irmão mais velho, começou a fotografar aos 13 anos e, desde então, vem desenvolvendo seu trabalho profissional e autoral. Começou com fotografia de surf não convencional, utilizando sua Nikonos – câmera analógica subaquática dos anos 80. No decorrer da sua trajetória, participou de exposições coletivas, workshops e, o mais recente projeto em exposição, chamado 04:AM – que consiste em registros de algumas cenas noturnas da cidade. Hoje atua em várias áreas da fotografia, entre elas publicidade e cinema, e colabora com o coletivo I Hate Flash fotografando festas, shows e festivais.

Serviço:
Informações sobre a oficina “Sopa de Filme”
Data: 12/08/2017 e 19/08/2017 Horário: 14h30 
Inscrições: sesicultura.hsf@sesipr.org.br
Vagas: 20 
Valor: R$20,00 / R$10 (trabalhador da indústria)
Local: Centro Cultural SESI Heitor Stockler De França
Endereço: Av. Mal. Floriano Peixoto, 458 – Centro
Contato: (41) 3322-2111
Observação: Sujeito a lotação
Página do evento, aqui

Mais informações:
www.sesipr.com.br/cultura/ 
www.facebook.com/sesiculturapr/

SESI CULTURA
Foi em 2008 que a Regional Paraná do Serviço Social da Indústria inaugurou uma área especificamente dedicada ao desenvolvimento de ações culturais ancoradas nas diretrizes previstas na Declaração Universal dos Direitos do Homem, como a diversidade, a pluralidade e a autonomia. Desde então, o Sesi Cultura Paraná tem promovido o acesso à cultura com foco em programas de formação artística e cultural, investindo em processos criativos, formação de plateia para todas as linguagens e na formação e desenvolvimento cultural com vocação local. O Circuito Cultural Sesi, o Festival Sesi Música, os Núcleos Criativos do Sesi, o Zoom Cultural, os Programas Sesi Música, Sesi Arte, Sesi Audiovisual e Sesi Artes Cênicas são exemplos de programas desenvolvidos pela Gestão Cultural do Sesi. De 2008 até 2016, mais de 927 mil espectadores tiveram acesso à cultura por meio de cerca de 7,5 mil eventos realizados pelo Sesi Paraná. Todas essas ações sempre tiveram como objetivo o acesso ao bem cultural para o trabalhador da indústria, seus dependentes e para a comunidade de um forma geral, além da difusão da arte em todas as suas manifestações, valorizando a diversidade e a pluralidade do povo brasileiro.