FILME QUE COMEMORA OS 300 ANOS DA MAÇONARIA SERÁ LANÇADO EM CURITIBA

“Os mais belos templos, a memória e diversidade da maçonaria no mundo é tema de documentário de premiado diretor belga

Desde a sua criação oficial em Londres, em 1717, a Maçonaria se expandiu em todo o mundo sendo influenciada por diferentes culturas locais nos cinco continentes.

Mas o que a Maçonaria representa hoje? Quem sãos os maçons? O que procuram? Quais suas crenças?

Estas são algumas das perguntas do documentário “Terra Masonica – A volta ao mundo em 80 templos”, que será lançado em Curitiba no próximo dia 14 de setembro, pela Grande Loja Unida do Paraná, no espaço cultural do Círculo de Estudos Bandeirantes, onde contará com a presença do diretor belga Tristan Boulard.

Além de passar por lugares belíssimos no mundo todo, o objetivo da obra é mostrar os maçons por trás da instituição no cotidiano compartilhando sua história e visão de um mundo em mudança.

O documentário é uma homenagem à maçonaria pelos seus 300 anos e tem a direção do belga Tristan Boulard – premiado diretor de filmes e documentários científicos e históricos em vários países-, e produção da Nexus Factory, empresa fundada por Sylvain Goldberg e Serge de Poucques, também especializada em longa-metragem, animação, séries de TV e documentários.

O documentário estará disponível em DVD para venda.
Website oficial do filme: www.terramasonica.com/
Trailer: https://youtu.be/IlR-0T3rQzs

Serviço:
Documentário “Terra Masonica – A volta ao mundo em 80 templos”

PRÉ-ESTREIA EXCLUSIVA PARA IMPRENSA:
Data: 13/09 – quarta-feira
Horário: 16h
Local: Grande Loja Unida do Paraná (GLUP)
Endereço: R Carlos Essenfelder, 2047. Boqueirão. Curitiba-PR
Confirmação de presença: (41) 99686-4144 ou alexandre.werner@directxis.com.br

ESTREIA/LANÇAMENTO AO PÚBLICO:
14 de setembro de 2017, às 19hs

Local: Círculo de Estudos Bandeirantes
Endereço: Rua XV de Novembro, n.º 1050, Curitiba – PR
Telefones: (41) 3222-5193 / 3323-6610
www.pucpr.br/circuloestudos/

Para confirmação de presença, entrevistas e informações, por favor, fale com: Alexandre Werner (41) 99686-4144 /  alexandre.werner@directxis.com.br

CIRCOCAN APRESENTA BUILDING NO GRANDE AUDITÓRIO DO TEATRO POSITIVO

O Circocan – International School of Circus, companhia de circo fundada em Curitiba em 2003 e com sede também em Florianópolis, traz ao grande auditório do Teatro Positivo, em Curitiba, no próximo dia 6 de setembro, o espetáculo Building.

Dirigida por Adilso Machado, a criação tem em seu elenco artistas de todo o Brasil e apresenta uma montagem recheada de circo, poesia e corpo em movimento, com acrobacias no solo e nos ares.

Para Pedro Mello, diretor-geral do espetáculo e do Circocan, “Building é resultado de seis meses de aprendizado, ensaios e treinos intensivos de um grupo que desafiou suas diferentes histórias, influências e objetivos para construir uma identidade coletiva.”

A virtuose e estética do circo contemporâneo são usadas para refletir sobre o “se fazer artista”: a necessidade do autoconhecimento, da (re)construção constante e do desafio de desenvolver essas questões na convivência diária do grupo.

A apresentação tem apoio da Universidade Positivo e da Caixa.

Grupo de Formação em Circo
A produção é uma realização do Gforc 2017 – Grupo de Formação em Circo do Circocan, projeto que visa a qualificação e profissionalização em circo. O programa, vencedor do Prêmio Carequinha 2015 e Prêmio Brasil Criativo 2016, está em sua terceira edição e conta com artistas técnicos de várias partes do Brasil e também internacionais.

Building integra a programação do Festival Curitiba Comunica Cultura, evento paralelo ao 40º. Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Intercom 2017, que este ano será realizado em Curitiba.

Ficha Técnica
Elenco: Amanda Gal Tocchio, Ana Scaramella, Bruno Frey, Edio Silvio, Gabriel Ribas, Mayla Bares, Priscila Wimmersberger, Gabriella Vaz, Shely Pazzini, Victoria Pomar, Vinicius Marques, Wildner Roehr, Luma Strobel, Isabela Ferreira, Daniela Barros.

. Direção Artística – Adilso Machado
. Direção Geral – Pedro Mello e Cruz
. Direção Técnica: Carlos Sugawara, Diogo Vaz Franco, Luke Quadrio, Nickolle Abreu, Roberto Bacchi, Ana Paula Perche.

SERVIÇO
Circocan apresenta: Gforc 2017 – Building
Duração: 55 minutos
Local: Teatro Positivo – Grande Auditório
End.: Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Curitiba/PR
Ingressos: R$ 30,00 meia/R$ 60,00 inteira
Participantes do Intercom 2017/Entrada free

ESPETÁCULO “REMAKE DA MINHA VIDA” DISCUTE AFETO E AUTENTICIDADE REVELANDO DIFERENTES FACETAS DE RENATO SBARDELOTTO NO PALCO

Todas as fotos deste são de Eli Firmeza

Peça de dança-teatro faz temporada pague-quanto-vale, de 14 de setembro a 8 de outubro, no Teatro Ave Lola em Curitiba

O solo autoficcional Remake da Minha Vida, de Renato Sbardelotto, une a dança e o teatro para colocar em cena memórias e fabulações criadas pelo artista ao mergulhar em suas emoções mais particulares, reveladas como em uma legítima telenovela. Em tom tragicômico, question    a o compromisso de cada um de nós com a autenticidade e traz para o palco o universo do piegas, com seu ar engraçado, mas absolutamente sincero, para fazer uma declaração de amor aos que estão presentes e aos que passaram por sua vida. A temporada acontece de 14 de setembro a 8 de outubro, com ingressos pague- quanto-vale, no Ave Lola Espaço de Criação. A estreia será exclusiva para convidados. Após Curitiba, o espetáculo circula com apresentações em Cascavel e Toledo.

A peça também cruza fronteiras polêmicas ao levantar questões de gênero e desdobra clichês para expor camadas sutis desse tema e de outros, tão caros aos debates contemporâneos, como a apropriação e o empoderamento. Igualmente fundamental para o espetáculo é o “tempo”, que figura como uma entidade e revela afetos do artista, estabelecendo um lugar de intimidade com o público. Remake da Minha Vida é uma profecia que revisita o passado e lança à própria sorte um futuro idealizado, é o início e o fim de uma trama digna de horário nobre. De maneira não linear, com imagens vertiginosas e cambiantes, Sbardelotto brinca com seus próprios dramas enquanto convida o púbico a olhar para sua própria história, para o que assume e para o que esconde.

Outro traço distintivo desta peça é o tom confessional, conforme afirma Sbardelotto: “Todo mundo tem em sua vida histórias ou imagens potentes para inspirar uma dramaturgia. “Remake” não sintetiza tudo que me aconteceu, mas poetiza diversas questões que surgiram ao me debruçar sobre materiais autobiográficos, como lembranças, fotografias, músicas, desejos. Os padrões de socialização de gênero, por exemplo, são encarados de forma crítica. O trabalho é um chamado para assumir seu próprio jeito de se colocar no mundo, sem vergonha ou julgamento. É também um meio de compartilhar meus desejos mais íntimos de cena.” O artista escolheu Cascavel e Toledo para fecharem a temporada no Paraná, pois são cidades que fazem parte de sua história pessoal, estabelecendo uma relação de retorno às origens.

Além de Renato Sbardelotto que interpreta, dança e canta no espetáculo, a equipe conta com: Juliana Adur como orientadora artística, integrante da desCompanhia de Dança e coordenadora do Núcleo de Pesquisa em Dança IMP – Investigação do Movimento Particular; Kysy Fischer como interlocutora, mestre em Artes Cênicas pela UDESC, pesquisadora das artes do corpo e comicidade, foi artista residente na Casa Hoffmann, Casa Selvática e no programa 20MINUTOS.MOV; Karla Izidro na pesquisa sonora e preparação vocal, cantora e compositora, professora da Cena Hum, integrante da Cia do Abração, e ganhadora do Troféu Gralha Azul 2013 por “O Olhar de Neuza”; Lucas Mattana como iluminador, membro da Inominável Cia de Teatro e pesquisador das relações entre teatro e literatura; Guenia Lemos como cenógrafa, formada em design pela Fashion Institute of Technology e em Teatro pela Fordham University (Nova Iorque, EUA), e ganhadora dos Troféu Gralha Azul de Melhor Cenário por “Marlon Brando, Whiskey, Zumbis e Outros Apocalipses” e por “Salomé”; e Ailime Huckembeck como figurinista, foi integrante da A Bem Soada Cia, é também artista plástica, performer e atriz, participou de produções da Cia do Abração, atualmente pesquisa visualidade e performatividade no grupo Filhas da Fruta.

Remake da Minha Vida é uma realização da Híbrido Produções em parceria com a Cecconello Companhia de Dança, com incentivo do Ebanx e apoio da Casa Hoffmann, BDrops TV, Missê Mariá, Bistrô Passeio, Padaria América e da UniFM como rádio oficial do espetáculo. Projeto realizado com o apoio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura — Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba.

Sobre a Híbrido Produções e Renato Sbardelotto:
A Híbrido Produções coordena os projetos culturais do artista Renato Sbardelotto. Como ator e bailarino, Sbardelotto já́ trabalhou sob a direção/coreografia de Rafael Camargo, Carmen Jorge, Laura Haddad, Paulo Biscaia Filho, Maurício Vogue, Márcio Mattana, Cesar Almeida, Viviane Cecconello, Petra Schuster, Patrícia Otto e Lilyan de Souza. Trabalha atualmente na Cia Regina Vogue e na Duplo Produções Culturais, como ator, bailarino e intérprete criador. Ao longo de sua trajetória, foi artista residente na Casa Hoffmann. Também foi contemplado com prêmios e projetos pelo MINC, pela Fundação Cultural de Curitiba e pela Funarte (Prêmio Artes na Rua e Myriam Muniz). Foi integrante da comissão julgadora do Festival de Dança de Toledo. Como mediador do projeto “Pela Experiência da Dança-Teatro”, circulou pelas regionais de Curitiba com 120 rodas de leitura. Também é dele o projeto “Experiência Portátil”, no qual realizou intervenções em dança nas linhas de transporte público de Curitiba.

Ficha Técnica – Remake da Minha Vida:
Direção e Performance: Renato Sbardelotto
Orientação Artística: Juliana Adur
Interlocução: Kysy Fischer
Pesquisa Sonora e Preparação Vocal: Karla Izidro
Iluminação: Lucas Mattana
Cenografia e Adereços: Guenia Lemos
Figurino e Maquiagem: Ailime Huckembeck
Produção: Híbrido Produções
Assistência de Produção: Jossane Ferraz
Assessoria de Comunicação e Imprensa: Luciana Melo
Arte Gráfica e Ilustração: Daniel Lourenço
Fotos e Vídeos: Eli Firmeza
Realização: Híbrido Produções e Cecconello Companhia de Dança

Serviço:
Remake da Minha Vida:  Espetáculo de Dança-Teatro
Local: Ave Lola Espaço de Criação
Endereço: R. Mal. Deodoro, 1227. Centro. Curitiba – PR
Temporada: de 14 de setembro a 8 de outubro.
Dias e horários: Quintas e Sextas às 20h
Sábados às 18h e 20h
Domingos às 16h
Ingressos: Pague Quanto Vale
Lotação: 58 lugares.
Duração: 60 minutos.
Classificação indicativa: Acima de 12 anos
Informações: 41 99921-0626,  @hibridoproducoes e www.avelola.net.br/

MICHELE MABELLE NO TEATRO SESI DE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS

O show de lançamento do 1º single da cantora acontece no próximo sábado (02)

A noite deste sábado (2) promete ser agitada no palco do Teatro SESI de São José dos Pinhais! A partir das 20h, a cantora paulista Michele Mabelle fará uma apresentação exclusiva para marcar o lançamento de seu novo single e o videoclipe da canção Linha Reta, uma das composições autorais do seu primeiro EP. O seu repertório de influências da música folk, blues, rock, pop e country e uma pitada de música brasileira prometem animar a plateia.

Linha Reta é a grande aposta do novo álbum de Michele, uma composição da artista com produção de Rodolpho Grani Junior, gravada em Curitiba e finalizada em São Paulo, com a participação de músicos da cena musical paranaense. Além de cantora, Michele é compositora e instrumentista, e se destaca por canções que elevam a nobreza feminina, sentimentos e emoções de seu mundo particular, que abrange a doçura da menina e o universo da mulher.

Fã de Beatles e Rolling Stones, iniciou sua carreira artística ainda na adolescência. Teve sua base musical na música gospel e, posteriormente, estudou música no conservatório de MPB e em escolas particulares. Sua paixão pela música a levou adiante, dedicando-se integralmente às suas composições autorais. Na estrada, em busca de seu sonho, chegou aos palcos trazendo consigo uma mensagem de amor e esperança e, desde então, vem agregando fãs pelos trabalhos realizados nos palcos de Curitiba.

Mabelle já se apresentou com nomes da cena local, nacional e internacional, como: Cozinha Etílica, Blues Etílicos, Blindagem, Blues Man, Decio Caetano, Patrulha do Espaço, Rolando Castello Junior e Fábio Elias, da banda Relespública. A cantora ficou conhecida pelo sucesso de seu projeto Rock Calcinha – Duo acústico feminino com cantoras curitibanas. Também foi vocalista da banda de rock, Michele Mabelle & Os Contents, além de cantora e percussionista no DeltaDuoBlues, duo acústico de blues.

Serviço:
Sesi São José dos Pinhais apresenta Michele Mabelle – Show de Lançamento do 1º single
Data: 02/09 Horário: 20h
Valor: R$ 20,00 inteira e R$ 10,00 meia
Local: Teatro SESI de São José dos Pinhais
Endereço: Rua Quinze de Novembro, 1800 – Centro de São José dos Pinhais – PR
Contato: (41) 3398-4100
Observação: Sujeito a lotação

Mais informações: aqui
www.sesipr.com.br/cultura/
www.facebook.com/sesiculturapr/

SESI CULTURA
Foi em 2008 que a Regional Paraná do Serviço Social da Indústria inaugurou uma área especificamente dedicada ao desenvolvimento de ações culturais ancoradas nas diretrizes previstas na Declaração Universal dos Direitos do Homem, como a diversidade, a pluralidade e a autonomia. Desde então, o Sesi Cultura Paraná tem promovido o acesso à cultura com foco em programas de formação artística e cultural, investindo em processos criativos, formação de plateia para todas as linguagens e na formação e desenvolvimento cultural com vocação local. O Circuito Cultural Sesi, o Festival Sesi Música, os Núcleos Criativos do Sesi, o Zoom Cultural, os Programas Sesi Música, Sesi Arte, Sesi Audiovisual e Sesi Artes Cênicas são exemplos de programas desenvolvidos pela Gestão Cultural do Sesi. De 2008 até 2016, mais de 927 mil espectadores tiveram acesso à cultura por meio de cerca de 7,5 mil eventos realizados pelo Sesi Paraná. Todas essas ações sempre tiveram como objetivo o acesso ao bem cultural para o trabalhador da indústria, seus dependentes e para a comunidade de um forma geral, além da difusão da arte em todas as suas manifestações, valorizando a diversidade e a pluralidade do povo brasileiro.

MANDALA FOLK: SHOW DE ROCK COM MÚSICA IRLANDESA


A banda estreia a nova formação com uma apresentação no palco do teatro e interpretação do tema de Game of Thrones

Dia 2 de setembro, sábado, o grupo Mandala Folk surpreende a plateia do Teatro Sesi Portão. Os musicistas, agora em nova formação, apresentam o intercâmbio entre música irlandesa, folk, jazz e rock. Arranjos excepcionais compõem uma verdadeira viagem sonora. Os ingressos custam R$ 15 (antecipadamente e meia-entrada) e R$ 30.

Mandala Folk interpreta deliciosas releituras de melodias medievais, celtas e folk. Tem surpresas durante o show! Para ambientar mais ainda o universo musical, vai rolar o tema de Game of Thrones. E quem comprar ingresso antecipadamente para meia-entrada e concorre à camiseta da banda.

O grupo é formado por Guilherme Harder (bateria e voz), Mateus Sokolowski (hurdy-gurdy, banjo e bouzouki), Mateus Hoffmann Favreto (baixo), Maiko Thomé Araujo (flautas, violoncelo e voz) e Thomaz Ozatski (violão folk e voz). Durante o show, preste atenção nos diferentes instrumentos, como a viela de roda. Conhecida na Inglaterra como hurdy-gurdy é um instrumento de corda medieval tocado com manivela.

Quer conhecer melhor a banda? Assista ao videoclipe da música Twa Corbies clicando aqui. Twa Corbies (“três corvos” em escocês) é uma cantiga típica medieval. A versão do videoclipe propõe o diálogo entre instrumentos medievais e atuais. Um exemplo do cuidadoso trabalho musical e de pesquisa da Mandala Folk. www.mandalafolk.com

Serviço:
Mandala Folk
Local: Teatro Sesi Portão (Rua Padre Leonardo Nunes, 180 – Portão, Curitiba)
Data: Dia 2/9, sábado, às 20h
Valor: R$ 15 (antecipadamente e meia-entrada) e R$ 30 (inteira e no dia do show, a partir das 19h – em dinheiro)
Pontos de venda: Sound Harder Estúdio (Av. da República, 6555 – Portão) e pelo WhatsApp (41) 99936 7868 – Mateus Sokolowski.
Evento no Facebook:  aqui

RETRÓPICA ATUALIZA O TROPICALISMO E A ANTROPOFAGIA NA DANÇA

Crédito da foto: Frank Pittoors

Espetáculo contemporâneo contemplado pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna contará com a colaboração do público curitibano para a sua concepção

Brasil e Antropofagia cultural. Uma pesquisa de dança contemporânea de iniciativa da artista paulistana Mari Paula discute e atualiza esses temas em um espetáculo solo cuja a concepção “final” contará com a colaboração do público curitibano. A obra, que foi contemplada pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna – edição 2015, chega ao público da capital paranaense com apresentações a preços populares durante o mês de setembro. O projeto, cuja produção está a cargo da Associação de Bailarinos e Apoiadores do Balé Teatro Guaíra – a ABABTG, ainda conta com oficinas e mostras de processo.

De acordo com a bailarina, performer e diretora Mari Paula, o Brasil não foi “descoberto” por um fidalgo navegador e sua caravela. “A colônia Brasil descendeu de um tratado ibérico que, em sua bula papal, estipulou que o leste de uma linha meridional seria ‘redescoberto’ por Portugal e o oeste dessa mesma linha ficaria para a Espanha”, defende. Segundo a pesquisadora, os corpos brasileiros se movem e agem sob essa influência histórica, o que repercute em uma produção artística nem sempre originalmente nacional.

Com base na antropofagia cultural, a pesquisa de Retrópica, aborda o hibridismo existente entre alguns elementos da cultura brasileira e da península ibérica e conta com a colaboração dos curitibanos para se aproximar de uma arte de identidade brasileira. Tal contribuição do público se dará por meio de duas mostras de processo e 10 oficinas culturais intituladas “O corpo brasileiro e a performatividade”, para o levantamento de reflexões e partilhas em torno do tema.

“Curitiba apresenta um determinado contexto sócio-identitário europeu, mas está localizada em uma realidade sócio-política latino-americana. Diante disso, se faz relevante ingressar em discussões sobre arte de identidade brasileira aqui e tornar essas partilhas parte do espetáculo. É por isso que a criação de Retrópica organiza-se em caráter híbrido, com a participação do público”, explica Mari Paula.

O resultado desse trabalho poderá ser conferido em três apresentações na Casa Hoffmann e seis na Casa Selvática de 1 a 17 de setembro, com ingressos a R$ 10,00 e uma sessão gratuita na Casa Hoffmann. O projeto conta com a colaboração de artistas como Ângela Donat, Airton Rodrigues, Fernando de Castro, Giorgia Conceição, Leonarda Glück, Ricardo Nolasco, Vítor Sabbag e Wagner Corrêa e com a produção da ABABTG – Associação de Bailarinos e Apoiadores do Balé Teatro Guaíra.

Crédito da foto: Ángela Donat

A Associação de Bailarinos e Apoiadores do Balé Teatro Guaíra apresenta Espetáculo Retrópica, de Mari Paula

Crédito da foto: Frank Pittoors

Na Casa Selvática
Datas e hora: De 1 a 3 de setembro e de 8 a 10 de setembro. Sempre às 20hs
Ingressos: R$ 10,00 (retirados no dia do evento, na bilheteria do espaço, uma hora antes do espetáculo)
Endereço: Rua Nunes Machado, 950 – Rebouças, Curitiba
Página do evento, aqui

Na Casa Hoffmann
Datas: Dias 15 e 16 de setembro, às 20h. Dia 17 de setembro, às 11h e às 20h.
Ingressos: R$ 10,00 (retirados no dia do evento, na bilheteria do espaço, uma hora antes do espetáculo)
Obs.: Haverá sessão gratuita no dia 17 de setembro, às 11h
Endereço: Rua Dr. Claudino dos Santos, 58 – São Francisco, Curitiba.

Projeto contemplado pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna – edição 2015
Classificação indicativa: 14 anos
Produção: ABABTG
Contato: (41) 3044-7439 / 99136-7884
Ficha técnica:
Concepção e performance: Mari Paula
Colaboração: Airton Rodrigues, Ángela Donat, Giorgia Conceição, Leonarda Glück e Ricardo Nolasco
Iluminação: Trio desenho de luz – Wagner Correa e Victor Sabbag
Operação de Luz: Semy Monastier
Sonoplastia: Fernando de Castro
Ilustração: Evandro Prado
Vídeo: Marcus Vinicius Bonato e Livea Castro Calvo
Foto: Frank Pittoors, Ángela Donat e Cayo Vieira
Assessoria de impressa: Smartcom – Inteligência em Comunicação
Designer gráfico e gerenciamento de redes sociais: RDO Brasil
Direção de produção: Jorge Schneider
Coordenação geral: Simone Bönisch
Agradecimentos: Gabriel Machado, Adrián Torices Sáez, Alma Sáenz, Demétrio Sanches, Gil Costa, Victor Hugo, Ana Machado, Centro Cultural Teatro Guaíra, Estúdio Aire Flamenco, Casa Hoffmann e Casa Selvática.

ABABTG
Fundada em 2007, a Associação de Bailarinos e Apoiadores do Balé Teatro Guaíra surgiu para fortalecer a dança e demais artes motivando uma ligação sinérgica entre os setores público e privado. Para tanto, tem desenvolvido projetos culturais que promovam ações de formação, atualização, divulgação e fomento da dança, em suas diversas linguagens. A formação de público e o apoio à gestão de carreira de seus associados bailarinos, ex-bailarinos e apoiadores do Balé Teatro Guaíra também estão entre os compromissos da ABABTG. Formalizada como uma agremiação artística e cultural de caráter civil e personalidade jurídica e recentemente qualificada como Organização Social, a Associação tem demonstrado uma atividade intensa desde a sua fundação. Entre os seus principais eventos está a Mostra Paranaense de Dança, realizada anualmente em diferentes cidades do Estado para incentivar e valorizar bailarinos e grupos amadores e promover apresentações profissionais a preços populares.

Saiba mais:
www.ababtg.org.br/mostra
www.facebook.com/ababtgoficial/

BIBLIOTECA DA CAXIMBA


Ajude construir uma estrutura para a Biblioteca da Caximba, em Curitiba.

Você pode apoiar o projeto (com qualquer valor a partir de R$ 5,00) através deste link

DUO DE FLAUTA E VIOLÃO NO SESI HEITOR STOCKLER DE FRANÇA

O projeto Acordes da Casa realiza apresentação gratuita no próximo sábado (26)

Formado pelo primeiro flautista da Orquestra Sinfônica do Paraná (OSP), Fabrício Ribeiro, e pelo violonista Francisco Luz, o duo Luz-Ribeiro apresenta o concerto “Na solidão, em busca de companhia”. A ação acontece no Centro Cultural SESI Heitor Stockler de França, no dia 26 de agosto, a partir das 11h, com entrada franca.

A apresentação é parte do primeiro CD da dupla, lançado em 2017, que empresta o nome da obra homônima de Harry Crowl, compositor e musicólogo de Belo Horizonte. As canções fazem uma homenagem a importantes compositores brasileiros dos séculos 20 e 21, reúnem repertório diverso e influenciado pela música popular brasileira, além da Música de Câmara Europeia e outras obras contemporâneas.

A dupla, formada em 2014 com foco na pesquisa e divulgação da música brasileira escrita originalmente para flauta e violão, se inspira nas composições de grandes músicos, como: Villa-Lobos, Marlos Nobre, Edino Krieger, Radamés Gnatalli, Guerra-Peixe, Edino Krieger, além de Harry Crowl.

O projeto Acordes da Casa, do Sesi Cultura Paraná, em sintonia com os instrumentistas, traz para o palco do Centro Cultural Sesi Heitor Stockler de França o prestígio e o requinte de melodias que prometem deleitar o público. A classificação é livre.

Sobre os músicos

Francisco Luz atua desde 2016 como integrante do Brazilian Guitar Quartet. Entre as suas apresentações, se destacam concertos na Frick Collection de Nova York frente à Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, na Sala São Paulo sob a regência de Marin Alsop, no Museu de Arte de São Paulo, no BNDES do Rio de Janeiro, na Série Música de Câmara da Capela Santa Maria, entre outros locais. Também já se apresentou em cidades dos EUA, México e Espanha. Em 2015, foi indicado ao prêmio Julian Bream Trust, ocasião na qual teve a oportunidade de se apresentar para o lendário violonista em sua casa em Tisbury, Inglaterra.

Fabrício Ribeiro é Mestre em Música pela Universidade Federal do Paraná. Entre 2007 e 2016 atuou como 1º Flautista da Orquestra Sinfônica do Paraná, onde se apresentou com grandes artistas da atualidade, como: Anton Witt, Gabriela Monteiro, Antônio Meneses, Sergio Tiempo, Vadin Gluzman, Zimbo Trio, Jean Luc Ponty, entre outros. Alguns de seus professores e influências artísticas foram: Curt Schroeter, Michel Debost, Rogerio Wolf e Osvaldo Colarusso. Foi premiado no Concurso Internacional de Música de Câmara Art-livre/SP, conquistando o 2º lugar em 2001 e, no Concurso Nacional de Música de Câmara de Araçatuba, obtendo o 1º lugar no mesmo ano.

Serviço:
Acordes da Casa com Duo Luz-Ribeiro
Data: 26/08/2017
Horário: 11h
Classificação: Livre
Valor: Gratuito
Local: Centro Cultural SESI Heitor Stockler De França
Endereço: Av. Mal. Floriano Peixoto, 458 – Centro de Curitiba
Contato: (41) 3322-2111
Observação: Sujeito a lotação
Mais informações:
www.sesipr.com.br/cultura/
www.facebook.com/sesiculturapr/

SESI CULTURA
Foi em 2008 que a Regional Paraná do Serviço Social da Indústria inaugurou uma área especificamente dedicada ao desenvolvimento de ações culturais ancoradas nas diretrizes previstas na Declaração Universal dos Direitos do Homem, como a diversidade, a pluralidade e a autonomia. Desde então, o Sesi Cultura Paraná tem promovido o acesso à cultura com foco em programas de formação artística e cultural, investindo em processos criativos, formação de plateia para todas as linguagens e na formação e desenvolvimento cultural com vocação local. O Circuito Cultural Sesi, o Festival Sesi Música, os Núcleos Criativos do Sesi, o Zoom Cultural, os Programas Sesi Música, Sesi Arte, Sesi Audiovisual e Sesi Artes Cênicas são exemplos de programas desenvolvidos pela Gestão Cultural do Sesi. De 2008 até 2016, mais de 927 mil espectadores tiveram acesso à cultura por meio de cerca de 7,5 mil eventos realizados pelo Sesi Paraná. Todas essas ações sempre tiveram como objetivo o acesso ao bem cultural para o trabalhador da indústria, seus dependentes e para a comunidade de um forma geral, além da difusão da arte em todas as suas manifestações, valorizando a diversidade e a pluralidade do povo brasileiro. 

SESI SÃO JOSÉ DOS PINHAIS RECEBE ESTREIA DO ESPETÁCULO “E NEM FOI TEMPO PERDIDO”

Coletivo COCAR propõe uma experiência sensorial e lírica a partir de reflexões sobre a juventude

Uma combinação de poesias, canções e encenação tomará conta do palco do Teatro Sesi São José dos Pinhais nos dias 25 e 26 de agosto, às 20h. É a estreia da peça “E Nem Foi Tempo Perdido”. O espetáculo, por meio do gênero teatral lírico, propõe uma intensa experiência sensorial ao explorar reflexões da juventude sobre os tempos atuais.

“E Nem Foi Tempo Perdido” possui direção e dramaturgia de Kaio Cezas e a participação dos profissionais e jovens estudantes de teatro que integram o Coletivo de Cultura e Arte – COCAR. “A necessidade de encontrarmos um ao outro e as dificuldades do viver que as juventudes passam ao longo de suas adolescências desembocaram em uma apresentação onde há uma questão constante a ser respondida: estou perdendo o meu tempo fazendo o que o jovem sempre faz?”, explica Cezas.

A pesquisa e montagem da peça iniciou a partir dos questionamentos de um jovem estudante de teatro acerca das angústias que o indivíduo passa em sua adolescência. De acordo com o diretor, a escolha pelo gênero teatro lírico foi influenciada por discussões do grupo em torno da Poética Aristotélica, “onde se vê o lirismo como uma experiência que se aproxima das sensações que o público sente ao ouvir uma música”. A partir disso, aos ensaios e preparação dos atores foram incorporadas técnicas do diretor italiano Eugênio Barba e do diretor russo Constantin Stanislavski.

Diálogos sobre as emoções e sentimentos apresentados no palco e daqueles que estão na plateia fazem parte da montagem. Canções que remetem sentimentos e sensações nostálgicas também construirão o elo entre o público e a sua própria juventude. O valor da entrada é de R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia), com classificação indicativa de 16 anos.

Sobre o Coletivo COCAR
O Coletivo COCAR propõe em seus espetáculos uma experiência teatral inovadora remontando legados da história do teatro brasileiro. Desenvolveu-se a partir das experiências do Centro Popular de Cultura da União Nacional dos Estudantes (CPC da UNE) e de sua versão mais atual, conhecida por Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca da UNE). Expressa um compromisso cooperativo com o desenvolvimento de manifestações artísticas e culturais e a viabilização de projetos que atendam aos anseios artísticos de seus membros, estudantes de artes cênicas e de produção cênica, em especial das universidades UFPR e Unespar.

Serviço:
SESI São José dos Pinhais apresenta Espetáculo teatral “E Nem Foi Tempo Perdido”
Data: 25 a 26/08 Horário: às 20h
Classificação: 16 anos
Valor: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)
Local: Teatro SESI de São José dos Pinhais
Endereço: Rua Quinze de Novembro, 1800 – Centro,  São José dos Pinhais-PR
Contato: (41) 3398-4100
Observação: Sujeito a lotação
Mais informações:  aqui
www.sesipr.com.br/cultura/
www.facebook.com/sesiculturapr/

SESI CULTURA
Foi em 2008 que a Regional Paraná do Serviço Social da Indústria inaugurou uma área especificamente dedicada ao desenvolvimento de ações culturais ancoradas nas diretrizes previstas na Declaração Universal dos Direitos do Homem, como a diversidade, a pluralidade e a autonomia. Desde então, o Sesi Cultura Paraná tem promovido o acesso à cultura com foco em programas de formação artística e cultural, investindo em processos criativos, formação de plateia para todas as linguagens e na formação e desenvolvimento cultural com vocação local. O Circuito Cultural Sesi, o Festival Sesi Música, os Núcleos Criativos do Sesi, o Zoom Cultural, os Programas Sesi Música, Sesi Arte, Sesi Audiovisual e Sesi Artes Cênicas são exemplos de programas desenvolvidos pela Gestão Cultural do Sesi. De 2008 até 2016, mais de 927 mil espectadores tiveram acesso à cultura por meio de cerca de 7,5 mil eventos realizados pelo Sesi Paraná. Todas essas ações sempre tiveram como objetivo o acesso ao bem cultural para o trabalhador da indústria, seus dependentes e para a comunidade de um forma geral, além da difusão da arte em todas as suas manifestações, valorizando a diversidade e a pluralidade do povo brasileiro.