ROCKAVENGERS COMEMORA 8 ANOS COM TRIBUTO A SUN RECORDS

Banda curitibana fará duas apresentações no Sheridan’s Irish Pub com repertório dedicado aos grandes nomes do rock internacional

Os fãs do “bom e velho rock ‘n’ roll” já tem programa garantido nas próximas duas semanas em Curitiba. A RockAvengers prepara um show especial para comemorar seus 8 anos de estrada. A homenageada será a gravadora independente Sun Records, fundada em 1952 em Memphis, EUA, responsável por descobrir e lançar grandes ícones da música como Elvis, Roy Orbison, Jerry Lee Lewis, Johnny Cash, Carl Perkins, BB King, Rufus Thomas Jnr e tantos outros inesquecíveis!

Serviço:
RockAvengers apresenta “Tributo a Sun Records”
Quarta-feira | 23 e 30 | Agosto
A partir das 19h
Sheridan’s Irish Pub, R. Bispo Dom José, 2395, Batel – Curitiba – PR
Reservas: (41) 3343.7779

Valores de entrada (cada noite):
Feminino: R$5 até 21h , após R$10
Masculino: R$15 a noite toda

CHAPÉU MUSICAL – ALEXANDRA SCOTTI EM REDESCOBRINDO GAL

Em Curitiba. Entrada gratuita.

O Ap da 13 tem o prazer de lançar o evento CHAPÉU MUSICAL!!! Todo mês, artistas da música vão trazer seu som para compartilhar pelo Ap! 

Ingresso: Passaremos o chapéu e você diz o quanto vale! Para nossa estreia, a incrível Alexandra Scotti traz o show Redescobrindo Gal.

O show foi concebido a partir do seu 4º álbum “Redescobrindo Gal” no qual a artista reverencia o reportório de Gal Costa, prestigiando os vários ritmos musicais brasileiros com uma roupagem alinhada ao jazz.

Entre as novidades do show, Alexandra Scotti segue redescobrindo Gal com algumas faixas que não estão no disco como Vapor Barato ( Jards Macalé), Sua estupidez ( Roberto e Erasmo Carlos ) e uma pequena homenagem ao compositor Luiz Melodia, que faleceu há poucos dias, com as canções Pérola Negra e Juventude Transviada, grandes sucessos na voz de Gal.

Local: Ap da 13, Rua Treze de Maio, 1001, ap 01, centro de Curitiba
Data: Sábado, dia 19 às 21h (sujeito a lotação) 

Compartilhe o evento, chamem os amigos pois será imperdível!

Página do evento, aqui

FESTIVAL INTERNACIONAL RUÍDO ENCENA ANUNCIA DATAS EM CURITIBA

linn da quebrada

Nesta edição, a representatividade do corpo como resistência vai além dos palcos do teatro 

O Selo Ruído CWB, realizador de eventos como Festival Ruído nas Ruínas e Ruído Sessions, apresenta a primeira edição do Festival Internacional Ruído EnCena. 

O Festival Internacional Ruído EnCena irá reunir obras de 10 artistas e grupos de diferentes linguagens das artes da cena – dança, performance, teatro, música e intervenção. A curadoria adotou como principal linha de força as diversas representatividades do corpo e formas de resistência. Arte e vida postas em cena, criando diferentes camadas de fruição e produzindo novos discursos e desejos. Também compõem a programação oficinas, residências, encontros e festas que visam impulsionar a criação e reflexão através do intercâmbio artístico. 

SERVIÇO | Festival Internacional Ruído EnCena. 
Quando: De 20 à 30 de setembro de 2017
Local: Teatro José Maria Santos 
Endereço: Rua 13 de maio, 655 – Curitiba
Ingressos R$ 20 e R$ 10

SECRETARIA DA CULTURA ABRE EXPOSIÇÃO COM GRANDES NOMES DA LITERATURA PARANAENSE

Montagem da exposição Palavras do Paraná / Crédito: Kraw Penas.

Para apresentar um pouco do vasto e rico universo da literatura paranaense, a Secretaria de Estado da Cultura (SEEC) e a Biblioteca Pública do Paraná (BPP) organizaram a exposição “Palavras do Paraná”, que reúne alguns dos principais autores do Estado. A mostra integra o Mês da Literatura e fica em exposição no hall da SEEC de 15 de agosto a 6 de setembro. A entrada é gratuita.

O secretário de Estado da Cultura, João Luiz Fiani, acredita que uma das formas de conhecer o Paraná é por meio da literatura. “A exposição Palavras do Paraná homenageia e destaca a importância da literatura na construção da cultura paranaense. Também valoriza aqueles que, com sua genialidade e sensibilidade, ajudaram a construir nossa identidade cultural, fazendo do Paraná uma referência na área”.

Esta mostra apresenta 11 nomes da literatura paranaense, da primeira autora, a poeta Júlia da Costa (1844-1911), ao contista Dalton Trevisan, hoje com 92 anos, premiado no Brasil e no exterior por renovar o conto em língua portuguesa. A obra de Trevisan é encenada, adaptada para o audiovisual, traduzida e continuamente estudada.

Os autores paranaenses são conhecidos e respeitados em âmbito nacional desde o início do século 20, quando Emiliano Perneta (1866-1921) se destacou como uma das vozes do movimento simbolista. Entre os pioneiros estão também Emílio de Meneses (1866-1918) e Newton Sampaio (1913-1938), dois paranaenses que viveram no Rio de Janeiro, onde atuaram na imprensa. O poeta Meneses foi eleito para a cadeira 20 da Academia Brasileira de Letras, enquanto o contista Sampaio conquistou um prêmio da ABL.

Helena Kolody (1912-2004) e Paulo Leminski (1944-1989), dois nomes que marcam a poesia no Paraná, também são presenças necessárias nesta retrospectiva. Ambos escreveram livros que foram e ainda são porta de entrada para o universo da leitura. Recentemente, a obra poética de Leminski foi reeditada e ultrapassou a marca de 100 mil exemplares vendidos, um recorde nacional — o que sinaliza o poder de comunicação do legado leminskiano, que se desdobra em canções e artes visuais, teatro e cinema.

O chamado “Quarteto Experimental” da literatura paranaense também merece destaque. Jamil Snege (1939-2003), Manoel Carlos Karam (1947-2007), Valêncio Xavier (1933-2008) e Wilson Bueno (1949-2010) borraram as fronteiras entre os gêneros, aproximando literatura do cinema, jornalismo, histórias em quadrinhos, televisão e teatro. São admirados por leitores, escritores e estudiosos no Paraná e em outros estados, e as suas obras estão adaptadas para outras linguagens.

O legado desses 11 autores dialoga com a formação do Paraná, onde a convivência entre vários povos se revelou possível, resultando em um ambiente multicultural. Aqui, o outro é — mais que bem-vindo — necessário. Essa produção que influencia os contemporâneos se apresenta como referência fundamental.

Mês da Literatura do Paraná
Entre 24 de agosto e 29 de setembro de 2017, a SEEC e a BPP promovem o Mês da Literatura do Paraná. Com o objetivo de fomentar e estimular a leitura e a literatura no Estado, a programação deste ano inclui show com músicas de Paulo Leminski, exposição sobre autores paranaenses, bate-papo com escritores, fórum sobre leitura e literatura, feiras de livros, e muito mais. A programação completa estará disponível no site www.cultura.pr.gov.br

Serviço:
Exposição Palavras do Paraná
De 15 de agosto a 6 de setembro de 2017
Hall da Secretaria de Estado da Cultura do Paraná
Entrada gratuita
Secretaria de Estado da Cultura
Rua Ébano Pereira, 240 – Centro. Curitiba-PR
Visitação de segunda a sexta-feira das 8h30 às 12h e das 13h30 às 18h
41 3321-4700 | 41 3321-4708
www.cultura.pr.gov.br

LITERATURA ONDE A COMUNIDADE ESTÁ

Por meio de bate papos, grafite, cortejos, música e expressões artísticas, Mostra Literatura Paraná apresentará o universo literário paranaense para mais mil jovens de comunidades carentes durante quatro semanas em Curitiba.

Jovens de comunidades mais carentes de Curitiba podem até já ter ouvido falar de Paulo Leminski na escola. Mas, talvez nunca tenham sido apresentados à Luci Collin, Miguel Sanches Neto e Luís Henrique Pellanda por meio de um grafite, de um cortejo, manifestações artísticas ou um então bate papo ao vivo com os próprios escritores. É dessa forma que a Mostra Literatura Paraná vai levar, em quatro semanas, literatura para mais de mil jovens e crianças do Uberaba, CIC – Cidade Industrial de Curitiba, Pilarzinho e Butiatuvinha. O evento faz parte do Circuito Cultural Ademilar, uma iniciativa que está viabilizando uma série de projetos culturais em Curitiba, via incentivo do Mecenato Municipal.

O objetivo da Mostra é “conversar” e apresentar o universo da literatura paranaense na linguagem e interesses desses adolescentes. “São pessoas que tem um contato precário com a literatura pelo sistema de ensino convencional que muitas vezes não é envolvente. A Mostra vai além, realiza um papel social e coloca este público em contato com textos, poesias, autores e escritores, capacitando-os também a interpretar estas obras”, explica Kenni Rogers, idealizador e produtor responsável da Mostra. “Esse é o início de um grande movimento literário nas comunidades”.

Oficinas e bate papo com escritores
Para atrair e envolver os jovens, a Mostra apostou em diferencial: as obras serão apresentadas aos jovens por meio de manifestações e interesses do dia a dia deles. Em atividades como grafite, eles serão convidados a pintar um painel literário usando as técnicas de stencil, lambe-lambe e mosaico. Também participarão de rodas de literatura e cortejos literário, além de oficinas que desenvolvem habilidade de leitura e interpretação, oficina de ilustração e percussão. 

O evento conta ainda com apresentações artísticas de teatro e música de jovens da comunidade e instituições convidadas. Haverá também a presença dos escritores paranaenses Miguel Sanches Neto, Luci Collin e Luís Henrique Pellanda, que farão um bate-papo com os presentes. 

Serviço:
Mostra Literatura Paraná
Data e local: 14 a 19 de agosto (Uberaba), 21 a 26 de agosto (CIC), 18 a 23 de setembro (Pilarzinho) e 25 a 30 de setembro (Butiatuvinha)
Informações: Fanpage Mostra Literatura Paraná

CIRCUITO CULTURAL ADEMILAR TRAZ LITERATURA, MÚSICA E TEATRO EM AGOSTO

Pegue sua agenda e programa-se para assistir espetáculos do diretor João Luiz Fiani, músicas do tradicional Grupo Choro & Seresta e o casal queridinho Téo Ruiz e Estrela Leminski e conhecer escritores em festivais literários como o Litercultura e Mostra de Literatura

Quem gosta de ler, assistir a uma boa peça de teatro ou ouvir música brasileira, esse mês, não pode reclamar. O Circuito Cultural Ademilar traz uma série de projetos culturais e em agosto o evento vai promover muita cultura em Curitiba. São apresentações de diferentes atmosferas como o espetáculo “No Beco do amor perdido”, do prestigiado diretor curitibano João Luiz Fiani, apresentações do legendário grupo Choro & Seresta, literatura em comunidades carentes com o Mostra de Literatura Paraná, a quinta edição do Litercultura, um dos festivais literários mais importantes do Sul do Brasil e mais um lançamento de clipe do queridinho casal Téo Ruiz e Estrela Leminski.

Confira a programação de eventos:

O Beco do Amor perdido
“O Beco do Amor perdido”, com texto e direção de João Luiz Fiani, fala sobre um dos temas em mais discussão no momento: a fobia social. O texto, escrito a partir da visão feminina da sociedade, mostra que o chamado “sexo frágil” vem mudando incessantemente com o tempo e que a atualidade é bem distante daquele chamada de “frágil”. A estreia é em 18 de agosto no teatro Lala Schneider

Litercultura
O Litercultura surgiu há quinze anos e traz muita informação e conhecimento do mundo da literatura. Durante o evento acontecerão oficinas, rodas de leitura, apresentações e muitos outros eventos. Neste quinta edição, escritores e ensaístas brasileiros discutem o universo literário hispano-americano e questões da contemporaneidade de 14 de agosto e vai até dia 18 do mesmo mês, na Capela Santa Maria. 

Conjunto Choro & Seresta
O Conjunto Choro e Seresta se apresenta na Feirinha do Largo da Ordem aos domingos há 39 anos. O grupo já faz parte de um dos principais pontos turísticos da capital paranaense e se prepara para lançar um novo CD, “Gerações”. As apresentações fazem parte do Circuito de agosto de 2017 a julho de 2018, com show especiais para o Circuito com convidados nacionais. 

Mostra Literatura Paraná 
A Mostra Literatura busca valorizar a literatura paranaense. Com isso, traz ao circuito bate-papo com autores, oficina de leitura, ilustração e histórias em quadrinhos em comunidades carentes de Curitiba. Confere as datas e locais:14 a 19 de agosto (Uberaba), 21 a 26 de agosto (CIC), 18 a 23 de setembro (Pilarzinho) e 25 a 30 de setembro (Butiatuvinha). 

Estrela Leminski e Téo Ruiz
Depois de três anos com o espetáculo “Leminskanções”, Estrela Leminski e Téo Ruiz estão fazendo uma série de lançamentos este ano pelo Circuito. São 12 músicas – cada uma com seu clipe específico pelo álbum “Tudo QueNãoQueroFalarSobreAmor. A quinta edição acontece dia 27 de agosto, às 18h, no Ornitorrinco

Circuito Cultural Ademilar
O Circuito Cultural Ademilar é uma iniciativa que contempla diversas realizações artísticas, levando aos curitibanos teatro, literatura, música, preservação da memória e filmes. Desenvolvido pela The Way Comunicação, ele integra, de forma articulada, ações de diferentes produtores e agentes culturais. A programação transcorre ao longo de 2017 e 2018, com a viabilização via Mecenato Subsidiado da Prefeitura de Curitiba. A Ademilar Consórcio de Investimento Imobiliário chancela essa iniciativa porque acredita na cultura como fonte de lazer, entretenimento e enriquecimento intelectual. Informações em www.circuitocultural.com.br

Serviço:
Para acompanhar as ações do Circuito Cultural Ademilar curta e siga a FanPage: www.facebook.com.br/circuitoculturaltw ou www.circuitocultural.com.br 

CURITIBA RECEBE NESTE DOMINGO O SHOW COM EX-GUITARRISTA DA BANDA SONIC YOUTH

Lee Ranaldo, o cientista louco do Sonic Youth lança novo disco na capital

Um dos principais inovadores da guitarra e do rock experimental nos últimos 30 anos, Lee Ranaldo volta ao Brasil para lançar o álbum “Eletric Trim”, gravado em Nova York e Barcelona. Em carreira solo, desde a dissolução do grupo Sonic Youth, o artista norte-americano apresenta o show inédito, em Curitiba, neste domingo (13), no Espaço Fantástico das Artes. Os ingressos podem ser adquiridos pela plataforma Sympla e também, na Joaquin Livraria e restaurante A Caiçara.

Com a colaboração de Raül ‘Refree’ Fernandez, um dos principais produtores espanhóis da atualidade, o disco “Eletric Trim” será lançado oficialmente no dia 15 de setembro pelo selo Mute Records. Contudo, na turnê brasileira de Lee Ranaldo, além dos sucessos consagrados ao longo da carreira, o repertório do show conta ainda com músicas inéditas e alguns clássicos que Ranaldo gravou com a banda The Dust.

Além da capital paranaense, a turnê relâmpago de Lee Ranaldo será apresentada em, Ribeirão Preto (12), Rio de Janeiro (14), Belo Horizonte (16) e São Paulo (17).

Mais Informações, aqui

SERVIÇO:
Lee Ranaldo em Curitiba
Quando: 13 de agosto (domingo)
Horário: 20h
Local: Espaço Fantástico das Artes
Endereço: Alameda Princesa Izabel, 465, Centro de Curitiba
Informações: (41) 3077-5009
Ingressos: A partir de R$60 (Sympla, Joaquim Livraria e restaurante A Caiçara)
Compre aqui

SESI CULTURA PROMOVE OFICINA DE FOTOGRAFIA ANALÓGICA COM IRMÃOS THOMS

FilmSoup / Henrique Thoms

A oficina “Sopa de Filme” acontecerá nos dias 12 e 19 de agosto a preços populares, no Centro Cultural SESI Heitor Stockler De França

Em plena era digital das câmeras, a dupla de fotógrafos curitibanos Irmãos Thoms propõe uma experiência diferente para quem aprecia a arte da fotografia, seja profissional ou amador. Eles farão isso por meio da oficina de “Sopa de Filme”, que acontece nos dias 12 e 19 de agosto, a partir das 14h30, no Centro Cultural SESI Heitor Stockler De França.

“Sopa de Filme” é, basicamente, uma forma de corromper o filme (também conhecido como película fotográfica) e assim criar resultados imprevisíveis de revelação, transformando cada processo em um momento único. O termo é utilizado para experimentações com filme em recipientes aquecidos. Por isso o termo “sopa”, porque é preciso, literalmente, cozinhar o material para criar os experimentos. 

A proposta da oficina, que será realizada em duas etapas, é fazer com que os participantes conheçam essa alternativa e queiram testá-la. “Iremos introduzir as formas de experimentação, apresentar trabalhos, fazer os experimentos com os participantes e depois ver os resultados e conversar sobre a experiência. Podem participar profissionais e amadores, desde que tenham equipamento analógico e saibam como utilizar ele para então experimentar os filmes”, explicam os fotógrafos.

Além das possibilidades incríveis de revelação, o workshop também oferece um conhecimento mais amplo sobre esse experimento – tão pouco conhecido e utilizado. De acordo com os Irmãos Thoms, a oficina “Sopa de Filme” ensina a gostar dos “erros” e “falhas” e a contar com o inusitado, porque só tem como saber o resultado da intervenção após revelado. “O filme proporciona experimentos sensacionais que podem te ajudar a criar uma linguagem para determinado propósito, além de proporcionar crescimento e reflexão sobre a produção de imagens, tanto sua como de outras pessoas”, completam.

A relação da dupla com a fotografia começou ainda na infância. Fotos tiradas e impressas pelos pais foram o suficiente para atrair e inspirar os Irmãos Thoms. Atualmente, os jovens são reconhecidos no cenário curitibano da fotografia pelo talento peculiar de cada um, o que torna o trabalho da dupla algo excepcional em suas particularidades. “Entre tantas vertentes no universo da fotografia, estruturamos nossa linguagem, e residimos na inovação do registro. Acreditamos no ato de tornar palpável o que nos escapa aos olhos, capturando as nuances dos acontecimentos, que expressamos em sensibilidade”, finalizam.

Sobre os fotógrafos

centro cultural sesi heitor stockler de frança.

Walter Thoms é formado pela Escola Portfólio (2011). O interesse pela fotografia surgiu aos 16 anos quando morava no litoral de Santa Catarina. Durante o curso trabalhou como assistente para o fotógrafo Dico Kremer e um ano depois começou a trabalhar na Ibiza Laboratório Fotográfico. Em 2013, sua fotografia fez parte do livro “Imaginário Cromático”, junto aos fotógrafos Orlando Azevedo, João Castilho, Cao Guimarães e Gui Mohallem. A partir disso, participou de algumas exposições coletivas e mostras em festivais, a mais recente foi no 14º Salão Pérsio Galembeck, em Araras – SP. Atualmente é freelancer juntamente com seu irmão e integra os coletivos fotográficos Flanares e R.U.A Foto Coletivo.

Henrique Thoms, inspirado pelo trabalho de Walter, seu irmão mais velho, começou a fotografar aos 13 anos e, desde então, vem desenvolvendo seu trabalho profissional e autoral. Começou com fotografia de surf não convencional, utilizando sua Nikonos – câmera analógica subaquática dos anos 80. No decorrer da sua trajetória, participou de exposições coletivas, workshops e, o mais recente projeto em exposição, chamado 04:AM – que consiste em registros de algumas cenas noturnas da cidade. Hoje atua em várias áreas da fotografia, entre elas publicidade e cinema, e colabora com o coletivo I Hate Flash fotografando festas, shows e festivais.

Serviço:
Informações sobre a oficina “Sopa de Filme”
Data: 12/08/2017 e 19/08/2017 Horário: 14h30 
Inscrições: sesicultura.hsf@sesipr.org.br
Vagas: 20 
Valor: R$20,00 / R$10 (trabalhador da indústria)
Local: Centro Cultural SESI Heitor Stockler De França
Endereço: Av. Mal. Floriano Peixoto, 458 – Centro
Contato: (41) 3322-2111
Observação: Sujeito a lotação
Página do evento, aqui

Mais informações:
www.sesipr.com.br/cultura/ 
www.facebook.com/sesiculturapr/

SESI CULTURA
Foi em 2008 que a Regional Paraná do Serviço Social da Indústria inaugurou uma área especificamente dedicada ao desenvolvimento de ações culturais ancoradas nas diretrizes previstas na Declaração Universal dos Direitos do Homem, como a diversidade, a pluralidade e a autonomia. Desde então, o Sesi Cultura Paraná tem promovido o acesso à cultura com foco em programas de formação artística e cultural, investindo em processos criativos, formação de plateia para todas as linguagens e na formação e desenvolvimento cultural com vocação local. O Circuito Cultural Sesi, o Festival Sesi Música, os Núcleos Criativos do Sesi, o Zoom Cultural, os Programas Sesi Música, Sesi Arte, Sesi Audiovisual e Sesi Artes Cênicas são exemplos de programas desenvolvidos pela Gestão Cultural do Sesi. De 2008 até 2016, mais de 927 mil espectadores tiveram acesso à cultura por meio de cerca de 7,5 mil eventos realizados pelo Sesi Paraná. Todas essas ações sempre tiveram como objetivo o acesso ao bem cultural para o trabalhador da indústria, seus dependentes e para a comunidade de um forma geral, além da difusão da arte em todas as suas manifestações, valorizando a diversidade e a pluralidade do povo brasileiro.

‘CONCERTO EM RI MAIOR’ FAZ APRESENTAÇÃO GRATUITA NO SESI PORTÃO

Concerto em Ri Maior / Crédito foto: Nilton Russo

Espetáculo une palhaçaria e muita música nos dias 12 e 13 de agosto

Dizem que quem tem um amigo tem tudo. O maestro russo Wilson Chevchenco que o diga! Graças a ajuda de Sarrafo, seu fiel amigo e tradutor, o seu concerto musical, onde apresenta as composições de sua família, pode ser compreendido pela plateia – já que o palhaço não fala português. A peça, que já fez sucesso expressivo na capital paranaense e cuja interação da plateia é essencial, acontece às 19h nos dias 12 e 13 de agosto, no Teatro Sesi Portão.

O espetáculo “Concerto em Ri Maior” surgiu em 2005 a partir de jogos de improvisação de palhaços com a música, resultando em uma comédia interativa e alegre para toda a família. O concerto conta ainda com um coral, que é integrado pelo público. E para embalar a diversão, os próprios palhaços tocam vários instrumentos: piano, violão, acordeom, gaita, castanholas e harmônica.

O “Concerto em Ri” Maior já percorreu vários festivais pelo Brasil e pelo mundo, como o festival de comédia musical “O Gesto Orelhudo”, em Portugal, e o Festival Internacional “Anjos do Picadeiro” (em Florianópolis e Rio de Janeiro). Também já foi apresentado em parceria com a Orquestra Sinfônica do Paraná no Teatro Guaíra, em Curitiba. Agora, faz temporada gratuita no Teatro do Sesi Portão, trazendo na bagagem muita música, dança, improvisação e, claro, divertidas palhaçadas para o público da região.

SERVIÇO:
CONCERTO EM RI MAIOR

Teatro SESI Portão
Data: 12 de agosto (sábado) e 13 de agosto (domingo)
Hora: sempre às 19h
Local: Teatro do Sesi Portão
Endereço: Rua Padre Leonardo Nunes, 180 – Portão
Classificação: Livre
Observação: Sujeito a lotação
Mais informações:
www.sesipr.org.br/cultura/EventAgenda27805content350965.shtml
www.sesipr.com.br/cultura/
www.facebook.com/sesiculturapr/

SESI CULTURA
Foi em 2008 que a Regional Paraná do Serviço Social da Indústria inaugurou uma área especificamente dedicada ao desenvolvimento de ações culturais ancoradas nas diretrizes previstas na Declaração Universal dos Direitos do Homem, como a diversidade, a pluralidade e a autonomia. Desde então, o Sesi Cultura Paraná tem promovido o acesso à cultura com foco em programas de formação artística e cultural, investindo em processos criativos, formação de plateia para todas as linguagens e na formação e desenvolvimento cultural com vocação local. O Circuito Cultural Sesi, o Festival Sesi Música, os Núcleos Criativos do Sesi, o Zoom Cultural, os Programas Sesi Música, Sesi Arte, Sesi Audiovisual e Sesi Artes Cênicas são exemplos de programas desenvolvidos pela Gestão Cultural do Sesi. De 2008 até 2016, mais de 927 mil espectadores tiveram acesso à cultura por meio de cerca de 7,5 mil eventos realizados pelo Sesi Paraná. Todas essas ações sempre tiveram como objetivo o acesso ao bem cultural para o trabalhador da indústria, seus dependentes e para a comunidade de um forma geral, além da difusão da arte em todas as suas manifestações, valorizando a diversidade e a pluralidade do povo brasileiro.

MÚSICA NA CIDADE APRESENTA SEGUNDA EDIÇÃO COM 11 SHOWS GRATUITOS

O projeto vai passar por seis cidades do Paraná com shows ao céu aberto democratizando a ocupação dos espaços urbanos 

A música produzida no Paraná vai estar presente em diversas regiões do estado durante o mês de agosto. Realizado desde 2014, o projeto “Música na Cidade” traz em sua segunda edição, onze shows ao céu aberto nas cidades de Balsa Nova (08 e 09), com Ary Giordani, em Morretes (10 e 11), com Vitor Gulin, em Imbaú (16 e 17), com Alonso Figueroa, em Terra Rica (19 e 20), com Du Gomide, em Curitiba (28), com Marina Camargo e em Antonina (29 e 30), com Rogério Gulin. 

Nesta edição, o “Música na Cidade” vai literalmente desembarcar. Todos os shows serão apresentados nos terminais rodoviários destas cidades e também, em outros espaços públicos. Se há três anos, o intuito de romper com a rotina da população, a partir da arte urbana foi atingida e compartilhada com mais de 50 mil pessoas. Em 2017, o projeto vai além e incita a interação online pelas redes oficias e possibilita a relação entre os artistas e seguidores. 

O livre acesso à cultura é o escopo do “Música na Cidade” onde o artista pode tocar para um público novo e diversificado, e ainda, incentiva a democratização dos espaços urbanos e propicia para a população a acessibilidade artística de forma gratuita. Com a proposta de intervir no cotidiano a partir da arte, a sonoridade da música instrumental e regional, vai estar presente nestas cidades com shows que refletem as diversas gerações da música paranaense. 

SERVIÇO:
Música na Cidade 

Show com Ary Giordani 
Dia: 08 e 09 de agosto 
Horário: 11h 
Cidade: Balsa Nova-PR
Endereço: Av. Brasil 625 

Show com Vitor Gulin
Dia: 10 e 11 de agosto 
Horário: 11h 
Cidade: Morretes-PR 
Endereço: Terminal Rodoviário Brasílio Carlos Jorge Buffara 

Show com Alonso Figueroa
Dia: 16 e 17 de agosto de 
Horário: 11h 
Cidade: Imbaú-PR
Endereço: Terminal Rodoviário – Av. Ivo Jangada 

Show com Du Gomide 
Dia: 19 e 20 de agosto 
Horário: 11h 
Cidade: Terra Rica-PR 
Endereço: Em breve 

Show com Marina Camargo 
Dia: 28 de agosto 
Horário: 18h 
Cidade: Curitiba 
Endereço: Terminal Guadalupe 

Show com Rogério Gulin 
Dia: 29 e 30 de agosto 
Horário: 13h 
Cidade: Antonina-PR 
Endereço: Rua XV de Novembro, 496 

Ficha Técnica Música na Cidade 2017 
Produção Executiva: Fredy Kowertz 
Produção Artística e Curadoria: Bernardo Bravo 
Produção Técnica: Téo Ruiz 
Direção de Comunicação: Michelle Hesketh 
Cenografia: Maria Baptista 
Captação e Edição de Imagens: João Marcelo Gomes e Carol Winter 
Imprensa: Lucas Cabaña 
Mídias Sociais: Sabrina Moreira 
Programação Visual: Web Mota e Maria Baptista 
Realização: Tertúlia Produções, Escritório de Criação e Whois Produção e Arte 
Incentivo: Secretaria Estadual da Cultura – Paraná / Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura 
Apoio (incentivo): Copel, Havan, Lowçucar 
Apoio (captação): Sauí 
Fomento à Cultura: Instituto Ingá