PROJETO BRASIS NO PAIOL 2020 SERÁ ONLINE E TERÁ 50 ATRAÇÕES

Novo formato quintuplica número de artistas participantes. Entre os nomes da edição de setembro estão Xênia França, Amaro Freitas e Brisa Flow.

Realizado em Curitiba desde 2012, o projeto Brasis no Paiol chega a sua oitava temporada com uma mudança no formato e número de apresentações. Os shows saem do tradicional Teatro do Paiol e passam a ser transmitidos pela internet, em cinco edições mensais com 10 atrações em cada, de setembro a janeiro de 2021. A principal razão para a alteração foi a impossibilidade de realização dos shows neste ano devido a pandemia.

A primeira edição vai ao ar nos dias 26 e 27 de setembro. No sábado, quem se apresenta é Xênia França, Brisa Flow, Alienação Afrofuturista convida Lemoskine, Sol.Katu Ê Maraca.Drum e a DJ Mitay. No domingo tem Amaro Freitas, Janine Mathias, Melina Mulazani, Ágatha Pradnik e Disco Veneno. As apresentações, de 30 minutos para shows e uma hora para discotecagem, serão no canal do Brasis no Paiol do Youtube e Twitch. Também serão transmitidos no perfil da Santa Produção do Instagram e Facebook.
As próximas datas do projeto serão nos dias 24 e 25 de outubro, 21 e 22 novembro, 19 e 20 de dezembro e 23 e 24 de janeiro.

Do teatro para a tela

Faltavam poucos dias para a divulgação da temporada 2020 do Brasis no Paiol quando a quarentena foi anunciada. O projeto, que contaria com 10 apresentações de abril a dezembro, no icônico Teatro do Paiol em Curitiba, entrou em pausa. Com a incerteza do retorno das atividades culturais ao vivo, o Brasis precisou ser reformulado.

“O Paiol é um local muito especial, os shows lá são sempre uma experiência incrível. Mas apesar de o projeto estar totalmente ligado ao espaço, não fazia sentido a gente esperar um retorno das atividades enquanto artistas e técnicos estão com sua atuação comprometida. Por isso nos esforçamos para que o evento fosse realizado ainda neste ano, adaptando seu formato”, explica a produtora Bina Zanette, uma das idealizadoras do projeto.

Com a alteração, o Brasis no Paiol teve a oportunidade de quintuplicar o número de artistas participantes, possibilitando monetizar um dos setores da economia mais prejudicado pelo isolamento social. Aumenta também sua abrangência, já que em vez dos 220 ingressos por show, poderá ser visto pelo público de qualquer lugar do mundo que tenha acesso à internet.

Brasis no Paiol

Desde 2012, os produtores Bina Zanette (Santa Produção) e Heitor Humberto (Fineza Comunicação e Cultura) realizam uma sequência de shows no Teatro do Paiol, com artistas de diferentes regiões do Brasil, bem como nomes da cidade. O objetivo é sempre apresentar novidades, lançamentos, estreias e projetos especiais de artistas com trabalhos de relevância artística, que gerem interesse do público curitibano. Até hoje, já foram mais de 70 apresentações.

Em 2020, o projeto é realizado com o Projeto de Apoio e Incentivo à Cultura, da Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura Municipal de Curitiba. Conta com o patrocínio do Ebanx e o apoio da Effex Tecnologia e Criação, Cliteriosa Comunicação e haharadio. 

Artistas que já passaram pelo projeto
Karol Conka (com Emicida e Kamau), Luedji Luna, Tulipa Ruiz, Anelis Assumpção, China, Siba, Aláfia, Metá Metá, Juçara Marçal, Pélico, Rael, Romulo Froes, Katia B, Ná Ozzetti, Passo Torto, Rico Dalasam, Trupe Chá de Boldo, Graveola, Alzira E, Fióti, Saulo Duarte e a Unidade, Patricia Bastos & Dante Ozzetti, Bianca Gismonti Trio, Macaco Bong, Felipe Cordeiro, Qinho, Badi Assad, Sambas do Absurdo, Janine Mathias, Hurtmold, Conde Baltazar, Rodrigo Campos, Melina Mulazani e Luciano Faccini, Apanhador Só, Naked Girls and Aeroplanes, Itaercio Rocha, Vitor Araújo, Trombone de Frutas, Du Gomide, Mundareu, Real Coletivo, Duofel com Carlos Malta e Robertinho Silva, Copacabana Club, entre outros.

SERVIÇO 
Brasis no Paiol em Casa – Edição de setembro
:: 26 de setembro, sábado, 18h
:: 27 de setembro, domingo, 18h

Transmissão:
twitch – /brasisnopaiol
youtube – Brasis no Paiol
facebook – /santaproducao
instagram – @santaproducao

MXT COMVIDA

O produtor e líder da banda Machete Bomb, Madu Madureira, lança o projeto “MXT comvida”, que nasce depois de um turbilhão vivido pelo músico, onde se viu na situação de ficar viúvo com seus 2 filhos e largar a carreira de músico e banda para se dedicar as crianças, ou tentar conciliar as 2 situações. Incentivado por amigos artistas à não parar, Madu se viu na possibilidade de se reanimar a se dedicar a carreira novamente, lançando um disco com estes artistas como parceiros e convidados. 

O projeto conta com 12 faixas, sendo que 7 delas possuem além do áudio a gravação em vídeo no formato Live Session. Renovando a cara e o repertório musical, tem também a participação de renomados artistas brasileiros, com músicas inéditas, e também duas regravações de composição de Odair José e uma música inédita dos compositores Andó e Dedé Paraízo do Demônios da Garoa, cedida pelos compositores em prol do disco e cantada pelo próprio Dedé Paraízo e as bandas curitibanas Mulamba e TUYO. 

Os artistas convidados e já gravados são Odair José, Bnegão, Dedé Paraíso (Demônios da Garoa), Andó (compositor), Mulamba, TUYO, Egypcio (Tihuana), Caio MacBeserra (Project46), Tomás (el efecto), Janine Mathias, Mateo (francisco, el hombre), Xandão Meneses (O Rappa), Lobato (O Rappa), Nave (beatmaker), Rodrigo Lemos (Lemoskine), Pete MC, Pecaos, Dow Raiz, Thestrow, Rodrigo Samsara e Alienação Afrofuturista e ainda terão outras surpresas.

O projeto representa o atual momento de redescobrimento do artista Madu, como pai, ainda em um momento de luto familiar, e como artista, em um redescobrimento com novas parcerias musicais. Depois de um período de hiato de novas composições, mesmo tendo produzido 5 discos para seu projeto Machete Bomb (sendo 3 deles com versões de remixes, versões acústicas e 2 DVDs ao vivo), o artista se renova adicionando novas vertentes musicais a seu já misturado “samba heavy”. Desde artistas do trash metal brasileiro, como o caso do cantor Caio da banda “Project46”, cantores da nova geração como TUYO, ícones do pop rock como Xandão e Lobato da banda “O Rappa” e Bnegão do “Planet Hemp”, a seus novos parceiros, porém, compositores de longa data, como Dedé, Andó e Odair, o disco e suas letras e histórias se tornam uma redenção de tudo que o produtor passou. Uma ode a sua falecida esposa, e uma tentativa de se entender com a vida, com a morte e com a música.

Serviço:
MXT Comvida!
Local:  Basement CulturalR. Des. Benvindo Valente, 260 – São Francisco, Curitiba
Data: Sexta-feira, 22 de novembro de 2019, a partir das 21h
Página do evento, aqui