MISTURA SONORA DE DOW RAIZ CHEGA AO TEATRO DO PAIOL

Dow Raiz. Foto: Luciano Meirelles – HAI studio

Rapper curitibano é atração de setembro do projeto Brasis no Paiol. 

O rapper curitibano Dow Raiz leva sua mistura de rimas, batidas e influências para o projeto Brasis no Paiol 2019. O artista, que há alguns anos está entre os destaques nacionais, apresenta-se no icônico palco de Curitiba no dia 12 de setembro, quinta-feira, às 20h. Os ingressos, com valores a R$ 10 e R$ 5, estão à venda na Capela Santa Maria e no Teatro do Paiol. 

O show tem como base o repertório do EP “As Profundezas de um Tempo Danger”, que Dow Raiz lançou em abril deste ano. No trabalho, o rap é a linha mestra, com as clássicas batidas boom bap do hip hop, mas passando também pelo jazz, trap, funk e diferentes estilos da música brasileira. O disco marca a fase em que o artista mudou-se de Curitiba para São Paulo e firmou-se como um dos destaques nacionais do rap, com passagens pelo projeto Rap Box e Showlivre.

A carreira do rapper começou em 2007. Após fazer parte dos grupos Inthefinityvoz e Unification, ganhou destaque nacional com o lançamento da faixa “Abrafé de Abraão”, em 2013. No mesmo ano, lançou o álbum “Antibióticos de Rua”. 

No palco, Dow estará acompanhado pelo DJ Morenno Mongelos, Ian Giller na bateria, Allan Giller no baixo, Chico Han na flauta, Gabriel Gaiardo no piano, Du Gomide na guitarra e Will Costa na percussão. 

Confira os próximos shows do Brasis no Paiol 2019: 
– 24 de outubro: Plutão já foi Planeta (RN) 
– 21 de novembro: Edgar (SP) 
– 05 de dezembro: Bernardo Bravo (Curitiba) 
– 19 de dezembro: Anelis Assumpção (SP) 

Brasis no Paiol 
Desde 2012, os produtores Bina Zanette (Santa Produção) e Heitor Humberto (Fineza Comunicação e Cultura) realizam uma sequência de shows no Teatro do Paiol, com artistas de diferentes regiões do Brasil, bem como nomes da cidade. O objetivo é sempre apresentar novidades, lançamentos, estreias e projetos especiais de artistas com trabalhos de relevância artística, que gerem interesse do público curitibano. 

Em 2019, o projeto é realizado com o Projeto de Apoio e Incentivo à Cultura, da Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura Municipal de Curitiba. Conta com o patrocínio do Shopping Pátio Batel e o apoio do restaurante A Caiçara, Hostel O Bosque e Zoloo Videolab. 

Serviço 
Dow Raiz no Brasis no Paiol 
data: 12 de setembro, quinta-feira, 20h 
local: Teatro do Paiol – Praça Guido Viaro, s/n 
Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia) 
Página do evento: aqui

Pontos de venda: 
– Capela Santa Maria: R. Conselheiro Laurindo, 273 
Horário bilheteria: terça à sexta, 9h às 12h e 14h às 18h30 (consulte horários diferenciados em dias de eventos). Telefone: (41) 3321-2840. 

– Teatro do Paiol: Praça Guido Viaro, s/n (vendas a partir do dia 20/08, havendo disponibilidade de ingressos) 
Horário bilheteria: Terça à sexta, 14h às 17h30 (consulte horários diferenciados em dias de eventos). Telefone: (41) 3213-1340. 

TULIPA RUIZ – BRASIS NO PAIOL

Tulipa Ruiz – Às Vezes from Biondo Artwork on Vimeo.

A terceira edição do Brasis no Paiol 2019 traz a Curitiba a cantora e compositora paulista Tulipa Ruiz. A artista vem à cidade para o show de lançamento do álbum “TU” no dia 13 de junho, quinta-feira, no Teatro do Paiol. Os ingressos custam R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada). ATUALIZAÇÃO: Ingressos esgotados na bilheteria. Venda da cota online abre às 14h no site Alô Ingressos.

O mais recente trabalho de Tulipa tem um formato “nude”, como ela chama. Segundo a artista, é como se as músicas estivessem peladas, já que foram gravadas utilizando voz e violão. “Em um momento no qual a tecnologia nos dispersa e a overdose de informação nos sobrecarrega, quis fazer um disco mais íntimo, mais próximo, mais cru”, explica. Participam do disco seu irmão, o violonista Gustavo Ruiz; e o percussionista Stéphane San Juan. Os dois assinam a produção. O canadense Scotty Hard foi o engenheiro de som e gravou as músicas em seu estúdio, em Nova York.

“TU” é o quarto disco de Tulipa Ruiz, lançado digitalmente em 2017. Antes dele, vieram “Efêmera” (2010), “Tudo Tanto” (2012) e “Dancê” (2015). Em 2015, faturou o Grammy Latino na categoria Melhor Álbum de Pop Contemporâneo Brasileiro.

Confira os próximos shows do Brasis no Paiol 2019:
– 11 de julho: Siba (PE)
– 15 de agosto: Duo + Dois: DUOFEL, Robertinho Silva e Carlos Malta (SP/RJ)
– 12 de setembro: DowRaiz (Curitiba)
– 24 de outubro: Plutão Já Foi Planeta (RN)
– 21 de novembro: Edgar (SP)
– 05 de dezembro: Bernardo Bravo (Curitiba)
– 19 de dezembro: Anelis Assumpção (SP)

Brasis no Paiol
Desde 2012, a Santa Produção e Fineza Comunicação & Cultura realizam uma sequência de shows no Teatro do Paiol, com artistas de diferentes regiões do Brasil, bem como nomes da cidade. O objetivo é sempre apresentar novidades, lançamentos, estreias e projetos especiais de artistas com trabalhos de relevância artística, que gerem interesse do público curitibano.

Em 2019, o projeto é realizado com o Projeto de Apoio e Incentivo à Cultura, da Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura Municipal de Curitiba. Conta com o patrocínio do Shopping Pátio Batel e o apoio do restaurante A Caiçara, Hostel O Bosque e Zoloo Videolab.

Serviço:
Tulipa Ruiz – Brasis no Paiol 2019
13 de junho, quinta-feira, 20h
Teatro do Paiol – Praça Guido Viaro, s/n, Prado Velho, Curitiba 
Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia)
Início das vendas: 27 de maio*
– 9h Capela Santa Maria
– 14h Site Alô Ingressos
(a partir do dia 28 de maio, havendo disponibilidade, o Teatro do Paiol também venderá ingressos).
Confira a página do evento, aqui

>> Limite de compra de três ingressos por pessoa
Arte da página: Brenda Dos Santos
Comunicação: Cliteriosa Comunicação
Palco: Effex – Tecnologia E Criação

*INGRESSOS:
As vendas começam no dia 27 de maio, segunda-feira – mais informações a seguir

Os ingressos são disponibilizados da seguinte forma:
– O teatro tem a capacidade para 217 lugares
10% destinados à Fundação Cultural de Curitiba
10% destinados ao patrocinador do projeto
5% destinados à produção
Os ingressos sao colocados à venda da seguinte forma:
80% para venda nos pontos físicos (Capela Santa Maria e Paiol) sem cobrança de taxa
20% para venda online com cobrança de taxa.

LUEDJI LUNA VEM À CURITIBA PELA PRIMEIRA VEZ E FAZ DOIS SHOWS NO PAIOL

Ingressos esgotaram em 24 horas e artista baiana anuncia sessão extra. Shows abrem a temporada do projeto Brasis no Paiol no dia 25 de abril.

O projeto Brasis no Paiol começa sua temporada de 10 shows em 2019 com a estreia da cantora e compositora baiana Luedji Luna em Curitiba. A artista se apresenta acompanhada por sua banda no dia 25 de abril, quinta-feira, às 20h e 21h40. As entradas da primeira sessão esgotaram em menos de 24 horas. A venda do segundo show começa na segunda-feira, dia 8, às 10h.

Luedji Luna lançou seu primeiro disco, “Um Corpo no Mundo”, em 2017. O álbum reúne diferentes sonoridades como MPB, samba, ritmos africanos, batuque baiano e jazz, com letras que abordam temas sociais, principalmente no que se refere à identidade afrobrasileira.

Pensados coletivamente, os arranjos trazem a identidade cultural de cada um dos músicos, que resultou numa sonoridade de difícil definição. O disco teve produção de Sebastian Notini, músico sueco radicado na Bahia, que também assina a direção musical do espetáculo. Kato Change, guitarrista queniano que já tocou com nomes como Aloe Blacc, Salïf Keita e Sean Kuti, é o responsável pelos arranjos de guitarra. François Muleka, filho de imigrantes congoleses, é o violonista. Já o baixo elétrico e acústico fica por conta do cubano radicado em São Paulo Aniel Somellian. As percussões são de Rudson Daniel, de Salvador, e de Sebastian Notini.

O trabalho foi contemplado com o Prêmio Afro (2017) e Prêmio Bravo na categoria Revelação (2018). Com o disco, a artista circulou pelos principais festivais brasileiros como Coquetel Molotov (Recife/PE), Radioca (Salvador/BA), Breve (Belo Horizonte/MG), Timbre (Uberlândia/MG) e Coala (São Paulo/SP).

O show
O show é uma proposta para se pensar identidade, é o olhar da cantora sobre si mesma a partir do contato, ainda que disperso, com os imigrantes africanos em São Paulo. O projeto se fundamenta na ideia do não pertencimento, do corpo que ocupa o espaço, mas não se identifica, e da necessidade de conexão com a ancestralidade.

Shows da temporada 2019 do Brasis no Paiol:
23/05 – Aláfia (SP)
13/06 – Tulipa Ruiz (SP)
11/07 – Siba (PE), 11 de julho;
15/08 – Duo + Dois: Duofel, Robertinho Silva e Carlos Malta (SP/RJ)
12/09 – Dow Raiz (Curitiba)
24/10 – Plutão já foi Planeta (RN)
21/11 – Edgar (SP)
05/12 – Bernardo Bravo (Curitiba)
19/12 – Anelis Assumpção (SP)

Brasis no Paiol
Desde 2012, os produtores Bina Zanette (Santa Produção) e Heitor Humberto (Fineza Comunicação e Cultura) realizam uma sequência de shows no Teatro do Paiol, com artistas de diferentes regiões do Brasil, bem como nomes da cidade. O objetivo é sempre apresentar novidades, lançamentos, estreias e projetos especiais de artistas com trabalhos de relevância artística, que gerem interesse do público curitibano.

Em 2019, o projeto é realizado com o Projeto de Apoio e Incentivo à Cultura, da Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura Municipal de Curitiba. Conta com o patrocínio do Shopping Pátio Batel e o apoio do restaurante A Caiçara.

Serviço:
Luedji Luna – sessão extra
Dia 25 de abril, quinta-feira, 21h40
Teatro do Paiol: Praça Guido Viaro, s/n
Ingressos*: R$ 30 e R$ 15 (meia-entrada, conforme legislação)
Página do evento, aqui

*INGRESSOS:
Pontos de venda sem cobrança de taxa:
– Teatro do Paiol: Praça Guido Viaro, s/n
Horário bilheteria: Terça à sexta, 14h às 17h30 (consulte horários diferenciados em dias de eventos)
Telefone: (41) 3213-1340
– Capela Santa Maria: R. Conselheiro Laurindo, 273
Horário bilheteria: terça à sexta, 9h às 12h e 14h às 18h30 (consulte horários diferenciados em dias de eventos)
Telefone: (41) 3321-2840
Venda com cobrança de taxa: www.aloingressos.com.br

fonte: Cliteriosa Comunicação

CONCERTO DE ARIANA PARA DIONÍSIO NA CAPELA SANTA MARIA

Integrando a programação do festival literário ZOONA II – Américas Transitivas, show DE ARIANA PARA DIONÍSIO parte da obra de Hilda Hilst na Capela Santa Maria

Nesta quinta feira às 18h30 na Capela Santa Maria, os músicos Edith de Camargo (Voz), Marcelo Torrone (Piano), Ana Paula Cervellini (Viola) e Gabriel Schwartz (Flauta transversal) apresentam o concerto DE ARIANA PARA DIONÍSIO, inspirado em um dos textos mais profundos da literatura brasileira da grande escritora paulista Hilda Hilst.

Escritos em 1974, como parte da obra “MEMÓRIA, JÚBILO NOVICIADO DA PAIXÃO” e musicado no período entre 2002 e 2003 por Zeca Baleiro e Swami Jr, encerraram a vida da escritora com um registro notável em CD, de uma parceria que rendeu belo exemplo da união da Música com a Poesia, pouco anos antes de sua morte em 2004.

Este registro contém dez canções que, no primeiro momento, foram gravados por dez cantoras brasileiras de estilos distintos, e agora é apresentado em formato de Quartet, por quatro músicos de Curitiba: Edith de Camargo (voz), Marcelo Torrone (piano), Ana Paula Cervellini (viola) e Gabriel Schwartz (flauta transversal).

A centelha desse novo ver da obra em questão, se deu em 2014 e desde então algumas apresentações foram realizadas no formato concerto e também de concerto-didático.

SERVIÇO:
DE ARIANA PARA DIONÍSIO com Edith de Camargo (voz), Marcelo Torrone (piano), Ana Paula Cervellini (viola) e Gabriel Schwartz (flauta transversal).
às 18h30 na Capela Santa Maria (R. Conselheiro Laurindo, 273 – Centro, Curitiba – PR, 80060-100)
Entrada Gratuita
Mais informações www.zoona.editoramedusa.com.br

FESTIVAL LITERÁRIO ZOONA II – AMÉRICAS TRANSITIVAS NA CAPELA SANTA MARIA

Em sua segunda edição, festival literário reúne artistas em performances, shows, lançamento de publicações, fóruns e feiras literárias.

O festival literário ZOONA II – Américas Transitivas se realiza em Curitiba, na Capela Santa Maria, de 16 a 19 de outubro, e em Foz do Iguaçu, na UNILA – Universidade Federal da Integração Latino-Americana, de 23 a 25 de outubro. O tema transversal desta edição, resumido no título, são as fronteiras, as transições e misturas nos saberes e práticas literárias.

O Paraná, por sua localização e história, é um lugar de trânsito de pessoas e bens materiais e simbólicos. O Estado tem sido destino de imigrantes vindos tanto do exterior como de outras regiões do Brasil e conta com um porto, o de Paranaguá, que é um dos mais importantes do país. Na área da fronteira tríplice com a Argentina e o Paraguai, utilizam-se na comunicação cotidiana as interlínguas resumidas no termo “portunhol”.

Recentemente instalada nessa região, a UNILA – Universidade Internacional Latina vem se tornando uma instituição pública de vital importância para a pesquisa das questões sociais, econômicas, ambientais e culturais da região utilizando, oficialmente, as línguas portuguesa, guarani e espanhol.

Esta condição favorece uma produção cultural e literária “de fronteira”. Desde que Wilson Bueno lançou Mar paraguayo (1992), o portunhol tem sido explorado como material literário. No último decênio do século XX, foram publicados inúmeros textos em variantes desta interlíngua. Mais recentemente, a partir de iniciativas como a de Douglas Diegues, formou-se o movimento conhecido como “portunhol selvagem” reunindo autores da fronteira.

Mais além da tensão ou oposição entre urbano e rural, erudito e popular, literário e não literário, exemplificada, por exemplo, na obra plural de Paulo Leminski, e nas singulares interseções e montagens de imagem-texto, do HQ ao cinema, constantes na obra de Valêncio Xavier, o Paraná tem sido um laboratório de criação intercultural.

A etnopoética, da tradução à criação, a partir do envolvimento em vários níveis com as culturas originárias, marca obras como Curare (2011), de Ricardo Corona, e Roça Barroca (2011), de Josely Vianna Baptista.

Autores e autoras nascido(a)s, radicado(a)s ou em trânsito pelo Estado têm contribuído para ampliar o conceito de “literatura latino-americana”, como Maria Alzira Brum, cujo trabalho pode ser caracterizado como nômade, Isabel Jasinski, que, a partir do curso de Letras da Universidade Federal do Paraná e da pesquisa acadêmica, coloca em diálogo as literaturas latino-americanas contemporâneas, ou Maria Josele Bucco, que, na mesma instituição realiza estudos sobre as culturas dos imigrantes.

ZOONA II – Américas Transitivas busca explorar e criar vizinhanças por meio da participação presencial e à distância de convidados do Brasil e do exterior. O dominicano radicado em Chicago Rey Andújar utiliza o afro-caribenho, a literatura de gênero, a dança e o teatro para explorar e renovar os sentidos de migração e “mestiçagem”. O uruguaio Dani Umpi, que mora na Argentina, é um híbrido entre músico, artista visual e escritor. O chileno Héctor Hernández Montecinos foi um dos escritores que no começo da década dos 2000, iniciou a formação de uma rede interconectada de poesia latino-americana. O uruguaio Roberto Echavarren, um dos expoentes do neobarroco, momento igualmente transitivo e potente da criação literária nas américas, trabalha pensamento e linguagem em sua obra crítica e poética.

Estas vizinhanças abarcam também o ensaio literário, as práticas pedagógicas e a escrita criativa e expandida por meio da participação de Raúl Antelo (argentino radicado em Florianópolis), Elena Palmero (cubana radicada no Rio de Janeiro), Ana Cecília Olmos (argentina radicada em São Paulo) e Juliana Borrero (colombiana nascida no Brasil). 

A estas contribuições se somam o lançamento da publicação de artista Passaporte, de Eliana Borges, performances, leituras presenciais e à distância de escritores do Paraná e outros países, em português, espanhol e línguas originárias, edição e apresentação da coleção “américas transitivas” (Editora Medusa), organizada especialmente para o festival, da Baronesa, feira de publicações de artista e editoras independentes, e mostras de cinema e fotografia.

Com diálogos e ações artísticas intercruzados ZOONA II – Américas Transitivas pretende discutir e difundir estéticas e ideias a partir do Paraná e criar pontos de vista transperiféricos por meio dos trânsitos, dos diálogos entre diferenças e dos pensares e fazeres em rede.

Essa perspectiva visa uma abordagem dos fenômenos literários que considera as redes não apenas como um meio de difusão de literaturas nacionais ou de mercado, mas, principalmente, como espaço multidimensional de trocas e aprendizagens intermedidas por afetos, ideias, estéticas e atuações conjuntas.

Confira a programação completa do evento em zoona.editoramedusa.com.br

SERVIÇO:

ZOONA II – AMÉRICAS TRANSITIVAS

16 a 19 de outubro na Capela Santa Maria (R. Conselheiro Laurindo, 273 – Centro, Curitiba – PR, 80060-100).

23 a 25 de outubro em Foz do Iguaçu na UNILA – Universidade Internacional Latina (Av. Silvio Américo Sasdelli, 1842 – Vila A, Foz do Iguaçu – PR, 85866-000)

Confira a programação completa do evento no site zoona.editoramedusa.com.br

CIRCUITO CULTURAL ADEMILAR TRAZ LITERATURA, MÚSICA E TEATRO EM AGOSTO

Pegue sua agenda e programa-se para assistir espetáculos do diretor João Luiz Fiani, músicas do tradicional Grupo Choro & Seresta e o casal queridinho Téo Ruiz e Estrela Leminski e conhecer escritores em festivais literários como o Litercultura e Mostra de Literatura

Quem gosta de ler, assistir a uma boa peça de teatro ou ouvir música brasileira, esse mês, não pode reclamar. O Circuito Cultural Ademilar traz uma série de projetos culturais e em agosto o evento vai promover muita cultura em Curitiba. São apresentações de diferentes atmosferas como o espetáculo “No Beco do amor perdido”, do prestigiado diretor curitibano João Luiz Fiani, apresentações do legendário grupo Choro & Seresta, literatura em comunidades carentes com o Mostra de Literatura Paraná, a quinta edição do Litercultura, um dos festivais literários mais importantes do Sul do Brasil e mais um lançamento de clipe do queridinho casal Téo Ruiz e Estrela Leminski.

Confira a programação de eventos:

O Beco do Amor perdido
“O Beco do Amor perdido”, com texto e direção de João Luiz Fiani, fala sobre um dos temas em mais discussão no momento: a fobia social. O texto, escrito a partir da visão feminina da sociedade, mostra que o chamado “sexo frágil” vem mudando incessantemente com o tempo e que a atualidade é bem distante daquele chamada de “frágil”. A estreia é em 18 de agosto no teatro Lala Schneider

Litercultura
O Litercultura surgiu há quinze anos e traz muita informação e conhecimento do mundo da literatura. Durante o evento acontecerão oficinas, rodas de leitura, apresentações e muitos outros eventos. Neste quinta edição, escritores e ensaístas brasileiros discutem o universo literário hispano-americano e questões da contemporaneidade de 14 de agosto e vai até dia 18 do mesmo mês, na Capela Santa Maria. 

Conjunto Choro & Seresta
O Conjunto Choro e Seresta se apresenta na Feirinha do Largo da Ordem aos domingos há 39 anos. O grupo já faz parte de um dos principais pontos turísticos da capital paranaense e se prepara para lançar um novo CD, “Gerações”. As apresentações fazem parte do Circuito de agosto de 2017 a julho de 2018, com show especiais para o Circuito com convidados nacionais. 

Mostra Literatura Paraná 
A Mostra Literatura busca valorizar a literatura paranaense. Com isso, traz ao circuito bate-papo com autores, oficina de leitura, ilustração e histórias em quadrinhos em comunidades carentes de Curitiba. Confere as datas e locais:14 a 19 de agosto (Uberaba), 21 a 26 de agosto (CIC), 18 a 23 de setembro (Pilarzinho) e 25 a 30 de setembro (Butiatuvinha). 

Estrela Leminski e Téo Ruiz
Depois de três anos com o espetáculo “Leminskanções”, Estrela Leminski e Téo Ruiz estão fazendo uma série de lançamentos este ano pelo Circuito. São 12 músicas – cada uma com seu clipe específico pelo álbum “Tudo QueNãoQueroFalarSobreAmor. A quinta edição acontece dia 27 de agosto, às 18h, no Ornitorrinco

Circuito Cultural Ademilar
O Circuito Cultural Ademilar é uma iniciativa que contempla diversas realizações artísticas, levando aos curitibanos teatro, literatura, música, preservação da memória e filmes. Desenvolvido pela The Way Comunicação, ele integra, de forma articulada, ações de diferentes produtores e agentes culturais. A programação transcorre ao longo de 2017 e 2018, com a viabilização via Mecenato Subsidiado da Prefeitura de Curitiba. A Ademilar Consórcio de Investimento Imobiliário chancela essa iniciativa porque acredita na cultura como fonte de lazer, entretenimento e enriquecimento intelectual. Informações em www.circuitocultural.com.br

Serviço:
Para acompanhar as ações do Circuito Cultural Ademilar curta e siga a FanPage: www.facebook.com.br/circuitoculturaltw ou www.circuitocultural.com.br