GUINGA – DELÍRIO CARIOCA

Em homenagem aos 70 anos do compositor e músico carioca Carlos Althier de Souza Lemos Escobar, o Guinga, tornamos público o documentário “Guinga – Delírio Carioca”, que retrata sua vida e obra.

Gravado entre 2014 e 2016, sem fins lucrativos e como trabalho de conclusão do curso de estudantes de Jornalismo de Brasília, o documentário conta com depoimentos de artistas como Ivan Lins, João Bosco, Ana Carolina, Leila Pinheiro, Mônica Salmaso, Thiago Amud, e do ex-jogador de futebol Paulo Cesar Caju, além de gravações de músicas e relatos inéditos do próprio Guinga.

LEO FRESSATO RETRATA A SOLIDÃO EM MEIO À MULTIDÃO NO CLIPE DE “NEXO”


O cantor e compositor Leo Fressato canta a solidão e os amores mal fadados no clipe “Nexo”. A faixa faz parte do EP “Canções Pra Você Me Perder de Vista” e o vídeo está no canal do YouTube do artista.

“Este vídeo foi gravado no festival Psicodália em fevereiro de 2019 e nunca havíamos finalizado. De certa forma esse clipe vai finalizar os projetos de 2019 definitivamente. ‘Nexo’ é a minha favorita do EP e este clipe vem pra dar mais ouvidos a esta canção e pra falar um pouco da solidão e do abandono que muitas vezes sentimos em momentos como este da pandemia”, conta ele.

Com mais de 15 anos de carreira, o cantor e compositor brasiliense de nascença e curitibano de coração é um artista prolífico, marcado por canções que tratam de amor ou de sua ausência. Transformando sentimentos íntimos em performance, Leo ganhou notoriedade nacional com o hit “Oração”, d’A Banda Mais Bonita da Cidade, e com a faixa “Coisa Linda”, uma parceria com Tiago Iorc.

Em 2013, lançou “Canções para o Inverno Passar Depressa” (Ouça aqui), com produção musical de Jérôme Gras, um álbum que trazia melodiosidade, romantismo e rancor. Esse espírito está presente no disco “Louco e Divertido” (Ouça o álbum: aqui), que se utiliza de leveza para celebrar o amor, uma inaptidão ao mundo moderno e os términos e foi lançado no ano passado.

O EP traz uma interpretação minimalista de três canções em um complemento do universo do trabalho principal. O clipe da principal faixa, “Nexo”, foi dirigido por Juliana Sanson. “Canções Pra Você Me Perder de Vista” está disponível em todas as plataformas de música digital.

Leo Fressato. Crédito foto: Matheus Wittkowski

Ficha técnica:
Violão e voz – Leo Fressato
Mixagem e masterização – Ian Fonseca
Direção e Edição – Juliana Sanson 
Direção de Fotografia – Gustavo Castro 
Produção – Fabulário Filmes

Letra:
Não Precisa se Preocupar
Meu amor já foi teu
Mas agora acabou, não aguentou o vazio
Não Precisa lembrar
Muito menos telefonar
Já que nunca telefonou
Pra saber como está o lado de cá
E aqui tudo mudou
Mas eu continuo a ser amor
Mesmo que você com tanta imaturidade 
Tenha dispersado um amor de verdade
Que era mais Que teu corpo
Que não era o teu sexo
Eu contigo era Canção
E os teus olhos silêncio
Não faziam nexo

PÔXA – GILSON DE SOUZA


Gilson de souza, paulista da cidade de Marília, chegou à capital paulistana nos anos 60, foi cantor da noite e se apresentou em grandes casas de espetáculos da época como: Catedral do samba, Beco, Jogral, Bar Brahma e muitas outras. Dez anos depois nos anos 70 já era um nome respeitado dentre os sambistas, mpb e bossa nova. Antes de fazer sucesso como cantor, foi sucesso como compositor: a música “orgulho de um sambista” gravado por Jair Rodrigues (aqui) e 15 anos depois regravada por Adriana Calcanhoto (aqui). Outros sucessos de Gilson de Souza gravados por Jair rodrigues foram: Carnaval não envelhece (aqui) e Sou da Madrugada em parceria com cantor e compositor Wando (aqui). Em 1975, teve a oportunidade de gravar seu primeiro disco – onde 2 músicas se tornaram sucesso nacional e hinos da mpb: “Poxa” (aqui) e “Quem é do samba chora” (aqui)

A primeira regravação internacional de “Pôxa” foi feita pelo grupo espanhol Mocedades, em 1978, (aqui). 

Pôxa ganhou troféu imprensa como revelação do ano e melhor música. Já em 1988, recebeu o troféu gladiador no programa Raul Gil. 

Elza soares gravou a música “Deixa deus resolver” por volta de 1985 (aqui). 

Djalma pires também fêz sucesso com a música de Gilson de Souza “Perdido na madrugada” em 1987 (aqui).

Rosa Maria também gravou um grande sucesso; “Samba maneiro” em 1989.

Mais uma vez Jair Rodrigues grava música de Gilson de Souza: “Exaltação aos seresteiros” em 1990. 

Os originais do samba gravaram a música “Bahia do nosso senhor” em 1998.

Neguinho da beija flor regravou “Poxa” em 1999. 

Reinaldo o “príncipe do pagode” gravou a música “cena de cinema”, uma música que foi uma parceria com Almir Guineto em 2001 (aqui)

Elymar Santos regravou poxa em 2004 (aqui)

Neste mesmo ano a dupla argentina pimpinela regravou Pôxa (aqui), Guilherme e Santiago gravaram a música “Lei do Silêncio”, música em feita em parceria com Fernando Boêmio em 2005 (aqui).

Em 2006 foi a vez de Zeca Baleiro regravar Pôxa (aqui).

Em 2007, Gilson de Souza com a música Pôxa ganha uma Coroa de Ouro e uma de prata no programa Rei Majestade apresentado por Silvio Santos. 

Em 2008, o Exaltasamba regravou Pôxa: (aqui) e, finalmente, em 2010, Zeca pagodinho também regrava pôxa (aqui)

Texto / Fonte: RGS MUSIC BRASIL

TRAILER OFICIAL: ADONIRAN, MEU NOME É JOÃO RUBINATO


Adoniran Barbosa, autor de sucessos como “Trem das Onze” e “Saudosa Maloca”, carrega o título de maior sambista paulista de todos os tempos. A cidade de São Paulo era a personagem principal de suas canções e radionovelas. Através de imagens de arquivos raras e nunca vistas antes, o compositor e cantor paulistano, que faleceu em 1982, é redescoberto pelo público. Dirigido por Pedro Serrano.

Fonte: Pandora Filmes Trailers

FRANCO DAS CAMÉLIAS APRESENTA SUAS COMPOSIÇÕES NO SHOW “ANTIGAMENTE HAVIA OS BUFÕES”

Franco das Camélias será atração da inauguração do Sebinho FATO Agenda. Na voz e violão, o compositor apresenta suas composições no show “Antigamente havia os bufões”. O show reúne canções dos álbuns Franco das Camélias e os Lusíadas (2017), Ao vivo no ampli do infinito (2016) e outras que fazem parte de um novo álbum, com o mesmo nome do show, que será lançado em 2020. 

Artista parnanguara, 36 anos, radicado em Curitiba, F. das Camélias começou a compor em 2012, no grupo Monges da Lapa. Desde 2016 também se dedica a seu projeto solo, apresentando-se com vários parceiros musicais. As músicas de Franco das Camélias podem ser ouvidas pelo blog www.francodascamelias.wordpress.com                    

Serviço:
Show  Franco das Camélias na Inauguração do Sebinho
Show previsto para 15h30. A festa começa as 14h e segue até 22h
local: Erva Doce Doceria Bar, Paula Gomes, 380, São Francisco, Curitiba.
Aberto ao público.
Página do evento: aqui
Fanpage: www.facebook.com/sebinhoFATOagenda
Instagram: www.instagram.com/sebinhofatoagenda

 

LEO FRESSATO REVELA RELEITURA INTIMISTA PARA “EU TOCO VIOLÃO PORQUE NÃO SEI APERTAR BOTÃO”

Faixa integra o álbum “Louco e Divertido”, lançado este ano pelo artista

Após inaugurar uma série de vídeos acústicos com a inédita “Nexo”, o cantor e compositor Leo Fressato entrega mais uma interpretação intimista, dessa vez para a canção “Eu Toco Violão Porque Não Sei Apertar Botão”. A faixa faz parte de seu recém-lançado segundo disco, “Louco e Divertido”, com o qual o artista realizou uma turnê por Portugal no último mês.

Composição singela ocupa menos de dois minutos na lista de faixas do álbum – o que não faz dela uma canção menos memorável. A letra bem-humorada se torna uma carta de amor às avessas, com o artista assumindo suas limitações para criar músicas dançantes. O que poderia parecer antiquado ganha ares modernos em uma pequena comédia de erros.

“Essa é quase que uma canção-vinheta, devido ao clima e ao tamanho reduzido. Uma brincadeira, em tempos de tecnologia, sobre alguém que não consegue enviar uma canção por e-mail e resolve ir ao encontro da pessoas com um violão”, revela Fressato.

Com mais de 15 anos de carreira, o cantor e compositor brasiliense de nascença e curitibano de coração é um artista prolífico, marcado por canções que tratam de amor ou de sua ausência. Transformando sentimentos íntimos em performance, Leo ganhou notoriedade nacional com o hit “Oração”, d’A Banda Mais Bonita da Cidade, e com a faixa “Coisa Linda”, uma parceria com Tiago Iorc.

Em 2013, lançou “Canções para o Inverno Passar Depressa”, com produção musical de Jérôme Gras, um álbum que trazia melodiosidade, romantismo e rancor. Esse espírito está presente no seu novo disco “Louco e Divertido”, que se utiliza de leveza para celebrar o amor, uma inaptidão ao mundo moderno e os términos.

Ouça o álbum: aqui

O registro acústico de “Eu Toco Violão Porque Não Sei Apertar Botão” se junta a “Nexo”, marcando o início de uma nova fase. As sessões foram gravadas no Gramofone Estúdio e teve mixagem e masterização de Ian Fonseca. O vídeo foi dirigido por Bernardo Rocha. As versões acústicas chegarão aos serviços de streaming em um EP de três faixas previsto para o final de 2019.

Assista a “Eu Toco Violão Porque Não Sei Apertar Botão”: https://youtu.be/lz19xS_buQA
Confira “Nexo”: https://youtu.be/GQEQCHvunxw

Ficha técnica
Violão e voz – Leo Fressato
Mixagem e masterização – Ian Fonseca
Direção, Fotografia e Edição – Bernardo Rocha
Fotografia – Carol Winter
Direção de Arte – Giovanna Durski
Assistência de Arte – Joice Aline Jorge

Letra
Eu queria te enviar isso por e-mail
Mas a canção não quis anexar
E quando anexou, foi que eu percebi
Que eu te enviei aquela do Lô Borges
Que pergunta se você ainda que casar comigo
Eu ia te ligar no celular
Mas meu celular travou
Depois foi a bateria
E eu sei que você queria uma canção moderna
Dessas eletrônicas muito boas pra dançar
Mas eu toco violão porque não sei apertar botão
Sim, eu toco violão porque não sei apertar botão
Eu ia invadir a tua casa
Eu ia te manchar com batom
Mas eu fiz essas canção que é pra ganhar o seu coração
é, eu vim de violão porque não sei apertar botão

COM FESTA-SHOW NO ORNITORRINCO, ROSEANE SANTOS BRINDA SEU PRIMEIRO ÁLBUM

A cantora se apresenta no bar Ornitorrinco (Benjamin Constant, 400, Centro de Curitiba) sexta 27 de setembro, acompanhada do Bailinho Perdido, com repertório variado e muitas surpresas; festa marca o final da campanha de financiamento coletivo de Fronteiriça, em fase de finalização.

Quem é fã de música brasileira tem um convite duplo para este final de setembro: na próxima sexta-feira, a cantora Roseane Santos comanda o baile no palco do Ornitorrinco e ainda chama amigxs, admiradoras e admiradores para colaborarem na reta final da campanha de financiamento do seu álbum Fronteiriça, que se encerra na próxima segunda-feira, dia 30. 

Reta final >
O disco reúne 10 canções, dentre textos escritos pela própria artista e parcerias com amigas e amigos artistas da música, teatro, literatura e dança (como Luciano Faccini, Leonarda Glück, Ary Giordani, Francisco Mallmann, Bia Figueiredo e Ana Modesto). A banda tem André Garcia no violão, guitarra e arranjos-base, Gabriela Bruel na percussão, Daniel D’Alessandro na bateria, Victoria Vilandez no contrabaixo e Luciano Faccini no clarinete, violão, efeitos, ambientações, direção artística — ao lado da própria Rose — e produção musical em parceria com Leonardo Gumiero, além de várias participações especiais. Quem assina a arte é Thalita Sejanes e a produção executiva é de Moira Albuquerque. 

Com apoio do Colégio Medianeira em suas fases iniciais, o projeto encerra na próxima segunda-feira (30) a campanha de financiamento coletivo para contemplar despesas finais de mixagem, masterização, lançamento e remuneração da equipe (12 profissionais, entre músicos, designer e produtores). 

Ainda dá tempo!
As contribuições partem de R$ 15 e oferecem diversas recompensas, como ingressos para shows de FRONTEIRIÇA, download de faixas exclusivas antes do lançamento oficial e convites para o evento de audição das músicas com toda a equipe. 

> confira a página da campanha do Benfeitoria www.benfeitoria.com/fronteiricaroseanesantos 

> saiba mais sobre a música de Roseane Santos: 
www.soundcloud.com/roseane-santos/ 

O baile da Rose >
Na festa de sexta, Rose estará à frente do Bailinho, com Kelvin de Souza, Luciano Faccini, Acácio Guedes, Daniel D’Alessandro, Gabriela Bruel e Má Ribeiro, além da convidada mais que especial, Victoria Vilandez. Uia! No repertório, canções autorais – mas o material do disco fica para o lançamento  –, muito Jackson do Pandeiro, Luiz Gonzaga, João do Vale, Chico César, Gilberto Gil, Efigênia Rolim e ainda um monte de surpresas. Compareça! O baile começa a partir das 20h. 

Serviço: 
Roseane Santos + Bailinho Perdido no Ornitorrinco!
Sexta-feira, 27 de setembro 
Das 20h às 00h
Ornitorrinco Bar > Rua Benjamin Constant, 400, Centro 
Entrada > R$ 10 
Página do evento, aqui